Vous êtes sur la page 1sur 2

MÁXIMOS E MÍNIMOS R N

DerivadasParciais.odt 1

OTIMIZAÇÃO

Cap3. Otmização: Extremos locais e globais

1. Extremos Locais.

2. Extremos globais: otimização sem vínculos.

3. Otimização com vínculos: multiplicadores de

Lagrange.

Teorema do Valor Extremo. Se f(x,y) for contínua em um conjunto fechado e limitado R, então f tem ambas máximo e mínimo absolutos em R.

Ponto crítico: O ponto (a,b) no qual f x (a,b)=0 e f y (a,b)=0

Se as derivadas parciais de primeira ordem de f são definidas em todos os pontos de uma região do plano xy, então, todos os pontos extremos relativos de f na região podem ocorrer somente nos pontos críticos.

Teste da derivada segunda Suponha que f seja uma função de duas variáveis x e y, e que todas as derivadas parciais de segunda ordem de f sejam contínuas.

Seja: D = f xx f yy – (f xy ) 2 e suponha que (a,b) seja um ponto crítico de f.

a) Se D(a,b)<0, então, f possui um ponto de sela

em (a,b).

b) Se D(a,b)>0 e f xx (a,b)<0, então, f possui um

máximo relativo.

c) Se D(a,b)>0, e f xx >0, então, f possui um mínimo

relativo em (a,b).

d) Se D(a,b)=0, o teste não é conclusivo e f pode

possuir um extremo relativo ou um ponto de sela em

(a,b).

Como Determinar os Extremos Absolutos de uma Função Contínua de Duas Variáveis em um Conjunto Fechado e Limitado R. Passo1. Determine os pontos críticos de f que estão situados no interior de R.(usa derivadas) Passo2. Determine todos os pontos de fronteira nos quais os extremos podem ocorrer.(não usa derivadas) Passo3. Calcule f(x,y) nos pontos obtidos nos passos precedentes. O maior valor desses valores é o máximo absoluto e o menor valor é o mínimo absoluto.

MÁXIMOS E MÍNIMOS CONDICIONADOS

Método da Substituição Tal método consiste em substituir x (ou y) obtido da equação de restrição r(x,y)=0, na função objetivo f. Obtém-se, desta forma, uma função de uma única variável, e o problema se reduz à determinação de máximos e mínimos de funções de uma variável. Obs. Ver exr1 da secção otimização c/vínculo.

A Idéia dos Multiplicadores de Lagrange. Para entendermos a idéia dos multiplicadores de Lagrange, vamos supor que temos o problema de determinar a menor distância entre uma dada superfície e a origem. Podemos imaginar uma esfera centrada na origem e que vai crescendo, como se fosse uma bolha de sabão, até que toque a superfície. Nos dois pontos de contato (um de cada superfície), a esfera e a superfície possuem os mesmos planos tangentes e retas normais. Portanto os seus gradientes nestes pontos devem ser vetores paralelos.

Método de multiplicadores de Lagrange:

Suponha que f(x,y) e g(x,y) sejam funções cujas derivadas de primeira ordem existam. Para encontrar

o máximo e o mínimo relativos de f(x,y), com a função

sujeita à restrição g(x,y)=c, para alguma constante c,

introduza uma nova variável (denominada multiplicador de Lagrange) e resolva simultaneamente o sistema formado pelas três equações seguintes:

f x (x,y)=g x (x,y),

f y (x,y)=g y (x,y)

e

g(x,y)=c

O extremo relativo desejado será encontrado entre os

pontos (x,y) resultantes.

Obs. O sistema de equações que aparece no método de multiplicadores de Lagrange não é, em geral, um sistema linear, e sua solução requer, com freqüência, uma certa inventividade.

MÉTODO DOS MULTIPLICADORES DE LAGRANGE COM DUAS RESTRIÇÕES. f(x o ,y o ,z o ) = g(x o ,y o ,z o ) + h(x o ,y o ,z o )

www.abcacoaulas.com

MÁXIMOS E MÍNIMOS R N

DerivadasParciais.odt 2

EXERCÍCIOS - Otimização

1) Calcule os pontos críticos de cada uma das funções

seguintes

mínimo relativo ou ponto de sela:

a) f(x,y)=x 3 + y 2 + 3x 2 – 18y 2 + 81y + 5 Hofmann

b) f(x,y) = x 2 + y 3 + 6xy – 7x – 6y Hofmann

como máximo relativo,

e

classifique-os

c) f(x,y)=x 4 +y 2 -x 2 -2y

d) f(x,y)=2x 3 +y 3 -3x 2 -3y Diomara p.134

R: d) máx rel em (0,-1), mín rel em (1,1) pontos de sela (0,1) e (1,-1) 2) Uma companhia fabrica dois itens que são vendidos em mercados separados. As quantidades q1 e q2 pedidas pelos consumidores e os preços p1 e p2 de cada item são relocionados por

p 1 =600-0,3q 1

e p 2 =500-0,2q 2 ,

Assim, se o preço de qualquer dos itens aumenta, a

demanda para ele decresce. O custo total de produção da companhia é dado por

C=16+1,2q 1 +1,5q 2 +0,2q 1 .q 2

a) Se a companhia que maximizar seu lucro total,

quanto de cada produto deve manufaturar? b) Qual será o lucro máximo? Gleason.V2.p.108 exm1

R: a) 699,1 e 896,7 b) 433.000,00

f. lucro = P 1 +P 2 -C

3) Ache os máximos locais, mínimos locais e pontos

de sela da função f(x,y)=x 2 /2 + 3y 3 + 9y 2 – 3xy + 9y - 9x Solução: As derivadas de f são:

f x = x-3y-9 e f y =9y 2 +18y-3x+9 As eqs. f x =0 e f y =0 dão x-3y-9=0 e 9y 2 +18y-3x+9=0 eliminando x vem: 9y 2 +9y-18=0 que tem soluções y=-2 e y=1. Achamos os valores correspontdentes de x e os pontos críticos de f são (3,-2) e (12,1).

O discriminante é: D(x,y)=f xx f yy -f xy 2 =1(18y+18)-(-3)

2 =18y+9

Como D(3,-2)=-36+9<0 sabemos que é um ponto de sela. Como D(12,1)=18+9>0 e f xx (12,1)=1>0 sabemos que

é

um ponto de mínimo local.

4)

Determine a distância mais curta entre o ponto

(1,0,-2) e o plano x+2y+z=4. Solução.

C1. A distância entre um ponto qualquer (x,y,z) e o ponto (1,0,-2) é d=[(x-1) 2 +y 2 +(z+2) 2 ] 1/2 , mas, se (x,y,z) pertence ao plano x+2y+z=4, então z=4-x-2y,

e assim

C2. Podemos minimizar d minimizando a expressão mais simples d 2 =f(x,y) = (x-1) 2 +y 2 +(6-x-2y) 2 . C3. Resolvendo as equações f x =2(x-1)-2(6-x-2y)=4x+4y-14=0 f y =2y-4(6-x-2y)=4x+10y-24=0 achamos que o único ponto crítico é (11/6,5/3). C4. Como f xx =4, f xy =4 e f yy =10, temos D(x,y)=f xx f yy - (f xy )=24> 0 e f xx >0. Portanto, pelo teste da Segunda Derivada, f tem um mínimo local em (11/6,5/3). Intuitivamente podemos ver que esse mínimo local é, na verdade, um mínimo absoluto, porque precisa haver um ponto no plano dado que esteja mais próximo de (1,0,-2).

d=[(x-1) 2 +y 2 +(6-x-2y) 2 ] 1/2 .

C5. Se x=11/6 e y=5/3, então d=5(6) 1/2 /6, que é a distância mais curta de (1,0,-2).

5) Uma caixa retângular sem tampa deve ser feita com 12 m 2 de papelão. Determine o volume máximo de tal caixa.

R: 4 m 3 .

Dicas. V=xyz, 2xz+2yz+xy=12.

6) Determine os valores máximo e mínimo absolutos da função f(x,y)=x 2 -2xy+2y no retângulo D={(x,y)x 2 - 2xy+2y no retângulo D{(x,y)0x3, 0y2}.

R: 9

Obs. Não esquecer da fronteira 7) Ache a reta de mínimos quadrados para os seguintes dados: (1,1), (2,1), (3,3).(Stewart)

(Gleason.V2.p.109)

R: y=x-1/3

Solução. Suponha que a reta tem equação: y=mx+b Queremos minimizar a função f(b,m) que dá a soma dos quadrados das três distâncias verticais dos pontos a reta. f(b,m)=(1-(b+m)) 2 +(1-(b+2m)) 2 +(3-(b+3m)) 2

f/b=-10+6b+12m=0.

f/m=-24+12b+28m=0.

b=-1/3 e m=1

Otimização c/vínculo 1) Consideremos a função f(x,y)=x 2 +y 2 e determinemos seus pontos de máximo ou mínimo, sabendo-se que a função está sujeita à restrição x+y=4. (Usar o método da substituição). Bussab

p.305 R: ponto de mínimo em (2,2). Solução.Temos x+y=4 => y=4-x e substituindo em f temos f(x)=2x 2 -8x+16 que é um prob. de MM a uma variável. 2) Use o método de multiplicadores de Lagrange para calcular os valores máximo e mínimo da função f(x,y) = x 2 +2y 2 +2x+3 sujeita à restrição x 2 + y 2 = 4. Hofmann p.306/10

Máx=f(1,(3) 1/2 )=f(1,-(3) 1/2 )=12 e Mín=f(-2,0)=3 3) Use o método de multiplicadores de Lagrange para provar que, de todos os retângulos com um dado perímetro, o quadrado é o que tem a maior área. Hofmann Solução: f=área=x.y e g=2x+2y (vínculo) C1. f x = L g x => y=L.2 => L=y/2 C2. f y = L g y => x=L.2 => L=x/2 C3. C1=C2 => y/2=x/2 => x=y Obs. Neste prob. não foi preciso usar a terceira eq. do método de Lagrange, isto é, g=k => 2x+2y=k