Vous êtes sur la page 1sur 31

SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES &

LOGÍSTICA

EXERCÍCIOS

Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.


Universidade Federal de São Carlos-UFSCar
Departamento de Engenharia Civil-DECiv
Núcleo de Geoprocessamento-NGeo

2006
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.1
_______________________________________________________________________________________________

1. EXERCÍCIOS – TRANSCAD V.4.7 DEMO


Este capítulo de exercícios foi desenvolvido com a colaboração da Arq. Ana Karina
Loprano, e tem como objetivo principal apresentar ao aluno toda a potencialidade de um
software SIG-T na elaboração de tarefas ligadas ao trânsito, transportes e logística. Mais
do que aprofundar teorias ligadas a essas áreas, os exercícios permitem conhecer melhor
o que um SIG-T é capaz.
Orientações para a realização dos exercícios:
• Cada série de exercícios não pode extrapolar o limite de tempo de 60 minutos, disponibilizado pela
versão demo. O programa deve ser reiniciado a cada série de exercícios, sem extrapolar o tempo.
• A apresentação dos exercícios segue a uma hierarquia: a) palavras com letras MAIÚSCULAS E
EM NEGRITO e MAIÚSCULO, referem-se aos títulos das caixas de diálogos e sub-caixas,
respectivamente; b) palavras com letras MAIÚSCULAS E EM ITÁLICO, referem-se às opções das
sub-caixas de diálogo; c) Palavras em letras minúsculas em itálico e negrito, são referências que
devem ser clicadas ou selecionadas; d) Palavras em letras minúsculas, em itálico e sublinhadas,
são palavras que devem ser digitadas.
• BE – botão esquerdo do mouse
• BD – botão direito do mouse
• Cada orientação estará separada por traço (-)
• Quando necessário, haverá no meio do texto, explicações em itálico para melhor entendimento dos
exercícios.

1.1 PROJETOS DE CRIAÇÃO DE MAPAS E ANÁLISES (P20)


Neste item vamos desenvolver três projetos, baseados em uma cidade hipotética, chamada Flintbury. De
maneira gradativa através desses projetos, você poderá aprender como usar algumas das mais importantes
ferramentas deste SIG-T. No primeiro projeto nos iremos usar o SIG-T para construir, salvar e imprimir um
mapa de Flintbury que mostra a divisão dos modos de transportes e os volumes de tráfego. No segundo,
vamos analisar a acessibilidade ao sistema de ônibus e as características dos usuários. No terceiro,
fazemos fazer uma rápida análise do impacto do fechamento de algumas ruas no centro da cidade para um
desfile.

1.1.1 Projeto 1: os padrões de viagens em Flintbury


Como primeiro projeto, vamos usar o SIG-T TransCAD para fazer e salvar um mapa da cidade de Flintbury,
tomada como estudo de caso, que mostra a divisão dos modos de transportes e o volume de tráfego.
Vamos fazer este projeto em 2 estágios: no primeiro, nós criaremos uma avaliação de mapa da cidade e,
posteriormente, adicionaremos o volume de tráfego e a divisão modal.

1.1.1.1 Estágio 1 - Criando uma visualização de mapas


 Visualizando mapas

1. Abra o software e click Cancel na caixa TransCAD 4.7 Quick Start. Na barra de ferramentas, click
FILE OPEN – FILES OF TYPE (arquivos do tipo) - geographic file – Tutorial: fl_zone - open. O TransCAD
(TC) cria um novo mapa mostrando as zonas de Flintbury. Como você pode observar, cria-se um novo
mapa simplesmente abrindo um arquivo geográfico.
 Rotulando zonas

1. Na barra de ferramentas, click em (AUTOMATIC LABELS LAYER): FLINTBURY ZONES – LABELS


– GENERAL – FIELD – zone – POSITION – centered – allow duplicates spacing - FONT – arial - SIZE –
16 – COLOR – dark red - bold – ok. O TC redesenha o mapa, desta vez mostrando o número da
identificação de cada zona.
__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.2
_______________________________________________________________________________________________

 Adicionando uma layer de ruas ao mapa

1. Na barra de ferramentas, click (LAYERS) - add layer – FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do
tipo) - geographic file – Tutorial: fl_st – open – LAYERS – close.
O TC adiciona as ruas de Flintbury no mapa, bem como a layer de cruzamentos (Node layer). Um mapa
pode conter muitos layers. Pode-se usar a caixa de diálogo Layers para adicionar ou remover layers no
mapa e controlar a ordem na qual elas são dispostas, e mudar o modo com que elas são apresentas. Até o
momento, os limites das zonas não estão muito visíveis. Pode-se alterar o estilo da layer de zonas, no que
se refere às cores, padrões e tamanhos que são usados para mostrar as suas feições no mapa.
 Modificando o estilo das zonas
1. Na barra de ferramentas, escolha na cortininha (drop-down), flintbury zones.

2. Na barra de ferramentas, click em - STYLE (LAYER: FLINTBURY ZONES) – AREAS SETTINGS –


BORDER STYLE - linha pontilhada - BORDER WIDTH - 1.5 - BORDER COLOR – black - FILL STYLE –
none – ok.
O TC redesenha o mapa seguindo novas instruções de apresentação, que dão mais visibilidade às zonas.
 Adicionando um título ao mapa

1. Em TOOLS - click em - BE pressionado e arraste o ponteiro na tela formando um pequeno


retângulo, no alto do mapa – flintbury – enter.
2. Use as demais ferramentas disponíveis em TOOLS para conhecer outras possibilidades de recursos,
para uma maior visualização no mapa: a) retângulos , b) retângulos de canto arredondado , c)
círculos , d) formas quaisquer e) linhas , f) curvas , g) figuras , e h) símbolos .
3. Para remover essas inserções, basta clicar com o ponteiro sobre os objetos inseridos e acionar a tecla
delete.
 Movendo ou redimensionando o título

1. TOOLS - click em - click no título e aparecerá a área do título de forma “selecionada”, com pequenos
retângulos nos cantos.
2. Para mudar o tamanho do título, arraste um dos cantos.
3. Para mover o título, pressione o botão esquerdo do mouse, no centro do título, e arraste-o para o novo
local.
4. Para remover a seleção do título, simplesmente click com o ponteiro do mouse em qualquer outro ponto
do mapa.
5. Como acontece com outros programas de computador, para incorporar as modificações no mapa deve-
se salvá-lo em um arquivo, para o caso de queremos usá-lo em outra oportunidade.
 Salvando o mapa

1. Na barra de ferramentas, - SAVE AS – Tutorial – mybase – save.

1.1.1.2 Estágio 2 - Exibindo dados no mapa


Nesta etapa do exercício de exploração do TransCAD vamos olhar os dados de viagens em Flintbury e
verificar como nós podemos usá-los para tornar o mapa mais interessante. A layer Flintbury Zones contém
dados de cada uma das zonas de tráfego da cidade, usadas no Planejamento de Transportes.
 Visualizando dados armazenados no Layer Flintbury Zones
1. Na barra de ferramentas, selecione o layer flintbury zones

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.3
_______________________________________________________________________________________________

2. Na barra de ferramentas, click .


O TransCAD exibe uma planilha contendo os dados armazenados na layer Flintbury Zones, onde cada
contém dados de cada uma das zonas de tráfego de Flintbury. Navegue nos dados das zonas usando a
barra de rolagem para conhecer todos os dados disponíveis para as zonas de tráfego, usados no
Planejamento de Transportes. Os dados de cada zona são: população, número de empregos em indústrias
(MANUF EMP), serviços (SERVICE EMP), varejo (RETAIL EMP), públicos (GOVERN EMP), residências
(HOUSEHOLDES), renda média (AVG INCOME), população masculina (MALE) e feminina (FEMALE),
população segundo a faixa etária (p. ex., AGE <=5), moradores por residência (p.ex., 1 PERS HH) e a
divisão de uso de modos de transportes (p.ex. TRANSIT SHARE). No próximo item esses dados serão
usados no mapa.
 Ilustrando a divisão modal de transportes na cidade de Flintbury
1. file - close (para fechar a planilha de dados Flintbury Zones)
2. Na barra de ferramentas, selecione o layer flintbury zones

3. Na barra de ferramentas, selecione - COLOR THEME (LAYER: FLINTBURY ZONES) – SETTINGS


– GENERAL – FIELD - transit_share. (O TC preenche todos os outros campos automaticamente) – ok.
O TC examina as informações de divisão modal de transportes e desenha um mapa que usa cores
temáticas para ilustrar as diferentes ofertas de transportes em cada zona. O TC também disponibiliza uma
legenda mostrando o número de modais de transporte em cada zona, que são indicados por diferentes
cores. Quando você cria cores temáticas, pode-se escolher também que cores usar, o número de
categorias e outras opções. Nós podemos querer, também, mostrar informações sobre o nível de tráfego
em cada rua de Flintbury. Para tanto, nós usaremos os dados que estão armazenados em um arquivo de
formato binário chamado FL_STDAT.BIN, detalhado no próximo item.
 Abrindo o arquivo contendo informações de ruas

1. Na barra de ferramentas, click - FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) - fixed-format
binary – Tutorial: fl_stdat – open (O TC exibirá o arquivo em uma planilha. Cada linha representa os dados
correspondentes aos segmentos de vias em Flintbury e cada coluna contém diferentes atributos dos
segmentos. Você pode criar uma nova planilha abrindo a tabela. A tabela pode ser em formato dBASE,
FoxPro, além de outros formatos. Para melhorar o mapa com dados contidos na planilha “FL_STDAT”, nós
necessitamos colocar as vias no mapa com suas respectivas linhas na planilha. Nós iremos agora a
prender a unir a layer de ruas aos dados de vias, tomando como referência os IDs (identificadores),
existentes nos dois arquivos. Vamos aprender a fazer isto no próximo item)
 Unindo uma layer de ruas ao arquivo de dados de ruas
1. Na barra de ferramentas, window - mybase.map – flintbury.
2. Na barra de ferramentas, escolher o layer flintbury streets.

3. Na barra de ferramentas JOIN – SETTINGS – TO – TABLE - fl_stdat – FIELD - [street id] – ok (O


TC cria uma nova planilha chamada Flintbury Streets+FL_STDAT. Esta planilha tem um registro para cada
segmento de via e mostra os dados associados com cada rua. Agora vamos usar a informação contida no
campo [EST VOLUME] para mostrar o volume estimado de tráfego nas ruas da cidade estudo de caso, no
próximo item).
 Mostrando o fluxo de tráfego no mapa
1. Escolha Window-mybase.map-FLINTBURY para tornar ativa a janela do mapa de Flintbury.
2. Escolha Flintbury Streets na “cortininha” (drop-down) na barra de ferramentas superior.

3. Escolha Map-Scaled Symbol Theme ( )na barra de ferramentas superior.


4. Escolha [EST VOLUME] na “cortininha” do campo “Choose a field” da caixa de diálogo “Scaled Symbol
Theme”.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.4
_______________________________________________________________________________________________

5. Click OK. O TC desenha um mapa no qual a largura de cada rua é proporcional ao seu fluxo de tráfego.
O TC também adiciona estas informações na legenda. Se ela não estiver aparecendo, click em .
Vamos agora salvar este mapa com um nome diferente, para não sobrescrever o arquivo “MYBASE.MAP”,
que você salvou anteriormente.
6. Para salvar o mapa escolha File-Save as na barra de ferramentas superior.
7. Escolha o diretório Tutorial no seu HD e digite o nome “MYTRANS” como sendo o nome do novo mapa.
8. Click Save.
9. Escolha File-Close All.
Aqui termina o primeiro Projeto, os padrões de viagens urbanas da cidade de Flintbury, estudo de caso em
nossos exercícios. No capítulo seguinte, estudaremos o sistema de transporte coletivo por ônibus da cidade
de Flintbury.

1.1.2 Projeto 2: o sistema de transporte por ônibus de Flintbury (P28)


No segundo projeto, vamos fazer algumas análises do serviço de ônibus de Flintbury. De modo particular,
nós investigaremos a acessibilidade ao sistema de ônibus e as características das pessoas que viajam por
esse modo. Este Projeto consta de 3 estágios: a) criação de mapa mostrando as rotas de ônibus com
buffers ou bands, com diversas distâncias de influência das linhas, b) uso de pesquisa de ônibus para obter
informações sobre os usuários, e c) criação de leiaute sintetizando nossos resultados.

1.1.2.1 Estágio 1 - Criando um mapa com as rotas de ônibus


Para o primeiro projeto, nós criamos uma forma de visualizar o mapa de Flintbury mostrando zonas e ruas.
Nós, agora, vamos usar estes mapas como ponto de partida para o mapa de rotas de ônibus.
 Adicionando um sistema de rotas ao mapa

1. Escolha File-Open ( ) na barra de ferramentas superior.


2. Selecione o arquivo MYBASE.MAP, na pasta Tutorial.
3. Click Open. Nós esperamos haver um arquivo contendo uma layer de sistema de rotas do sistema de
ônibus de Flintbury, que será útil em nossa análise. Vamos adicionar o sistema de rotas em nosso mapa.

4. Escolha Map-Layers ( ) na barra de ferramentas superior para exibir a caixa de diálogo Layers.
5. Click no botão Add Layer.
6. Selecione Rout System dentre as opções do campo “Arquivos do tipo” na caixa de diálogo File Open.
7. Escolha o arquivo “FL_BUS.RTS” no diretório Tutorial e click Open. O TC adiciona o arquivo FRTC Bus
Route à lista de layers.
8. Click Close na caixa de diálogos Layers.
TC adicionou a layer de rotas de ônibus no mapa. A layer de rotas é muito parecida com outras layers. Você
pode controlar as cores, o estilo e a largura das linhas que são apresentadas e você pode usar rótulos e
temas para ilustrar as características das rotas. Vamos, no próximo item, fazer um zoom em áreas ao redor
das rotas.
 Usando a ferramenta zoom e criando bands ao redor das rotas de ônibus

1. Click no botão na caixa de ferramentas Tools para ativar a ferramenta zoom.


2. Arraste um retângulo ao redor das rotas de ônibus. O TC amplia o conteúdo do retângulo tal que seu
conteúdo preencha a tela do mapa. Se você não estiver satisfeito com a área que está agora mostrada no
mapa, escolha Map-Previus Scale, na barra de ferramentas superior, e tente novamente. Agora que nós
podemos ver claramente as rotas, vamos criar bands de diferentes larguras ao redor das rotas para mostrar
a acessibilidade das pessoas ao sistema de rotas.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.5
_______________________________________________________________________________________________

3. Verifique que a layer FRTC Bus Route esteja disposta na “cortininha” (drop-down) na barra de
ferramentas superior.

4. Escolha Tools-Geographic Analysis Band ( ) na barra de ferramentas superior e surgirá a caixa de


diálogos Bands.
5. Digite Service Áreas no campo Settings-Bands-Create Layer na caixa de diálogos Bands.
6. Click para selecionar o campo Settings-Method-Sizes as larguras das bands 0.25; 0.50; 0.75 mi,
correspondestes aos níveis de serviço NS A, NS B, NS C, respectivamente. Este valores são separados por
um espaço.
7. Click ok. O TC pedirá para você salvar o novo mapa, através da caixa de diálogo Save as.
8. Escolha o diretório Tutorial no HD e digite “MYBANDS” como o nome do novo arquivo e click Save.
O software cria uma nova layer chamada Service Áreas e adiciona-a ao mapa, mostrando os vazios (sem
oferta) nas áreas de abrangência do sistema, segundo os 3 níveis de serviço (de A a C). Da forma como
foram apresentadas as layers, só está aparecendo àquela relacionada com as bands. As layers são
apresentadas no mapa segundo a ordem em que elas são a ele adicionadas. A última layer aparece em
primeiro plano, a penúltima em segundo, e assim por diante.

9. Click em Map-Layers ( ) na barra de ferramentas superior para exibir a caixa de diálogo Layers.
Através dos comandos move up e move down, coloque as layers na ordem desejada, segundo os planos de
apresentação.
É comum que os técnicos em transportes queiram saber, por exemplo, qual é a população atendida por
cada uma dessas bands, em cada nível de serviço. É possível calcular estas informações através da
ferramenta chamada de Overlay, o que será visto no próximo item.
 Construindo Overlays (cruzamento de camadas)
1. Escolha a layer Service Áreas na “cortininha” (drop-down) na barra de ferramentas superior.

2. Escolha Tools-Geographic Analysis ( ) na barra de ferramentas superior.


3. Escolha a opção Flintbury Zones no campo Overlay-With-Layer. Click ok. O TC mostrará a caixa de
diálogo Save As.
4. Digite “MYACCESS” como o nome desta nova layer e click Save.
O TC calcula os atributos das bands baseado na quantidade de overlays existentes. Role para a direita a
barra de rolagem da tela até visualizar o campo POPULATION, que contém a população que mora no
interior de cada uma das bands. A população de Flintbury é de 430 mil habitantes e, cerca de 152.419
habitantes moram dentro de zonas que são atendidas por níveis de serviço de A a C.

1.1.2.2 Estágio 2 – Resultados da pesquisa sobre os passageiros


Nós agora temos um grande mapa e algumas estatísticas de acessibilidade, mas nós ainda não
conhecemos muita coisa sobre os passageiros. Nós usaremos os resultados de uma importante pesquisa
sobre os usuários de ônibus de Flintbury para descobrir mais sobre os passageiros. Os resultados desta
pesquisa estão em um arquivo dBASE chamado “FL_BSURV.DBF”. Esta pesquisa contém dados dos
usuários, tais como: gênero (gender), idade (age), tamanho do domicílio (HH size), número de automóveis
na residência (autos), renda familiar em milhares (HHinc1000s), número de crianças (num child), educação,
tempos de espera (wait time) e viagem (trav time), além do endereço.
 Abrindo um arquivo de pesquisa

1. Escolha File-Open ( ) na barra de ferramentas superior.


2. Selecione, no campo Files of type (arquivos do tipo) “dBASE File”, o arquivo “FL_BSURV”, na pasta
Tutorial.
3. Click Open.
__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.6
_______________________________________________________________________________________________

O TC mostrará o arquivo em formato de planilha. Cada linha na planilha corresponde às respostas a um


questionário feito a cada um dos usuários. O arquivo da pesquisa também contém informações sobre o
endereço da residência de cada respondente; então, vamos localizar esses endereços em nosso mapa. Isto
será feito no próximo item.
 Localizando pelo endereço (Address Matching)

1. Escolha Tools-Locate by Address ( ) na barra de ferramentas superior para habilitar a caixa de


diálogo Locate by Address (localização pelo endereço).
Esteja certo que a layer Dataview1–FL_BSURV esteja em primeiro plano. O TC localizará automaticamente
os campos de dados (Address e ZIP) (endereço e CEP) necessários para localizar os objetos.
2. Digite o nome “Surveys Respondents” no campo Data To Locate-Creat Layer-Name.
3. Click OK e o TC apresentará a caixa de diálogos Save As.
4. Escolha o diretório do tutorial e digite “MYRIDERS” como o nome para o novo arquivo geográfico, e click
Save.
O TC cria uma nova layer de pontos contendo um ponto para cada respondente da pesquisa e adiciona
esta layer ao mapa. Ele também cria uma planilha que contém dados da longitude e latitude de cada
residência dos respondentes da pesquisa e as informações sobre os passageiros. Todas as informações
desta planilha são armazenadas no novo arquivo geográfico “MYRIDERS” que nós acabamos de criar. O
TC também mostra um breve relatório contendo o total de passageiros pesquisados, quantos passageiros
foram localizados com sucesso, a quantia de endereços não localizados, dentre outros itens.
5. Click OK para fechar o relatório.
O novo mapa mostra que muitos dos passageiros de ônibus moram dentro da área definida pela faixa de
0.75 mi ao redor das linhas (acessibilidade) de ônibus. Agora vamos mudar o estilo da layer, no item
seguinte.
 Mudando o estilo do mapa
1. Esteja certo que a layer Survey Respondents esteja selecionada na cortininha de layers na barra de
ferramentas superior.

2. Click em na barra de ferramentas superior e mude o tamanho do ponto no mapa no campo Size para
8 na caixa de diálogos Style. Altere, no campo Color, para a cor vermelha.

3. Role a barra de rolagem do campo Icons para o ícone . Click OK e será redesenhado o mapa para um
novo estilo.

A ferramenta Tools-Locate by Address ( ) é um dos vários comandos que você pode usar para localizar
seus dados. O TC também pode localizar dados baseados no ZIP Code (Código Postal), ou por outros
campos de dados de sua base de dados. Em seguida, vamos realizar algumas estatísticas sobre os
respondentes da pesquisa para obter mais informações sobre eles.
 Calculando estatísticas
1. Escolha Window-Dataview-Survey Respondents para ver a planilha associada com os dados a layer do
mapa Survey Respondents.

2. Escolha Dataview-Statistics na barra de ferramentas superior.


O TC calcula estatística resumida para um dos campos de dados da pesquisa, incluindo a soma dos
valores, os valores máximo e mínimo e a média, desvio padrão, mostrando-os em um relatório contido na
planilha Dataview-Survey Respondents Statistics. Os campos Count (contagem) e Sum (soma), neste caso
não são de interesse. Vamos, então, escondê-los na planilha.
3. Click no nome da coluna Sum para selecioná-la.

4. Click em para esconder a coluna Sum.


__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.7
_______________________________________________________________________________________________

5. Faça a mesma operação para a coluna Count. Agora o TC escondeu duas colunas não necessárias para
as análises.
No item seguinte, vamos gerar estatísticas para um conjunto particular de respondentes. Nós solicitaremos,
inicialmente, ao TC para localizar o conjunto dos passageiros que moram dentro do raio de 1 milha do
sistema de ônibus. Nós faremos isto pela criação de um conjunto selecionado, que é simplesmente uma
lista de registros em uma simples layer do mapa ou planilha.
 Selecionando objetos pela localização
1. Escolha Window-Dataview-Survey Respondents para deixar ativa a planilha Survey Respondents.
2. Escolha Dataview-Select by Location e se abrirá uma caixa de diálogos Select by Location.
3. Escolha a opção FRTC Bus Routes no campo Select Base don Features in-Layer.
4. Escolha “within” (dentro) como a opção de seleção no campo Select surveys Respondents features-that
are e digite “0.25” (miles) como a distância da linha.
5. Digite “within 0.25” no campo Place select Survey Respondents features in-Selection Set.
6. Click OK.
O TC cria um conjunto selecionado chamado “Within 0.25” que contém uma layer com as casas dos
respondentes da pesquisa localizadas numa faixa de 0,25 milhas a cada lado da rota de ônibus.Vamos,
agora, gerar estatísticas no conjunto selecionado
 Calculando estatísticas com um conjunto selecionado
1. Escolha “Within 0.25” na “cortininha” (drop-down) na barra de ferramentas superior da planilha
(Dataview).

2. Escolha Dataview-Statistics ( ) na barra de ferramentas superior.


Neste momento, o TC calcula a estatística usando apenas aqueles registros contidos no conjunto
selecionado. Note que os passageiros do transporte coletivo que moram dentro da faixa de 0,25 milhas a
partir da rota do ônibus têm uma média menor taxa de propriedade de autos e uma menor média de tempo
de viagem.
3. Escolha File-Close para fechar a planilha.
 Produzindo uma tabulação de tempo de espera pelos ônibus
Uma parte interessante da pesquisa é o tempo que os usuários do ônibus gastam esperando pelo ônibus.
Vamos fazer uma tabulação para mostrar o número de respondentes dentro de uma certa faixa de tempo de
espera. Nós usaremos a totalidade de dados de tempo de espera, coletados pela pesquisa, uma vez nós
não temos a expectativa que o tempo de espera varie com a acessibilidade aos ônibus.
1. Esteja certo que a layer Survey Respondents esteja selecionada na “cortininha” de layers na barra de
ferramentas superior.
2. Se o menu Statistics não está mostrado no menu, escolha Procedures-Statistics para disponibilizá-lo.
3. Escolha Statistics-Tabulations no menu para habilitar a caixa de diálogo Tabulations.
4. Escolha as opções “WAIT_TIME”, “Equal Size Intervals” e “10”, respectivamente, nos campos First Field-
Field/Method/# Classes.
O TC produzirá um arquivo contendo a distribuição dos tempos de espera pesquisados, em 10 classes de
intervalos iguais.
5. Click OK. Escolha o diretório tutorial em seu HD e digite “MYWAIT” como o nome do arquivo produzido e
click Save.
O TC criou uma matriz de tabulação contendo uma linha para cada uma das 10 classes de tempo de espera
e 4 colunas (count, percent, cumulative count e cumulativ percent) e a disponibiliza a matriz em uma
planilha-matriz. Verifique que os dados mostrados apontam que cerca de 67% (cumulativ percent) esperam
até 11 minutos. Isto mostra uma oferta bastante razoável de transporte por ônibus para essa população.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.8
_______________________________________________________________________________________________

 Criação de um histograma
Statistics-Statistics e Statistics-Tabulations são apenas duas das numerosas ferramentas estatísticas
analíticas que o TC pode dispor. Vamos agora criar um histograma de tempos de espera.
1. Click na coluna PERCENT na planilha Matrix-Tabulations of WAIT_TIME para selecioná-la.
2. Escolha File-New na barra de menu para ativiar a caixa de diálogo New File.

3. Escolha a opção Chart ( )na caixa de diálogo New File


4. Click OK para mostrar a caixa de diálogo Matrix Chart Data.
5. Click OK para ativar a caixa de diálogo Chart Properties.

6. Escolha a opção vertical bar ( ) na barra de rolagem à esquerda.


7. Habilite o campo 3D.
8. Digite “Chart of WAIT_TIME” no campo Chart-Text-Heading
9. Click OK. O TC gera e apresenta o histograma de tempo de espera.
10. Nossa análise do sistema de ônibus de Flintbury está terminada. A única coisa que resta fazer é arranjar
os resultados em uma janela de leiaute.

1.1.2.3 Estágio 3 – Criando um Layout


Nós agora vamos arranjar nosso mapa, planilha e gráfico em uma página, chamada leiaute. Um leiaute
permite você arranjar um número de mapas, planilhas e matrizes em uma página impressa, junto com texto
à mão livre e outros itens. Esta etapa somente é possível quando, no computador, há uma impressora
previamente habilitada (mesmo que no momento do uso ela não esteja conectada ao computador).
 Criando um novo leiaute

1. Escolha File-New ( ) na barra de ferramentas para ativar a caixa de diálogo New File.

2. Escolha a opção Leiout ( ) das opções Choose a Type of File da caixa de diálogo New File e click OK.
O TC mostra um novo leiaute.

3. Selecione File-Properties ( ), na barra de ferramentas, para disponibilizar a caixa de diálogos Layout


Properties.
4. Escolha a opção Landscape no campo Orientation na caixa de diálogos Layout Properties.
5. Click OK. O TC exibe uma página de leiaute em branco. Vamos baixar na página o mapa, a planilha e o
gráfico usando a ferramenta colocar (Place).
 Colocando um mapa no leiaute

1. Click na barra de ferramentas Tools para ativar a caixa de ferramentas Place.


2. Arraste um retângulo com o indicador do mouse no lado esquerdo da página de leiaute e abrirá uma
caixa de diálogo Add to Layout.
3. Escolha o mapa de Flintbury das opções da caixa de diálogo Add to Layout.
4. Click OK.
O TC adicionará o mapa e a legenda ao leiaute. Apenas o mapa foi colocado. Você pode querer fazê-lo
maior ou menor, ou mudar a sua posição. Nós fazemos isto do mesmo modo com que movemos ou
redimensionamos o título no nosso primeiro mapa.
 Movendo ou redimensionando um item do leiaute

1. Click na barra de ferramentas Tools para ativar a ferramenta ponteiro.


__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.9
_______________________________________________________________________________________________

2. Click no mapa. O TC seleciona o objeto (mapa, planilha ou gráfico).


3. Para alterar o tamanho do mapa, arraste um dos cantos do mesmo.
4. Para movê-lo, click no centro dele e arraste-o para a nova posição.
 Colocando um título no leiaute

1. Click na barra de ferramentas Tools para ativar a ferramenta de texto à mão livre.
2. Arraste um retângulo na área do leiaute.
3. Digite o título Transporte de Flintbury e tecle enter.

4. Se o título foi feito em tamanho ou local errado, selecione na barra de ferramentas Tools e
redimensione-o e movimente-o.
 Colocando uma planilha estatística no leiaute

1. Click na barra de ferramentas Tools para ativar a caixa de ferramentas Place.


2. Arraste um retângulo com o indicador do mouse no lado direito da página de leiaute e abrirá uma caixa
de diálogo Add to Layout.
3. Escolha a planilha Survey Respondents Statistics das opções da caixa de diálogo Add to Layout.
4. Click OK. O TC adicionará a planilha ao leiaute.
 Colocando um gráfico no leiaute

1. Click na barra de ferramentas Tools para ativar a caixa de ferramentas Place.


2. Arraste um retângulo com o indicador do mouse no lado direito da página de leiaute e abrirá uma caixa
de diálogo Add to Layout.
3. Escolha o gráfico das opções da caixa de diálogo Add to Layout.
4. Click OK. O TC adicionará o gráfico ao leiaute.
 Salvando o leiaute

1. Click na barra de ferramentas.


2. Escolha um diretório no HD.
3. Digite o nome MYBUS para o título do leiaute..
4. Click Save.

1.1.3 Projeto 3: o impacto do fechamento de ruas para uma parada (P40)


Neste projeto final, vamos fazer rápida análise do impacto do fechamento de algumas vias no centro de
Flintbury para um desfile. Nós usaremos a rede, o menor caminho e a matriz de capacidade do TransCAD
para comparar as “horas/pessoa” gastas dirigindo em Flintbury sob condições normais, com as
“horas/pessoa” gastas dirigindo em condições especiais, ou seja, com o fechamento de ruas para a
realização do desfile. O exemplo usa o motivo desfile, mas pode ser p.ex., interdição da via para obras.

1.1.3.1 Estágio 1 – Preparando dados de entrada


Uma vez mais, vamos iniciar nossa análise a partir de um mapa feito anteriormente.
 Abrindo o mapa

1. Escolha File-Open ( ) na barra de ferramentas superior.


2. Selecione o arquivo MYTRANS.MAP na pasta Tutorial.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.10
_______________________________________________________________________________________________

3. Click OK.
O TC abre o arquivo MYTRANS.MAP e exibe-o em uma nova janela. Este mapa está um pouco
desordenado; então, vamos limpar o tema que está na layer de ruas antes de procedermos nossa análise.
 Limpando o mapa temático bastante sobrecarregado
1. Escolha a opção Flintbury Streets na “cortininha” na barra de ferramentas superior.

2. Escolha Map-Scaled Symbol Theme ( ) na barra de ferramentas superior.


3. Click Remove.
O TC redesenha o mapa voltando a ruas a ter a mesma largura.
 Visualizando dados associados com a layer de ruas

1. Escolha File-New ( ) na barra de ferramentas para ativar a caixa de diálogo New File.

2. Escolha Dataview ( ) da lista de tipos de arquivo e click OK para mostrar a nova caixa de diálogo
New Dataview.
3. Escolha Flintbury Streets+FL_STDAT das opções da caixa de diálogo New Dataview.
4. Click OK.
Perceba que o campo [TRAV TIME], que contém o tempo que os automóveis levam para percorrer cada
trecho da via (em minutos) e o campo PARADE_RTE, que contém um valor 1, se a seção da via for fechada
durante a parada, ou ao contrário, vazia. Usaremos esses campos posteriormente em nossas análises.
 Mostrando a layer de interseções das ruas
Nosso mapa de Flintbury possui uma layer escondida chamada Flintbury Nodes, que é uma layer de pontos
de interseções no layer de ruas da cidade. Vamos mostrar este layer em nosso mapa.
1. Escolha Window-mytrans.map.FLINTBURY para tornar o mapa ativo.

2. Escolha Map Layers ( ) na barra de ferramentas superior.


3. Click em Flintbury Nodes dentre as opções da caixa de diálogos Layer.
4. Click no botão Show Layer.
5. Click Close.
O TransCAD redesenha o mapa e as interseções são exibidas.

 Visualizando dados incluídos na layer de interseções das ruas


Vamos olhar os dados contidos na layer Flintbury Nodes.
1. Verifique Flintbury Nodes seja a opção exibida na cortininha da barra de ferramentas superior.

2. Escolha na barra de ferramentas superior.


Note o campo chamado Centroid, que corresponde ao centro geométrico da zona de tráfego (p.ex., bairros).
Em transportes, é comum adotar-se a hipótese de que as viagens iniciam e terminam nos centróides das
zonas, por questão de simplificação.
A existência de um valor no campo Centroid determina se ou não cada ponto da zona de tráfego é um
centróide de zona: todos os pontos centróides de zona contém um valor inteiro no campo Centroid. Uma
vez que existem somente 12 zonas de tráfego e 140 são interseções, muitas células da coluna Centroid
estão vazias.
 Selecionando os nós centróides

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.11
_______________________________________________________________________________________________

Vamos criar um conjunto selecionado de centróides de zonas de tráfego para usá-lo, posteriormente, em
nossa análise. Nós usaremos um método diferente daquele que nós utilizamos para criar o conjunto
selecionado de usuários de ônibus, anteriormente, porém, o tipo de saída – uma lista de elementos em um
simples layer de mapa ou planilha – é o mesmo.

1. Escolha Selection-Selection by Condition ( ) da barra de ferramentas superior.


2. Digite a condição “Centroid <>null” no campo Enter a Condition da caixa de diálogo Selection by
Condition.
Você pode inserir a fórmula digitando na caixa de texto ou usando as opções no campo Condition Builder.
3. Digite “Centroids” no campo Set Name da caixa de diálogo Selection by Condition.
4. Click OK.
O TC cria um conjunto selecionado de centróides de zonas de tráfego e exibe esse conjunto selecionado
em uma planilha. O TC também os destaca em cores diferentes no mapa. Você pode criar conjuntos
selecionados no TC de diferentes maneiras.
 Abrindo uma matriz de fluxo origem-destino
Nós temos um arquivo de matriz que contém o número de pessoas viajando entre pares de centróides de
zonas de tráfego, que representam viagens urbanas na cidade de Flintbury, em um dia típico (terça, quarta
ou quinta feira). Vamos abri-la.

1. Escolha File-Open ( ) na barra de ferramentas superior.


2. Escolha o arquivo “FL_OD.MTX” no campo “Files of type” Matrix das opções na caixa de diálogo File
Open.
3. Click Open.
O TC abre o arquivo de matriz e exibe-o em forma de matriz. Tome um momento para verificar os dados
desta matriz contendo o total de viagens entre os centróides das zonas de tráfego. Neste projeto, usaremos
diversas ferramentas de matrizes. O TC contém uma completa linha de ferramentas poderosas para
armazenar, exibir, editar e manipular dados em forma de matriz.
 Criando uma rede
Nós temos um arquivo de matriz que contém o número de pessoas viajando entre pares de centróides de
zonas de tráfego, que representam viagens na cidade de Flintbury em um dia típico. Vamos abri-la.
1. Escolha Window-mytrans.map-FLINTBURY para tornar o mapa ativo.
2. Esteja certo que o layer Flintbury Streets esteja ativo na cortininha da barra de ferramentas superior.
3. Click em Network/Paths na barra de menu. Se Network/Paths não estiver aparecendo no menu, click em
Procedures-Network/Paths.
4. Escolha Network/Paths-Create para disponibilizar a caixa de diálogo Create Network.
5. Click em [TRAV TIME] no campo Optional Fields-Other Link Filds da caixa de diálogo Create Network.
6. Click em no botão do teclado Ctrl e na opção PARADE_RTE no campo Optional Fields-Other Link Filds
da caixa de diálogo Create Network. Assim as opções [TRAV TIME] e PARADE_RTE estão destacadas.
7. Click OK.
8. Escolha um diretório no seu HD e digite “MYNET” como o nome do arquivo e click Save.
O TC cria o arquivo de rede e torna-o a rede atualmente ativa. O nome da rede ativa é mostrado na barra
de status, na parte inferior da tela. Nós incluímos os campos [TRAV TIME] e PARADE_RTE na rede porque
eles serão usados na próxima análise de transportes.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.12
_______________________________________________________________________________________________

1.1.3.2 Estágio 2 – Gerando menor caminho


Vamos agora usar as ferramentas de menor caminho do TC para calcular o tempo de viagem pelo menor
caminho entre os pares de zonas de tráfego. Nós calculares dois conjuntos de tempos de viagens: um
conjunto para condições típicas e outro conjunto com a rota da parada interditada. O menor caminho pode
ser aquele que leva o menor tempo, ou a menor distância, ou ainda, o menor custo.
 Calculando os tempos típicos de viagens entre zonas de tráfego
1. Escolha NethworksPaths-Multiple Paths para exibir a caixa de diálogo Multiple Path.
2. Escolha a opção minimizar [TRAV TIME].
3. Escolha Centroids nas opções “From” e “To” dos campos Settings-From e Settings-To na caixa de
diálogos Multiple Shortest Path.
4. Click OK para exibir a caixa de diálogo Save As.
5. Escolha o diretório em seu HD e digite “MYTT” como o nome do arquivo.
6. Click Options para exibir a caixa de diálogo Output Matrix Settings.
7. Digite “Typical TT” no campo Matrix da caixa de diálogo Output Matrix Settings.
8. Click OK e volte para a caixa de diálogo Save As.
9. Click Save.
O TC resolve o problema de menor caminho, armazena e exibe os resultados. Esta matriz é muito parecida
com a matriz “FL_OD”, que armazena fluxos de tráfego. A única diferença é que esta matriz armazena
tempos de viagem, enquanto que “FL_OD” armazena fluxos de tráfego. É mostrada, também, uma caixa de
diálogo com os resultados sintetizados (Results Summary).
 Desabilitando segmentos na matriz
1. Escolha Window-mytrans.map-FLINTBURY para tornar o mapa ativo.
2. Escolha Nethworks/Paths-Settings para exibir a caixa de diálogo Multiple Settings.
3. Click Update no canto inferior direito da caixa de diálogo, para exibir a caixa de diálogo Update Network.
4. Escolha a opção Disable Links no campo Update-Enable/Disable Links-Option da caixa de diálogo
Update Network.
5. Escolha a opção By Expression no campo Update-Enable/Disable Links-Using da caixa de diálogo
Update Network
6. Digite a expressão “PARADE_RTE=1” no campo Expression na caixa de diálogo Expression.
7. Click ok três vezes para navegar através das três sucessivas caixas de diálogo.
O TC desabilita (interdita) a rota da parada na rede. Todas as análises subseqüentes que faremos, vamos
usar a rede modificada.
 Calculando os tempos de viagem entre zonas de tráfego durante o desfile
1. Escolha NethworksPaths-Multiple Paths para exibir a caixa de diálogo Multiple Path.
2. Escolha a opção [TRAV TIME] no campo Settings-Minimize.
3. Escolha Centroids na cortininha da barra de ferramentas superior.
4. Click OK para exibir a caixa de diálogo Save As.
5. Escolha o diretório em seu HD e digite “MYTTP” como o nome do arquivo.
6. Click Options, no canto direito da caixa de diálogo, para exibir a caixa de diálogo Output Matrix Settings.
7. Digite “Parade TT” no campo Matrix da caixa de diálogo Outpu Matrix Settings.
8. Click OK e volte para a caixa de diálogo Save As.
9. Click Save.
__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.13
_______________________________________________________________________________________________

O TC encontra o menor caminho levando em conta as ruas interditadas, armazena e exibe os resultados. A
matriz é também semelhante às outras duas matrizes anteriores, mas ela armazena os tempos de viagem
considerando a interdição de vias para a parada.

1.1.3.3 Estágio 3 – Manipulando matrizes


Vamos fazer agora um processo de manipulação de matrizes para obter a alteração “horas/pessoa gastas
viajando” como conseqüência da realização da parada. Faremos, isto, em 5 passos. O TC pode colocar
algumas matrizes junto com um arquivo de matriz.
 Combinando diversas matrizes em um único arquivo de matriz
Vamos combinar matrizes importantes em um único arquivo de matriz para tornar a manipulação de dados
um pouco mais simples.
1. Escolha Matrix-Combine na barra de ferramentas superior para abrir a caixa de diálogos Combine Matrix
File.
2. Click em Select All na caixa de diálogos Combine Matrix File.
3. Click OK para exibir a caixa de diálogos Save As.
4. Escolha o diretório em seu HD e digite “MYPARADE” como o nome do arquivo.
5. Click Save.
O TC cria uma nova matriz que combina as três matrizes. Você pode selecionar a matriz que estará visível
escolhendo a matriz na “cortininha” na barra de ferramentas superior.
 Mudando os rótulos
Antes de continuar com a análise, vamos fazer um conjunto de alterações visuais em nossa matriz. Todas
as nossas matrizes foram rotuladas com os valores do ID do layer de interseções (Nodes) de Flintbury. Nós
podemos facilmente rotular nossas matrizes com outros valores inteiros ou descritivos. Vamos rotular essas
matrizes com o ID das zonas de tráfego.
1. Escolha Matrix-Labels na barra de ferramentas superior para abrir a caixa de diálogos Matrix Labels.
2. Escolha a opção Flintbury Nodes no campo Rows-Dataview da caixa de diálogos Matrix Labels.
3. Escolha a opção ID no campo Rows-ID da caixa de diálogos Matrix Labels.
4. Escolha a opção Centroid no campo Label with da caixa de diálogos Matrix Labels.
5. Click OK.
O TC exibe a matriz, rotulando as linhas e colunas com os valores encontrados no campo Centroid, que
são, neste caso, os IDs das zonas de tráfego.
 Ordenando uma nova matriz
Vamos agora ordenar as linhas e colunas da matriz, de tal forma que as zonas sejam mostradas de forma
ordenada.
1. Escolha Matrix-Sort na barra de ferramentas superior, para abrir a caixa de diálogos Matrix Contents.
2. Escolha a opção Labels no campo Sort by da caixa de diálogos Sort Matrix.
3. Click OK.
O TC ordena a matriz, exibindo as linhas e colunas ordenadas pelos IDs das zonas de tráfego.
 Adicionando uma matriz a um arquivo de matriz
Agora, voltemos à nossa análise. Vamos adicionar uma matriz vazia ao nosso novo arquivo de matriz.
Vamos usar esta matriz para armazenar os resultados da nossa manipulação de dados.
1. Escolha Matrix-Contents na barra de ferramentas superior para abrir a caixa de diálogos Matrix Contents.
2. Click “Add Matrix” na caixa de diálogos Matrix File Contents. Será adicionada a matriz, chamada de
Matriz 4, para a lista contida no campo Matrix Name.
__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.14
_______________________________________________________________________________________________

3. Click em “Matrix 4”.


4. Click no botão “Rename” no canto direito inferior da caixa de diálogos Matrix File Contents e abrirá uma
nova caixa de diálogos, Rename Matrix.
5. Digite “Results” como o nome do campo New Name na caixa de diálogos Rename Matrix.
6. Click OK.
7. Click Close. O TC adiciona outra matriz chamada “Results” no arquivo de matriz.
 Calculando o tempo extra de viagem para cada par de zonas de tráfego
Vamos agora preencher as células da nova matriz criada com os resultados da operação, ou seja quanto
que a interdição da via para o desfile provoca de aumento nos tempos de viagens urbanas.
1. Escolha Results na barra de ferramentas superior para tornar a matriz Results visível.
2. Escolha Matrix-Fill na barra de ferramentas superior para abrir a caixa de diálogos Fill Matrix Union
Combine.
3. Click na “orelha” Formula da caixa de diálogos Fill Matrix Union Combine.
4. Preencha o campo Fill Matrix with Formula-Formula da seguinte maneira, usando as opções contidas em
Formula Builder:
a. Entre com a fórmula [FLOW]*([Parade TT-[TRAV_TIME]]-[Typical TT-[TRAV_TIME]])/60
i. Escolha [FLOW] nas opções do campo Formula Builder-Matrix List.
ii. Escolha “*” nas opções do campo Formula Builder-Operator List.
iii. Digite “(“ na fórmula.
iv. Escolha [Parade TT-[TRAV_TIME]] nas opções do campo Formula Builder-Matrix List.
v. Escolha “-“ nas opções do campo Formula Builder-Operator List.
vi. Escolha [Typical TT-[TRAV_TIME]] nas opções do campo Formula Builder-Matrix List.
vii. Digite “)” na fórmula.
viii. Escolha / nas opções do campo Formula Builder-Operator List.
ix. Digite 60 na fórmula e click ok.
O TC calcula a fórmula para cada célula e escreve os resultados na matriz Results. Nós apenas
preenchemos com dados relativos às “horas/pessoa gastas viajando” devido à interdição da via, para cada
par de zonas de tráfego. O que nós estamos realmente interessados é o total de tempo extra gasto para a
cidade de Flintbury, com a interdição dos trechos de ruas para a realização da parada, isto é, a soma de
todas as células de tempos adicionais.
 Calculando o tempo extra de viagem para cada par de zonas de tráfego
Vamos agora preencher as células da nova matriz criada com os resultados da operação.

1. Click ( ) na barra de ferramentas superior para tornar a caixa de diálogos Matrix-Properties visível.
2. Click na opção Marginal-Sum na caixa de diálogos Matrix Properties.
3. Digite “0” na opção Options-Display values with na caixa de diálogos Matrix Properties.
4. Click ok.
O software calcula as somas de cada linha e coluna e as exibe na matriz. O total de “horas/pessoa gastas
viajando” adicionais, devido à realização do desfile, está mostrado na célula inferior direita na matriz, ou
seja, 2.772 horas.
5. Escolha File-Close All na barra de ferramentas superior e click “No to All” para fechar as janelas sem
savá-las.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.15
_______________________________________________________________________________________________

1.2 EXEMPLOS PRÁTICOS COMPLEMENTARES


Este item contém 5 grupos de exercícios especiais de transportes, trânsito e logística, com tempos de
60 minutos cada. Estes exercícios darão a você a chance de aprender outras ferramentas específicas de
um SIG-T. Você pode aprender mais sobre cada aspecto e sobre as opções em cada caixa de diálogo
pressionando a tecla F1 para acessar ajuda on line.

1.2.1 GIS & alternativas de mapas (P51)


1. Escolha, na barra de ferramentas, a opção Edit - Preferences - USER PREFERENCES - SYSTEM -
UNITS OF MEASUREMENTS - MAP UNITS: kilometers ; PAGE UNITS: centimeters - ok
 Criando mapa temático de adensamento populacional por pontos, considerando dados
socioeconômicos da população, fundamentais para o planejamento de transportes
Trabalhar com dados da população é uma das tarefas do planejamento dos transportes. As diferentes raças
podem representar diferentes comportamentos em viagens urbanas. Saber como se distribuem
espacialmente, contribui para se conhecer os comportamentos dessas viagens.

1. Click em na barra de ferramentas. FILE OPEN-FILES OF TYPE (arquivos do tipo) map, dataview,
figure, layout. Tutorial: states.map.

2. Click em na barra de ferramentas DOT DENSITY THEME (LAYER STATE) – SETTINGS - CHOOSE
ONE OR MORE FIELS: [hispanic origin] e [not hisp], simultaneamente clicando com BE+Ctrl
(escolha de variáveis socioeconômicas: população hispânica e não hispânica) ok.
Visualização do mapa temático de adensamento populacional pontual mostrando a distribuição de
população hispânica em relação à não hispânica. Cada ponto representa um grupo de 200 mil pessoas.

3. (Variando a representatividade de cada ponto no mapa temático) Click em - DOT DENSITY THEME
(LAYER STATE) – SETTINGS - DOT VALUE SETTINGS : manually at: 1000000 - ok.
Visualização do mesmo mapa temático, agora com cada ponto representando 1 milhão de pessoas
4. file – close – SAVE YOUR WORK – no (para fechar o mapa temático sem salvar as modificações).
 Criando mapa temático por tipo de ocupação de imóvel, proprietários e locatários, onde as
variáveis são representadas por gráficos.
O tipo de ocupação do imóvel, alugado ou pelo proprietário, pode alterar significativamente as taxas de
viagens urbanas. Por isso, é bom conhecer como se distribui esta característica da população
espacialmente.

1. Click em na barra de ferramentas. FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) map, dataview,
figure, layout. Tutorial: mncenter.map.

2. Click em na barra de ferramentas. CHART THEME (LAYER: 5-DIGIT ZIP) – SETTINGS – CHOOSE
ONE OR MORE FIELDS – (pressionar Ctrl + BD) [hu owner occupied] e [hu renter occupied] – ok
(residência ocupada pelo proprietário e residência ocupada pelo locatário)
Visualização do mapa temático de densidade de tipo de ocupação habitacional, em um gráfico de pizza,
mostrando a relação de moradores proprietários e locatários, por zonas de tráfego divididas em classes de
CEP de 5 dígitos (código e endereçamento postal), no centro de Manhattan.

3. Click em na barra de ferramentas. CHART THEME (LAYER: 5-DIGIT ZIP) – SETTINGS – CHART
TYPE - escolha outra opção de gráfico, de barras verticais empilhadas - ok
Visualização dos mesmos dados mostrados anteriormente, agora dispostos em gráficos de barras em 3
dimensões, para cada zona de tráfego de CEP (ZIP Code).
4. file – close – SAVE YOUR WORK - no (para fechar o mapa temático sem salvar as modificações)
 Combinando conjuntos de diferentes tipos seleção
__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.16
_______________________________________________________________________________________________

O nível de renda de uma zona de tráfego é uma agregação, representando valores médios de renda em
uma zona ou bairro. Uma maior precisão em ações de planejamento de transportes poderá requerer
conhecer em que local se situam os diferentes níveis de renda, segundo os lotes, considerando um
determinado raio de acessibilidade de um ponto de ônibus, ou um terminal, etc.

1. Click em na barra de ferramentas. FILES OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) - map,
dataview, figure, layout. Tutorial: hivalue.map - open
Há sempre um conjunto selecionado (Value>30000). Veja os lotes dentro de um raio de 0.5 kilometers que
têm valores superiores a $30.000.
2. Click em tools (barra de ferramentas) - selection
O conjunto de seleção mais próximo está listado, e terá que ser modificado.

3. Click em para ativar a ferramenta SELECT BY CIRCLE e click no mapa, em um ponto qualquer
próximo da área central do mapa. ENTER SELECTION RADIUS – RADIUS: 0.3 - ok
Lembre-se que o ponto em inglês corresponde à nossa vírgula.
Lotes existentes nesta área de 0,3 km são adicionados ao conjunto selecionado Nearby (proximidade).
4. Na barra de ferramentas: selection - combine selection... - COMBINE SELECTION – BY: choosing-
features in both - SET: value>30000 – AND/OR: nearby – ok
Queremos saber quais os lotes que têm valor acima de $30.000 existem em uma área de raio 100 m. O
TransCAD cria um novo conjunto de lotes selecionados que estão, simultaneamente, contidos na área do
círculo selecionado de 100 m e que têm seus valores superiores a $30.000.

5. Na caixa de ferramentas PARCEL SELECTION, escolha - selecione BE+ Ctrl: selection,


value>30000 e nearby - status (para tornar os conjuntos inativos) – close
Apenas o novo conjunto selecionado fica destacado.
6. Escolha file – close – SAVE YOUR WORK - no (fechar o mapa temático sem salvar as modificações)
 Criando linhas de desejo de viagens entre zonas, regiões, cidades, etc.

1. Escolha FILE OPEN - FILES OF TYPE – workspace[*.wrk]. Tutorial: desire.wrk.


O TransCAD exibe um mapa com algumas cidades selecionadas e uma matriz de viagens entre elas.
2. Na barra de ferramentas: tools - geographic analysis - desire lines...
3. DESIRE LINES – SETTINGS – NEW LAYER – NAME: desire lines – INPUT LAYER – NAME -place
4. DESIRE LINES - MATRIX (para exibir a página de matriz de viagens entre cidades) – DESIRE LINE
MATRICES:
• Rail (trem) – use this matrix, and ignore values below e none (Isto nos mostra as viagens de
trens entre as cidades).
• Truck (caminhão) - use this matrix, and ignore values below e none. (Isto nos mostra as viagens
de caminhões entre as cidades) - ok
5. SAVE LAYER AS – FILE NAME mydesire - save
O TransCAD cria as linhas de desejo de viagens e as adiciona no mapa com cores temáticas. A largura das
linhas representa as quantidades de viagens entre as cidades.
6. file – close - SAVE YOUR WORK - no (para fechar a visualização da matriz de viagens e o mapa
contendo as linhas de desejo de viagens, sem salvar as alterações)

1.2.2 Criando & editando arquivos geográficos (P55)


Neste momento vamos aprender como adicionar, deletar, dividir segmento de vias.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.17
_______________________________________________________________________________________________

 Editando feições de linhas em um novo banco de dados de sistema viário – Parte 1

1. Click em na barra de ferramentas. NEW FILE – CHOOSE A TYPE OF FILE - geographic file - ok.
2. NEW GEOGRAPHIC FILE - CHOOSE A TYPE OF FILE – line geographic file (para criar um arquivos
de linhas - ruas, rodovias, estradas, etc.) - LAYER SETTINGS – NAME - my lines – ok – ATTRIBUTES
FOR MY LINES - ok - SAVE AS – FILE NAME - my lines - save
O TransCAD exibe um novo mapa com a layer My Lines, para receber as vias que você criará.
4. Na barra de ferramentas: tools - map editing – toolbox - MAP EDITING. (Isto permitirá a criação dos
links do novo sistema viário)

5. Click em e, posteriormente, click com o mouse em vários pontos do mapa, que representam onde o
segmento de via se inicia, muda de direção e se encerra. O TransCAD exibe uma linha tracejada.
6. Ao clicar com o botão direito do mouse, a última feição de ponto é deletada e, portanto, o último pedaço
do segmento é desprezado.
7. Dê um duplo click no botão esquerdo do mouse para finalizar a linha (o segmento). Desenhe várias
linhas, incluindo algumas que iniciam no mesmo ponto onde outras terminaram.

8. Click em para salvar as linhas, representando os segmentos de via. O TransCAD as desenha em um


determinado estilo para a camada (layer). Alterações no estilo (tipo de ponto, largura, estilo, sentido e
cores) das linhas que representam os segmentos de vias podem ser feitas acionando-se o ícone na
caixa de ferramentas.

9. Para apagar um determinado segmento de via digitalizado, click em e click em uma das linhas já
digitalizadas, que você quer apagar. A linha se torna vermelha para indicar que ela será deletada.

10. Se você desistiu de cancelá-la, click em para cancelar a edição da linha (apagar). A linha não será
deletada. Se você está certo de eliminar este trecho de via de seu sistema viário, acione o ícone .

11. Click em na caixa de ferramentas MAP EDITING e arraste alguns pontos de início ou fim das linhas
(endpoints), transferindo-os para novos locais. Se quiser confirmar as alterações, acione o ícone . Se
quiser desistir, acione o ícone .
12. Para alterar a forma de um segmento de reta, click, por exemplo, no meio do trecho, longe dos
endpoints, e arraste este ponto para um novo lugar. Lembre-se que um segmento pode ter diversas
direções diferentes. Um novo segmento só se inicia com a existência de um novo endpoint. Para isto, deve-
se clicar duas vezes com o botão esquerdo do mouse.

13. Click em para salvar a edição. O TransCAD redesenha as linhas com as mudanças.
14. Deixe o mapa como ele está, para ser trabalhado novamente na Parte 2 do Exercício.
 Editando feições de linhas em um novo banco de dados de sistema viário – Parte 2

1. Click em na caixa de ferramentas e adicione dois novos segmentos de vias, com o segundo iniciando
onde o primeiro terminou. Click em para salvar a edição.

2. Click em . Posteriormente, click no endpoint onde as duas linhas se encontram. O TransCAD une as
duas linhas em uma única e muda o endpoint para um ponto de forma. Click em para salvar a edição.
Isto significa que este cruzamento (endpoint) foi eliminado, não podendo nenhum veículo entrar ou sair do
sistema viário neste local.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.18
_______________________________________________________________________________________________

3. Ao contrário, se você quiser criar um novo cruzamento em um ponto de forma, podendo o veículo entrar
ou sair do sistema viário neste ponto, click em e, após, click no ponto desejado. O TransCAD separa a
linha em duas e altera o ponto de forma em um endpoint.
4. No entanto, se você quiser eliminar qualquer possibilidade de conexão entre esses dois segmentos
separados pelo endpoint selecionado, click novamente no mesmo ponto e click em para salvar a
mudança. O TransCAD move os endpoints das duas linhas, separando-os de forma que impeça a ligação.

5. Click em na caixa de ferramentas do MAP EDITING. Após, click em um endpoint (cruzamento) e o


arraste para outro local, fazendo-o coincidir com outro endpoint. O TransCAD eliminará o segmento, após a
sua confirmação dada em .

6. Click e adicione duas novas linhas que se cruzam na forma de um “X”. Dessa forma, esses dois
segmentos de vias se cruzam, mas não são conectadas, não podendo o veículo mudar de direção neste
ponto. Este pode ser o caso de um cruzamento em desnível: um viaduto sobre outra via, por exemplo.

7. Click na caixa de ferramenta do MAP EDITING e click em cada um dos segmentos cujo cruzamento
se quer construir e, em seguida, no ponto onde as duas linhas se cruzam. O TransCAD separa as linhas e
adiciona um novo endpoint conectando todas as quatro linhas. Arraste o novo endpoint para ver como as
linhas estão conectadas.

8. Em sentido contrário, separe, agora, os quatro links, eliminando o cruzamento, clicando em e, em


seguida, click no endpoint que havia sido criado. O software separa os quatro links, eliminado a
conectividade do antigo cruzamento. Click para salvar as alterações.

9. Click e esteja certo que a opção click curves na caixa de ferramentas MAP EDITING não esteja
acionada.
10. Se você quiser representar um segmento de via que está representado na forma reta para um formato
mais arredondado, como pode ser a realidade, click no início de cada segmento, fora do endpoint, e
continue clicando até que o segmento tenha uma forma mais curva, mais próxima da realidade, criando,
assim vários pontos de forma. Dê um duplo click no último ponto. Click para salvar as alterações.
Repita a operação até que o segmento tenha a forma esperada.
11. Existe outra opção para fazer com que a linha curva seja suavizada, caso esta seja a condição real do
segmento de via existente. Acione a opção click curves na caixa de ferramentas MAP EDITING, acione o
ícone e click na mesma linha alterada anteriormente. Mova o cursor para exibir a linha tracejada em
curva e dê um duplo click. O TransCAD cria a curva com vários pontos de forma, tornando-a com curvas
mais suavizadas. Click para salvar as alterações.
12. Escolha file – close – SAVE YOUR WORK- no (para fechar o mapa sem salvar qualquer modificação)
 Edição avançada de linhas-operação de duplicação de pistas

1. Click em na barra de ferramentas. FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) - map, dataview,
figure, layout – Tutorial: ramps – open.
2. Uma rodovia foi duplicada e necessita-se atualizar o banco de dados. Escolha tools - map editing -
dualize segments... - DUALIZE SEGMENTS (duplicar segmentos).

3. DUALIZE SEGMENTS ( ) CONFIGURE – SHIFT EACH LANE BY: 15 METERS FROM THE CENTER
– ok (a distância que as duas novas pistas terão a partir do eixo central da rodovia, existindo, portanto, um
canteiro central).

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.19
_______________________________________________________________________________________________

4. DUALIZE SEGMENTS ( ) (para mostrar o trecho entre quais interseções será construída a duplicação
da rodovia).
5. Click nos endpoints do segmento (trecho) que vai ser duplicado, nas interseções 21 e 22.

6. DUALIZE SEGMENTS ( ) (para realçar o segmento de linha) e click para duplicar o trecho. O
TransCAD redesenha o mapa com dois segmentos (pistas). As setas mostram a direção de tráfego de cada
segmento.
7. Deixe o mapa como está para a próxima etapa de criação de interseção.
 Edição avançada de linhas - criando novos tipos de interseções
1. tools - map editing - creating interchanges - CREATE INTERCHANGES (criar interseções).

2. CREATE INTERCHANGES ( ), para criar um novo tipo de interseção, em forma de trevo, em seu
mapa de rodovias.
3. Click no nó rotulado de interchange 22 (interseção 22). CREATE A CLOVERLEAF INTERCHANGE
[(criar uma interseção em forma de trevo) e mostra as rampas da interseção no mapa] – RAMPS TO BE
ADDED: 1-8 -OFFSET FROM INTERSECTION (METERS): 650, 150, 750, 100, 650, 150, 750, 100 (Altere
as distâncias dos pontos onde os eixos da rodovia e da rampa se cruzam) – ok.
O TransCAD redesenha o mapa com as alterações na interseção. Setas mostram a direção de tráfego em
cada rampa.

4. CREATE INTERCHANGES ( ), para construção de uma interseção em forma de corneta.


5. Click no nó rotulado de interchange 21 - CREATE A TRUMPET INTERCHANGE (exibe as rampas da
interseção no mapa).
6. Ajuste as distâncias dos pontos onde os eixos da rodovia e da rampa se cruzam e click ok. O TransCAD
desenha o mapa com uma interseção em forma de corneta. As setas mostram as direções do tráfego em
cada rampa.
7. file – close – SAVE YOUR WORK – no, para fechar o mapa sem salvar as alterações.
 Edição avançada de linhas - criando novos tipos de interseções

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN – FILE OF TYPE (arquivos do tipo) - map, dataview,
figure, layout – Tutorial: conflate.map – open.
2. Na barra de ferramentas, escolha o layer my streets.
3. tools - map editing - conflate segments - CHOOSE LAYERS (escolher camadas) – LAYERS –
SOURCE: hartford streets – TARGET: my streets – ok – CONFLATE SEGMENTS

4. CONFLATE SEGMENTS ( ) Click no segmento de via que fica entre os pontos rotulados Start e End
(Começo e Fim) para destacá-lo.

5. CONFLATE SEGMENTS ( ) Click nos dois pontos rotulados Start e End.

6. CONFLATE SEGMENTS ( ) (destaca o segmento de linha que conecta os pontos) e click -


CONFIRM – yes.
O TransCAD alinha o segmento de via objetivo com o segmento de via fonte.
7. file – close – SAVE YOUR WORK – no, para fechar o mapa sem salvar qualquer alteração.
8. Agora vamos restaurar o arquivo geográfico original que não havia sido conflated (alinhado). tools -
geographic utilities - geographic files… - GEOGRAPHIC FILES – archive – ARCHIVE FILE – mystreet-
open – SAVE AS – mystreet – save. Um arquivo de layer de linha original já existe no arquivo
Mystreet.zip. Escolha para exibir a caixa de diálogo.
__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.20
_______________________________________________________________________________________________

9. Click Restore para exibir a caixa de diálogo Archive File.


10. Escolha o arquivo mystreet.zip da lista de arquivos e click Open. O TransCAD exibe o navegador
(browse) para a caixa de dialogo Folder.
11. Navegue (Browse) para o Folde rTutorial do TransCAD e click Ok. O TransCAD restaura o arquivo
geográfico. Click Close na caixa de diálogo Geographic File.

1.2.3 Redes & sistema de rotas (P59)


Os exercícios desta seção necessitam que você use comandos dos menus Network/Path e Route
Systems. Se eles não estão aparecendo na barra de menus, escolha Procedures – Networks/Paths e
Procedures – Route Systems para habilitá-los na barra.
 Encontrando um caminho mais curto

1. Barra de ferramentas - FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) - map, dataview, figure,
layout – Tutorial: s_path.map - open
2. Barra de ferramentas - layer highway.

3. Barra de ferramentas - FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) – network (*.net) – Tutorial:
nes_hwy.net - open. O TransCAD atualiza a barra de status para mostrar nes_hwi.net como rede ativa.

4. procedures - networks/paths-shortest ou ( ) na barra de ferramentas – SHORTEST PATH


TOOLBOX (HIGHWAY) – MINIMIZE - lenght - - click no mapa nos pontos rotulados here e there -
- NOTE – ok.
O TransCAD calcula e mostra a menor distância e mostra uma janela de mensagem com a distância total
calculada.

5. SHORTEST PATH TOOLBOX (HIGHWAY) - (para limpar os pontos selecionados de início e fim do
trajeto) - - click no mapa nos pontos rotulados here, throught point e there - SHORTEST PATH
TOOLBOX (HIGHWAY) – MINIMIZE - [travel time] (define a rota mais rápida, ou seja, a rota com menor
tempo de percurso) - - ok.
O TransCAD calcula e mostra o caminho mais rápido e mostra uma janela de mensagem com o tempo total
calculado.
6. file – close – SAVE YOUR WORK – no, para fechar o mapa contendo o caminho mais rápido (menor
tempo), sem salvar as alterações.
 Problema do caixeiro viajante

1. Na barra de ferramentas, click FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) - map, dataview,
figure, layout – Tutorial: travel_s.map.
O TransCAD exibe um mapa de rodovias e de paradas, em Southern New England, e abre o arquivo de
rede Nes_hwy.net. Veja isto no canto direito inferior da tela.
2. Na barra de ferramentas, escolha highway.
3. networks/paths - traveling salesman problem - TRAVELING SALESMAN PROBLEM - INPUTS –
MINIMIZE - [travel time], para definir a rota mais rápida, ou seja, a rota com menor tempo de percurso –
ok.
O TransCAD encontra o menor caminho, baseado no tempo de viagem, indo de um ponto inicial (HOME),
passando em 6 pontos intermediários (lojas, p. ex.) e retornando à origem (HOME). O caminho é exibido na
tela e uma janela de mensagem mostra o tempo total de viagem.
4. Click ok para fechar a janela de mensagem.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.21
_______________________________________________________________________________________________

5. networks/paths - traveling salesman problem - TRAVELING SALESMAN PROBLEM – INPUTS –


MINIMIZE - [lenght] (define a rota mais CURTA, ou seja, a rota com menor distância de percurso) – ok.
O TransCAD encontra o menor caminho, baseado na distância total de viagem, indo de um ponto inicial
(HOME), passando em 6 pontos intermediários (lojas, p. ex.) e retornando à origem (HOME). O caminho é
exibido na tela e uma janela de mensagem mostra o tempo total de viagem.
6. Click ok para fechar a janela de mensagem.
7. file – close – SAVE YOUR WORK – no, para fechar o mapa contendo o caminho mais rápido (menor
tempo), sem salvar as alterações.
 Particionamento de rede

1. Na barra de ferramentas, click em - FILE OPEN – FILES OF TYPE - map, dataview, figure, layout
– Tutorial: net_part.map.
O TransCAD exibe um mapa de sistema viário urbano com 3 pontos de referência de localização de
ambulâncias e abre o arquivo de rede Net_part.net. Veja isto no canto direito inferior da tela.
2. Na barra de ferramentas, selecione a opção streets.
3. networks/paths - network patitioning - NETWORK PATITIONING – SETTINGS - SERVICE
LOCATIONS – ambulance - BASED ON – length – ok – STORE LINK TABLE IN… - FILE NAME -
my_emzone – save.
O TransCAD particiona o sistema viário em 3 zonas baseadas na proximidade, com os pontos de
localização das ambulâncias. O software exibe cores temáticas para mostrar as 3 zonas. Também é exibida
a caixa de diálogo Results Summary (Síntese dos resultados).
4. RESULTS SUMMARY – close.

5. Na barra de ferramentas, click em para verificar os dados do banco de dados relacionados com a
partição de redes de serviços de atendimentos das ambulâncias.
6. file – close (para fechar a caixa de diálogo Results Summary).
7. file – close all, para fechar o mapa contendo a divisão da rede viária em sub-redes de atendimento por
veículos de emergência, ambulâncias, neste caso, sem salvar as alterações.
 Determinando estilos em sistema de rotas

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) - map,
dataview, figure, layout – Tutorial: shipping.map – open.
O TransCAD exibe um mapa mostrando um armazém e rotas entre o armazém e os pontos de entregas de
encomendas.
2. Na barra de ferramentas, escolha route systems.

3. Na barra de ferramentas, click em - STYLE (LAYER: ROUTE SYSTEM) - LINE SETTINGS –


WHIDTH – 4.5 – ROUTE SETTINGS – OFFSETS - around ceterline, para exibir as rotas, uma ao lado das
outras – ok. O software exibirá as rotas, uma ao lado das outras, para cada uma das 15 rotas.

4. Na barra de ferramentas, click em - STYLE (LAYER: ROUTE SYSTEM) - ROUTE SETTINGS -


show mileposts on routes – ok, para exibir os marcos rodoviários nas vias por onde passam as rotas.

5. Na barra de ferramentas, click em - STYLE (LAYER: ROUTE SYSTEM) - ROUTE SETTINGS –


TRACKING – territory – ok.
O SIG-T redesenha o mapa de rotas. Rotas com o mesmo valor de Territory (trechos comuns) são exibidas
uma cima das outras.
6. file – close all, para fechar o mapa contendo as rotas para entrega de encomendas a partir de um
armazém geral para 15 destinos (lojas), sem salvar as alterações.
__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.22
_______________________________________________________________________________________________

 Trabalhando com gráficos de tiras

1. Na barra de ferramentas, click em - FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) - map,
dataview, figure, layout – Tutorial: lrs.map – open.
O TransCAD exibe um mapa de Southern New England (Nova Inglaterra Meridional). A layer Route
Systems (Sistema de Rotas) contém 3 rodovias interestaduais (84, 94 e 95). Um layer de referenciamento
linear chamada Highway Lrs é anexada à layer Route Systems.
2. Na barra de ferramentas, escolha route systems.
3. route systems - linear referencing - strip chart - STRIP CHART TOOLBOX - ROUTE - I-90 – FIELDS
– Ctrl+BE: [highway lrs].flow e [highway lrs].lanes – click em create strip chart.
O TransCAD abre uma nova janela contendo um gráfico de linhas mostrando o fluxo rodoviário e o número
de faixas por marco rodoviário, entre 1 e 90. Expanda a tela para ver o gráfico com mais detalhes.
4. STRIP CHART TOOLBOX - ROUTE - I-90 - FIELDS – Ctrl+BE: [highway lrs].pavement, [highway
lrs].flow, [highway lrs].lanes, [highway lrs].speed, para mostrá-las num mesmo Strip Chart. Assim,
teremos o fluxo, o número de faixas, a velocidade e as condições do pavimento, apresentados trecho a
trecho da rodovia. Click em create strip chart ( ).
O TransCAD reexibirá o gráfico de linhas, porém agora com 4 diferentes tipos de dados da rodovia.
Expanda a tela para ver o gráfico com mais detalhes.
5. file – close all – SAVE YOUR WORK – no (para fechar o mapa contendo a rede viária e o gráfico de
linhas, sem salvar as alterações)

1.2.4 Roteamento & logística


Os exercícios desta seção necessitam que você use comandos dos menus Network/Path e
Routing/Logistics. Se eles não estão aparecendo na barra de menus, escolha Procedures –
Networks/Paths e Procedures – Routing/Logistics para habilitá-los na barra.
 Resolvendo um problema de roteamento de veículo com janela de tempo

1. Na barra de ferramentas, click em - FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) –


workspace(*.wrk) – Tutorial: vrptw.wrk – open.
O TransCAD exibe um mapa contendo 2 depósitos e 25 pontos de entregas de mercadorias (lojas, p.ex.),
uma matriz de tempo de roteamento de veículo, de 27 colunas por 27 linhas. Uma tabela de veículos,
contendo os tipos, capacidade e custo.
2. Verifique que esteja ativa a rede Boston.net no canto inferior da tela. Caso ela não esteja, escolha file –
open - FILE OPEN – Tutorial: boston.net – open.
3. Se Routing/Logistics não aparecer na barra de menu, escolha procedures - routing/logistics.
4. routing/logistics - vehicle routing... - VEHICLE ROUTING WITH TIME WINDOW (Roteamento de
veículo com janela de tempo) – MODE – SELECT AN OPERATION MODE – delivery – As “orelhas” Depot,
Stop, Matrix e Vehicle estão com os dados corretos. Dê uma olhada em cada uma delas para conhecer os
dados utilizados na determinação do roteamento com janela de tempo. – go - OUTPUT FILE SETTINGS -
itinerary file - save as - my_itinerary – save, para retornar para a caixa de diálogo Output File Settings -
route table - save as - my_route – save - (para retornar para a caixa de diálogo Output File Settings) – ok.
O TransCAD resolve o Problema de Roteamento de Veículo e exibe a tabela de rotas contendo uma lista de
paradas (lojas) em cada uma das rotas. O relatório de itinerários aparece em Notepad contendo o itinerário
de cada veículo.
5. Feche o programa de roteamento contido no Notepad - RESULTS SUMMARY – close.

6. VEHICLE ROUTING WITH TIME WINDOWS – SETUP FOR – displaying routes ( ) (As páginas
Matrix/Network e Route Table estão corretas) – go - SAVE ROUTE SYSTEM AS – FILE NAME -

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.23
_______________________________________________________________________________________________

my_vproutes – save.O SIG cria o sistema de rotas, adiciona-o ao mapa e abre uma planilha com os dados
das paradas da rota.

7. VEHICLE ROUTING WITH TIME WINDOWS – SETUP FOR – displaying routes ( ). Veja as rotas. –
close.
8. file – close all – SAVE YOUR WORK – no, para todos, para fechar o mapa contendo as rotas na rede
viária e o os outros arquivos, sem salvar as alterações.
 Resolvendo um problema de roteamento de arco

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) - map, dataview,
figure, layout – Tutorial: arc_rte.map – open.
O TransCAD exibe um mapa de Bayone, New Jersey, contendo 3 depósitos de veículos com pás para
raspar a neve das vias, e 3 setores com vias que necessitam serem raspadas (eliminação da neve).
2. Verifique que esteja ativa a rede Bayone.net na barra de status no botão da tela. Caso ela não esteja,
escolha file – open – FILE OPEN – FILE NAME – Tutorial: bayone.net – open.
3. network/paths – settings - NETWORKING SETTINGS - TURN PENALTIES – GLOBAL – MOVEMENT
LEFT – PENALTY - 10; MOVEMENT – U-TURN – PENALTY – 25; MOVEMENT – THROUGH – PENALTY -
5 – ok.
4. Se Routing/Logistics não aparecer na barra de menu, escolha: procedures - routing/logistics.
5. routing/logistics - arc/street routing - arc routing - ARC ROUTING – (Todos os conjuntos serão
preenchidos automaticamente) – ok - SAVE ROUTE SYSTEM AS – FILE NAME - my_plow – save.
O TransCAD resolve o problema de roteamento em arcos (segmentos) e adiciona um sistema de rotas ao
seu mapa. Ele também mostra um resumo dos dados (summary data) dos procedimentos de roteamento
em arcos.
6. RESULTS SUMMARY – close – file – close – SAVE YOUR WORK - no.
 Resolvendo um problema de localização duplamente ponderado

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) –


workspace(*.wrk) – Tutorial: assign.wrk – open.
O TransCAD exibe um mapa contendo 8 escritórios que necessitam de limpeza e 8 funcionários faxineiros.
Você quer determinar qual faxineiro deveria ser alocado a cada escritório, com o objetivo de minimizar a
viagem (menor distância). A matriz de distância é também exibida. Perceba que valores nulos na matriz
indicam que um faxineiro, em particular, não pode ser alocado a um trabalho específico.
2. Se Routing/Logistics-Weighted Matching não aparecer na barra de menu, procedures -
routing/logistics.
3. routing/logistics - weighted matching... - WEIGHTED MATCHING - PROBLEM TYPE – bipartite -
OBJECTIVE - minimization – ORIGIN (8 FEATURES) – LAYER – cleaner – SET - all features –
DESTINATION (8 FEATURES) – LAYER – building – SET - all features – ok – STORE ASSIGNMENT
TABLE IN – FILE NAME - my_matching – save.
O TransCAD determina a melhor atribuição de faxineiro ao prédio de escritório. A atribuição de faxineiros
aos prédios de escritórios está exibida em uma planilha, e está também ilustrado em um mapa usando
linhas feitas “à mão”.
4. RESULTS SUMMARY – close.
5. Na barra de ferramentas window - map1-caliper office cleaning co (para tornar o mapa a janela ativa).
6. Na barra de ferramentas, file - close all, para todos, para fechar o mapa, a matriz e a planilha sem salvar
as alterações.
 Resolvendo um problema de particionamento regional

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.24
_______________________________________________________________________________________________

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) –


workspace(*.wrk) – Tutorial: regional.wrk - open.
O TransCAD exibe um mapa da cidade de São Francisco, contendo grupos de quadras. Uma matriz de
adjacência se abre também. O exercício consta em criar 5 distritos escolares ao redor dos grupos de
quadras em cor laranja. Cada distrito deverá ter um mesmo número de crianças em idade escolar.
2. Se Routing/Logistics não aparecer na barra de menu, procedures - routing/logistics.
3. routing/logistics - regional partitioning...- REGIONAL PARTITIONING - ADJACENCY MATRIX -
MATRIX FILE - adjacency of block group – MATRIX - common border length (isto determinará ao SIG
checar a densidade pelo exame da relação de perímetro e área) – SETTINGS (608 ZONES, 5
PARTITIONS) – LAYER - block group – ZONES - all features - BALANCING CONDITION - ZONE SIZE -
[school age childres] - TOLERANCE(%) – 5 (como a porcentagem tolerada na variação das zonas) – ok -
SAVE OUTPUT TABLE AS - my_partition - save - SAVE DISTRICT LAYER AS – FILE NAME -
my_schooldist – save.
O TransCAD construirá, então, distritos balanceados ao redor dos 5 blocos considerados “sementes”
(núcleos) e exibe a planilha com os resultados. Um layer adicional no mapa, chamado New Territories é
juntada ao seu mapa. –
4. RESULTS SUMMARY – close.
5. file - close all, para fechar o mapa de partição sem salvar as alterações.
 Resolvendo um problema de localização de facilidade (equipamento urbano)

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) – workspace
(*.wrk) – Tutorial: fac_loc.wrk – open.
O TransCAD exibe um mapa da região nordeste de Sales. No mapa estão 46 clientes, uma facilidade
(depósito, p.ex.) existente e 8 facilidades candidatas. Uma matriz se abre também. O exercício consta em
determinar quais duas facilidades serão adicionadas para minimizar o custo de transporte de mercadorias
entre essas 3 facilidades e os 46 clientes.
2. Se Routing/Logistics não aparecer na barra de menu, procedures - routing/logistics.
3. routing/logistics - facility location - FACILITING LOCATION - FACILITIES - # NEW FACILITIES - 2 -
FACILITY SETTINGS – LAYER – facility - CLIENT SETTINGS (9 FEATURES) – LAYER – customer -
WEIGHT – demand – ok - STORE ASSIGNMENT TABLE IN – FILE NAME - my_facility – save.
O TransCAD determina as 2 novas facilidades que deverão ser abertas (ou construídas) que, em conjunto
com a facilidade já existente em New York, minimizarão os custos de transportes para os 46 clientes. A
seleção chama New Facilities, contendo essas novas facilidades,e é exibida no mapa. Uma tabela está
associada à layer Custome, mostrando qual facilidade servirá cada cliente.
4. RESULTS SUMMARY – close.
5. Na barra de ferramentas, window - map 1-facility location problem, para tornar a janela do mapa ativa
e veja as novas facilidades destacadas no mapa.
6. Repita agora as operações anteriores, considerando a propostas de 3, 4 e 5 novas facilidades.
7. file - close all, fechar o mapa, a matriz e a planilha juntada (joined) sem salvar as alterações.
 Resolvendo um problema de coleta de lixo sólido

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) – solid waste
(*.map) – Tutorial: solide waste.map – open.
O TC mostra um mapa de sistema viário, que dispõe de 4 depósitos e 4 distritos para coleta de lixo sólido
urbano.
2. Verifique na barra de status, na parte inferior da tela, que a rede solidwst.net esteja ativa. Se não estiver,
escolha file – open e abra a rede solidwst.net no folder do tutorial.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.25
_______________________________________________________________________________________________

3. routing/logistics – arc/street routing – solid waste colleting routing...- SOLID WASTE COLLETING
ROUTING – DATAVIEW – endpoints – SELECTION – depots – FIELDS – SEED OPTIONS – NODE ID –
id – DISTRICT ID – depots – ok - SOLID WASTE COLLETING ROUTING – ok –
4. Save as myitin.txt para salvar o Relatório contendo os trajetos, as conversões, os caminhões, os
distritos e os depósitos.
5. RESULTS SUMMARY – close.
6. Save as myroute.rts para salvar o arquivo contendo as rotas. O TC resolve um problema de roteamento
para coleta de lixo sólido urbano e mostra o resultado gráfico e através de um relatório, que pode ser
impresso e entregue aos motoristas dos caminhões coletores, para orientá-los quanto aos trajetos.

7. Na barra de ferramentas, click em - STYLE (LAYER: ROUTES) - ARROWREADS - topology – ok,


para exibir os sentidos a serem percorridos pelos caminhões para os quatro trajetos estabelecidos para a
coleta de lixo.
8. Na barra de ferramentas, file - close all.

1.2.5 Modelos de demanda de viagens (P68)


Os exercícios desta seção necessitam o uso de comandos nos menus Planning e Transit; se eles não
aparecem na barra de menus, escolha Procedures-Planning e Procedures-Transit para disponibilizá-los.
 Gerando produção de viagens através de classificação cruzada

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) –


workspace(*.wrk) – Tutorial: trip prod cross class basic.wrk - open.
O TransCAD exibe um mapa de zonas da cidade de Vermont e uma tabela com classificação cruzada,
contendo dados socioeconômicos das diversas zonas de Vermont.
2. planning - trip productions - cross-classification - CROSS-CLASSIFICATION – ZONE DATA - mcd
(zonas de tráfego) - RECORDS - all zones (todas as zonas) - ZONE OR SUBZONE SIZE(S) [tamanho de
zona ou subzona] - households (domicílios) - TRIP RATE TABLE(tabela de taxa de viagem) - vmt_crcl -
TRIP PURPOSE (Intenção de viagem) – Ctrl+BE r_hbw, r_hbnw e r_nhb – MATE FIELDS - RATE TABLE
FIELDS - avg car/hh (Número médio de autos por domicílio) - ZONE DATA FIELD OR VALUE - [auto/hh].
O TransCAD atualiza a entrada sob o campo Value or Value para refletir esta alteração. - MATE FIELDS -
RATE TABLE FIELDS - avg inc/hh (Renda média por domicílio) - ZONE DATA FIELD OR VALUE -
[inc/hh]. O TransCAD atualiza a entrada sob o campo Value or Value para refletir esta alteração. – ok -
STORE OUTPUTE TABLE – FILE NAME - myprod1 – save.
O TransCAD calcula as produções de viagens para todas as zonas de tráfego, para todas as intenções de
viagens, e exibe uma planilha com os resultados da classificação cruzada em uma junção de tabelas
juntadas (joined). A caixa de diálogo The Results Summary surge indicando no campo Warnings and Report
Lines Logged: Warnings: 6 e Report Lines: 21. Isto se refere ao fato de que há 6 zonas de tráfego
periféricas externas que não podem ser vistas no mapa e há linhas de texto escritas para o padrão log e
arquivos de relatórios.
3. RESULTS SUMMARY - close.
Expanda a tela da janela da planilha MCD+Myprodi1 e arraste a barra de rolamento para a direita. Isto
permitirá que sejam vistos os dados de produção de viagens nas colunas HBW (viagem do domicílio ao
trabalho), HBNW (viagem do domicílio para outros motivos que não o trabalho) e NHB (viagem não
originada no domicílio). Verifique também, nesta planilha, os dados socioeconômicos que podem ser
usados no cálculo: população total, população masculina e feminina, segundo as faixas etárias, unidades
residenciais, número de automóveis, taxa de autos por domicílio, renda média por domicílio.

4. Click no título da coluna hbw e, em seguida, no ícone para classificar as viagens em ordem
crescente em número de viagens. Faça o mesmo para a coluna population para conhecer as zonas mais
populosas.
5. file - close all – SAVE YOUR WORK – no, para fechar o mapa e a planilha sem salvar as alterações.
__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.26
_______________________________________________________________________________________________

 Calibrando uma função impedância


Se você não se lembra o que é função impedância, na aula foram apresentados os modelos de transportes,
particularmente o modelo de distribuição de viagens entre as zonas. Tome um exemplo de modelo de
viagens Vij, que leva em conta a População da zona i e os Empregos da zona j, em função de um custo
generalizado (d) de viagem entre as zonas i e j, ponderado por um fator b. Calibrar a função significa
Pi × E j
encontrar os seus parâmetros. Vij = .
d ijb

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) –


workspace(*.wrk) – Tutorial: distribution calibrate impedance.wrk – open.
O TransCAD exibe um mapa de Utown com uma matriz O-D (origem e destino) e uma matriz de
impedância.
2. Se Planning não aparecer na barra de menu, procedures - planning.
3. planning - trip distribution - gravity calibration - GRAVITY CALIBRATION - INPUT - MATRIX FILE -
utown based od - CHANGE INFO - BASE MATRICES – hbw – nhb – use nhb - FUNCTION: - inverse
power - IMPEDANCE MATRIX - MATRIX FILE – impedance (A matriz The Auto TT é automaticamente
escolhida) - CHANGE INFO - BASE MATRICES - hbnw - use hbnw - FUNCTION: POW(T,-B) - inverse
power - IMPEDANCE MATRIX - MATRIX FILE – impedance – (A matriz AUTO TT é automaticamente
escolhida) – ok – STORE SUMMARY TABLE IN – FILE NAME - my_gravcal – save
O TransCAD realiza a calibração para os 3 tipos de viagens (HBW, HBNW e NHB) e exibe uma caixa de
diálogo Results. Para o primeiro tipo de viagem (HBW-viagens baseadas no domicílio com motivo de
trabalho), a calibração ocorreu após 4 interações; para o segundo e o terceiro tipo (HBNW-viagens
baseadas no domicílio com motivo outros que não o trabalho) e (NHB-viagens não baseadas no domicílio
por qualquer motivo), após 7 interações. – RESULTS – close – RESULTS SUMMARY – close.
O TransCAD exibirá uma matriz contendo os resultados. Os resultados mostram que para os três tipos de
viagem: HBW-viagens baseadas no domicílio com motivo de trabalho Ö coeficiente b = 1,3906; HBNW-
viagens baseadas no domicílio com motivo outros que não o trabalho Ö b = 4,0840 e, NHB-viagens não
baseadas no domicílio por qualquer motivo Ö b = 3,2613.
4. file - close all, fechar o mapa e as planilhas sem salvar as alterações.
 Avaliando um Modelo Logit Multinomial Agregado, baseado em O-D.
O Modelo Logit Multinomial é usado para se calcular a probabilidade das viagens entre as zonas de tráfego
serem realizadas segundo os modos de transportes disponíveis em cada zona de tráfego. As
probabilidades são baseadas em dados de: custo de estacionamento, custos das viagens por ônibus,
automóvel e lotação, renda, idade, etc.

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) –


workspace(*.wrk) – Tutorial: mnl apply to individuals.wrk – open.
2. Se Planning não aparecer na barra de menu, procedures - planning.
3. planning-mode split-multinomial logit application para exibir a caixa de diálogo Multinomial Logit
Application. Preencha as opções conforme mostra a figura abaixo:
4. Click Ok para exibir a caixa de diálogo Store Output Table In.
5. Digite “MY_EVAL” para atribuir nome ao arquivo binário e click Save.
O TransCAD calcula a probabilidade com a qual cada tomador de decisão
escolherá o ônibus, o automóvel ou o carpool (perua lotação). Ele armazena
os resultados em um arquivo de formato binário fixo e exibe a caixa de diálogo
Results Summary.
6. RESULTS SUMMARY - Click Close.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.27
_______________________________________________________________________________________________

O TransCAD exibe os resultados unidos com os dados de MNLDATA em uma nova planilha. Expanda a
telha da planilha MNLDATA2+MY_EVAL. Usando o ícone , esconda todas as colunas, deixando
somente visíveis as colunas ORIGIN, DEST, BUS, AUTO e CPOOL. Pode-se verificar as probabilidades de
serem realizadas viagens entre cada par de origem e destino, pelos três modos considerados. Como
exemplo, entre a origem 2 e o destino 1, as probabilidades de serem feitas viagens por ônibus, automóvel e
lotação, são, respectivamente, 93,38%, 5,02% e 1,60%.

7. Para voltar a planilha a exibir todas as colunas novamente, click em e no ícone Show All e, em
seguida, Ok.
8. Escolha File-Close All e No para fechar todas as janelas sem salvar as alterações.
 Realizando a atribuição de tráfego em rotas através da Análise Crítica de Segmentos
O Modelo de Análise Crítica de Segmentos é usado para calcular a probabilidade das viagens entre as
zonas de tráfego, por meio de dados de uma pesquisa O-D (origem-destino), serem realizadas segundo os
modos de transportes disponíveis em cada zona de tráfego. As probabilidades são baseadas em dados de:
custo de estacionamento, custos das viagens por ônibus, automóvel e lotação, renda, idade, etc. Este O
exercício consta em atribuir os fluxos de tráfego nos segmentos de via.

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) –


workspace(*.wrk) – Tutorial: traffic assign critical link.wrk – open.
O TransCAD exibe um mapa, uma matriz de fluxos e uma tabela de segmentos críticos.
2. Se Planning não aparecer na barra de menu, procedures - planning.
3. planning - traffic assigment…- TRAFFIC ASSIGMENT.
4. Preencha a caixa de diálogo conforme a figura abaixo, à esquerda.
5. Click options
6. OPTIONS – Select Link/Zone Queries
7. FILE OPEN – FILE NAME: CriticalLink.qry – open.
8. OPTIONS – Select Link/Zone Queries – selecione
simultaneamente as opções Set 1... e Set 2 ... (como mostra a figura
abaixo, à esquerda).
9. Click ok para retornar à caixa de diálogo Traffic Assigment.
10. Click ok para exibir a caixa de diálogo Output File Settings.

11. Na caixa de diálogo OUTPUT FILE SETTINGS, no campo TITLE, click sobre a opção Flow Table.
12. Click em SAVE AS e digite o nome do arquivo my_criticalflow e, em seguida, click em Save.
13. Na caixa de diálogo OUTPUT FILE SETTINGS, no campo TITLE, click sobre a opção Critical Matrix.
__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.28
_______________________________________________________________________________________________

14. Click em SAVE AS e digite o nome do arquivo my_criticalmatrix e, em seguida, click em Save.
15. Na caixa de diálogo OUTPUT FILE SETTINGS, click ok.
O TransCAD atribui o fluxo aos segmentos de vias da rede e exibe a caixa de diálogo Results Summary.
16. RESULTS SUMMARY – close.
O TransCAD exibe os resultados em uma planilha juntada e exibe a matriz de Análise de Segmentos
Críticos, indicando os pares de O-D e o fluxo que utiliza cada segmento crítico. Os resultados estão
exibidos em cada direção do segmento de via.

17. Escolha na barra de ferramentas para exibir a caixa de diálogo SCALED SYMBOL THEME –
CHOOSE FIELDS - [AB_Flow_Set1], (como mostra a figura abaixo) - ok.

O TransCAD adiciona o mapa temático mostrando o padrão de fluxo para todos que viajam sobre os
segmentos críticos. A largura das linhas nos segmentos críticos é proporcional aos fluxos em cada um
deles.
18. Escolha File-Close All e No, para fechar o mapa e as planilhas sem salvar as alterações.
 Encontrando o menor caminho na rede de transporte coletivo

1. Na barra de ferramentas, click em - FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) - map,
dataview, figure, layout – Tutorial: transit.map - open.
O arquivo de rede de transporte coletivo Transit.tnw é aberto conjuntamente. Confira isso no canto direito
inferior da tela.
2. Na barra de ferramentas, na cortininha (dropdown) verifique que node seja o layer habilitado.
3. Se Transit não aparecer na barra de menu, procedures - transit.
4. transit – Interatictiv Pathfinding-Shortest Path (se abrirá uma caixa de ferramentas, como a figura
abaixo).

5. TRANSIT SHORTEST PATH - click em na caixa de ferramentas para ativar a ferramenta de pontos
de parada e click no mapa em 2 pontos de parada do transporte coletivo quaisquer (a origem e o destino),
desde que coincidam com os pontos, em verde, chamados de “Walk Nodes”, conforme legenda do mapa. O
primeiro nó terá o rótulo 1 e, o segundo, 2.

6. Click em na caixa de ferramentas TRANSIT SHORTEST PATH. O TransCAD exibe a caixa de


diálogo SAVE PATHS. Digite my_transitpath como o nome do arquivo e click em Save. O SIG exibe a
caixa de diálogo STOP LOCATION INFORMATION, click ok.

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.29
_______________________________________________________________________________________________

É calculado o menor caminho e mostrado no mapa. É exibida, também, a caixa de diálogo TRANSIT PATH
RESULTS, que descreve o caminho escolhido, a etapa inicial da origem até a linha de ônibus, o trajeto feito
no sistema de transporte coletivo, e o trajeto final, desde a linha de ônibus até o destino. O seu custo da
viagem é disponibilizado.
7. Click close - RESULTS SUMMARY - close.
8. Escolha File-Close e click No, para fechar o mapa sem salvar as modificações.
 Realizando alocação de transporte coletivo em rotas através da Análise Crítica de Segmentos

1. Na barra de ferramentas, click em FILE OPEN - FILES OF TYPE (arquivos do tipo) –


workspace(*.wrk) – Tutorial: transit assigment.wrk - open. O TransCAD exibe o mapa com as linhas e
nós de caminhada (Walk Nodes).
2. Escolha Transit na barra de menu.
3. Se Transit não aparecer na barra de menu, escolha Procedures-Transit.
4. Escolha Transit-Assigment-Stochastic User Equilibrium para exibir a caixa de diálogo STOCHASTIC
USER EQUILIBRIUM TRANSIT ASSIGMENT.
5. Preencha os campos de acordo com os dados da figura abaixo.

6. Click Ok para abrir a caixa de diálogo OUTPUT FILE SETTINGS – OVERWRITE ALL – ok – RESULTS
SUMMARY – close.
O TC calcula o volume de viagens pelo transporte coletivo, atribui esse fluxo às linhas e os disponibiliza no
mapa. A largura das linhas do transporte coletivo é proporcional ao volume de viagens (passageiros
transportados). O mapa mostra quatro linhas com alto volume de passageiros: para norte, norte-noroeste,
norte-nordeste e sudeste.
7. Escolha File-Close All e click No para fechar o mapa, as planilhas e as matrizes sem salvar as
modificações.

Autor:
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Junior
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS – UFSCar
Departamento de Engenharia Civil – DECiv
Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana – PPGEU
Núcleo de Geoprocessamento – Ngeo
Núcleo de Estudos sobre Gestão e Comportamento no Trânsito – NEGEC-Tran
__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.
SIG APLICADO AO TRÂNSITO, TRANSPORTES & LOGÍSTICA p.30
_______________________________________________________________________________________________

Site: www.deciv.ufscar.br/~raiajr e-mail: raiajr@power.ufscar.br


Via Washington Luis, km 235
13565-905 SÃO CARLOS SP
Fone: (16) 3351-8262

__________________________________________________________________________________________________________
Prof. Dr. Archimedes Azevedo Raia Jr.