Vous êtes sur la page 1sur 8

Uma religião inteiramente ligada à história: Vitral de uma

Imagem 1: Stock Images


Sinagoga
representando
a Estrela de

JUDAÍSMO
Davi, o
Símbolo do
Judaísmo

Por Prof. Ronaldo Steffen

História
O
judaísmo é uma religião inteiramente
ligada à história. As narrativas
De Abraão a Moisés
bíblicas começam com Adão e Eva e A fase histórica seguinte tem seu ponto de partida
os relatos que apontam as conseqüências do com Abraão, ao sair da cidade de Ur, localizada no
pecado, manifestadas no desejo humano de atual Sul do Iraque, por volta de 1700 AEC. Seguindo
rebelar-se contra Elohim (Deus). Segue-se a orientação divina, Abraão saiu de sua terra e foi em
expulsão do paraíso. Mais tarde, o mundo direção à terra indicada por Elohim, a fim de formar
inteiro é destruído pelo dilúvio, salvando-se um grande povo. Esse povo ganhou um nome após
apenas Noé e sua família, juntamente com todos uma dramática luta entre Jacó, neto de Abraão, e um
os animais da Terra. Sodoma e Gomorra, anjo de Elohim. O anjo lhe dá o nome de Israel (o que
cidades sem Elohim, são aniquiladas, e a torre venceu a Elohim). Os filhos de Jacó, mais tarde,
de Babel é derrubada por representar a tentativa vieram a ser identificados como as doze tribos de
humana de chegar até o céu*. Israel.

Imagem 2: Arquivo ULBRAEAD

Judaísmo

*Confira esses relatos no “Livro de Êxodo”, disponível em: http://www.sbb.org.br.

33
Divisão das 12 Tribos O reino de Israel
de Israel O ano 1000 AEC marca a introdução da monar-
quia por meio de Saul. Davi e Salomão são os
expoentes desse período. Com Davi, nascido em
Belém, dá-se a unificação das tribos de Israel. Com
Salomão, dá-se a construção do Templo de Jerusalém
no século X AEC.

A prática de sacrifícios no templo, espécie de


oferenda, passou a ser uma forma mecânica de
adoração. Surgem daí os profetas. Destaca-se Amós,
que viveu por volta de 750 AEC e atacava os males
sociais, como a opressão dos pobres pelos ricos.

O exílio na Babilônia
Advertidos pelos profetas do juízo e da punição
divinos em razão do descumprimento das leis
divinas, os israelitas, sem retroceder, viram o seu
Imagem 3: Arquivo ULBRAEAD

reino dividido em dois: o reino do Norte (Israel) e o


do Sul (Judá). Em 722 AEC os assírios invadiram e
devastaram o reino do Norte, que deixa de ter impor-
tância política e religiosa.

O reino do Sul foi conquistado em 587 AEC pelos


Com José, um dos filhos de Jacó, as narrati- babilônios, que deixaram como marca da ocupação a
vas bíblicas mostram como os israelitas foram destruição do Templo de Jerusalém. Os habitantes do
parar no Egito. Após serem escravizados, foram reino do Sul tiveram permissão para voltarem a sua
retirados do Egito com a ajuda de Moisés, numa terra em 539 AEC e daí em diante se tornaram
jornada de 40 anos pelo deserto antes de conhecidos como judeus. O Templo de Jerusalém foi
chegarem à Canaã, a terra prometida. reerguido em 516 AEC.

Fato marcante da travessia acontece no


Imagem 4: Escola Dominical

monte Sinai, quando Elohim dá a Moisés as


duas tábuas da Lei com os Dez Mandamentos.

Por volta de 1200 AEC, os israelitas


conquistaram parte de Canaã, convivendo
com povos não israelitas. Foi a época dos
juízes que cuidavam para que o povo respeitas-
se as leis dadas por Elohim. A luta com os
filisteus, nesse período, foi o episódio deter-
Judaísmo

minante da necessidade da criação de um


poder político centralizado. O Templo de Jerusalém hoje

34
século XV, e os judeus são expulsos desse país em
Ocupação estrangeira 1492; em 1687, foram proibidos de entrar no
Seguidas vezes, após o retorno da Babilônia, os território da Noruega. Culmina o cenário de
judeus caíram sob o domínio político estrangeiro. perseguição, na história recente, com o avanço
Foi assim que, em 70 EC (Era Comum), uma nazista na Europa, entre 1933 e 1945.
revolta contra os romanos levou ao saque de
Mesmo em épocas em que as perseguições
Jerusalém. O Templo, que recentemente havia sido
explícitas não ocorriam, os judeus continuaram a
ampliado pelo rei Herodes, foi outra vez arrasado.
sofrer restrições: tratados como párias sociais;
Dessa época em diante se estabelece um novo
obrigados a adotar nomes de fácil identificação e a
formato do judaísmo, desvinculado do Templo e
residir em lugares específicos; proibidos de
centrado na sinagoga. Muitos judeus estavam
possuir terras e assim por diante.
agora dispersos pelas terras do Mar Mediterrâneo.
Apenas em 1948 veio o reconhecimento
História mais recente mundial com um ato da ONU, que criou o Estado
de Israel. Os primeiros passos foram dados no fim
A dispersão dos judeus provocada pelas diversas
do século XIX. Muitos judeus pensaram na
ocupações permitiu que eles, em muitas ocasiões e
possibilidade de voltar para sua antiga pátria e,
em diferentes lugares, assumissem papel de grande
assim, fugir das constantes perseguições de que
importância e destaque, tanto nas letras como na
eram alvo. Essa idéia foi chamada de sionismo. A
economia (a religião lhes permitia ganhar juros
princípio, muitos sionistas desejavam criar um
emprestando dinheiro).
estado laico, secular, mas os judeus ortodoxos
No entanto, o que mais tem marcado a dispersão conseguiram realizar o seu desejo de que o país
dos judeus é a constante campanha que diferentes fosse fundado com base na religião judaica.
países e culturas têm desencadeado com o fim de
Esse novo Estado tem vivido em contínuo
afastar os judeus de seus limites geográficos, em
conflito com o mundo árabe, também por causa
especial a partir da Baixa Idade Média. Por muito
dos milhares de palestinos que foram deslocados
tempo o cristianismo encabeçou a perseguição aos
de suas propriedades na época da fundação de
judeus sob a alegação de terem sido os judeus os
Israel.
culpados pela morte de Jesus. Da França e da
Inglaterra os judeus foram deportados nos séculos Hoje as terras israelenses abrigam apenas
XIII e XIV; na Espanha a perseguição dá-se no cinco dos onze milhões de judeus
Imagem 5: Arquivo ULBRAEAD

Atual localização de Israel


Judaísmo

35
Ensinamentos
Até hoje essa expectativa continua viva. Nem
Deus todos os judeus, entretanto, identificam o Messias
O judaísmo é uma religião monoteísta. como uma pessoa; alguns falam numa er a messiâni-
Elohim, o Deus único, é o criador do mundo e o ca um estado de paz na Terra, com destaque
senhor da história. Toda vida depende dele, e especial para Israel. Há alguns judeus que identifi-
tudo o que é bom flui dele. É pessoal e tem cam a criação do Estado de Israel, em 1948, como o
preocupação com as coisas que criou. cumprimento dessa expectativa.

Quem é Elohim é algo que não pode ser


expresso em palavras. O nome de Deus é
Ser humano
representado pelas letras IHVH, um acrônimo
que em hebraico significa eu sou o que sou . O ser humano, embora
Esse acrônimo costuma ser lido como Jeová ou biológico, faz parte da essência
Javé, porém o nome real é tão sagrado que divina e deve cumprir a missão
sempre se usa algum sinônimo, como o de Elohim aqui na Terra.
Senhor ou o nome . Jeová é o criador e o
sustentador do mundo. A idéia de que Elohim O fato de que Elohim é um, e apenas um, reflete-se
possa não existir é alheia a um judeu. na existência humana. Toda a vida do ser humano
Particularmente específica na concepção de deve ser consagrada. Não há linha divisória que
Elohim é a expectativa nutrida pela vinda de um separe o sagrado do profano.
messias ( o ungido ) que virá criar um reino de Enquanto ser biológico, o ser humano faz parte do
paz na terra. Historicamente, a expectativa cosmo. No entanto, de tudo o que há no cosmo, o ser
remonta à época do rei Davi, quando os reis humano foi escolhido como parte da essência divina,
eram ungidos ao subir ao trono. Desde o exílio ultrapassando os limites biológicos. Por isso, faz
babilônico, os judeus alimentam a expectativa parte da missão divina no cosmo, realizando a
da chegada de um messias, saído da linhagem de mediação entre o Criador e a criatura. A tarefa mais
Davi. Esse rei ideal restabeleceria Israel como importante do ser humano é cumprir todos os seus
uma grande potência, e seu povo desfrutaria de deveres para com Elohim e para com seus semelhan-
eterna felicidade. tes.

O Messias para os Judeus:


Vida e morte
A vida e a morte de um judeu têm seus caminhos e
§ Alguns esperam a vinda de uma pessoa atalhos traçados nas Escrituras Sagradas.

§ Outros esperam uma era messiânica


Os Escritos Sagrados
§ Outros identificam que essa era chegou
com a criação do Estado de Israel O chamado cânone judaico foi fixado por um
legítima. concílio em Jabne por volta de 100 EC. São 24 livros
Judaísmo

divididos em três grupos:

36
§ Torá (a Lei): os cinco livros de Moisés. religiosas dos judeus. É nesse espaço que se encontra
a Arca, uma espécie de armário colocado sistemati-

§ Nevim (os Profetas): os livros históricos e camente na direção de Jerusalém e onde são guarda-
proféticos. dos os rolos da Torá. Nas manhãs dos sábados
(shabat), das segundas e das quintas-feiras, os rolos

§ Ketuvim (os Escritos): os demais livros. são lidos de tal forma que todo o livro é lido no
decurso de um ano. A sinagoga pode abrir suas portas
Além da Torá, os judeus obedeciam às regras para os serviços religiosos três vezes por dia, desde
transmitidas oralmente. Conforme a tradição, que dez homens estejam presentes. As mulheres não
no monte Sinai, Moisés teria recebido a Lei desempenham parte ativa no serviço religioso, pelo
Escrita e a Lei Falada. A Lei Falada era proibida menos nos grupos ortodoxos. No entanto, encontram
de ser escrita, pois deveria adaptar-se às condi- seu espaço nos rituais do Shabat.
ções reais da vida em diferentes lugares e
O Shabat dura desde o pôr-do-sol de sexta-feira
épocas. Após a dispersão dos judeus, sob pena
até o pôr-do-sol de sábado. É uma relembrança do ato
de perder-se a tradição oral, decidiu-se registrar
criador de Jeová que descansa no sétimo dia. O
as orientações. Esse material se chama
sábado se tornou uma festa semanal de renovação que
Talmude. Não é em si um livro de ensinamentos,
ocorre em família. A esposa abençoa as velas do
e sim um texto usado pelos rabinos em seus
Shabat na mesa já posta, e o marido abençoa o vinho e
ensinamentos, para orientação dos fiéis em
o pão. É mais um grande momento para a união
situações concretas.
familiar judaica.
A sinagoga e o sábado
As regras alimentares
Imagem 6: Tiferet

Quem olha hoje pelos cuidados


da alimentação na família?

É responsabilidade da mulher zelar pela alimenta-


ção da família. Há, para tanto, que respeitar as regras
definidas nos livros sagrados.

A carne só pode provir de animais que ruminam e


têm o casco partido, o que exclui o porco, o camelo, a
lebre, o coelho e outros. Das aves pode-se comer as
não-predatórias. Dos peixes pode-se comer os que
possuem escamas e barbatanas, excluindo-se polvos,
lagostas, mariscos, caranguejos, camarões etc.

Toda comida feita de sangue também é proibida,


já que a vida está no sangue. Os animais com sangue e
A Arca numa Sinagoga. permitidos para alimentação devem ser abatidos de
forma que o máximo possível de sangue seja extraí-
Judaísmo

Desde o exílio, a sinagoga tem desempenha- do. Além disso, é proibido comer derivados de carne
do papel primordial na preservação das práticas juntamente com derivados de leite. As frutas, as

37
verduras, as bebidas alcoólicas e não alcoólicas § Bar Mitsvá e Bat Mitsvá No primeiro sábado após
são permitidas. completar treze anos, o menino é recebido como
f ilho do mandamento (bar mitsvá). No ano prece-
A ética dente, ele é instruído nas leis e nos costumes judaicos,
Dar esmola não é caridade, bem como aprende a ler o trecho da leitura da Torá
que fará no sábado de sua recepção. Já a menina
mas ato de justiça.
torna-se filha do mandamento (bat mitsvá)
O religioso e o ético se fundem na vida de um automaticamente ao completar doze anos. Por volta
judeu. Tudo pertence à Lei de Elohim. Além das dos quinze anos, ela aprende o principal da história e
248 ordens afirmativas e das 365 proibições, a dos costumes judaicos e, particularmente, empenha-
vida do judeu ainda deve respeitar os costumes e se em aprender as regras alimentares, que é sua
as práticas que se consolidaram ao longo de sua responsabilidade doméstica.

Imagem 7: Google Picasa Web


história.

Dentre as qualidades éticas recomendadas


estão a generosidade, a hospitalidade, a boa
vontade para ajudar, a honestidade e o respeito
pelos pais.

O dízimo (10%) faz parte do comportamento


de muitos judeus. Com relação aos pobres e
necessitados, é curioso notar que o ato de dar
esmolas não é considerado caridade, mas Cerimônia do Bar Mitsvá

justiça. O dever de combater a pobreza é preceito


bíblico a fim de cumprir-se a palavra de que § Casamento A família tem papel primordial na
jamais haverá pobre no povo escolhido. A manutenção da cultura e da educação judaicas. O
mesma concepção é mantida em relação às casamento é o modo de vida ideal e o único tipo de
viúvas, aos órfãos e aos estrangeiros. coabitação permitido. Por princípio, judeu deve casar
com judeu. O divórcio é permitido, mas, para que seja
Quando em determinada situação não houver
legítimo, deve ser sancionado por um tribunal
clareza sobre o que fazer ou se a atitude gerar
rabínico e selado pelo marido, que dá à esposa a carta
conflito, prevalece a vida humana.
de divórcio.
As fases da vida
Imagem 8: Tharwa Community

Nascimento, juventude, casamento e morte


são fases da vida, marcadas por costumes
antigos e ainda mantidos.

§ Circuncisão Oito dias após o nascimento, os


meninos são circuncidados e recebem formal-
mente seu nome. A menina também recebe seu
Judaísmo

nome na sinagoga uma semana após o nasci-


Cerimônia de casamento
mento.

38
§ Enterro O enterro deve ocorrer o mais comemora a reinauguração do Templo de Jerusalém,
ocorrida em 165 AEC.
rápido possível depois da morte. A cremação
não é permitida. No cerimonial de sepulta-
mento, não se usam flores nem música. O § Pessach (Páscoa) Celebrada em março ou abril,

cemitério é sempre muito bem cuidado em relembra a passagem do anjo do Senhor por cima
razão de ser o lugar onde os mortos descansam (pessach) das casas dos israelitas, quando no Egito,
até a ressurreição. por ocasião da décima praga, matou os primogênitos
egípcios. Tem a duração de oito dias e só se come pão
Os festivais sem fermento.

As festas judaicas marcam não apenas § Shavuot (Festa das Semanas) Ocorre em maio
momentos de alegria. Elas trazem consigo ou junho e comemora a ocasião em que a Torá foi
uma forte conotação histórica e religiosa e dada ao povo no monte Sinai.
servem para marcar eventos que ressaltam a
intervenção divina na vida do povo judaico,
tanto no passado como no presente.
Mundo
Reza o texto sagrado, registrado em Gênesis,

§ Rosh há-shaná (Ano Novo) Celebrado em capítulo 1, que Elohim criou o céu e a terra (o
setembro ou outubro, rememora Jeová como universo), o ser humano inclusive. Tendo concluído
criador e rei, conduzindo as pessoas a se sua obra criadora, emanada exclusivamente de sua
concentrarem na auto-análise e no arrependi- inexplicável vontade, constata que o universo é bom.
mento. A força da qual flui o ato criador é sua ordem, a partir
do nada e concretizada por suas palavras. A soberania

§ Iom Kippur (Dia do Perdão) É o fim do divina está realçada. Ele é o criador.
período de dez dias de arrependimento, iniciado “A força da qual flui o ato
no Ano Novo. criador é sua ordem, a partir
do nada e concretizada por
§ Sukot (Festa dos Tabernáculos) Ocorre
suas palavras.”
alguns dias após o Dia do Perdão e procura
relembrar o período em que os judeus, durante Uma vez criado, o universo continua a existir por
sua peregrinação pelo deserto, residiam em vontade divina e não por moto próprio. A força vem
tendas. de fora, não de forma impessoal, mas pessoal e, ainda
que o universo possua características materiais
§ Chanuká (Festa da Inauguração) Realizada evolutivas, percebe-se nesse processo a vontade
em novembro ou dezembro, por oito dias, divina presente no ato criador que lhe deu essa
característica.

A ESTRELA DE DAVI: Dois triângulos entrelaçados. Um


aponta para o alto e relembra tudo o que é sagrado. Outro
aponta para baixo e relembra tudo o que é secular. Juntos
Judaísmo

representam a união indissolúvel entre o sagrado e o


secular.

39
Tendências
O judaísmo é tanto uma identidade hereditá- talmúdica, realiza cultos simplificados no vernáculo,
ria e um modo de vida quanto um sistema dando maior importância aos padrões éticos do que às
religioso. Essa colocação faz perceber a existên- leis rituais, grande parte das quais considera irrele-
cia de uma diversidade de entendimentos. vantes no mundo moderno.

A partir do século XIX, três comunidades


religiosas distintas, descritas a seguir, desenvol-
§ Judaísmo conservador Situa-se entre a aceitação
da autoridade das Escrituras e a permissão de
veram-se com opiniões divergentes acerca da
adaptação às mudanças dos tempos e das situações.
importância da tradição e da teologia judaica.
No século XX, outras tendências se acentuaram,
§ Judaísmo ortodoxo Mantém as crenças como a corrente liberal da Reforma Judaica e o
tradicionais, inclusive a doutrina de que tanto a Movimento Reconstrucionista, fundado por
lei bíblica quanto a lei oral são de inspiração Mordecai Kaplan, que entende o judaísmo como uma
divina, e obedece aos costumes e aos rituais civilização religiosa .
tradicionais, com a rígida observância do Shabat
e das leis de alimentação.

§ Judaísmo reformista Surgiu no período do


Iluminismo e, menosprezando a autoridade

PERFIL DO JUDAÍSMO
Fundador: Abraão e seus descendentes Isaque e Jacó.

Data de nascimento: por volta de 1700 AEC (antes da Era Comum;


é assim que os judeus preferem identificar a cronologia antes de Cristo).

Local de nascimento: provavelmente em Ur, na Caldéia.

Ano de fundação: 1700 AEC.

Textos sagrados e reverenciados: a Torah, que descreve a


criação do mundo e a fundação do reino de Israel, além de contar as leis
divinas; o Talmude, um conjunto de escritos jurídicos, éticos e litúrgicos,
bem como de histórias e lendas judaicas.

Estatística: fala-se em 15 milhões de adeptos, dos quais seis milhões


estão fora de Israel. No Brasil, estima-se em 130 mil adeptos.
Judaísmo

40