Vous êtes sur la page 1sur 24

Nº. 369 "aa expressão da nossa terra" 2011.03.

31

31 DE MARÇO
2011
Ano XXXV
2ª. SÉRIE
Bimensal PORTE
PAGO
0,60 Euros DAS COMUNIDADES DO PINHAL INTERIOR NORTE
(IVA INCLUIDO)

Fundador: Marçal Pires-Teixeira SEDE E ADMINISTRAÇÃO:


PUBLICAÇÕES
PERIÓDICAS Director: Henrique Pires-Teixeira Rua Dr. António José de Almeida, 41
AUTORIZADO A CIRCULAR
EM INVÓLUCRO FECHADO Director-Adjunto: Valdemar Alves 3260 - 420 Figueiró dos Vinhos
DE PLÁSTICO OU PAPEL
TAXA PAGA
Pág. 7
PODE ABRIR-SE PARA
VERIFICAÇÃO POSTAL PORTUGAL E-MAIL: acomarca.jornal@gmail.com | Telef.: 236 553 669 | Fax : 236 553 692

PEDRÓGÃO GRANDE
CCE TAVEIRO

CARN
CARNAAVAL EM FIGUEIRÓ DOS VINHOS Pág. 9 Bispo de Coimbra
na Semana Santa

FOLIA CONTRA A CRISE


Pág. 5

PAMPILHOSA
DA SERRA
Villa Pampilhosa
Hotel: investimento
de 4,5 milhões

Pág. 3

Pág. 5

FIG. DOS VINHOS: apresentados Centros IN” CONCURSO GASTRONÓMICO: sucesso com direito a passaporte
2 2011.03.31
PÁGINA DOIS

R ÍZES
A ORIGEM DOS NOMES
ALGE,
MARIA ELVIRA PIRES-TEIXEIRA
ALGÉS, ALCÂNTARA Dr. Batalha Gouveia

O
excelente artigo do Dr. Tó-Zé Silva levou- Convencido de que haveria aqui qualquer lapso, deci-
me a abordar o nome de Alge dado a uma di, por minha conta e risco, examinar o topónimo Algés
ribeira que vai desaguar no rio Zêzere, nas à luz da minha óptica, tendo chegando a esta conclu-
proximidades de Figueiró dos Vinhos. Acon- são: O Dr. David Lopes equivocou-se, considerando

Uma
tece que não é conhecida a origem, e o res- o árabe “jiçç” significativo de “gesso”, em vez da pala-
pectivo significado, do locativo Alge. A existência de vra, igualmente árabe, “jisr”que nomeava a ponte que
uma antiga ponte que ligava as duas margens da então ligava as margens da Ribeira de Algés. O plural
ribeira, deu azo a que considerasse aquele Alge como da palavra árabe “jisr” é jesur, tendo sido com este

noite diferente
origem árabe. Para melhor se entender esta minha arabismo que passou a chamar-se vila algarvia de Alje-
opinião, permita-se-me que transcreva para aqui um zur, cuja ribeira dispunha então de duas pontes.
ensaio meu acerca das pontes de Alge e Alcântara, A ocidente de Algés existia antigamente uma outra
actualmente pertença dos concelhos de Oliveira e importante Ribeira que nascendo em Belas, seguia
Lisboa, respectivamente. pelas Portas de Benfica e pela actual Avenida de Ceuta,

N
aquela tarde quente africana, decidi acom- Antigo arrabalde lisboeta, a freguesia de Algés faz ia desaguar no rio Tejo. A pouca distância da sua foz,
panhar o meu marido e fui observar a apanha parte do concelho de Oeiras. Quanto à origem do seu esta Ribeira era atravessada por uma ponte cuja geome-
do arroz. Era recém casada e recém chegada nome existe a opinião do Dr. David Lopes que aponta tria era arqueada. A este tipo de ponte arqueada davam
da Metrópole. As pessoas eram simpáticas e o árabe Aljiçç, significativo de “gesso” como o seu os árabes o nome de qântara, um arabismo que iria
estavam sorridentes pois a colheita tinha cor- étimo. Acontece, porém, que segundo os geólogos, a originar o nome dado ao bairro (“Alcântara”).
rido bem. Contudo, ficaram intrigadas com a presença pedra onde assenta a povoação de Alge é de natureza Concluindo quanto venho de referir, quer o topónimo
de uma mulher branca ali no meio do mato, a visitar as granítica, pelo que nele não existe a pedra de gesso. de Algés quer no topónimo Alcântara, têm a origem
suas terras. Como ainda não tinham nascido os meus O escritor Mário Sampaio de Ribeiro produziu o se- em palavras árabes que nomeiam os dois tipos de
filhos, podia entregar-me a estas “folias” sem guinte comentário acerca do gesso de Algés: “Para pontes, isto é, a ponte plana (jisr) e a ponte arqueada
problema. Adorava aquelas viagens mesmo sendo de ensaboarem a cabeça aos árabes e o juízo aos leigos, (qântara). Do que acontece, extraído a conclusão de
poucos horizontes o mato tinha os seus encantos. A como eu, foram chamar Algés (gipso), a um lugar que o nome Alge será uma corruptela do árabe ai jisr
onde, ainda hoje, o gesso só existe nas drogarias e a que corresponde o sentido de “passadiço” ou, o
noite chegou depressa, à boa maneira africana, e
nos estuques da casa”. que é o mesmo, de “ponte plana”.
decidimos regressar. Tínhamos ido na velha carrinha,
a mesma que me tinha acolhido quando eu cheguei a
Muatua, ostentando preguiça debaixo da árvore
mangueira. O meu marido tinha comprado havia pouco
tempo para me fazer uma surpresa (Oh, se fez...). A MALDIÇÃO DOS MAC CANN
P
Metemo-nos na dita criatura e pusemo-nos ao caminho ara explicarem a origem do topónimo a oportunidade de uma caravela estar de saída de Londres
mas parece que a “dondoca” preferia ter ficado à Machico os naturais daquela vila da ilha da para as Ilhas Canárias, o Mac Cann e a Ana resolveram em-
sombra da mangueira e lá nos fez ver do que era capaz: Madeira referem este singular evento: Um jo- barcar nela. Quando se aproximava das Canárias um forte
avariou na picada, mesmo em cima de um pontão de vem irlandês medieval chamado Robert Mac temporal desviou a caravela para a ilha da Madeira, tendo
troncos, toda inclinada! Como a inclinação não permitia Cann, um nome que se traduz por “Roberto, Filho do ancorado numa enseada onde existia um lugarejo.
que nos mantivessemos sentados comodamente, o Cão-Lobo”, apaixonou-se por uma fidalga inglesa de Os habitantes do lugar sentiram-se honrados com a
Marçal resolveu fazer um reconhecimento da área e lá seu nome Ana de Harfet, filha do Conde de Harfet. presença do casal Mac Cann, daí advindo que passas-
descobriu uma pequena palhota para pernoitarmos. Era Enchendo-se de coragem, Ana deu a saber ao pai que sem a designar o povoado de Machen, pronúncia
onde se recolhiam os sacos de arroz que vinham da namorava um irlandês com quem desejava casar. O madeirense do Mac Cann. Do Machen advieram os
machamba. Pelo menos ficávamos abrigados do pai perguntou-lhe qual era a condição social do irlan- posteriores Machin e Machico.
cacimbo e de certa bicharada, se bem que as cobras dês, tendo a filha respondido que era plebeu. O conde Acontece que o apelido irlandês Mac Cann é o pa-
teriam transito livre. Os sacos serviram de cama para advertiu a filha dizendo-lhe que na condição de tronímico do pai da menina inglesa Madeleine, de
não ficarmos rente ao chão. Nada tínhamos para nos plebeu, o irlandês só poderia casar com uma plebeia, quatro anos de idade, que foi raptada do aldeamento
proteger a não ser as roupas fininhas que trazíamos. pelo que não autorizava o casamento. Estes aconte- turístico da Aldeia da Luz, no concelho de Lagos. Do
O pior é que o arroz em grão tem picos e o nosso cimentos tiveram lugar ao templo do rei inglês Eduardo que precede retiro a conclusão de que os Mac Cann
corpo ficou feito num passador. III que reinou durante os anos 1327 a 1377. irlandeses são vítimas de uma maldição secular que
Abençoados os 20 anos de idade, mais o amor, que Ao saber da recusa do conde de Harfet, o Robert Mac sobre eles caiu, a qual se manifesta sob as nefastas
nos dão força e alegria mesmo nas adversidades. Cann tomou a decisão de raptar a Ana. Aproveitando acções de raptar e ser raptados.

FUNDADOR AGENTES: SEDE E ADMINISTRAÇÃO SÓCIOS FUNDADORES DE:


Concelho de Castanheira de Pera: Rua Dr. António José de Almeida, 41 Fundação Vasco da Gama (Lisboa), Clube
Marçal Manuel Pires-Teixeira
3260 - 420 Figueiró dos Vinhos CentroAventura (Figueiró dos Vinhos); Centro
Vila: Café Central; Moredos: Café-Restaurante Telef. 236553669 - Fax 236553692
PROPRIEDADE Hípico de Figueiró dos Vinhos e Comité
Europa; Coentral Grande: Joaquim Barata; E-MAIL:acomarca.jornal@gmail.com Internacional de Solidariedade para com Timor
Maria Elvira Silva Castela Pires-Teixeira
Concelho de Figueiró dos Vinhos:
FICHA TÉCNICA Papelaria Jardim;
DELEGAÇÃO EM LISBOA
Avenida Duque de Loulé, 1 - 2º.-E - Assinatura:
DIRECTOR: Henrique Pires-Teixeira (TE 675)
1050-085 Lisboa CONTINENTE: Anual: - 15,0 Euros
DIRECT OR ADJUNTO: Valdemar Alves Concelho de Pedrógão Grande: Risco
Telf. 213547801 - Fax:213579817
BIMENSÁRIO REGIONALISTA CHEFE DE REDACÇÃO: Carlos A. Santos (CP 2887)
Ponderado. - Reformados e Cartão Jovem: 12,0 Euros
DELEGAÇÃO/REDACÇÃO EM PEDRÓGÃO GRANDE EUROPA: Anual: - 22,0 Euros
PARA OS CONCELHOS DE Risco Ponderado
RESTO DO MUNDO: Anual: - 24,0 Euros
CASTANHEIRA DE PERA, FIGUEIRÓ CONVIDADOS ESPECIAIS: (Junto à CGD) - Pedrógão Grande
Preço Unitário:
DOS VINHOS, PEDRÓGÃO GRANDE, REDACTORES:
Kalidás Barreto, Eng. José M. Simões, Eng. José
Pais, Dr. Tózé Silva, Luis F. Lopes, Antonino COORDENAÇÃO E SECRETARIADO - 0,60 Euros (120$00)
SERTÃ E PAMPILHOSA DA SERRA Inácio de Passos, Carlos A. Santos Elvira Pires Teixeira, Sandra Simões e Sandra Henriques.
Membros da
IVA (5%) incluído
Salgueiro, Zilda Candeias, Engº. José A. Pais,
(redactores principais) Dr. Jorge Costa Reis, Dr. Luis Silveirinha, Dr. MAQUETAGEM, PAGINAÇÃO
Contribuinte nº. 153 488 255 Elvira Pires-Teixeira, Margarida Pires-Teixeira, Pedro Maia, Cecília Tojal, Isaura Baeta, Isolina “A Comarca” - Carlos Santos. e
Depósito Legal nº. 45.272/91 - Nº. de Registo 123.189 no ICS Valdemar Ricardo, Tânia Pires-Teixeira, Alves Santos, Delmar Carvalho, Dr. Batalha TWO COMMUNICATIONS
TIRAGEM MÉDIA: 5.000 exemplares Rui Silva e Telmo Alves (Desporto) PLASTIFICAÇÃO, EXPEDIÇÃO E IMPRESSÃO
Gouveia, Eduardo Gageiro (Fotografia). Mirandela Artes Gráficas, S.A. Londres - Inglaterra
REGIÃO 2011.03.31
3
5º CONCURSO GASTRONÓMICO PINHAIS DO ZÊZERE

UM SUCESSO COM DIREITO A PASSAPORTE


Teve lugar a 5ª edição do contributo na constituição de
Concurso Gastronómico produtos que possam caracte-
Pinhais do Zêzere e muitos rizar e diferenciar o território,
foram os clientes que degust- criando assim motivos de
aram os pratos regionais apre- atracção a novos visitantes.
sentados pelos 27 Restau- Quanto aos vencedores, na
rantes concorrentes. vertente do prato, o primeiro
A sessão de encerramento e prémio foi atribuído ao res-
entrega de prémios realizou- taurante “Varandas do Casal”,
se na passada sexta-feira, 25 de Figueiró dos Vinhos, com
de março, durante um jantar “Tiborna de Bacalhau”. “Ma-
nas instalações da Escola ranho com Migas” do “As
Tecnológica e Profissional da Beiras”, de Pampilhosa da Ser-
Zona do Pinhal (ETPZP), em ra, venceu o segundo prémio,
Pedrógão Grande. Presentes, enquanto o restaurante “Os
além dos representantes da Amigos”, também de Pam-
maior parte dos 27 restau- pilhosa da Serra, conquistou o
rantes presentes, patrocina- terceiro prémio com “Cabrito
dores, os presidentes das câ- assado no forno”.
maras da Pinhais, nomeada- Quanto à sobremesa, o
mente, João Marques presi- “Pudim de Nozes” do “Tudo
dente anfitrião e também Pre- na Brasa”, de Pedrógão Gran-
sidente da Cimpin (Comu- de, venceu o concurso, tendo
nidade Intermunicipal do sido secundado pelo restau-
Pinhal Interior Norte); Rui rante “Poço de Corga”, de Cas-
Silva (Figueiró dos Vinhos), Na foto de cima, Manuel tanheira de Pera, com “Sur-
Fernando Lopes (Castanheira Antunes (gerente das Varandas presa de Maçã”, e “S. Pedro”,
de Pera) e José Brito (Pampil- do Casal - um dos vencedores de Pedrógão Grande, com o
hosa da Serra) e Pedro Macha- da noite) juntamente com os seu “Arroz doce”. “Varanda do
do Presidente da Entidade de quatro presidentes das Casal”, de Figueiró dos Vin-
câmaras da Pinhais hos, “O Pascoal”, de Pampil-
Turismo do Centro.
Na oportunidade, João hosa da Serra, e “O Penedo”,
Marques realçou a presença do toda a Região. Daí a impor- de Pedrógão Grande, foram os
líder da entidade que tutela o tância em promover este primeiro, segundo e terceiro
Turismo na região Centro que evento que congrega a cadeia classificados, respectiva-
apelidou de “gratificante”; de alguns produtos endógenos mente, na área de melhor
considerou o apoio às empre- na gastronomia e serve de serviço.
sas dos concelhos como “uma referência até mesmo para fora à margem deste concurso, a
obrigação” das autarquias e do território. Associação de Desenvol-
afirmou acreditar que “teremos O balanço feito pela Pinhais vimento ‘Pinhais do Zêzere’
resultados a curto prazo”. do Zêzere – Associação para anunciou que vai lançar até
Já Pedro Machado justifi- o Desenvolvimento, indica que final do corrente ano, e a partir
cou a sua presença por sentir desde o primeiro, o evento vem da próxima sexta-feira (1 de
Na foto de cima (mais pequena), os quatro presidentes das câmaras da Pinhais, o Director da
que a Entidade de Turismo do crescendo a cada ano e vai exi- Abril), um passaporte com
ETPZP e Pedro Machado da Entidade Turismo do Centro.
Centro “pode ser útil”; con- gindo, cada vez mais, seguir a vista a promover o turismo da
Em baixo, da esquerda para a direita, Pedro Machado e José Brito (presidente da Pinhais em
siderou a restauração como estratégia rumo à excelência. sua área da intervenção, que
exercício) enfiam o tradicional barrete de castanheira de Pera, oferecido pelo grupo “Os Alegres”
“mola e suporte do desen- Apresentando ementas de Castanheira de Pera que animaram a noite. abrange os concelhos de
volvimento”; mostrou o seu diversificadas, a grande aposta Castanheira de Pera, Figueiró
“respeito pelas dificuldades e dos restaurantes concorrentes dos Vinhos, Pampilhosa da
pelo peso que esta actividade esteve porém centrada na Serra e Pedrógão Grande.
tem no desenvolvimento do gastronomia regional, pelo que Mediante o pagamento de
país”; apelidou a hotelaria a utilização de produtos endó- um euro, o portador do passa-
como “uma oportunidade”, genos como o cabrito, o javali, porte terá de o apresentar em
elogiou e parabenizou a a perdiz, os maranhos, o achi- estabelecimentos de aloja-
Pinhais por esta iniciativa, gã, o mel, a castanha, os frutos mento e de restauração, para
considerando que “este é o silvestres de entre outros, fo- obter descontos.
futuro” e terminando com uma ram elementos que predomina- Depois de preenchido todo
mensagem de esperança, ram nos pratos a concurso, o passaporte, o mesmo terá de
nomeadamente na área do fazendo com que a região apre- ser remetido para a “Pinhais
Turismo. sentasse uma oferta gastronó- do Zêzere” para que o seu
Este Concurso que decorreu mica diferenciada. portador fique habilitado a um
entre 1 de Outubro e 30 de Tratando-se de um Concur- dos três fins-de-semana, para
Novembro, foi mais uma so, implicou naturalmente duas pessoas, em estabeleci-
oportunidade de aproximar os eleger os melhores. Para isso, mento localizado naquele terri-
restaurantes que dão suporte a organização contou com a tório.
à gastronomia local, cultura de colaboração do Público, pois Os turistas terão de percor-
relevância não só na sua área a indicação das melhores emen- hores ementas, foram sortea- deste concurso como bastante local e gere mais-valias no rer os 29 estabelecimentos de
geográfica local (Castanheira tas, dependeram de um pro- dos 3 Fins-de-Semana no positivo. O desejo é que o desenvolvimento económico restauração aderentes e os 14
de Pera, Figueiró dos Vinhos, cesso de votação sendo que, território. efeito de mobilização entre os do território. de alojamento, localizados nos
Pampilhosa da Serra e Pedró- entre os clientes que partici- Em forma de balanço a orga- participantes contribua para a Assim com este tipo de quatro concelhos que integram
gão Grande), mas, agora, em param nessa votação das mel- nização considera o resultado valorização da gastronomia eventos pretende-se dar um a “Pinhais do Zêzere”.
4 2011.03.31
REGIÃO

“HORA DO PLANETA” DIA 24 DE ABRIL (DOMINGO DE PÁSCOA)


MUNICÍPIO FIGUEIROENSE
VI FEIRA DE VELHARIAS DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS
ADERIU À INICIATIVA

A Hora do Planeta 2011 desafiou os cidadãos, as empresas e


as instituições a desligar as luzes por 60 minutos no passado dia
26 de Março de 2011, às 20H30.
Apagar as luzes por uma hora é, não só contribuir para a
preservação do nosso Planeta, como fazer parte da maior
plataforma voluntária de cidadãos contra as alterações climáticas.
O Município de Figueiró dos Vinhos associou-se a esta iniciati- Terá lugar no próximo dia boração com a AEPIN e a apresentarão peças, Folclórico Flores da Alegria
va desligando, por uma hora, as luzes de alguns monumentos e 24 de Abril (Domingo de empresa Danimóveis, de- objectos e imagens de tem- e Rancho Folclórico de Cer-
edifícios (Paços do Concelho, Convento do Carmo, Igreja Matriz,
Páscoa) vai realizar-se a 6.ª correrá durante todo o dia pos idos, mas aos quais fi- nache do Bonjardim, pelas
Piscina Municipal, Pavilhão Gimnodesportivo, entre outros).
A iniciativa “Hora do Planeta” teve início em 2007, e na sua
edição da Feira de Velharias no Ramal e dá seguimento caram associados traços 15 horas, na zona da feira.
génese esteve a intenção de alertar de forma simbólica – apagando de Figueiró dos Vinhos. às edições que decorreram que agora podemos recor- Em caso de condições
as luzes por uma hora - a população para a necessidade de Esta iniciativa, promovi- nos anos ante-riores, dar e adquirir. atmosféricas adversas, a
protegermos o Planeta contra os efeitos das alterações climáticas. da pelo Município de Fi- contando com a pre-sença O programa será animado Feira será realizada no
Dois milhões de pessoas desligaram as suas luzes. gueiró dos Vinhos em cola- de vários expositores que com a actuação do Rancho Mercado Municipal.

BIGODE MAIS JOVEM PERTENCE A ESTUDANTE DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS

CONVÍVIO “BIGODEIRO” EM ANSIÃO


novo actualmente, conseguiu
organizar este espectacular
encontro.
De realçar que este jovem
de 17 anos se encontra actual-
Realizou-se no passado dia Câmara Municipal ( Dr. Rui A este jovem também foram mente a estudar na Escola
12 de Março pela 1ª vez em Rocha) que deu as boas vindas entregues várias lembranças Secundária de Figueiró dos
Ansião um jantar/convívio de a todos os participantes, ao focando o 1º encontro Ansia- Vinhos.
bigodes, onde o local privile- qual também foi solicitado nense vindas das várias asso- Dizendo-se ainda satisfeitos
giado para o efeito couve ao para que entregasse uma lem- ciações do país. da forma como este decorreu e
restaurante Solar da Rainha. brança deste convívio a todas Houve também a entrega a motivados para novos encon-
Este convívio juntou varias as Associações presentes. todos os participantes de tros na região.
dezenas de bigodeiros oriundos Durante esta entrega houve lembranças regionais. O Organizador aproveitou
de vários pontos do pais, tais vários elogios vindos da parte No final do jantar foram sor- também a disponibilidade
como: Arouca, Carcavelos, dos participantes a este jovem teadas rifas para a atribuição deste jornal para “agradecer a
Castelo Branco, Gouveia, organizador pela sua coragem de 3 prémios, seguindo-se a presença a todos os partici-
Lousã, Mação, Miranda do e dedicação de sozinho, apenas classificação e atribuição de pantes, à Filarmónica Ave-
Corvo, Sertã, Viseu e Vouzela, com a ajuda do pai, ter prémios aos melhores bigodes, larense, a todos os patrocina-
infelizmente Ansião só se fez enfrentado este maravilhoso sendo eles: 1º José Simão de dores, a este jornal, ao foto-
representar pelo organizador encontro, enaltecendo-o por Arcozelo da Serra – Gouveia; grafo, ao restaurante e ao Sr.
do evento, Vitor Moreira. ser muito sociável e à sua fácil 2º José Constantino de Vouzela Presidente da Câmara, em
Esteve presente para animar adaptação a pessoas “mais e 3º Aires Campos de espinho suma a disponibilidade de
a festa a banda da Sociedade maduras”, das várias classes - Miranda do Corvo jovem a Vítor Moreira, embora foi mais forte, exigindo que cá todos quantos contribuíram
Filarmónica Avelarense e sociais ocupando assim o seu Couve ainda o bigode mais este se quisesse recusar por ser ficasse, pois este Jovem para o acolhimento destes
contou-se também com a tempo livre sem andar metido idoso a João Novo de 77 anos o organizador deste evento cresceu com eles desde os seus forasteiros e participantes na
presença do Presidente da em “porcarias modernas”, etc. de idade de Viseu e o mais mas a exigência dos convivas 13 anos e hoje com 17 o mais sua terra natal”.
REGIÃO 2011.03.31
5
CONCELHO DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS INTEGRA PROJECTO TRANSNACIONAL COMÉNIUS RÉGIO

APRESENTADOS CENTROS DE INFORMAÇÃO “ESPAÇO IN”


Teve lugar dia 15 de Março, especializadas de apoio dendo-se também à fa- ricórdia de Figueiró – CAO
pelas 10h30 no Salão Nobre à deficiência, divulgação mília. Por cá este méto- (Ervideira), em Portugal.
do Edifício dos Paços do de medidas públicas e do, embora institucio- De salientar que em Por-
Concelho de Figueiró dos Vin- legislação sobre a inclu- nalizado no entanto, o tugal foram apenas aprovados
hos, a apresentação preliminar são, sensibilização da mais difícil é as famílias cinco projectos transnacio-
dos Centros de Informação comunidade para a im- disponibilizarem-se nais, entre os quais o projecto
“Espaço IN”, no âmbito do portância da inclusão de para tal, acrescentou de Figueiró dos Vinhos-Caras
projecto Coménius Régio. todos os alunos nas António Lopes. Severin
Estiveram presentes nesta escolas regulares. São Sousa falou do Antes das visitas aos Cen-
cerimónia o Presidente da Au- Em Figueiró dos Vin- projecto Comenius Ré- tros IN, duas técnicas da Au-
tarquia figueiroense, Engº Rui hos estes centros irão gio que surgiu da neces- tarquia e Santa Casa da Mise-
Silva, a Profª. Maria Fernanda funcionar na Casa Mu- sidade de desenvolver ricórdia esmiuçaram os objec-
Dias, Directora do Agrupa- nicipal da Juventude, na e implementar trabalho tivos deste projecto decorren-
mento de Escolas de Figueiró EB2 sita na Av. José em rede, que promova te de candidatura efectuada à
dos Vinhos, o Dr. António Malhoa e no CAO na o acesso à Educação a Agência Nacional PROALV,
Lopes, em representação da Ervideira todas as crianças e jo- através do Programa Aprendi-
DREC (Direcção Regional de Na oportunidade, vens e visa a Educação zagem ao Longo da Vida, que
Educação do Centro), Fer- Rui Silva, presidente da Figueiró dos Vinhos, conside- samos de trabalhar em conjun- Inclusiva. O projecto é cons- tem como fim contribuir para
nando Conceição, Provedor da Câmara Municipal de Figueiró rou esta partilha como “enri- to para encontrar soluções em tituído por uma parceria entre o desenvolvimento da UE
Santa Casa da Misericórdia de dos Vinhos, lembrou que este- quecedora de experiências”, conjunto”. António Lopes elo- a região de Caras Severin (Ro- como uma sociedade de conhe-
Figueiró dos Vinhos e a Dra. ve já na Roménia a acompan- que esta parceria permite giou os métodos e o trabalho ménia) e Figueiró dos Vinhos cimento avançado, com de-
São Sousa, professora respon- har este projecto, podendo verificar que “não estamos que existe nas escolas de Por- e integra as Instituições como senvolvimento económico
sável pelo projecto. agora afirmar que “se nós atrás dos Romenos” e que só tugal, afirmando que “é preci- RESITA: County School Ins- sustentável, na prossecução de
Chamam-se espaços IN e temos dificuldades, eles têm agora aquele país está a avançar so também mostrarmos isto e pectorate Caras-Severin (Enti- mais e melhores empregos e
pretendem dar resposta a pais muito mais e conseguem fazer pela inclusão dos alunos em confrontarmos com as realida- dade Proponente e Promo- maior coesão social, bem como
e encarregados de educação, a coisas muito interessantes ao escolas regulares quando “no des de outros países para per- tora), School “Primavara” de o fomento do intercâmbio, co-
alunos, professores, dirigentes nível do envolvimento da nosso país já é uma prática cebermos que afinal estamos Resita e Associação “Pentru operação e mobilidade entre
e a toda a comunidade se pres- sociedade civil, pais e crianças regular há vários anos”. todos no mesmo barco”. O re- Copiii Primaverii” – APCP na instituições e sistemas de
tarão informações e esclareci- com necessidades educativas Por sua vez António Lopes, presentante da DREC realçou Roménia e o Município de Fi- educação e formação no seio
mentos sobre estratégias de in- especiais”. em representação da Direcção que o trabalho na Roménia vai gueiró dos Vinhos (entidade da UE, a fim de que possam
tervenção, apoios técnicos, Fernanda Dias, Directora do Regional de Educação do além das crianças necessidades promotora), Agrupamento de tornar-se uma referência
contactos com instituições Agrupamento de Escolas de Centro, considerou que “preci- educativas especiais, esten- Escolas e Santa Casa da Mise- mundial de qualidade.

“FAZIA TEMPO” PARA REENTRAR AO SERVIÇO...

JOVEM FIGUEIROENSE DE 26 ANOS


MORRE EM DESPISTE DE MOTA
A Junta de Freguesia de Freguesia
de Figueiró dos Vinhos agradece a
todos os que participaram na
cerimónia fúnebre do nosso querido,
- Acidente ocorreu na zona Industrial da vila figueiroense grande e eterno amigo, Isidro Maria
da Conceição.
Eduardo Jorge da Conceição Ventura, manifestação de dor e pezar, onde partici-
solteiro, de 26 anos, residente no Chá- param centenas de populares, familiares e
A amizade e o carinho demonstrados,
velho, na freguesia de Figueiró dos Vin- amigos que lhe quiseram prestar uma última por todos aqueles que o
hos, morreu no passado dia 23 de Março homenagem e onde não faltaram as repre- acompanharam até à sua última
ao início da tarde (14h00), na sequência sentações dos Bombeiros Voluntários de morada, enalteceram a presença de
do despiste de uma moto ocorrida na Zona Figueiró dos Vinhos - onde Eduardo Ventu-
Industrial daquela vila. ra fazia parte da Fanfarra - e do Atlético do um Homem que marcou a vida de
Segundo Joaquim Pinto, comandante Avelar - onde o jo- gerações de figueiroenses, ao
dos Bombeiros Voluntários de Figueiró vem era guarda-re- dedicar parte da sua existência a
dos Vinhos, a moto conduzida por Eduar- des na equipa de
servir os seus congéneres. Obrigado
do Ventura, que trabalhava numa empresa Futsal. Eduardo
daquela Zona Industrial que comercializa Ventura era um a todos e obrigado Sr. Isidro, por um
produtos orgânicos, “terá embatido numa personagem que- dia termos tido o privilégio de fazer
pedra” e “o corpo foi projectado por al- rida e popular na parte das nossas vidas.
guns metros”. região, daí esta
“Sofreu lesões graves na zona da cer- moldura humana. A sua partida, leva-nos a meditar nas
vical, o que lhe provocou a morte”, ex- Eduardo Ventura aprendizagens que nos transmitiu,
plicou o comandante, acrescentando que completaria no
o acidente ocorreu numa rua da Zona próximo
para que no futuro possamos fazer
Industrial de Figueiró dos Vinhos, onde o dia 20 de melhor pela nossa terra e pelas
jovem trabalhava. Abril nossas gentes. Obrigado por tudo e
O funeral de Eduardo Ventura, realizado 2 7 até um dia…
no dia 25 de Março, constituiu uma enorme anos.
6 2011.03.31
REGIÃO

DISCIPLINAS NA UNIVERSIDADE SÉNIOR FIGUEIROENSE AX TRAIL 2011

CIDADANIA FOZ DE ALGE/ CASAL S. SIMÃO/


Em Novembro de 2010
iniciaram-se as
actividades da
volver no âmbito da dis-
ciplina. FERRARIA S. JOÃO
Universidade Sénior em ACTIVIDADES
Figueiró dos Vinhos, DESENVOLVIDAS NO
promovidas pela Câmara ÂMBITO DA
Municipal. Assim das DISCIPLINA
diferentes disciplinas No âmbito da disciplina
leccionadas, propõe-se “Cidadania” e durante o
falar da disciplina primeiro período, foram
“Cidadania”. desenvolvidas as seguin-
tes actividades: leitura e
Nos últimos anos, o As relações entre gover- da solidariedade é talvez a debate da Declaração Uni-
termo Cidadania começou nos e os cidadãos, assim alternativa mais importante versal dos Direitos Hu-
a ser expressão comum na como os cidadãos entre si, a experimentar. manos; apresentação das
sociedade. No entanto o são recíprocas e interde- Ao consultar o dicioná- temáticas “Cuidados de
conceito é em si mesmo pendentes, mesmo que nem rio, (Dicionário Ilustrado da Segurança fora e dentro de
problemático e ambíguo. A sempre sejam reconhecidas Língua Portuguesa, Verbo, casa” orientada pelo Co-
história mostra diferentes como tal pelos indivíduos volume I, p.444), o termo mandante Pinto, dos
Realiza-se no próximo dia 10 de Abril o AXtrail®, Corrida
concepções que vão sendo envolvidos. Por isso, os Cidadania é o «conjunto Bombeiros Voluntários de
de Montanha nas Aldeias do Xisto, que terá lugar no
retomadas, reformuladas direitos e responsabilida- de direitos e obrigações de Figueiró dos Vinhos; percurso pedestre que liga a Foz de Alge ao Casal de S.
ou criticadas. des de cidadania estão um cidadão», o termo Cida- “Prevenção e Segurança” Simão e este à Ferraria de S. João.
A definição de Cidada- logicamente ligados entre dão «é aquele que está no orientada pelo Coman- A prova terá uma distância superior a qualquer uma
nia é plural e é no recon- si: os direitos implicam gozo dos direitos civis e dante do posto territorial da das anteriores, totalizando aproximadamente 30 km de
hecimento das suas contra- responsabili-dades. políticos de um estado». GNR Figueiró dos Vinhos, puro trail numa paisagem deslumbrante que combina o
dições que se instaura o Todas as pessoas devem A disciplina tem como 1º Sargento Jaime Duarte verde da vegetação ripícola nas margens da Ribeira de
debate. Assim, os debates reconhecer os seus direi- objectivo realizar e interagir Mendes. Alge, com as já habituais aldeias do Casal de São Simão
na aula de Cidadania têm tos, respeitar os dos outros, com outros actos de cida- Para o segundo e terceiro e de Ferraria de S. João, tão elogiadas pelos atletas.
vindo a mostrar a diversi- assumir as suas responsa- dania. períodos está previsto um O AXTrail teve a sua primeira edição em Outubro de
bilidades e esperá-las dos A disciplina é leccionada espectáculo de teatro, 2008, ligando as Aldeias do Xisto de Casal de S. Simão e
dade de concepções e
outros.». (In Cidadania, por José Martins. Aborda- realização de colóquios Ferraria de S. João.
representações que o termo
com convidados que exer- Face à aceitação da prova, a empresa promotora da
pode significar. «A Cida- Construção de Novas Prá- se muito sucintamente o
çam actos de cidadania, iniciativa Go Outdoor definiu um circuito de provas de
dania é um estatuto que ticas em Contexto Educati- conceito de Cidadania,
campanhas de sensibi- jornada dupla, que se desenvolve no território das Aldeias
medeia a relação entre o vo, Conceição Nogueira e apresentam-se os objecti-
lização para a cidadania e do Xisto e que perdura até hoje.
indivíduo e a comunidade Isabel Silva, Asa, p. 90). vos propostos pelo profes- Programa:Foz de Alge / Casal S. Simão/ Ferraria de
política, ao mesmo tempo Pensa-se que construir sor que se pretendem actividades dinâmicas
S. João Local de partida: Foz de Alge (Figueiró dos
que fornece as bases para novas práticas de cidadania desenvolver durante o ano recreativas e culturais.
Vinhos)Abertura do Secretariado: 08h00mInício da prova:
as interacções entre os alternativas pode ser um lectivo 2010-2011 e des- Texto da autoria dos
09h00mInício do percurso pedestre: 09h30mLocal de
alunos da disciplina de
indivíduos dentro da desafio para um presente crevem-se as actividades concentração e entrega de prémios: Ferraria de S. João
Cidadania. USFV.
sociedade. tão incerto. A valorização desenvolvidas e a desen- (Penela)

SEDE: FILIAL 2:
R. CONDE REDONDO, Nº 62 A/B PRAÇA DO AREEIRO, 6 D/E
Tel.: 213 561 147 (4 linhas) Tel.: 218 483 311

Certificação Acústica e
1100 - 108 LISBOA 1000 - 159 LISBOA
Fax: 213 150 963

PARQUE PRIVATIVO - CLIENTES


R. BERNARDIM RIBEIRO, 93-A
1150 - 070 LISBOA
Energética de Edifícios
75 anos ao > Em toda a zona centro <
Serviço da
Hotelaria
Telefone: 915 859 151
213 920 560
BUSCA AUTOMÁTICA
www.acuidade.com | acuidade.acústica@gmail.com
FAX 213 951 052 Rua da Estrela 61/65 * 1200-668 LISBOA
Rua Joaquim A. D’ Aguiar, 5 - 3º 3000-231 COIMBRA
E-MAIL: geral@jotelar.com SITE: www.jotelar.com
REGIÃO 2011.03.31
7
SEMANA SANTA EM PEDRÓGÃO GRANDE
PEDRÓGÃO
BISPO DE COIMBRA PRESENTE NOS PASSOS GRANDE
Descida de
rápidos na
Ribeira de
Pêra

Terá lugar nos próximos


Pedrógão Grande assiste a de Fé, que culmina com as Trata-se de um património bração da Paixão do Senhor; ás
dias 3 e 23 de Abril uma
partir de 9 de Abril até ao próximo celebrações da Semana Santa e cultural muito mais vasto, que diz 15 horas, o “ponto alto”, com a
descida de rápidos na
dia 24 de Abril, à celebração dos Páscoa (22 e 24 de Abril). respeito à generalidade das realização do sermão, no Calvário, Ribeira de Pera, numa
Passos, Semana Santa e Páscoa, Remontam a muitas décadas as gentes do concelho e não apenas normalmente a cargo de um organização do Município
este ano enriquecida pela visita convicções religiosas dos habi- à comunidade Cristã. Orador convidado pela Paróquia de Pedrógão Grande.
do Bispo de Diocese de Coimbra, tantes do concelho de Pedrógão Dia 10 de Abril, “Domingo de de Pedrógão Grande, cuja temá-
D. Albino Cleto, que presidirá às Grande. Gente de Fé que faz das Passos”, pelas 11H30, terá lugar tica incide normalmente sobre a A descida tem início no
cerimónias do dia 10 de Abril. festividades da Semana Santa e uma Missa na Igreja Matriz, Paixão e Morte do Senhor. Este Açude da Praia Fluvial do
Mosteiro, local onde se
Nesta ocasião, Pedrógão Páscoa cartaz de divulgação das presidida pelo Bispo de Diocese momento constitui, sempre, ao
encontram as canoas e todo
Grande transforma-se numa mais profundas tradições do de Coimbra, D. Albino Cleto. Às longo dos anos, um momento de
o equipamento necessário à
grande Via Sacra, num sinal de Fé concelho. 15 horas, terá lugar a Procissão emoção colectiva, normalmente
realização da actividade.
e Cultura que se perde nas Mesmo aqueles que, por opção que integra o Senhor dos Passos “explorada” pelo pregador. Daqui os participantes
origens do tempo, havendo de consciência, professam ideias – vinda da Igreja Matriz para o Segue-se a Procissão do Enterro iniciam a descida ao sabor da
registos bastante remotos. A Vila diferentes, ou não se consideram Calvário – encontra-se com a S.ª do Senhor que percorre o centro corrente da Ribeira. A meio
prepara-se especialmente para crentes, entendem a mística desta das Dores, dando de imediato histórico e as principais artérias do percurso será efectuada
esta “manifestação”, decorrendo quadra litúrgica, altura em que, início ao Sermão do Encontro. da vila, num percurso, tradicio- uma pausa para recompor
as ruas, as varandas e sacadas inclusivamente, muitos dos pe- Cerimónia muito bonita, de um nalmente, seguido por milhares de forças.
ao longo do percurso da droguenses a residir fora do significado cristão enorme, por fiéis. A actividade termina no
Procissão, criando efeitos concelho aproveitam para dar isso, normalmente, muito parti- Ainda durante a Sexta-feira Açude do Rodrigues na
estéticos de grande beleza, sinais “uma saltada à terra”, matando cipado. Santa, pelas 21 horas realiza-se o Ponte Pera, local onde se
de uma cultura popular saudades da família e dos amigos. Dia 17 de Abril, “Domingo de Oficio da Morte do Senhor encontram as viaturas que
sedimentada ao longo de dé- Organizadas pela Santa Casa Ramos”, terá lugar a Bênção dos (Trevas) e ás 21H45, a Procissão trazem os participantes de
cadas, reflexo de religiosidade e da Misericórdia e pela Fábrica da Ramos na Igreja da Misericórdia do Silêncio. regresso ao início do
amor à terra. Igreja de desta localidade com a e Missa na Igreja Matriz, seguida Dia 23 de Abril, Sábado Santo” percurso.
Mais uma vez, toda esta envol- colaboração da Câmara Munici- de Procissão. Á noite, terá lugar as celebrações prosseguem com “Venha, divirta-se e des-
vência é reforçada pela impo- pal, Bombeiros Voluntários, a Via Sacra. a realização da Vígilia Pascal, cubra uma região de encan-
nente obra da Devesa - ex-libris Escuteiros, Junta de Freguesia e Dia 21 de Abril, “Quinta-feira pelas 22 horas. tos com tanto para oferecer”
- é a proposta/desafio que a
pedroguense - que apresenta um Região de Turismo do Centro e a Santa”, realiza-se a Missa da Ceia “Domingo de Páscoa”, dia 24
organização propõe.
cenário paradisíaco, adiado a participação da Banda Filarmó- do Senhor (Lava Pés); á noite, de Abril, pelas 11H30, realiza-se a
Entretanto, teve já lugar no
toda a componente religiosa. nica de Pedrógão Grande, estas terá lugar o Oficio da Paixão do Procissão da Ressurreição do
passado dia 20 de Março a
Milhares de fiéis reúnem-se em celebrações têm o seu início dia 9 Senhor, a que se seguirá a Pro- Senhor, seguindo-se a Missa na primeira descida englobada
Pedrógão Grande, a partir de 9 de de Abril com a realização da pro- cissão dos Cotos. Igreja Matriz que marca o final das nesta iniciativa, tendo-se
Abril, para participar nas cele- cissão do Senhor dos Passos da Dia 22 de Abril, “Sexta-feira celebrações. saldado por um assinalável
brações do Senhor dos Passos. Capela do Calvário para a Igreja Santa”, as celebrações têm o seu CS êxito.
Trata-se de um tempo “especial” Matriz. início pelas 11 horas, com a cele-
8 2011.03.31
REGIÃO

ETPZP EM GRANDE ACTIVIDADE

PAP’S, DIAS TEMÁTICOS, ENTREGA DE DIPLOMAS E OLIMPÍADAS


DO MARKETING (COM)PROVAM DINÂMICA “ComunicAcção FORDOC”
OLÍMPIADAS DO MARKETING
EM PEDRÓGÃO GRANDE
Diversidade
cultural na
escola
Teve lugar no passado
dia 28 de Março (Segunda-
feira), pelas 09h15, na
Escola Tecnológica e Pro-
fissional da Zona do Pinhal
(ETPZP), em Pedrógão
Grande a abertura da Se-
mana Cultural (diverSi-
dade).
Esta iniciativa é desen- Fotos da conferência de imprensa. Da esquerda para a direita:
volvida no âmbito da Prova Paulo Antunes (FORDOC); Miguel Santos (Theatrix); António
de Aptidão Profissional Figueira (Pedrogão Grande) e Cristela Bairrada (FORDOC).
dos alunos do curso de Motivada pelo sucesso alcançado nas duas primeiras
Relações Públicas daquele Em cima, cartaz edições, a Associação Nacional de Jovens Formadores
estabelecimento de ensino, do Dia da e Docentes (FORDOC) apresenta, entre Março e
pretende mostrar a diver- Restauração: Junho, o ciclo de conferências “ComunicAcção
sidade cultural ali existente. uma excelente FORDOC”. Em 2011, esta iniciativa terá lugar em
Ana Rita Batista foi a forma de Coimbra e Pedrogão Grande.
porta-voz desta iniciativa encerrar uma
que irá conhecer e difundir semana plena de Com encontro marcado no dia 29 de Março, 27 de Abril e
um pouco das 6 culturas iniciativa e abrir 16 de Maio no Theatrix em Coimbra e 31 de Março, 28 de
presentes na escola, a um mês que Abril e 19 de Maio no auditório da Escola Tecnológica e
cultura Portuguesa, In- promete trazer Profissional da Zona do Pinhal (ETPZP), em Pedrogão
glesa, São Tomense, Cabo mais novidades Grande, o “ComunicAcção FORDOC”, pretende uma vez
e eventos. mais reunir dezenas de apaixonados pela área da
Verdiana, Francesa e Bra-
Em baixo, Comunicação, Marketing e Publicidade.
sileira, e neste sentido,
pormenor do Repartida por seis datas, esta iniciativa, à semelhança dos
estão convidados para esta
colóquio anos anteriores, será composta por duas partes distintas.
actividade todos aqueles
subordinado ao Num ambiente que se pretende familiar, a primeira parte
que se encontram dentro destas seis sessões terá inicio às 14h 30 e será preenchida
desta grande família que é tema “Gravidez
na Adolescência” com três seminários (Perfil do Empreendedor, TenDências
a ETPZP.. sociais e TenDências publicitárias) e posterior debate a cargo
Para o director da ETPZP, e “Floresta”.
de Paulo Antunes e Cristela Bairrada. Estes projectos são
António Figueira, estes um inovador misto de seminário e mostra publicitária, que
trabalhos dão alguma terão como objectivo despertar a atenção da assistência para
responsabilidade e são
feitos de forma autónoma
Gravidez na Adolescência e floresta em debate o tema do empreendedorismo e para o constante surgimento
de novas tendências para as instituições poderem publicitar
pelos alunos, “para que Integrado nas Provas de as despesas da abertura, condicionar projectos pes- as suas marcas.
eles possam sentir a cultura Aptidão Profissional das enquadrando as temáticas, soais e profissionais. Em Na segunda parte, de cada uma das seis sessões decorrerão
dos países e interpretá-la à alunas Paula Santos e Edize afirmando que “fazem parte Portugal “a questão sempre as mini-olimpíadas de comunicação e marketing. Nas
sua maneira”.Em Pedrógão Fernandes, da Escola da formação cívica de cada foi cultural mas o cenário diferentes sessões realizadas, em Coimbra e Pedrogão
existem 12 culturas distin- Tecnológica e Profissional um” e dando o exemplo do de outros tempos mudou”. Grande, serão seleccionados os grupos com melhores
tas dentro da ETPZP. Este da Zona do Pinhal (ETPZP), ambiente e o caso actual da Foi esta a mensagem princi- resultados que ganham o direito a participar na grande final
facto “é sinónimo do que é de Junho.
em Pedrógão Grande, catástrofe no Japão. Antó- pal deixada pela enfermeira
a comunidade estudantil”, Segundo Teresa Arsénio, membro da organização, “estas
tiveram lugar no passado nio Figueira aproveitou, Esperança Jarré, do hospi-
disse ainda o director. mini-olimpíadas são um concurso de problemas de
dia 21 de Março dois coló- ainda, para projectar os pró- tal de Coimbra.A enfermei-
Os alunos continuam a Marketing, dirigidos a estudantes do ensino profissional e
quios sobre as temáticas da ximos eventos promovidos ra falou ainda em questões
apresentar as suas provas, ensino superior e visa incentivar e desenvolver o gosto quer
gravidez na adolescência e pela ETPZP. A idade dos práticas de contracepção e pela área do Marketing, bem como desenvolver
sendo que na próxima floresta. alunos é propícia à desco- apelou à adesão às consul-
sexta-feira, dia 1 de Abril, características empreendedoras nos jovens.” Os problemas
Após uma actuação do berta da vida sexual, daí ser tas de planeamento familiar. propostos neste concurso fazem sobretudo apelo ao
será a vez do curso de Hote- Grupo de Dança da ETPZP “importante falar destas A temática da Floresta
laria e Restauração realizar raciocínio, à criatividade e à imaginação dos jovens estudantes.
que se assumiu como uma temáticas, principalmente esteve a cargo do Engº. Assim sendo, estas mini-olimpiadas terão duas fases: uma
um workshop de cozinha, das mais-valias deste eve- com quem tem experiência Florestal, Ricardo Pereira, primeira fase eliminatória que terá lugar ao longo das 6 sessões
palestra de vinhos e de nto, pela sua qualidade, médica para o efeito”, re- técnico da APFLOR, a as- do Comunica Acção FORDOC e uma Grande Final onde
enoturismo. De destacar António Figueira, Director forçou também o director. sociação florestal do con- participarão cerca de 50 alunos seleccionados nas primeiras
ainda a entrega de diplomas Pedagógico daquele esta- Uma gravidez não plane- celho de Pedrógão Grande. pré-eliminatórias.
ao final do dia. belecimento de ensino fez ada e na adolescência pode CS
REGIÃO 2011.03.31
9
ESCALOS FUNDEIRENSES COMEMORAM ANIVERSÁRIO DA ASSOCIAÇÃO
PEDRÓGÃO
AMOR AO RINCÃO NATAL UNE E MOBILIZA GRANDE
Convenção de
A Associação de Melhoramen-
tos Cultura e Recreio dos Escalos
Fundeiros promoveu no passado
dia 6 de Março - Domingo Gordo

Hidroginástica
- mais uma jornada de alegre
convivência entre todos os es-
calos-fundeirenses, familiares e
amigos, com a realização do seu
já tradicional almoço-convívio
anual.
Este ano, curiosamente, coinci-
diu precisamente com o dia de
aniversário, o 21º. Lembramos
que esta associação há já algum
tempo que estipulou o Domingo
Gordo como o dia do seu Almoço-
Convívio anual.
À semelhança dos anos ante-
riores o almoço realizou-se no
Restaurante Lago Verde, na
albufeira do Cabril, tendo conta-
do com cerca de 8 dezenas de
participantes, o que é absoluta-
mente assinalável, para mais
tratando-se de uma pequena
aldeia muito fustigada pelo Terá lugar nos próximos
fenómeno da desertificação. dias 2 de Abril uma
Almoço que voltou a constituir Convenção de
uma oportunidade óptima para Hidroginástica, Aeróbica e
rever amigos de infância que já Ginástica Localizada, numa
anseiam por este dia para matar organização do Município de
saudades de tão genuínas e au- Pedrógão Grande.
tênticas amizades e, cada vez
mais, exibirem o seu orgulho de Esta iniciativa terá lugar
serem dos Escalos Fundeiros. durante a manhã, a partir das
De realçar a presença do Presi- 10H15 na Piscina Municipal,
dente da Autarquia pedroguense, relativamente à
Dr. João Marques e do Pároco da Hidroginástica e, de tarde, a
Paróquia, o Padre Júlio, também partir das 15 horas, no
ele um escalos-fundeirense. Pavilhão Gimnodesportivo
O Presidente da Assembleia- com Aeróbica e Ginástica
geral da Associação, Dr. Luís Localizada.
Filipe Antunes, foi o primeiro a A participação é gratuita e
intervir, para realçar a consoli- aberta a todas as idades.
dação deste almoço em termos de
presenças, elogiar o trabalho da uma secção de BTT.
Direcção, agradecer os incen- Alcides Fernandes lembrou

... e Recolha de
tivos dos Autarcas e sensibilizá- que há alguns anos ninguém
los para colaborações futuras. falava nos Escalos Fundeiros e
Luis Filipe Antunes lembrou o hoje “fala-se no bom sentido”.
facto de nesse dia se comemorar Lembrou, ainda, a campanha de

Sangue nos
o 21º aniversário e historiou novos sócios que está em curso,
sobre esta associação que “nas- denominada “cada sócio um
ceu numa noite de inverno na novo sócio”.
oficina do Sr. Miguel”; lembrou Alcides Fernandes aproveitou
algum “arrefeciemento” em
determinada altura e destacou a
pujança actual, de onde realçou
a presença do Autarca para deixar
algumas solicitações e agradecer
a colaboração que, reconheceu,
Bombeiros
Voluntários
os constantes eventos a sede já nunca faltou da parte deles.
construída e totalmente paga. Finalmente, usou da palavra o
A terminar, Luis Filipe Antunes, Presidente da Autarquia pedro-
realçou a disponibilidade do Pre- guense, Dr. João Marques que se
sidente da Autarquia Pedro- congratulou por estar “no meio No próximo dia 2 de Abril de
guense que tem sido uma pre- de amigos escalos-fundeirenses
2011 terá lugar uma Colheita de
sença constante nos eventos da da minha geração”. Chamou a si
realizado e lembrou que ele associação.
Sangue nas instalações dos
Asspciação e sempre disponível a obrigação de acompanhar estes
próprio tem sido uma presençã A jornada continuou, depois, Bombeiros Voluntários de
a colaborar. movimentos da sociedade civil e
do Executivo em colaborar dentro assídua nesses eventos como com um bolo de aniversário, Pedrógão Grande, das 9 horas
Alcides Fernandes, Presidente às 13 horas promovida pelo
da Direcção lembrou algumas - das possibilidades. Elogiou a participante. apagando-se as velas e cantan-
actividade da Direcção da Asso- João Marques terminando do-se os parabéns. Centro Regional de Sangue de
das muitas - actividades reali-
ciação realçando o grande nú- deixando a sua disponibilidade em Depois a festa continuou na Coimbra.
zadas no último ano, projectou as
próximas e realçou a criação de mero de eventos que tem continuar a colaborar com esta Sede com muita animação.
10 2011.03.31
REGIÃO

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO “MULHER GRANDE”

NOVO CURSO NA ETPZP ESPELHA PRESTÍGIO BEJA SANTOS APRESENTA


No passado dia 11 de
Março teve lugar no audi-
tório da Escola Tecnológica
e Profissional da Zona do
LIVRO EM PEDRÓGÃO
Pinhal (ETPZP) a abertura
oficial do Curso Técnico de
Segurança e Higiene do
Trabalho, onde marcaram
presença o Dr. Luís Lopes,
Director Geral da Autori-
dade para as Condições do
Trabalho (ACT), a Dra.
Sofia Neves, Vereadora da
Autarquia Pedroguense e
António Figueira, Director
Pedagógico da ETPZP.
Esta apresentação vem na
sequência da decisão de
homologação deste Curso
com um total de 1200 horas
e respectiva aprovação das
candidaturas financeiras
pela ACT, entidade máxima A Autoridade das Con- observou Luís Lopes que conhece os valores mas se Mário Beja Santos apresentou na sexta-feira, 11 de
em Portugal para esta área. dições do Trabalho acre- logo de seguida justificou agirem mal toda a gente vai Março, mais um dos seus livros. Desta feita “Mulher
Durante a cerimónia de ditou no potencial da es- com a grande importância saber quem vocês são”. Grande” retrata uma Guiné Bissau que não esquece, onde
abertura, António Figueira, cola para poder ministrar destes cursos e desta espe- O responsável nacional viveu quando combateu em nome da pátria.
Director Pedagógico da- esta formação e Luís Lopes, cialidade, “até porque até pela Segurança e Higiene O livro surge para colmatar uma sensação de vazio. Em
quele estabelecimento de coordenador executivo hoje, nas inspecções que do Trabalho falou de al- tempos havia escrito dois volumes respeitantes a 26 meses
ensino, realçou a dificul- para a promoção de segu- fiz, não encontrei um único guns números e do último vividos num teatro de operações. Quando terminou “Tigre
dade que existiu em todo o rança e saúde no trabalho acidente que não pudesse estudo nesta matéria na Vadio” optou por “tomar um banho de água” e escrever
processo desde que se falou de segurança nos ser evitado” . União Europeia é de 2007 e duas obras sobre segurança alimentar e publicidade,
iniciou já em 2008. “Não foi locais de trabalho e na Luís Lopes acrescentou refere-se aos ainda 15 sentindo no entanto que ainda faltava algo. Foi então
fácil”, reconheceu António legislação. Na sua opinião que esta é uma especiali- países que a compunham, que começou a escrever num blog e que surgiu a ideia de
Figueira, não escondendo não basta que ela exista, dade que “tem de ser feita dando conta que perderam escrever esta última publicação que é fruto de uma viagem
algum orgulho por terem “tem de ser cumprida e no local por técnicos espe- a vida 5700 pessoas em à Guiné, onde teve oportunidade para ouvir alguns relatos
chegado a esta fase. Esta implementada nos locais cializados e deixou “boas e acidentes de trabalho. No interessantes.
formação está enquadrada de trabalho”. más notícias” além de vá- nosso país em 2007 perde- Beja Santos criou assim uma “Mulher Grande”
“dentro daquilo que são al- “Perguntar-me-ão o que rios ensinamentos e consel- ram a vida 150 pessoas, em significando “mulher velha, sábia, ousada, assistente e
gumas das carências e ne- faz aqui, numa simples hos aos alunos. Entre eles, 2008, 120 e em 2009, 116. de grande coragem”. Conta a história de uma mulher com
cessidades em formação apresentação de um curso um curioso e que resulta no Números que têm vindo a 90 anos que teve uma educação esmerada, um pai que
especializada e que é exigi- de nível 4, o responsável anonimato do técnico quan- descer mas que só poderão morreu com um tumor e que deixou a família embaraçada,
da por parte da tutela e em- máximo nacional no que a do há competência, “se agi- deixar os técnicos satis- obrigando-a a um pacto, ou seja o irmão comprometeu-se
presas na nossa região” - Segurança e Higiene do rem bem e não houver feitos quando “forem a a acabar o curso de medicina e ajudar a mãe e a irmã. A
justificou António Figueira. Trabalho diz respeito?” - acidentes, ninguém vos re- zero” - afirmou. mãe socorreu-se de tudo para sobreviver, mas sempre
com dignidade e aos 30 anos apaixonou-se por um
funcionário colonial...

NA GRAÇA - PEDRÓGÃO GRANDE


São cerca de 300 páginas “de leitura fácil mas que tenta
sempre fazer o seu enquadramento histórico”, relata ainda
o autor.
Beja Santos é desde algum tempo um munícipe de

TEATRO COMÉDIA VAI AO MERCADO


Pedrógão Grande e fez questão de depositar na biblioteca
municipal daquele concelho grande parte do seu vasto
espólio literário o que para João Marques, presidente da
autarquia é “um contributo inesquecível para nós”.
Rádio Condestável
No próximo dia 3 de Abril de 2011 animal que tem continuamente proble-
pelas 16horas no edifício do Mercado, mas com o ritual de acasalamento, as
na Graça, decorre uma peça de teatro formas de cortejar e os relacionamen-
intitulada" “O QUE HÁ MAIS SÃO tos. As outras espécies têm a coisa
HOMENS!”, de Casimiro Simões e toda resolvida, e ambos os sexos dão-
Luís Veríssimo com a organização da se bem. Os seres humanos, pelo con-
Junta de Freguesia da Graça e com o trário, são infinitamente complicados..
RESTEUROPA @ MAIL.TELEPAC.PT

apoio da Associação da Graça. As mulheres dizem que querem


Trata-se de uma comédia que retrata homens sensíveis, mas nunca que
o abismo entre os sexos, as incompre- eles sejam demasiado sensíveis. Os
ensões e os conflitos, mesmo no homens não têm grande noção sobre
século XXI, continuam presentes na esta subtil distinção. Não se aperce- Telf.: 236 438 943 | Tlm.: 938641520 |
vida de todos nós, tal como na época bem que precisam de ser sensíveis MOREDOS - CAST. DE PERA
em que Adão teve pela primeira vez aos sentimentos de uma mulher, mas
aquelas complicações com a Eva... duros e viris relativamente a outros * Feijoada de Marisco * Arroz de Lampreia (na época) *
Ensopado de Javali * Cabrito à Europa * Bacalhau na Canôa
De facto, somos a única espécie aspectos ...
REGIÃO 2011.03.31
11
CARNAVAL DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS
À semelhança do que a
tradição vem confirmando,
Figueiró dos Vinhos
comemorou mais uma vez o

MUITA FOLIA PARA COMBATER A CRISE


Carnaval, com muita folia,
muita gente na rua a
assistir e boa disposição.
Do programa fizeram parte
os corsos carnavalescos, os
Bailes de Mascaras de
Sábado e Segunda-feira, o
Desfile das Escolas e o
Enterro do Entrudo. De
realçar a grande
participação nos bailes,
invertendo uma situação que
já preocupava.
Os festejos começaram no
dia 4 de Março pelas 10h30
com o desfile das escolas do
concelho, momento sempre
muito apreciado pelos
alunos e pela população que
se junta no centro da vila
para apreciar os fatos
carnavalescos e os motivos
alegóricos das escolas.
Os dois corsos
carnavalescos (Domingo e
Terça-feira) constituiram os
pontos altos dos festejos,
ainda que na Terça-feira se
tenha equacinado a
realização no Mercado,
devido ao mau tempo. No
entanto, acabou por se
realizar na Vila. Ainda
assim, com bastante menos
gente que no Domingo.
Nestes dias, desfilaram
pelas ruas da vila e Mercado,
carros alegóricos dos
bairros, freguesias,
associações do concelho e a
Fanfarra dos Bombeiros
Voluntários de Figueiró dos
Vinhos (este ano quase com
50 elementos - o que se
saúda), acompanhados
sempre de foliões que,
espontaneamente, se
juntaram ao corso.
O programa apresentou,
ainda dois Bailes de
Máscaras, no Sábado e na
Segunda-feira, que
decorreram no
Gimnodesportivo com
atribuição de prémios aos
melhores mascarados
individuais e em grupo.
As festividades
carnavalescas terminaram
na Quarta-feira à noite com
o tradicional cortejo fúnebre
e leitura do Testamento do
Entrudo onde o Rei Momo
deixou algumas
“lembranças” e “brindes” a
algumas personalidades
individuais, comerciantes e
empresários locais. Como
sempre uns ficaram
contentes, outros com o
sentimento de injustiçados...
Este é um Carnaval de
características muito Na próxima edição
populares, peculiar até, que publicaremos mais
os anos foram fotos do Carnaval
amadurecendo e tornado de Figueiró dos
uma referência na Região. Vinhos
12 2011.03.31
REGIÃO

CAMELO - COENTRAL EM CASTANHEIRA DE PERA

ALDEIA DE XISTO É APOSTA NO TURISMO RURAL ABRIL MÊS DO CABRITO


No próximo dia 2 de Abril
pelas 12h, terá lugar a
Inauguração do espaço de
Turismo Rural ‘Aldeia do
Camelo’ na freguesia do
Coentral, Castanheira de
Pera.
Será oferecido um almoço
aos presentes, seguindo-se
uma visita guiada pelas três
casas tradicionais recupera-
das e uma explicação sobre
este projecto e investimento
em aldeias.
A Invesfox S.A. teve
como objectivo conseguir
uma sustentabilidade soci- Abril traz a Castanheira de Pera uma iniciativa que tem
al, ambiental e autónoma em por objetivo divulgar esta especialidade gastronómica e
diversas vertentes, como a torna-la conhecida e apreciada. É o mês do Cabrito.
energética. Foram assim Manjar de eleição confecionado de diferentes formas,
criadas três unidades de tu- ção solar e biomassa com pequeno núcleo de passei- tas possibilidades de lazer. o cabrito fez sempre parte da nossa tradição sobretudo
rismo rural (3 casas para fé- combustíveis locais. Há os de burros na Serra da Ao longo dos últimos anos, em épocas festivas. O arroz de miúdos e o cabrito assado
rias) numa rede que preten- ainda uma aposta na agri- Lousã. os 24 núcleos foram alvo de com batatinhas e grelos fizeram e fazem parte das nossas
de incluir os proprietários de cultura e produtos autócto- As Aldeias do Xisto são um programa de requalifica- mesas ainda no tempo presente.
outras casas na aldeia. nes, criando-se uma mais constituídas por 24 aldeias ção que permitiu às aldeias Visite um dos nossos restaurantes e venha provar o
A recuperação destas valia turística em activida- distribuídas por 14 Municí- adquirir potencial humano verdadeiro cabrito da serra!
casas seguiu e respeitou té- des como a pastorícia. Pro- pios do Pinhal Interior, na de desenvolvimento, trans-
cnicas e materiais tradicio- moveu-se com a "Reserva Região Centro de Portugal formando-se em pólos de

DEDUZA O DONATIVO NO IRS


nais acrescentando confor- de Burros" e "Naturanima" num território de enorme atracção turística dinâ-
to e sistemas de climatiza- uma instalação de um beleza e que oferece infini- micos.

“CASO PRAZILÂNDIA” CERCICAPERAPELAÁSOLIDARIEDADE


PRESIDENTE DA AUTARQUIA EXPLICA “CASO”
A Cercicaper lançou uma campanha de apelo à
solidariedade em que 0,5% do seu donativo pode ser
deduzido no IRS.
Juntos podemos fazer a diferença! Contribua!

EM ASSEMBLEIA EXTRAORDINÁRIA
A Câmara de Castanheira propriedade do município, ções do senhor presidente que o município optou por
de Pera pediu ao “demitiu-se do cargo quan- e tomámos conhecimento não abrir nenhum inquérito
Ministério Público para do foi confrontado com a das ‘démarches’ que estão para apurar as circunstân-
investigar um alegado ausência de documentos a ser feitas”, disse a presi- cias em que ocorreu o ale-
desvio de verbas por parte de suporte de despesa”. dente da Assembleia Muni- gado desvio de verbas, de
de um administrador da Entretanto, a Presidente cipal. Maria da Conceição “alguns milhares de eu-
empresa municipal que se da Mesa da Assembleia Soares esclareceu que na ros”, mas remeter essa ma-
demitiu recentemente. Municipal, Conceição Soa- sessão extraordinária o edil téria para as instâncias
Fernando Lopes explicou res, convocou uma Assem- referiu a auditoria à em- próprias, neste caso o Mi-
que na segunda-feira (dia bleia extraordinária para presa municipal Prazilân- nistério Público. Deliberou,
15) a Câmara Municipal colher explicações sobre dia e a investigação solici- contudo, “realizar uma au-
foi informada, pela este alegado desvio. tada ao Ministério Público, ditoria à empresa municipal
empresa municipal Nessa Assembleia, reali- não tendo sido tomada desde a sua fundação”, em
Prazilândia, da demissão zada na segunda-feira, 28 qualquer deliberação. A 2003, ano em que o dito
do administrador, tendo de Março, o Presidente da presidente da assembleia administrador entrou para
“no mesmo dia Câmara de Castanheira de acrescentou que não foi o conselho de adminis-
comunicado ao Ministério Pera, Fernando Lopes, transmitido aos membros o tração, revelou o presidente
Público a suspeita de explicou aos membros da valor do suposto desvio – da câmara de Castanheira
desvio de dinheiro para Assembleia Municipal o que “está a ser apurado” - de Pera.
fins próprios”. que estava a ser feito na nem foi revelada uma data Aquela empresa munici-
sequência do alegado des- para a conclusão da audi- pal gere o Parque Azul, que
Segundo o autarca, o admi- vio de verbas na empresa toria à Prazilândia. inclui a praia das Rocas, os
nistrador, António B. C., Prazilância, detida pela “Ele assumiu as culpas e museus Casa do Tempo e
que era, também, diretor do autarquia. demitiu-se”, adiantou Fer- do Lagar do Poço Corga, e
jornal O Castanheirense, “Ouvimos as informa- nando Lopes, assinalando edita “O Castanheirense”.
REGIÃO 2011.03.31
13
LANÇADA “PRIMEIRA PEDRA” DO VILLA PAMPILHOSA HOTEL

MAIOR INVESTIMENTO DE SEMPRE NA PAMPILHOSA DA SERRA


A Câmara Municipal
de Pampilhosa da
Serra e o “Villa
Pampilhosa Hotel”
promoveram, no
passado dia 23 de
Março, em Pampilhosa
da Serra, a cerimónia
do lançamento da
Primeira Pedra do
Villa Pampilhosa
Hotel.

Henrique Fernandes, go-


vernador civil do distrito de
Coimbra, Pedro Coimbra,
vice-presidente da CCDRC,
Pedro Machado, presi-
dente da Turismo Centro
de Portugal, Armando Fran-
ça, diretor regional de Eco-
nomia, Paulo Fernandes,
presidente da ADXTUR,
João Marques, presidente
da CIMPIN, e Francisco
Abreu e Pedro Relvão, re-
presentantes do Grupo Ca-
tarino, entre muitas perso-
nalidades, participaram na
cerimónia de lançamento
da primeira pedra do Villa José Brito Dias, presidente ismo Centro de Portugal e pela ocasião crítica que pela valorização e inovação natureza vem desempen-
Pampilhosa Hotel, que da câmara municipal, “um acredita que este projecto Portugal atravessa, mas dos recursos naturais, das har “para a Pampilhosa e
incluiu uma visita ao local dos mais importantes que “vem no momento certo” este pampilhosense con- actividades económicas a para toda a região”. “Fazia
das obras e uma sessão alguma vez foi feito e que pois o turismo “é o sector fessou ter pensado “um eles associadas, dos produ- falta”, diz José Brito Dias,
nos paços do concelho. servirá toda a região, rec- mais exportador que o país investimento com o cora- tos económicos, motivação sublinhando que “não
O lançamento da primeira heada de potencialidades”. hoje tem” reforçando que ção”. Deixou no entanto o e compromisso das pessoas basta dizermos que temos
pedra do Villa Pampilhosa A pertinência do projecto esta vertente “exporta 5 a 6 desafio para que outros com o desenvolvimento so- grandes potencialidades,
Hotel, unidade de quatro de um “grande pampilho- vezes a Autoeuropa”. A agentes lhe sigam o exem- cioeconómico local e por aldeias do xisto, praias flu-
estrelas com 52 quartos, sense” foi sinalizado como obra está em curso. Agora plo para que, em conjunto, uma abordagem inovadora viais de qualidade, possi-
salas de conferências, ban- “projeto âncora” pelo é preciso “agir em conjunto possam ter uma melhor e de oferta turística”, entre bilidades imensas em ter-
quetes e um SPA, foi um PROVERE e contou com o com as Aldeias de Xisto, maior oferta turística. outros aspectos, comple- mos de turismo de natureza
marco na vida da Pampil- apoio de uma mão cheia de Turismo do Centro e de Por enquanto o desafio mentou ainda José Brito. ou para a prática de des-
hosa da Serra. entidades no processo de Portugal, empresários e está já a ser assumido pela Mas, para além do mérito portos radicais, para além
O investimento do empre- concretização. Brito Dias operadores”, disse ainda autarquia. José Brito, falou e do espírito empreendedor do ar puro, da paisagem e
sário Rui Olivença, no valor agradeceu ao secretário de Pedro Machado. ainda do eco turismo e disse de Rui Olivença, que tam- da boa gastronomia”.
de 4,5 milhões de euros, é Estado do Turismo, Turis- Rui Oliveira é o empre- que “é um vector essencial bém é um dos mentores da “Tudo isto é muito atrac-
comparticipado em quase mo de Portugal, Turismo sário promotor deste pro- para o desenvolvimento recentemente criada Asso- tivo, mas não é suficiente”,
80 por cento pelo Quadro Centro de Portugal, Comis- jecto. Ciente do alto risco sustentado da nossa terra”, ciação Empresarial da Pam- continua Brito Dias, pois
de Referência Estratégico são de Coordenação e que corre por ser um in- destacando as aldeias de pilhosa da Serra, o presi- “não podíamos chamar
Nacional. É o maior investi- Desenvolvimento Regional vestimento realizado no in- xisto, praias fluvias e per- dente da autarquia enfati- pessoas ao concelho sem
mento de sempre na Pampil- do Centro e ADXTUR. terior do país, por sentir cursos pedestres.“O con- zou o papel fundamental uma oferta de alojamento
hosa da Serra e, segundo Pedro Machado da Tur- falta de empreendedorismo celho deverá distinguir-se que uma estrutura desta com qualidade” - concluiu.

JOSÉ CARLOS LEITÃO FERNANDO MANATA


ADVOGADO - Telm.: 917277096
ADVOGADO
ANA LÚCIA MANATA
ADVOGADA - Telm.: 912724959
Rua António José Almeida, 71
3260 Figueiró dos Vinhos
Rua Dr. Manuel Simões Barreiros, Nº 60 - R/C. 3260 - 424 FIGUEIRÓ DOS VINHOS
- Telm.: 968 918 283
Telf./Fax: 236 551 095
14 2011.03.31 REGIÃO

ASSINADO CONTRATO COM UNIVERSIDADE DE AVEIRO... DE 15 DE MARÇO A 15 DE ABRIL

AUTARQUIA INCENTIVA CIENTISTAS NA SERRA V FEIRA DO LIVRO DE


PAMPILHOSA DA SERRA
Município de Pampilhosa da Serra e Fábrica
Centro Ciência Viva de Aveiro implementam
“Cientistas na Serra”, no âmbito do projecto
“Ludoteca Criativa”, co-financiado pelo Mais
Centro
O Presidente da Câmara Municipal da Pampilhosa, José
Brito Dias, e o Vice-Reitor da Universidade de Aveiro,
Prof. Doutor José Alberto Rafael, assinaram no passado
dia 29 de Março, um contrato anual que visa o
desenvolvimento e implementação do programa
“Cientistas na Serra”.
O programa educativo surge no âmbito do projecto
“Ludoteca Criativa”, apresentado pelo Município de
Pampilhosa da Serra ao Mais Centro – QREN, e que será
dinamizado pela Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro
em colaboração com a Universidade de Aveiro. São
objectivos principais deste programa contribuir para a
promoção da cultura científica e tecnológica da população
em geral, promover a divulgação da ciência junto do
público escolar de Pampilhosa da Serra e ainda estabelecer
a ligação com as actividades de investigação científica
na área da rádio astronomia e ciências do espaço,
desenvolvidas no concelho de Pampilhosa da Serra pelo
Instituto de Telecomunicações da Universidade de
Aveiro. O programa inclui um conjunto variado de
actividades de diferentes formatos, nomeadamente
actividades práticas, experimentais, laboratoriais,
oficinas, espectáculos para comunicar ciência,
exposições, palestras e saídas de campo.

.. E AÍ ESTÁ A PRIMEIRA INICIATIVA


Abriu ao público no próximo dia 15 de Março a 5.ª
edição da Feira do Livro de Pampilhosa da Serra que
decorrerá até 15 de Abril, na Biblioteca Municipal Dr.
Fernando Nunes Barata. Este evento é uma organização

“FÍSICA VIVA” MARCA


do Município de Pampilhosa da Serra, através da
Biblioteca Municipal Dr. Fernando Nunes Barata, e conta
com a colaboração da Biblioteca Escolar do Agrupamento
de Escolas de Pampilhosa da Serra.
Este ano a Feira do Livro conta com a presença de 39

INÍCIO DO PROGRAMA
editoras, tais como do Grupo Leya -Academia do Livro,
ASA, BIS, Caderno, Caminho, Casa das Letras, D. Quixote,
Estrela Polar, Gailivro, Livros d’Hoje, Lua de Papel,
Novagaia, Oficina do Livro, Quinta Essência, Sebenta,
Teorema e Texto; a Porto Editora, Publicações Europa-
“Física Viva” foi o espectáculo América, Editorial Presença, Kalandraka, Gatafunho,
apresentado em 29 de Março pela Fábrica Planeta Tangerina, Oqo, Bichinho do Conto, Trinta por
Ciência Viva de Aveiro, no Auditório uma Linha, Verbo, Minutos de Leitura e Editora CERCICA
Municipal, e que marcou o início do que a organização realça peloo facto de participar pela
programa educativo “Cientistas na Serra”. primeira e destacando-se pelo facto das suas edições se-
Este programa vai ser implementado pela rem dirigidas a crianças e jovens com necessidades educa-
Fábrica Ciência Viva de Aveiro, durante um tivas especiais e a todas as crianças em idade pré-escolar
ano, na Pampilhosa da Serra, no âmbito do ou que frequentem os primeiros anos da escolaridade.
Projecto Ludoteca Criativa, co-financiado Com o objectivo de promover e criar hábitos de leitura
pelo Mais Centro. através de um contacto mais próximo com os livros, ao
Os alunos do Agrupamento de Escolas longo da Feira estão previstos vários eventos destinados
de Pampilhosa da Serra assistiram com aos diversos públicos, destacando-se de 1 para 2 de Abril
grande entusiasmo a este espectáculo de a actividade “Vem Dormir à Biblioteca” destinada a todos
ciência, que contou com as presenças do os alunos dos 1.º e 2.º ciclos, no dia 9 de Abril o
Presidente da Câmara Municipal de lançamento do livro de Júlio Cortez Fernandes
Pampilhosa da Serra, José Brito Dias; da “Pampilhosa da Serra - O poder local e ruralidade no
Chefe de Gabinete da autarquia, Dr.ª Estado Novo (1934-1974)”, bem como diversas oficinas
Alexandra Tomé; do Vice-Reitor da pedagógicas, ateliês didácticos, teatro e muito mais.
Universidade de Aveiro, Prof. Doutor José
Alberto Rafael; da Presidente da Comissão
de Gestão da Fábrica, Prof.ª Doutora Ivonne
Delgadillo Giraldo e o Director do Centro de
Ciência Viva de Aveiro, Prof. Doutor Pedro
Pombo.
REGIÃO 2011.03.31
15
“PAMPILHOSA DA SERRA INSPIRA NATUREZA” PAMPILHOSA O ETERNO ENCANTO DOS “MINIS”
CANDIDATA-
1º DOWNHIIL PRAIAS FLUVIAS DO XISTO SE ÀS 7 CONCENTRAÇÃO/
MARAVILHAS PASSEIO EM PAMPILHOSA
DA
GASTRONOMIA
PORTUGUESA
A Real Confraria do Ma-
ranho, em colaboração com
o Município de Pampilhosa
da Serra, apresentaram
candidaturas ao concurso “7
Maravilhas da Gastronomia
Portuguesa”.
Uma no âmbito da doçaria
tradicional e outra relacio-
nada com um prato típico de
carne. Decorreu no passado dia 6 de Março, a XIV
Para a doçaria, foi escol- Concentração/Passeio de Minis no Concelho de
hida a Tigelada, doce típico Pampilhosa da Serra, na Aldeia do Xisto de Fajão.
da região serrana em geral e
O evento contou com a presença de 70 Minis e 150
muito tradicional na Pam-
participantes e com a adesão entusiasta dos Fajaenses.
pilhosa da Serra.
Este doce típico, é trans- Durante a permanência na aldeia, os participantes
mitido de geração em gera- visitaram o Museu Monsenhor Nunes Pereira, a Igreja
ção, usado como sobremesa Paroquial e a Antiga Cadeia e Câmara de Fajão.
em épocas festivas, em A organização do evento esteve a cargo da A.C.I.D.
especial nas bodas de casa- (Associação de Solidariedade Social dos Amigos do
mento e festas de baptiza- Cidadão Doente) e dos Amigos do Mini, em colaboração
dos. com o Município de Pampilhosa da Serra.
No que concerne ao prato
típico de carne, foi escolhido
o Maranho, prato ancestral,
Sob o lema “Pampilhosa da conjunta do Bike Clube de rante as duas descidas na que, pela sua textura e sabor,

BIBLIOTECA “PAMPILHO” PROMOVE


Serra: Inspira Natureza” Coimbra, da Associação de zona de espectáculo. faz as delícias de quem o
decorreu na vila de Pam- Ciclismo de Aveiro e do Um agradecimento espe- prova pela primeira vez.
pilhosa da Serra, a 2ª Etapa Município de Pampilhosa cial à colaboração do Clube A escolha destes dois
do Campeonato SRAM / da Serra. Esta prova, con- de B.T.T local “Os Cre- pratos, teve, como base, o

PÁSCOA DIVERTIDA
Regional Centro de Down- tou com 100 atletas vindos malheiras Empenados”, facto de serem confecciona-
hill, a 26 e 27 de Março. de todo o país, que pude- bem como aos Bombeiros dos com produtos de origem
O 1.º Downhill Praias Flu- ram sentir o orgulho e a Voluntários de Pampilhosa verdadeiramente genuínos.
viais, foi uma organização hospitalidade serrana du- da Serra.

No dia 28 de Março de 2011, em plena época que antece-


de a data festiva da Páscoa, o Espaço Internet de Pampil-
hosa da Serra promoveu junto das crianças da Ludoteca/
Biblioteca “Pampilho” a actividade “Páscoa Divertida”.
Cada criança, individualmente, pintou um desenho em
formato de galinha, dando asas à sua imaginação.
Depois de colorida, a galinha foi recheada com delicio-
sas surpresas!
As crianças participaram entusiasticamente nesta
actividade, podendo levar para casa os seus extraordi-
nários trabalhos.
16 2011.03.31
.
AGRADECIMENTO
EDUARDO
JORGE DA CONCEIÇÃO VENTURA
Nasceu: 20.04.1984 * Faleceu: 23.03.2011

Pais, Tios, Avós, Primos e restante família


agradecem reconhecidamente a todas as
pessoas que acompanharam o seu ente
querido à sua última morada, bem como todos
aqueles que, por qualquer outro meio, lhes
manifestaram o seu pesar.

Um agradecimento muito especial para os


Bombeiros Voluntários de Figueiró dos Vinhos
pelo acompanhamento e apoio nesta hora de
dor.

BEM HAJAM

Figueiró dos Vinhos

CARTÓRIO NOTARIAL DA SERTÃ


DE TERESA VALENTINA SANTOS
JUSTIFICAÇÃO
Certifico que por escritura de vinte e nove de Março de dois mil e onze, no Cartório No-
tarial da Sertã de Teresa Valentina Cristóvão Santos, lavrada de folhas oito a folhas dez,
do livro de notas para escrituras diversas número cento e vinte e seis - F. compareceram:
CARLOS ALBERTO DA SILVA SIMÕES HENRIQUES e mulher MARIA TERESA
DA PIEDADE HENRIQUES SILVA, casados sob o regime da comunhão geral de bens,
naturais da freguesia e concelho de Pedrógão Grande, onde residem habitualmente
na Avenida Francisco Sá Carneiro, Urbanização da Gândara, lote 10, E DECLARARAM:
Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos seguintes prédios:
UM - Rústico, sito em Cova da Raposa, freguesia e concelho de Pedrógão Grande,
composto de pinhal, com a área de seis mil e trezentos metros quadrados, a
confrontar do norte com Artur da Rosa, sul com herdeiros de Miguel Baeta, nascente
e poente com o viso,
inscrito na matriz sob o artigo 14521, omisso na Conservatória do Registo Predial de
Pedrógão Grande.
DOIS - Rústico, sito em Casal do Neto, freguesia e concelho de Pedrógão Grande,
composto de pinhal, com a área de oito mil e setecentos metros quadrados, a
confrontar do norte com José Dias, sul com Alberto Onofre, nascente e poente com
o viso, inscrito na matriz sob o artigo 11552, omisso na Conservatória do Registo
Predial de Pedrógão Grande. Maria Adelaide da
TRÊS - Metade do prédio rústico, sito em Tapada, freguesia e concelho de Pedrógão
Grande, composto de terra de cultura com videiras e pinhal, com a área de vinte
e nove mil trezentos e oitenta metros quadrados, a confrontar do norte com o viso, sul
Siva
com a barroca, nascente com Maximina Maria e poente com Ilda da Conceição, Nasc. 15/10/1936
inscrito na matriz sob o artigo 11619, descrito na Conservatória do Registo Predial
de Pedrógão Grande sob o número doze mil oitocentos e quarenta e três, não
Falec. 19/02/2011
tendo esta fracção inscrição a favor dos justificantes mas já se encontrando
a outra metade registada a favor deles outorgantes pela inscrição Ap. três mil Natural: Fig. Vinhos
quinhentos e cinquenta e sete de dois mil e dez barra zero um barra zero quatro. Residente: Sobreiro - Valada Nº 369 de 2011.03.31
Que eles justificantes possuem em nome próprio o prédio referido sob o número
um, desde mil novecentos e noventa, por compra meramente verbal, metade a
Maria Albertina da Cruz Henriques Moreira e marido José Henriques Moreira, residentes Sua família agradece por
na Avenida Miguel Torga, Zona 1, lote 11, segundo C, Odivelas e a outra metade a este meio a todos quantos
António Luís Júnior, viúvo, residente que foi no lugar de Sesmo, freguesia de
Carvalhal, concelho da Sertã, cujos títulos não dispõem. os acompanharam neste
Que eles justificantes possuem em nome próprio o prédio referido sob o número momento de dor
dois, desde mil novecentos e noventa, por compra meramente verbal a António
Luís Júnior, viúvo, residente que foi no lugar de Sesmo, freguesia de Carvalhal, Tratou: Agência Funerária
concelho da Sertã, cujo título não dispõem.
Que eles justificantes possuem em nome próprio a metade do prédio referido sob
José Carlos Coelho Unip. Lda
o número três, desde mil novecentos e noventa, por compra meramente verbal, um Fig. Vinhos | Tlf.: 236552555
quarto a Alberto Fernandes Onofre e mulher Maria do Carmo Henriques Fernandes, Tlm.: 960022663 | 917217112
residentes no lugar de Picha, freguesia e concelho de Pedrógão Grande e o outro
quarto a Isaura Henriques e marido António Moreira, residentes na Rua Bombeiros
Voluntários, número 12, segundo direito, Odivelas, cujo título não dispõem.
Está conforme.
Cartório Notarial da Sertã, 29 de Março de 2011.
A COLABORADORA,
(Maria Helena Teixeira Marques Xavier, colaboradora n° 322/1 do Cartório Notarial da Sertã,
no uso das competências conferidas pela Notária Teresa Valentina Cristóvão Santos, através
de autorização publicitada em 31/01/2011 no síto da Ordem dos Notários).
Nº 369 de 2011.03.31

CARTÓRIO NOTARIAL DE ANSIÃO DA NOTÁRIA MARIA DA GRAÇA


DAMASCENO PASSOS COELHO TAVARES ***Leia
Certifico para efeitos de publicação, que por escritura desta data, lavrada de folhas 126 ******Assine
a folhas 127 verso do livro de notas para escrituras diversas número 103-A, ANTÓNIO DE
ALMEIDA CORREIA e mulher LUCINDA DA PIEDADE DIAS MARQUES, casados *********Divulgue
sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais ele da freguesia de Pussos, concelho de
Alvaiázere e ela da freguesia da Freixianda, concelho de Ourem, residentes na Rua dá
Variante, n°11, no lugar de Cabaços, dita freguesia de Pussos, declararam:
Que são donos e legítimos possuidores há mais de vinte anos, com exclusão de outrem, de Agora também em:
um prédio rústico composto por pinhal e mato com a área de dois mil e setecentos metros
quadrados sito no Picouto, freguesia de Arega, concelho de Figueiró dos Vinhos, a confrontar www.bmfigueirodosvinhos.com.pt
do Norte e do Poente com Gracinda Mendes Portugal, do Sul com António Ribeiro dos
Santos e do Nascente com estrada, inscrito na matriz respectiva sob o artigo 273, com o
valor patrimonial e atribuido de QUINHENTOS E OITENTA EUROS E SESSENTA E
SEIS CÊNTIMOS, omisso na Conserva-tória do Registo Predial de Figueiró dos Vinhos.
Que o referido imóvel veio à sua posse por lhes ter sido doado no ano de mil novecentos
ONDE PPAAGAR A ASSIN
ASSINAATURA
e setenta e oito pelos avós paternos do justificante marido, João Bernardino de Almeida e
mulher Maria da Conceição Correia, residentes que foram no lugar de Cabaços, dita A assinatura pode ser paga através de cheque
freguesia de Pussos, cruzado a remeter para o Jornal A Comarca,
acto este que nunca chegou a ser formalizado.
Que desde então, porém têm possuído o mencionado imóvel em nome próprio e sobre ele Apartado 25, 3260-420 Figueiró dos Vinhos,
têm exercido todos os actos materiais que caracterizam a posse, nomeadamente a defesa
e a conservação da propriedade, plantando e cortando os pinheiros, recolhendo a lenha,
ou ainda nos seguintes locais:
roçando o mato, avivando as estremas, dele retirando todos os rendimentos inerentes à sua Em Figueiró dos Vinhos
natureza e pagando pontualmente as contribuições e impostos por ele devidos, sempre à - Na sede do jornal; e/ou - Na Papelaria Jardim
vista e com o conhecimento de toda a gente, de uma forma contínua, pacífica, pública e
de boa fé, sem oposição de quem quer que seja.
Em Pedrógão Grande
Tais factos integram a figura jurídica da USUCAPIÃO, que invocam na impossibilidade - A indicar brevemente Nº 369 de 2011.03.31
de comprovar o referido domínio e posse pelos meios extrajudiciais normais. Em Castanheira de Pera
Ansião, 25 de Março de 2011.
A Notária,
- Café do Henrique (Café Central); e/ou-
Maria da Graça Damasceno Passos Coelho Tavares Nº 369 de 2011.03.31 Restaurante Europa
COLABORAÇÕES 2011.03.31
17

JOÃO ROLDÃO SOARES | Psicólogo


Alucinações Fraudulentas
Ao longo dos anos, a pesquisa tem
demonstrado que a família é uma das áreas
agressiva para com o adicto.
4. Pensando que se está a ajudar o
apenas ouvir, sendo isso o que a família
precisa, para começar a sentir que a sua
por Bernardo
mais esquecidas, em termos de ajuda, no
tratamento das doenças adictivas.
adicto a lidar com as suas ansiedades,
medos e vontade se consumir, dá-se
história e experiência é igual ao que se
ouve. Depois, o necessário é o familiar
Ramos
Todos, sem excepção, são atingidos, dinheiro, compra-se drogas, consome-se falar de si mesmo, deixando de olhar para Gonçalves
quer física, quer emocionalmente por ou bebe-se com o adicto. Também se o adicto, de falar sobre ele, de o culpar,
todos os problemas do adicto. encobre os problemas resultantes dos etc.
Os membros da família deixam-se comportamentos dele, mentindo ou Torna-se, igualmente, importante pôr
envolver no problema da adicção, da assumindo as culpas. Há uma total a recuperação emocional em primeiro alucinacoesfraudulentas.blogspot.com/
mesma forma que uma família com outros mudança de personalidade. Tudo por lugar e começar a pensar de forma
tipos de problemas se envolve. Como é, promessas ou compromissos que não se positiva em cuidar de si própria. Não
por exemplo, para uma família cujo
membro sofra de um avc, doença mental,
cumprem, o que origina raiva, ressenti-
mento e sentimentos de culpa, mas que,
deixar de fazer coisas por causa do
adicto, arranjar tempo para si e não Felicidade Comunitária
problema cardíaco ou problemas físicos claramente, não representa uma melhor apenas para o adicto, olhar para os danos

N
que impeçam a pessoa de funcionar posição, pois apenas se facilita a pro- que fez a ele próprio ou a outros
uma noite de Lua Cheia, nas margens do
adequadamente? gressão da adicção activa do doente. familiares com os comportamentos que
Na doença da adicção, cada adicto tem 5. A família começa a evitar sair de casa teve.
oceano, navego eu e o meu espelho pelas
um forte impacto na vida de várias e de conviver com amigos ou outros Mudar de atitude porque as anteriores rochas desgastadas pelas almas, que o mar
pessoas, sendo que todas elas influenciam familiares para não enfrentarem o pro- não resultaram, é outro dos passos mais nunca chorou. Os charcos, que tomavam
o adicto, assim como todo o seu blema. (isolamento). Há um sentimento importantes a tomar: compreender a conta do nosso interesse, mudavam de vi-
processo. de que são as únicas que têm este diferença entre o curar e intervir sobre a da a cada cintilar oriundo de estrelas perdidas na
Na maior parte dos casos, quando a problema. O familiar vive em função do doença; parar de ajudar o adicto; praticar escuridão. A luz, que ironizava o nosso caminho, cometia
família pede ajuda para lidar com os dependente químico. Começa-se a centrar amor firme; intervenção jurídica; tomar pecados a cada passo em falso. A dor da queda
problemas da adicção, esta está já fora de toda a atenção no adicto, fazendo a iniciativa. dissimulava-se nos risos de corações felizes e de futuros
controlo. A família sente-se bloqueada, e tentativas de controlar e corrigir a vida Mais especificamente às crianças, e perfeitos. A realidade tornava-se suave ao toque da
incapaz de deter toda a desgovernabili- dele. quando estas são apanhadas pela doença maresia nos rostos ripostados pela fortuna dos tempos.
dade que é evidente, sentindo-se, também, 6. Devido à mudança do estilo de vida, da adicção, torna-se necessário:
O som das ondas inquietas com cargos inatos,
culpada e responsável pelo comporta- podem surgir problemas de saúde 1. Dizer a verdade – ser honesto com
mento do adicto. (ansiedade, estados depressivos), os filhos. É muito melhor para os
absolutamente congénitos, reagia com indiferença às
Uma das principais razões que permite problemas no trabalho, problemas familiares e para eles do que verem a emoções celestiais, que se apoderaram dos declives
a progressão das adicções é o facto de os relacionais. doença e o comportamento do adicto rochosos e escarpados. Ele lá sabia, no meio dos seus
familiares negarem o que é evidente. 7. Para evitar reconhecer todos os como tabus. Devido às mentiras, pensamentos, o porquê de tal displicência. Talvez, por
A negação é um de vários comporta- problemas e situações de desgovernabili- promessas não cumpridas, às desilusões, ali já não existisse esperança e amor à vida. Talvez, não
mentos da família durante o processo da dade e deterioração física e mental, a é importante que as crianças sintam que aceitasse um toque de outrora. No entanto, a dança
adicção. Estes comportamentos ou fases família pode fugir para realidades a culpa não é delas, mas sim porque o continuou nas areias drogadas pelo choro salgado dos
podem ser avaliados em termos indi- adversas como o trabalho compulsivo, pai ou mãe têm uma doença; pobres que do oceano fugiram. A areia fina, que fitava
viduais, mas por certo que existem muitas os negócios ou outros interesses, apesar 2. Aceitar os sentimentos delas constantemente os dedos dos meus pés indulgentes,
semelhanças no contexto mais geral: do medo e da desconfiança aumentarem relativamente à mãe ou pai; retribuíra-me pureza pelos passos suaves que pintei na
1. Negação/justificação – perante um à medida que se esgotam todas as 3. Encontrar ajuda para as
sua tela branca. Criei, num subconsciente profundo,
primeiro indício que se está perante uma desculpas para os consumos do adicto. crianças;
situação problemática, a família não acei- 8. Quando se esgotam todas as 4. Educá-las;
uma estória de germes nauseabundos poluidores de
ta o problema encontrando justificações tentativas de controlar e ajudar o adicto, 5. Impor limites; céus e infernos. Talvez, tivesse pena de quem precisasse
banais: “foi só para experimentar”, “va- quando se aceita o facto de que a vida 6. Atenção aos seus comporta- de um sorriso, um mero cobertor ou um mero “Olá”.
mos esquecer”, “não é nada de impor- está progressivamente a ser afectada, que mentos. Talvez, quisesse apenas partilhar um calor intenso com
tante, foi apenas uma vez”, “não é pos- as relações, o trabalho, a condição Infelizmente, a doença da adicção quem precisasse de um simples bafo. Era a bondade,
sível, pois ele nunca usou drogas”, “foi emocional e física estão destruídas, toma- como uma doença da família, também que a vida me espetou com franqueza, que me
festa de anos, passagem de ano”. se consciência do poder que a doença da influencia todo o processo terapêutico, murmurava ao ouvido, espicaçando-me a muralha das
2. Também perante situações evi- adicção tem sobre o adicto e sobre todos no momento do tratamento de um adicto. emoções. Não adiantava negar o meu fraccionamento
dentes, a família pode começar a culpar os familiares, admite-se o problema e Alguns exemplos: pelas povoações vizinhas. Faz parte da minha essência:
os outros pelos consumos e comporta- a necessidade de ajuda 1. Em programas familiares, grande “Nunca fazer da felicidade um bem individual.”
mentos do adicto, começando a protege- 9. Depois é o acreditar que é possível dificuldade em falarem de si, sempre
lo de forma obsessiva. Também se inicia encontrar ajuda, que sozinho não se é focadas no adicto, encontrando-se a
conflitos entre os familiares, já que se possível lidar com a doença da adicção e resistir ao processo de mudança
culpam uns aos outros: a mãe culpa o pai que se o adicto não quiser ajuda, a própria (continuar com atitudes antigas). Não
porque é demasiado severo com ele ou família não necessita de se afundar com são específicos, divagam, usam o
porque nunca está em casa; o pai culpa a ele e, deverá procurar ajuda para si. Deste silêncio, são falsas, quer a falar de
mãe porque lhe faz as vontades todas, modo, os grupos de ajuda mútua, ou seja, sentimentos, quer a falar de como sentem
dá-lhe dinheiro ou porque nunca lhe disse os Al-Anon (AA) e as Famílias Anónimas o familiar;
nada antes; também podem culpar os (NA), são um espaço seguro e 2. Há a quebra de regras, através dos
amigos ou os irmãos. confortável telefonemas, dos horários das visitas,
3. Quando o problema é mais que Neste campo, há algumas dificuldades do que trazem nas visitas;
evidente, sendo impossível esconder, e relutância por parte das famílias, como 3. Questionam as decisões da equipa,
negar ou culpar os outros, impera a regra é o caso das dificuldades em falar de podem culpar a equipa e compactuar
ou lei do silêncio. Evita-se falar sobre sentimentos frente a outras pessoas com os comportamentos dos pacientes
o assunto devido ao medo e às preocu-- (Culturalmente, mais nos Homens do que em tratamento (guardam informações
pações das consequências ou reacções do nas Mulheres). importantes ou segredos). São várias as
adicto que o possam levar a voltar a Por outro lado, quando os familiares vezes que querem tratamento especial;
consumir ou beber; não há diálogo, sendo vão às reuniões, acreditam que podem 4. Facilitam e fazem as vontades todas
mais confortável não se falar do que se aprender a curar o seu adicto, em vez de ao paciente, mesmo contra sugestões da
está a ver ou ouvir. Por outro lado, há aprender diferentes formas de lidar com Equipa Terapêutica.
grande tensão entre os familiares. De igual o comportamento do adicto (deixar de
modo, mudança de comportamento, ou facilitar a dependência do adicto). Jroldaosoares@gmail.com
seja, a família torna-se arrogante e Inicialmente, torna-se importante
18 2011.03.31 PUB
PUB.. OBRIGATÓRIA
OBRIGATÓRIA
CARTÓRIO NOTARIAL DA SERTA NOTARIADO PORTUGUÊS

JOSÉ MANUEL SILVA


DE TERESA VALENTINA SANTOS CARTÓRIO NOTARIAL DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS
JUSTIFICAÇÃO CERTIFICO, para fins de publicação, que no dia 07 de Março de 2011, no livro de notas
Certifico que por escritura de dez de Março de dois mil e onze, no Cartório Notarial da Sertã para escrituras diversas número quinze, deste Cartório, a folhas cento e cinco foi
de Teresa Valentina Cristóvão Santos, lavrada de folhas trinta e oito a folhas quarenta, lavrada uma escritura de justificação na qual, ALZIRA LOPES DAS NEVES, solteira,
do livro de notas para escrituras diversas número cento e vinte e cinco - F, compareceu: maior, natural da freguesia de Campelo, concelho de Figueiró dos Vinhos, onde reside

SOLICITADOR MARIA AUGUSTA, viúva, natural da freguesia e concelho de Pedrógão Grande, onde
reside habitualmente no lugar de Vale do Barco, E DECLAROU:
Que é dona e legítima possuidora, com exclusão de outrem, dos seguintes prédios:
no lugar de Vilas de Pedro, NIF 155.768.310, declarou ser, com exclusão de outrem,
dona e legítima possuidora do seguinte prédio situado na freguesia de Campelo, concelho
de Figueiró dos Vinhos:
UM - Rústico, sito em Vale da Égua, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, composto URBANO, sito em “Vilas de Pedro”, composto por casa de habitação, com a superfície
Rua Dr. José Martinho Simões, 40 - 1º Sala G de terra de cultura com laranjeira, oliveiras e fruteira, com a área de quatrocentos e coberta de sessenta e cinco vírgula sessenta e cinco metros quadrados e a superfície
noventa metros quadrados, a confrontar do norte com Jerónimo Maria, sul com Henrique descoberta de setenta e sete vírgula setenta e quatro metros quadrados,
FIGUEIRÓ DOS VINHOS Pereira, nascente com Aldim da Conceição Pereira e poente com a casa de Maria a confrontar do norte com Albano Henriques Pedro, do sul com herdeiros de Manuel
Augusta, inscrito na matriz sob o artigo 15788, omisso na Conservatória do Registo Rodrigues, do nascente com José Simões Ladeira e do poente com rua pública,
Contactos: 965 426 617 - 914 115 298 - 236 551 955 Predial de Pedrógão Grande.
DOIS - Dois quintos do prédio rústico, sito em Vale da Égua, freguesia e concelho de
inscrito na matriz em nome da justifícante sob o artigo 1.628, com o valor patrimonial
tributário de Euros 21.310,00, igual ao atribuído,
Email: 4479@solicitador.net Pedrógão Grande, composto de terra de cultura com oliveiras, videiras, mato e pinhal,
com a área de três mil novecentos e noventa e oito metros quadrados, a confrontar do
omisso na Conservatória do Registo Predial de Figueiró dos Vinhos.
Que o citado prédio veio à sua posse por partilha verbal, feita por volta do ano de mil
norte e nascente com Joaquim Maria e outro, sul com Augusto Maria Pereira e outros novecentos e setenta e cinco, por óbito de seus pais, Firmino das Neves e mulher, Olinda
e poente com a estrada, inscrito na matriz sob o artigo 15791, descrito na Conservatória Maria Lopes, residentes que foram no mencionado lugar de Vilas de Pedro, sem que,
do Registo Predial de Pedrógão Grande sob o número onze mil oitocentos e quarenta todavia, desse facto, tenha ficado a dispor de título válido para o seu registo, tendo
e dois, sem inscrição em vigor a favor da justificante. entrado de imediato na posse do mesmo.
Cartório Notarial Em relação ao prédio indicado em segundo lugar são comproprietários com António A verdade, porém, é que a partir daquela data possui assim, aquele prédio, em nome
Maria de Lurdes Semedo Pires Maria e mulher Zulmira Jesus Pereira, residentes habitualmente no lugar de Vale do próprio, há mais de vinte anos, passando a usufruí-lo sem a menor oposição de quem
CERTIFICO, Barco, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, titulares de dois quintos os quais já quer que seja desde o seu início, habitando-o, fazendo obras de conservação, retirando
PARA EFEITOS DE PUBLICAÇÃO se encontram registados na referida Conservatória do Registo Predial de Pedrógão dele todas as utilidades possíveis, pagando as respectivas contribuições e impostos -
Que neste Cartório de Oeiras, da Notária Maria de Lurdes Semedo Pires, sito na Rua Grande pela inscrição Ap. um de dois mil e sete barra zero dois barra vinte e dois e posse que sempre exerceu sem interrupção e ostensivamente, com o conhecimento
Avenida Infante D. Henrique, número 11-A, em Oeiras, por escritura de Justificação, Maria Ofélia Diniz Martins Silva casada com Joaquim Correia da Silva, residente da generalidade das pessoas da indicada freguesia, lugares e freguesias vizinhas –
outorgada aos onze de Fevereiro de dois mil e onze, lavrada de folhas setenta e oito a habitualmente no lugar de Cotovia, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, titular traduzida pois em actos materiais de fruição, sendo por isso uma posse pacífica, porque
folhas oitenta, do Livro de Notas para escrituras diversas número Trinta, foi justificado de um quinto o qual já se encontra registado na referida Conservatória do Registo adquirida sem violência, contínua, porque sem interrupção desde o seu início, pública,
por ILÍDIO GOMES RODRIGUES, casado com Luclnda Maria Marques Gonçalves Predial de Pedrógão Grande pela inscrição Ap. dois de dois mil e sete barra zero seis porque do conhecimento da generalidade das pessoas e de boa-fé, porque ignorando
Rodrigues sob o regime da comunhão de adquiridos, natural da freguesia de Campelo, barra vinte e sete e Averbamento Oficioso de dois mil e onze barra zero um barra vinte no momento do apossamento lesar direito de outrem - pelo que verificados os elementos
concelho de Figueiró dos Vinhos, residente na Rua Dr. Bernardino Machado, número e oito, tendo possuído essa fracção com ânimo de compropriedade, na proporção que integradores - o decurso do tempo e uma especial situação jurídica - posse - adquiriu
30, Vale de Milhaços, freguesia de Corroios, concelho do Seixal, contribuinte fiscal detêm, verificando-se a existência de uma situação de composse. o referido prédio por usucapião, não tendo, todavia, dado o modo de aquisição,
número 115.153.250. Que ela justificante possui em nome próprio os prédios referidos nas respectivas propor- documento que lhe permita fazer prova do seu direito de propriedade perfeita pelos
Que o referido ILÍDIO GOMES RODRIGUES, é dono e legítimo possuidor, da totalidade ções, desde mil novecentos e oitenta e três, por compra meramente verbal a Augusto meios extrajudiciais normais.
do imóvel urbano, composto por uma casa com a superfície coberta de cinquenta Maria Pereira, casado com Maria Helena da Conceição Costa Dias Pereira, residente Está conforme.
metros vírgula vinte centímetros quadrados e igual área total, destinada a habitação, na Rua Actriz Maria Matos, 9, terceiro direito em Lisboa, cujo título não dispõe. Cartório Notarial de Figueiró dos Vinhos, 07 de Março de 2011.
situado em Ribeira Velha, freguesia de Campelo, concelho de Figuelró dos Vinhos, que Que à data da aquisição já se encontrava no estado de viúva, conforme fotocópia não A Notária,
confronta de Norte com José da Conceição Carvallio, a Sul com Estrada, a Nascente certificada do assento de nascimento da justificante que arquivo, (Patrícia Isabel Marques Fernandes Figueiredo) Nº 369 de 2011.03.31
com José da Conceição Carvalho e a Poente com o justificante, omisso na Conservatória Está conforme.
do Registo Predial de Fígueíró dos Vinhos, e inscrito na matriz sob o artigo 456, da Cartório Notarial da Sertã, 10 de Março de 2011.
freguesia de Campelo, com o valor patrimonial de Euros 7.130 e com igual valor A COLABORADORA,
atribuído. (Isabel Maria da Conceição Fernandes, colaboradora n° 322/2 do Cartório Notarial da Sertã, CARTÓRIO NOTARIAL DA SERTÃ
Que o referido Imóvel foi comprado verbalrrente por seus pais Abílio de Matos Rodrigues no uso das competências conferidas pela Notaria Teresa Valentina Cristóvão Santos, através DE TERESA VALENTINA SANTOS
e Maria da Conceição Gomes, em data que não sabe precisar mas que remonta ao ano de autorização publicitada em 31/01/2011 no sítio da Ordem dos Notários.) JUSTIFICAÇÃO
de mil novecentos e quarenta e dois, a João Antunes, Manuel Pereira, João Rodrigues
Nº 369 de 2011.03.31 Certifico que por escritura de dezasseis de Março de dois mil e onze, no Cartório
e outro cujo nome, desconhece, respectivamente um quarto da propriedade a cada
Notarial da Sertã de Teresa Valentina Cristóvão Santos, lavrada de folhas oitenta e
um.
cinco a folhas oitenta e seis verso, do livro de notas para escrituras diversas número
Que por volta do ano mil novecentos e setenta e cinco em data que também não sabe
NOTARIADO PORTUGUÊS cento e vinte e cinco - F, compareceram:
precisar os seus referidos pais doaram-lhe por conta da quota disponível, o citado
CARTÓRIO NOTARIAL DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS BERNARDO MANUEL MARTINS DE CARVALHO e mulher OLGA MARIA SANTOS
imóvel.
FERREIRA DE CARVALHO, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais
Que, em trinta de Junho de dois mil e oito foi dissolvido o casal composto por Abílio de CERTIFICO, para fins de publicação, que no dia 15 de Março de 2011, no livro de notas
ele da freguesia e concelho de Vila Franca de Xira, ela da freguesia de Santa Maria
Matos Rodrigues e Maria da Conceição Gomes, que foram casados em primeiras para escrituras diversas número quinze, deste Cartório, a folhas cento e vinte foi lavrada
dos Olivais, concelho de Tomar, residentes habitualmente na Estrada Nacional, número
núpcias de ambos sob o regime da comunhão geral de bens, por óbito do cônjuge uma escritura de rectificação de justificação na qual, OLINDA DOS SANTOS SILVA
3, número 134 - A-Portela das Padeiras, freguesia de Santarém (São Salvador), concelho
marido, conforme habilitação de herdeiros ex bida. e marido, AUGUSTO DE JESUS MENDES, casados no regime da comunhão geral,
de Santarém, E DECLARARAM:
Que o justificante entrou na posse do identificado imóvel, em nome próprio, há mais naturais, ela da freguesia de Campelo, concelho de Figueiró dos Vinhos e ele da freguesia
Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos seguintes prédios:
de vinte anos e que, desde essa altura, procedeu ao seu uso e conservação, e concelho de Figueiró dos Vinhos, residentes em Palhavã de Cima, n° 46, freguesia
UM - Rústico, sito em Alqueve, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, composto
Que esta posse tem sido exercida sem interrupção, de forma pública e pacífica, de Santa Maria dos Olivais, concelho de Tomar, NIF 139.057.293 e 139.057.285,
de terreno com oliveiras, com a área de duzentos e noventa metros quadrados, a
ostensiva, com o conhecimento geral, sem violência ou oposição de quem quer que respectivamente; ILDA DOS SANTOS COELHO BRAZ e marido, CIPRIANO DA
confrontar do norte com a estrada, sul com António Martins, nascente com Manuel
seja, de forma correspondente ao exercício do direito de propriedade, mediante o SILVA BRAZ, casados no regime da comunhão geral, naturais da citada freguesia de
Abreu e poente com Alberto Nunes Pais, inscrito na matriz sob, o artigo 18527.
aproveitamento da globalidade das utilidades do Imóvel Campelo, residentes em Avessadas, n° 6, mencionada freguesia de Santa Maria dos
DOIS - Rústico, sito em Alqueve, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, composto
Que assim, a posse pública, pacífica, contnua e em nome próprio do citado prédio, Olivais, NIF 140.982.221 e 139.057.277, respectivamente; JOAQUIM DOS SANTOS
de cultura e oliveiras, com a área de mil quatrocentos e quarenta metros quadrados,
conduziu à aquisição do mesmo por usucapião, que invoca para justificar o seu direito COELHO e mulher, LAURENTINA CONCEIÇÃO COSTA DOS SANTOS, casados
a confrontar do norte com a estrada, sul com José Henriques, nascente com Francisco
de propriedade para fins de registo predial. no regime da comunhão geral, naturais, ele da referida freguesia de Campelo e ela da
Martins e outros e poente com Daniel Alves Nogueira, inscrito na matriz sob o artigo
Que esta posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública desde o ano de setenta freguesia de Alenquer (Triana), concelho de Alenquer, residentes na Rua de Tomar,
18526.
e cinco, data da doação, conduziu à aquisição do identificado imóvel por usucapião, que n° 52, Valdonas, mencionada freguesia de Santa Maria dos Olivais, NIF 124.477.151
Ambos os os prédios se encontram omissos na Conservatória do Registo Predial de
invoca, justificando o seu direito de propriedade para efeitos de registo, dado que a e 124.447.143, respectivamente, declararam que por escritura de Justificação outorgada
Pedrógão Grande.
aquisição não pode ser comprovada por qualquer outro título extra judicial. Está em neste Cartório em cinco de Maio do ano de dois mil e dez, exarada a folhas setenta e
Que eles justificantes possuem em nome próprio o prédio referido na verba número
conformidade com o original o que cert!fico. sete e seguintes do livro de notas para escrituras diversas número dez, justificaram, em
um, desde Fevereiro de mil novecentos e noventa e um, já no estado de casados, por
Oeiras, 11 de Fevereiro de 2011. comum e na proporção de um terço indiviso para cada um dos identificados casais, a
doação meramente verbal de Francisco Lameira Martins e mulher Maria Maximina
A Notária, posse sobre o seguinte prédio, sito na freguesia de Campelo, concelho de Figueiró dos
Nº 369 de 2011.03.31 da Câmara Martins, residentes no lugar de Troviscais Cimeiros, freguesia e concelho
Maria de Lurdes Semedo Pires Vinhos que nessa mesma escritura, foi justificado com a seguinte descrição matricial:
de Pedrógão Grande, cujo título não dispõem.
PRÉDIO URBANO, sito em “Fontão Cimeiro”, composto por uma casa, com a
Que eles justificantes possuem em nome próprio o prédio referido na verba número
superfície coberta de trinta metros quadrados,
dois, desde Fevereiro de mil novecentos e noventa e um, já no estado de casados, por
CARTÓRIO NOTARIAL A CARGO DO NOTÁRIO LIC. LUIS MANUEL a confrontar do norte com Manuel da Silva, do sul com logradouro, do nascente com
compra meramente verbal a Alberto Nunes Pais e mulher Laura da Conceição Pais,
CANHA José Simões Ribeiro e do poente com estrada,
residentes no lugar de Troviscais Cimeiros, freguesia e concelho de Pedrógão Grande,
JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL inscrito na matriz sob o artigo 509,
cujo título não dispõem.
à data omisso no Registo Predial e actualmente descrito na Conservatória do Registo
Certifico, para efeitos de publicação que no dia 11 de Março de 2011, de fls. 3 a fls. 95, Está conforme.
Predial de Figueiró dos Vinhos sob o número cinco mil seiscentos e trinta e ali registado
do livro de notas 193-A, do Cartório Notarial de Cantanhede, sito no Largo Cândido dos Cartório Notarial da Sertã, 16 de Março de 2011.
a favor dos então justificantes pela inscrição - apresentação dois mil cento e vinte e
Reis, 15, salas 4 e 5, na cidade de Cantanhede, a cargo do notário Lic. Luís Manuel A COLABORADORA,
quatro de trinta de Agosto de dois mil e dez.
Canha, foi lavrada uma escritura de justificação notarial pela qual António Alberto (Isabel Maria da Conceição Fernandes, colaboradora n.º 322/2 do Cartório Notarial da Sertã,
Que o prédio em causa foi mal identificado porque o prédio estava erradamente medido
Costa Jaria NIF 102.079.706 e mulher Madalena da Costa Vaz Jaria NIF 150.243.146, no uso das competências pela Notária Teresa Valentina Cristóvão Santos, através de
e dele sempre fez parte um logradouro.
casados sob o regime de comunhão de adquiridos, naturais, ele da freguesia de Ançã, autorização publicitada em 31/01/2011 no sitio da Ordem dos Notários)
Assim, rectificaram a escritura em questão no sentido de que o mencionado prédio
concelho de Cantanhede e ela da freguesia de Coimbra (Sé Nova) concelho de Coimbra urbano, tem a superfície coberta de setenta metros quadrados e a descoberta de oitenta
e residentes na vila e freguesia referida de Ançã declararam ser com exclusão de Nº 369 de 2011.03.31
metros quadrados,
outrem, donos e legítimos possuidores dos seguintes bens imóveis: e o qual confronta actualmente do norte com Manuel da Silva, do sul com o próprio,
UM: - Prédio rústico composto por terra de vinha com uma oliveira, oito tanchas, duas do nascente com José Simões Ribeiro e do poente com estrada,
fruteiras, pinhal e mato situado em Vale da Telha, freguesia de Ançã, concelho de inscrito na matriz sob o referido artigo 509. CARTÓRIO NOTARIAL DE TOMAR A CARGO DO NOTÁRIO
Cantanhede, com a área de dois mil e duzentos metros quadrados, a confrontar do norte Mais declararam os outorgantes que o prédio sempre teve a configuração da planta LICENCIADO JOSÉ ALBERTO SÁ MARQUES DE CARVALHO
com caminho, do sul com Adolfo de Jesus Soto, do nascente com José Maria Lourenço topográfica que se arquiva, não tendo havido anexação não titulada. EXTRACTO
e do poente com caminho, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Que assim deram por rectificada a referida escritura, mantendo tudo o mais nela mencionado. CARLOS ALBERTO SIMÕES DE CARVALHO RODRIGUES,
Cantanhede e inscrito na matriz predial respectiva em nome de José Simões Jaria sob Está conforme. Colaborador do Notário do referido Cartório, por competência delegada CERTIFICO,
o artigo 803, com o valor patrimonial de 10,76 e para efeitos de IMT e igual ao declarado Cartório Notarial de Figueiró dos Vinhos, 15 de Março de 2011. que, para efeitos de publicação, por escritura de hoje lavrada a folhas 47 e seguintes,
de trezentos e dezassete euros e quarenta e três cêntimos; A Notária, Nº 369 de 2011.03.31 do livro de notas número 252- L deste, Cartório:
DOIS: - Uma quarta parte do prédio rústico composto por terra de semeadura e vinha Patrícia Isabel Marques Fernandes Figueiredo MARIA JOÃO NUNES PAZEIRO, casada, natural da freguesia da Sé, concelho de
com quatro oliveiras, duas tanchas, uma figueira e uma macieira situado em Vale Évora, residente na Rua principal, n° 15-B, Caniçal, Madalena, Tomar, que outorga na
Panela, freguesia de Ançã, concelho de Cantanhede, com a área de mil novecentos e qualidade de procuradora de CONSTANTINO RODRIGUES ANTUNES e mulher
noventa e três metros quadrados, a confrontar do norte com João Sousa, do sul com CARTÓRIO NOTARIAL DA SERTÃ
OLÍVIA RODRIGUES ALVES ANTUNES, naturais da freguesia de Arega, concelho
Evaristo Augusto Carolino, do nascente com Joaquim Alves Sá e do poente com estrada DE TERESA VALENTINA SANTOS
de Figueiró dos Vinhos, onde residem no lugar de Jarda, casados sob o regime da
municipal, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Cantanhede e inscrito JUSTIFICAÇÃO
comunhão geral, contribuintes fiscais n°s 193 433 087 e 257 849 130, DECLAROU
na matriz predial respectiva em nome de José Simões Jaria sob o artigo 243, com o Certifico que por escritura de dezoito de Março de dois mil e onze, no Cartório Notarial Que, com exclusão de outrem, os seus representados são donos e legítimos possuidores
valor patrimonial correspondente à fracção de Euros 9,34 e para efeitos de IMT também da Sertã de Teresa Valentina Cristóvão Santos, lavrada de folhas cento e dezasseis a do seguinte:
correspondente à fracção e igual ao declarado de duzentos e setenta e seis euros e folhas cento dezoito, do livro de notas para escrituras diversas número cento e vinte e PRÉDIO URBANO, composto de casa de habitação, composta por dois pisos, com três
setenta e cinco cêntimos; cinco – F, compareceram: assoalhadas, com a área coberta de cinquenta, vírgula, trinta metros quadrados, sito em
Somam os valores declarados dos identificados bens o montante total de quinhentos e ÁLVARO MARIA COELHO ROSA e mulher ROSETE MARIA NUNES SIMÕES, JARDA, freguesia de AREGA, concelho de FIGUEIRÓ DOS VINHOS, inscrito na
noventa e quatro euros e dezoito cêntimos; casados sob o regime da comunhão geral de bens, naturais da freguesia de Vila Facaia, matriz sob o artigo 25, pendente de alteração matricial, com o valor patrimonial e
Que os identificados imóveis pertencem aos justificantes por lhes terem sido verbalmente concelho de Pedrógão Grande, onde residem habitualmente na Rua da Pontinha, E atribuído de 190,86 Euros, a confrontar do norte com estrada, do sul, nascente e do
doados cerca do ano de mil novecentos e setenta e seis por José Simões Jaria e mulher DECLARARAM: poente com o Constantino Rodrigues Antunes.
Maria de Sousa Costa, pais do justificante, residentes que foram na dita vila de Ançã, Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem dos seguintes prédios: Que o referido prédio, não se acha descrito na Conservatória do Registo Predial de Fi-
sem que, todavia, tenha sido lavrada a competente escritura, tendo os justificantes UM - Rústico, sito em Cabanão, freguesia de Graça, concelho de Pedrógão Grande, gueiró do Vinhos e encontra-se na matriz em nome do justifícante e veio à sua posse por
desde então até hoje desfrutado os ditos imóveis como coisas próprias, autónomas e composto de pinhal, com a área de mil trezentos e setenta metros quadrados, a confrontar doação verbal, feita em mil novecentos e oitenta, por Manuel Antunes da Conceição e
exclusivas, deles retirando as vantagens de que são susceptíveis, neles efectuando as do norte com Isaura da Conceição, sul com Maria Rosa Fernandes, nascente com mulher Adelaide da Conceição Rodrigues, residente que foram no dito lugar de Jarda, sem
tradicionais culturas da região, colhendo a apropriando-se dos respectivos frutos, Vitorino Ventura da Conceição e poente com o caminho, inscrito na matriz sob o artigo que dela ficassem a dispor de título suficiente e formal que lhes permita o respectivo registo.
pagando os respectivos impostos e neles praticando os actos materiais correspondentes 7429, omisso na Conservatória do Registo Predial de Pedrógão Grande. Que os seus representados possuem o dito prédio há mais de vinte anos, em nome
ao direito de propriedade plena na convicção de não lesarem o direito de outrem, pelo DOIS — Rústico, sito em Porto, freguesia de Vila Facaia, concelho de Pedrógão Grande, próprio, sem a menor oposição de quem quer que seja, desde o seu início, posse que
que os possuem em nome próprio há mais de vinte anos, sem a menor oposição de composto de terra de cultura com oliveiras, fruteira e pastagem, com a área de duzentos sempre exerceu, sem interrupção e ostensivamente, com o conhecimento de toda a
quem quer que seja, desde o seu início, posse que sempre exerceram sem interrupção e setenta metros quadrados, a confrontar do norte com Joaquim Henriques e outro, sul gente, da freguesia de AREGA, lugares e freguesias vizinhas, traduzido em actos
e ostensivamente, com o conhecimento e acatamento de toda a gente, sendo, por isso, com Manuel Antunes Morgado, nascente com Arnaldo Barras Simões e poente com materiais de fruição, conservação e defesa, nomeadamente, usufruindo dos seus
uma posse pública, pacífica e contínua, pelo que os adquiriram por usucapião, não José Florêncio, inscrito na matriz sob o artigo 8398, omisso na Conservatória do Registo rendimentos, suportando os encargos e obras da sua conservação, pagando os respectivos
havendo, todavia, dado o modo de aquisição, documento que lhes permita fazer a prova Predial de Pedrógão Grande. impostos e contribuições, agindo sempre pela forma correspondente ao exercício do
do seu direito de propriedade perfeita, sendo donos das restantes três quartas partes do Que eles justificantes possuem em nome próprio os referidos prédios desde mil direito de propriedade, sendo por isso, uma posse pública, contínua, pacífica e de boa
prédio número dois José Carlos Costa Jaria e mulher Madalena Jaria, Davida Sousa novecentos e oitenta e cinco, por doação meramente verbal dos pais do justificante fé, pelo que adquiriram o dito prédio por USUCAPIÃO.
Jaria e mulher Aldina Jaria e Gracinda Augusta Costa Jaria e marido Manuel Pires marido José Coelho Rosa e mulher Clotilde Maria, residente no lugar de Casal da Está conforme ao original
Chapado residentes na referida vila de Ançã. Ribeira, freguesia de Vila Facaia, concelho de Pedrógão Grande, cujo título não dispõem, Tomar, 18/02/2011
Está conforme ao original; Está conforme. Autorizo à prática deste acto por delegação do respectivo Notário, conforme
Cantanhede, 10 de Março de 2011. Cartório Notarial da Sertã, 18 de Março de 2011. autorização n.º 175/1, registada em 01/02/2011 no site da Ordem dos Notários.
O Notário, A NOTÁRIA, O COLABORADOR DO NOTÁRIO
Lic Luís Manuel Canha Nº 369 de 2011.03.31 Nº 369 de 2011.03.31 Nº 369 de 2011.03.31
Teresa Valentina Cristóvão Santos Assinatura ilegível
OPINIÃO - COLABORAÇÃO 2011.03.31
19

DELMAR
O MEIO AMBIENTE
DE
CARVALHO Parte II, III e IV

Parte II os, aumentarão em todos


os aspectos até à prolifera-
em sábio planeamento de
acordo com as Leis da Na-
portes.
Contudo, urge melhorar
hábitos alimentares, isso já
está sendo uma realidade
suficiente, se isso é feito só
por fins egoístas.
Na atualidade, produzi- ção de epidemias. tureza, respeitando todos todo o meio ambiente, de em Portugal, em Lisboa, É já algo positivo, mas se
mos mais de sete mil mi- Por exemplo, porque não os ecossistemas e não co- modo a que as condições aumentam os Restaurantes a mente como o coração
lhões de toneladas de gás usarmos apenas relógios mo está fazendo a China e atmosféricas ajudem na Vegetarianos, em que as continuar pelo caminho do
carbónico! Teremos de que não necessitem de pil- não só. preservação dos fogos. mulheres estão em maior orgulho, do materialismo,
reduzi-lo para metade! É has elétricas? Pela nossa Tudo está interligado; Com temperaturas cada número, mas urge avançar do egoísmo, os problemas
urgente todo o mundo se parte nunca os usámos. como temos defendido a vez mais altas, os vegetais em todas as outras loca- não se resolvem.
entender senão... São opções. vida manifesta-se panzoisti- secam, aumenta a deserti- lidades para bem de todos. Contudo, ninguém avan-
Embora exista uma longa É tempo de vistas largas camente. ficação, aumentam as con- Na IV PARTE, desenvol- çará espiritualmente se
lista de acordos e con- e vencermos a cegueira do Dos objectos inutiliza- dições para este nefasto veremos este tema. mantém os hábitos alimen-
venções mundiais sobre o lucro pelo lucro, dos pode- dos, façamos reciclagem e flagelo, contribuindo para Ao mesmo tempo, mu- tares, algo grosseiros.
meio ambiente (o que é po- res efémeros terrenos. usemos a nossa imagina- as perigosas e catastróficas demos de hábitos, andando No mesmo modo, a gosto
sitivo) desde a de 15 de Aos senhores dos pode- ção criadora. alterações climatéricas. mais a pé e nos transportes e a prática das touradas é
Fevereiro de 1972, em Oslo, res efémeros dos grandes Na Expo de Hannover - Os incendiários cometem públicos; contribuamos outra área que urge tomar
sobre a prevenção da po- grupos económicos cuida- Alemanha em Dezembro de crimes muito graves, pelo para a diminuição sonora. medidas no sentido de
luição marinha por des- do que “Cá se fazem, cá se 2002, Sinhote Có, repre- que devia haver além de No fundo, como em tudo, conscientizar os seres hu-
carga de aviões e barcos até pagam” e que “Quem se- sentou o seu país, a Guiné, mais prevenção, aumento necessitamos de mais manos para a gravidade
à de Quioto, em 1997, sobre meia ventos colhe tempes- do “lixo”ele faz brinque- das penas, em cadeias onde obras e menos palavras e destes atos mais ou menos
alterações climatéricas e à tades”, acredite-se ou não. dos, dá-lhes vida, movi- seja possível a sua recupe- não deixar para amanhã o bárbaros para com os ani-
de Joanesburgo, 2002, É urgente que os pode- mento. ração. que podemos fazer hoje. mais.
cimeira da Terra, e tantas res políticos especialmente Como se vê muito se po- Urge criar Organismos E como “com perseve- Como se sabe, há países
outras, em numerosas cida- dos E. U. A. Da China e de de fazer por toda a parte. supranacionais com pode- rança tudo se alcança”, em que as touradas estão
des desde Viena a Lisboa, outros países mais polui- Cada qual deve contri- res e meios para melhorar a ESPEREMOS grandes mu- sendo proibidas, há movi-
de Genebra a Helsínquia; de dores se unam rapidamente buir para manter o meio prevenção e o combate aos tações, nesta área, para bem mentos apoiando o seu fim,
Washington a Londres; de na defesa do meio ambi- ambiente limpo, sem lixo, fogos. de toda a Humanidade e etc.
Bona a Bucareste; de Nai- ente, a fim de evitarmos os pode melhorar o local onde No caso da UE não devia das restantes ondas de Sabemos que não pode-
robi a Haia; de Montreal a efeitos muito mais graves vive. haver um Organismo com vida. mos esperar que de um mo-
Nova Iorque; de Cartagena que pairam como nuvens Vamos ao trabalho e já. esses meios e poderes para mento para o outro, existam
a Basileia; de Paris a Lima e negras, buracos no ozono, ajudar todos os seus Esta- alterações nas mentalida-
afinal..., como estamos? etc. dos membros e não só?
Parte IV des, nas tradições milená-
Ou os responsáveis pe-
los governos de cada país,
Todos os países têm a
sua responsabilidade; é Parte III Voltando à preservação.
Pouco se tem falado so- Um dos meios mais pode-
rias, no comércio e indústria
ligadas a esta área, pelo
a O.N. U. e determinados evidente que os povos em Na luta contra os fogos é bre os graves inconvenien- rosos para o equilíbrio da que se deve evitar extre-
grupos de pressão econó- vias de desenvolvimento de louvar todas as ações tes do gás metano, proveni- Natureza, como para a pre- mismos de parte a parte.
mica e todos nós nos cons- têm o direito de construí- humanitárias desde as dos ente das pecuárias e não só. venção de catástrofes na- Tudo tem o seu tempo, e
cientizemos da gravidade e rem mais meios para au- bombeiros até às das pes- Este gás é muito mais turais e da saúde dos seres tempos virão em que os
tomamos as medidas ade- mentar o nível de vida, mas soas que colaboram no prejudicial que o CO2. humanos como de todos os ideais de Leonardo da Vinci
quadas ou os efeitos, des- esses meios têm de assen- apoio logístico, comida e Neste campo, será posi- reinos está no Vegetaria- e de tantos outros serão
tes já graves desequilíbri- tar em energias renováveis; bebida, como nos trans- tivo alterarmos os nossos nismo. concretizados, em que exi-
Quanto maior for o núme- stirão penas elevadas para
ro de vegetarianos, menor quem maltratar os animais
AGRADECIMENTO AGRADECIMENTO será a poluição, nos solos, e pior ainda para quem os
na água, no ar, maiores matar.
serão as possibilidades de Embora seja verdade que
MANUEL FERREIRA SANTOS ISIDRO MARIA DA CONCEIÇÃO se vencer o flagelo da fome estamos numa fase de
e de criarmos uma civiliza- grandes mutações, também
Nasceu: 21.07.1931 * Faleceu: 16.02.2011 (França) Nasceu: 25.10.1938 * Faleceu: 03.03.2011 é uma realidade, que tudo
ção de Paz e de Amor.
Embora saibamos que a tem o seu tempo.
Sua ESPOSA, FILHOS,
renovação plena do ser hu- O final das touradas,
NORAS, NETO, IRMÃ,
SOBRINHOS, mano começa pela trans- como da matança dos ani-
CUNHADOS e formação alquímica da sua mais está chegando; fez
RESTANTE FAMÍLIA, mente subconsciente, con- parte da nossa evolução,
na impossibilidade de o tudo, a vivência de um re- agora começa a ser uma das
poderem fazer pes- gímen vegetariano, como causas da cristalização.
soalmente a todos os que, É que ou avançamos ou
filosofia de vida, é um fator
ao longo da sua doença se
muito positivo, na medida retrogradamos.
manifestaram de alguma
forma, bem como nos em que a mudança de há- Em breve cultivar ainda
acompanharam na nossa bitos alimentares contribui o culto ao boi Ápis será
dor, vêm por este meio, para aumentar o amor aos considerado com algo
Ervideira - Fig. dos Vinhos expressar a sua gratidão, outros seres humanos, aos muito atrasado.
Sua ESPOSA, FILHOS, NORAS e NETOS, agradecem profundamente animais, como para res- Que o Amor encha os
reconhecidamente a todas as pessoas que acompanharam o seu sensibilizados pelas provas nossos corações de modo
peitar a Vida.
ente querido à sua última morada, bem como todos aqueles que, por de carinho, amizade e
Como é evidente, só o a que ele una as pessoas
outro meio, lhes manifestaram o seu pesar. pesar recebidas pela
ocasião do falecimento do facto de não comer produ- em nobres ideais.
Um agradecimento muito especial aos familiares, amigos e
seu ente querido. Figueiró dos Vinhos tos resultantes do sofri- Nada deve ser imposto…
conhecidos que o acompanharam na sua doença até à última morada
em Portugal e França. BEM HAJAM mento dos animais, não é o apenas quando tudo esteja
BEM HAJAM
CL
20 2011.03.31
PUBLICID ADE
PUBLICIDADE

SSIFICADOS
anuncie já! através do tel.: 236553669, fax 236 553 692 , mail’s: acomarca@mail.telepac.pt ou acomarca.jornal@gmail.com

Sr. viúvo, do concelho de VENDE-SE VIVENDA


Pedrógão Grande deseja
c/ 3 quartos, sala e salão, 2 wc, despensa,
encontrar uma Senhora livre,
cor branca ou escura, terreno em volta da casa, c/garagem
para sua esposa. Localizada no centro de Aldeia Ana Aviz
Tenho casa própria e carro - Fig. dos Vinhos -
Resposta ao número: 912 637 397 CONTACTO: 965 517 195

ALUGA-SE LOJA
(em Pedrógão Grande
ao lado da Farmácia)
CONTACTO: 965 064 964 e/ou
963 465 526

COMPRA-SE
VENDE-SE MORADIA
para construção (Pedra á vista) em arredores de
TRESPASSA-SE
ANTIGUIDADES,
Ansião, com logradouro à volta (Quintal 400m2)
Preço: 36.000,00 Euros
Negócio no centro
VELHARIAS, OURO, PRATA, VENDE-SE TERRENO PLANO de Figueiró dos Vinhos
RELÓGIOS E POTES
nos arredores de Alvaiázere com 1300 m2, para
construção de casa de madeira, com estrada bom preço
alcatroada, água e luz.
CONTACTO: 96 410 74 17 Preço 4.500,00 Euros | Contacto: 964104318 CONTACTO: 96 649 52 21

ALUGA-SE APARTAMENTO FÉRIAS EM PORTIMÃO CONTACTO:


(Maio, Junho, 1ª quinzena Julho e 2ª quinzena Setembro) 969527111
DESPOR
DESPORTTO 2011.03.31
21
PEDRÓGÃO GRANDE FUTEBOL 11 / HONRA
TRIAL - ZONA CENTRO
CLASSIFICAÇÃO RESULTADOS
18ªJornada
Grap/Pousos 2(Miguel e Eurico) - Biblioteca 1(Tropa)

FOI UM SUCESSO
Alqueidão da Serra 0 - Marrazes 1(Mário Wilson)
SL Marinha 1 (Ely) - Guiense 1 (Joelito)
Figueiró Vinhos 0 - Beneditense 1(Pimenta)
Pedroguense 5 (Jocy 3, Faca e Flávio Salgado) - Ansião 0
Alvaiázere 2 (Nuno Lopes 2) - Portomosense 2(Gigas e Chanoca)
Gaeirense 1(Fábio Moldes g.p) - Pataiense 1(Rui Macedo)
“Os Nazarenos” 1 (Mesquita) - Alcobaça 1(Fábio Rosado)

19ªJornada
Alcobaça 4(Rúben Silva 4) - Grap/Pousos 0
Biblioteca 1(Joel) - Alqueidão da Serra 0
Marrazes 1 (Nunito) - SL Marinha 1(Ely)
Guiense 5(Joel 3 e Canas 2) - Fig. Vinhos 3(Futre 2 e Ferraz)
Beneditense 2 (Pedro Pimenta e Hugo Pereira) - Pedroguense 2(Faca 2)
Ansião 4(a.g, Pernadas, Pedro Neves e Xavier) - Alvaiázere 1(Mobarq g.p)
Portomosense 7(Pedro Vindima 4, Andre Sousa, Pedro Órfão e Cedric) - Gaeirense 1(C. Alves)
Pataiense 1 (Jordan) - “Os Nazarenos” 1 (Álvaro)

20ªJornada
Alqueidão da Serra 0 - Grap/Pousos 0
SL Marinha 1 (JJ) - Biblioteca 2(Zézinho e Tropa)
Figueiró Vinhos 1(Panzer) - Marrazes 0
Pedroguense 2(Faca e Luis Pedro) - Guiense 2(Canas e Fábio Gomes)
Alvaiázere 0 - Beneditense 1 (Hugo Pereira)
O Município de Pedrógão Grande e a SicóEco associaram-se Gaeirense 0 - Ansião 3(João Pedro, Bispo e Pedro Neves)
para realizar pelo terceiro ano consecutivo, o Troféu Nacional “Os Nazarenos” 0 - Portomosense 0
de Trial – Zona Centro que decorreu no fim de semana de 19 e Pataiense 0 - Alcobaça 4(Nuno Coelho 2, Fabinho e Nuno Sousa)
20 de Março em Pedrógão Grande. Esta prova contou para o
Troféu Nacional de Trial Regional Centro, tendo juntado as
melhores nove equipas.
PRÓXIMAS JORNADAS 21ªJornada
Alcobaça 3 (Rúben Silva, Luis Silva e Bruno Novo) - Alq. da Serra 0
Grap/Pousos 2(Eurico e Capão) - SL Marinha 1(Ely)
Carlos Miguel da organização mostrou especial agrado pela 24ª Jornada_3 Abril
super especial nocturna de sábado, muito porque o público Biblioteca 3(Nuno, Joel e Tropa) - Fig. Vinhos 3(Futre 2 e a.g)
R. PEDROGUENSE X ALQ. SERRA
aderiu em massa. “A noite é fascinante e faz com que as pessoas FIGUEIRÓ VINHOS X MARINHA
Marrazes 2 (Pina e Zé Miguel) - Pedroguense 2(Jocy e Flávio)
adiram mais a este espectáculo”, daí o esforço e aposta nesta ALVAIÁZERE X GRAP/POUSOS Guiense 1 (Joelito) - Alvaiázere 1(Luís Simões)
vertente ser cada vez maior, reforçou.A prova decorreu junto BIBLIOTECA VS GAEIRENSE Beneditense 3 (Nélson 2 e Samuel Franco) - SCR Gaeirense 0
ao Centro de Interpretação Turística (CIT), nas proximidades NAZARENOS X MARRAZES Ansião 2(Normando e Bispo) - Os Nazarenos 2(Tiago Domingos e J.Silva)
do Pavilhão Municipal e das escolas.
PATAIENSE X GUIENSE Portomosense 1(Afonso) - Pataiense 2(Pedro Morais e Bertolino)
PORTOMOSENSE X BENEDITENSE
João Marques presidente da autarquia pedroguense concorda ANSIÃO X ALCOBAÇA 22ªJornada
com a aposta nos desportos motorizados pois “têm muitos
SL Marinha 0 - Alqueidão da Serra 0
adeptos”. 25ª Jornada_10 de Abril Figueiró dos Vinhos 1(Carô) - Grap/Pousos 1(Eurico)
“É para continuar” - afirma João Marques satisfeito com o ALCOBAÇA X FIGUEIRÓ VINHOS Pedroguense 3(Jocy, Faca e Luis Pedro) - Biblioteca 0
retorno. MARINHA X R. PEDROGUENSE Alvaiázere 1(Carlos Lima) - Marrazes 0
O sinal de continuidade é uma prova de Quads numa pista ALQ. SERRA X ALVAIÁZERE
SGaeirense 0 - Guiense 7 (Joel 4, Canas, Félix e Leal)
nova que irá ter lugar já no próximo dia 25 de Abril. Pista esta GRAP/POUSOS X GAEIRENSE
BIBLIOTECA X NAZARENOS
“Os Nazarenos” 2 - Beneditense 1 (Rodrigo)
situada junro ao Nó do IC8 com a Variante de acesso à EN2, que Pataiense 2(Jordan e França) - Ansião 1(Diogo Bispo)
MARRAZES X PATAIENSE
também permitirá provas com carros. GUIENSE X PORTOMOSENSE Portomosense 0 - Alcobaça 3(Rúben Silva, Fabinho e Nuno Sousa)
João Marques alterou assim a sua visão de promover o BENEDITENSE X ANSIÃO
concelho e acredita que dentro de pouco tempo poderá ter 23ªJornada
resultados positivos “Não aceito que o turismo só se pode 26ª Jornada_17 de Abril Alcobaça 6 (Rúben 3, Nuno Coelho, D. Caracol e Ruben Santos) - Marinha 0
desenvolver apenas quando as câmaras investem. Só vale quando R. PEDROGUENSE X FIG. VINHOS Alqueidão da Serra 4(H.Carvalho 2, Jackson e Nicolas) - Fig. Vinhos 0
as pessoas cá vêm e deixam dinheiro”, afirmou. “À câmara cabe ALVAIÁZERE X MARINHA Grap/Pousos 2 (Batista e Eurico) - Pedroguense 1 (Jocy)
saber receber e suportar apenas algumas despesas GAEIRENSE X ALQ. SERRA Biblioteca 1(Tropa) - Alvaiázere 2(Luís Simões e Tiago Sobreiro)
organizacionais”, disse ainda. NAZARENOS X GRAP/POUSOS Marrazes 1(a.g) - Gaeirense 0
O número de equipas presentes aumentou este ano e Carlos PATAIENSE X BIBLIOTECA Guiense 2(Joel e João do Toco) - “Os Nazarenos” 1(H.Piló)
PORTOMOSENSE X MARRAZES
Miguel espera que num próximo evento estejam presentes ainda Beneditense 2 (Gonçalo Melo e Ag) - Pataiense 1 (Rui Macedo)
ANSIÃO X GUIENSE
mais equipas. BENEDITENSE X ALCOBAÇA
Ansião 0 - Portomosense 2 (Afonso e Cedric g.p)

RETIRO "O FIGUEIRAS"


Esplanada e
Parque de
Estacionamento
Mariscos e Petiscos

- Tel. 236 553 258 -


3260 FIGUEIRÓ DOS VINHOS
22 2011.03.31 SOCIED ADE
SOCIEDADE

PAPELARIA FANECA EM PEDRÓGÃO GRANDE COMPOSIÇÕES


E ABSTRACÇÕES
DEVESA RECUPERA TRADIÇÃO
Papelaria Faneca Lda. -
papelaria e livraria abriu as
suas portas ao público no
pretérito dia 6 Março num
“DELETE & RESETE”
dos mais carismáticos A Palavra de ordem, talvez tenha sido: “Basta”. Contudo, já se percebeu
locais de Pedrógão Grande que não basta dizer, basta!
- a Devesa. O aviso que ontem foi feito à navegação e às tropas, como costumamos
A Papelaria Faneca surge dizer, foi ordeiro, pacifico e paciente. Apesar daquele mar de gente, cheios
pelas mãos de dois jovens de razão de queixa da classe política, a mensagem acho que ficou bem clara
dinâmicos, a Carmo Sofia e ficou bem vincada: daqui por diante, muito coisa vai ter que mudar
mesmo, senão quem tem que mudar têm que ser mesmo V.as Ex.as.
Henriques e o seu marido,
Portanto, comportem-se ao nível que os cargos lhe atribuem e as exigências
o Mário Silva. Embora am-
o solicitam.
bos tenham a sua activi- Daqui para a frente, quando estiverem para “demagogiar”, lembrem-se
dade profissional, estes que já não aceitamos mais demagogias.
dois jovens não se aco- Daqui para a frente, quando estiverem só a intervir com calculismo,
modaram e resolveram fazendo todos os cálculos e mais algum para que continuem a ganhar, para
investir num negócio que é que continuem a beneficiar, para que continuem a aldrabar, recordem este
também uma homenagem à aviso sério e sejam mais competentes, mais profissionais, mais solidários.
avó da Carmo Sofia que há O jovem casal de empresários junto da D. Lucilia, a funcionártia (na ponta) Aliás, sejam políticos na assumpção plena de função tão nobre.
décadas ali - naquele Daqui para a frente, não nos venham mais “enfiar Lisboa pelos olhos
mesmo local, junto à actual actividade já que para o curto prazo um refrigerante ou outra bebida mais dentro” nem “tapem mais o sol com uma peneira”, que já chega de
Clínica do Dr. Carlos - pos- estão “prometidas” novidades. a seu gosto. imbróglios, de disparates e de brincadeiras.
suiu um estabelecimento Entretanto, naquele espaço Modernidade e tradição, funciona- Daqui para a frente, não ponham mais os vossos interesses mesquinhos
e dos vossos amiguinhos à frente dos interesses do país. Existem
comercial, a Casa Faneca acolhedor e de decoração muito feliz lismo e distinção pela qualidade dos seus
demasiados casos na Praça, que davam para prender muita gente graúda,
O comércio de jornais, e atractiva, num espaço que alia a serviços e pela relação de grande pro-
mas como todos sabemos como é que a justiça funciona por cá para os
revistas, livros, papéis e modernidade ao funcionalismo, os ximidade que pretendem cultivar ricos e poderosos, ficamos por aqui.
materiais de escritório se- clientes poderão também tomar o junto dos seus clientes são o objec- Mas vejamos… o que se vê, se sabe e se percebe, é que o regabofe tem
rão, para já, a sua principal seu cafezinho ou refrescar-se com tivo destes jovens empreendedores. que acabar e a gestão racional dos recursos, com a promoção de estratégias
e de políticas para a sua promoção terão que ser realmente efectivas. O
povo ontem – com os jovens à cabeça - deu um claríssimo sinal, de como

JOSÉ MALHOA -COM ARTE NA ALMA é que as coisas têm que ser tratadas daqui para a frente.
Toda esta gente que esteve na rua, é uma amostra suficientemente

EXPOSIÇÃO CHEGA A MIRANDA DO CORVO


grande para que percebam o que todo o povo já percebeu e está a sentir…
bem fundo, na pele.
Todos nós, bem sabemos de como se escreve “dificuldades” e também
já percebemos que temos que pagar, que temos que mudar, que temos que
poupar, que temos que gerir bem melhor o pouco que nos sobra do que já
- Um novo olhar sobre Malhoa. À luz de uma exposição em viagem não temos, que temos que ser criativos e empreendedores, que temos que
sofrer mais e bastante, que temos que ser pacientes, que temos, que
temos… só que daqui para a frente, percebam V.as Ex.as também o que
José Malhoa – Com a Arte na Alma é uma exposição pal da Sertã, nos meses de Fevereiro e Março; no Centro
nós já percebemos e já estamos há muito a passá-las!
de Miguel Portela e Margarida Herdade Lucas, que traça de Interpretação Turística, do Município de Pedrógão
Afinal, V.as Ex.as são os nossos eleitos e mais dignos representantes…
um roteiro sobre a vida e a obra deste pintor, à luz de Grande, nos meses de Março e Abril; no Museu Munici-
puxa! Não acham que já chega? É que não basta dizer, é preciso mudar e
uma nova perspectiva. pal da Pampilhosa da Serra, em Abril e Maio e deixar de inventar, fazendo o que tem que ser feito! Se for bem feito, nós
75 anos após a sua morte, José Malhoa continua a ser posteriormente, na Biblioteca Municipal de Proença-a- aceitamos. Se for para garantir o futuro do país e de todos nós, nós
um nome incontornável para os marchants de arte em Nova até Junho. Em Julho esteve patente na Biblioteca acatamos.
todo o mundo. Mas se o seu valor no mercado da arte é Municipal de Penela e em Outubro, na Casa do Tempo A partir do que ontem ficou bem patente nas ruas – e vai continuar –
incontornável, o seu percurso de vida deverá ser analisado da Castanheira de Pêra. está dado o sinal para que façam um “delete” sobre os delitos que têm
e divulgado, para que se compreenda a sua personalidade Em 2009, concluiu o seu primeiro ano de digressão, na cometido (ficam perdoados), desde que saibam recomeçar a partir do
artística e se conheça o seu espírito arrojado. Tendo cidade de Ourém, onde esteve exposta no mês de De- “reset” que têm que ser capazes de empreender.
decidido, muito cedo, que seguiria um estilo próprio, zembro, a qual encerrou com um colóquio interactivo. E atenção, o manifesto não foi só contra o actual governo. Ficou
dele nunca se desviou, contra ventos e marés. Em 2010, continuou esta exposição a divulgar o pintor demonstrado que foi contra o actual estado de coisas e contra o modo de
Pelas suas características de itinerância, esta exposição que provocou um novo olhar sobre a arte do seu tempo, ao fazer e estar na política pela nossa classe política!
esteve no Posto de Turismo do Município de Oleiros, conquistar os salões de pintura de Paris, com os rostos e O povo está farto e não se vai ficar por aqui!
nos meses de Janeiro e Fevereiro; na Biblioteca Munici- a luz do seu “Figueiró das cores”, como ele próprio dizia. Entretanto, o povo sofre e continua sereno.
Contudo, o povo aguenta e continua a lutar!

António Bahia EDUARDO


Tlm: 96 647 02 99

Amândio Antunes FERNANDES


Tlm: 96 647 02 97
ADVOGADO
ADVOGADOS
Praça José António Pimenta, nº 9 - 1º. A.
Telf./Fax: 236 551 533 * 3260 - 409 FIGUEIRÓ DOS VINHOS Tlm: 917 198 927 * Telf.: 236 553 470 Rua Luis Quaresma, 8 - 1º.
Rua Dr. António José de Almeida, nº 12 - 1º. Esq. Tel. 236 552 286
Avenida Emídio Navarro, nº 93 - 2º C
3000-151 COIMBRA
3260 - 420 FIGUEIRÓ DOS VINHOS FIGUEIRÓ DOS VINHOS
COLABORAÇÕES 2011.03.31
23
Não trazem preço os medicamentos, Se os olhos estão brilhando De azul o céu pintou o mar

OS OLHOS

ESTE AZUL
DITADURA ECONÓMICA

Porque já nós estamos em ditadura. Estão transmitindo alegria, Raiou a claridade na branca praia
Para comer não temos já fartura Mas se eles estão chorando Do sol a lua foi sempre sua aia
Os impostos são os nossos tormentos. É sinal de agonia. Vento do Norte que tanto soube amar.

Passamos os nossos mauzinhos Podem chorar de alegria, Quero ser aquele a quem tu hás-de dar
momentos, Mas o brilho é diferente! O céu estrelado, brilhante a reluzir
A puxar ideias da cornadura, É com mais intensidade! Pois só no rosto vejo teu sorrir
Enquanto muita gente faz diabrura, É um brilho de contente! Imaculada concha. Pérola de meu lar…
Com os nossos ais e os nossos lamentos.
Se alguém está descontente, Este ser teu, sem nunca ser de ninguém
Que venha Jesus Cristo a Portugal, É difícil disfarçar, Tem no pecado, o beijo que te dou
Curar toda a gente que está mal, Basta-nos estar atentos Se o desejas tanto? Quanto nele o sou…
Para baixar a conta da farmácia. Notamos logo no olhar.
Agora digo-te que já não vou
Este Governo, de esquerda não tem nada, Se o coração está penoso Matar o sonho, pecado meu maior bem
O povo parece uma alma penada, Pode-se ver no olhar, Que nem o sal, pode viver sem…
Que vagueia lá no alto da galáxia! Ele fica doloroso
Nada o consegue alegrar.
DE POESIA

Há olhos que são tristonhos


Há outros mais expressivos, Subi bem alto

SUBI
Alguns estão sempre risonhos E vi.
Há outros mais emotivos. Olhei.
por
Alcides Martins E aqui estou.
Por vezes os nossos olhos Estúpido a olhar para o céu…
Se iludem pela aparência
O que eles vêem de belo Tocar uma estrela e vê-la
Às vezes é decadência. Bem perto do coração…
Olhos de diferentes cores Do alto olho para o chão
Vou às vezes buscar ao sítio escuro Uns grandes, outros pequenos,
PAI
E S P E TO

Tão pequeno e colorido


Que tenho lá no fundo da memória Não quer dizer que os maiores Por medo nem me rio!
Os momentos tão doces em que vinhas Sejam olhos mais serenos.
Ter comigo e contavas uma história
Quem me dera poder trocar
Pena que todos os olhos Entre o chão e o meu lugar…
Eram momentos curtos intervalos Não vejam só coisas boas,
Das coisas que fazias lá por fora Pois poderiam fazer Quem têm pés sabe sonhar.
Mas ficaram cá dentro não se foram Felizes muitas pessoas. Andas no céu. Torna a voltar…
No tempo fazem parte desta hora
Os nossos olhos são espelhos
É assim que te levo pela estrada Onde não nos podemos ver,
Lembro as palavras lembro o rosto amigo Mas com eles transmitimos,
Foram sementes pai foram sementes Muita força! E poder!
Pequenas sim mas cresceram comigo
- Miguel Portela
O coração e os olhos - In livro do autor:
São 2 amigos leais! “Diz sempre que sim”
Quando o coração está triste
Logo os olhos dão sinais!
por
Paulo Geraldo Ao escrever para o jornal
http://cidadela.net A inspiração nos conduz!
A caneta a ajudar
Mas os olhos dão-nos luz!
Clarinda
Henriques

SUDOKU
Médio

Difícil
Fácil
31 MARÇO
2011 última página
IV SEMANA DA FLORESTA
MUNICIPIO FIGUEIROENSE SENSIBILIZA
PARA A TEMÁTICA DA FLORESTA
O Município de
Figueiró dos Vinhos
Á RASCA glutão à volta que comeram a
astuta velhota, foi uma amostra promove, entre 3 e 8 de
Dizia-me, há dias, o meu de Madoff. Abril, a "IV Semana
compadre Jeremias que muito Estes Países Europeus estão da Floresta", iniciativa
estimo: hoje noutra dimensão: os que pelo quarto ano
Ao observar e sentir as “tesos” pensaram que a consecutivo, pretende
consequências da capacidade entrada para a Comunidade sensibilizar para a
empresarial de muito patronato, Europeia era a árvore das temática da floresta, a
ao observar e sentir as patacas. Cá com ele, depois se sua importância para o
consequências neste país à vê! Uma técnica que admitia a Concelho e para as
beira mar plantado, suportada moeda única a troco de questões ambientais
por doutos analistas em algumas obediências: frota associadas.
economia de mercado, em piscatória fechada, oliveiras A abertura do
sábios financeiros de “mete ao cortadas, aquisições externas, Programa será no dia
bolso” na astúcia superior de submarinas e não submarinas, 3 de Abril, Domingo,
políticologos de primeira água, etc e tal, um regabofe! Os Zés com um Passeio de
de estadistas que poderiam ter Portugueses e os outros. O cicloturismo
dado brilhantes engraxadores pior foi quando se começou a designado “Tributo à
em São Bento ou no Rossio, de ver que as contas públicas Floresta Portuguesa”
filantropos com dinheiro alheio, indicavam que os Países que decorrerá nas
chegamos à importante estavam mais ou menos falidos. estradas do Concelho.
conclusão retratada pelo Poeta A produção desceu e os gastos Das actividades que
Aleixo que recordo aos meus aumentaram sem controle. As compõem o programa
pacientes leitores: “Quem não leis Americanas condenaram fazem parte exposições
trabalha e come, come sempre o Madoff a 150 anos de cadeia; e itinerantes, simulacro
pão de alguém”! os banqueiros e Governos de incêndio florestal,
Tenhamos porém a esperança e Europeus fraudulentos sessões de
a argúcia de verificar que não quantos levarão? sensibilização, uma
fomos só nós os espertos e Provavelmente a benevolência conferência dedicada à
desastrados compatriotas! da condenação da Justiça biodiversidade e
Consolação patriótica. Europeia ficará por umas férias actividades lúdico-
Aleluia! ao sol de Cabo Verde. desportivas e
A partir da hábil prática A verdade, com PEC ou sem recreativas, entre
Americana conduzida pelo hábil PEC quem tem a factura para outras.
financeiro Madoff que orientou pagar chama-se povo. Povo A organização é do Município de
e imaginou a grande fraude que que é simples mas não é parvo, Figueiró dos Vinhos e conta com a
abalou o mundo, todo o mundo,
com a esperança parva de
arranjar dinheiro fácil sem muito
mas crédulo; porém quer a
liberdade e a justiça social, não
deseja mais salvadores
colaboração do Agrupamento de Escolas,
Bombeiros Voluntários, EPAL, ERSUC,
Centro de Ciência Viva de Proença a
PAMPILHOSA DA SERRA
trabalho e comendo, todos os
dias, lautas refeições; melhor
dizendo, não era todos os dias
demagogos; muito menos
ditadores…
Porém a democracia tem que
Nova e Rodas Voantes.
ASSINALA FERIADO
porque a ressaca obrigava a
dieta no dia seguinte.
O que fez a D. Branca nossa
ser obra de todos mas
acordados! O povo não deve
estar à rasca; deve por os
MUNICIPAL
compatriota é acção primária responsáveis à rasca! O Município da
que faliu rapidamente com tanto Kalidás Barreto Pampilhosa da Serra
comemora no
próximo dia 10 de

restaurante
Abril o seu Feriado
Restaurante “VARANDA DO

Municipal.
CASAL”, em CASAL S. SIMÃO

PANORAMA
A cerimónia oficial
terá lugar nos Paços
do Concelho pelas 10
horas, estando
PANORAMATUR - RESTAURAÇÃO E TURISMO, LDA. prevista a assinatura
Tel. 236 552 115/552260 - Fax 236 552887 * 3260-427 FIG.dos VINHOS
de vários protocolos

- “Varanda do Casal” - Casal S. Simão e a atribuição de medalhas municipais.


Seguir-se-á uma visita de inauguração de 9 metros
e ainda - ESPL ANADA
ESPLANADA /BAR
ANADA/BAR JARDIM do projecto GEM em Portugal que contou com a
colaboração do Instituto de Telecomunicações de
- PRAIA FLUVIAL DAS FRAGAS DE S. SIMÃO - BAR DO CINEMA Aveiro

Centres d'intérêt liés