Vous êtes sur la page 1sur 16

Introdução

O Ministério da Saúde, por meio da secretaria de vigilância em saúde, mantém o


Programa Nacional de Imunização (PNI). A imunização é definida como a aquisição de
proteção imunológica contra uma doença infecciosa. Prática que tem como objetivo
aumentar a resistência de um indivíduo contra infecções.

É administrada por meio de vacina, imunoglobulina ou por soro de anticorpos. As vacinas


são usadas para induzir a imunidade ativa; sua administração resulta numa resposta
biológica e na produção de anticorpos específicos. Assim, a imunidade é induzida contra
futuras infecções pelo mesmo microorganismo. A imunidade ativa dura muitos anos; a
passiva é induzida pela administração de anticorpos contra uma infecção particular. Os
anticorpos colhidos dos humanos são chamados imunoglobulina e os dos animais, soros.
A imunidade passiva dura apenas algumas semanas.

1
BCG intradérmica (BCG-ID)

Dose: 0,1 ml

Idade: ao nascer

Indicação: A vacina BCG (bacilo de Calmette e Guerin) é administrada com a finalidade


principal de prevenir as formas graves da tuberculose (miliar e meníngea).

Composição: A vacina BCG-ID é preparada com bacilos vivos atenuados, a partir de cepas
atenuadas do Mycobacterium bovis com glutamato de sódio.

Contra indicação:

Prematuridade ( Crianças com peso inferior a 2 Kg);

Neoplasias e Transplantes;

Uso de Corticóides;

Imunodeficiência congênita e imunoadquirida;

Via de administração: Inserção inferior do deltóide ( Braço direito )

Validade: A validade deste imunobiológico é de 6 horas após sua diluição.

Particularidades:

Pode ser administrada em qualquer idade, mas de preferência ao nascer;

RN com peso inferior a 2 KG não deve ser vacinadas;

Forma-se pústula, úlcera e crosta.

Cicatrizar em no máximo 6 meses.

2
Hepatite B

Dose: 0,5 ml

Idade: ao nascer, 01mês e 6 meses.

Indicação: A vacina é indicada para prevenir a hepatite B.

Composição: Antígeno de superfície do vírus, vírus inativados.

Contra indicação: A vacina é contra indicada em casos de reação anafilática anterior.

Via de administração: A vacina contra a hepatite B é administrada por via intramuscular.

Validade: Tempo indeterminado até a última dose.

Particularidades:

Vasto lateral da coxa em crianças menores de 2 anos;

Deltóide em crianças maiores de 2 anos;

É comum febre de 38° C;

Dose de 0,5 ml para menores de 20 anos;

Dose de 1,0 ml para maiores de 20 anos.

3
Vacina Tetravalente (DPT + Hib)

Dose: 0,5 ml

Idade: 2, 4,6 meses e um reforço aos 15 meses.

Indicação: É indicado contra Difteria, Tétano, Coqueluche e Meningite associada ao


Haemophilus influenzae b Hib (conjugada).

Composição: Contém toxóide Diftérico, Toxóide Tétanico e Bordetella pertussis.

Contra Indicação:

Hipersensibilidade ao componente Bordetella pertussis;

Hipersensibilidade ao s componentes da fórmula;

Idade acima de 7 anos;

Ocorrência de manifestação de neurológica.

Via de administração: Intramuscular ( Vasto lateral da coxa)

Validade: Tempo indeterminado.

Particularidades:

crianças com quadro neurológico em atividade;

crianças que tenham apresentado, após aplicação de dose anterior, qualquer das seguintes
manifestações;

Convulsões até 72 horas após administração da vacina;

Colapso circulatório, com estado tipo choque ou com episódio hipotônico-hiporresponsivo


(EHH), até 48 horas após a administração da vacina;

Encefalopatia nos primeiros sete dias após a administração da vacina.

4
Vacina oral Poliomielite ( VOP)

Dose : 2 gotas v.o que equivale à 0,1 ml.

Idade: 2, 4,6 meses e um reforço aos 15 meses.

Composição: Vírus Vivus Atenuados tipo l, ll e lll.


Contra Indicação: Se vomito intensos e diarréia.
Via de administração: Via oral.
Validade: 5(cinco) dias após sua abertura.
Particularidades
Quem deve tomar:
Crianças imunodeprimidas, ou seja, crianças com deficiência imunológica congênita ou
adquirida, não vacinadas ou com esquema incompleto de vacinação contra a poliomielite;
Crianças comunicantes domiciliares de pessoa imunodeficiente que necessitam receber a
vacina contra a poliomielite;
Pessoas submetidas a transplante de medula óssea.
criança infectada pelo vírus da imunodeficiência humana HIV, sintomática, deve receber a
vacina de vírus inativados contra a poliomielite. Quando não disponível utilizar a vacina oral
contra a poliomielite.

5
Vacina oral de Rotavírus humano

Dose: De 3 ( três ) a 4 (Quatro) mls.

Idade: 2 , 4 meses.

Indicação: Diarréia por Rotavírus

Composição: 5(cinco) dias após sua abertura

Contra Indicação:

A vacina não deve ser administrada a crianças que sabidamente tenham alguma forma de
alergia grave (urticária disseminada, broncoespasmo, laringoespasmo e choque anafilático)
A algum dos componentes da vacina
Não deve ser administrada a crianças com alguma forma de imunodeficiência;
Não deve ser administrada a crianças com história de alguma doença gastrintestinal crônica
ou má-formação congênita do trato digestivo ou história prévia de invaginação intestinal.
Uso de corticóides > 2 mg/Kg/dia por mais de 2 semanas.

Via de Administração: Oral.

Particularidades:

Idade limite 2 (dois) e 4 ( quatro ) meses;

Reações adversas pouco e/ou nenhum;

1º dose com 2 meses e 7 dias;

2º dose com 5 meses e 15 dias.

6
Vacina Pneumocócica 10 Valente (Conjugada)

Dose: 0,5ml.
Idade: 2, 4, 6, e 12 meses.
Indicação: Pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Streptococcus
pneumoniae.

Composição: Conjugado de Streptococcus pneumoniae de vários tipos e proteína D da


Haemophilus influenzae.
Contra Indicação: Hipersensibilidade aos componentes da vacina.
Via de administração: Intramuscular, ântero-lateral da coxa em bebês, e em músculo
deltóide em crianças.
Particularidades:
Não de ser nunca administrada em via subcutânea e ou intradérmica.
Pode não ser totalmente eficaz em todas as crianças que as recebem.
Crianças que fazem uso de imunossupressores infecção por HIV, ou outras causas podem não
obter todo beneficio.

Vacina Meningocócica C (Conjugada)

Dose: O,5ml.
Idade: 3, 5 meses reforço com 15 meses.
Indicação: Prevenir doenças provocadas pela Neisseria meningitidis do sorogrupo C.
Causadora da meningite C.
Composição: Oligossacarídeo meningocócico C, conjugado com proteína de
Corneybacterium diphiteriae e Hidróxido de alumínio.
Contra Indicação: Em crianças menores de 2 meses.
Via de administração: Intramuscular
Particularidades:
A vacina é apresentada em embalagens contendo pó liofilizado + solução diluente;
Solução total 0,8ml;
Porém administra 0,5ml.

7
Vacina Febre amarela
Dose: 0,5ml
Idade: 9 meses + 1 dose a cada dez anos.
Indicação: Febre Amarela
Composição: Vírus vivo atenuado
Contra Indicação:
Crianças com idade < 4 meses;
Gestante;
Pessoas que tenham alergia a composição;
Pessoas com reação anafilática a ingestão a ovo.

Via de administração: Subcutânea


Validade: Até 4 horas depois de aberta
Particularidades:
Crianças com idade < a 4 meses; (contra indicação absoluta) devido ao risco de encefalite
viral;
Pessoas que tenham alergia a ovo (a vacina e preparada em ovos de galinha embrionados);
Pessoas que tenham alergia a gelatina, pois faz parte da composição da vacina.

8
Vacina Tríplice Viral (SCR)

Dose: 0,5 ml
Idade: 12 meses, e 4 anos.
Indicação: Contra Sarampo, Caxumba e Rubéola.
Composição: Vírus vivo atenuado.
Contra Indicação:
Gestação;
Imunodeficientes;
Reações alérgicas aos componentes da formula;

Via de administração: Subcutânea.


Validade: Até 8 horas depois de aberta.
Particularidades:
Pessoas que tenham alergia vacina ou a qualquer um dos componentes incluindo ovo,
neomicina e gelatina.
E contra indicada para mulheres que pretendem engravidar nos próximos 30 dias.

9
Vacina contra Raiva

A vacina contra raiva para uso humano, empregada rotineiramente no Brasil, é a vacina do
tipo Fuenzalida-Palacios, apresentada sob a forma de suspensão a 2%

Apresentação: é apresentada sob a forma líquida em ampolas contendo 1,0ml (uma dose para

uso em seres humanos).

Composição: O soro contra raiva ou soro anti-rábico contém imunoglobulinas específicas


extraídas do plasma de cavalos hiperimunizados com a vacina contra raiva. O soro anti-rábico
é apresentado sob a forma líquida, em ampolas ou frascos-ampolas, contendo 200UI/ml.

Indicação: Havendo indicação, a vacina e o soro contra raiva podem ser aplicados em
qualquer idade.

Via de Administração: A vacina anti-rábica deve ser administrada por via intramuscular, na
região deltóide, podendo ser aplicada, em crianças pequenas, no vasto lateral da coxa. Não
deve ser aplicada na região glútea.

Idade: A vacina contra raiva é aplicada em dose única diária, tanto para adultos quanto para
crianças, em esquemas variáveis,de acordo com a indicação para seu uso.

10
CALENDÁRIO BÁSICO DE VACINAÇÃO DA CRIANÇA

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/area.cfm?id_area=1448

11
Refrigerador ou Geladeira

São equipamentos destinados à estocagem, de imunobiológicos em temperaturas (+2ºC a


8ºC), devendo, para isso, estarem regulados para funcionar nesta faixa de temperatura.

Organização Interna

No evaporador (congelador) colocar gelo reciclável ou saco plástico com gelo, na posição
vertical, ocupando todo espaço;
Na 1º prateleira as vacinas virais (contra a poliomielite, sarampo, tríplice viral, dupla viral,
febre amarela);
Na 2º prateleira as vacinas bacterianas e toxóides;
Na 2º prateleira, no centro, coloca-se o termômetro de máxima e mínima na posição vertical;
Na 3º prateleira podem-se colocar os diluentes ou caixas com as vacinas devendo-se ter o
cuidado de permitir a circulação de ar entre as mesmas.

 As prateleiras deverão estar limpas;

 Arrumar as vacinas nas prateleiras centrais em bandejas perfuradas tipo porta


talher de plástico e nunca em caixas térmicas ou sacos plásticos

 Não guardar vacinas na porta e na parte inferir da geladeira;

 Retirar as gavetas plásticas e assessórios da porta caso existam e, em seu lugar,


colocar garrafas com água que contribuem para estabilizar a temperatura.

 A água colocada nas garrafas deverá ser colorida, recomenda-se o uso de um


corante (azul de metileno, anil, violeta de genciana) para evitar que seja bebida;

 Colocar o termômetro de máxima e mínima na prateleira central, em pé, e


verificar a temperatura duas vezes ao dia, em período diferente registrando no mapa de
controle diário de temperatura;

12
 As vacinas, na embalagem original, devem ser arrumadas de forma a manter
uma distância entre si de aproximadamente 3 centímetros e também das paredes do
refrigerador visando a livre circulação do ar frio;

 As vacinas com prazo de validade mais próximo devem ser colocadas na frente
para que sejam utilizadas primeiras.

Limpeza do refrigerador

 Providenciar um outro refrigerador em bom funcionamento e regular esse


refrigerador entre +2 e +8°C antes de transferir os imunobiológicos.

 Caso não se tenha disponível outra refrigerador deverá ser providenciada uma
caixa térmica (isopor) mas é indispensável o termômetro de máxima e mínima além
de bobunas de gelo;

 Desligar a tomada da geladeira e abrir a porta até que todo gelo aderido se
desprenda por si só. Não usar faca ou outro objeto pontiagudo para a remoção mais
rápida do gelo, pois tal método pode danificar os tubos de refrigeração;

 Limpar o refrigerador com um pano umedecido em solução de água com sabão


neutro e enxugar com pano limpo e seco. Não jogar água no refrigerador;

 Após a limpeza, ligar o refrigerador e manter a porta fechada por mais ou


menos 3 horas verificando a temperatura neste período. Quando essa estiver entre +2 e
+8°C deve-se recolocar as vacinas, e os diluentes.

13
Organização do refrigerador

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/manu_proced_vac.pdf

14
Conservação

Vacinas Federal Estadual Regional local


BCG +2°C a 8°C +2°C a 8°C +2°C a 8°C +2°C a 8°C
HEPATITE B +20°C a 8°C +20°C a 8°C +20°C a 8°C +2°C a 8°C
DPT +2°C a 8°C +2°C a 8°C +2°C a 8°C +2°C a 8°C
POLIO (VOP) -20°C -20°C +2°C a 8°C +2°C a 8°C
ROTAVIRUS - - - +2°C a 8°C
PNEUNMOCÓCICA 10 - - - +2°C a 8°C
MENINGOCÓCICA C - - - +2°C a 8°C
FEBRE AMARELA -20°C -20°C +20°C a 8°C +2°C a 8°C
TRÍPLICE VIRAL -20°C -20°C +20°C a 8°C +2°C a 8°C

Descarte

A separação entre o lixo perigoso e o lixo comum, feita na própria sala de vacinação,
apresenta as seguintes vantagens:
 Permite o tratamento específico e de acordo com as necessidades de
cada categoria;
 Impede a contaminação do lixo como um todo;
 Permite que as medidas de segurança sejam adotadas ainda na sala
de vacinação;
 Facilita a ação em caso de acidentes ou de emergência.

15
Acondicionamento e armazenamento do lixo

Acondicionar em recipiente de material resistente os resíduos especiais, ou lixo


perigoso, como seringas e agulhas descartáveis;
Usar o recipiente de material resistente até completar dois terços de sua capacidade,
independente do número de dias;

Tratamento de imunobiológicos considerados infectantes

Tratamento adequado do lixo é qualquer processo capaz de modificar as características


físicas, químicas e biológicas dos resíduos dos serviços de saúde. Esses processos, executados
dentro de condições de segurança e com eficiência comprovada, deixam o lixo de acordo com
os padrões indicados para uma determinada forma de disposição
final.
Os imunobiológicos, que têm na sua composição produtos de bactérias mortas, ou
vírus inativados, ou os produzidos por engenharia genética não precisam receber tratamento
especial antes de serem inutilizados.
Os produtos compostos por microorganismos vivos atenuados (sobras diárias de
imunobiológicos ou produtos que sofreram alteração de temperatura, ou que estão com prazo
de validade vencido) constituem material biológico infectante e, por isso, recebem tratamento
prévio antes de serem desprezados.
São exemplos de imunobiológicos infectantes e que recebem tratamento antes de
serem inutilizados:
vacina oral contra a poliomielite;
vacina contra o sarampo;
vacina contra a febre amarela;
vacina contra o sarampo, a caxumba e a rubéola (tríplice viral); e
vacina contra a rubéola.
Para proceder ao tratamento dos imunobiológicos considerados infectantes colocar os
frascos fechados na autoclave, durante 15 minutos, a uma temperatura entre 121ºC e
127ºC.

16