Vous êtes sur la page 1sur 10

Aula 1 – Introdução à Informática

OBJECTIVOS: CONCEITOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA.

de

Como

seguinte questão:

O que é um Computador ou PC?

Existem várias definições para esse tema, hoje em dia a maioria das pessoas têm uma noção intuitiva sobre o PC, neste material propomos o seguinte conceito:

a

ponto

de

partida

para

a

abordagem

conceitos,

coloca-se

È

uma

máquina

composta

por

dispositivos

electrónicos

capazes

de

receber

e

executar

as

ordens

ou

instruções

para

o

processamento

da

informação.

No conceito acima citado lhe é atribuída uma crucial importância aos dispositivos electrónicos como parte indispensável para que exista fisicamente o PC e seja possível o seu funcionamento. Assim como também, o PC precisa dum conjunto de instruções ou programa para que aconteça o processamento da informação.

O

conjunto

de

instruções

necessárias

para

que

o

PC

possa

processar

dados

ou

informações

escritas

num

código

determinado,

se

denomina

programa.

No expressado anteriormente se faz alusão a dois elementos inseparáveis, presentes em todo Sistema de Computação, conhecidos como Hardware e Software:

Hardware: designado como a parte física, composto pelos dispositivos internos (placas, fontes de alimentação, etc.) e os dispositivos externos (teclado, monitor, etc.), interligados ao PC.

Software: designado como a parte lógica, programa ou conjunto de

programas inter-relacionados, mas possuindo diversas funções, entre elas

as de Gestão e Controlo do PC.

Conhecendo os principais conceitos do PC, a continuação será abordada a sua linguagem.

Linguagem do PC:

Independentemente da natureza dos diferentes fenómenos físicos,

manifestados na representação e conservação da informação (eléctrico, magnético, ou óptico), existe um denominador comum a todos eles, que

se traduz como representação lógica, a qual acontece através do sistema

numérico binário, dessa forma surgiu na informática o BIT (digito binário), o valor 1 ou 0 para representar a unidade de informação mais pequena que por sua vês sustenta a linguagem do Computador, portanto chegamos à conclusão que o PC só percebe zeros e uns, e ainda mais todo o trabalho executado pelo PC é efectuado através desses dígitos.

Para representar as funções e dados, torna-se imprescindível a utilização

de conjuntos de BITs que forneçam um maior número de informações,

assim surgindo o conjunto de 8 BITs como norma de codificação e denominado BYTE. Por exemplo, cada letra do alfabeto, os dígitos do 0 até 9 e muitos caracteres globais, codificam-se utilizando 1 BYTE.

Mas como a unidade de medida BYTE também representa um volume muito discreto de informação, a quantidade de memória e de armazenamento dos suportes de informação são indicados em kilobyte, megabyte, gigabyte e terabyte.

A continuação apresenta-se a tabela de unidades de medida para a

informação, mediante a qual é possível determinar as capacidades de

armazenamento dos suportes e espaço que ocupa em memória a informação.

Tabela de unidades de medida para a informação.

8 Bits

1 Byte

1024byte

1 Kilobyte

1024

Kilobyte

1 Megabyte

1024

Megabyte

1 Gigabyte

1024

Gigabyte

1 Terabyte

Dispositivos ou Suportes de Armazenamento:

H.D (Disco Duro): É um componente electrónico com capacidades de armazenamento de até 1 Terabyte, possui de forma integrada os elementos que permitem gravar a informação. Princípio de funcionamento é magnético.

CD-ROM: Conhecido como Disco Compacto de só leitura, o que significa que guarda os dados de maneira permanente e inalterável, podemos ler o conteúdo mas não modifica-lo nem elimina-lo. Com capacidades de armazenamentos de aproximadamente 700 Megabyte e o seu princípio de funcionamento é óptico (Tecnologia Laser).

DVD-ROM: Denominado por Disco de Vídeo Digital, inicialmente o seu propósito foi de gravar vídeos digitalizados, é um dispositivo de armazenamento massivo de dados, com capacidades de até 8 Gigabyte. Possui o mesmo princípio de funcionamento ao disco compacto.

Página 2/10

FLASH MEMORY DRIVER: conhecido por Pen Drive, com capacidades de armazenamento de até 32 Gigabyte, implementa a tecnologia Memoria Flash e o seu princípio de funcionamento é baseado num fenómeno quântico denominado Efeito Túnel.

Nota: É necessário saber que os suportes além de possuir capacidades de armazenamento, também baseiam o seu funcionamento através de velocidades (Hz), integradas e especificas a cada um desses dispositivos.

Exemplos alusivos à utilização da tabela de unidades de medidas:

1.

Para

mediante a tabela, utilizamos a operação (*) da seguinte forma:

saber

quantos

Megabytes

tem

um

DVD-R

de

4

Gigabyte

4 * 1024 = 4096 Megabyte

2.

Para saber quantos Gigabytes possui um ficheiro com capacidade de 2048 Megabyte utilizamos a operação (/) da seguinte forma:

2048 / 1024 = 2 GB

Execute os seguintes exercícios:

1. Argumentar sobre a importância dos componentes electrónicos para o computador.

2. Mencionar os elementos que correspondem à parte lógica e à parte física do computador.

a. Explicar a função de cada uma dessas partes.

3. Suponha que possui uma Pen Driver com capacidade de 2 Gigabyte e necessita armazenar nela uma pasta que possui 1900 Megabyte:

a. Determinar se é possível guardar a pasta na Pen Driver.

Aula 2 – Sistemas Operativos (Windows), Arquivos e Pastas.

OBJECTIVOS:

­ CONCEITOS GERAIS.

­ DEFINIR A FUNÇÃO PRINCIPAL DOS SISTEMAS OPERATIVOS.

­ APRENDER A TRABALHAR COM O SISTEMA OPERATIVO WINDOWS VISTAS.

Definição: O Sistema Operativo é um conjunto de programas que verificam e controlam todas as operações internas do Computador, a sua principal função radica em viabilizar a interacção entre o utilizador e o Computador.

Entre essas operações, possuem particular importância as seguintes:

Coordenação e controlo dos diferentes dispositivos de Hardware do P.C (memorias, impressoras, unidades de disco, teclado, rato, etc.).

Manuseamento

integral da informação

(permite organizar e gerir

a

informação).

Detecção dos erros de Hardware (por exemplo, informa quando a capacidade do disco é insuficiente para armazenar um determinado ficheiro, se há falta de papel na impressora ou não foi ainda instalada, etc.).

O

sistema operativo realiza as funções de controlo do sistema de

cômputo a traves da automação, mas a maior parte das suas operações as executa por mandato expresso do utilizador.

Conceito e funções dos ficheiros e pastas

Referentemente à aula anterior, vimos os suportes de armazenamento, mas surge a seguinte interrogante: Onde e como se armazena a informação nesses dispositivos?

Alusivamente aos conceitos abordados do BIT e BYTE, onde explica-se que cada carácter ou símbolo se armazena num BYTE, mas isto, logicamente, não é suficiente para guardar um documento ou um programa, porque precisa-se um conjunto de bytes para atingir o objectivo. Portanto, para distinguir um conjunto de bytes entre vários num mesmo suporte, surge um conceito estrutural muito importante alusivo ao objecto ficheiro.

Ficheiro ou Arquivo (informática): Conformado por duas partes, a primeira, é o nome do ficheiro, a segunda, é a extensão do ficheiro que atribui ao mesmo o formato ao qual pertence. O ficheiro é um conjunto

de informação relacionada que identifica-se através dum nome, porém

opera como a estrutura básica de armazenamento que permite ao P.C distinguir os diversos conjuntos de informação.

Página 4/10

Nota: Em diversas bibliografias, podemos encontrar os termos Arquivo e/ou Ficheiro.

Cada ficheiro tem entre outras propriedades, o tamanho e tipo de informação que possui, geralmente o tamanho é expressado em Kilobytes (Kb). É muito útil conhecer o tipo de informação que os constituem e o espaço que ocupam, sobre todo em aqueles casos que resulta imprescindível copiar a informação num suporte de armazenamento.

Paralelamente à função principal do objecto ficheiro, surge a seguinte questão alusivamente ao objecto pasta:

Qual será a função das pastas?

As pasta também são locais de armazenamento de informação, mas a diferencia dum ficheiros, o tipo de informação a guardar sempre será novas pastas e/ou ficheiros. Geralmente criadas pelo utilizador para armazenar e organizar a informação.

Efectuar os seguintes exercícios:

1. Mencionar o nome do Software que exerce a função de elo de ligação Maquina – Utilizador.

2. Explicar o por que a maioria dos utilizadores informáticos, têm preferências pelos Sistemas Operativos Windows.

3. Quais são os locais destinados pelo Sistema Operativo para o armazenamento da informação:

a. Mencionar o tipo de informação que armazenam.

b. Estudar os diversos ficheiros e os seus formatos.

c. Diga mediante o que podemos determinar o formato de um ficheiro.

Aula 3 – Ambiente de trabalho, Barras de Ferramentas.

OBJECTIVOS:

­ TRANSMITIR

A

IMPORTANCIA

DA

AREA

AMBIENTE

DE

TRABALHO

E

DO

OBJECTO JANELA DENTRO DE WINDOWS.

­ RESSALTAR A SEMELHANÇA DESSA AREA COM A DE UMA SECRETÁRIA DE TRABALHO.

­ SIMULAR AS CONDIÇÕES DE UM ENCONTRO HABITUAL.

Normalmente, sobre a secretária de trabalho uma pessoa pode ter ao seu dispor documentos em uso, papel, marcadores, calculadoras, um bloco para tomar apontamentos, livros e actualmente é muito comum encontrar um P.C. Em analogia com uma secretária de trabalho real, o Ambiente de Trabalho do Sistema Operativo Windows, através do seu Ecrã oferece o acesso a objectos e dispositivos tais como: Computador, impressora, documentos, aplicações, utilitários, etc.

que

O Ambiente

brinda o Sistema Operativo. Geralmente a imagem dessa área abrange todo o Ecrã do monitor, onde podemos encontrar objectos como:

que

de

Trabalho

é

a

primeira

(são

página

e

área

de

trabalho

­ Figuras,

atalhos,

botões

representados

por

ícones),

identificam os objectos informáticos: Computador, Reciclagem, etc.

­ Uma zona rectangular na parte inferior denominada Barra de Tarefas. Mediante o botão iniciar desprega-se um menu com opções, que permitem aceder a todas as aplicações e controles de Windows. Entre essas opções figuram: Aceder à ajuda, procurar, personalizar o fundo e protecção do Ecrã no Ambiente de Trabalho, configurar a Barra de Tarefas, desligar o P.C, etc.

Nota: É possível acrescentar ou eliminar elementos do Ambiente de Trabalho de acordo com as nossas necessidades e objectivos a atingir, isto é podemos personalizar a sua configuração.

Para executar o objecto Bloco de Notas através do Menu Iniciar, propõe-

se o seguinte exemplo.

Sequência de passos:

1. Fazer Clique primário no botão Iniciar.

2. Colocar o cursor do mouse sobre a opção Todos os Programas (obtemos um novo menu).

3. Colocar o

Acessórios (obtemos um

cursor do mouse sobre a opção

novo menu).

4. Fazer Clique sobre o processador de texto Bloco de Notas.

Referente ao campo Procurar que oferece o Menu Iniciar, é uma opção de muita utilidade para a gestão da informação. Mediante esse campo é

Página 6/10

possível encontrar pastas, ficheiros e dispositivos, dos quais desconhecemos a sua localização.

O Sistema Operativo disponibiliza dois caracteres globais (* e ?), esses

caracteres são destinados a viabilizar as nossas procuras, e não é

permit ido que o nome do ficheiro os contenha.

Operativo

(números, letras, símbolos.).

?: Representa um único carácter.

termos

informáticos citados anteriormente.

A continuação,

*: Representa

todos

os

caracteres

disponíveis

no

Sistema

uma

abordagem

mais

alargada

sobre

alguns

Geralmente cada objecto em Windows possui um único ícone que o representa, constituído por duas partes:

Imagem ou figura: Representação gráfica.

Titulo ou nome: Identifica ao ícone.

Um ícone pode representar:

­ Um dispositivo: P.C, leitor de CD, impressora, disco duro, etc.

­ Uma pasta: Local de armazenamento de documentos e programas.

­ Uma aplicação: Programa que permite criar documentos.

­ Um documento: Uma carta, folha de cálculo, etc.

­ Um

utilitário:

Programas

antivírus,

calculadoras,

compressores

informação.

de

Conhecendo que no Ambiente de Trabalho, existem diferentes objectos representados pelos seus ícones correspondentes, por conseguinte surge uma interrogante: Como proceder para visualizar o conteúdo de um objecto?

Quando abrimos um ou vários objectos, através de qualquer uma das vias possíveis, obtemos o elemento mais transcendental dentro do Sistema Operativo Windows, denominado Janela, esse elemento ou recurso de Windows possui o conteúdo do objecto, as ferramentas e os recursos necessários para o desempenho do seu trabalho. Porém sempre que estivermos a trabalhar em Windows, será mediante uma janela, é aqui onde radica a importância deste elemento.

Exercícios:

1.

Como abrir os recursos ou aplicações de Windows?

 

2.

Execute 3 aplicações e 2 utilitários desde o Ambiente de Trabalho.

3.

Personalizar

o

fundo

da

Área

de

Trabalho

com

as

seguintes

instruções:

a. Escolher a imagem de Windows.

 

b. Atribuir a cor verde para as janelas.

 

4.

Personalizar a protecção de Ecrã com a opção Texto 3D:

 

a.

Editar o texto com as iniciais da cadeira.

 

b.

Escolher alta resolução para a qualidade de imagem.

 

c.

Configurar a opção poupança de energia, para que se desactive o monitor em 1 minuto.

5.

Configurar a Barra de Tarefas para que se oculte automaticamente.

6.

Criar um botão referente ao Bloco de Notas na Barra de Tarefas.

7.

Colocar a Barra de Tarefas na lateral direita do Ecrã.

 

8.

Atribuir à Barra de Tarefas a sua posição e estado inicial.

 

Página 8/10

Aula 4 – Explorador de Windows e Procura de Arquivos.

OBJECTIVO: UTILIZAR OS RECURSOS QUE FORNECE A FERRAMENTA EXPLORADOR DE WINDOWS PARA A GESTÃO DA INFORMAÇÃO.

A Ferramenta Explorador de Windows, é uma alternativa muito eficiente para a organização da informação e execução de aplicações. Com a utilização dessa ferramenta podemos realizar a gestão de ficheiros, pastas e outros objectos. Para atingir esse objectivo é preciso conhecer a composição e funcionamento da sua Estrutura de Pastas, assim como também os recursos que brinda.

Estrutura de Pastas: Ela pode ser comparada com o organigrama de uma

organização, o qual é apresentado mediante um modelo hierárquico, onde no 1º nível coloca-se o Director Geral, 2 º nível apresenta o Administrador, no 3º os Directores de Departamentos e posteriormente

os operários. A Estrutura de Pastas em semelhança com um organigrama

também baseia-se em um modelo hierárquico que apresenta no nível superior o dispositivo Computador, no segundo nível aparecem os dispositivos que conformam o P.C (Unidade Disco Local (C:), CD-ROM, etc.) e a continuação as pasta, subpastas e ficheiros.

O Explorador de Windows oferece diversos recursos para executar as

diferentes tarefas possíveis dentro desta ferramenta, a seguir serão nomeadas algumas das acções para a execução de tarefas:

Acções e comandos:

- Duplicados de pastas e ficheiros (copiar \ colar);

- Transferências de pastas e ficheiros (cortar \ colar);

- Criar pastas;

- Mudar o nome de pastas;

- Eliminar pastas e ficheiros;

- Procurar pastas e ficheiros;

- Executar e/ou abrir ficheiros.

Exercícios:

1. Criar a seguinte Estrutura de pastas: P.C (C:) CURSO TURMA FERRAMENTAS NOME 2º NOME
1.
Criar a seguinte Estrutura de pastas:
P.C
(C:)
CURSO
TURMA
FERRAMENTAS
NOME
2º NOME
DOCWORD
DOCEXCEL
a.
Mudar o nome da pasta FERRAMENTAS para F.P.P.
b.
Eliminar enviando para Reciclagem a pasta 2º NOME.
c.
Fazer um duplicado da pasta NOME para a dentro da pasta CURSO.
2.
Criar na raiz de (C:) uma nova pasta nomeada UGS.
a.
Transferir a pasta CURSO para dentro da pasta UGS.
3.
Abrir através do Explorador de Windows a unidade (C:) e a pasta
UGS, em duas janelas diferentes.
a.
Efectuar a opção mostrar janelas Lado a Lado.
4.
Utilizando os caracteres globais, efectue as seguintes procuras:
a.
Procurar na localização UGS os ficheiros criados da aplicação Ms
Word que começam com a letra E.
b.
Procurar na unidade (C:) todos os ficheiros referentes à aplicação Ms
Excel.

Página