Vous êtes sur la page 1sur 63
Carta de Smith Erik Farias Késia Santos Crezo Georgina Karla Kécio
Carta de Smith Erik Farias Késia Santos Crezo Georgina Karla Kécio

Carta de Smith

Erik Farias Késia Santos Crezo Georgina Karla Kécio

Carta de Smith Erik Farias Késia Santos Crezo Georgina Karla Kécio

2

Introdução

2 Introdução  Criada por Phillip H. 1939; Smith no ano de  Originalmente Transmission Line
2 Introdução  Criada por Phillip H. 1939; Smith no ano de  Originalmente Transmission Line
2 Introdução  Criada por Phillip H. 1939; Smith no ano de  Originalmente Transmission Line

Criada por Phillip H.

1939;

Smith no

ano de

Originalmente

Transmission Line Calculator; Durante a 2º Guerra Mundial teve novas funcionalidades agregadas; A Carta de Smith ainda é largamente utilizada hoje em dia.

como

conhecida

3

Construção da Carta

3 Construção da Carta  Plano de Impedâncias (Z):  Possui uma região inválida em seu
3 Construção da Carta  Plano de Impedâncias (Z):  Possui uma região inválida em seu

Plano de Impedâncias (Z):

Possui uma região inválida em seu domínio; Não permite a visualização de circuito aberto;

Plano dos Coeficientes de Reflexão (Γ):

Mapeia a região válida de Z em um círculo de raio unitário (Figura 1);

( Γ ):  Mapeia a região válida de Z em um círculo de raio unitário

Z 1

 Z

1

4

Construção da Carta

4 Construção da Carta Figura 1 - Transformação do Plano Z para o Plano Γ
4 Construção da Carta Figura 1 - Transformação do Plano Z para o Plano Γ
4 Construção da Carta Figura 1 - Transformação do Plano Z para o Plano Γ
4 Construção da Carta Figura 1 - Transformação do Plano Z para o Plano Γ

Figura 1 - Transformação do Plano Z para o Plano Γ

5

Construção da Carta

5 Construção da Carta  O plano Γ o mais apropriado para a visualização da impedância;
5 Construção da Carta  O plano Γ o mais apropriado para a visualização da impedância;

O

plano

Γ o mais

apropriado

para

a

visualização da impedância;

A carta de Smith proporciona o mapeamento do plano Z para o plano Γ através de:

o mapeamento do plano Z para o plano Γ através de:  Círculos de resistência constante;

Círculos de resistência constante;

Círculos de reatância constante;

6

A Carta de Smith

6 A Carta de Smith
6 A Carta de Smith
6 A Carta de Smith
6 A Carta de Smith

7

Coeficiente de Reflexão

7 Coeficiente de Reflexão  Representar o Coeficiente de Reflexão Γ =0,5 ∟ -120º; Traçar um
7 Coeficiente de Reflexão  Representar o Coeficiente de Reflexão Γ =0,5 ∟ -120º; Traçar um

Representar o Coeficiente de Reflexão Γ=0,5-120º;

Representar o Coeficiente de Reflexão Γ =0,5 ∟ -120º; Traçar um segmento de reta com metade
Representar o Coeficiente de Reflexão Γ =0,5 ∟ -120º; Traçar um segmento de reta com metade

Traçar um segmento

de reta com metade

do comprimento do raio externo da carta;

Traçar um segmento de reta com metade do comprimento do raio externo da carta; Posicionar ângulo

Posicionar

ângulo -120º

no

Traçar um segmento de reta com metade do comprimento do raio externo da carta; Posicionar ângulo

8

Impedância

8 Impedância  Localizar a Impedância Zc=25-100j em uma linha de 50 Ω ; A impedância
8 Impedância  Localizar a Impedância Zc=25-100j em uma linha de 50 Ω ; A impedância

Localizar a Impedância Zc=25-100j em uma linha de 50Ω;

A impedância é normalizada:

Zc=(25-100j)/50 => Zc=0,5-2j

O círculo de Resistência constante r=0,5 é marcado;

O círculo de Resistência constante r=0,5 é marcado; A reatância x=-2 é marcada no arco capacitivo

A reatância x=-2 é marcada no arco capacitivo de valor 2;

O

representa Zc=0,5-2j.

ponto

de

Cruzamento

marcado; A reatância x=-2 é marcada no arco capacitivo de valor 2; O representa Zc=0,5-2j. ponto
marcado; A reatância x=-2 é marcada no arco capacitivo de valor 2; O representa Zc=0,5-2j. ponto
marcado; A reatância x=-2 é marcada no arco capacitivo de valor 2; O representa Zc=0,5-2j. ponto

9

Localização de Máximos e Mínimos

9 Localização de Máximos e Mínimos  Seja Zc=1+1,5j uma impedância de carga, determinar:  Se
9 Localização de Máximos e Mínimos  Seja Zc=1+1,5j uma impedância de carga, determinar:  Se

Seja Zc=1+1,5j uma impedância de carga, determinar:

Se inicialmente

estacionária,

mínimo.

um

será encontrado na onda

de

ponto

de

máximo

ou

A que distância está este ponto.

estacionária, mínimo. um será encontrado na onda de ponto de máximo ou  A que distância
estacionária, mínimo. um será encontrado na onda de ponto de máximo ou  A que distância

10

Localização de Máximos e Mínimos

10 Localização de Máximos e Mínimos Localiza-se Zc=1+1,5j (A); a impedância Traça-se o círculo de SWR
10 Localização de Máximos e Mínimos Localiza-se Zc=1+1,5j (A); a impedância Traça-se o círculo de SWR
10 Localização de Máximos e Mínimos Localiza-se Zc=1+1,5j (A); a impedância Traça-se o círculo de SWR

Localiza-se

Zc=1+1,5j (A);

a

impedância

Traça-se o círculo de SWR

constante (S);

Caminhando-se de A na direção do Gerador sobre S, localiza-se (B) que é o primeiro ponto de máximo;

Ponto de mínimo (F);

A distância física de A a B, é lida na escala WTG (Mais Externa);

Distância = 0,074λ.

Ponto de mínimo (F) ; A distância física de A a B, é lida na escala
Ponto de mínimo (F) ; A distância física de A a B, é lida na escala

11 Determinação da Impedância de uma Carga Desconhecida

11 Determinação da Impedância de uma Carga Desconhecida  Uma Carga desconhecida é ligada a uma
11 Determinação da Impedância de uma Carga Desconhecida  Uma Carga desconhecida é ligada a uma

Uma Carga desconhecida é ligada a uma linha fendida de impedância 50Ω e produz um SWR=2. Ocorrendo o mínimo de tensão mais próximo em d=0,2λ. Determinar a

50 Ω e produz um SWR=2. Ocorrendo o mínimo de tensão mais próximo em d=0,2 λ

Impedância da Carga.

50 Ω e produz um SWR=2. Ocorrendo o mínimo de tensão mais próximo em d=0,2 λ

12 Determinação da Impedância de uma Carga Desconhecida

12 Determinação da Impedância de uma Carga Desconhecida O círculo traçado na carta. de SWR=2 é
12 Determinação da Impedância de uma Carga Desconhecida O círculo traçado na carta. de SWR=2 é

O círculo

traçado na carta.

de

SWR=2

é

O ponto A - Passagem por

um ponto de mínimo.

SWR=2 é O ponto A - Passagem por um ponto de mínimo. Caminhando-se de A sobre

Caminhando-se de A sobre o círculo de SWR na direção da carga, para d=0,2λ na escala

WTL (Penúltima escala),

localiza-se B;

O valor de B lido na carta é o

valor

impedância

procurada.

da

Zc =1,6-0,65j = 80-32,5j Ω.

localiza-se B ; O valor de B lido na carta é o valor impedância procurada. da
localiza-se B ; O valor de B lido na carta é o valor impedância procurada. da

13 Mudança na Impedância Característica da Linha

13 Mudança na Impedância Característica da Linha  Uma carga Zc=60+120j Ω , é ligada a
13 Mudança na Impedância Característica da Linha  Uma carga Zc=60+120j Ω , é ligada a

Uma carga Zc=60+120j Ω, é ligada a uma linha de comprimento l a =0,167λ e Z 0a =75 Ω e a outra linha com l b =0,220λ e Z 0b =50 Ω. Determinar Z in em BB’.

λ e Z 0 a =75 Ω e a outra linha com l b =0,220 λ
λ e Z 0 a =75 Ω e a outra linha com l b =0,220 λ

14 Mudança na Impedância Característica da Linha

14 Mudança na Impedância Característica da Linha No trecho 1, Zc=0,8+1,6j ( A ); Percorre-se partindo
14 Mudança na Impedância Característica da Linha No trecho 1, Zc=0,8+1,6j ( A ); Percorre-se partindo

No trecho 1, Zc=0,8+1,6j (A);

Percorre-se partindo de A, o comprimento l a em WTG. Encontra-se B.

ZB=45-105j Ω,

normalizando para a linha 2, ZB b =0,9-2,1j (C);

Em

B

para a linha 2, ZB b =0,9-2,1j ( C ); Em B Percorre-se partindo de C

Percorre-se partindo de C (pelo novo círculo de SWR), o comprimento l b em WTG. Encontra-se D.

Zin =0,16+0,2j = 8,0+10j Ω.

de C (pelo novo círculo de SWR), o comprimento l b em WTG. Encontra-se D .
de C (pelo novo círculo de SWR), o comprimento l b em WTG. Encontra-se D .

15 Análise de Linha de Transmissão Linha sem Perdas

15 Análise de Linha de Transmissão – Linha sem Perdas  Considere a seguinte linha de
15 Análise de Linha de Transmissão – Linha sem Perdas  Considere a seguinte linha de

Considere a seguinte linha de transmissão:

de Transmissão – Linha sem Perdas  Considere a seguinte linha de transmissão: Z L =
de Transmissão – Linha sem Perdas  Considere a seguinte linha de transmissão: Z L =

Z L = 0,5 +1j (normalizado)

16 Parâmetros que Podem ser Encontrados através da Carta de Smith

que Podem ser Encontrados através da Carta de Smith  Coeficiente de Reflexão – Γ ;
que Podem ser Encontrados através da Carta de Smith  Coeficiente de Reflexão – Γ ;
que Podem ser Encontrados através da Carta de Smith  Coeficiente de Reflexão – Γ ;

Coeficiente de Reflexão – Γ ;

Coeficiente

de

Onda

Estacionária

SWR;

Distância da Carga aos Pontos de Máxima e Mínima Tensão L max e L min ;

Impedância de Entrada da Linha Z in ;

Admitância de Entrada da Linha Y in ;

Admitância da Carga Y L ;

17

Procedimento para Encontrar os Parâmetros na Carta de Smith

Procedimento para Encontrar os Parâmetros na Carta de Smith  Plotar Z L normalizada: Z L
Procedimento para Encontrar os Parâmetros na Carta de Smith  Plotar Z L normalizada: Z L
Procedimento para Encontrar os Parâmetros na Carta de Smith  Plotar Z L normalizada: Z L

Plotar Z L normalizada: Z L = 0,5 + 1j;

Traçar uma linha OA e ler o ângulo: θ = 83º;

Traçar um círculo com centro na origem de raio até o ponto A (círculo de SWR);

Encontrar o coeficiente de reflexão

Ler o ponto de distância da carga para a tensão máxima L max e mínima L min :

 0,62

;

l max = (0,25λ – 0,135 λ) = 0,115 λ

l min = (0,25 λ + 0,115 λ) = 0,365 λ

Sendo l = 3,3 λ, lê-se Z in = 0,3 - 0,4j;

Z in = (0,3 - 0,4j)50 = 15-20j (Valor Real);

18 Análise de Linha de Transmissão Linha sem Perdas

Distância de Z L até Z in ( L = 0,3λ); A– Z L B–
Distância de Z L
até Z in ( L = 0,3λ);
A– Z L
B– SWR e L max
C– L min
D- Z in
E-
Y in
F– Y L

19 Análise de Linha de Transmissão Linha com Perdas

19 Análise de Linha de Transmissão – Linha com Perdas  Linha de transmissão:  Z
19 Análise de Linha de Transmissão – Linha com Perdas  Linha de transmissão:  Z
19 Análise de Linha de Transmissão – Linha com Perdas  Linha de transmissão:  Z

Linha de transmissão:

Z L = 1,2 + 1,2j;

Traçar SWR;

Perda: 3dB;

l = 0,4 λ;

Z in = 0,7+0,3j.

o

círculo

= 1,2 + 1,2j;  Traçar SWR;  Perda: 3dB;  l = 0,4 λ ;

20 Circuitos Ligados em Paralelo com a Linha

20 Circuitos Ligados em Paralelo com a Linha  Circuitos usados para adaptação de impedância; 
20 Circuitos Ligados em Paralelo com a Linha  Circuitos usados para adaptação de impedância; 

Circuitos usados para adaptação de impedância;

Determinar: Z in na linha tendo um indutor em paralelo com Z L ;

usados para adaptação de impedância;  Determinar: Z i n na linha tendo um indutor em
usados para adaptação de impedância;  Determinar: Z i n na linha tendo um indutor em

21 Circuitos Ligados em Paralelo com a Linha

21 Circuitos Ligados em Paralelo com a Linha  Reatância (X =71,1 Ω ) L do
21 Circuitos Ligados em Paralelo com a Linha  Reatância (X =71,1 Ω ) L do
21 Circuitos Ligados em Paralelo com a Linha  Reatância (X =71,1 Ω ) L do
21 Circuitos Ligados em Paralelo com a Linha  Reatância (X =71,1 Ω ) L do

Reatância (X =71,1Ω)

L

do

indutor

e

Susceptância do indutor

B L = 1/X L = -0,7j;

A: Z L = 0,6 0,8j;

B: Z B ;

C:Y

= 1,4 1,3j

onde

 

na

está

o

B

posição

indutor;

=

na posição do indutor;

D:

Y

1,4

2j

res

E: Z

0,22 + 0,34j

=

res

na posição do indutor;

F: Z in = 0,6 + 1,25j;

Z in = 30 + 62,5j Real).

(Valor

22 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha

22 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha  Para adaptações sem perdas utiliza-se elementos
22 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha  Para adaptações sem perdas utiliza-se elementos

Para adaptações sem perdas utiliza-se elementos reativos;

Ligados em série ou em paralelo com a linha;

reativos;  Ligados em série ou em paralelo com a linha;  Parte real da admitância
reativos;  Ligados em série ou em paralelo com a linha;  Parte real da admitância

Parte real da admitância = 1;

Um elemento reativo deve anular a parte imaginária da admitância.

23 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha

23 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha Calcular as posições e os valores dos
23 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha Calcular as posições e os valores dos
23 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha Calcular as posições e os valores dos
23 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha Calcular as posições e os valores dos

Calcular as posições e os valores dos elementos reativos a serem colocados em paralelo com a linha para um perfeito casamento de impedância.

A: Z L = 0,6 1,6j;

B: Y L = 0,2 + 0,55j;

C: Y

= 1 + 2,12j

L

(0,109λ);

D: Y

= 1 2,12j

C

(0,229λ);

Para C: B

L

= -2,12jY

0

susceptância indutiva;

Para D: B

= +2,12jY

0

C

susceptância capacitiva;

24 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha

24 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha  Para o indutor: 1 1 Y
24 Técnica Básica de Adaptação de Impedância na Linha  Para o indutor: 1 1 Y

Para o indutor:

1

1

Y 0,022,12.0,020,042

 

SL 7,5

fB

B

L

0

Z

0

2

L

Para o capacitor:

1

B

C

f

2

Y 0,022,12.0,020,042

SC 1,4

 

B

C

0

Z

0

fB B L 0 Z 0 2  L  Para o capacitor: 1 B C
fB B L 0 Z 0 2  L  Para o capacitor: 1 B C

25

Carta de Smith Impedância-Admitância

25 Carta de Smith Impedância-Admitância  Superposição da Carta de Smith na sua posição original com
25 Carta de Smith Impedância-Admitância  Superposição da Carta de Smith na sua posição original com
25 Carta de Smith Impedância-Admitância  Superposição da Carta de Smith na sua posição original com

Superposição da Carta de Smith na sua posição original com a carta girada em 180° .

transformação de

Permite

impedâncias entre o elemento ativo e uma outra impedância.

Ferramenta

dimensionamento das adaptadoras de

o

a

útil

para

impedância.

26

Carta de Impedância-Admitância

26 Carta de Impedância-Admitância Carta de Impedância-Admitância
26 Carta de Impedância-Admitância Carta de Impedância-Admitância
26 Carta de Impedância-Admitância Carta de Impedância-Admitância
26 Carta de Impedância-Admitância Carta de Impedância-Admitância

Carta de Impedância-Admitância

27 Utilização da Carta de Impedância- Admitância

27 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando um Indutor em Série ao Circuito 
27 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando um Indutor em Série ao Circuito 
27 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando um Indutor em Série ao Circuito 

Adicionando um Indutor em Série ao Circuito Corresponde a um movimento na carta de Impedância sobre

um círculo de

resistência constante desde o valor de

reatância inicial ao valor final no semi- plano de reatâncias positivas.

de resistência constante desde o valor de reatância inicial ao valor final no semi- plano de

28 Utilização da Carta de Impedância- Admitância

28 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando um Capacitor em Série ao Circuito 
28 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando um Capacitor em Série ao Circuito 
28 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando um Capacitor em Série ao Circuito 

Adicionando

um

Capacitor em Série ao

Circuito

Corresponde a um movimento na carta de

Impedância, sobre um

círculo de resistência constante desde o valor de reatância inicial ao valor final no semi-plano de reatâncias negativas.

de resistência constante desde o valor de reatância inicial ao valor final no semi-plano de reatâncias

29 Utilização da Carta de Impedância- Admitância

29 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando um Indutor em paralelo ao Circuito 
29 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando um Indutor em paralelo ao Circuito 
29 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando um Indutor em paralelo ao Circuito 

Adicionando um Indutor em paralelo ao Circuito

Corresponde a um movimento na carta de Admitâncias, sobre um

círculo de resistência

constante desde o valor de reatância inicial ao valor final no semi-plano de admitâncias positivas.

de resistência constante desde o valor de reatância inicial ao valor final no semi-plano de admitâncias

30 Utilização da Carta de Impedância- Admitância

30 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando Capacitor ao Circuito em um paralelo 
30 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando Capacitor ao Circuito em um paralelo 
30 Utilização da Carta de Impedância- Admitância  Adicionando Capacitor ao Circuito em um paralelo 

Adicionando

Capacitor ao Circuito

em

um

paralelo

Corresponde a um movimento na carta de

Admitâncias, sobre um

círculo de resistência constante desde o valor de reatância inicial ao valor final no semi-plano de admitâncias negativas.

de resistência constante desde o valor de reatância inicial ao valor final no semi-plano de admitâncias

31

Redes de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos

de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos  Exemplo : Dimensionar uma rede de adaptação de
de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos  Exemplo : Dimensionar uma rede de adaptação de

Exemplo : Dimensionar uma rede de adaptação de impedâncias, empregando componentes discretos, para ligar uma carga de 10+j5 ohms a uma linha de transmissão de 50 ohms, na freqüência de 500 MHz.

de transmissão de 50 ohms, na freqüência de 500 MHz. Solução: Impedância normalizada Z = 0.2

Solução:

Impedância normalizada Z = 0.2 + j 0.1 (Ponto A na Carta Z-Y)

Deve-se conduzir o ponto A por caminhos que nos forneçam uma impedância de 50 ohms normalizada, ou seja, até o ponto 1.0 .

32

Redes de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos

de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos Rede 1 A -> B Do círculo de raio
de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos Rede 1 A -> B Do círculo de raio

Rede 1 A -> B Do círculo de raio constante igual a 0.2 , na Carta Z, até o círculo constante de raio igual a 1.0, na Carta Y.

Zind= ZA ZB= 0.2 + j 0.3

Desnormalizando

constante de raio igual a 1.0, na Carta Y. Zind= ZA – ZB= 0.2 + j

Zind = j 15 ohms

L = 4.77 nH

constante de raio igual a 1.0, na Carta Y. Zind= ZA – ZB= 0.2 + j

33

Redes de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos

de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos  Rede 1 B -> C Do círculo constante
de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos  Rede 1 B -> C Do círculo constante

Rede 1

B -> C

Do círculo constante de raio igual a 1.0, na Carta Y, até o ponto

central da Carta .

igual a 1.0, na Carta Y, até o ponto central da Carta . bcap = -j

bcap = -j 2 Zcap = - j 0.5

Desnormalizando

Bcap = - j 25 ohms

C = 12.73 pF

na Carta Y, até o ponto central da Carta . bcap = -j 2 Zcap =

34

Redes de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos

de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos  Rede 2 A -> B Do círculo de
de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos  Rede 2 A -> B Do círculo de

Rede 2

A -> B Do círculo de raio constante igual a 0.2 , na Carta Z, até o círculo constante de raio igual a 1.0, na Carta Y.

Zcap= ZA ZB= 0.2 - j 0.5

Desnormalizando

constante de raio igual a 1.0, na Carta Y. Zcap= ZA – ZB= 0.2 - j

Zcap = - j25 ohms

C = 12.73 pF

constante de raio igual a 1.0, na Carta Y. Zcap= ZA – ZB= 0.2 - j

35

Redes de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos

de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos  Rede 2 B -> C Do círculo constante
de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos  Rede 2 B -> C Do círculo constante

Rede 2 B -> C

Do círculo constante de raio igual a 1.0, na Carta Y, até o ponto

central da Carta .

igual a 1.0, na Carta Y, até o ponto central da Carta . bcap = -

bcap = - j 2.0 Zcap = j0.5 Desnormalizando Bcap = j 25 ohms L = 7.95 nH

a 1.0, na Carta Y, até o ponto central da Carta . bcap = - j

36

Redes de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos

36 Redes de Adaptação de Impedâncias com Componentes Discretos

37

Curvas de Fator de Qualidade “Q”

37 Curvas de Fator de Qualidade “Q”  O “Q” pode ser definido para cada nó
37 Curvas de Fator de Qualidade “Q”  O “Q” pode ser definido para cada nó
37 Curvas de Fator de Qualidade “Q”  O “Q” pode ser definido para cada nó

O “Q” pode ser definido para cada nó do circuito, com relação a parte reativa

e parte da impedância naquele ponto. O “Q” dominante será aquele de maior valor encontrado em todos os nós do circuito.

38

Curvas de Fator de Qualidade “Q

38 Curvas de Fator de Qualidade “Q  Em cada circuito, o fator de qualidade e
38 Curvas de Fator de Qualidade “Q  Em cada circuito, o fator de qualidade e

Em cada circuito, o fator de qualidade e obtido por:

Q = x / r

No plano Γ:

Fator de Qualidade “Q  Em cada circuito, o fator de qualidade e obtido por: Q

U = 0

V = 1 / Q

39

Curvas de Fator de Qualidade “Q”

39 Curvas de Fator de Qualidade “Q”
39 Curvas de Fator de Qualidade “Q”
39 Curvas de Fator de Qualidade “Q”
39 Curvas de Fator de Qualidade “Q”

40

Sistema de transmissão

40 Sistema de transmissão Um sistema de transmissão é constituído de:  Gerador  Linha de
40 Sistema de transmissão Um sistema de transmissão é constituído de:  Gerador  Linha de

Um sistema de transmissão é constituído de:

Gerador

Linha de transmissão

Sistema de transmissão Um sistema de transmissão é constituído de:  Gerador  Linha de transmissão

Carga

41

Sistema de transmissão

41 Sistema de transmissão Se a terminação da linha for uma impedância Z c diferente da
41 Sistema de transmissão Se a terminação da linha for uma impedância Z c diferente da

Se a terminação da linha for uma impedância Zc diferente da impedância característica da linha Zo, uma parte do sinal incidente retornará ao gerador.

Z o , uma parte do sinal incidente retornará ao gerador. Linha de transmissão Gerado Zo
Linha de transmissão Gerado Zo Carga r Zc Bloco 1 Bloco 3 Bloco 2
Linha de transmissão
Gerado
Zo
Carga
r
Zc
Bloco 1
Bloco 3
Bloco 2

42

Coeficiente de reflexão

42 Coeficiente de reflexão Linha de transmissão Gerado Zo Carga r Zc d O coeficiente de
42 Coeficiente de reflexão Linha de transmissão Gerado Zo Carga r Zc d O coeficiente de
Linha de transmissão Gerado Zo Carga r Zc d
Linha de transmissão
Gerado
Zo
Carga
r
Zc
d

O coeficiente de reflexão

Gerado Zo Carga r Zc d O coeficiente de reflexão   c E  Campo

 

c

E

Campo elétricorefletido na carg a

E

Campo elétricoincidentena carg a

Para qualquer ponto da linha de transmissão

 

c



d

k d

 

e

d

43

Coeficiente de reflexão

43 Coeficiente de reflexão O sinal de retorno tem amplitude e fase dependentes da carga de
43 Coeficiente de reflexão O sinal de retorno tem amplitude e fase dependentes da carga de

O sinal de retorno tem amplitude e fase dependentes da carga de terminação.

tem amplitude e fase dependentes da carga de terminação. Se o sistema de transmissão não apresenta

Se o sistema de transmissão não apresenta perdas e a carga Zc for invariante no tempo, o módulo do coeficiente de reflexão é constante e apenas sua fase varia ao longo da linha de transmissão.

44

Coeficiente de reflexão

44 Coeficiente de reflexão Pode-se definir o coeficiente de reflexão em função da impedância característica e
44 Coeficiente de reflexão Pode-se definir o coeficiente de reflexão em função da impedância característica e

Pode-se definir o coeficiente de reflexão em função da impedância característica e da impedância resultante no ponto.



d

Z



d

Z

o

Z



d

Z

o

No caso particular em que a distância é zero, d=0, temos:

d  Z o Z  d  Z o No caso particular em que a

 

c

Z

c

Z

o

Z

c

Z

o

45

Coeficiente de reflexão

45 Coeficiente de reflexão Para sistemas onde a impedância da linha é real carga é passiva
45 Coeficiente de reflexão Para sistemas onde a impedância da linha é real carga é passiva

Para sistemas onde a impedância da linha é real

carga é passiva

RE{Z }

o

0

temos sempre:

IM{Z }

o

0

e a

}  o 0  temos sempre:  IM{Z }  o 0  e a

Sendo assim:

E

 

E

Se o sistema for casado

Z

Z

o

Z

Z

c

Z

o

Z

o

1

e não existe reflexão do sinal.

E 0 0

46

Coeficiente de onda estacionária

46 Coeficiente de onda estacionária Um parâmetro utilizado para indicação do grau de descasamento de um
46 Coeficiente de onda estacionária Um parâmetro utilizado para indicação do grau de descasamento de um

Um parâmetro utilizado para indicação do grau de descasamento de um sistema é o coeficiente de onda estacionária (COE).

Um sistema descasado apresenta ao longo da linha um sinal resul- tante que é composto do sinal incidente e do sinal refletido. Assim esse sinal apresentará pontos de maior e menor amplitudes que po- dem ser relacionados com o coeficiente de reflexão.

que po- dem ser relacionados com o coeficiente de reflexão. COE  E max E min

COE

E max E min
E
max
E
min

1 |



|

1 |



|

47

Linha terminado em curto

47 Linha terminado em curto A impedância vista na entrada da linha apresenta caracterís- ticas puramente
47 Linha terminado em curto A impedância vista na entrada da linha apresenta caracterís- ticas puramente

A impedância vista na entrada da linha apresenta caracterís- ticas puramente reativas, cujo valor da reatância varia com a posição do curto.

Variando a distância do curto em relação a entrada obtemos

diferentes valores de reatância, ora com característica capa- citiva e ora indutiva.

em relação a entrada obtemos diferentes valores de reatância, ora com característica capa- citiva e ora

48

Linha terminado em curto

48 Linha terminado em curto Quando a linha opera nessa situação recebe o nome de toco
48 Linha terminado em curto Quando a linha opera nessa situação recebe o nome de toco

Quando a linha opera nessa situação recebe o nome de toco (stub).

48 Linha terminado em curto Quando a linha opera nessa situação recebe o nome de toco
d
d

Parte móvel do toco

49

Linha terminado em curto

49 Linha terminado em curto A impedância normalizada ao longo da linha é dada por: Z
49 Linha terminado em curto A impedância normalizada ao longo da linha é dada por: Z

A impedância normalizada ao longo da linha é dada por:

Z

(d) j tg(2 d)

 

n

Tn

Onde:

d

n é a distância normalizada em relação ao comprimento de onda guiado.

Observa-se que a impedância equivalente do toco varia de forma não linear com a distância exigindo uma constru- ção mecânica para permitir o controle adequado da impe- dância.

não linear com a distância exigindo uma constru- ção mecânica para permitir o controle adequado da

50

Linha terminado em curto

50 Linha terminado em curto
50 Linha terminado em curto
50 Linha terminado em curto
50 Linha terminado em curto
50 Linha terminado em curto

51

Técnicas de casamento de impedâncias

51 Técnicas de casamento de impedâncias Quando a carga é ligada a um gerador é necessário
51 Técnicas de casamento de impedâncias Quando a carga é ligada a um gerador é necessário

Quando a carga é ligada a um gerador é necessário o casamento para que o sistema trabalhe com uma maior eficiência em relação a potência transmitida do gerador para a carga.

Uma solução é a inserção de elementos reativos ao longo do guia de forma a corrigir o descasamento.

ao longo do guia de forma a corrigir o descasamento. Então o casador pode ser entendido

Então o casador pode ser entendido como um transformador de impedâncias visto que a impedância na entrada é a mais próxima possível da impedância característica da linha.

52

Conjunto casador

52 Conjunto casador Sistema de transmissão com inserção de um conjunto casador Conjunto carga  Casador
52 Conjunto casador Sistema de transmissão com inserção de um conjunto casador Conjunto carga  Casador

Sistema de transmissão com inserção de um conjunto casador

Conjunto carga  Casador Zc Zo
Conjunto
carga
Casador
Zc
Zo
Gerador
Gerador
casador Sistema de transmissão com inserção de um conjunto casador Conjunto carga  Casador Zc Zo

Zo

Zo

casador Sistema de transmissão com inserção de um conjunto casador Conjunto carga  Casador Zc Zo
casador Sistema de transmissão com inserção de um conjunto casador Conjunto carga  Casador Zc Zo

53

Casamento com um único toco

53 Casamento com um único toco Um exemplo prático é o casamento de uma antena com
53 Casamento com um único toco Um exemplo prático é o casamento de uma antena com

Um exemplo prático é o casamento de uma antena com uma linha de transmissão. Em linhas bifilares abertas o método mais comum é o uso de um toco ajustável sobre a

linha principal e com comprimento variável.

bifilares abertas o método mais comum é o uso de um toco ajustável sobre a linha

54

Casamento com um único toco

54 Casamento com um único toco Za=Zo Zo dstub Zos Lstub ZR
54 Casamento com um único toco Za=Zo Zo dstub Zos Lstub ZR
54 Casamento com um único toco Za=Zo Zo dstub Zos Lstub ZR
Za=Zo Zo dstub Zos Lstub
Za=Zo
Zo
dstub
Zos
Lstub

ZR

55

Casamento com um único toco

55 Casamento com um único toco O toco é um trecho de linha sem perdas e
55 Casamento com um único toco O toco é um trecho de linha sem perdas e

O toco é um trecho de linha sem perdas e terminadas em

curto ou circuito aberto e sua admitância de entrada é uma

curto ou circuito aberto e sua admitância de entrada é uma susceptância pura. Ya=Yo Linha principal
susceptância pura. Ya=Yo Linha principal Yo=1/Zo dstub Yos Lstub
susceptância pura.
Ya=Yo
Linha principal
Yo=1/Zo
dstub
Yos
Lstub

Yr=1/ZR

56

Casamento com um único toco

56 Casamento com um único toco Yo=1/Zo Y stub Yos Lstub Y a =Y stub +Y(d
56 Casamento com um único toco Yo=1/Zo Y stub Yos Lstub Y a =Y stub +Y(d
56 Casamento com um único toco Yo=1/Zo Y stub Yos Lstub Y a =Y stub +Y(d
Yo=1/Zo
Yo=1/Zo

Ystub

Yos Lstub
Yos
Lstub
56 Casamento com um único toco Yo=1/Zo Y stub Yos Lstub Y a =Y stub +Y(d

Ya=Ystub+Y(dstub)=Yo=1/Zo

56 Casamento com um único toco Yo=1/Zo Y stub Yos Lstub Y a =Y stub +Y(d
56 Casamento com um único toco Yo=1/Zo Y stub Yos Lstub Y a =Y stub +Y(d

Yr=1/Z

Y(dstub)

56 Casamento com um único toco Yo=1/Zo Y stub Yos Lstub Y a =Y stub +Y(d

dstub

57

Casamento com um único toco

57 Casamento com um único toco O toco é colocado no ponto da linha principal onde
57 Casamento com um único toco O toco é colocado no ponto da linha principal onde

O toco é colocado no ponto da linha principal onde a

admitância tem a parte real normalizada igual a 1.

onde a admitância tem a parte real normalizada igual a 1. Y stub =J B stub

Ystub=J Bstub

Y(dstub)=Yo+J B(dstub)

Bstub=- B(dstub)

58

Casamento com um único toco

58 Casamento com um único toco Dependendo do tamanho da linha de transmissão pode haver vários
58 Casamento com um único toco Dependendo do tamanho da linha de transmissão pode haver vários

Dependendo do tamanho da linha de transmissão pode haver vários locais para inserir o toco.

Casamento com um único toco Dependendo do tamanho da linha de transmissão pode haver vários locais
Casamento com um único toco Dependendo do tamanho da linha de transmissão pode haver vários locais

59

Usando a carta de Smith

59 Usando a carta de Smith
59 Usando a carta de Smith
59 Usando a carta de Smith
59 Usando a carta de Smith

60

Usando a carta de Smith

60 Usando a carta de Smith
60 Usando a carta de Smith
60 Usando a carta de Smith
60 Usando a carta de Smith

61

Casamento com toco duplo

61 Casamento com toco duplo Ya=Yo1 Yo 1 =1/Zo 1 dstub2 dstub1 Yos2 Yos1 Lstub1 Lstub2
61 Casamento com toco duplo Ya=Yo1 Yo 1 =1/Zo 1 dstub2 dstub1 Yos2 Yos1 Lstub1 Lstub2
61 Casamento com toco duplo Ya=Yo1 Yo 1 =1/Zo 1 dstub2 dstub1 Yos2 Yos1 Lstub1 Lstub2
Ya=Yo1 Yo 1 =1/Zo 1 dstub2 dstub1 Yos2 Yos1 Lstub1 Lstub2
Ya=Yo1
Yo 1 =1/Zo 1
dstub2
dstub1
Yos2
Yos1
Lstub1
Lstub2

YR=1/ZR

62

Casamento com toco duplo

62 Casamento com toco duplo O primeiro toco é selecionado de forma que antes de ser
62 Casamento com toco duplo O primeiro toco é selecionado de forma que antes de ser

O primeiro toco é selecionado de forma que antes de ser inserido o segundo parte real da admitância seje igual a admitância característica da linha.

seje igual a admitância característica da linha. Y'a=Yo1+JB Yo 1 =1/Zo 1 dstub2 dstub1 Yos1 Lstub1
Y'a=Yo1+JB Yo 1 =1/Zo 1 dstub2 dstub1 Yos1 Lstub1
Y'a=Yo1+JB
Yo 1 =1/Zo 1
dstub2
dstub1
Yos1
Lstub1

YR=1/ZR

63

Casamento com toco duplo

63 Casamento com toco duplo Y'a=Yo1+JB-JB=Yo1 Yo 1 =1/Zo 1 dstub2 dstub1 Yos2 Yos1 Lstub1 Lstub2
63 Casamento com toco duplo Y'a=Yo1+JB-JB=Yo1 Yo 1 =1/Zo 1 dstub2 dstub1 Yos2 Yos1 Lstub1 Lstub2
63 Casamento com toco duplo Y'a=Yo1+JB-JB=Yo1 Yo 1 =1/Zo 1 dstub2 dstub1 Yos2 Yos1 Lstub1 Lstub2
Y'a=Yo1+JB-JB=Yo1 Yo 1 =1/Zo 1 dstub2 dstub1 Yos2 Yos1 Lstub1 Lstub2
Y'a=Yo1+JB-JB=Yo1
Yo 1 =1/Zo 1
dstub2
dstub1
Yos2
Yos1
Lstub1
Lstub2

YR=1/ZR