Vous êtes sur la page 1sur 5

AS TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO E A EAD

Marcos Mendes
Este trabalho foi apresentado à UNISUL, no curso “Gestão da EaD”

Em primeiro lugar, para atuar em EaD, é necessário que se


faça uma análise sobre as teorias da Administração, tanto as pioneiras
quanto as atuais, para que assim seja possível fazer uma analogia com
projetos de EaD e entender as etapas que compõem um projeto de
educação à distância. A partir disso, pode-se ter parâmetros para
diferenciar os modelos e decidir qual o mais indicado para a realidade do
projeto.
Os pontos chave para a compreensão das teorias e modelos
engloba a utilização das atividades administrativa e pedagógica, com o
suporte dos recursos materiais e humanos. As administrativas são
importantes porque elas organizam e executam os processos delineados
pelo projeto pedagógico, que por sua vez, é o backbone da estrutura de
ensino. Um projeto bem estruturado, de acordo com a realidade da
instituição e de seu público alvo, certamente irá prever os materiais
necessários para o bom andamento do curso, bem como decidirá as
pessoas necessárias para a implantação e execução do curso.

a) De que forma os pressupostos teóricos e modelos


de EaD estudados podem contribuir para o sucesso das novas
experiências na área?
Para responder a este tópico, gostaria de ponderar alguns
tópicos das teorias citadas pelo livro e acrescentar algumas mais recentes,
que podem ser aplicadas aos processos de gestão de projetos EaD.
Entre as características da sociedade industrial, pode-se
aplicar à EaD a Mecanização, Fragmentação, Padronização e as novas
formas de comunicação.
• A mecanização através do uso dos
computadores e seus periféricos;
• a fragmentação através do uso de
tutores e monitores no processo
mediatizador do ensino;
• a padronização, com atividades
comuns a todos os alunos;
• e as novas formas de comunicação,
através da internet e suas
ferramentas de multiuso.

A partir disso, faz-se uso da teoria clássica, que de tão


comum em qualquer atividade atual, nem parece que é uma teoria
científica. Acredito que o grande mérito do estudo de Fayol, consiste no
fato dele ter começado a experiência pela área fim, que é onde acontece
os processos produtivos. Segundo os autores da teoria clássica, o processo
administrativo é executado através de cinco ações: prever, organizar,
comandar, coordenar e controlar.
Contextualizando em EaD, pode-se aplicar a teoria clássica
da seguinte forma:
• Prever: implantar projetos que
sejam úteis à comunidade;
• Comandar: instituir os cargos e
atribuições, com seus respectivos
níveis hierárquicos;
• Coordenar: é o start do projeto,
através da execução das ações
idealizadas no Projeto Pedagógico;
• Controlar: verificar se os
processos estão funcionando de
acordo com o planejado. Em caso
“negativo”, reavalia-se a ação e
adapta-se de acordo com a
realidade do projeto.

Após alguns anos Mayo contribui com sua “teoria


comportamental”, onde fala sobre os comportamentos dos colaboradores.
Sua pesquisa informou que a motivação dos trabalhadores tem como
conseqüência melhores resultados.
Assim, pode-se fazer uma analogia em Mayo e a EaD. Quem
atua com EaD sabe que no “meio do caminho” alguns alunos se ausentam
das atividades. Diante deste fato, os tutores e monitores entram em ação,
fazendo uso e-mails, torpedos ou telefonemas, com o intuito de resgatar o
interesse do aluno pelo curso. Na só a teoria das relações aborda sobre
isso, mas também as teorias educacionais são bem claras em relação à
importância da motivação do aluno no processo ensino-aprendizagem.
Já se sabia sobre o processo organizacional e sobre a
motivação. Mas faltava organizar as ações implantadas, de forma que se
racionalizasse as atividades. Para este problema surge uma solução
chamada teoria sistêmica, que abordava os diversos setores como se
fossem engrenagens interdependentes entre si. Assim, se um setor falhar,
os outros sofrerão interrupções. Por analogia, na EaD, essas engrenagens
podem ser definidas como os diversos setores que formam um projeto
educacional, tais como Tutoria, monitoria, material instrucional, suporte,
atendimento, documentação, etc.
Entre os teóricos mais atuais, pode-se citar Boog (2002) que
apresenta uma nova proposta de gestão, onde divide a gestão em dois
núcleos: estrutura organizacional e cultura empresarial.
A estrutura empresarial é uma série de ações que deverão
ser implantadas: descentralização, unidades de negócios, fábrica de
líderes, parcerias e desintermediação. Aplicando esta teoria em EaD, tem-
se o seguinte: A descentralização é obtida através das diversas
coordenadorias que o projeto de EaD precisa ter. No caso da Unisul Virtual
tem-se a reitoria, a administração, o design gráfico, a equipe didático-
pedagógica, e outras mais constantes da contracapa do livro; as
Unidades de negócios podem ser configuradas através da coordenação
de cursos; a Fábrica de líderes: é a demanda de gestores oriundos dos
colaboradores e alunos dos cursos;
Enquanto a estrutura é a mudança que ocorre na
organização, a cultura empresarial é o processo de mudança que acontece
nas pessoas que trabalham na empresa, e Boog (2002) divide esta cultura
empresarial em cinco atitudes: visão compartilhada, empreendedorismo,
criatividade, diversidade e conectividade. Essas mudanças estão
intrinsecamente ligadas a estrutura citada acima.
Em EaD, pode-se explicar a visão compartilhada como o
requisito básico para uma gestão descentralizada, pois os gestores devem
ter os mesmos objetivos; O empreendedorismo é utilizado para a
criação de novas oportunidades para matrícula de alunos; A criatividade
irá evidenciar os futuros gestores da fábrica de líderes; A diversidade é a
gama de cursos oferecidos; A conectividade é o caminho para a relação
ensino/aprendizagem.

b) Caso você fosse responsável pelo desenvolvimento


de uma nova experiência de EaD, qual das teorias e/ou modelos
estudados nesta unidade você escolheria para embasar sua
proposta?

Utilizaria o modelo Sistêmico, por suas possibilidade se


implantação em projetos pequenos, sendo o mais indicado para o projeto
que estou implantando na instituição em que trabalho. Pelas
características deste modelo, é possível que algumas etapas da
implantação aconteçam quase ao mesmo tempo, porém em instâncias
diferentes, em virtude das atribuições de cada setor, como por exemplo
diagnóstico/design e interações/ambiente.
No projeto que está sendo delineado, o diagnóstico, seria a
definição do público-alvo, o delineamento do projeto pedagógico, o
levantamento das necessidades (recursos) e a implantação dos processos
de gestão; o design seria o desenvolvimento do projeto pedagógico, a
produção do material instrucional (com base no modelo de Willis), e a
implantação do ambiente de aprendizagem; a implementação é a
entrega do material didático, a ativação do uso do ambiente de
aprendizagem e a definição dos acessos ao curso; as interações
representam o funcionamento efetivo do curso, através das aulas, dos
chats, fóruns e e-mails; finalmente, o ambiente surge como o local onde
o aluno desenvolve suas ações educativas.
Na realidade em que estou, de acordo com o modelo
sistêmico, algumas etapas já podem ser descritas. No item diagnóstico,
temos apenas definido o público-alvo é composto pelos funcionários e
magistrados da Justiça do Estado do Amapá. No item design, temos
definido o ambiente de aprendizagem, que será o Moodle. Nos quesitos
seguintes ainda não se tem nenhum ação iniciada, o que pretende-se
desenvolver através dos conhecimentos adquiridos no decorrer deste
curso.