Vous êtes sur la page 1sur 34

UMA

OPERAÇÃO

DE

ERROS

Possivelmente na atualidade esteja havendo uma guerra nos céus e a presa desta guerra seja as

Em suma, a Terra

é o palco de uma gigantesca confrontação cósmica

entre as forças do Bem e do Mal. Devemos saber como nos proteger, ficar cientes do que acontece no ambiente humano e a todo momento estar prevenidos, material e espiritualmente. Esta é a nossa melhor forma de proteção nestes dias difíceis”.

Brinsley Poer Trench

mentes dos seres humanos (

).

A Invasão dos discos Voadores

A ssim como na obra de Peretti, atualmente existem muitas pessoas que acreditam piamente que o

mundo está sendo invadido por alienígenas que controlam as mentes dos homens.

E isso não deve ser encarado como se fosse uma piada, pois se trata apenas de enxergar a mesma coisa de um ângulo diferente. Mas é certo que se possuíssem um pouquinho só de fé em Deus, em vez de alienígenas vindos do espaço sideral, diriam que os demônios é que estão se apoderando das mentes humanas.

No que a isso concerne, tenho uma teoria que talvez esteja na rota de colisão com a opinião da comunidade teológica.

De fato acredito que a mente do ser humano está como que programada numa condição que possa ser dominada por uma força ou influência exterior. Neste caso, como ficaria a questão do livre-arbítrio?

Lutero tinha ojeriza a esta palavra e de fato dedicou bastante tempo e argumentos num esforço de refutar tal doutrina.

A meu ver, no entanto, Deus não seria tão perfeito e justo se não houvesse criado o homem com a capacidade de decidir por si mesmo se deveria obedecê- lo ou não. Eu, todavia, não poderia negar que as refutações do famoso reformador alemão suscitaram-me a compreensão de que o livre-arbítrio pode ser a coisa mais maravilhosa e ao mesmo tempo mais perigosa que o Criador concedeu à sua criatura.

Pois se o livre-arbítrio não existisse, Adão decerto não teria fracassado. Sob esse prisma o poder humano de decidir obedecer ou não ao Criador constitui-se um perigo.

Adão

Contudo, se Deus tivesse criado a

a liberdade de

e

não lhe

desse

escolha, Ele seria injusto, e teria criado uma máquina, não um ser humano. Se olharmos deste ângulo, o livre-arbítrio será uma dádiva tão maravilhosa quanto a própria vida. Seja como for, o diabo entendia que assim como os anjos aos quais conseguira enganar maldosamente, Adão estava susceptível às sugestões que podiam ou não ser acatadas.

Parece-me, todavia, soar aos ouvidos a seguinte indagação: Como é que Deus, sabendo de antemão da possibilidade de o homem fracassar, deixou-o à mercê do ardiloso tentador?

É uma colocação de alguém que à semelhança de Adão pretende transferir a responsabilidade e a própria culpa para o Criador, como se Ele houvera facilitado a queda do homem que criara. Mas não nos deixemos enganar, pois Deus não aceita a obediência pela obediência; para sermos-

lhe agradáveis essa submissão precisa ser espontânea e consciente, com devoção e amor à sua pessoa.

Que fique bem claro, portanto, que nenhum ser inteligente ficou ou ficará isento da tentação, e é bastante recordar que o próprio Filho Jesus Cristo Foi pelo Espírito Santo conduzido ao deserto Para ser tentado pelo diabo. Logo, Adão não pecou ao ser tentado, mas o fez quando decidiu ignorar as advertências do seu Criador. E recorde-se ainda que na ocasião em que se deu a primeira sedição de Satanás e seus anjos, outros tantos optaram em permanecer fiéis a Deus. Assim, entendemos que a tentação é apenas um artifício, e que satisfazê-la é uma deliberação pessoal.

Se tenho compreendido bem o nosso drama existencial, posso concluir que há determinadas reações que são próprias da

natureza do homem, e outras que são conseqüências de sua condição humana.

O que pretendo com isso dizer é que

o livre-arbítrio hoje já não é tão perfeito

quanto era na ocasião da queda de nossos pais, porquanto as conseqüências daquela

primeira incongruência fez enfermar a nossa condição, e passamos a sentir prazer não necessariamente em desobedecer ao Criador, mas em não

conhecer a sua vontade, e desta forma dar

à vida os rumos que bem entendermos, sem peso na consciência e sem se importar se é certo ou errado.

Eis a causa pela qual Lutero deplorava a doutrina do livre-arbítrio; porque entendia que ele (o livre-arbítrio) não nos traz benefício algum, antes nos torna ainda mais miseráveis e escravos da nossa própria vontade. E em parte ele estava certo, mas não nos tornamos escravos

espontaneamente; foi a desobediência de Adão que nos colocou debaixo desta condição, de modo que por mais que fizéssemos uso do livre-arbítrio para o bem, ainda assim não poderíamos nos libertar desta escravidão.

Nascemos escravos, é verdade, mas não da nossa vontade, nem contra a nossa vontade, e podemos até desejar a libertação, mas não podemos nos libertar por nós mesmos. Foi por esse motivo que o Bom Criador providenciou a nossa redenção em Cristo Jesus.

Mas Lutero, apesar de toda a sua eloqüência, trocou a causa pelo efeito, porque se for verdade que o homem é escravo de sua própria vontade, fica evidente que, por conseguinte ele também é senhor de si mesmo, e o livre-arbítrio passa a ser um elemento neutro.

O homem, porém, não é escrevo de si

mesmo ou de sua vontade, mas do pecado, ou como dissemos a princípio: “de uma força exterior”. Lembremo-nos do que o apóstolo João afirmou que quem peca é

do diabo. Isso porque, por natureza (ou mesmo contra ela) os homens são escravos daquele a quem obedecem.

Onde pretendemos chegar com toda essa charla, senão na possibilidade de haver sido o homem criado sob a condição de poder ser controlado por uma influência exterior, podendo ela ser boa ou má?

O homem tem atração pelo mal, mas

possui a capacidade de praticar o bem, e,

na concepção de Goethe, a sua alma se inclinará sempre ao que lhe parecer mais precioso.

Seria então o conceito inato do que é desprezível ou precioso que vem a reger a vontade humana? A mim parece que sim,

e penso ser suficiente atentarmos para

Eva, que, tendo por certo que a obediência ao Criador era-lhe proveitosa, ficou deslumbrada ante a possibilidade de existir algo ainda melhor, pelo que se apegou

deliberadamente à proposta feita pela serpente em sua tentação.

Brinsley não estava completamente certo quando disse existir atualmente uma confrontação de dois poderes opostos que disputam o controle das mentes dos seres humanos. A confrontação existe, é verdade, mas apenas as forças do Mal é que se esforçam por possuir a liberdade intelectual dos homens.

O poder do bem, ao qual se referira, quer tão somente que esse ser possua totais capacidades mentais de decidir por

si mesmo a quem deseja servir. Isso, no

entanto, não significa que o Poder do Bem tenha se esforçado menos nesta guerra

pelas almas dos homens, mas que apenas respeita a sua liberdade de optar.

possível

manipular a mente humana por meio de insinuações, sugestões e hipnose, mas do ponto de vista de maligno essa definitivamente não é uma arma perfeita, porquanto a sua eficiência ainda está sujeita à faculdade que o homem tem de aquiescer ou não às sugestões apresentadas à sua mente.

Sabemos

o

quanto

é

Armas químicas para a dominação da mente e do controle em massa, teoricamente existem, e há quem diga possuir provas de que o Serviço de Inteligência dos americanos e dos russos já as empregaram em combate.

Estou completamente persuadido de que tais armas existem, mas a sua utilização também não garante total controle sobre as mentes afetadas por

seus efeitos, já que em tal caso elas são transformadas em máquinas para matar ou para morrer; não sendo, portanto, úteis aos reais propósitos de Satanás.

Mas especialistas no assunto dão testemunho de que o emprego destas armas químicas pode e será aperfeiçoado para a submissão e total controle dos homens num futuro próximo, e o cinema hollywoodiano, que é na verdade laboratório para os experimentos de Satã vem ensaiando maneiras de pôr essa possibilidade em prática.

Não há, entrementes, arma mais poderosa que a astúcia do nosso inimigo, manipulador de um artifício infalível que se constitui em bloquear ou anular a capacidade que temos de tomar a determinadas decisões. Na Bíblia esse procedimento diabólico é chamado de entenebrecimento da mente, quando

assim declara: “Nos quais o deus desse século cegou os entendimentos dos

incrédulos

II Coríntios 4. 4.

Dizia Loke, e me parece verdadeiro, que a alma do homem não possui princípios inatos, mas que pode assimilar e refletir qualquer influência que o mundo exterior lhe projetar.

Em outras palavras,

o homem

ao

nascer traz consigo as faculdades

de

pensar, sentir e desejar, mas são as impressões do mundo exterior que absorvidas no dia-dia e fixadas em sua alma, determinarão a maneira que elas devem reagir.

A Escritura afirma que o homem não conseguirá fazer o bem se for ensinado a praticar o mal, e o demônio, sabendo disso, antecipa-se em preparar o mundo para impingir no espírito humano a desobediência ao seu Criador, e não

apenas após o seu nascimento, mas desde a sua concepção. Há quem chame isso de pecado genético, mas no momento esse autor não está preparado para tal discussão.

Ocorre, porém, que nosso grande inimigo maquinou uma silenciosa conspiração pela qual vem se apoderando das mentes dos homens, e o seu objetivo não se restringe apenas em condicionar a raça humana a um estado contínuo de desobediência ao Criador, mas também em arrebanhá-la para si, com o fim de organizar uma rebelião cujo clímax deverá ser a hecatombe geral do planeta.

Tenho lamentado que mesmo em sociedades alternativas como a dos hippies e dos rastafáris exista a consciência de que o sistema político, filosófico e cultural do nosso mundo é vampiresco e usurpador, ao passo que as igrejas cristãs

simpáticas e

conformadas a esse estado de letargia mental e espiritual ao qual temos sido submetidos.

estejam

cada

vez

mais

Os seguidores destas sociedades alternativas ainda que estejam sob a mesma opressão, ao menos se declaram contrários ao sistema governamental do século em que vivemos.

Eles de fato compreenderam que existe um poder invisível em cujas mãos repousam os controles da sociedade humana, e que os governos trabalham sutilmente a lavagem cerebral de todos os seus súditos para uma finalidade que mesmo alguns dos mais intelectuais e esclarecidos dentre nós parecem não ter percebido.

Observem os trechos de uma canção de reggae bastante popular na Bahia desde os primeiros anos da década de

noventa, e perdoem-me se

esquecimento estiver trocando alguma palavra, pois no fim a idéia central permanecerá fiel à original intenção do cantor Edson Gomes:

por

“Rastafári, sintetizando esse sistema,

A coisa imunda que nos envenena

E que adultera a nossa sina (

)

) (

Eles querendo mudar nossa sina

Nos injetando na inconsciência,

Dizendo que é a democracia;

Grande piada, conto de fada

A filosofia rastafári tem protestado contra o presente sistema governamental e educacional, anunciando a quem quiser ouvir que a democracia nada mais é do

que um veículo pelo qual os homens estão sendo indelevelmente agregados a uma opressora condição moral e espiritual à qual com significante sentido chama de Babilônia.

Fato é que os seus protestos são inócuos, sendo eles mesmos reféns do sistema ao qual desafiam. No fundo, essa gente “despolitizada” está tentando dizer a quem quer esteja por trás dessa máquina opressora: “Nos não estamos cegos!”.

Que fazem os cristãos, senão fingirem que sabem de alguma coisa, quando na verdade a ignoram ou estão em definitivo conformadas a ela, sendo inclusive muitas vezes liderados por homens que estão ocupados demais com os seus negócios profanos enquanto os rebanhos se embriagam sorvendo do cálice desta Grande Meretriz? Tanto pior é-nos constatar que no mais das oportunidades

está sendo

administrado nos púlpitos sobre os quais

deveria fazer-se Verdade Libertadora.

menção da

esse

veneno

satânico

apenas

Chega então o momento em que irei dar demonstrações de como o maligno tem espalhado o seu joio no mundo, preparando a democracia e as religiões, inclusive o cristianismo, para que por intermédio destas seja nos homens injetado o veneno que adultera a mente e domina a sua vontade.

A princípio não pretendemos nos prender a datas ou a revelações detalhadas sobre nomes que possam ser aqui mencionados, sendo-vos suficiente, ao menos por enquanto, saber que os chamados “Protocolos dos sábios de Sião” nada mais são do que os mais antigos pilares de uma pretensão diabólica e

política que estamos convencionados a nomear de a Nova Ordem Mundial 1 .

E se as sombras do tempo não nos permitem conhecer a verdadeira data de sua origem, deixa-nos ao menos saber que em 1773 um projeto humano para dominar o mundo e submetê-lo á vontade de Satanás, foi apresentado por abastados representantes de doze famílias judias durante uma reunião de caráter secreto em Frankfurt, quando o fabuloso Mayer Amschel, também judeu, e dono do Banco Rothschild, lançou a pedra fundamental para o estabelecimento do governo mundial do Anticristo.

1 Com efeito, a legenda da faixa sob a pirâmide de nossa capa está em latim, e traduzida reza: A Nova Ordem Mundial.

Não é sem razão que esse projeto tenha recebido o título de “Os Protocolos dos Sábios de Sião”. Algo que se ajusta perfeitamente nos parâmetros da escatologia, e que pode nos ajudar a compreender certas declarações da Bíblia

no tocante às relações entre Israel e o

Anticristo.

Posterior a isso, os Sábios de Sião passaram as diretrizes do projeto às mãos de outro judeu: Adam Weishaupt, que se encarregou de dar pressa ao macabro plano, fazendo acréscimos e nomeando-o de “O Novo Testamento de Satã”.

Estava mesmo disposto a executá-lo,

modo

amplamente ambicioso, uma vez que o seu

e começou

as

operações

de

primeiro

e

impactante

passo foi,

acreditem,

a

liberação

para

que

se

concretizasse

 

a

Declaração

de

Independência dos estados Unidos da América no dia 1º de Maio de 1776! 2

finalidade teria

Weishaupt iniciado o seu projeto para dominação do mundo a partir da declaração da independência norte- americana? Primeiro a questão do poder.

Com

que

poder

e

Basta recordar que Adam Weishaupt era o He-Man, ou seja, o homem forte a serviço dos Illuminati, verdadeira entidade por trás dos Sábios de Sião, que sem precisar sair das sombras eram os pretensiosos dominadores da Europa.

No que se refere à finalidade. Não ignoremos que a formação de uma Nova

2 A legenda de nossa capa diz: “Feliz aniversário, Illuminati, e logo abaixo vem a data: 1 de Maio de 1776

Ordem Mundial exigia o surgimento de um Novo Mundo onde ela pudesse ser instaurada e daí se estender para o resto do planeta. Deste modo, os estados Unidos da América foram projetados única e exclusivamente para fins maçônicos 3 .

se estranhar que a

ONU tenha se firmado como a entidade soberana das nações e guardiã da paz mundial.

Não é,

pois,

de

Adam Weishaupt veio a ser celebrado em todo o mundo em nossa época através de um desenho animado que o leitor reconhecerá prontamente, pois se trata de He-Man e os Defensores do Universo.

3 No livro “O Símbolo Perdido”, Dan Brown diz mui apropriadamente:

De todos os lugares do Novo Mundo (América), os pais fundadores haviam escolhido um brejo lamacento à beira de um rio para assentar a pedra angular de sua sociedade utópica.

Atente bem para os detalhes que serão agora apresentados:

1- O nome do He-Man é Adam, aparentemente um homem frágil e sem importância, sendo na verdade detentor do maior poder do universo; 2- He-Man significa “Ele - o homem”. Weishaupt também era “o homem” (de Satã?); 3- O título do desenho em português é “He-Man e os defensores do Universo”, mas em inglês se lê “He- Man e os Senhores do Universo”, porque Weishaupt de fato representava aqueles que pretendem ser os donos do mundo; 4- O grito de guerra do He-Man é bem conhecido de todos: “Pelos poderes de Gray Skull, eu tenho a força!” Então ele deixa escapar que existe “uma força” por trás dos seus super poderes. Não estavam os Illuminati

por trás das influências de Weishaupt? 5- Essa força secreta do He-Man emana de Gray Skull: de fato duas palavras inglesas que significam “Caveira Cinzenta”. Mas, quem é a Caveira Cinzenta que aparece no desenho,

senão o Esqueleto, que é

curiosamente o vilão da história? Então o grande herói é em todo o tempo possuído pela força de um inimigo ao qual ele evoca combater! Ademais, há outro detalhe intrigante nas palavras Gray & Skull, pois estas também eram nomes de sociedades secretas que serviam aos Sábios de Sião; 6- No desenho He-Man trás sobre o peito uma Cruz de Malta, a qual verdadeiramente é símbolo do satanismo de Albert Pike, e o próprio

32

Weishaupt

fez

dela

um

dos

seus

legados.

Estes detalhes são suficientes, mas existem outros tantos que ligam os personagens de “He-Man e os Defensores do Universo” ao satanismo antigo, e o leitor os perceberá se com atenção procurá-los.

A conspiração de Weishaupt foi acidentalmente (?) descoberta, mas providencialmente os Sábios de Sião haviam se preparado para semelhante eventualidade, de sorte que passando despercebidos, puderam continuar as suas atividades secretas sem maiores incômodos, e uma vez que não se podiam provar as origens daquela conspiração, o caso foi encerrado.

Logo, o “Novo Testamento de Satã” foi confiado ao famoso pensador político e

satanista Albert Pike, que, aliás, elevou a maldade do projeto ao extremo, após haver ele mesmo traçado os últimos passos para o estabelecimento do governo do Anticristo a partir da eclosão de três grandes guerras mundiais que os Sábios de Sião se encarregariam de provocar, usando as suas influências políticas e econômicas.

Estas guerras tenderiam a reduzir a população do planeta para dez ou vinte por cento, deixando os seus sobreviventes esgotados e inseguros. Quando estas coisas acontecessem os homens desesperadamente iriam apelar para um mundo de um governo só: o do Anticristo.

Agora irei expor-lhes alguns trechos do “Novo Testamento de Satã,” ou “Os Protocolos dos Sábios de Sião”, como é igualmente conhecido, cuja finalidade é

preparar o mundo para o estabelecimento final da Nova Ordem Mundial.

Recitarei apenas as partes que tocam à corrupção da igreja cristã e da moral dos homens em geral. Os demais aspectos desta conspiração silenciosa só serão expostos a seu tempo e se esse autor achar que é mesmo necessário. Vamos então ao que diz:

É preciso atiçar as paixões do

povo e criar uma literatura insípida, obscena e repugnante. O dever da imprensa é de mostrar a incapacidade dos não-iluminados em todos os domínios da vida religiosa e

governamental.

“(

)

O segundo segredo é exacerbar as fraquezas humanas, todos os maus hábitos, as paixões e os defeitos até o ponto em que reine total

incompreensão entre os seres humanos (

estiver

depravada, os seres humanos

perderão toda fé em Deus (

Quando

a

sociedade

“Habituar as pessoas à idéia de autodeterminar-se contribuirá para destruir o sentido de família e de valores educativos. Uma educação baseada em uma doutrina enganadora e sobre ensinamentos errôneos embrutecerá os jovens, pervertendo- os e depravando-os (

Suprimiremos dos homens a sua verdadeira fé. Modificaremos os

princípios das leis espirituais (

).

A ausência dessas leis enfraquecerá a fé dos homens, pois as religiões não serão capazes de nenhuma explicação

As lacunas que ficarem serão

). (

preenchidas

pensamentos

cálculos matemáticos.”

com

os

materialistas

nossos

com

e

Considerem, amigos leitores, que estas metas foram trabalhadas por Adam Weishaupt há cerca de 240 anos. Naturalmente que desde então elas têm sido reformadas no mais absoluto segredo e postas em execução com maior êxito em nossos dias devido aos constantes avanços científicos, bem como o crescimento das influências dos Sábios de Sião no cenário da política mundial.

Por isso imagino ser conveniente nos indagar sobre a natureza das palavras de Brinsley:

“Devemos saber como nos proteger, ficar cientes do que acontece no ambiente humano e a todo momento estar prevenidos, material e espiritualmente ”

A sua preocupação é justificada, mas humanamente falando não há como se proteger da sedução do maligno, pois por sua sutileza ele atinge a sociedade humana em suas principais colunas, que

são: os fundamentos da constituição

35

familiar, a educação secular, a moral e a fé em Deus. Mesmo o salmista bem antes havia percebido que:

“Quando os fundamentos forem corrompidos, que poderá o justo fazer?” Salmo 11. 3.

Há, porém, uma maneira de não ser afetado pela influência de Satanás e de sua operação de erros. O Senhor nos ordenou a estarmos em todo o tempo orando e vigiando se quisermos evitar todas as coisas que devem sobrevir ao mundo.

Se for a respeito desta proteção que Brinsley está se referindo, então ele

acertou. Mas darei maior ênfase ao assunto num capítulo adiante, porque agora preciso tratar de outro tema estritamente relacionado com a influência de Satanás nos sistemas de governo dos homens.

influência de Satanás nos sistemas de governo dos homens. Albert Pike Para os alucinados por teorias

Albert Pike

Para os alucinados por teorias de conspiração, Pike foi o verdadeiro idealizador das duas grandes guerras que sacudiram o mundo, além de ter feito acréscimos ao Novo Testamento de Satã, e planejado a sorrateira degradação das monarquias européias. Era maçom e

grão-mestre do rito escocês, e como todo grande herói americano, obteve a honra de ter erguida uma imagem sua em Washington, capital do Novo Mundo.