Vous êtes sur la page 1sur 5
Faculdade São Francisco de Barreiras E E s s p p e e c c

Faculdade São Francisco

de Barreiras

Faculdade São Francisco de Barreiras E E s s p p e e c c i

EEssppeecciiaalliizzaaççããoo eemm

SSááuuddee PPúúbblliiccaa ee PPSSFF IIII

DDIISSCCIIPPLLIINNAA:: VViiggiillâânncciiaa EEppiiddeemmiioollóóggiiccaa nnoo TTeerrrriittóórriioo SSaaúúddee ddaa FFaammíílliiaa

DDOOCCEENNTTEE:: VVâânniiaa MMeelloo EE--mmaaiill:: vvaanniiaammeelloosseerrccoommtteell ccoomm bbrr

BBaarrrreeiirraass -- BBaa AAggoossttoo //22000088

ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA Disciplina: Epidemiologia

PPrrooffªª VVâânniiaa OOlliivveeiirraa MMeelloo

1ª aula

Histórico da epidemiologia Sistema de informação em saúde (vídeo SINAN)

2ª aula:

Filme: E a vida continua Discussão sobre o filme (enfoque epidemiológico)

3ª aula:

Medidas de Saúde e Datasus - internet

4ª aula:

Exercícios de indicadores

5ª aula:

Transição Demográfica e Epidemiológica Textos: Leitura e discussão

6ª aula:

Epidemiologia Descritiva (processo epidêmico) – (filme) Vigilância epidemiológica

7ª aula:

Agravos Hepatites e Meningites

8ª aula:

Agravos Gripe aviária (filme); Dengue

Bibliografia Básica

ALMEIDA FILHO, N. Introdução à epidemiologia moderna. RJ:ABRASCO,1990.

ANDRADE, Carla Lourenço Tavares de. et al. Desigualdades sócio-econômicas do baixo peso ao nascer e da mortalidade perinatal no Município do Rio de Janeiro, 2001. Caderno de saúde pública, v.20 supl.1 Rio de Janeiro 2004. Disponível em:

<http://www.scielo.com.br>. Acesso em 09/10/2004.

SILVA, L. M. V. & FORMIGLI, V. L. A. Avaliação em saúde: limites e perspectivas. Cadernos de Saúde Pública, v.10, 1994. FORMIGLI, Vera L. Almeida. Avaliação da atenção à saúde através da investigação de óbitos infantis. Caderno de saúde pública v.12 supl.2 Rio de Janeiro 1996. Disponível em: <http://www.scielo.com.br>. Acesso em 09/10/2004.

FLETCHER, R.H. Epidemiologia clínica: bases científicas da conduta médica. 2.ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.

FORATTINI, O. P. Ecologia, epidemiologia e sociedade. São Paulo: Artes Médicas, 1991.

MEDRONHO, R. A . Epidemiologia. 1. ed. SãonPaulo: ed. Atheneu, 2002.

MONTEIRO,C.A. Velhos e novos males da saúde no Brasil. São Paulo: HUCITEC, 1995.

PEREIRA, M.G. Epidemiologia: teoria e prática. RJ: Guanabara Koogan,1995.

ROUQUAYROL, M.Z. Epidemiologia e saúde. 6.ed. RJ:Medi,2003.

EXERCÍCIOS DE ESTASTÍSTICA VITAL E EPIDEMIOLOGIA

1 –

DOCENTE:

VÂNIA OLIVEIRA MELO

O Estado de São Paulo, no ano de 1991, apresentou os seguintes dados:

População

31. 364.475

N.° de nascidos vivos

648.482

N.° nascidos mortos

7.669

N.° de óbitos totais

202.345

N.° de óbitos de menores de 1 ano

20.115

N.° de óbitos de menores de 7 dias

9.930

N.° de óbitos de menores de 28 dias

12.253

N.° de óbitos por causas maternas

321

QUADRO 1 – ÓBITOS GERAIS POR ALGUMAS CAUSAS ESPECIFICAS E POR

FAIXA

ETÁRIA

 

Causas

Enterite e

Tumores

malígnos

Diabetes

mellitus

 

Total

óbitos

 
 

Outras doen-

Pneumonia

Idade (anos)

ças diarreicas

0

-

4

1.673

157

8

2.991

22.863

5

-

9

5

155

3

106

1.330

10

-

14

4

101

5

82

1.471

15

-

19

6

164

20

122

4.475

20

-

24

7

190

38

168

6.295

25

-

29

7

285

57

218

6.512

30

-

34

19

457

73

244

7.153

35

-

39

30

715

85

330

7.573

40

-

44

10

1.048

156

323

8.160

45

-

49

30

1.454

206

313

9.172

50

-

54

35

2.138

313

350

11.335

55

-

59

36

2.656

470

542

13.327

60

-

64

54

3.260

665

716

16.346

65

-

69

60

3.308

808

791

17.560

70

-

74

68

3.036

810

1.013

18.679

75

-

79

73

2.586

649

1.266

18.546

80

e

+

145

2.849

826

3.074

31.259

Id.

Ig.

4

9

-

23

289

TOTAL

 

2.266

24.568

5.192

12.711

202.345

Fonte:

Faculdade de Medicina da USP/Depto. De Medicina Preventiva/Apostila de Exercícios de Estatística Vital.

Baseando-se nos dados acima, calcule:

a) Coeficiente de mortalidade geral;

b) Os coeficientes de mortalidade infantil, mortalidade infantil tardia, mortalidade neo-natal e mortalidade neo-natal precoce. Comente o comportamento dos coeficientes de mortalidade infantil;

c) O coeficiente de natimortalidade;

d)

O coeficiente de mortalidade materna;

e)

Os coef. de mortalidade por tumores malignos e coef. de mortalidade por pneumonia;

f) Mortalidade proporcional para menores de 1(um) ano e para os de 50 anos ou mais (Razão de Mortalidade Proporcional);

g) Mortalidade proporcional para os menores de 5 (cinco) anos: a) entre os óbitos por enterite e outras doenças diarréicas; b) entre os óbitos por tumores malignos;

h) Mortalidade proporcional para os de 50 anos e mais: a) entre os óbitos por Diabetes

mellitus; b) entre os óbitos por pneumonia.

2 –

Suponha que a Secretaria de Saúde esteja empenhada em melhorar a notificação de casos de difteria e inicie um campanha com esta finalidade. Você esperaria:

a) um aumento dos coeficientes de incidência e de letalidade por difteria;

b) uma diminuição dos coeficientes de incidência e de letalidade por difteria;

c) uma diminuição do coeficiente de letalidade e aumento do coeficiente de incidência;

d) um aumento do coeficiente de letalidade e uma diminuição do coeficiente de incidência.

3 -

Com os dados das Tabelas 1 e 2, calcule para o Município A, em 1990:

3a) coeficientes de incidência de tuberculose na população geral e em menores de 1 ano; 3b) coeficiente de prevalência por tuberculose; 3c) coeficientes de letalidade e de mortalidade por tuberculose, sabendo-se que houve 3 óbitos por tuberculose nesse ano; 3d) coeficientes de incidência de sarampo em menores de 5 anos e em menores de 1 ano; 3e) coeficiente de mortalidade infantil; 3f) coeficiente de natimortalidade;

TABELA 1 - Eventos vitais no Município A, segundo tipos, 1990

EVENTOS VITAIS

NÚMERO

Óbitos gerais

160

Óbitos de menores de 1 ano

44

Nascidos mortos

10

Nascidos vivos

662

População total de mais de 5 anos

15.636

População de menores de 5 anos

2.132

FONTE: dados hipotéticos

TABELA 2 - Casos notificados e conhecidos de algumas doenças infecciosas, Município A, 1990

DOENÇA

NÚMERO

Tuberculose

- novos

15 ( 1 em menor de 1 ano)

- antigos

25

Tétano

8 (1 em menor de 1 ano)

Coqueluche

12 ( 3 em menores de 1 ano)

Sarampo

10 ( 3 em menores de 1 ano e os demais em crianças de 1 a 5 anos)

Difteria

2 ( ambos em menores de 1 ano)

Poliomielite

2 (1 em menor de 1 ano)

FONTE: Dados Hipotéticos

4 - A Tabela 3, abaixo, contém dados de mortalidade para o Município de São Paulo, para os Subdistritos de Jardim América e de Guaianazes, por faixas etárias. Para o primeiro os dados referem-se ao Número de Óbitos, enquanto para os dois últimos tem-se a Mortalidade Proporcional.

TABELA 3 – Óbitos e Mortalidade proporcional, por faixas etárias, no Município de São Paulo e Subdistritos de Jardim América e de Guaianazes, 1991.

FAIXA ETÁRIA

MUN. SÃO PAULO N° de Óbitos

J. AMÉRICA % de Óbitos

GUAIANAZES % de Óbitos

0

| -- 1

4.932

2,1

15,3

1

| -- 5

599

0,0

2,1

5

| -- 20

2.275

1,1

7,5

20

| -- 50

16.252

11.4

34,1

50

e mais

37.786

85,4

41,0

TOTAL

 

61.844

100,0

100,0

Fonte:

Faculdade de Medicina da USP/Depto. de Medicina Preventiva/Apostila de Exercícios de Estatística Vital.

4a) Calcule o Coeficiente de Mortalidade Proporcional por idade para o Município de São Paulo. 4b) Construa a Curva de Mortalidade Proporcional para o Município de São Paulo e para os Subdistritos de Jardim América e de Guaianazes. 4c) Compare as três curvas, comentando as diferenças.