Vous êtes sur la page 1sur 35

MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 1 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 3

“O aprimoramento profissional faz parte da evolução da Instituição, devendo


representar objetivo permanente para cada um dos seus integrantes. Somente este
caminho levará ao maior bem estar de todos, como reflexo direto do reconhecimento
moral e material da sociedade. A melhoria do todo passa, necessariamente pela de
cada um”.
PREFÁCIO
Ro 13: “Toda a alma esteja sujeita às autoridades; porque não há autoridade
Destina-se o presente Manual a subsidiar o policial militar durante as mais que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus”.
diversificadas situações que se lhes apresentam durante o transcorrer do serviço. É de “Por isso quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que
fundamental importância o constante aprimorar bem como o perfeito cumprimento da resistem trarão sobre si mesmos a condenação”.
legislação vigente, para a obtenção de uma prestação de serviços à Comunidade cada
vez melhor.
Este MANUAL é uma contribuição do Autor para com o profissional de polícia
militar. AQUISIÇÃO DO LIVRO
Informações sobre os locais de venda do livro, ou sobre
SÉRGIO MOREIRA DOS SANTOS
procedimentos para aquisição do Livro via Correio através do telefone
2° TEN PM - Autor
(18) 3608-1021ou (18) 3624-3854 com a Srª Fátima.
São Paulo, 26 de setembro de 2003.

SUGESTÕES OU DÚVIDAS
Diretamente com o Autor através do celular (11) 9896-6801
ou através de carta para a Rua Montese, nº 937; Bairro Planalto;
Araçatuba/SP; CEP 16035-300.
Obrigado! O autor.
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 5 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 7

ÍNDICE REMISSIVO Portaria de Auto de Prisão em Flagrante Delito.......................298


A AUTORIDADE POLICIAL ...............................................................16 Portaria de Inquérito Policial Militar.......................................289
AUTORIDADES QUE DEVEM SER CIENTIFICADAS................. 1 0 6 Recolhimento Disciplinar.........................................................305
ATO ADMINISTRATIVO (CONCEITOS)............................................20 Relatório de Auto de Prisão em Flagrante de Delito..............288
ARMAMENTO DO POLICIAL MILITAR.........................................113 Relatório de Inquérito Policial Militar.....................................295
Á REA OU SEG. DE ATUAÇÃO DA AUTORIDADE POL MIL....18 Relatório de Investigação Preliminar........................................301
B Relatório de Sindicância...........................................................282
BO/PM-TC: Solicitação de Prazo para IPM ou SIND...................................280
FUNDAMENTAÇÃO ......................................................60 Solução de Inquérito Policial Militar.......................................294
FINALIDADE E REGISTRO....................................................77 Solução de Sindicância..............................................................284
REGISTO....................................................................................120 Termo de Declarações...............................................................290
DELITOS OBJETO DE TC..............................................33 Termo de Deserção.....................................................................308
DELITOS QUE PODERÃO SER OBJETO DE TC................45 Termo de Juntada de Documentos............................................304
DELITOS QUE NÃO SÃO OBJETO DE TC.............................57 MORTE DE POLICIAL, PROCEDIMENTOS.................................107
BREVE HISTÓRIA DA POLÍCIA(de São Paulo/ Brasil/ Mundo)......237 N
NORMA SOBRE EMBRIAGUEZ NO SERVIÇO..............................268
BUSCA PESSOAL, DOMICILIAR E EM VEÍCULO ............. ........ ....91
NORMAS DO SISTEMA OPERACIONAL ........................................67
C NÚPCIAS .............................................................................................346
CASAMENTO (ver núpcias)....... .........................................................346 O
CHASSI (localização) ...............................................................................83 OC .c/AUTORIDADE comIMUNIDADE DIPLOMÁTICA ........... ..110
CÓDIGOS (excertos): OC. C/AUTORIDADEcomIMUNIDADE PARLAMENTAR............111
Código Penal Militar...................................................................258 OC. c/de ROUBO/FURTO/EXTRAVIO de MAT. do ESTADO..........110
Código de Processo Penal Militar...............................................270 OC. c/ INTEGRANTES DAS FFAA, PC e GCM .................................109
CÓDIGO de Defesa do Consumidor............................................83 OC. c/ INTEGRANTES do MPou MAGISTRADO.............................111
CÓDIGO de Trânsito.................................................................195 OC. c/ MENORES DE 18 ANOS ................................................ ... ... ... 112
CONFLITOS entre PM e PC: OC. c/ POLICIAL MILITAR como RSM ou outra..............................103
OBSERVAÇÃO pelo PM, em linhas gerais, no atend. de Ocorrência.119
Comunicar OPM do PM indiciado em IP (art. 1º P. DGP nº 08)..95
Cópia de Auto de Exibição e Apreensão.......................................95 P
Encaminhamento de Pessoa e/ou Objeto para Perícia................99 PLANTÃO DOS DISTRITOS POLICIAIS........................................353
Explicação de Conflito Positivo e Negativo................................93 PODER DE POLÍCIA ............................................................................19
Ocorrências..................................................................................98 POLÍCIA JUDICIÁRIA MILITAR:
Relacionamentos........................................................................95 APFD - Esquema..................................................................252
CONTRAVENÇÕES PENAIS................................................................40 Competência para apuração....................................................249
CRIMES: Embasamento.......................................................................248
Crime de Abuso de Autoridade....................................................56 IPM - Esq uema..........................................................................251
Crimes Ambientais..................................................................39,59 Itens a serem preechidos para a Prisão em Flagrante Delito....253
Crimes Comuns........................................................................33,59 Lavratura do APFD e Providências.........................................253
Crimes contra o Consumidor....................................................43,54 Não aplicação da Lei Fed 9099/95...............................................32
8 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 6 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR

Prazos..........................................................................................249 Crimes contra a CRIANÇA e o ADOLESCENTE...............43,52


Providências...............................................................................249 Crimes contra a Econômia Popular..........................................270
Súmulas de interesse...................................................................195 Crimes contra a Ordem Econômica............................................60
PRISÃO EM FLAGRANTE ...............................................................118 Crimes Eleitorais (delitos e procedimentos)......................49,58,62
PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ......................................313 Crimes de Imprensa.....................................................................51
R Crimes Militares........................................................................260
RDPM REG. DISCIPLINAR DA POLÍCIAMILITAR .. ... ... ... ... ... .32 0
Crimes de Trânsito.............................................................37,56,58
RECURSOS ADMINISTRATIVOS....................................................345
S Crimes ref. ARMAS................................................................51,57
SD PM TEMPORÁRIO..................................................................... ...31 0 Crimes ref. ENTORPECENTE...................................................52
SEGURO OBRIGATÓRIO, COBERTURA DE GASTOS..................90 CONSEG...............................................................................................235
T D E
TATUAGEM CRIMINAL................. ..................................................224 DESERÇÃO..........................................................................................255
TELEFONES DA POLÍCIACIVIL ..................................................349 DISTINÇÃO das ESFERAS CIVIL/PENAL/ADMINISTRATIVA . .1 5
TELEFONES DA POLÍCIAMILITAR.............................................358 DIVISÃO DO TERRITÓRIO ESTADUALPARAA POLÍCIA
TELEFONES DE UTILIDADE .........................................................352 MILITAR E APOLÍCIA CIVIL ........................................................362
TRANSPORTE GRATUITO AO PM FARDADO...............................99 E
TRÂNSITO: ESTUDOS SOBRE O DIREITO PENAL...........................................25
Acidente de Trânsito com veículo oficial...................................108
Infrações de Comp. do Estado..................................................176 H
Infrações de Comp. do Município.............................................211 HORÁRIO ESTUDANTE ..................................................................346
Normas Afins.............................................................................168
Orientações Gerais sobre Trânsito.............................................171 L
LICENÇA AGESTANTE ...................................................................346
LICENÇA PATERNIDADE ...............................................................346
AS OCORRÊNCIAS
LIDERANÇA NA INSTITUIÇÃO E NA COMUNIDADE ... ... ... ... 234
LUTO ....................................................................................................347
A - OCORRÊNCIAS CONTRA A PESSOA M
A01 HOMICÍDIO .................................................................................120
MISSÃO E COMPETÊNCIA DA PM..................................................15
A03 HOMICÍDIO / TENTATIVA .......................................................122
MODELO DE:
A04 ABORTO .......................................................................................122
A05 LESÃO CORPORAL DOLOSA/ AGRESSÃO .........................122 Auto de Exibição e Apreensão...................................................299
A06 INFANTICÍDIO ...........................................................................124 Auto de Inventário.....................................................................303
A07 PERICLITAÇÃO DA VIDA ........................................................124 Auto de Reconhecimento Pessoal..............................................281
A08 ABANDONO DE RECÉM NASCIDO .......................................124 Certidão......................................................................................292
A09 OMISSÃO DE SOCORRO .........................................................125 Designação de Escrivão.............................................................291
A10 AMEAÇA ......................................................................................125 Despacho Homologatório para IPM ou SIND.........................297
A11 SEQÜESTRO E OU CÁRCERE PRIVADO .............................125 Despacho para o caso de Deserção.............................................300
A12 VIOLAÇÃO DE DOMICÍLIO ...................................................126 Intimação...................................................................................287
A13 MAUS TRATOS ...........................................................................127
Mandado de Busca.....................................................................309
A14 RACISMO .....................................................................................128
Ofício para Exame de Corpo de Delito......................................307
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 9 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 11

B - OCORRÊNCIAS CONTRA O PATRIMÔNIO O09 FALSAIDENTIDADE ...................................................................161


O10 PORTE ILEGALDE ARMA ...........................................162
B01 FURTO ..........................................................................................128 O11 DISPARO DE ARMADE FOGO .......................................165
B03 FURTO / TENTATIVA ................................................................129 O14 FALSIFICAÇÃO............................................................................ 166
B04 ROUBO..........................................................................................129 O15 FORMAÇÃO BANDO / QUADRILHA.......................................166
B05 ROUBO / TENTATIVA ...............................................................130 O16 AMEAÇADE BOMBA ..................................................................166
B06 EXTORÇÃO .................................................................................130 017 EXPLOSÃO DE BOMBA ...............................................................166
B07 POSSE / INVASÃO DE PROPRIEDADE ..................................131 O18 SOLTURA DE BALÕES / FOGOS ...............................................166
B08 DANO / DEPREDAÇÃO .............................................................131 O19 ABANDONO MATERIAL ............................................................166
B09 APROPRIAÇÃO INDÉBITA ......................................................132 O20 ENTREGA DE FILHO MENOR A PESSOA INIDÔNEA......... 1 6 7
O21 ABANDONO INTELECTUAL .....................................................167
B10 ESTELIONATO / FRAUDE ........................................................133
O22 SUBTRAÇÃO DE INCAPAZ........................................................ 16 7
B11 RECEPTAÇÃO .............................................................................136 O99 OUTRAS OCORRÊNCIAS DE ILÍCITO PENAL.......................230
B12 LATROCÍNIO ...............................................................................137
B13 EXTORÇÃO MEDIANTE SEQÜESTRO...................................137 P OCORRÊNCIAS DE TRÂNSITO
B14 ALARME DISPARADO. .............................................................137 P01 AUTO ABANDONADO................................................................... 174
B15 ALARME DISPARADO ACIDENTALMENTE .. .... .... .... .... .... ..13 8 P02 ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMA...............................174
B16 AUTO LOCALIZADO ....................................................................138 P03 ACIDENTE DE TRÂNSITO SEM VÍTIMA.................................174
B17 ROUBO COM RETENÇÃO DA VÍTIMA.....................................230 P04 ATROPELAMENTO ......................................................................175
P05 ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMA E COM
C - OCORRÊNCIAS CONTRA A PAZ PÚBLICA CARGA PERIGOSA ..............................................................................175
C01 PERTURBAÇÃO DO SOSSEGO PÚBLICO ...............................138 P06 ACIDENTE DE TRÂNSITO SEM VÍTIMA COM
C02 CONDUTA INCONVENIENTE....................................................139 CARGA PERIGOSA ..............................................................................175
C03 EMBRIAGUEZ ...............................................................................139 P07 ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMA PRESA
C04 DESINTELIGÊNCIA .....................................................................139 EM FERRAGEM ...................................................................................175
C05 VIAS DE FATO ................................................................................140 P08 DIREÇÃO DE VEÍCULO SEM HABILITAÇÃO ... ... ... ... ... ... ... .17 5
C06 RIXA .................................................................................................140 P09 DIREÇÃO PERIGOSA DE VEÍCULO ........................................176
C07 TROTE .............................................................................................141 P20 ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VIATURA PM........................229
P99 OUTRAS OCORRÊNCIAS DE TRÂNSITO................................229
D - OCORRÊNCIAS CONTRA OS COSTUMES
D01 ESTUPRO ........................................................................................141 R OCORRÊNCIAS DE AUXÍLIO AO PÚBLICO
D02 ATO OBSCENO ..............................................................................142 R01 ACIDENTE PESSOAL....................................................................230
D03 ESCRITAOU OBJETO OBSCENO ..............................................142 R02 PARTURIENTE...............................................................................230
D04 ATENTADO VIOLENTO AO PUDOR .........................................143 R03 DEMENTE........................................................................................230
D05 CORRUPÇÃO DE MENORES ......................................................143 R04 MORTE NATURAL.........................................................................230
R05 MAL SÚBITO...................................................................................230
D06 RAPTO .............................................................................................144
R06 INDIGENTE.....................................................................................230
D07 EXPLORAÇÃO DO LENOCÍNIO ................................................144 R07 PESSOA DESPROTEGIDA............................................................230
D08 JOGO DE AZAR .............................................................................145 R11 PESSOA DESAPARECIDA.............................................................230
D09 VADIAGEM .....................................................................................146 R12 PESSOA LOCALIZADA.................................................................230
D10 MENDICÂNCIA .............................................................................147 R14 OBJETO ABANDONADO / LOCALIZADO...............................230
D11 SERVIR BEBIDA ALCOÓLICA A INCAPAZ .............................147 R15 ORIENTAÇÃO................................................................................230
D12 IMPORTUNAÇÃO OFENSIVA AO PUDOR ...............................147 R16 AUXÍLIO A GESTANTE DESAMPARADA...............................230
D13 ESTUPRO / TENTATIVA ...............................................................148 R17 AUXÍLIO A MIGRANTE........................................................230
D14 DESORDEM / PERTURBAÇÃO DA TRANQÜILIDADE ..... ....1 48 R99 OUTRAS OCORRÊNCIAS DE AUXÍLIO AO PÚBLICO....230
12 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 10 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR

S OCORRÊNCIAS DE BOMBEIRO E - OCORRÊNCIAS CONTRA A ADMINISTRAÇÃO


S01 INCÊNDIO................................................................................230
S02 VAZAMENTO DE GLP COM FOGO.....................................230
PÚBLICA E OU CRIMES COMETIDOS PELO
S03 EXPLOSÃO AMBIENTAL......................................................230 PARTICULAR CONTRA A ADMINISTRAÇÃO
S06 SUPER AQUECIMENTO DE EQUIPAMENTO....................230 PÚBLICA
S08 EXPLOSÃO..............................................................................230
S10 VAZAMENTO DE GLP...........................................................230 E01 CONCUSSÃO .................................................................................148
S12 ACIDENTE COM PRODUTO PERIGOSO............................230 E02 CORRUPÇÃO .................................................................................148
S14 QUEDA DE ÁRVORE.............................................................230 E03 RESISTÊNCIA ................................................................................150
S15 QUEDA DE FIO ENERGIZADO............................................230 E04 DESOBEDIÊNCIA.........................................................................150
S16 ÁRVORE COM PERIGO DE QUEDA IMINENTE...............230 E05 DESACATO ....................................................................................151
S18 ACIDENTE COM MEIO DE TRANSPORTE.........................230 E07 CONTRABANDO / DESCAMINHO ............................................152
S26 DESMORONAMENTO / ESCORREGAMENTO..................230 E08 ABUSO DE AUTORIDADE ...........................................................153
S28 DESABAMENTO.....................................................................230 F - OCORRÊNCIAS COM ENTORPECENTE
S30 AMEAÇA / DESABAMENTO / DESMORONAMENTO......230 F01 TRÁFICO DE ENTORPECENTE ...............................................154
S32 OBJETOS EM LOCAL DE RISCO.........................................230 F02 USO OU PORTE DE ENTORPECENTE ...................................155
S34 PESSOA EM LOCAL DE RISCO............................................230 F03 ENCONTRO DE ENTORPECENTE ..........................................155
F04 DROGADO .....................................................................................155
S36 ANIMAL PERIGOSO / RAIVOSO / AGRESSIVO................230
S38 ANIMAL EM LOCAL DE RISCO...........................................230 G - OCORRÊNCIAS COM PRESOS
G01 FUGA ..............................................................................................156
S42 CADÁVER DESAPARECIDO................................................230
G02 REBELIÃO / MOTIM ................................................................156
S44 OBJETOS PERDIDOS.............................................................230 G03 ESCOLTADE PRESOS ..............................................................156
S46 ENCHENTE..............................................................................230 G04 REVISTA EM XADREZ ...............................................................156
S48 VAZAMENTO DE ÁGUA.......................................................230 G05 TENTATIVA DE FUGA ................................................................156
S50 INUNDAÇÃO...........................................................................230
S52 CASO CLÍNICO.......................................................................230
H - OCORRÊNCIAS DE MANIFESTAÇÃO PÚBLICA
H01 GREVE ...........................................................................................158
S54 QUEDA.....................................................................................230 H02 PIQUETE .......................................................................................157
S60 INSETOS AGRESSIVOS.........................................................230 H03 TUMULTO .....................................................................................158
S62 EMBARCAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RISCO.......................230 H04 PASSEATA......................................................................................158
S70 SUSPEITA DE SITUAÇÃO DE RISCO..................................230 H05 SAQUE ............................................................................................158
S99 OUTRAS OCORRÊNCIAS DE BOMBEIRO.........................230 H06 MANIFESTAÇÃO PÚBLICA ......................................................159
T APOIO A INSTITUIÇÃO PÚBLICA I - OCORRÊNCIAS CONTRA O MEIO AMBIENTE
T01 APOIO AO POLICIAMENTO OSTENSIVO..........................230
T02 APOIO A POLICIAMENTO ESPECIALIZADO....................230
CRIMES AMBIENTAIS
I01 INFRAÇÃOAMBIENTAL ............................................................159
T03 APOIO A OUTROS ÓRGÃOS POLICIAIS............................230 I02 INFRAÇÃOAMBIENTAL DE PESCA.......................................159
T04 APOIO A POLICIAL MILITAR..............................................230 I03 INFRAÇÃO DE PESCA ................................................................160
T05 APOIO AO ENSINO / INSTRUÇÃO PM...............................230 I04 POLUIÇÃO AMBIENTAL ...........................................................160
T07 APOIO AO PODER JUDICIÁRIO..........................................230 O - OUTRAS OCORRÊNCIAS DE ILÍCITO PENAL
T08 APOIO A INSTITUIÇÕES PÚBLICAS..................................230 O01 EXERCÍCIO ILEGAL PROF./ATIVIDADE ..... ... ... ... ... ... ... ... .16 0
T09 APOIO A INSTITUIÇÕES PRIVADAS..................................230 O02 VIOLAÇÃO DE SEPULTURA.................................................160
T99 APOIO A OUTRAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS.................230 O03 CRUELDADE CONTRA ANIMAIS ........................................161
V OUTROS ATENDIMENTOS O04 ENVENENAMENTO DE ÁGUA POTÁVEL .........................161
V01 ENCONTRO DE CADÁVER..................................................230 O08 CRIME CONTRA ECONOMIA POPULAR ..........................161
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 13 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 15

V02 AVERIGUAÇÃO DE SUSPEITO...........................................230


V03 SUICÍDIO.................................................................................230
V04 SUICÍDIO / TENTATIVA.......................................................230
V06 PRESERVAÇÃO DE LOCAL.................................................230
V08 PROTEÇÃO PESSOAL / PATRIMONIAL............................230
V09 TRANSPORTE EMERGENCIAL...........................................230
V10 TRANSPORTE.........................................................................230
V11 EVACUAÇÃO AERO-MÉDICA............................................230
V12 POLICIAMENTO PREVENTIVO..........................................230
V13 INSTRUÇÃO / TREINAMENTO...........................................230
V99 OUTROS ATENDIMENTOS ................................................230
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 33 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 35

AÇÃO
CRIMES ABRANGIDOS PELA LEI 9.099/95 ARTIGO TIPO PENAL PENA
PENAL
FRUSTRAÇÃO DE DIREITO DE 1 MÊS A 1 ANO -
"DELITOS OBJETO DE 203
ASSEGURADO POR LEI TRABALHISTA.
PI
MULTA
FRUSTRAÇÃO PARA FRAUDE OU
TERMO CIRCUNSTANCIADO" (BO/PM-TC) 204 VIOLAÇÃO DE NACIONALIDADE DO
DE 1 MÊS A 1 ANO -
PI
MULTA
TRABALHO
OBS.: ALICIAR TRABALHADORES DE UM
PI = PÚBLICA INCONDICIONADA DE 2 MESES A 1 ANO -
207 PARA OUTRO LOCAL DO TERRITÓRIO PI
PC = PÚBLICA CONDICIONADA MULTA
NACIONAL.
PV = PRIVADA ULTRAJE A CULTO E IMPEDIMENTO
DE 1 MESES A 1 ANO
208 OU PERTURBAÇÃO DE ATO A ELE PI
OU MULTA
RELATIVO
IMPEDIR OU PERTURBAR DE 1 MÊS A 1 ANO
209 PI
TIPO PENAL - CÓDIGO PE- AÇÃO CERIMÔNIA FUNERÁRIA. OU MULTA
ARTIGO PENA DE 3 MESES A 1 ANO
NAL, Lei Fed 2848/1940 PENAL 233 ATO OBSCENO PI
OU MULTA
129,CAPUT LESÕES CORPORAIS LEVES 3 MESES A 1 ANO PC CONHECIMENTO PRÉVIO DE
237 DE 3 MESES A 1 ANO PI
129, § 6° LESÕES CORPORAIS CULPOSAS 2 MESES A 1 ANO PC IMPEDIMENTO PARA O CASAMENTO
240 ADULTÉRIO DE 15 DIAS A 6 MESES PV
130,CAPUT PERIGO DE CONTÁGIO VENÉREO 3 MESES A 1 ANO PC
DE 15 DIAS A 1 MÊS
132,CAPUT PERIGO PARA A VIDA OU SAÚDE 3 MESES A 1 ANO PI 246 ABANDONO INTELECTUAL PI
OU MULTA
135,CAPUT OMISSÃO DE SOCORRO DE 1 A 6 MESES PI 247 MÁ TUTELA DE MENOR DE 3 MESES A 1 ANO PI
136,CAPUT MAUS TRATOS 2 MESES A 1 ANO PI INDUZIMENTO A FUGA OU DE 1 MÊS A 1 ANO
248 PI
SONEGAÇÃO DE INCAPAZES OU MULTA
137,CAPUT RIXA 15 DIAS A 2 MESES PI
PROVOCAR EXPLOSÃO,
146 CONSTRANGIMENTO ILEGAL SIMPLES 3 MESES A 1 ANO PI CULPOSAMENTE, DE SUBSTANCIA
251,§ 3° DE 3 MESES A 1 ANO PI
147 AMEAÇA DE 1 A 6 MESES PC DIFERENTE DE DINAMITE OU

150,CAPUT SUBSTÂNCIA ANÁLOGA


VIOLAÇÃO DE DOMICÍLIO SIMPLES DE 1 A 3 MESES PI
252,§ ÚNICO USO DE GÁS TÓXICO CULPOSO DE 3 MESES A 1 ANO PI
151,CAPUT VIOLAÇÃO DE CORRESPONDÊNCIA DE 1 A 6 MESES PC
CAUSAR DESABAMENTO OU
256,§ ÚNICO DE 6 MESES A 1 ANO PI
153 DIVULGAÇÃO DE SEGREDO DE 1 A 6 MESES PC DESMORONAMENTO CULPOSO
DIFUSÃO DE DOENÇA OU PRAGA DE 1 MÊS A 6 MESES
259,§ ÚNICO PI
CULPOSA OU MULTA
ATENTADO CULPOSO CONTRA A
262,§ ÚNICO DE 3 MESES A 1 ANO PI
SEGURANÇA DE MEIO DE TRANSPORTE
264,CAPUT ARREMESSO DE PROJÉTIL DE 1 MÊS A 6 MESES PI
INFRINGIR MEDIDA SANITÁRIA DE 1 MÊS A 1 ANO -
268,CAPUT PI
PREVENTIVA MULTA
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 81 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 83

CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR


LEI 8078 DE 1990
(ALGUNS ARTIGOS)

Art. 42. Na cobrança de débitos, o consumidor inadimplente não será exposto a


ridículo, nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça.
Parágrafo único. O consumidor cobrado em quantia indevida tem direito à
repetição do indébito, por valor igual ao dobro do que pagou em excesso, acrescido de
correção monetária e juros legais, salvo hipótese de engano justificável.
Art. 54. Contrato de adesão é aquele cujas cláusulas tenham sido aprovadas pela
autoridade competente ou estabelecidas unilateralmente pelo fornecedor de produtos
ou serviços, sem que o consumidor possa discutir ou modificar substancialmente seu
conteúdo.§ 1º. A inserção de cláusula no formulário não desfigura a natureza de adesão
do contrato.
§ 2º. Nos contratos de adesão admite-se cláusula resolutória, desde que
alternativa, cabendo a escolha ao consumidor, ressalvando-se o disposto no § 2º do
artigo anterior.
§ 3º. Os contratos de adesão escritos serão redigidos em termos claros e com
caracteres ostensivos e legíveis, de modo a facilitar sua compreensão pelo consumidor.
§ 4º. As cláusulas que implicarem limitação de direito do consumidor deverão
ser redigidas com destaque, permitindo sua imediata e fácil compreensão.
§ 5º. (Vetado).
Art. 75. Quem, de qualquer forma, concorrer para os crimes referidos neste
Código incide nas penas a esses cominados na medida de sua culpabilidade, bem como
o diretor, administrador ou gerente da pessoa jurídica que promover, permitir ou por
qualquer modo aprovar o fornecimento, oferta, exposição à venda ou manutenção em
depósito de produtos ou a oferta e prestação de serviços nas condições por ele proibidas.
OBS.: Ver no índice sobre “CRIMES contra o CONSUMIDOR”

LOCALIZAÇÃO DA NUMERAÇÃO DO CHASSI DOS


VEÍCULOS.

MOTO:
1) Honda CG 125/ML 125/Turuna 125/XL-XLX
250R/CB400/CB400II/CB450/CB450E/CB450 Custon/Hamaha RX 125/TT
125/DT 180 Trail/RDZ: no lado direito do quadro, abaixo do farol;
92- MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 90 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR

2) aposento ocupado de habitação coletiva , VAZ VOLLJSKI AUTOMOBLNYZAVOD (UNIÃO SOVIÉTICA):


3) compartimento não aberto ao público , onde alguém exerce profissão ou 1) laika, niva e samara: no asoalho do porta-malas;
atividade ( ex.: consultório médico ) . 2) para demais modelos: painel corta fogo compartimento do motor;
Segundo o artigo 150 , parágrafo 5º CP e 174 CPPM ,não se compreende na
expressão "casa" :
1) hospedaria , estalagem ou qualquer outra habitação coletiva , enquanto VOLKSWAGEN:
aberta , salvo a restrição do número II do parágrafo anterior , 1) caminhões: na parte dianteiro da longarina direita;
2) taverna ( bares ) , casa de jogo e outras do mesmo gênero . 2) brasília ls luxo: embaixo do banco traseiro;
Nos casos em que estejam acontecendo desastre , flagrante delito , 3) fusca 1300: embaixo do banco traseiro;
necessidade de socorro ou autorização do morador , a autoridade policial 4) fusca 1300 l: embaixo do banco traseiro;
não necessita de mandado de busca para tal entrada na "casa" , agora caso 5) fusca new beetle: sob assento traseiro;
haja apenas suspeitas sobre a idoneidade do local , cabe à autoridade 6) Gol 1.3l/s 1.6/bx 1.6/ ls 1.6/gt 1.8: abrindo o capô, atrás do esguichador de
policial solicitar junto à autoridade do Poder Judiciário o mandado de água, a partir de 1995 no compartimento da bateria lado direito;
busca e apreensão ( artigos 240 ao 246 , CPP e artigos 171 ao 179, CPPM). 7) golf: no pé do parabrisa;
8) kombi: std no motor, na frente da bateria; de 1983 a 1996 sob o assento dianteiro
ABORDAGEM A VEÍCULO SUSPEITO 9) direito; a partir de 1997 ao lado do assento do passageiro dianteiro direito
Segundo os artigos 244 do CPP , 180 do CPPM e 10 , "e" da Lei 5108/66 10) logus: no assoalho do passageiro lado direito;
( CNT ) , a vistoria e abordagem em veículos independem de mandado de busca e 11) parati s/ls: abrindo o capô, atrás do esguichador de água;
apreensão , havendo apenas a fundada suspeita sobre objetos e coisas ilícitas que se 12) passat ls/gls 2p/gls 3p village/ts/gts pointer: abrindo o capô, atrás do
encontrem no interior do veículo . esguichador de água;
Quanto a esta abordagem interna é aconselhável ao menos uma testemunha 13) pointer: no assoalho do passageiro lado direito;
presencial da revista realizada no veículo , verificando a idoneidade da mesma . 14) quantum: painel transversal traseiro no comparmento do motor;
15) santana cd 2p/cd 2p/quantum cg 4p: abrindo o capô, no centro;
SOLICITAÇÃO DO MANDADO DE BUSCAE APREENSÃO 16) saveiro: abrindo o capô, atrás do esguichador de água, a partir de 1995 no
Trata-se da hipótese de entrar-se em uma residência quando da suspeita de que compartimento da bateria lado direito;
esteja acontecendo um crime ou contravenção penal . Neste caso não haverá o crime de 17) variant: embaixo do banco traseiro;
invasão de domicílio ou de abuso de autoridade . 18) variant ii: embaixo do banco traseiro;
19) voyage ls: abrindo o capô, atrás do esguichador de água;
Deverá constar no histórico :
20) vw sedan: túnel do chassi assento traseiro.
1) o que será solicitado : mandado de busca e apreensão ;
2) o local da busca ( rua , número , bairro , comarca judicial ) ; VOLVO (SUÍCIA):
3) motivo de se preservar a Ordem Pública ; 1) caminhões e ônibus: na longarina direita, próximo ao eixo dianteiro;
4) características do(s) indivíduo(s) , nome , vulgo , RG , etc ; 2) demais veículos: painel corta fogo compartimento do motor ou assoalho do
5) motivo para a realização da busca ( tipo de delito , suspeita , denúncias , porta-malas.
necessidades , testemunhas ) ;
6) se há processos ou denúncias anteriores ao(s) indivíduo(s) ;
7) fundamentação legal do mandado de busca ; DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA A
8) agradecimentos à autoridade judiciária .
Deverá ser elaborado na forma de Ofício e entregue direto à autoridade COBERTURA DE DESPESAS PELO SEGURO
judiciária para que esta forneça o Mandado de Busca .
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 101 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 103

IV OCORRÊNCIAS ENVOLVENDO POLICIAL MILITAR,


COMENTÁRIOS E como Resistência Seguida de Morte(RSM) ou outra.

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Devemos considerar que o PM, quando no trajeto entre sua residência e seu local
de trabalho, ou vice-versa, é considerado como se estivesse em serviço para fins de

PARA ATUAÇÃO direitos como Promoção por ato de bravura e outros; contudo não é entendido como de
serviço e sim como “de folga” se em decorrência de sua ação haver incidência em tipo
EM OCORRÊNCIAS penal, este é comum(IP) se for contra civil e será militar (IPM) se for contra militar ou
local sujeito a Adm. Militar.
Nas ocorrências em que o PM encontre-se de folga ou de serviço, o CFP deverá
ir ao local dos fatos para analisar a situação e tomar as providências adequadas de
acordo com cada ocorrência;
Fazer anotações a respeito do fato no Relatório do CFP;
O CFP deverá elaborar Parte Circunstanciada para o SCmt da Unidade a respeito
dos fatos observados; verificando os seguintes dados indispensáveis, conforme o caso:
! Data, horário e local da ocorrência dos fatos;
! Integrantes da viatura que esta atendendo e prefixo da viatura;
! Envolvidos: graduação, nome completo, Unidade, Cia e ou nome do civil,
endereço, telefone;
! Estava de serviço ou de folga (se envolvido for militar);
! Estava fardado ou em trajes civis (se envolvido for militar);
! Dados do veículo : marca, modelo, cor placas (se houver envolvimento de
veículo);
! Dados da arma: calibre, oxidado / inoxidado, polegadas do cano, qual
numeração existente ou raspada / pinada, capacidade para quantos
cartuchos, municiado com quantos cartuchos intactos e ou deflagrados. (Se
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 113 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 115

O adolescente apreendido por ato infracional deverá ser conduzido ao Delegado de infração penal cometida com violência, grave ameaça ou contra a incolumidade
!de Polícia(art.172, 173, 174) e deverá de pronto o operador do COPOM/CAD pública;
informar a pessoa indicada pelo adolescente (art. 5º, LXII da CF/88). 3) policial militar que não se encontre, no mínimo, no “BOM” comportamento, ou que
! Legislação: 1)Lei Nº 8.069 de 13Jul90 (Estatuto da Criança ou Adolescente); esteja sendo submetido a processo administrativo, cuja pena seja passível de demissão
2)Decreto Nº 19903, de 30/10/1950 (Uso de algema) ou expulsão;
! Resolução SSP-72, de 29/10/1990. 4) aluno oficial, antes de completar 01 (um) ano de efetivo serrviço, contado a partir da
data de ingresso na Corporação;
5) Soldado PM 2ª Classe, enquanto estiver frequentando o Curso de Formação de
ARMAMENTO DO POLICIAL MILITAR Soldados;
6) Cabo ou Soldado PM, antes de completar 02 (dois) anos de efetivo serviço na
Normas: Diretriz PM 4-3/1.2/99, Diretriz PM4-001/1.2/00 e Ordem Corporação, para aquisisção de arma de fogo diretamente da Industria;
Complementar PM4-1/1.1/00.. 7) policial militar reformado por motivos disciplinares ou, ainda, constar dos seus
assentamntos punição disciplinar por estar alcoolizado, em estado de embriaguez por
PORTE DE ARMADE FOGO POR POLICIAL MILITAR uso de substância entorpecente, ou por ter disparado arma de fogo m razão de descuido
1) o porte de arma de fogo é inerente ao Policial Militar, restrito aos limites ou sem necessidade, nos últimos 02 (dois) anos; e
territoriais do Estado de São Paulo, mediante a Cédula de Identidade Funcional, 8) aplicam-se aos policiais militares inativos as disposições constantes nos itens “1)” e
instituída pelo Decreto Estadual 14298 de 21/11/1979: “2)”.
a) quando de serviço com arma da corporação, deverá portar somente a ARMAS, ACESSÓRIOS, APETRECHOS E MUNIÇÕES DE USO
Cédula de Identidade Funcional; PERMITIDO:
b) quando de folga com arma da corporação, deverá portar a Cédula de 1) revolveres até calibre .38 de polegadas, exceto se do tipo "magnum";
Identidade Funcional e a Autorização de Carga de Arma de Fogo 2) pistolas semi-automáticas, até o calibre .380 (9,65mm) com cano até 15cm de
(Anexo “F"); comprimento;
c) quando de serviço com arma particular, deverá portar a Cédula de 3) espingardas, exceto as espingardas de repetição ou semi-automáticas e a calibre
Identidade Funcional, o Certificado de Registro de Arma de Fogo 12, de uso policial;
(Anexo"F") e estar autorizado pelo Cmt da Unidade nos termos de "usá-la 4) carabinas, rifles e armas semelhantes até calibre .44 (11,17mm) inclusive;
em substituição à arma da Corporação e/ou como arma sobressalente". Não 5) "cartuchos de caça";
pode estar ostensiva, no caso de sobressalente. O P/4 deverá providenciar a 6) cartuchos para armas de fogo raiada de uso permitido, exceto se "balas dum-
nota para Bol Int, mediante pedido do interessado (PARTE). O Policial dum" ou de ação explosiva ou incendiária ao impacto do projétil;
deverá constar em todo o serviço no RSM a utilização de tal arma; 7) ar mas de pressão por ação de gás comprimido ou por ação de mola, com calibre
d) quando de serviço ou de folga com arma particular, deverá portar a Cédula até 6 mm inclusive;
de Identidade Funcional e o Certificado de Registro de Arma de Fogo 8) armas em utilização de competição desportiva, com cartuchos contendo
(Anexo "F"); exclusivamente pólvora;
2) o Policial Militar poderá portar arma de fogo, de uso permitido, particular ou 9) armas que utilizem projéteis anestésicos para uso veterinário;
pertencente ao patrimônio da PMESP, fora dos limites territoriais do Estado se 10) dispositivo ótico de pontaria com aumento inferior a 6 (seis) vezes e diâmetro da
satisfeitos os requisitos: objetiva menor que 36 (trinta e seis) mm;
a) estar no exercício de suas atribuições legais ou em trânsito; 11) cartuchos-de-caça (vazios, semi-carregados ou carregados) para armas de fogo
b) autorizado pela Autoridade Policial Militar competente (Cmt, Chefe ou de alma lisa de calibre permitido;
Diretor de OPM); 12) blindagem balística contra armas de uso permitido;
c) tempo máximo da autorização é de 90 (noventa) dias. 13) coletes, escudos, capacetes, ... para proteção contra armas de uso permitido;
3) uso de arma de fogo particular no serviço; o PM poderá empregar no s e r v i ç o 14) veículo de passeio blindado.
operacional arma de fogo de porte de sua propriedade; satisfeitas as Observação: em todos os casos deve-se ter o devido “porte” ou “autorização”.
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 121 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 123

§ 1º - Se resulta:
A01 HOMICÍDIO
HOMICÍDIO SIMPLES I - incapacidade para as ocupações habituais, por mais de 30 (trinta) dias;
Art. 121 - Matar alguém: II - perigo de vida;
Pena - reclusão, de 6 (seis) a 20 (vinte) anos. III - debilidade permanente de membro, sentido ou função;
Caso de diminuição de pena IV - aceleração de parto:
§ 1º - Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou Pena - reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos.
moral, ou sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação da § 2º - Se resulta:
vítima, o juiz pode reduzir a pena de um sexto a um terço. I - incapacidade permanente para o trabalho;
II - enfermidade incurável;
HOMICÍDIO QUALIFICADO
III - perda ou inutilização de membro, sentido ou função;
§ 2º - Se o homicídio é cometido:
IV - deformidade permanente;
I - mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo torpe;
V - aborto:
II - por motivo fútil;
III - com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso Pena - reclusão, de 2 (dois) a 8 (oito) anos.
LESÃO CORPORAL SEGUIDA DE MORTE
ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum;
§ 3º - Se resulta morte e as circunstâncias evidenciam que o agente não quis o
IV - à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte
resultado, nem assumiu o risco de produzi-lo:
ou torne impossível a defesa do ofendido;
Pena - reclusão, de 4 (quatro) a 12 (doze) anos.
V - para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime:
DIMINUIÇÃO DE PENA
Pena - reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos.
§ 4º - Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social
HOMICÍDIO CULPOSO
§ 3º - Se o homicídio é culposo: ou moral ou sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação
Pena - detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos. da vítima, o juiz pode reduzir a pena de um sexto a um terço.
Aumento de pena SUBSTITUIÇÃO DA PENA
§ 4º - No homicídio culposo, a pena é aumentada de um terço, se o crime resulta de § 5º - O juiz, não sendo graves as lesões, pode ainda substituir a pena de detenção
pela de multa:
inobservância de regra técnica de profissão, arte ou ofício, ou se o agente deixa de
I - se ocorre qualquer das hipóteses do parágrafo anterior;
prestar imediato socorro à vítima, não procura diminuir as conseqüências do seu ato, ou
II - se as lesões são recíprocas.
foge para evitar prisão em flagrante. Sendo doloso o homicídio, a pena é aumentada de
Lesão corporal culposa
um terço, se o crime é praticado contra pessoa menor de 14 (catorze) anos. § 6º - Se a lesão é culposa:
§ 5º - Na hipótese de homicídio culposo, o juiz poderá deixar de aplicar a
Pena - detenção, de 2 (dois) meses a 1 (um) ano.
pena, se as conseqüências da infração atingirem o próprio agente de forma tão grave AUMENTO DE PENA
que a sanção penal se torne desnecessária. § 7º - Aumenta-se a pena de um terço, se ocorrer qualquer das hipóteses do art.
EXEMPLO DE RELATÓRIO A01 121, § 4º.
Verificado no local (poça de sangue) e ouvido declarações; o indiciado João, § 8º - Aplica-se à lesão culposa o disposto no § 5º do art. 121.
armado de revólver, efetuou um disparo em direção à vítima José atingindo-a na EXEMPLO DE RELATÓRIOA05
cabeça e evadindo-se do local logo após. Verificado no local (taco quebrado) e ouvido declarações; o autor José de
Vítima José socorrida por populares ao P.S. Mandaqui, mas falecendo quando posse de um taco de bilhar desferiu um golpe no ombro da vítima João por discussão
recebia cuidados médicos. sobre time futebol, o autor evadiu-se logo após.
Em patrulhamento com vistas esta guarnição, localizou e deteve o indiciado
164 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 162 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR

PERDA DA ARMA
FALSIFICAÇÃO DE DOCUMENTO PÚBLICO
A pessoa terá sua arma tomada em favor do Estado, conforme segue abaixo:
Art. 297 - Falsificar, no todo ou em parte, documento público, ou alterar
a) se a arma estiver com numeração raspada Þ perde (inafiançável)
b) se não conseguir comprovar (registro ou Nota Fiscal) a titularidade da documento público verdadeiro:
Pena - reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa.
arma Þ perde (afiançável)
C) se cometer um crime com a arma: § 1º - Se o agente é funcionário público, e comete o crime prevalecendo-se do
cargo, aumenta-se a pena de sexta parte.
1) se for condenado Þ perde
§ 2º - Para os efeitos penais, equiparam-se a documento público o emanado de
2) se for beneficiado com a suspensão do processo 2 Þ perde (só após 2
entidade paraestatal, o título ao portador ou transmissível por endosso, as ações de
(dois) anos receber a arma se provar a titularidade) sociedade comercial, os livros mercantis e o testamento particular.
3) se for absolvido no processo Þ não perde
FALSIFICAÇÃO DE DOCUMENTO PARTICULAR
RESTRIÇÕES PARA QUEM PORTAR UMA ARMA, SEJA CIVIL OU
MILITAR (NÃO EM SERVIÇO): Art. 298 - Falsificar, no todo ou em parte, documento particular ou alterar
documento particular verdadeiro:
a) não conduzi-la ostensivamente: a inobservância implica em infração Pena - reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos, e multa.
administrativa;
b) não portá-la em clubes, casas de diversão, estabelecimentos FALSIDADE IDEOLÓGICA
educacionais e locais onde se realizam atividades esportivas ou haja Art. 299 - Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia
aglomeração de pessoas. constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser
O funcionário de uma boate que guarda uma arma de cliente incorre em escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato
crime, pois precisa da autorização da autoridade competente. O porte é pessoal e juridicamente relevante:
intransferível enquanto perdurar a titularidade. Pena - reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos, e multa, se o documento é público, e
O cidadão que transitar com arma de fogo sem o porte (crime) ou com o porte reclusão de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa, se o documento é particular.
(mas o porte não permite a situação) deve ser conduzido à Delegacia de Polícia. Parágrafo único - Se o agente é funcionário público, e comete o
PORTE DE ARMA DO POLICIAL MILITAR crimeprevalecendo-se do cargo, ou se a falsificação ou alteração é de assentamento de
registro civil, aumenta-se a pena de Sexta parte.
O porte de arma de fogo é inerente ao policial militar:
a) se estiver de serviço e com arma da Corporação deverá portar a USO DE DOCUMENTO FALSO
cédula de identidade funcional; Art. 304 - Fazer uso de qualquer dos papéis falsificados ou alterados, a que se
b) se estiver de serviço ou de folga e com arma particular deverá portar a referem os arts. 297 a 302:
cédula de identidade funcional e o certificado de registro de arma de
Pena - a cominada à falsificação ou à alteração.
fogo;
C) se estiver de folga e com arma da corporação deverá portar cédula de EXEMPLO DE RELATÓRIO O09
identidade funcional e autorização de carga de arma de fogo.
Verificado no local (papel descolorido,..); o indiciado Roberto em abordagem
LEI FEDERAL Nº 9437/97 - INSTITUI O SINARM
desta guarnição apresentou a identidade ora referida querendo se passar como menor de
Art. 10 - Possuir, deter, portar, fabricar, adquirir, vender, alugar, expor à
18 (dezoito) anos.
venda ou fornecer, receber, ter em depósito, transportar, ceder, ainda que
Indiciado conduzido ao 90º DP onde o Del Pol confeccionaou BO/PC de uso de
gratuitamente, emprestar, remeter, empregar, mantersob guarda e ocultar arma
documento falso.
de fogo, de uso permitido, sem a autotização e em desarcordo com deteminação
legal ou regulamentar. O10 PORTE ILEGAL DE ARMA
DECRETO FEDERAL Nº 2222/97
Pena - detenção de 01 (um) a 02 (dois) anos e multa.
168 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 166 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR

P OCORRÊNCIAS DE TRÂNSITO O14 FALSIFICAÇÃO


VER O09
NORMAS AFINS EXEMPLO DE RELATÓRIO O14: NÃO HÁ.

Art. 74 da Lei 9099/95 A composição dos danos civis será reduzida a escrito e,
O15 FORMAÇÃO BANDO/QUADRILHA
homologada pelo Juiz mediante sentença irrecorrível, terá eficácia de título a ser QUADRILHA OU BANDO
executado no juízo civil competente.
Art. 288 - Associarem-se mais de três pessoas, em quadrilha ou bando, para o fim
Parágrafo único. Tratando-se de ação penal de iniciativa privada ou de ação
de cometer crimes:
penal pública condicionada à representação, o acordo homologado acarreta a renúncia
Pena - reclusão, de 1 (um) a 3 (três) anos.
ao direito de queixa ou representação.
Parágrafo único - A pena aplica-se em dobro, se a quadrilha ou bando é
Art. 76 da Lei 9099/95 (conhecida como transação penal, vide legislação)
armado.
Art. 88 da Lei 9099/95 Além das hipóteses do Código Penal e da legislação
especial, dependerá de representação a ação penal relativa aos crimes de lesões EXEMPLO DE RELATÓRIO O15: NÃO HÁ.
corporais leves e lesões culposas. O16 AMEAÇA DE BOMBA
CTB, CRIMES DE TRÂNSITO EXEMPLO DE RELATÓRIO O16: NÃO HÁ.
Art. 291 da Lei 9503/1997 Aos crimes cometidos na direção de veículos 017 EXPLOSÃO DE BOMBA
automotores, previstos neste Código, aplicam-se as normas gerais do Código Penal e do Ver A05 ou B08 ou outro.
Código de Processo Penal, se este Capítulo não dispuser de modo diverso, bem como a
Lei n. 9.099, de 26 de setembro de 1995, no que couber. EXEMPLO DE RELATÓRIO O17: NÃO HÁ.
Parágrafo único. Aplicam-se aos crimes de trânsito de lesão corporal culposa, de O18 SOLTURA DE BALÕES/FOGOS
embriaguez ao volante, e de participação em competição não autorizada o disposto nos Ver art. 42 de crimes ambientais (ocorrências contra meio ambiente)
art. 74, 76 e 88 da Lei n. 9.099, de 26 de setembro de 1995.
EXEMPLO DE RELATÓRIO O18: NÃO HÁ.
ACIDENTE DE TRÂNSITO
O19 ABANDONO MATERIAL
Acidente de trânsito é toda ocorrência onde há danos materiais culposos ou lesões
corporais em pessoa / animal de forma culposa e que o fato ocorreu com pelo menos ABANDONO MATERIAL
um veículo em movimento. Art. 244 - Deixar, sem justa causa, de prover a subsistência do cônjuge, ou de
TIPOS DE ACIDENTE filho menor de 18 (dezoito) anos ou inapto para o trabalho, ou de ascendente
inválido ou valetudinário, não lhes proporcionando os recursos necessários ou
Tipos de acidente de Trânsito (NP da PMRv de 1993): colisão: colisão frontal, colisão faltando ao pagamento de pensão alimentícia judicialmente acordada, fixada ou
traseira e colisão lateral; atropelamento; choque; capotamento; tombamento; outros: majorada; deixar, sem justa causa, de socorrer descendente ou ascendente,
soterramento, submersão, explosão, ... gravemente enfermo:
LOCAL (Lei Fed 5970/73 que está transcrita na infr. Trâns. Comp. Estado Pena - detenção, de 1 (um) a 4 (quatro) anos e multa, de uma a dez vezes o maior
“Deixar o condutor envol. em acid. c/ vítima de preserva o local..”; Res salário mínimo vigente no País.
SSP-19/74 e Res SSP-382/99) : a) O policial militar deve sinalizar o local, conforme Parágrafo único - Nas mesmas penas incide quem, sendo solvente, frustra ou
o caso se valendo de galhos, cones, fitas ou outro meio; b) No local o policial faz o ilide, de qualquer modo, inclusive por abandono injustificado de emprego ou função, o
croqui, ainda que em um rascunho e posteriormente no formulário; c) Num acidente
pagamento de pensão alimentícia judicialmente acordada, fixada ou majorada.
onde o(s) veículo(s) estiver(em) no leito da via pública prejudicando o trânsito, o poli-
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 173 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 175

particular (art. 2º do CTB e definição de via). No entanto, independentemente de ser ordem, CLA n° 311424.
via pública, há o delito de trânsito, excetuado os delitos dos art. 306, 308, 309 e 311 do P04 ATROPELAMENTO
CTB que exigem o requisito “via pública” para sua configuração. EXEMPLO DE RELATÓRIO P04: NÃO HÁ.
21) Na infração de estacionamento em que não haja guincho disponível para P05 ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMA C/ CARGA
remoção pode ser feito só a autuação. PERIGOSA
22) É obrigatório a identificação do passageiro na ficha de informações do RELATÓRIO DE P05: NÃO HÁ.
passageiro, para o caso de transporte rodoviário interestadual e internacional(Res.
ANTT 18 de 23/05/02 e Decreto nº 2521, de 20/03/98).A desobediência não constitui P06 ACIDENTE DE TRÂNSITO SEM VÍTIMA C/ CARGA
autuação de trânsito, só o impedimento do embarque. PERIGOSA
23) Conduzir veículo sem tarjeta de identificação do município ou com município EXEMPLO DE RELATÓRIO P06: NÃO HÁ.
diverso do previsto no CLA; autuação “Portar no veículo placas de identificação...”
P07 ACIDENTE DE TRÂNSITO C/ VÍTIMA PRESA EM
24) O condutor que portar o Comprovante de Recolhimento ao invés do CLA deve
ser autuado por “Conduzir veículo sem os documentos de...” + a infração que havia
FERRAGEM
motivado o recolhimento do CLA caso ainda exista. EXEMPLO DE RELATÓRIO P07: NÃO HÁ.
25) É permitido dirigir descalço, pois a infração é para o calçado inadequado. P08 DIREÇÃO DE VEÍCULO SEM HABILITAÇÃO
26) Veículo desportivo que transitar na via pública deverá satisfazer as condições O art. 309 do CTBde acordo com Jurisprudência, Doutrinas e OS a respeito
impostas a todos veículos e condutores. No caso de autuação, se não há placa e não foi resulta no seguinte:
possível levantar através do CAD ou COPOM , fazer o AI e o CR (se for o caso)
colocando o número do chassi. Esse veículo estará isento de fiscalização se estiver SITUAÇÃO AÇÃO DO PM
sendo transportado sobre outro veículo.
27) O material de fabricação dos lacres das placas devem ser de material sintético Se a pessoa estiver dirigindo SEM Autuação por dirigir sem CNH + CR para
virgem (polietileno) ou metálico (chumbo), conforme Res. CONTRAN 45/98. No
habilitação (não for habilitada) e NÃO se o CLA + liberação do veículo para pessoa
Estado de São Paulo os veículos são lacrados somente com material sintético virgem
(polietilno), conforme Portaria do DETRAN 1140/99. Não há infração para os casos. envolveu em acidente de trânsito( ou não habilitada (caso inexista pátio para
28) Motociclista empurando sua motocicleta estando esta sob comando do gerou perigo de dano) e NÃO pegou o apreensão).
acelerador e freio, o entendimento é que a princípio cabe autuação por infrações de T.
veículo “emprestado”
29) Motoc. empurando sua motocicleta estando esta desligada, o entendimento é que
se equipara a veículo de propulsão humana, não havendo assim autuação infr. T. Autuação para quem “emprestou”(ou por
30) Guardas Municipais como agentes de trânsito é discutível, porém o Tribunal de Se a pessoa estiver dirigindo SEM entregar ou por permitir) + Autuação para
Justiça do Estado do Rio de Janeiro já se posicionou pela inconstitucionalidade uma vez habilitação e NÃO se envolveu em quem dirigia + CR para o CLA + liberação
que a destinação contitucional (art. 144, § 8º da CF/88) das Guardas Municipais é a acidente( ou não gerou perigo de dano) e do veículo para pessoa habilitada (caso
proteção dos bens, serviços e atividades do município. PEGOU o veículo “emprestado” inexista pátio para apreensão)+ confecção
31) Com relação o transporte de Universitários o entendimento é que NÃO é preciso de TC pelo crime do art. 310 do CTB.
o veículo estar com a inscrição “Escolar” prevista no art. 136, III do CTB.
32) É permitido ao motociclista a utilização dos “corredores” formados entre Autuação para quem entregou o veículo
veículos. Conforme se vê que o art. 56 que proibiria foi vetado. Se a pessoa estiver dirigindo SEM
(caso houve)+Autuação para quem dirigia
habilitação e se ENVOLVEU em acidente
33) As empilhadeiras, de máquinas agricolas,de terraplanagem ou de construção + CR para o CLA + liberação do veículo
de trânsito (com ou sem vítima) ou gerou
deverão conter documento de Registro, de Licenciamento, as placas e os equipamentos
perigo de dano. para pessoa habilitada (caso inexista pátio
obrigatórios previstos na Re. CONTRAN 14/98; contudo é recomendável que seja
conferido junto a CIRETRAN do município se está sendo procedido o OBS. O entendimento acerca de para apreensão). Confecção
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 177 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 179
ESTADO - Resolução do CONTRAN Nº 66/98 ESTADO - Resolução do CONTRAN Nº 66/98
INFRAÇÃO: Conduzir veículo com a cor ou característica alterada. CTB: 230, inc. Lanterna de Freio elevada (2ª parte, item II.2.2.)
VII C: G Pe:Mu MA: REv Deve ser instalada na traseira do veículo, no centro geométrico da superfície traseira
CÓD. INFRAÇÃO:515-0. P: Autuação e retenção do veículo até que a irregularidade seja ou em qualquer ponto da linha vertical que divide a traseira ao meio.
sanada; mas não sendo possível saná-la no local, CR p/ o CLA ( art. 270, § 1.º e 2.º). Altura mínima = 1,53m ou 153cm, para veículos conversíveis;
NOTA: Dispõe o art. 97 do CTB que “As características dos veículos, suas especificações Altura mínima = 0,77m ou 77cm para os demais veículos.
básicas, configuração e condições essenciais para registro, licenciamento e circulação serão Lanterna de marcha-à-ré (2ª parte, item II.2.3.)
estabelecidas pelo CONTRAN, em função de suas aplicações". Sendo assim é infração deste Altura mínima = 0,25m ou 25cm.
tipo: I) conduzir veículo alterado para gás natural sem alteração no documento; II) motocicleta
com compartimento de combustível apartado do local original, conf. Res. CONTRAN 601/82; Altura máxima = 1,20m ou 120cm.
III) veículo movido a gás de cozinha, conforme Res. CONTRAN 25/98, neste caso também Lanternas indicadoras de direção[”seta” (2ª parte, item II.2.4.)]
BO/PM + condução ao DP p/ crime contra ordem econômica (Lei Fed. 8176/91 pena de 01 a 05 Altura mínima = 0,35m ou 35cm.
anos); IV) Conduzir veículo com rodas que ultrapassam os limites do pára-lama ou cujas rodas Altura máxima = 1,60m ou 160cm, para veículo com largura total menor que 2,10m. E
tenham diâmetro diferentes entre si, conforme Res. CONTRAN 533/78; V) O veículo com altura máxima de 2,10m ou 210cm para veículo com largura total maior ou igual a 2,10m.
“turbo” só pode transitar se constar no CLA “veículo modificado” acompanhado do Distância máxima = 0,40m ou 40cm da lateral do veículo.
quê (Res. CONTRAN 25/98). Distância mínima = 0,60m ou 60cm da lanterna ao plano vertical que divide a traseira
do veículo ao meio. Essa distância poderá ser ao mínimo de 40cm caso o veículo tenha largura
INFRAÇÃO: Conduzir veículo com cortina ou persianas fechadas, não autorizadas inferior a 1,30m.
pela legislação. CTB: 230, inc. XVII C: G Pe:Mu MA: REv Lanternas indicadoras de direção laterais (2ª parte, item II.2.5)
CÓD. INFRAÇÃO: 671-8. P: Autuação e retenção do veículo até que a irregularidade seja Altura mínima = 0,35m ou 35cm.
sanada; mas não sendo possível saná-la no local, CR p/ o CLA ( art. 270, § 1.º e 2.º). Altura máxima = 1,60m ou 160cm, para veículo com largura total menor que 2,10m. E
NOTA: É permitido o veículo em movimento ter cortinas, persianas fechadas ou similares desde altura máxima de 2,10m ou 210cm para veículo com largura total maior ou igual a 2,10m.
que possua retrovisores em ambos os lados, art. 111, inciso II do CTB. Distância máxima = 1,80m ou 180cm da extremidade dianteira do veículo.
Lanternas intermitentes de advertência [”pisca aleta”(2ª parte, item II.2.6.)]
INFRAÇÃO: Conduzir veículo com defeito no sistema de iluminação, de sinalização
Lanternas de posição (2ª parte, item II.2.7.)
ou com lâmpadas queimadas. CTB: 230, inc. XXII C: M Pe:Mu MA: não tem
Podem ser agrupadas (mas não combinadas) com outross dispositivos luminosos
CÓD. INFRAÇÃO: 676-9 . P: Autuação. dianteirros. Podem ser agrupados ou combinadas com outros dispositivos luminosos traseiros
como lanterna de iluminação da placa, lanternas de freio ou lanterna de neblina.
INFRAÇÃO: Conduzir veículo com descarga livre ou silenciador de motor de
Altura mínima = 0,35m ou 35cm.
explosão defeituoso, deficiente ou inoperante. CTB: 230, inc. XI C: G Pe:Mu MA:
REv Altura máxima = 1,60m ou 160cm, exceto se a estrutura do veículo não permitir que
então poderá ser de até 2,10m.
CÓD. INFRAÇÃO: 665-3. P: Autuação e retenção do veículo até que a irregularidade seja
Distância máxima = 1,80m ou 180cm da extremidade dianteira do veículo.
sanada; mas não sendo possível saná-la no local, CR p/ o CLA ( art. 270, § 1.º e 2.º).
Instalação: a) 02(duas) lanternas de cor BRANCA na dianteira e 02 (duas) lanternas de
NOTA: A Res. CONTRAN 448/71 estabelece crritérios objetivos para a detecção desta infração, cor VERRMELHA na traseira do veículo; b) É facultativo lanternas de posição dianteira em
os quais devem ser observados. reboques e semi-reboques; c) Em reboques com largura total menor que 76cm pode ser
INFRAÇÃO: Conduzir veículo com dispositivo de anti-radar. CTB: 230, inc. III C: GG
instalada 01(uma) na traseira parte central.
Pe:Mu e Av MA: RMv Lanterrnas delimitadoras (2ª parte, item II.2.8.)
CÓD. INFRAÇÃO: 666-1. P: Autuação; CR para o veículo e CR para o CLA. ( art. 270, § 1.º) Devem ser utilizadas em todos os veículo de largura igual ou superio a 2,10m, sendo
no caso 02 (duas) lanternas delimitadoras de cor BRANCA na dianteira e 02 (duas) , de cor
INFRAÇÃO: Conduzir veículo com equipamento ou acessório proibido. CTB: 230, inc. VERMELHA na traseira. Em caminhões-tratores, as lanternas delimitadoras dianteiras e
traseira podem ser localizadas sobre a cabina.
XII C: G Pe:Mu MA: RMv e RCcla
É facultativo o uso de lanternas delimitadoras TRASEIRAS nos
CÓD. INFRAÇÃO: 657-2. P: Autuação e retenção do veículo até que a irregularidade seja
caminhões/reboques/semi-reboques de carroceria aberta e caminhões-tratores.
sanada; mas não sendo possível saná-la no local, CR p/ o CLA ( art. 270, § 1.º e 2.º).
As lanternas delimitadoras, dianteiras e traseiras, devem ser localizadas,
simétricamente a linha de centro vertical do veículo o mais afastado entre si e o mais próximo
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 209 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 211
com a segurança pública e de garantir obediência às normas relativas à segurança de tr ânsito dentro das regiões da cidade.
trânsito, assegurando a livre circulação e evitando acidentes. VIA LOCAL - aquela caracterizada por interseções em nível não
PONTE - obra de construção civil destinada a ligar margens opostas de uma semaforizadas, destinada apenas ao acesso local ou a áreas restritas.
superfície líquida qualquer. VIA RURAL - estradas e rodovias.
REBOQUE - veículo destinado a ser engatado atrás de um veículo automotor. VIA URBANA - ruas, avenidas, vielas, ou caminhos e similares abertos à
REGULAMENTAÇÃO DA VIA - implantação de sinalização de circulação pública, situados na área urbana, caracterizados principalmente por
regulamentação pelo órgão ou entidade competente com circunscrição sobre a via, possuírem imóveis edificados ao longo de sua extensão.
definindo, entre outros, sentido de direção, tipo de estacionamento, horários e dias. VIAS E ÁREAS DE PEDESTRES - vias ou conjunto de vias destinadas à
REFÚGIO - parte da via, devidamente sinalizada e protegida, destinada ao uso circulação prioritária de pedestres.
de pedestres durante a travessia da mesma. VIADUTO - obra de construção civil destinada a transpor uma depressão de
RENACH - Registro Nacional de Condutores Habilitados. terreno ou servir de passagem superior.
RENAVAM - Registro Nacional de Veículos Automotores.
RETORNO - movimento de inversão total de sentido da direção original de Infrações de Trânsito do MUNICÍPIO - Res. CONTRAN Nº 66/98
veículos.
INFRAÇÃO:Atirar do veículo ou abandonar na via pública objetos ou substâncias.
RODOVIA - via rural pavimentada.
CTB: 172 C: M Pe:Mu MA: não há
SEMI-REBOQUE - veículo de um ou mais eixos que se apóia na sua unidade
CÓD. INFRAÇÃO: 523-1. P: Autuação.
tratora ou é a ela ligado por meio de articulação.
NOTA: I)Há infração específica no caso de combustível ou lubrificante na infração “Transitar com
SINAIS DE TRÂNSITO - elementos de sinalização viária que se utilizam de veículo derramando ...”
placas, marcas viárias, equipamentos de controle luminosos, dispositivos auxiliares, INFRAÇÃO:Avançar sinal vermelho do semáforo ou o da parada obrigatória. CTB:
apitos e gestos, destinados exclusivamente a ordenar ou dirigir o trânsito dos veículos e 208 C: GG Pe:Mu MA: não há
pedestres. CÓD. INFRAÇÃO: 605-0. P: Autuação.
SINALIZAÇÃO - conjunto de sinais de trânsito e dispositivos de segurança INFRAÇÃO:Bloquear a via com o veículo. CTB: 253 C: GG Pe:Mu e Av MA: RMv
colocados na via pública com o objetivo de garantir sua utilização adequada, CÓD. INFRAÇÃO: 737-4. Autuação, CR p/ o veículo e CR p/ o CLA.
P:
possibilitando melhor fluidez no trânsito e maior segurança dos veículos e pedestres INFRAÇÃO:Conduzir bicicleta em passeios onde não seja permitida a circulação desta, ou
que nela circulam. de forma agressiva. CTB: 255 C: M Pe:Mu MA: Remoção da bicicleta
SONS POR APITO - sinais sonoros, emitidos exclusivamente pelos agentes da CÓD. INFRAÇÃO: 744-7. P: Autuação e CR p/ a bicicleta.
autoridade de trânsito nas vias, para orientar ou indicar o direito de passagem dos NOTA: I)Não há até o momento(Set03) regulamentação s/ autuação em ciclos, só orientação do
veículos ou pedestres, sobrepondo-se ou completando sinalização existente no local ou PM.
norma estabelecida neste Código. INFRAÇÃO:Conduzir ciclo e ciclomotor em vias de trânsito rápido ou rodovias, salvo
onde houver acostamento ou faixas de rolamento próprias. CTB: 244, § 1º, letra b p/ ciclo e
TARA - peso próprio do veículo, acrescido dos pesos da carroçaria e
244, § 2º p/ ciclomotor C: M Pe:Mu MA: não há
equipamento, do combustível, das ferramentas e acessórios, da roda sobressalente, do
CÓD. INFRAÇÃO: 712-9. P: Autuação.
extintor de incêndio e do fluido de arrefecimento, expresso em quilogramas. NOTA: I)Não há até o momento(Set03) regulamentação s/ autuação em ciclos, só orientação do
TRAILER - reboque ou semi-reboque tipo casa, com duas, quatro, ou seis PM.
rodas, acoplado ou adaptado à traseira de automóvel ou camionete, utilizado em geral INFRAÇÃO:Conduzir ciclo transportando crianças que não tenham, nas circunstâncias,
em atividades turísticas como alojamento, ou para atividades comerciais. condições de cuidar de sua própria segurança. CTB: 244, § 1º, letra c C: M Pe:Mu MA: não
TRÂNSITO - movimentação e imobilização de veículos, pessoas e animais nas há
vias terrestres. CÓD. INFRAÇÃO: 713-7. P: Autuação.
NOTA: I)Não há até o momento(Set03) regulamentação s/ autuação em ciclos, só orientação do
TRANSPOSIÇÃO DE FAIXAS - passagem de um veículo de uma faixa de-
PM.
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 221 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 223
MUNICÍPIO - Res. CONTRAN Nº 66/98
CÓD. INFRAÇÃO: 603-3. P: Autuação. INFRAÇÃO:Seguir veículo em serviço de urgência, estando este com prioridade de
INFRAÇÃO:Executar operação de retorno em locais proibidos pela sinalização. CTB: passagem devidamente identificado por dispositivos regulamentares de alarme sonoro e
206, inc. I C: GG Pe:Mu MA: não há iluminação verrmelha intermitente. CTB: 190 C: G Pe:Mu MA: não há
CÓD. INFRAÇÃO: 599-1. P: Autuação. CÓD. INFRAÇÃO: 578-9. P: Autuação.
INFRAÇÃO:Executar operação de retorno nas curvas, aclives, declives, pontes, viadutos INFRAÇÃO:Ter seu veículo imobilizado na via por falta de combustível. CTB: 180 C: M
e túneis. CTB: 206, inc. II C: GG Pe:Mu MA: não há Pe:Mu MA: RMv
CÓD. INFRAÇÃO: 600-9. P:Autuação. CÓD. INFRAÇÃO: 537-1. P: Autuação e CR p/ o veículo.
INFRAÇÃO:Executar operação de retorno nas interseções, entrando na contramão de INFRAÇÃO:Transitar ao lado de outro veículo, interrompendo ou perturbando o trânsito.
direção da via transversal. CTB: 206, inc.I V C: GG Pe:Mu MA: não há CTB: 188 C: M Pe:Mu MA: não há

CÓD. INFRAÇÃO: 602-5. P: Autuação. CÓD. INFRAÇÃO: 576-2. P: Autuação.


INFRAÇÃO:Executar operação de retorno passando por cima de calçada, passeio, ilhas, INFRAÇÃO:Transitar com veículo com excesso de peso, admitido percentual de tolerância
ajardinamento ou canteiros de divisões de pista de rolamento, refúgios e faixas de quando aferido por equipamento. CTB: 231, inc. V C: M Pe:Mu MA: REv
pedestres e nas de veículos não motorizados. CTB: 206, inc. III C: GG Pe:Mu MA: não há CÓD. INFRAÇÃO: 683-1. P: Autuação constando quanto, em Kg, foi o
CÓD. INFRAÇÃO: 601-7. P: Autuação. excesso. E retenção do veículoaté o transbordo da carga .
NOTA: I)art. 231, inc. V; a multa será acrescida de: a) 5 UFIR, se o excesso foi de até 600Kg; b) 10
INFRAÇÃO:Fazer ou deixar que se faça reparo em veículo na via pública, salvo nos casos de
UFIR se forde 601 a 800Kg; c) 20 UFIR, se de 801 a 1000Kg; d) 30 UFIR, se de 1001 a 3000Kg;
impedimento absoluto de sua remoção e em que o veículo estaja devidamente e)40 UFIR, se de 3001 a 5000Kg; f) 50 UFIR, se acima de 5000Kg. II)Da leitura da Res.
sinalizado, em estradas, via arterial, via coletora e via local. CTB: 179, inc. II C: L CONTRAN 12/98 concluimos que:
Pe:Mu MA: não há
Limites máximos de Peso Bruto
CÓD. INFRAÇÃO: 536-3. P: Autuação. dist. entre Nº de pneus Dif. máx. Res. CONT
INFRAÇÃO:Fazer ou deixar que se faça reparo em veículo na via pública, salvo nos casos de Peso Bruto por: os eixos(E) por eixo(E) Peso por E RAN 12/98
impedimento absoluto de sua remoção e em que o veículo estaja devidamente sinalizado Unidade Veicular.........qq, obs. Lim. ....... qq, obs. Lim.....45Ton total........ver abaixo.....art. 2º, I
em pista de rolamento de rodovias e vias de trânsito rápido. CTB: 179, inc. I C: G Conj. de 3 E Tandem. +de 1,20 até 2,4m ..E1=E2=E3=4 E1+E2+E3=25,5Ton..1,7Ton.......art. 2º, V
Pe:Mu MA: RMv
Conj.de 3 E ñ Tandem +de 1,20 até 2,4m ..E1=E2=E3=4 E1+E2+E3=25,5Ton..-.-.-.-.-.......art. 2º, III
CÓD. INFRAÇÃO: 535-5. P:Autuação e CR p/ o veículo.
Conj. de 2 E Tandem. +de 1,20 até 2,4m .....E1=E2=4........ E1+E2=17Ton......1,7Ton.......art. 2º, V
INFRAÇÃO:Fazer uso do facho de luz alta dos faróis em vias providas de iluminação Conj.de 2 E ñ Tandem +de 1,20 até 2,4m ....E1=E2=4 ........ E1+E2=15Ton.......-.-.-.-.-.......art. 2º, IV
pública. CTB: 224 C: L Pe:Mu MA: não há Conj.de 2 E Tandem ...... até 1,20m ...........E1=2 e E2=4 ... E 1+E2=9Ton.........-.-.-.-.-......art. 2º, VI, a
CÓD. INFRAÇÃO: 644-0. P: Autuação. Conj.de 2 E Tandem... +de 1,20 até 2,4m....E1=2 e E2=4... E1+E2=13,5Ton....-.-.-.-.-......art. 2º, VI, b
INFRAÇÃO:Forças passagem entre veículos que, transitando em sentidos opotos, etejam 01 eixo(E) isolado...... dist. a outro E +que 2,4m ... E=4....... E=10Ton .......-.-.-.-.-.......art. 2º, II
na iminência de passar um pelo outro ao realizar operação de ultrapassagem. CTB: 191 01 eixo(E) isolado...... dist. a outro E +que 2,4m ... E=2....... E=6Ton ..........-.-.-.-.-.......art. 3º, § 1º
C: GG Pe:Mu MA: não há
OBS.: A) Nenhum veículo poderá transitar com Lotação/PBT/PBTC por eixo superiores ao fixado
CÓD. INFRAÇÃO: 579-7. P: Autuação. pelo fabricante (art. 100 do CTB), B) Tandem=2 ou mais eixos em conj. integral de suspensão C)
INFRAÇÃO:Parar veículo afastado da guia da calçada (meio-fio) a mais de 1m (um Convenções aqui utilizadas E=eixo; qq= qualquer; + de=mais de; ñ=não, Lim=Limites;
metro). CTB: 182, inc. III C: M Pe:Mu MA: não há obs.=observado os;. D) O EXCESSO DE PESO será aferido POR EQUIPAMENTO de pesagem
OU pela verificação de DOCUMENTO FISCAL (art. 99, § 1º do CTB).
CÓD. INFRAÇÃO: 559-2. Autuação.
P:
INFRAÇÃO:Transitar com veículo com suas dimensões ou de sua carga superiores aos
INFRAÇÃO:Parar veículo afastado da guia da calçada (meio-fio) de 50cm a 1m
limites estabelecidos legalmente ou pela sinalização, sem autorização. CTB: 231,
(cinquenta centímetros a um metro). CTB: 182, inc. II C: L Pe:Mu MA: não há inc. IV C: G Pe:Mu MA: REv
CÓD. INFRAÇÃO: 558-4. P: Autuação. CÓD. INFRAÇÃO: 682-3. P: Autuação e retenção do veículo até que a
INFRAÇÃO:Parar veículo em desacordo com as posições estabelecidas no CTB. irregularidade seja sanada; mas não sendo possível saná-la no local, CR p/ o CLA ( art.
CTB: 182, inc. IV C: L Pe:Mu MA: não há 270, § 1.º e 2.º).
CÓD. INFRAÇÃO: 560-6. P: Autuação. NOTA: I)Da leitura da Res. CONTRAN 12/98 concluimos que as dimensões máximas são:
232 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 230 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR

LOCAL DO CORPO OS CÓDIGOS DE OCORRÊNCIA compreendidos entre o R01 e V99


têm como função dar referência para o PM sobre a letra e o número do código. Até o
TATUAGEM CRIMINAL NORMALMENTE SIGNIFFICADO
presente não têm outro objetivo a não ser este e de dar o completo sequenciamento dos
códigos de ocorrência.
Teia de aranha Ante braço esquerdo Matou cumplices
TATUAGEM CRIMINAL
Pistola Perna Latrocínio Referência: Escola da Adm. Penitenciária - Museu
Penitenciário Paulista - Esmael Martins da Silva/2000.
Cobra (com a cabeça voltada p/ cima e rabo Lugar visível do corpo Dedo duro, informante,
Por que é importante saber sobre o significado das tatuagens de
p/ baixo, enrolada ou não num punhal) cagueta
delinquentes? Resposta: Porque é mais um recurso que pode o policial se valer
Cobra (com a cabeça voltada p/ baixo e Qualquer parte Livrar de prisões, tradições. para observar, analisar as circunstancias e melhor proceder com relação a uma
rabo p/ cima ) Vitória e sorte o seu detentor pessoa com tatuagem criminal.
Qualquer Santo Qualquer parte Apelo religioso, ao policial,
Mas, uma vez a polícia sabendo sobre o significado da tatuagem não
para se evitar castigos
seria interessante deixar de usar tais tatuagens ou modifficá-las? Resposta: Não
Cadeado ou várias chaves Qualquer parte Muito martirizado dentro da é bem assim que os delinquentes pensam; a demonstração de uma tatuagem é
presas a um circulo cadeia para o delinquente uma forma ostensiva de autoridade sobre os demais, ou uma
Crânio humano com um punhal Peito, braço Matador de policial (em torno do característica que o diferencia dos demais delinquentes. É assim uma forma
punhal o nº de pontos = nº de vítimas) certa de comunicação tanto para infundir o temor ao inimigo quanto para alerta
Cruz do carvalho, com ou Braços Alta periculosidade, homicída os próprios delinquentes sobre as precauções com o delinquente que a ostenta.
sem pontos de luz no pé da cruz e nº de luzes = nº de vítimas Tatuagem criminal é diferente de tatuagem artística.
Cruz com lados aprox. Iguais e Meio das costas Indíviduo ponta firme, de
no centro da cruz um crânio confiança, que não entrega O quadro abaixo trás a relação entre a tatuagem, a posição do corpo onde
Estrela com oito pontas, em Braços Liberdade, evita prisões
está a tatuagem e o significado:
LOCAL DO CORPO
cada ponta um ponto
TATUAGEM CRIMINAL NORMALMENTE SIGNIFICADO
Estrela com seis pontas, em Braços Homicida
TATUADO
cada ponta um ponto
Sol, Lua, Cruz (o mesmo Peito, costa Aspiração em se livrar de delitos mais 01 ponto Dorso da mão Batedor de carteira, punge,
significado destas tatuagen se o uso de de contas, guias e fitinhas) graves do que consta nos autos comete peq. Furtos
Punhal Qualquer parte Indivíduo destemido, valente 02 pontos Dorso da mão Estupro

Pomba Qualquer parte Indivíduo de sorte, bons ganhos, 03 pontos Dorso da mão Tráfico
que age quase sem ser percebido
Qualquer letra grande Braço Recordação de pessoa c/ 04 pontos Dorso da mão Furto
aquelas iniciais
03 (três) sepulturas, cada uma Lado esquerdo do peito Indivíduo ponta firme, de conffiança, 05 pontos Dorso da mão Roubo
com uma cruz na parte de cima segura bronca na cela. Homicida

09 pontos Dorso da mão Homicida ou Ch de Quadrilha


MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 249 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 251

OBS.: 1) Os artigos constantes neste esquema são do CPPM; 2) Ver no índice “Modelo de documentos”; 3) Crime Militar são
aqueles casos descritos no art. 9º do CPM, observando “em serviço” previsto na “c”, II, do art 9º CPM “é a situação de estar previsto

ele parte da ocorrência inicial (Bol G 167/96) 4) O Termo utilizado para o Oficial responsável pelo IPM: Encarregado, art. 15; 5)
Competência para proceder o IPM: Cmt da área onde se deu a infração ou Oficial de serviço que terá seu ato homologado ou
em escala” e “atuando em razão da função” previsto na “c”, II, do art 9º do CPM “é a situação do PM que, não sendo parte
envolvida na inicial da ocorrência, atua, embora de folga, em razão de dever legal, em legítima defesa de terceiros ou movido
por interesse de ordem pública” (Bol G 167/96); não deve ser instaurado IPM quando o PM atua em razão do “bico” ou quando for

não pelo Cmt, art. 10, “b”; 6) O Oficial Encarregado do IPM deve ser de posto superior ao indiciado (art. 7º, § 2º); 7) Orientações
sobre reunião e ordem das peças no Inquérito estão logo abaixo do art. 371 do Código Proc. Penal Militar (Ver no índice o Código).
A Questão Das Polícias Militares
Dispõe a Constituição Federal em seu artigo 125, § 4º, que “compete à Justiça
Militar estadual processar e julgar os policiais militares e bombeiros militares nos

JUSTIÇA
MILITAR

JUSTIÇA
MILITAR
crimes militares definidos em lei, cabendo ao tribunal Competente decidir sobre a perda

Art. 23
do posto e da patente dos oficiais e da graduação das praças”.
Deduz-se então dois conceitos de suma importância:

(art. 26, parágrafo único)


! À Justiça Militar Estadual cabe tão-somente processar e julgar os policiais

do IPM, para dil. Prazo de legal : 20 dias


militares. Excluídos, portanto, estão os civis.

Subentende-se imediatamente
Não há prazo determinado.
SOLUÇÃO
Cota
! Esses crimes são aqueles capitulados no Código Penal Militar.

Art. 22, § 1º

após o relatório
COMPETÊNCIA PARA APURAÇÃO DE CRIMES MILITARES
PELA POLÍCIA JUDICIÁRIA MILITAR

IPM - Esquema

Retorno à origem

Complementares
Segundo o artigo 144, parágrafo 4º, da Constituição Federal/88, a competência
para apuração de crimes é da Polícia Civil, exceto a competência de apurar as infrações

RELATÓRIO

20 dias (se preso) ou 40 dias (se solto). Prorogação por mais 20 dias no caso de solto.
penais militares.

Art. 22
Segundo o artigo 7 e 8 do Código de Processo Penal Militar a Polícia
Judiciária Militar é exercida por Autoridades Militares, cabendo a estas as
competências e determinações previstas no artigo 8 do Decreto 1002/69 - CPPM.
Assim um militar, nos casos de crime militar, só será preso em flagrante delito por

INSTRUÇÃO
Autoridade Policial Militar competente. (Ver no índice Código de Proc. Penal Mil.).

Diversos
Se no decorrer do IPM o Policial Militar pedir exoneração, segue-se o IPM
normalmente, pois apesar de passar a ser civil, na época dos fatos era PM. Se condenado

- IPM - Prazo de (art. 20):


vai para o Presídio Militar Romão Gomes.

HOMOLOGATÓRIO recebimento
Se como ex-PM ele não comparecer nos atos do IPM não se pode buscá-lo

Termo de

Art. 10, “b”


coercitivamente, segue o IPM sem a parte que deveria ter o ex-PM e remete para o TJM.
O Juiz Militar não pode decretar prisão temporária ou preventiva, pois já não é militar.
O encarregado do IPM não tem poder para trazer coercitivamente ninguém para

ARQUIVO
procedimento do IPM, diferente do Delegado no Inquérito Policial, a saída é pedir
prisão e condução coercitiva para o Juiz Auditor ou solicitar auxílio ao Delegado para

DESPACHO

Art. 10, “b”


que seja conduzido coercitivamente (se for civil ou ex-PM)
PRAZO PARA CONCLUSÃO DO INQUÉRITO:
Inquérito Policial Militar:
a) 20 (vinte) dias, se indiciado preso art. 20 do CPPM;

IP Art. 69, § 1º
da I-16-PM

PORTARIA
b) 40 (quarenta) dias, se indiciado solto art. 20 do CPPM.
Corridos
08 dias

Art. 10
Inquérito Policial:
a) 10 (dez) dias, se indiciado preso art. 10 do CPP;
b) 30 (trinta) dias, se indiciado solto art. 10 do CPP.

FATO
PROVIDÊNCIAS DO OFICIAL EM SERVIÇO QUANDO DO
252 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 250 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR

OBS.: 1) Os artigos constantes neste esquema são do CPPM; 2) Ver no índice “Modelo de documentos”; 3) Ver item 3 de OBS no
Esquema de IPM 4) O Termo utilizado para o Oficial de Serviço responsável pelo APFD: Presidente, art. 245;§ 4º; 5) Competência
para proceder o IPM: Cmt ou Oficial de serviço da área onde se deu a infração, art. 245 c/c art. 88; 6) O Oficial de Serviço,
Presidente do APFD, deve ser de posto superior ao indiciado (art.245;§ 4º c/c art. 7º, § 2º); 7) Se o indiciado for Oficial, o escrivão
deverá ser um Capitão ou Tenente; nos demais casos o escrivão será um Subtenente ou Sargento, art. 245;§ 4º; 8) O Presidente
deve providenciar cópia de todo APFD e remetê-los à(ao): Correg PM + PMRG + Unidade do PM + Seção SJD e original TJM;
providência Ofícios remetendo; 9) A capa do APFD deve conter no canto superior esquerdo uma TARJA VERMELHA na diagonal,
CONHECIMENTO DE UMA INFRAÇÃO PENAL MILITAR

JUSTIÇA
JUSTIÇA

MILITAR
MILITAR
Baseando-se no artigo 10, parágrafo 2º, do CPPM, observamos que

Art. 251
independentemente de aguardar a delegação do Comandante para que sejam tomadas
as devidas providências cabíveis quanto a infração penal militar, o Oficial em Serviço
AUTO DE PRISÃO EM FLAGRANTE

do IPM, para dil. Prazo de legal : 20 dias deve tomar imediatamente as providências previstas no artigo 12 do CPPM, ao ter

252 c/c art. 26,


único)
conhecimento da infração. (Ver no índice Código Processo Penal Militar).

APFD - Prazo(art. 251) de: O necessário para os registros, ou até o 1º dia útil subsequen
RELATÓRIO
Cota

Complementares (art.parágrafo Segundo o artigo 12 do CPPM o Oficial em serviço deverá proceder de acordo com:

Art. 27
DELITO (APFD) - Esquema

1) dirigir-se ao local, providenciando a preservação do local de crime ( artigo


12, "a" c/c artigo 339, CPPM ) ;
Retorno à origem

2) apreender os objetos e instrumentos que relacionem-se ao delito ( artigo


INSTRUÇÃO 12, "b" c/c artigo 185, CPPM ) ;
Art. 246
Art. 248
3) efetuar a prisão do infrator , quando se tratar de hipótese de prisão em

te.Excepcionalmente em até 5 dias.


flagrante delito ( artigo 12, "c" c/c artigo 244, CPPM );
4) colher todas as provas que esclareçam o crime, testemunhais e materiais
(artigo 12 , "d" c/c artigos 345 e 351 do CPPM );
Art. 247

DA PRISÃO EM FLAGRANTE DELITO DE CRIME MILITAR


Nota de
Culpa

Segundo o artigo 243 do CPPM qualquer pessoa poderá e os militares deverão


prender aqueles que pratiquem infrações penais militares.
O estado de flagrância baseia-se no artigo 244 do CPPM, considerando-se
passível de flagrante delito quem:
1) está cometendo o crime, ou seja, aquele que ainda está executando o crime;
Art. 245
AUTO

2) acaba de cometê-lo, ou seja, imediatamente é surpreendido após executar os


atos delituosos;
3) é perseguido logo após ao fato delituoso em situação que se faça acreditar ser ele
24 h

o seu autor, ou seja, este logo após significa que imediatamente deve ser
Art. 245 c/c
FATO Voz de Prisão PORTARIA

perseguido pela autoridade policial militar, não devendo haver tempo


Art. 10

considerável e sensível entre a prática de crime e a sua perseguição.


4) é encontrado, logo depois, com instrumentos, objetos, material ou papéis que
colada ou pintada, 1 cm de largura.

façam presumir a sua participação no fato delituoso , ou seja , neste logo depois
não existe um período correto que o determine , deve sim ser coerente entre a
prática do delito e o seu encontro .
Segundo o parágrafo único do artigo 244, CPPM nas infrações permanentes, em
que a flagrância não cessa no tempo, como é o caso da deserção, o criminoso deve ser
preso em flagrante assim que encontrado.
Em caso de prisão em flagrante delito o Oficial deve mandar que se faça exame
de corpo delito nas partes (PM e outra parte).
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 253 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 255

SÚMULAS DE INTERESSE PARA O CPPM;


EXERCÍCIO DE POLÍCIA 3) ouvir o Indiciado em Auto de Qualificação e Interrogatório, baseando-se no
Súmula nº 6 do Superior Tribunal de Justiça: "Compete à Justiça Comum artigo 306 do CPPM;
Estadual processar e julgar delito decorrente de acidente de trânsito envolvendo viatura 4) ouvir as testemunhas em Termo de Inquirição Sumária, devendo serem ouvidas
de Polícia Militar, salvo se autor e vítima forem policiais militares em situação de separadamente, para que uma não ouça o depoimento da outra (artigo 352 e 353
do, CPPM) ;
atividade."
5) proceder o reconhecimento de pessoas e coisas e acareações (artigo 13, "e" , c/c
Súmula n° 90 do Superior Tribunal de Justiça: "Compete à Justiça Estadual
artigo 368 e/ou 365 do CPPM);
Militar processar e julgar o policial militar pela prática do crime militar, e à Comum
6) determinar, se for o caso, que se proceda o exame de corpo de delito e a
pela prática do crime comum simultâneo àquele."
quaisquer outros exames e perícias (artigo 13, "f" c/c artigo 321 do CPPM);
Súmula nº 172 do Superior Tribunal de Justiça: “Compete à Justiça Comum
7) determinar avaliação e identificação da coisa subtraída, desviada, destruída ou
processar e julgar militar por crime de abuso de autoridade, ainda que praticado em
danificada , ou da qual houve indébita apropriação;
serviço.” ITENS A SEREM PREENCHIDOS PARA A 8) proceder a busca e apreensões, nos termos dos artigos 172 a 184 e 185 a 189 do
PRISÃO EM FLAGRANTE DELITO CPPM;
Itens a serem preenchidos para a prisão em flagrante delito: 9) tomar as medidas necessárias destinadas à proteção de testemunhas, peritos ou
1. Autoria conhecida; do ofendido, quando coagidos ou ameaçados de coação que lhes tolha a
2. Autor preso; liberdade de depor, ou a independência para a realização de perícias e exames.
3. Certeza da tipicidade;
4. Inexistência de excludente de ilicitude; No parágrafo único trata-se da reconstituição dos fatos para melhor
5. Fundamento da Prisão Preventiva, art. 255 do CPM. esclarecimento dos fatos.
OBS.: inexistindo um desses requisitos a autoridade policial competente deverá Após a realização destes procedimentos o Oficial em serviço deverá proceder à
abrir PORTARIA DE INQUÉRITO. elaboração da Portaria aguardando o Cmt da Unidade para dar continuidade ao IPM.
LAVRATURA DO AUTO DE PRISÃO EM FLAGRANTE DA DESERÇÃO
Segundo o artigo 245 do CPPM a Autoridade de Polícia Judiciária Militar (Of.de Nesta parte teremos principal observância quanto aos períodos legais e prazos
serviço) deverá lavrar o Auto emitindo nota de culpa dentro de 24h após ser dada voz de pertinentes à elaboração dos autos necessários, visando auxiliar os Cmt de Cia
prisão ao preso artigo (247, CPPM) bem como emitir o recibo desta nota de culpa quando da ocorrência deste ilícito penal militar.
(artigo 247, parágrafo 1º, CPPM). Após o registro da infração, lavrando-se o auto ou
Esquema didático a respeito do Procedimento correlacionado com o Tempo:
termo, deve-se remeter estes ao Juiz Auditor Corregedor Permanente das Execuções
Criminais do TJM para que seja confirmado os atos praticados (artigo 248, CPPM). x = dia do mês que o militar entraria de serviço;
O APFD deve ser feito em 06 (seis) vias: uma para o Auto original+uma para o Auto Início da contagem da ausência (ausência ilegal) = às 00:00h de x + 1;
cópias+uma para o PMRG+uma para Correg PM+uma p/ Cmt da Unidade onde foi Parte de ausência..................................... = às 00:00h de x + 2;
realizado o Auto+uma cópia p/ Cmt OPM do preso. Instauração de CD ou PAD...................... = às 00:00h de x + 6;
Deve-se remeter cópias ao PMRG, à Corregedoria PM, ao Cmt da Unidade em
Parte de Deserção.................................... = às 00:00h de x + 9.
que foi realizado o auto, ao Cmt da Unidade do preso.
DOCUMENTOS RECEBIDOS DA CORREG PM CONSIDERAÇÕES INICIAIS
Os documentos que o Oficial SJD receber da Corregedoria PM têm prazo
máximo de 45 dias para serem devolvidos à Corregedoria PM. Para melhor entendimento deste procedimento colocaremos um caso prático
QÜINQÜÍDIO LEGAL envolvendo um Policial Militar onde os respectivos autos terão as datas corretas
De acordo com o artigo 251 do CPPM, se forem necessárias diligências previstas legalmente.
284 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 282 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR

SECRETÁRIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PUBLICA SECRETÁRIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PUBLICA

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

SOLUÇÃO www.polmil.
RELATÓRIO
www.polmil.
Referência: Sindicância de Portaria Nº 50BPMM-011/077/02 sp.gov.br Referência: Sindicância de Portaria Nº __BPMM-___/___/__
sp.gov.br

Na qualidade de autoridade instauradora da Sindicância destinada a apurar as


circunstâncias em que a Viatura M-50555, marca GM, modelo Astra GL, 1. Dados básicos:
patrimônio10211111-1, placas ABC-1234, que, que sofreu danos materiais provocados
1.1. sindicado(s): __(Posto/Graduação RE NOME COMPLETO)___;
por disparos de arma de fogo, quando, em 230830DEZ02, na av. Cel Bento Bicudo
1.2. natureza: ________________;
cruzamento com a rua Vespasiano, Piqueri - São Paulo/SP, os Sd PM 990000-0 GERSON
1.3. data/hora: ___________. De serviço (ou De folga e em trajes civis).
LUIS SILVA, encarregado, e o Sd PM 980000-0 LUIS ANTONIO DOS SANTOS,
motorista, ambos da 1ª Cia do 50º BPM/M, em serviço, envolveram-se em ocorrência de 1.4. local: ___________________;
resistência seguida de morte, contra dois meliantes que praticavam roubo no local dos 1.5. vítima: _______________________________;
fatos, sendo que um deles, Aluízio Santos Sá, RG nº 19.190.190-X, ficou ferido por 1.6. provas periciais: _______________, fl. __; _______________, fl.__; …
projétil de arma de fogo na perna direita e o outro, Jeferson Leal Vilas Boas, RG nº 1.7. Objeto(s) apreendido(s): __________________;
36.360.360-6 ferido por projétil de arma de fogo no peito foi socorrido ao PS Pirituba, 1.8. Pessoas ouvidas:
onde entrou em óbito, restando ainda ferimentos nos dedos da mão do Sd PM 990000-0 1.8.1. ______________________________, fl. __;
GERSON LUIS SILVA. Diante do exposto e à vista do que mais consta dos autos e da 18.2. _______________________________, fl. __;
conclusão do Oficial Presidente da Sindicância designado para o feito, cujo Relatório 18. n …
ACOLHO e DECIDO: 2. Os fatos:
1. RESPONSABILIDADE CIVIL 2.1. a presente Sindicância foi instaurada para apurar os fatos ocorridos no dia
1.1. o meliante identificado é o responsável pelos danos provocados na viatura ___, por volta das __:__h, na ____________, __(Bairro)__, __(município)__, em que
M-50555; contudo o conserto da viatura foi providenciado pelos militares do Estado _______(fato)_________, em decorrência houve dano ao material do Estado (ou outra
envolvidos na ocorrência, sem ônus para o estado, estando os reparos dentro dos padrões sittuação de Sindicância).
exigidos pelas I-15-PM. 3. Das Provas:
2. RESPONSABILIDADE PENAL 3.1.___(NOME)___, declarou que ______(síntese da declaração)___;
2.1. foi aberto a Portaria de IPM Nº 50BPMM-022/077/02 a cerca dos indícios 3.2. ___(NOME)___, declarou que ______(síntese da declaração)___;
de crime militar, de apreciação originária da Justiça Militar Estadual.

3. RESPONSABILIDE ADMINISTRATIVA
3.n. o laudo ________ apontou _______(caso houve);
3.1. isentar os militares do Estado, envolvidos na ocorrência, de
3.p. ____________________________.
responsabilidade Administrativa Disciplinar.
4. Análise:
4. MEDIDAS PERTINENTES
4.1. ____(Comentário do Encarregado em consonância do apurado)___;
4.1. remeter cópia desta Decisão e do Relatório à Corregedoria PM e à DAL para
4.2. há coerência (ou não) entre as declarações, de modo a indicar (ou indiciar,
conhecimento e controle;
por ora, pois os laudos periciais não estão concluidos,) que _____(o Posto/Graduação
4.2 solicitar publicação desta Solução em Boletim Interno do CPA/M-25;
NOME COMPLETO ou civil agiu de forma imprudente fazendo com que ocorresse ...
4.3. Arquivar a cópia dos autos na Seção de Justiça e Disciplina. ....praticado contra o civil/policial militar). ou (que o Posto/Graduação NOME
OBS. O Of. Encarregado Quartel em São Paulo, 05 de fevereiro de 2003.
providência confec. dos COMPLETO ou civil não foi imprudente/negligente na atitude de … , não concorrendo
Ofícios; SÉRGIO MOREIRA DA SILVA assim para que o fato surgisse.).
Ten Cel PM Comandante
______________________________________________________________________________________________________________
“Nós Policiais Militares estamos compromissados com a defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa Humana.”
312 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 310 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR
art. 8º da Lei Estadual); Sd PM TEMP
IV. Autorização para aquisição de arma de fogo(§2º, art. 22 da Portaria Normas: Lei Federal Nº 10029/00, Lei Estadual Nº 11064/02,
c/c IV do art. 18 da Lei Estadual);
Portaria Cmt G PM1-5/02/02 alterada pela Portaria Cmt G PM1-2/02/03.
V. Exercer a atividade de Guarda do Quartel sem o comando e
supervisão direta de um graduado.(§3º, art. 22 da Portaria c/c art. 13 da Lei A Lei Fed designou de “prestador de Serviço Auxiliar Voluntário”, a Lei
Estadual) Estadual estabeleceu que o prestador do SAV seria chamado de Soldado PM
Temporário. Síntese das normas segue abaixo, nº 1 a 14:
12) Na atividade desenvolvida pelo Sd PM Temp deverá haver pelo menos
01 (um) policial militar responsável e acompanhando (VI, art. 32 da Portaria c/c 1) O início da prestação do serviço começa a partir de sua apresentação para
art. 13 da Lei Estadual);
o Curso de Treinamento Específico;
13) O Sd PM Temp prestará serviço na Região onde foi efetuada a sua
inscrição (dentro da aréa do CPA ou CPI). Só será movimentado se haver 2) O tempo de prestação do serviço é de 01 (um) ano. Poderá ser prorrogado
interesse da Administração(art. 20 da Portaria c/c art. 13 da Lei Estadual). por mais somente 01 (um) ano, desde que haja interesse pela Adm. e o Sd PM
Temp confeccionou requerimento (c/ antecedência mínima de 60 dias para o
14) São direitos do Sd PM Temp (art. 8º da Lei Estadual e art. 18 da
Portaria): término) (Art. 2º da Lei Fed e §1º, art. 6º da Lei Estadual).
I. Frequência no curso específico de treinamento, ministrado em OPM, 3) O Sd PM TEMP responde IPM e o RDPM nas mesmas hipóteses para o
com duração de 90 (noventa) dias (Art. 8º, I da Lei Estadual); policial militar. Bem como Sindicância por danos que vier a causar (art. 16 da
Portaria c/c art. 13 e § único do art. 1º da Lei Estadual).
II. Auxílio mensal equivalente a 02 (dois) salários mínimos, de natureza
indenizatória, vedada a aplicação das disposições pecuniárias para o militar do 4) O termo da remuneração percebida pelo Sd PM Temp é “auxílio
Estado (Art. 6º, § 1º da Lei Fed);
indenizatório” (§ único do art. 3º da Portaria).
III. Auxílio-alimentação (Art. 8º, III da Lei Estadual);
5) O objetivo da Lei é dar ao jovem (entre 18 e 23 anos incompletos) uma
IV. Uso de uniforme, com identificação ostensiva de Sd PM Temp e oportunidade de se aprender uma profissão; facilitando assim sua entrada no
equipamentos exclusivos para o serviço (Art. 8º, IV da Lei Estadual); mercado de trabalho ou ingresso na PM (art. 2º da Lei Est. e art. 1º da Portaria).
V. Contar, como título, em concurso público para Soldado PM 2ª Classe 6) O Sd PM Temp poderá ser desligado da Polícia Militar antes do prazo nos
)1 (um) ponto para cada ano de serviço presado (Art. 8º, VI da Lei Estadual); seguintes casos :
VI. Assistência médica, hospitalar e odontológica, prestada pela PM, I. A qualquer tempo, mediante requerimento do Sd PM TEMP (art. 7º, III
não extensiva a seus dependentes. Enquanto for Sd PM Temp (Art. 8º, III daLei da Lei Estadual);
Estadual e art. 18, VI da Portaria);
VII. Elogio e dispensa do serviço, nos termos do RDPM (art. 18, §1º, II da II. Pela não conclusão com aproveitamento do Curso Específico de
Portaria); Treinamento (art. 10, II da Portaria c/c art. 13 da Lei Estadual);
VIII. Licença-gestante (art. 18, §1º, III da Portaria); III. Por deliberação do órgão de saúde da Polícia Militar quando ficar
impedido de participar das atividade curriculares do Curso Específico de
IX. Licença-paternidade (art. 18, §1º, IV da Portaria); Treinamento, por mais de 15 dias ( não se aplica esse número quando o
impedimento foi decorrente de atifvidades curriculares, bem como por motivo
X. No caso de núpcias ou falecimento de um familiar (parente ou de gestação; nesses casos o Sd PM Temp será afastado e será reincluído no
afim) concessão do Cmt de até 03 (três) dias (art. 18, §2º da Portaria); Curso subsequente); (art. 10, II e art. 10, §§1º e 2º da Portaria c/c art. 13 da Lei
Estadual)
XI. Seguro de acidentes pessoais no exercício de suas atividades na
PMESP (art. 19 da Portaria). IV. Ficar afastado por problemas de saúde por mais de 60 (sessenta) dias,
contínuos ou não, no decorrer de um ano (não se aplica este número no
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 317 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 319

REMESSA Aut. Competente + Pub.

Motivar reparo pelo Estado + Re

qual decidirá finalmente no pra


messa Aut. Funcion. Superior a

zo de 30 dias + Publicação em

serviço que terá seu ato homologado ou não pelo Cmt, art. 70; 5) O Oficial Presidente da Sindicância deve ser de posto
Inst. PD/PAD/CD/CJ + Pub. em

ou parente até 3º grau como defensor(art. 27º, I, II, IV) ou casos de impedimentos do Presidente no art. 28. aplica-se ao
a Sindicância: Cmt do Sindicado (descrito art. 31 do RDPM) independentemente da área onde se deu o fato, Oficial de
Boletim, no prazo de 10 dias

Boletim, no prazo de 10 dias

Boletim, no prazo de 10 dias

Boletim, no prazo de 10 dias

utilizado para o Oficial/Asp Of PM responsável pela Sindicância: Presidente, art. 68, § 4º; 4) Competência para proceder

superior ao do sindicado ou mais antigo; não deve ter subscrito o doc. motivador do Proc. Regular; não ter seu conjuge

escrivão caso de impedimento do art. 27, II e IV e do art. 28 excluído o III. 6) Na contagem dos prazos inclui-se o dia do
ARQUIVO + Publicação em
! das iniciais do processo de controle e de outorga.

OBS.: 1) Os artigos constantes neste esquema são das I-16-PM; 2) Ver no índice “Modelo de documentos”; 3) O Termo
Art. 83, III a VII
! Defesa: é garantia constitucional de todo acusado, em processo judicial ou

Art. 83, VIII


Art. 83, II
Art. 83, I
administrativo, e compreende a ciência da acusação, a vista dos autos na
repartição, a oportunidade para oferecimento de contestação e provas, a

recebimento como 1º dia; 7) Ver s/ ordem das peças da Sind, que estão logo abaixo do art. 371 do CPPM.
inquirição e reperguntas de testemunhas e a observância do devido processo

SINDICÂNCIA - Esquema
legal.
! Relatório: é a síntese do apurado no processo, feita por quem o presidiu
individualmente ou pela comissão processante, com apreciação das provas, dos

SOLUÇÃO
fatos apurados, do direito debatido e proposta conclusiva para decisão da

Art. 82
autoridade competente.
! Julgamento: é a decisão proferida pela autoridade ou órgão competente sobre o
objeto do processo.

10 dias
O essencial é que a decisão seja motivada com base na acusação, na defesa e na

até 90 dias cada vez, pela autoridade func. imediatamente superior à aut. Instauradora
RELATÓRIO
prova, não sendo lícito à autoridade julgadora argumentar com fatos estranhos ao

90 dias pela autoridade instauradora (no caso de delegação) e nos demais casos, por
Prorrogável por até
processo ou silenciar sobre as razões do acusado, porque isto equivale a cerceamento

Art. 80
da defesa e conduzirá à nulidade do julgamento, que não é discricionário, mas
vinculado ao devido procedimento legal.

PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR

INSTRUÇÃO

- SINDICÂNCIA - Prazo (art. 81, “caputt” e § 1º) de: 30 dias.


Processo administrativo disciplinar é o meio de apuração e punição de faltas dos

Art. 73

ou pela autoridade que avocou.


servidores públicos e demais pessoas sujeitas ao regime funcional de determinados
estabelecimentos da Administração.

HOMOLOGATÓRIO recebimento
. Art. 72 §1º
O processo disciplinar deve ser instaurado por portaria da autoridade

Termo de
competente na qual se descrevam os atos ou fatos a apurar e se indiquem as infrações a
serem punidas, designando-se desde logo a comissão processante, a ser presidida pelo
integrante mais categorizado. A comissão especial ou permanente há que ser

ARQUIVO
05 dias
constituída por funcionário efetivo, de categoria igual ou superior à do acusado, para

DESPACHO
que não se quebre o princípio hierárquico, que é o sustentáculo dessa espécie de

Art. 70,
processo administrativo.

05 dias
Na instrução do processo a comissão processante tem plena liberdade na colheita
das provas, podendo socorrer-se de assessores técnicos e peritos especializados , bem

IP Art. 69, § 1º
assim examinar quaisquer documentos relacionados com o objeto da investigação,

da I-16-PM

PORTARIA
08 dias
ouvir testemunhas e fazer inspeções in loco. Desde a citação acusatória deverá ser

Art. 68,
facultado ao indiciado, ou ao seu advogado, o exame dos autos na repartição, para

§ 4º
apresentação da defesa e indicação de suas provas no prazo regulamentar,

FATO
possibilitando-lhe o acompanhamento de toda a instrução.
Concluída a instrução, a comissão processante deverá relatar o apurado e opinar
pela absolvição ou punição do acusado, indicando, neste caso, os dispositivos
infringidos, podendo divergir da acusação inicial, sugerir a instauração de
320 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 318 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR
PORTARIA DO CMT G Nº CORREGPM-001/305/01
outros processos e apontar providências complementares de interesse da
1. O Comandante Geral da Polícia Militar, no uso das atribuições inscritas no
Administração, desde que o faça motivadamente.
artigo 88 da Lei Complementar nº 893, de 09 de março de 2001, que instituiu o
No julgamento a autoridade competente deverá sempre fundamentar sua
Regulamento Disciplinar da Polícia Militar RDPM, baixa, neste ato, instruções
decisão, com motivação própria ou adoção dos fundamentos do relatório, tanto para
complementares, necessárias à interpretação, orientação e fiel aplicação do disposto no
a condenação quanto para a absolvição.
novo Regulamento.
7. Fica revogada a Portaria do Cmt G n° CORREGPM001/214/96, transcrita
no item 24 do BG n° 159, de 16 de agosto de 1996, que disciplinava o rito apuratório das
MEIOS SUMÁRIOS
transgressões disciplinares simples (PATDS), o qual ‚ substituído pelo rito descrito no Além do processo administrativo, pode a Administração utilizar-se de meios
Anexo III da presente Portaria, em consonância com os artigos 27 a 29 do RDPM. sumários para a elucidação preliminar de determinados fatos ou aplicação de
8. Ficam revogadas as disposições contidas no item 11 do Boletim Geral n° penalidades disciplinares menores ou comprovadas na sua flagrância.
14/86, no item 29 do Boletim Geral n° 103/96 e no item 01 do Boletim Geral n° 86/98, Os meios sumários mais utilizados dentro da organização policial-militar são:
referentes ao cumprimento das sanções de prisão e de prisões administrativas para
a Sindicância (art. 67 da I-16-PM), PAE, PAD, CD e CJ.
averiguações (artigos 36 e 47), previstas no Regulamento Disciplinar revogado.
Sindicância é o meio sumário de elucidação de irregularidades no serviço
9. Ficam instituídos os formulários constantes do anexo II da presente Portaria.
para subseqüente instauração de processo e punição ao infrator.
10. Publique-se. Cumpra-se.
REGULAMENTO DISCIPLINAR DA PMESP (Alguns Artigos) ESQUEMAS DOS PROCEDIMENTOS
ANEXO I À PORTARIA DO CMT G Nº CORREGPM-001/305/01 ADMINISTRATIVOS DA PMESP
Instruções para a interpretação e fiel execução da Lei Complementar nº 893, de 9 de INSTRUÇÕES COMPLEMENTARES AO RDPM
março de 2001, que instituiu o Regulamento Disciplinar da Polícia Militar.
DA DEONTOLOGIA POLICIAL-MILITAR Investigação Preliminar Investigação de um fato para se verificar se é
DISPOSIÇÕES PRELIMINARES (Art. 69, § 1°, 2°, 3° e 4° da passível de apuração por Sindicância, PD, IPM,
I-16-PM) CD, PAD ou CJ.
Artigo 6º - A deontologia policial-militar é constituída pelos valores e deveres éticos,
Sindicância Investigação de transgressão disciplinar leve,
traduzidos em normas de conduta, que se impõem para que o exercício da profissão
(art. 67 a 88 da I-16-PM) média ou grave, quando não certa a autoria ou
policial-militar atinja plenamente os ideais de realização do bem comum, mediante a materialidade; além dos casos previstos no art.
preservação da ordem pública.. 67 da I-16-PM (danos c/ mat. Estado, acidente
§ 1º-Aplicada aos componentes da Polícia Militar, independentemente de posto ou pessoal “in itinere”, atos indecorosos outros atos
graduação, a deontologia policial-militar reúne valores úteis e lógicos a valores de índole Adm.)
espirituais superiores, destinados a elevar a profissão policial-militar à condição de PAD (praças c/ menos de 10 anos, Apuração de transgressão disciplinar grave passível
missão. art. 131 e 138 da I-16-PM) de exclusão disciplinar, quando sabida a autoria e
§ 2º - O militar do Estado prestará compromisso de honra, em caráter solene, afirmando materialidade, apurado em Sindicância,
CD (praça c/ mais de 10 anos; art.
a consciente aceitação dos valores e deveres policiais-militares e a firme disposição de 71 do RDPM Investigação Preliminar, ou qualquer outro
bem cumpri-los. e art. 130/137 da I-16-PM) procedimento apuratório da Adm. Pública ou
DOS VALORES POLICIAIS-MILITARES Processo Judicial.
CJ (p/ oficial; art. 128, 129 e 136
.

Artigo 7º - Os valores fundamentais, determinantes da moral policial-militar, são os da I-16-PM) Art 71 , I do RDPM
seguintes: I - o patriotismo; II - o civismo; III - a hierarquia; IV - a disciplina; V - o
profissionalismo; VI - a lealdade; VII - a constância; VIII - a verdade real;
348 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 346 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR

ESQUEMA DIDÁTICO SOBRE OS RECURSOS

DOCUMENTO PRAZO p/ PRAZO p/ A quem DOCUMENTO VÍTIMA


Interpor Solução Situação
5 (cinco) dias 10 (dez) dias
RECONSIDERA a contar da a contar da Autoridade Parte Circunstan Policial Militar dire
ÇÃO DE ATO ciência do data de proto- que praticou ciada ou Ofício tamente ou indireta
ato(art. 57, colo (art. 57, o ato (art. 57) mente atingido
§ 2º) § 3º) (art. 56)

Policial militar dire


tamente atingido por
5 (cinco) dias ato que repute irregu
a contar do 1. Pedir reconside
10 (dez) dias Superior ime Ração (art. 58, § lar ou injusto; ou in
ciente no diretamente atingido
RECURSO despacho dado a contar da diato de 1º); 2. Protocolar
HIERÁRQUICO data de proto- quem prati- (art. 58, §3º); 3. por ato que repute ir
sobre seu regular ou injusto ou
pedido de Re- colo (art. 58, cou o ato Parte comunicando
§ 3º) (art. 58) a intenção; 4. Parte atinja subordinado ou
consideração serviço sob seu co-
(art. 58, § 3º) queixando-se (art.
58) mando (art. 56)

VIII 5 (cinco) dias Superior ime


Policial Militar dire-
REPRESENTA- a contar da 30 (trinta) dias diato de
AGENDA ÇÃO (art. 30) data do ciente a contar do quem prati-
(art. 30, § 4º) ciente (art. 29, cou o ato
§ 1º) (art. 30, § 1º)
Parte tamente ou indireta-
mente atingido
(art. 56)

HORÁRIO ESTUDANTE
É regulado pelo Decreto nº 52810, de 06/10/1970 e alterado pelos Decretos
nº52926/72, 52932/72 e 10135/77. Segue abaixo sintéticamente as idéias contidas na
legislação:
a) Não se trata de um direito liquido e certo do servidor, mas sim uma
concessão a critério da Administração;
b) É voltado, a princípio, para o servidor que trabalha no expediente, não
para o caso do militar da atividade-fim (policiamento);
c) Requisito: (1) freqüência de estabelecimento Oficial de Ensino,
reconhecido ou autorizado e (2) tempo igual ou inferior a 90 min. entre o
início/término das aulas com término/início do expediente da
repartição;
d) Procedimento do Policial: solicitar a concessão mediante PARTE;
e) A cada período o Policial deverá confeccionar PARTE anexando o
comprovante de freqüência escolar.
NÚPCIAS
Previsto no art. 78 da Lei nº 10261/68, síntese:
a) Afastamento concedido ao policial em virtude do casamento
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 349 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 351

AGENDA TELEFÔNICA <INSTITUTO DE CRIMINALISTICA - TABOAO DA SERRA>


R. Jovina de C. Dau, 233 - Fone: 4701-0101
POLÍCIA CIVIL
<DEP. ESTADUAL DE TRANSITO - DETRAN>
CEPOL Fone: (11) 3326-7638, 3311-3218 AV.PEDRO ALVARES CABRAL, 1301 - PQ.IBIRAPUERA. Fone:
3889-3000
ACADEPOL ACADEMIA DE POLÍCIA
-COMANDO DO 3º BATALHÃO DE TRÂNSITO-
Praça Reinaldo Porchart, 219 Fone: (11) 3813-2233 RELAÇÕES PUBLICAS..........................3889 3268
CORREGEPOL CORREGEDORIA DA POLÍCIA CIVIL
<DENARC - DEPTO.EST.INVESTIGAÇOES SOBRE NARCOTICOS>
R. Consolação, 2333. Fone: (11)3231-5536/2880
R.MONCORVO FILHO, 410 Fone: 3815-8200
IIRGD INSTITUTO DE IDENTIFICAÇÃO RICARDO GUMBLETON
DAUNT <1° DELEGACIA SECCIONAL - CENTRO>
R. Cásper Líbero, 370 Fone: (11) 3311-3154/3403 R.AURORA, 322 - 5/6/7-A Fone: 3337-3712
<DEL.POL. DE DEFESA DA MULHER/1
DECAP DEPTº DE POLÍCIA JUDICIÁRIA DA CAPITAL
CENTRO>R.DR.BITTENCOURT RODRIGUES, 200. Fone: 3241-3328
Parque D. Pedro II, s/ n.º
<2° DELEGACIA SECCIONAL - SUL>
<I.M.L. - LESTE> AV. ENG.LUIZ CARLOS BERRINI,900-BROOKLIN. Fone: 5506-
AV.PE.ESTANISLAU DE CAMPOS, 33. Fone:6741-3621 7444
<I.M.L. - OESTE> <DEL.POL. DE DEFESA DA MULHER/2 SUL>
AV.GASTAO VIDIGAL, 307.Fone: 3836-9372 AV.ONZE DE JUNHO,89 - 2õANDAR/VL. CLEMENTINO . Fone:
<I.M.L. - SUL> 5084-2579
R.IRMAN GABRIELA, 42-CIDADE MON?OES. Fone: 5505-0880 <3° DELEGACIA SECCIONAL - OESTE>
<I.M.L. - COTIA> R.DEP.LACERDA FRANCO, 372- 2-A PINHEIROS. Fone: 3032-
R.PROF.MANOEL J.PEDROSO, 1130. CENTRO. Fone:4703-7104 8633
<I.M.L. - GUARULHOS> DEL.POL. DE DEFESA DA MULHER/3 OESTE>AV.CORIFEU DE
AV.BENJ.HARRIS HUNNCUTT, 1501. Fone:6456-6010/8668 AZEVEDO MARQUES, 4300. Fone: 3768-4664/3763-
<I.M.L. - MOJI DAS CRUZES> 6015<DEL.POL.DE DEFESA DA MULHER/9 OESTE>
R.ANTONIO NASCIMENTO COSTA, 10.Fone: 4726-3067 AV.MENOTTI LAUDISIO, 50 Fone: 3974-8890
<I.M.L. - OSASCO> <4° DELEGACIA SECCIONAL - NORTE>
R: DIOGO BENITEZ, S/N-BELA VISTAFone:3654-3093 AV.CASA VERDE, 677-2-A -CASA VERDEFone: 3951-7256

<5° DELEGACIA SECCIONAL - LESTE>


AV.CELSO GARCIA 2875-2§ ANDARFone:6291-0091
“Nós Policiais Militares estamos compromissados com a defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa Humana.” <DEL.POL. DE DEFESA DA MULHER/5 LESTE>
360 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR 358 - MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR

BPM/M 26°- (11) 4449-4640/2437 LEOPOLDINA 98° DP. JARDIM MIRIAN


1° - (11) 5852-6171 27°- (11) 5928-0973/1414 Av. Dr. Gastão Vidigal, 307 Av. Ângelo Cristianini, 467
Fone: (11) 3831-4916/6602/4907 Fone: (11) 5621-7319/7279/7979/7259
2° - (11) 6957-4566 28°- (11) 6748-0190/7228
3° - (11) 5073-1666/9896 29°- (11) 6956-5288 e 6137- 92° DP. PQ. STO. ANTONIO 99° DP. CAMPO GRANDE
4° - (11) 3834-2411/6730 7644 R. Maria Benedita Rodrigues, 300 R. Sgto. Manoel Barbosa da Silva, 115
5° - (11) 6967-9800/9806 Fone: (11) 5511-9615/5665 Fone: (11) 5521-6653 e 247-6593/0967
30°- (11) 4555-2943/2742
6° - (11) 4330-2799 e 4125-1010 31°- (11) 6467-2158/0887 93° DP. JAGUARÉ 100° DP. JARDIM
7° - (11) 3663-0311 e 3661-8527 32°- (11) 4748-7580 e 4742- Av. Corifeu de Azevedo Marques, HERCULANO
8° - (11) 295-2324/4108 9342 4300 R. José Carlos dos Santos Marques, 301
Fone: (11) 3768-3717/9799/7539 Fone: (11) 5831-2380
9° - (11) 6976-1729/1266 33°- (11) 4169-8287/6218
10° - (11) 4421-4422/9293 34°- (11) 3327-7000 94° DP. MOEMA 101° DP. JARDIM DAS
11° - (11) 3207-2688 / 3341-7191 35º - (11) 4640-1256 Av. Jandira, s/nº EMBUIAS
Fone: R. Carolina Michaelis, 370
12° - (11) 5044-0833 e 5093-4174
13° - (11) 222-2833/2282 INTERIOR 95° DP. HELIÓPOLIS Fone: (11) 5928-5952
14° - (11) 3681-7107/7106 CPI Av. Comandante Taylor, 1180 102° DP. SOCORRO
15° - (11) 6463-5555 e 6441-3305 1 - (12) 3922-9666 Fone: (11) 215-8534 e 6161-7700 Av. Robert Kennedy, 1171
16° - (11) 3768-1122/4695 2 - (19) 3743-7000 e 3772-6202 96° DP. MONÇÕES Fone: (11) 5521-2515/7293
17° - (11) 4799-7000 3 - (16) 626-3501/3310 Av. Engº Luis Carlos Berrini, alt. 828 103° DP. COHAB II
18° - (11) 3976-0713/9949 4 - (14) 222-3172 e 427-1059 Fone: (11) 5505-1607 ITAQUERA
19° - (11) 6525-0150 e 6944-4075 5 - (17) 231-7771 97° DP. AMERICANÓPOLIS Av. Nagib Farah Maluf, 209
20° - (11) 4198-3300/1626 6 - (13) 3227-5858 e (15) 221- Rod. dos Imigrantes, Km 11,5 Fone: (11) 6521-5244/2445/6549
21° - (11) 6605-9660/9591 9039 Fone: (11) 5588-4841/4875/4386
22° - (11) 5521-1300/1207 e 7(15) 3229-3900/3911
5548-6637/8778 BPM/I POLÍCIA MILITAR
23° - (11) 3034-3533 1°- (12) 3922-9666 BATALHÕES E COMANDOS
24° - (11) 4057-1010 e 4051-1288 2°- (18) 623-6150
CPC (11) 3242-0977
25° - (11) 4666-2422/3677 3°- (16) 626-3680/3531
(11) 3327-7000 CORREG. PM
4°- (14) 232-3765
CPM (11) 3322-0190/0213
5°- (12) 232-7488
6°- (13) 3227-5858 (11) 3327-7263 5057/5058
7°- (15) 221-9039 CCB PMRG
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 361 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 363

BTL CIA DP
8° - (19) 3772-6237 25° - (18) 5821-3313
1ª 35
9° - (14) 427-1555 26° - (19) 3831-8696/8797
10° - (19) 3234-0446 27° - (14) 622-2342/2932/9639 2ª 17

11° - (11) 4521-2333 28° - (18) 3722-9090/9192 3° 3ª 26


CPA/M-2
12° - (14) 6822-0444/5656 29° - (13) 3448-4909 BPM/M 4ª 97
13° - (16) 235-5939/7141 30° - (17) 522-1122/1144 SUDOESTE 5ª 95
14° - (13) 6821-6488 31° - (14) 3322-4212/4422 7ª 83
15° - (16) 3722-1999/1988 32° - (18) 322-2750 2º SECCIONAL
1ª 27
16° - (17)3 442-5951 33° - (17) 3322-0233
12° 2ª 36
17° - (17) 231-7771 34° - (11) 4033-4141
BPM/M 3ª 16
18° - (18) 221-1311/1745 35° - (19) 3236-0085/1568/5346
19° - (19) 3406-2182 36° - (19) 3451-7373 4ª 96
20° - (12) 452-1554/1575 37° - (19) 524-4688/9896/2290
21° - (13) 3354-2813/2814/2819 38° - (16) 271-2091/9416
22° - (15) 273-2300 e 271-7674 39° - (13) 3467-7778/0259 1ª 7
23° - (12) 553-1866 40° - (15) 243-2613/4242 2ª 91
24° - (19)3633-1186 e 633-1186 41° - (12) 353-2244 e 3952-1001 4°
3ª 33
BPM/M
4ª 46
6ª 87

CPA/M-5 1ª 37
2ª 34
OESTE
16° 3ª 51
3° SECCIONAL BPM/M 4ª 75
6ª 89
7ª 93
1ª 14
23°
2ª 23
BPM/M
3ª 15
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 365 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 367

BTL CIA DP CPI DEINTER BPM/I SECCIONAL DE POLÍCIA


8° BPM/I DEL. SECCIONAL de CAMPINAS
1ª 65
10° BPM/I DEL. SECCIONAL de PIRACICABA
2° 2ª 63 11° BPM/I DEL. SECCIONAL de JUNDIAÍ
BPM/M 3ª 24 19° BPM/I DEL. SECCIONAL de AMERICANA
24° BPM/I DEL. SECCIONAL de SÃO JOÃO da BOA VISTA
5ª 64 CPI-2 --> DEINTER-2
26° BPM/I DEL. SECCIONAL de MOGI-GUAÇU
6ª 62 34° BPM/I DEL. SECCIONAL de BRAGANÇA PAULISTA.
35° BPM/I DEL. SECCIONAL de CASA BRANCA
1ª 30
36° BPM/I DEL. SECCIONAL de LIMEIRA
2ª 31 37° BPM/I DEL. SECCIONAL de RIO CLARO
3º BPM/I DEL. SECCIONAL de RIBEIRÃO PRETO
8° 3ª 10
13º BPM/I DEL. SECCIONAL de ARARAQUARA
BPM/M 4ª 81 15º BPM/I DEL. SECCIONAL de FRANCA
5ª 21 15º BPM/I DEL. SECCIONAL de S. J. da BARRA
CPA/M-4 CPI-3 DEINTER-3
33º BPM/I DEL. SECCIONAL de BARRETOS
7ª 52
33º BPM/I DEL. SECCIONAL de BEBEDOURO
LESTE
1ª 18 38º BPM/I DEL. SECCIONAL de SÃO CARLOS
43º BPM/I DEL. SECCIONAL de SERTÃOZINHO
5°SECCIONAL 2ª 29
4º BPM/I DEL. SECCIONAL de BAURU
7°SECCIONAL
21° 3ª 42 9º BPM/I DEL. SECCIONAL de MARÍLIA
BPM/M 9º BPM/I DEL. SECCIONAL de TUPÃ
4ª 56
18º BPM/I DEL. SECCIONAL de PRESIDENTE PRUDENTE
6ª 57 25º BPM/I DEL. SECCIONAL de ADAMANTINA
CPI-4 DEINTER-4 25º BPM/I DEL. SECCIONAL de DRACENA
7ª 58
27º BPM/I DEL. SECCIONAL de JAÚ
1ª 32 31º BPM/I DEL. SECCIONAL de OURINHOS
32º BPM/I DEL. SECCIONAL de ASSIS
2ª 22 42º BPM/I DEL. SECCIONAL de PRESIDENTE VENCESLAU
3ª 103 44º BPM/I DEL. SECCIONAL de LINS
29° 2º BPM/I DEL. SECCIONAL de ARAÇATUBA
4ª 50
BPM/M 16º BPM/I DEL. SECCIONAL de FERNANDÓPOLIS
5ª 67 16º BPM/I DEL. SECCIONAL de JALES
16º BPM/I DEL. SECCIONAL de VOTUPORANGA
6ª 59 CPI-5 DEINTER-5
17º BPM/I DEL. SECCIONAL de SÃO JOÃO do RIO PRETO
8ª 68 28º BPM/I DEL. SECCIONAL de ANDRADINA
30º BPM/I DEL. SECCIONAL de CATANDUVA
30º BPM/I DEL. SECCIONAL de NOVO HORIZONTE
6º BPM/I, 21º BPM/I, 39º BPM/I e 45º BPM/I DEL. SECCIONAL de SANTOS
14º BPM/I DEL. SECCIONAL de REGISTRO
CPI-6 DEINTER-6
14º BPM/I DEL. SECCIONAL de JACUPIRANGA
29º BPM/I DEL. SECCIONAL de ITANHAÉM
MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 369 MANUAL DA AUTORIDADE POLICIAL MILITAR - 371

BTL CIA DP BTL CIA DP

1ª 1 e 5 de G CPA/M-8 14° BPM/M 1ª 1, 2 e 8 de O


e
CPA/M-7 2ª 3, 4, 7 e 10 de O
15° DEL SECC
BPM/M 2ª 2 e 9 de G OSASCO
e 3ª 5, 6, 9 e DDM de O
ARUJÁ (A) BARUERI (B)
BIRIT. MIRIM DEL SECC CARAPICUÍBA
GUARULHOS 1ª 1 e DPM de B
(BM) (C)
3ª 3, 6, 8 e DDM de G
CAIEIRAS (CA) COTIA (CO) 2ª DPM de SP, DPM
CAJAMAR (C) EMBU (E) 20° BPM/M
de PBJ
FERRAZ V. EMBU GUAÇU e
(FV) (EB) DEL SECC
1ª 1 e 3 de MC 3ª DPM de I
F. MORATO CARAPICUÍBA
ITAPECERICA
(FM) DA SERRA (IS)
F. ROCHA (FR) 17° BPM/M ITAPEVI (I) 5ª DPM de J
GUARAREMA e 2ª 2 e 4 de MC JANDIRA (J)
(GU) DEL SECC MOGI JUQUITIBA
GUARULHOS (G) DAS CRUZES 1ª DPM e DDM de TS
(JU)
ITAQUAQUECE-
TUBA (I) OSASCO (O)
3ª DPM de BM, DPM PIRAP. BOM 25° BPM/M
MAIRIPORÃ (M) de GU e DPM de S 2ª 1, 2 e DPM de E
MOGI CRUZES JESUS (PBJ) e
(MC) SANTANA DE DEL SECC
POÁ (P) PARNAÍBA (SP) TABOÃO DA
SERRA 3ª 1 de TS, DPM de JU,
SALESàPOLIS SÃO L. DA
1ª DPM de FR DPM de EG,
(S) SERRA (SLS)
DPM de SLS e
SANTA IZABEL TABOÃO DA
DPM de IS
(SI) SERRA (TS)
SUZANO (S) 26° BPM/M 2ª 1 e DPM de M
VARGEM GR.
e PSTA. (VGP) 1ª 2 de C
DEL SECC
SECCIONAL de FRANCO
Guarrulhos 33° BPM/M
DA ROCHA 3ª 1 e DDM de C 2ª 1 e 3 de C
SECCIONAL de e
e DPM de CA SECCIONAL de
Mogi das Cruzes DEL SECC
Osasco
CARAPICUÍBA
SECCIONAL de 3ª 1, 2, DPM e DDM
4ª DPM e DDM de de CO.
FM E DPM de VGP.