Vous êtes sur la page 1sur 39

FERTILIZANTES COM NPKS

Composição e concentração de nutrientes

Nitrogenados e sulfatados

concentração de nutrientes • Nitrogenados e sulfatados – Uréia (45% N) – Sulfato de amônio (20%

Uréia (45% N)

Sulfato de amônio (20% N 24% S)

Uréia + sulfato de amônio (50% de uréia + 50% de SA)

Biossulfato de amônio (12% N e 27% de S) (líquido)

Uran: uréia + NH 4 NO 3 (28 a 32% de N 14% NH 2 , 9% NH 4 9% NO 3 ) (líquido)

Uréia revestida com S (35% N 29% S e 39% N 10% S)

Sulfuran (28% N e 5% S) (líquido): mistura de uran + sulfato de amônio

Composição e concentração de nutrientes

Nitrato de amônio (34% N 17% NO 3 17% NH 4 )

Nitrato de potássio (15% N 14% K 2 O)

Nitrato de cálcio (12% N 15% Ca)

Sulfonitrato da amônio (25% N 6% S) (75% de nitrato e 25% de sulfato de amônio)

nitrosulfato de amônio (15%N 15%S) (50% de nitrato e 50% de sulfato de amônio)

Tiossulfato de amônio (NH 4 ) 2 S 2 O 3 .5H 2 O (25%N e 26% S)

Fosfossulfato de amônio (16% N 20% P 2 O 5 ; 14% S):

(mistura de amônia anidra, ácido fosfórico e ác. sulfúrico, devendo conter no mínimo 13% de N, 20% de P 2 O 5 e 12% de S)

Composição e concentração de nutrientes

Composição e concentração de nutrientes • Fosfatados e sulfatados – Superfosfato simples (20% P 2 O

Fosfatados e sulfatados

Superfosfato simples (20% P 2 O 5 ; 20% Ca; 12% S)

Superfosfato triplo (45% P 2 O 5 ; 14% Ca)

MAP (11% N, 54% P O ) DAP (16% N, 45% P 2 O 5 )

Termofostado magnesiano (18% P O

2

5

;20% Ca; 9% Mg;

2

5

0,15% B; 0,5% Zn; 0,15 Cu e Mn; 25% SiO 2 )

Fosfatos

naturais

hiperfosfatos

(28-35% P 2 O 5; 35%Ca)

Gafsa,

Daouí,

Arad

Fosfatos naturais nacionais apatíticos (Jacupiranga (SP); Tapira (MG), Araxá; (MG); Catalão (GO): teor de P 2 O 5 (%): 35 a 38%; 42 a 53% CaO

Fosfatos naturais nacionais fosforíticos: Patos (MG); Olinda (PE): teor de P 2 O 5 : (25 a 35%); 18 a 20% de CaO

b) química: forma química dos fertilizantes

b) química: forma química dos fertilizantes

Composição e concentração de nutrientes

Potássicos

Cloreto de potássio (60% K 2 O)

Sulfato de potássio (50% K 2 O; 22% S) (K 2 SO 4 )

Sulfato duplo de potássio e magnésio (K-Mag ou Sul- Po-Mag) (K 2 SO 4 .2MgSO 4 ): ( 22% K 2 O 18% MgO 22% S)

Magnesianos e sulfatados

Sulfato de magnésio (16% MgO 13% S)= epsomita (Mg SO 4 .7H 2 O)

Sulfato duplo de potássio e magnésio (K-Mag ou Sul- Po-Mag)

Fórmulas NPK para soja e milho

Exemplos de algumas fórmulas hoje utilizadas:

04-14-08 + 4 CaO + 4 S + 0,2 B+ 0,3 Zn

04-30-15

02-20-10

05-20-20

08-30-10

00-20-10 + 4 Ca + 4 S

20-00-20 + 4 S

16-00-16

36-00-12

20-05-20

concentração dos nutrientes: maior concentração de

menos

NPK,

micronutrientes

menos

macronutrientes

secundários

e

FERTILIZANTES NITROGENADOS:

produção industrial

Fertilizantes Nitrogenados

Produção

– fertilizante nitrogenado é derivado da atmosfera, que possui 78% N

– combinando hidrogênio (do gás natural e derivados de petróleo) com N atmosférico produz-se amônia (NH 3 ) composto base

– amônia é usada para produzir os fertilizantes nitrogenados

atmosférico produz-se amônia (NH 3 ) composto base – amônia é usada para produzir os fertilizantes
atmosférico produz-se amônia (NH 3 ) composto base – amônia é usada para produzir os fertilizantes

A Produção de Nitrogênio

6 e -

• N 2 + 3 H 2

• Exigências

2NH 3

Temperatura (300 - 600 o C)

Pressão (200 - 800 atm)

– Catalisador

Exigências 2NH 3 – ≠ Temperatura (300 - 600 o C) – ≠ Pressão (200 -
Exigências 2NH 3 – ≠ Temperatura (300 - 600 o C) – ≠ Pressão (200 -
Alguns fertilizantes nitrogenados: + fosfatos de rocha Nitrofosfatos + O 2 + NH 3 HNO
Alguns fertilizantes nitrogenados:
+ fosfatos de rocha
Nitrofosfatos
+ O 2
+ NH 3
HNO 3
Nitrato de amônio (NH 4 NO 3 )
+ Na 2 CO 3
Nitrato de sódio (NaNO 3 )
+ H 2 SO 4
Sulfato de amônio [(NH 4 ) 2 SO 4 ]
+ CO 2
NH 3
Uréia [CO(NH 2 ) 2 ]
+ H 2 O
Aqua amônia (NH 4 OH)
+ NH 4 NO 3 + Uréia + H 2 O
Soluções com N
+ H 3 PO 4
Fosfatos de amônio (MAP e DAP)
(NH 4 H 2 PO 4 ) e [(NH 4 ) 2 HPO 4 ]
Fonte: Lopes, 2001

Produção de adubos com nitrogênio

Produção de adubos com nitrogênio

FERTILIZANTES NITROGENADOS:

dinâmica no solo (mineralização, lixiviação, volatilização, desnitrificação, imobilização)

Fertilizantes amoniacais e nítricos:

mineralização e ganhos no solo

1) MINERALIZAÇÃO

• transformação do N orgânico (R-NH 2 ) em N mineral (NH 3 NH 4 NO 2 NO 3 )

a) amonificação:

NH 2

orgânico

à

N-NH 3

e

N-NH 4 +

(amonificação) fertilizantes com efeito residual ácido

b) nitrificação: NH 4 + a NO 2 e NO 3

-

• NH 4 + + 1,5 O 2 NO 2 + 2 H + + E + H 2 O

• NO 2 + 0,5 O 2 NO 3 - + E fertilizantes com efeito residual alcalino e higroscópico

Transformações do nitrogênio a partir de adubos nítricos: perdas no solo

• 2) LIXIVIAÇÃO

• do nitrato (função da carga líquida no perfil)

• do amônio e adsorção no complexo coloidal (função da CTC do solo)

• 3) VOLATILIZAÇÃO A PARTIR DO AMÔNIO

• NH 4 + + OH - NH 3 + H 2 O

Transformações do nitrogênio a partir de adubos nítricos: perdas no solo

4) VOLATILIZAÇÃO A PARTIR DO NITRATO OU DESNITRIFICAÇÃO

• Transformação em formas gasosas formadas a partir do NO 3 - como N 2 NO N 2 O

• NO 3 - (+ 4H + ) NO 2 - (+ 4H + ) N 2 O 2

• N 2 O 2 - N 2 (pH >7) ou N 2 O (pH<7)

• NO 3 - + 2H+ + 6e NO 2 - + H 2 O (421 mV)

-

Forma de adubação nitrogenada em condição de redução

Forma de adubação nitrogenada em condição de redução

Transformações do nitrogênio a partir de adubos nítricos: perdas no solo

5) Volatilização a partir da uréia: CO(NH 2 ) 2

CO(NH 2 ) 2 + 4H 2 O + urease (NH 4 ) 2 CO 3 CO 2 + 2 NH 3 (NH 4 ) 2 CO 3 HCO 3 - + NH 4 + HCO 3 - + HOH H 2 CO 3 + OH - (CO 2 +H 2 O) + OH - (pH em torno de 10)

Redução das perdas de NH 3 : umidade e meio pouco ácido

NH 3 + H 2 O NH 4 + + OH -

NH 3 + H 3 O + NH 4 + + H 2 O

Quadro 4. Perdas de N-NH 3 , considerando as misturas de fertilizantes uréia e sulfato de amônio aplicadas na superfície de 400 cm 3 de solo, após diferentes períodos de incubação

tratamentos mg 400 cm -3

N

Volatilização (mg N-NH 3 )

 

NH 4

3 dias

8 dias

15 dias

23 dias

total

V1= 0 SA + 330 UR V2= 75 SA+ 330 UR V3=150 SA+ 330 UR V4=225 SA+ 330 UR V5=300 SA+ 330 UR

-

61,51 a

34,79 b

20,23 a

4,99 ab

121,52

16

61,49 a

39,35 ab

20,93 a

5,32 a

127,09

32

49,42 b

40,34 ab

19,46 a

4,20 bc

113,42

48

53,06 b

41,05 a

16,16 a

3,61 cd

113,88

64

36,03 c

38,74 ab

19,59 a

3,11 d

97,47

Test F (1%) CV (%)

 

86,11**

3,05**

1,00**

20,13**

4,85

8,05

21,25

10,83

Fonte: Vitti et al. (2002) – RBCS, v.26

Solo: Latossolo Vermelho distrófico (pH (CaCl2) 3,8; 820 g kg -1 de areia , 160 g kg -1 de argila

Fonte: Vitti et al. (2002) – RBCS, 26:663-671

Efeito positivo da mistura uréia e sulfato de amônio em PD

A mistura de sulfato de amônio e uréia torna o meio mais ácido e diminui a volatilização do N-NH 3 .

• As perdas de N-NH

quando a uréia é aplicada

3

ao solo pode representar 50 a 80% do total de N aplicado, cujo efeito é aumentado em PD

Efeito positivo da mistura uréia e sulfato de amônio em PD

• A taxa de nitrificação do SA e da uréia ocorrem em função da diferença de pH das soluções.

• O pH ótimo para a nitrificação está entre 7,9 a 9,0

• O pH da uréia está em torno de 9,0 e do SA ao redor de 5,1

• NH 4 da uréia nitrifica-se mais rapidamente que o NH 4 do SA, perdendo-se mais rapidamente no sistema

60 a 50 a 40 30 b 20 b 10 0 U-S U-I UR-S UR-I
60
a
50
a
40
30
b
20
b
10
0
U-S
U-I
UR-S
UR-I
U-S+KCl
UR-S+KCl
Perdas acumuladas de N-
amoniacal, % do N aplicado

Fontes nitrogenadas e formas de aplicação

Figura 2. Perdas acumuladas de N amoniacal proveniente da aplicação superficial (S) e incorporada (I) das fontes de uréia (U), uran (UR), uréia + KCl sólida e uran + KCl flúida na cobertura nitrogenada de milho em sistema plantio direto. Colunas sem letras não foram incluídas na análise estatística.

Obs: O KCl misturado à uréia forma um composto mais estável (NH 4 Cl), que reflete positivamente no rendimento do milho

Fonte: Lara Cabezas et al. (2000) – RBCS, v.24

Uso do inibidor de urease NBPT (Agrotain) ou revestimento compolímeros (osmocote)

Uso eficiente do N (NBPT)

• CO (NH 2 ) 2 + H 2 O

2NH 3 + CO 2

urease

• (NBPT): composto com bons resultados de pesquisa

• Redução das perdas de NH

urease, mantendo a uréia estável, até que possa ser

incorporado ao solo por meio mecânico ou pela chuva ou irrigação (15 a 20 mm)

• É efetivo a baixas concentrações e é facilmente adicinado à formulações sólidas e líquidas de uréia

• Controla a hidrólise da uréia por 3 a 14 dias, dependendo das condições de temperatura, umidade e características do solo.

: bloquear a ação da

3

Uso eficiente do NBPT em milho em Mococa e Ribeirão Preto, SP

eficiente do NBPT em milho em Mococa e Ribeirão Preto, SP Dose usada de inibidor aplicado

Dose usada de inibidor aplicado 2 dias antes da adubação com uréia no solo (UR-AGR): 375 g ton do adubo e 1,3 kg ton do adubo quando o inibidor foi aplicado durante a fabricação da uréia (UR-HY). Local Mococa, SP

Transformações do nitrogênio a partir de adubos orgânicos: perdas no solo

6) IMOBILIZAÇÃO DO N POR MICROORGANISMOS

matéria

orgânica

•Resíduos de cultura com relação C/N>25:1

• Imobilização do N > que mineralização

Resíduos de gramíneas: imobilização máxima após 30 a 40 dae do milho (estádio V6)

N-orgânico

(NH 2 ):

decomposição

da

CONSUMO DE FERTILIZANTES NITROGENADOS

OFERTA NACIONAL DE FERTILIZANTES NITROGENADOS ( Tons. de N) Capacidade Capacidade/ Produto Produção Importação
OFERTA NACIONAL DE FERTILIZANTES
NITROGENADOS ( Tons. de N)
Capacidade
Capacidade/
Produto
Produção
Importação
Total
instalada
Total
%
Sulfato de
amônio
50.388
319.600
369.988
50.400
13,6
Uréia
390.957
801.523
1.192.480
790.740
66,3
Nitrato de
amônio
105.315
73.811
179.126
138.040
77,1
MAP
103.213
237.352
340.565
102.050
30,0
DAP
1.273
51.370
52.643
1.440
2,7
Complexos
87.787
175.081
262.868
87.787
33,3
Fonte: ANDA, 2009.
OFERTA NACIONAL DE FERTILIZANTES SULFATADOS (Tons. de S) Capacidade Capacidade/ Produto Produção Importação
OFERTA NACIONAL DE FERTILIZANTES
SULFATADOS (Tons. de S)
Capacidade
Capacidade/
Produto
Produção
Importação
Total
instalada
Total
%
Sulfato de
57.798
374.165 431.963
57.600 13,3
amônio
Super
562.849
42.767 605.616
642.700 106,1
simples
Fonte: ANDA, 2009.
FERTILIZER MARKET – BRAZIL - 2008 9.06 3.17 3.55 2.34 million tons of N million
FERTILIZER MARKET – BRAZIL - 2008
9.06
3.17
3.55
2.34
million
tons of N
million
tons of P 2 O 5
million
tons of K 2 O
million
tons of NPK
12%
36%
34%
58%
National
88%
Imported
42%
64%
66%
N
K 2 O
Total
P 2 O 5
Source : ANDA - AMA – BRASIL (2009)
ESTIMATED NITROGEN FERTILIZERS CONSUMPTION IN BRAZILIAN AGRICULTURE – 2007 to 2015 (X 1,000 TONS) 4500
ESTIMATED NITROGEN FERTILIZERS CONSUMPTION IN
BRAZILIAN AGRICULTURE – 2007 to 2015
(X 1,000 TONS)
4500
4174
4000
Urea
3500
3280
2816
3000
MAP
3088
2427
2500
Ammonium sulphate
2000
2146
1438
Ammonium nitrate
1500
957
1000
666
DAP
517
500
0
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
2015
Year
Source: ANDA, 2007

RESUMO

• Fontes: matéria orgânica, adubação mineral e fixação simbiótica do N 2 atmosférico

• Drenos: lixiviação do NO 3 - ; volatilização (NH 3 , N 2 NO N 2 O); imobilização (resíduos orgânicos com C/N>25:1); exportação pelos grãos na colheita

• Nutrientes mais exportados pelos grãos: NPS

• Nutrientes mais exportados pela parte aérea:K Ca Mg e micronutrientes

• Plantio direto: volatilização e imobilização

RESUMO

• UREIA: fertilizante nitrogenado mais consumido

• UREIA: Fertilizante mais concentrado em N nas fórmulas

• Desafio: solo: redução das perdas de N-uréia cobertura: solos úmido, incorporação e uso de inibidores de urease (NBPT) ou de nitrificação ou revestimento dos grãos com polímeros

• Desafio: indústria: redução da higroscopicidade da uréia

• Fertilizantes nitrogenados mais importados: DAP, sulfato de amônio, MAP

• Fertilizantes nitrogenados mais consumidos:

uréia, MAP, sulfato de amônio