Vous êtes sur la page 1sur 10

1

UFSC Departamento de Química QMC 5119 Introdução ao Laboratório de Química

Prof. Marcos

Prof. Alfredo

Prof. Santiago

EXPERIÊNCIA N O 08

Titulação ácido base

1.

Introdução

Muitas vezes é necessário, no trabalho experimental que envolva Química, se conhecer com precisão o valor da concentração de soluções aquosas de ácidos e/ou de bases. Para essa determinação, temos dois procedimentos experimentais: (I) titulação mediante o uso de indicador ácido-base; (II) titulação potenciométrica.

Na titulação ácido-base, que corresponde a uma reação entre um ácido e uma base na presença de um indicador, será você quem irá monitorar a mudança de cor na solução e nesse caso, será necessário se conhecer com precisão a concentração de uma das soluções. Essa solução é considerada padrão de concentração. A escolha do indicador irá depender da reação ácido-base que se deseja realizar (faça uma revisão, em livros de Química geral, sobre este tópico), de modo que no ponto de equivalência da reação, o número de equivalentes do ácido (N A x V A ) é igual ao número de equivalentes da base (N B x V B ), ou seja,

, sendo que no final da titulação, o pH da solução aquosa pode ser neutro,

ácido, básico ou aproximadamente neutro, dependendo do sal formado na reação.

N A x V A = N B x V B

(I) Titulação mediante o uso de indicador ácido-base

Normalidade(N)

Esta unidade de concentração de soluções, que geralmente é utilizada em Química Analítica e em Bioquímica, é expressa como a razão entre o número de equivalentes grama (equivalentes em massa do soluto), por volume de solução (expresso em litro), ou seja, N = n equivalentes do soluto/Vsolução(L).

Exemplo: Uma solução aquosa 1 normal de HCl (1N HCl(aq)), significa que apresenta 1 equivalente grama de HCl por litro de solução, sendo necessário se considerar a reação química que o soluto participa. Assim, o equivalente grama de um soluto expressa a quantidade em grama do soluto que se equivale ao outro reagente, quando reagem em solução para formar os produtos da reação.

A normalidade tem utilidade prática na titulação ácido-base. Considerando uma solução básica, de normalidade desconhecida (N B ) a ser titulada com uma solução padrão ácida, de normalidade (N A ) e volume (V A ) conhecidos, temos as seguintes relações: N A = neq.A/V A N B

2

= neq.B/V B . Desse modo, no ponto de equivalência das duas soluções, temos que N A V A =

N B V B , pois os equivalentes grama são idênticos. Assim, conhecendo-se a normalidade da solução ácida (N A ), o seu volume utilizado na reação (V A ) e determinando-se o volume da solução básica (V B ), pelas titulações, pode-se calcular o valor da normalidade da solução básica (N B ).

Caso se faça reagir, por exemplo, certo volume de uma solução 1N de ácido clorídrico com

o mesmo volume de uma solução 1N de hidróxido de sódio, as massas de HCl e de NaOH,

necessárias no ponto de equivalência, seriam 36,5 g de HCl e 40,0g, respectivamente, o

que correspondem aos equivalentes grama desses reagentes na reação química. Nesse caso, o equivalente grama do ácido e da base corresponde aos seus pesos moleculares (também denominados massas molares).

HCl(aq) + NaOH(aq) NaCl(aq) + H 2 O(l)

36,5g

40,0g

= 58,5g

18,00g

Utilizando ácido sulfúrico em reação com hidróxido de sódio, o equivalente grama do H 2 SO 4 (aq), dependerá da reação química que esse ácido participe:

H 2 SO 4 (aq) + NaOH(aq) NaHSO 4 (aq) + H 2 O(l)

98,0g

40,0g

= 120,0g

18,0g

Nesta condição o equivalente grama do ácido sulfúrico é igual a 98,0g, entretanto, em outra estequiometria para a formação de sulfato de sódio, o ácido sulfúrico teria um equivalente grama igual a 49,0g.

1/2H 2 SO 4 (aq) + NaOH(aq) 1/2Na 2 SO 4 (aq) + H 2 O(l)

49,0g

40,0g

= 71,0g

18,0g

Do mesmo modo, na reação entre ácido fosfórico (H 3 PO 4 (aq)), que pode liberar até três íons H + (aq), e hidróxido de sódio, o equivalente grama do H 3 PO 4 (aq) irá depender do produto formado na reação.

H 3 PO 4 (aq) + 1NaOH(aq) NaH 2 PO 4 (aq) + H 2 O(l)

H 3 PO 4 (aq) + 2NaOH(aq) Na 2 HPO 4 (aq) + H 2 O(l)

H 3 PO 4 (aq) + 3NaOH(aq) Na 3 PO 4 (aq) + H 2 O(l)

Nestas reações H 3 PO 4 (aq) apresenta equivalentes gramas iguais a 97,95g (97,971); 49,75 (97,952); 32,65 (97,953), que correspondem à participação de 1, 2 e 3 íons H + (aq) para reagir com a solução de NaOH(aq), conforme as estequiometrias apresentadas acima.

3

Simulações sobre titulações ácido base na presença de indicadores:

Acesse o seguinte site para realizar simulações sobre titulações ácido base, utilizando indicadores.

Tutorial para a simulação: uma prática virtual interativa.

1. Selecione o tipo de reação. O programa oferece duas possibilidades. Escolha uma delas, por exemplo, ácido forte versus base forte. Veja a diferença conceitual entre ácidos e bases fortes e fracos, neste arquivo;

2. Complete a bureta com ácido ou com base. Inicie, por exemplo, com base. Note que na etapa 4 (em que você deverá selecionar o indicador), aparecem duas opções de indicadores: alaranjado de metila ou fenolftaleína e que na etapa 5 a bureta conterá a solução básica; na outra opção, ou seja, caso você escolha completar a bureta com ácido, você notaria que na etapa 4, as opções de indicadores seriam vermelho de metila ou azul de bromotimol. Nesse caso, note que na etapa 5 o programa indicaria solução ácida na bureta. Você encontrará neste arquivo, as características desses indicadores ácido-base;

3. Selecione o ácido e a base. O programa oferece 4 opções para ácido e 4 opções para base. Note, em baixo e próximo ao erlenmeyer, que em cada escolha o programa mudará o valor da concentração da solução. Você precisará desse valor e do volume da solução, para realizar na etapa 6, o cálculo do valor da molaridade da solução titulada;

4. Selecione o indicador. Se você esquecer-se de selecionar o indicador, a titulação não será realizada!

5. Empurre, aos poucos, a base da vareta para cima, para adicionar a solução contida na bureta. Você também tem a opção de adicionar a solução na bureta, gota a gota (Dropwise). Recomenda-se que, no início da titulação, você utilize a base da vareta para adicionar a solução contida na bureta e quando perceber alguma mudança na cor da solução (contida no erlenmeyer) adicione gota a gota a solução, para assim visualizar a mudança total de cor na solução, o que indica o final da titulação. Nesse ponto (denominado ponto de equivalência ácido-base), leia (na bureta) o volume da solução gasta na titulação, faça o cálculo (NAVA= NBVB) do valor da concentração da solução titulada e lance esse valor no espaço reservado na etapa 6 da simulação. O programa indicará se o seu valor está correto ou não!

4

arquivo) e através das simulações você estaria se preparando melhor para a realização da prática sobre titulações ácido ácido-base reais, no laboratório de Química.

(II) titulação potenciométrica.

Na titulação potenciométrica, será o equipamento (o pHmetro) que irá monitorar a mudança do pH da solução, devido a reação ácido-base, mas para tanto deverá está calibrado. Nessa opção, estamos na área da eletroquímica em que o pH da solução aquosa é expresso pela seguinte equação:

pH solução =

E

0

, 059

Esta relação é deduzida a partir da equação de Nernst e como se trata de um assunto que merece ser revisado, apresentamos a seguir um breve resumo sobre essa importante equação e a sua aplicação em potenciometria.

A equação de Nernst

Os potenciais listados para as semi-reações de redução (consulte livros de Química Geral) foram determinados em condições padrão, ou seja, todas as espécies se apresentam inicialmente em concentração de 1 molL -1 , a 25 0 C e 1 atm. A equação de Nernst prever a diferença de potencial eletroquímico com a concentração, conforme se apresenta a seguir:

ou

a Ox

+ ne

bRedconforme se apresenta a seguir: ou a Ox + ne E= E 0 _ [Red] b

E= E 0 _

[Red] b

RT

nF

[Ox] a

ln

E= E

0

_

[Red] b

2 , 3 RT log

n F

[Ox] a

Onde, E= potencial de redução na concentração de trabalho;

E 0 = potencial de redução nas condições padrão (ver a tabela de potenciais de redução);

R

= constante universal dos gases = 8,3144 J.mol -1 .K -1 ;

T

= temperatura absoluta, em kelvin;

n

= número de elétrons transferidos;

F

= constante de Faraday = 96.485 C.mol -1 .

Na temperatura de 25 0 C (298,16K), temos para a equação de Nernst:

5

E= E

0

_

[Red] b

0

, 059

log

n

[Ox] a

A concentração de substâncias puras, na forma de precipitados e solventes é considerada unitária. Walther Hermann Nernst ganhou o Prêmio Nobel de Química em 1920 pelo seu trabalho sobre termoquímica.

Exemplo de aplicação da equação de Nernst

Quando dois ENH (Eletrodo Normal de Hidrogênio), sendo um deles padrão ([H + (aq) ] = 1M) e o outro com [H + (aq) ] = 0,1M, são conectados, observa-se no voltímetro o valor 0,059V, conforme a seguinte representação e as respectivas semi-reações de eletrodos:

0 , 059 V

_ 2e + 2e , 1 [ H + (aq) ] =0 M [ H
_
2e
+
2e
, 1
[ H
+
(aq) ] =0
M
[ H
+
(aq) ] = 1M

H 2

+ 2e , 1 [ H + (aq) ] =0 M [ H + (aq) ]

1atm

H 2

at1m
at1m

(outro eletrodo)H 2(gás)

(outro eletrodo) H 2 ( g á s ) 2 H + ( a q )

2 H + (aq) +

 

2e

(ENH)

2H + ( 1M )

 

+

2e

(ENH) 2 H + ( 1 M )   + 2 e H 2 (gás)

H

2(gás)

H

2 (gás/1atm )

+

2

H

+

( 1M )

H 2 (gás/ 1 atm ) + 2 H + ( 1 M ) H 2

H

2 (gás/ 1 atm)

+

2 H + (aq/1 M)

Representação de dois ENH interligados. A [H + (aq) ] é diferente nos dois eletrodos.

Utilizando a equação de Nernst e generalizando para o caso da concentração do outro eletrodo, por exemplo, [H + (aq) 1 M] = x e p = pressão do gás hidrogênio = 1 atm,

E = E 0

_

0 , 059

n

H 2

[X] 2

log p

p

H 2

[H + ] 2

E = E 0

E = E 0

_

_

0 , 059

n

0 , 059

n

log

1

[X] 2
*

1

*

1 2

log [X] 2

E = E 0

_ 0 , 059

* 2

2

log[X]

Sendo, E 0 = 0 , 00

V (por convenção)

2 log[X] Sendo, E 0 = 0 , 00 V (por convenção) E = _ 0

E = _ 0 , 059 log [X]

No outro eletrodo, [H + ] = X = valor observado no experimento.

0 , 1 M , potanto, E= 0 , 059 V, que corresponde ao

6

Considerando x = = 0,1M = [H + (aq) ], no outro eletrodo podemos calcular o pH de uma solução aquosa, determinado eletroquimicamente, através da seguinte expressão:

pH solução =

E

0

, 059

A seguinte tabela apresenta alguns valores para o pH de soluções aquosas e os respectivos valores de potenciais na reação redox. Considerando [H + ] = 1M no ENH, varia- se a [H + ] M , no outro eletrodo.

[H + (aq) ] M , no ENH

[H + (aq) ] M ,

no

outro

V

pH da solução

eletrodo

1,0

1,0

0,00

0,0

1,0

1,0 x 10 -1

0,059

1,0

1,0

1,0 x 10 -2

0,118

2,0

1,0

1,0 x 10 -3

0,177

3,0

1,0

1,0 x 10 -4

0,236

4,0

1,0

1,0 x 10 -7

0,413

7,0

2

Pré-Laboratório

1) Apresente a fórmula estrutural do indicador fenolftaleína para o equilíbrio ácido/base conjugada e o valor do seu pKa;

2)

Qual a faixa de atuação da fenolftaleína?

3) Que outro indicador (leia todo o roteiro da primeira parte da prática) poderia ser utilizado nessas titulações ácido-base? Justifique a sua resposta;

4) Calcule a massa molar do ácido benzóico;

5) Calcule a massa molar do ácido acético;

6) Apresente o significado para a expressão “solução tampão”;

7) Exemplifique uma solução tampão a pH = 7,0;

8) Exemplifique uma solução tampão a pH = 4,00;

7

3. Procedimento Experimental

(I) Titulação utilizando indicador ácido-base

3.1 Padronização da Solução de NaOH

Observe a figura a seguir, que ilustra os itens necessários para o preparo de solução (béquer, balão volumétrico e bastão de vidro - à esquerda) e a sua titulação (suporte universal, bureta, garra para bureta e erlenmeyer).

bastão de vidro bequer bureta garra para bureta erlenmeyer suporte universal balão volumétrico
bastão de vidro
bequer
bureta
garra para bureta
erlenmeyer
suporte universal
balão volumétrico

1.Monte uma bureta no suporte universal, utilizando uma garra para bureta, para fixá-la ao suporte, conforme representado na figura.

2.Enxágue a bureta, antes de usá-la, com um pouco de solução de NaOH que você preparou. Faça isso duas vezes, descartando a solução em um recipiente apropriado. Em seguida, encha a bureta com a solução de NaOH, zere-a recolhendo o excesso de solução em um béquer, de forma que o menisco na bureta fique na marca do zero. Verifique que a parte abaixo da torneira esteja cheia de líquido. Desta forma a bureta estará pronta para se iniciar a titulação.

3. Separe três erlenmeyers e coloque em cada um deles 10,0 mL da solução padrão de ácido oxálico, medidos com uma pipeta volumétrica. Acrescente um pouco de água destilada (30 mL) e 3 gotas de fenoftaleína. Observe a seguir a representação da estrutura do ácido oxálico.

O O C C OH HO ácido oxálico
O
O
C C
OH
HO ácido oxálico

4.Titule cada solução, nos 3 erlenmeyers, gotejando a solução de NaOH da bureta no erlenmeyer, sob agitação, até o aparecimento da cor rosa. Pare então de gotejar NaOH e anote o volume gasto. Encha novamente a bureta com NaOH, zere e repita a titulação, utilizando os outros dois erlenmeyers. Anote os volumes gastos em

8

cada titulação e calcule o volume médio para ser utilizado no cálculo da concentração efetiva da solução titulada.

3.2 Outras aplicações da titulação com o uso de indicador ácido-base

3.2.1 Determinação da Massa Molar de um Ácido

Pese uma certa quantidade de ácido benzóico (aproximadamente 0,2 g), com precisão de 2 casas decimais, e coloque em um erlenmeyer limpo (não precisa estar seco). Observe a seguir a representação da estrutura do ácido benzoico.

O OH C
O
OH
C

ácido benzoico

Adicione aproximadamente 10 mL de álcool etílico com uma proveta e agite até dissolver o ácido. Adicione três gotas de fenoftaleína e titule com a solução de NaOH até o ponto de viragem (aparecimento da cor rosa). Anote o volume de NaOH gasto. Repita duas vezes o procedimento da titulação e calcule o volume médio.

3.2.2 Determinação da Concentração de Ácido Acético no Vinagre comercial.

Anote a marca comercial do vinagre que você irá utilizar e o valor da concentração (%), expressa no rótulo do frasco. Observe a seguir a representação da estrutura do ácido acético.

O H H C C H OH
O
H
H
C C
H
OH

ácido acético

1.Com uma pipeta volumétrica, coloque 10 mL de vinagre em um balão volumétrico de 100 mL e complete com água até a marca do menisco no balão. Com isso você fez uma diluição de 10 vezes. Tome cuidado, não passe da marca dos 100 mL existente no balão, caso contrário a diluição seria maior do que 10 vezes.

2.Separe três erlenmeyers limpos e coloque 10 mL da solução diluída de vinagre em cada um deles. Adicione três gotas de fenoftaleína em cada erlenmeyer e titule cada solução com NaOH até o ponto da viragem do indicador. Anote o volume de NaOH gasto em cada titulação e calcule o volume médio.

9

3.Anote no quadro do laboratório a marca do vinagre que você usou e a concentração encontrada.

4.Anote na sua folha de dados os resultados de seus colegas para a mesma marca de vinagre que você utilizou.

(II) Titulação potenciométrica.

3.3.1 Calibração do pHmetro

Calibração a pH = 7,00

1.

Enxague o eletrodo várias vezes com água destilada usando o frasco lavador.

 

2.

Coloque aproximadamente 20 mL de solução tampão pH = 7,00 em um béquer pequeno.

3.

Mergulhe

a

extremidade

do

eletrodo nessa

solução,

agite

levemente

e

calibre

o

pHmetro.

Calibração a pH = 4,00

4. Repita o procedimento anterior, utilizando 20 mL de uma solução tampão pH = 4,00.

O procedimento de calibração pode mudar dependendo do modelo do pHmetro que esta sendo utilizado.

3.3.2 Titulação Potenciométrica

1.

Utilize os seguintes volumes de soluções aquosas, preparadas na prática anterior:

100

mL de HCl

100

mL de NaOH

100

mL de CH 3 COOH

2. Adapte um sistema análogo ao utilizado na titulação ácido-base (mediante o uso de indicador), colocando um volume de 10,00 mL de solução de HCl 1,0 mol L -1 em um béquer. Adicione 20 mL de água destilada. Adicione a solução de NaOH 1,0 mol L -1 e m uma bureta e proceda a titulação .

3. Utilizando um pHmetro previamente calibrado para medir o pH da solução, adicione pequenos volumes da base e acompanhe (no visor do equipamento) o valor correspondente do pH da solução. Somente finalize a adição da base, quando o valor de pH estiver próximo a 12.

4. Repita o procedimento anterior utilizando uma solução de ácido acético em vez da solução de HCl. Continue utilizando na bureta a solução de NaOH 1,0 mol L -1 .

10

Considerações para o relatório

1) Você deve efetuar todos os cálculos de padronização da solução de NaOH, da determinação da massa molecular do ácido fraco e da dosagem de ácido acético no vinagre; 2) Calcule o erro percentual na determinação experimental da massa molar do ácido benzoico. Sugira um procedimento para minimizar esse erro. 3) No rótulo do vinagre que você titulou deve está escrito a concentração de ácido acético, por exemplo 4,1% . Nesse caso, como a densidade da água é 1,0 e a densidade da solução do ácido acético também, quase não importa se a porcentagem é v/v ou p/p, portanto, considere a seguinte relação:

N

=

4,1/ 60

1/10

= 0,67 N

A concentração do ácido acético no vinagre estava correta? Determine a média aritmética da sua medida, junto com a de seus colegas que titularam a mesma marca. Considerando esse valor como o correto, qual é o erro % do valor apresentado para o ácido acético, no rótulo do frasco do vinagre comercial? 4) Faça os gráficos das titulações ácido-base da experiência de titulação potenciométrica, representando a variação do pH em função do volume de base adicionada. No eixo y represente os valores de pH e no eixo x os volumes da base adicionada. 5) Discuta os gráficos obtidos, destacando os aspectos principais de cada um deles. Faça uma comparação detalhada das duas titulações. 6) Como você poderia utilizar os seus resultados, isto é, as curvas de titulação potenciométrica para escolher um bom indicador ácido-base para uma titulação? Discuta com detalhes.

Centres d'intérêt liés