Vous êtes sur la page 1sur 26

CONSTITUINTES DOS

MICRORGANISMOS

9 PROTEÍNAS
9 HIDRATOS DE CARBONO
9 LIPÍDOS
9 ÁCIDOS NUCLEICOS
Síntese
9 As células de todos os organismos vivos são
constituídas por substâncias inorgânicas, e por
substâncias orgânicas;
9 Os 4 elementos mais abundantes na composição dos
organismos são: H, C, N, O
9 S, P, Na, Fe, Zn, Cu , também são considerados
elementos essenciais;
Componentes moleculares de uma
célula
Percentual de peso Número aproximado
total da célula das diferentes
espécies moleculares
Água 70 1

Proteínas 15 3.000

Ácidos Nucléicos
DNA 1 1
RNA 6 >3.000
Polissacarídios 3 5

Lipídios 2 500

Íons inorgânicos 1 20
PROTEÍNAS
9 São constituintes básicos da vida. Representam cerca do 50 a 80%
do peso seco da célula sendo, portanto, o composto orgânico mais
abundante de matéria viva. São encontradas em todas as partes de
todas as células, uma vez que são fundamentais sob todos os
aspectos da estrutura e função celulares. São os constituintes
básicos da vida: tanto que seu nome deriva da palavra grega
"proteios", que significa "em primeiro lugar".

9 Nos animais, as proteínas correspondem à cerca de 80% do peso


dos músculos desidratados, cerca de 70% da pele e 90% do sangue
seco. Mesmo nos vegetais as proteínas estão presentes. Existem
muitas espécies diferentes de proteínas, cada uma especializada
para uma função biológica diversa. Além disso, a maior parte da
informação genética é expressa pelas proteínas.
PROTEÍNAS
9 As proteínas são robôs celulares, máquinas moleculares
construídas à escala do nanómetro (1nm = 10-9 m) capazes de
executar de uma forma espontânea e programada todas as tarefas
essenciais à manutenção da vida. No nosso dia-a-dia ouvimos falar
com frequência nalgumas classes de proteínas. É o caso das
enzimas que aceleram determinadas reacções químicas, dos
anticorpos aos quais cabe a tarefa de identificar e eliminar os
agentes invasores (vírus e bactérias) e ainda das hormonas que
asseguram a transmissão de informação entre células. Mas existem
mais, muito mais classes de proteínas. Numa célula humana, por
exemplo, podemos encontrar em média 3000 proteínas diferentes.
PROTEÍNAS
9 São compostos orgânicos de alto peso molecular, são formadas
pelo encadeamento de aminoácidos;

9 São macromoléculas complexas;

9 Constituem cerca de 50 a 80% do peso seco da célula eucariótica;

9 Tem como base de sua estrutura os polipeptídios formados de


ligações peptídicas entre os grupos amino (-NH2) de um aminoácido
e carboxílico (-COOH) de outro, ambos ligados ao carbono alfa de
cada um dos aminoácidos;
PROTEÍNAS
9 De um ponto de vista químico as proteínas são
polímeros, ou seja, longas cadeias moleculares
resultantes da união repetida de várias moléculas
menores, os chamados aminoácidos.
Aminoácido
9 Um aminoácido é uma molécula que contém
simultaneamente os grupos funcionais amina (NH2) e
ácido carboxílico (COOH). Essencialmente cada
aminoácido possuí uma base comum, e um grupo
lateral, ou resíduo (R), sendo este último o responsável
pelas propriedades químicas de cada aminoácido.
AMINOÁCIDOS
AMINOÁCIDOS

Exemplo de dois aminoácidos: a glicina (à esquerda) e a cisteína


(à direita). O átomo de oxigénio (O) do grupo ácido (COOH) está
representado a encarnado, o carbono (C) a cinzento escuro, o
hidrogénio (H) a cinzento claro e o azoto (N) a azul. No caso da
cisteína, o resíduo (CH2S) possuí um átomo de enxofre (S)
representado a amarelo.
LIGAÇÃO PEPTÍDICA

A união de dois aminoácidos faz-se através de uma ligação


química chamada ligação peptídica. Designa-se por
polipeptídica a cadeia que resulta da união de vários
aminoácidos. Por este motivo as proteínas são também muitas
vezes chamadas moléculas polipeptídicas.
Ligação Peptídica
20 aminoácidos padrão
CLASSIFICAÇÃO DAS PROTEÍNAS

Quanto a composição
9 Proteínas simples (1 cadeia polipeptidica)
em hidrolise ácida forma a.a (C,H,O,N,S)
Ex. albuminas, globulinas

9 Proteínas conjugadas (cadeia polipeptidica / grupo prostético)


em hidrolise ácida a.a. + Grupo Prostético (ião metálico ou
inorgânico)
Ex. hemoproteínas, nucleoproteínas,lipoproteínas, glicoproteínas
CLASSIFICAÇÃO DAS PROTEÍNAS

Quanto à forma
a) Proteínas fibrosas: são insolúveis em água,
compridas e filamentosas. A maioria tem
função estrutural ou protéctiva. Ex. colágeno

b) Proteínas globulares: geralmente solúveis em


água, formam estruturas compactas fortemente
enroladas em forma globular ou esférica.
Função relacionada com manutenção e
regularização de processos vitais: enzimática,
transporte, defesa e hormonal.Ex. hemoglobina
ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL
DAS PROTEÍNAS
Uma proteína pode apresentar diferentes graus de
estruturação (primária, secundária, terciária,
quaternária) que são mantidas por vários tipos de ligação
e/ou interações entre os vários grupos funcionais dos
aminoácidos que as compõem.
ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL DAS
PROTEÍNAS
Estrutura primária: Cadeia polipeptídica
O primeiro nível de organização estrutural é a chamada
estrutura primária. Esta última não é mais do que a
sequência específica de aminoácidos que compõe a
cadeia polipeptídica.

A estrutura primária de uma proteína é a sequência de


aminoácidos que compõe a cadeia polipeptídica.
ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL DAS
PROTEÍNAS
Estrutura secundária: A hélice-alfa e a folha-beta
A cadeia polipeptídica é flexível podendo rodar em torno
de três ligações químicas diferentes como se mostra na
figura seguinte.

A cadeia polipeptídica é flexível. As ligações químicas entre os


átomos do aminoácido i da figura definem 3 eixos de
rotação(ω,Ψ, Φ) sobre os quais, a proteína pode rodar
acedendo a diferentes configurações espaciais
ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL DAS
PROTEÍNAS
Estrutura secundária: A hélice-alfa e a folha-beta
De todas as configurações espaciais a que a proteína
pode aceder a hélice-alfa e a folha-beta, descobertas no
início dos anos 50 do séc. XX por Linus Pauling e Robert
Corey, são as mais comuns. A este nível de organização
estrutural, que para além das ligações peptídicas,
também envolve as chamadas ligações por pontes de
hidrogénio, um tipo de interacção electrostática entre os
átomos de hidrogénio e oxigénio, chamamos elementos
de estrutura secundária.
ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL DAS
PROTEÍNAS
Elementos de estrutura
secundária mais comuns: A
hélice-alfa (à esquerda) e a
folha-beta (à direita) aqui
representadas na chamada
representação em "laço". As
pontes de hidrogénio,
interacções de natureza
essencialmente electrostática,
responsáveis pelo
establecimento destas estruturas
estão indicadas a tracejado.
ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL DAS
PROTEÍNAS
Estrutura terciária: Junção de estruturas secundárias

O resultado das interacções hidrofóbicas entre os


aminoácidos e a água é a coalescência e o
empacotamento dos elementos de estrutura
secundária naquilo a que geralmente se chama a
estrutura terciária da proteína. O arranjo
tridimensional (ou conformação) dos átomos da
proteína na estrutura terciária é de extrema
importância porque geralmente coincide com a
chamada estrutura nativa, a estrutura que confere à
proteína uma função biológica específica.
ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL DAS
PROTEÍNAS
Estrutura terciária: Junção de estruturas secundárias
ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL DAS
PROTEÍNAS

Estrutura quaternaria: Só é apresentada por


proteínas com duas ou mais cadeias polipeptidicas
Grau de estruturação das proteínas

Pontes de Hidrogênio
Ligações Pontes de Hidrogênio
Interações de Van der Waals
peptídicas Interações de Van der Waals
Interações Eletrostáticas
Interações Eletrostáticas
Interações Hidrofóbicas
Interações Hidrofóbicas
Uniões Covalentes de Dissulfeto
FUNÇÕES DAS PROTEÍNAS
9 Suporte mecânico: proteínas estruturais

9 Enzimática: são proteínas especiais, com função catalítica.

9 Hormonal: são proteínas especializados em estimular ou inibir a


atividades de determinados órgãos. Ex. insulina

9 Transporte: de entidades químicas (moléculas e iões). Ex.


hemoglobina transporta oxigénio
FUNÇÕES DAS PROTEÍNAS
9 Defesa: antígenos e anticorpos, toxinas
liberadas pelas bactérias;
9 Nutritiva: são fontes de aa,
indispensáveis ao seres vivos.
9 Reguladora:função desempenhada por
um grupo especial de proteínas, as
vitaminas.
9 Reserva:proteínas da cápsula