Vous êtes sur la page 1sur 6

Andrade, J. G. et al.

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTIFICA DA UFRRJ: JORNADAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E REVISTAS DA UNIVERSIDADE RURAL – SÉRIES

JANAINA GOMES DE ANDRADE 1 NEIDE THURLER DE CARVALHO SOARES 2 JORGE JACOB NETO 3

1. Aluna do Curso de Administração de Empresas da UFRRJ;

2. Técnica em Assuntos Educacionais, lotada no núcleo de Apoio a Administração da Pesquisa-NAAP-DPPG da UFRRJ e

3. Professor do Departamento de Fitotecnia – IA da UFRRJ.

RESUMO: ANDRADE, J. G., SOARES, N. T. C., JACOB-NETO, J. Análise da produção científica da UFRRJ: Jornadas de Iniciação Científica e Revistas da Universidade Rural – Séries. Revista Universi- dade Rural: Série Ciências Humanas, Seropédica, RJ: EDUR, v.26, n.1-2, p. 81-86, jan.- dez., 2004. O presente trabalho teve como objetivo analisar a produção cientifica em Jornadas, Congressos e na Revista Universidade Rural – Series Ciências Exatas e da Terra, Humanas, e da Vida, da UFRRJ durante o período de 1993 a 2004. Foi observado um gradual crescimento do número de trabalhos publicados nas Jornadas, Congressos e Revistas da UFRRJ, devido a incentivos às publicações na forma de resumo, assim como, resumos expandidos e trabalhos completos. Palavras-chave: artigos científicos, desenvolvimento científico, publicação institucional.

ABSTRACT: ANDRADE, J. G., SOARES, N. T. C., JACOB-NETO, J. Analyze of scientifi c production of UFRRJ in the institutional seminaries, congresses and journals Universidade Rural- Series Revista Universidade Rural: Série Ciências da Vida, Seropédica, RJ: EDUR, v.26, n.1, p. 81-86, jan.-dez., 2004. The aims of the present work was to analyze the scientific institutional production published on short abstract and expanded abstract, as well as full papers on Universidade Rural Magazine - Series, of UFRRJ, from 1993 to 2004. It was observed that under an appropriate incentive policy, have increased the number of paper published as scientific papers and abstracts on the University proceedings. Key words: institutional seminaries, scientific articles, scientific development.

INTRODUÇÃO

A evolução da produção científica brasileira tem sido objeto de muitas análises e debates. Cientistas de diferen- tes áreas acompanham com interesse o aumento da produção de nossos pesqui- sadores e da sua participação relativa na produção científica mundial. Conclusões e argumentos diversos são divulgados, quase sempre ilustrados por dados de múltiplas fontes. Através dos indicadores “National Sci- ence Indicators” (NSI), do Institute for Sci- entific Information-ISI (2001), consagrados no meio científico internacional, foi compro- vado o aumento de nossa produção cientí-

fica e da participação desta na produção mundial; principalmente nas duas últimas décadas, onde a capacidade produtiva quintuplicou em 2001, em relação ao ano de 1981. Outro fator significativo é a eleva- ção da posição do Brasil, no ranking dos indicadores ISI/NSI, quanto a participação dos países na produção científica mundial; ocupávamos a 26ª posição, em 1981, pas- sando para a 18ª colocação em 2001. Ainda segundo dados do ISI, o Brasil na América Latina, tem o maior número de artigos científicos publicados, chegando a quase 10.000 publicações, com o México ocupando o segundo lugar, com apenas a metade no número de publicações. Para o Brasil atingir suas metas de

Rev. Univ. Rural, Sér. Ciências Humanas. Seropédica, RJ, EDUR, v. 26, n. 1-2, jan.- dez., 2004. p. 81-86.

aumento de produção científicas vários métodos e incentivos foram criados ao longo dos últimos anos. Um dos mais importantes foi sem dúvida a criação das bolsas de iniciação científica do CNPq, em 1951, começando com um número reduzido de bolsas. Entretanto, na década de 90 esta agência aumentou significati- vamente o número de bolsas concedidas, sendo que em apenas cinco anos, con- cedeu mais de 65% do total de bolsas de iniciação científica distribuídas em seus 50 anos (CNPq, home-page). As bolsas de ini- ciação científica, estimularam a produção científica na graduação, proporcionando aos alunos orientação e convívio com o meio científico. Estas bolsas podem ser

consideradas o primeiro passo para es- timular a produção cientifica brasileira, pois via de regra, os bolsistas são obrigados

a elaborar relatórios e apresentação de

seus trabalhos de pesquisa em Jornadas de Iniciação Científica e outros eventos acadêmicos. A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro desde a sua criação em 20 de outubro de 1910, pelo Decreto nº 8.319 as- sinado pelo então Presidente da Repúbli- ca, Nilo Peçanha, instituindo assim, a Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária (ESAMV), preocupava-se em realizar pesquisas cientificas. Apesar de

não ter sido instituída como Universidade, esta foi concebida e inaugurada segundo os mais altos padrões de ensino superior, adotados no país na época. A ESAMV foi

a primeira escola representante federal

do ensino superior agrícola, oferecendo os cursos de engenheiro agrônomo e médico veterinário. Em 1925, foi criado um novo curso, o de química industrial agrícola (Decreto nº 17.019) e em 1943 a ESAMV transformou-se oficialmente em Universidade, quando foi assim transferido seu vínculo do Ministério da Agricultura, para o Ministério da Educação e Cultura (OTRANTO, 2003). Nesta Universidade, portanto, desde sua criação, seus dirigen- tes procuraram desenvolver metodologias

Análise da produção científica da

que estimularam o aumento da produção científica de seus discentes e docentes. A partir da concessão das bolsas de iniciação científica do CNPq concedidas através de cotas a Universidade, foi instituído na UFRRJ, um evento denominado Jornada de Iniciação Cientifica onde os estudantes puderam apresentar seus trabalhos ori- undos dos projetos de iniciação científica. Várias Jornadas foram se sucedendo, com os estudantes apresentando seus trabal- hos como resumos. Análise mais detalhada dos egressos do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – UFRRJ e das jornadas podem ser encontradas em Andrade et al., 2002 e Andrade et al., 2003. Mais recentemente foram solicitados que apresentassem seus trabalhos como re- sumos expandidos e trabalhos completos. Neste trabalho, procuramos analisar os efeitos destas metodologias utilizadas pela Instituição na sua produção científica.

MATERIAL E MÉTODOS

As informações apresentadas neste tra- balho foram obtidas dos relatórios anuais do Núcleo de Apoio a Administração e a Pesquisa – NAAP do Decanato de Pes- quisa e Pós-Graduação - DPPG, dos Anais das Jornadas de Iniciação Cientifica real- izados no período, e dos Anais dos Con- gressos de Pesquisa Científica da UFRRJ realizado pela primeira vez em 2003. Foram considerados para efeito de análise, os trabalhos publicados nos eventos de Iniciação Científica realizados no período de 1993 a 2004, agrupados por área de conhecimento, segundo denominação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, incluindo os trabalhos do I Congresso de Pesquisa Científica. Foram também analisados neste periódico os artigos publicados nas revistas da Universidade Rural – Séries Ciências da Vida, Ciências Humanas e Ciências Exatas e da Terra da Editora da

Rev. Univ. Rural, Sér. Ciências Humanas. Seropédica, RJ, EDUR, v. 26, n. 1-2, jan.- dez., 2004. p. 81-86.

Andrade, J. G. et al.

Universidade Rural, vinculada ao Decanato

de Pesquisa e Pós-Graduação. A primeira Jornada de iniciação científi- ca da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, foi realizada no ano de 1990, com os estudantes apresentando seus traba- lhos no formato de resumo, isto aconteceu até o ano de 1997. Do ano de 1998 até

o ano de 2000, os trabalhos passaram a

ser apresentados sob a forma de resumos expandidos. Nos anos de 2001 a 2002, os trabalhos foram apresentados como

resumos expandidos de no máximo duas páginas, e trabalhos completos de quatro

a seis páginas. A partir de 2003 foram

apresentados apenas trabalhos completos,

e além da realização das Jornadas de

Iniciação Científica foi também realizados os Congressos de Pesquisa Científica da UFRRJ. Neste congresso foram apresen- tados trabalhos de pesquisas realizados por professores, alunos de graduação e pós-graduação, e pesquisadores. A quantificação do número de artigos publicados nas Séries da Revista da Uni- versidade Rural, foi feita manualmente. Em relação à Revista Universidade Rural

– Série Ciências Exatas e da Terra foram

analisados os volumes publicados a partir do ano de 1996 e as Revistas Universidade Rural – Séries Ciências da Vida e Ciências Humanas a partir do ano de 1994.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Não foi objeto deste estudo a análise de outros eventos também considerados Institucionais, com bienais, semanas acadêmicas e jornadas de extensão. Após

analise dos dados das Jornadas anteriores

a 1993, os mesmos não foram avaliados

em virtude de se considerar a Jornada de Iniciação Cientifica uma nova metodo- logia ora, começando a ser empregada na Universidade. Pelos dados da figura 01, podemos observar que, já no ano de 1994 o número de trabalhos publicados na

Jornada de Iniciação Científica da UFRRJ aumentou significativamente, em relação

à Jornada anterior, de 1993. De 1994 até

1996, o número de publicações perma- neceu praticamente inalterado. Ainda na figura 01 observa-se que, na Jornada de 1997, ocorreu um aumento de 86% no número total de publicações em relação ao ano anterior. Não foi observado nenhum fato relevante que explique estas altera- ções, como o que ocorreu no ano de 1998 (Figura 2) quando foi adotada uma nova proposta para a publicação de trabalhos na Jornada de Iniciação Científica desta Instituição. A partir desta data, os trabalhos passaram a ser apresentados na forma de resumos expandidos. A alteração na forma de apresentação de resumo, para resumo expandido ocorreu com um au- mento significativo no número de publica- ções, em relação aos anos anteriormente analisados. Embora tenha permanecido praticamente inalterado até o ano de 2002.

permanecido praticamente inalterado até o ano de 2002. Figura 01 – Número de resumos publica- dos

Figura 01 – Número de resumos publica- dos na Jornada de Iniciação Científica da UFRRJ, no período de 1993 a 1997.

Deve-se considerar que a partir de 2001, foi incentivada a publicação de trabalhos completos na Jornada de Iniciação Cientí- fica (figura 03), proporcionando aos alunos

a oportunidade de habilitar a escrita de

um trabalho científico completo. Os bons

resultados podem ser observados pelo número expressivo de estudantes que

Rev. Univ. Rural, Sér. Ciências Humanas. Seropédica, RJ, EDUR, v. 26, n. 1-2, jan.- dez., 2004. p. 81-86.

passaram a apresentar seus resultados na forma de trabalho completo neste e nos anos seguintes (figura 02 e 03). Embora que, do total de trabalhos completos apresentados nos anos de

do total de trabalhos completos apresentados nos anos de Figura 02 - Número de resumos expan-

Figura 02 - Número de resumos expan- didos publicados na Jornada de Iniciação Científica da UFRRJ, nos anos de 1998 a 2002.

Iniciação Científica da UFRRJ, nos anos de 1998 a 2002. Figura 03 – Número de trabalhos

Figura 03 – Número de trabalhos comple- tos apresentados na Jornada de Iniciação Científica e Congresso de Pesquisa Cientí- fica da UFRR, nos últimos quatro anos.

2003 e 2004, 31% e 24% respectivamente, correspondem a trabalhos apresentados no I e II Congresso de Pesquisa Cientifica da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Análise da produção científica da

Este Congresso foi idealizado para que outros estudantes, não bolsistas do PIBIC, e demais membros da comunidade Universitária pudessem apresentar seus trabalhos de pesquisa. A figura 04 mostra a evolução das publicações da Universidade a cada qua- driênio, nas suas diferentes formas de publicação. A figura 05 demonstra a publicação de artigos científicos nas revistas institucio-

de artigos científicos nas revistas institucio- Figura 04 – Total de trabalhos em resumos, resumos

Figura 04 – Total de trabalhos em resumos, resumos expandidos e completos publica- dos na Jornada de Iniciação Científica a cada quadriênio.

nais da UFRRJ nas suas diferentes séries. Ocorreu uma relativa estabilidade na pub-

licação de trabalhos no período de 1993 a 2000. Já no quadriênio seguinte (2001 a 2004), ocorreu um aumento significativo de trabalhos publicados, com aumento de 376,7%, 371% e 700%, respectivamente, para as séries Ciências da Vida, Humanas

e Exatas. Ao longo dos doze anos analisados (fi-

gura 06) foi verificado que as várias meto- dologias propostas pela UFRRJ auxiliaram no aumento do número de publicações, demonstrando de forma inequívoca a cor- reta política de apoio desta Universidade

a publicações. A Universidade teve nos

últimos oito anos um crescimento médio de 5,35% no número de alunos de gradua- ção, mas as publicações apresentaram um

Rev. Univ. Rural, Sér. Ciências Humanas. Seropédica, RJ, EDUR, v. 26, n. 1-2, jan.- dez., 2004. p. 81-86.

Andrade, J. G. et al.

crescimento médio de 11,96%. Apesar dos dados aqui analisados terem sido publica- dos em revistas e eventos Institucionais locais, obedecendo a critérios acadêmicos, eles refletem a tradição histórica desta Instituição em ciência e na formação de recursos humanos (Otranto, 2003). Po- dem refletir também, a intensiva corrida promovida pelo CNPq e CAPES no sentido de aumentar o numero de publicações no Brasil nos últimos anos. Evidentemente, a

publicação local as vezes é criticada em ciência. Embora, que parte destas publica- ções aqui analisadas, podem ser encontra- das via on-line. Mas não esquecendo, que os caminhos da aprendizagem cientifica devem ser iniciados na Universidade nos seus mecanismos de apoio a escrita, a crítica e a ética científica. CONCLUSÃO

Os dados demonstraram que a Uni-

científica. CONCLUSÃO Os dados demonstraram que a Uni- Figura 05 – Número de artigos publicados nas

Figura 05 – Número de artigos publicados nas Revistas Universidade Rural no período de 1993 a 2004, por quadriênio

Rural no período de 1993 a 2004, por quadriênio Figura 06 – Evolução do número total

Figura 06 – Evolução do número total de trabalhos publicados nas Revistas da Univer- sidade Rural – Séries e apresentados nas Jornadas de Iniciação Científica da UFRRJ no período de doze anos.

Rev. Univ. Rural, Sér. Ciências Humanas. Seropédica, RJ, EDUR, v. 26, n. 1-2, jan.- dez., 2004. p. 81-86.

versidade Federal Rural do Rio de Ja- neiro aumentou sua produção cientifica Institucional, incentivando as publicações científicas, em formas de resumos, resu- mos expandidos, trabalhos completos em jornadas e congressos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

ANDRADE, J. G., NASCIMENTO, K. R. S., SOARES, N. T. C., JACOB-NETO, J. Produção científica dos ex-bolsistas de iniciação científica do PIBIC-CNPq- UFRRJ na pós-graduação stricto sensu da Instituição. Anais da XIII Jornada de Iniciação Científica da UFRRJ, v. 13, n. 02, p. 789-792. Seropédica-RJ, 2003.

ANDRADE, J. G., SOARES, N. T. C., JACOB-NETO, J. Discentes egressos do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica-CNPq da UFRRJ nas Pós-Graduações stricto sensu da Institui- ção. Revista Universidade Rural – Série Ciências Humanas. v. 24, suplemento, p. 293 - 297. Seropédica – RJ. 2002.

Ciclo virtuoso da Ciência Brasileira e o papel da Iniciação Científica. Palestra Prof. Jorge A. Guimarães.

Análise da produção científica da

Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico – CNPq. Brasí- lia. 2002 disponível em ttp://www.cnpq. br/areas/pibic/manual.html#4. Acesso em

03/12/2002.

OTRANTO, C. R. A Política de Educação Superior Agronômica no Início do Século XX: A Criação da Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária. XXVI Reunião Anual da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação Superior – ANPEd. Poços de Caldas – MG. CD- Rom.

Science Indicators – (ISI). www.universia- brasil.net/htm/noticia_cihbj.htm/ acessa- do em 13-10-2003.

Relatório Final do Núcleo de Apoio a Ad- ministração da Pesquisa (NAAP-DPPG). 2000, 2001, 2002.

WWW.cnpq.br/pub/doc/pibic/apresenta-

Acessado

em 23-10-2004.

ção-florepa-2002-PIBIC.pps.

Rev. Univ. Rural, Sér. Ciências Humanas. Seropédica, RJ, EDUR, v. 26, n. 1-2, jan.- dez., 2004. p. 81-86.