Vous êtes sur la page 1sur 2

MS não tem planilha de custos

--------------------------------------------------

MINISTÉRIO DA SAÚDE
SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE
Esplanada dos Ministérios, Bloco G. 9º andar
70.058-900 – Brasília/DF – telefone: 61 3315 2261

Ofício GS/Nº 440

Brasília, 02 de março de 2006.

A Sua Senhoria, o Senhor


Dr. Eduardo de Oliveira
Federação Brasileira de Hospitais – FBH
SRTVS Quadra 701, Conjunto L – nº 30 – Bloco 2 Salas 130/132
Edifício Assis Chateaubriand
CEP: 70340-906 – Brasília – DF

Senhor Presidente

Em atenção ao Ofício nº 038/2004, proveniente dessa Federação, no qual


Vossa Senhoria solicita informações acerca do Demonstrativo Econômico Financeiro que
embasou a Portaria SAS Nº 77/02 e GM nº 52/04, cumpre-me esclarecer o que se segue:
a) Os valores de remuneração dos hospitais psiquiátricos conveniados aos
SUS instituídos pelas Portarias SAS nº 77/02 e GM/MS nº 52/04 foram definidos a partir
de critérios utilizados pelo Ministério da Saúde para recomposição de diárias
hospitalares. Essa recomposição das diárias baseia-se em série histórica e em estudos de
impacto no orçamento. Tendo em vista os limites orçamentários da saúde, para garantir o
atendimento universal definida pela Lei Federal 8080/90, os valores de diárias são
definidos a partir desses limites. No caso específico da Saúde Mental, os gastos com
remuneração de hospitais psiquiátricos perfazem hoje 60% do orçamento do Programa.
Assim, não é possível o fornecimento de demonstrativo econômico financeiro, uma vez
que os valores de diárias estabelecidas nas referidas Portarias basearam-se em outros
critérios;

b) A Política de Saúde Mental do Ministério da Saúde foi amplamente


discutida e aprovada no Conselho Nacional de Saúde e na Comissão Intergestora
Tripartite (composta pelo Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de
Saúde, Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde). A Portaria GM/MS nº 52
foi discutida e construída em conjunto com os gestores estaduais e municipais, tendo sido
aprovada no Conselho Nacional de Saúde e na Comissão Intergestora Tripartite;

c) O Programa de Avaliação de Hospitais Psiquiátricos –


PNASH/PSIQUIATRIA, foi instituído pela Portaria GM/MS nº 251/02 para avaliar
anualmente a qualidade da assistência prestada pelos hospitais psiquiátricos. O
monitoramento e avaliação sistemática dos serviços de saúde é função do Ministério da
Saúde. Assim, o Ministério as Saúde continuará desenvolvendo o referido Programa com
o objetivo de garantir a qualidade da assistência aos usuários do SUS;

d) O Ministério da Saúde não antevê conflito entre a Portaria 111/2001 e a


Lei 10.216/2001. Esta portaria estabelece mecanismos de controle pelo gestor público do
tempo de internação em hospitais psiquiátricos. Isto se coaduna com o espírito da lei, que
se norteia pela construção de um modelo de atenção em saúde mental centrado no
cuidado extra-hospitalar, sendo o recurso a internação uma medida extrema, porém,
quando necessária, deve ser limitada em seu alcance temporal;

e) O Ministério da Saúde instituiu, por meio da Portaria GM/MS nº 222,


de 14 de fevereiro de 2005, um Grupo de Trabalho para analisar a remuneração da
internação psiquiátrica no SUS. Este grupo é composto por três representantes do
Ministério da Saúde, um representante da Federação Brasileira de Hospitais, 01
representante da Confederação das Santas Casas de Misericórdia do Brasil, um do
Conselho Nacional de Secretários de Saúde – CONASS, um representante do Conselho
Nacional de Secretários Municipais de Saúde – CONASEMS. Considerando a
necessidade de um prazo maior para conclusão dos trabalhos do referido Grupo de
Trabalho e, tendo em vista que a portaria teve seu prazo expirado em agosto de 2005, o
Ministério da Saúde está encaminhando a publicação de nova portaria que amplia em 90
dias o prazo para o Grupo de Trabalho apresentar as conclusões finais.

Sendo o que se apresenta no momento, coloco esta Secretaria a disposição


para esclarecer qualquer dúvida inerente ao assunto.

Atenciosamente,