Vous êtes sur la page 1sur 40

Normas de Apresentação

de Projetos de Edificações

Topografia
2ª Edição - São Paulo/2004
Governador do Estado de São Paulo
GERALDO ALCKMIN

Secretário de Estado da Educação


GABRIEL CHALITA
Secretário Adjunto
PAULO ALEXANDRE PEREIRA BARBOSA

FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE

Diretor Executivo
TIRONE FRANCISCO CHAHAD LANIX
Chefe de Gabinete
LUCIANO PEREIRA BARBOSA
Diretor Administrativo - Financeiro
LUIZ CARLOS QUADRELLI
Diretor de Obras e Serviços
RODRIGO MARTINS RAMOS
Diretor de Projetos Especiais
LEILA RENTROIA IANNONE
Diretor Técnico
TIRONE FRANCISCO CHAHAD LANIX

Rua Rodolfo Miranda 636 – Bom Retiro


01121-900 – São Paulo – SP
Pabx. (0xx11) 3327.4000 – Fax. (0xx11) 3311.7314
http://www.fde.sp.gov.br
e-mail: fde@fde.sp.gov.br
T
Normas de Apresentação
de Projetos de Edificações

Topografia
2ª Edição - São Paulo/2004
Impressão e Acabamento
NONONO

Tiragem
200 exemplares

Catalogação na Fonte:
Centro de Referência em Educação Mário Covas

Fundação para o Desenvolvimento da Educação.


F981n Normas de apresentação de projetos de edificações
2. ed. [recurso eletrônico] : topografia / Fundação para o Desenvolvimento da
Educação. - Dados eletrônicos. - 2. ed. - São Paulo : FDE/DOS, 2004.
1 CD-ROM : il.; 4 ¾ pol.

Sistema requerido: Processador Pentium 100 Mhz; 64 MB RAM;


Resolução de tela: 800x600/high color (16 bits); Kit multimídia com
leitor de CD 8x; Windows 95 ou superior; Microsoft Internet Explorer ou
Netscape Navigator 4; 24 Mb de espaço livre em disco rígido, para a
instalação do Adobe Acrobat Reader; AutoCAD 14 ou superior.
ISBN 85-87028-12-X
1. Edifício escolar 2. Normas de topografia I. Título
CDU: 528:727.1
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE LEVANTAMENTOS


TOPOGRÁFICOS PLANIALTIMÉTRICOS CADASTRAIS DE TERRENOS E PRÉDIOS
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

SUMÁRIO

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS PLANIALTIMÉTRICOS


CADASTRAIS DE TERRENOS E PRÉDIOS

1. INTRODUÇÃO ...................................................................................................................................... 05
2. SOLICITAÇÃO DE SERVIÇO ................................................................................................................ 05
3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES ............................................................................. 05
4. DADOS A SEREM COLHIDOS EM CAMPO ........................................................................................ 05
4.1. Considerações Gerais .................................................................................................................. 05
Escala do Desenho ........................................................................................................................ 05
Terreno, Poligonal e Pontos Levantados ......................................................................................... 06
RN .................................................................................................................................................. 06
4.2. Tipo 1 - De terreno ........................................................................................................................ 07
Planimetria ..................................................................................................................................... 07
Altimetria ........................................................................................................................................ 07
4.3. Tipo 2 - De terreno, edificações existentes e zeladoria ................................................................. 08
Planimetria ..................................................................................................................................... 08
Altimetria ........................................................................................................................................ 08
4.4. Tipo 3 - De terreno, edificações existentes e zeladoria, sua divisão interna
e ocupação .......................................................................................................................................... 08
Planimetria ..................................................................................................................................... 08
Altimetria ........................................................................................................................................ 09
4.5. Tipo 4 - De terreno, edificações existentes e zeladoria, sua divisão interna,
sua ocupação e detalhamento das cotas de nível ................................................................................ 09
Planimetria ..................................................................................................................................... 09
Altimetria ........................................................................................................................................ 09
5. CRITÉRIOS PARA COLETA DE DADOS .............................................................................................. 09
5.1. Método e Aparelhagem ................................................................................................................. 09
5.2. Sistema de Cálculo ....................................................................................................................... 10
5.3. Tolerância de Fechamento ............................................................................................................ 10
6. APRESENTAÇÃO DO DESENHO E MATERIAL A SER ENTREGUE ...................................................11
6.1. Folha de Apresentação .................................................................................................................. 11
FolhaPadrao.dwg ............................................................................................................................. 11
Carimbo ...................................................................................................................................... 11
Logotipo da Empresa .................................................................................................................. 11
Planta de Situação ..................................................................................................................... 11
Penas de Plotagem ................................................................................................................... 12
Norte.dwg ....................................................................................................................................... 12
QuadroAreas.dwg ........................................................................................................................... 12
QuadroRN.dwg ............................................................................................................................... 13
QuadroCoordenadas.dwg ................................................................................................................ 13
6.2. Entrega do Produto ....................................................................................................................... 13
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS PLANIALTIMÉTRICOS


CADASTRAIS EM SISTEMA DIGITAL

1. PRODUÇÃO GRÁFICA ......................................................................................................................... 15


2. NOMENCLATURA E ORGANIZAÇÃO DOS ARQUIVOS ...................................................................... 15
3. ENTREGA DOS ARQUIVOS ELETRÔNICOS ....................................................................................... 16
4. PADRONIZAÇÃO DE DESENHOS ....................................................................................................... 16
4.1. Folha ............................................................................................................................................ 16
4.2. Penas ........................................................................................................................................... 16
4.3. Fontes .......................................................................................................................................... 17
4.4. Layers .......................................................................................................................................... 17
4.5. Cotas ............................................................................................................................................ 18
4.6. Traços .......................................................................................................................................... 18
4.7. Hachuras ...................................................................................................................................... 18
4.8. Plotagem ...................................................................................................................................... 19
4.9. Observações ................................................................................................................................. 19

ANEXOS

1. Modelo Levantamento Tipo 1 ................................................................................................................ 21


2. Modelo Levantamento Tipo 2 ................................................................................................................ 22
3. Modelo Levantamento Tipo 3 ................................................................................................................ 23
4. Modelo Levantamento Tipo 4 ................................................................................................................ 24
5. Folha Padrão de Topografia ................................................................................................................... 25
6. Convenção Padrão de Topografia .......................................................................................................... 26
7. Carimbo Padrão e Quadros do Rodapé da Folha .................................................................................. 27
8. Tabela de Coordenadas dos Pontos de Divisa ...................................................................................... 28
9. Quadro de Áreas para Terrenos Remanescentes .................................................................................. 29
10. Medidas a serem Levantadas no Cadastro ......................................................................................... 30
11. Níveis e Alturas que devem constar no Cadastro................................................................................. 31
12. Modelo de Memorial Descritivo ........................................................................................................... 32
13. Modelo de Memorial Descritivo ........................................................................................................... 33

CRÉDITOS ................................................................................................................................................ 34
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ............................................................................................................... 35
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE LEVANTAMENTOS


TOPOGRÁFICOS PLANIALTIMÉTRICOS CADASTRAIS DE TERRENOS E PRÉDIOS
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

1. INTRODUÇÃO

Existem quatro tipos de Levantamento Topográfico Planialtimétrico Cadastral:


ƒ Tipo 1. De terreno;
ƒ Tipo 2. De terreno, edificações existentes e zeladoria;
ƒ Tipo 3. De terreno, edificações existentes e zeladoria, sua divisão interna e ocupação;
ƒ Tipo 4. De terreno, edificações existentes e zeladoria, sua divisão interna, ocupação e detalhamento
das cotas de nível.

2. SOLICITAÇÃO DE SERVIÇO

Para a execução do levantamento planialtimétrico, a FDE entregará à firma contratada uma ordem de serviço
contendo:
ƒ identificação da obra: nome, código;
ƒ localização da área: endereço, bairro, município;
ƒ ficha cadastral da obra;
ƒ prazo de execução;
ƒ delimitação da área a ser levantada;
ƒ definição do tipo de levantamento a ser executado;
ƒ definição se é obra em área remanescente de escola existente;
ƒ instrução específica (se houver);
ƒ dados necessários para delimitação do terreno:
‚ croquis do terreno;
‚ contato com a prefeitura municipal ou entidade promotora de conjuntos habitacionais, para
esclarecimento de dúvidas.

3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Na aplicação deste procedimento, deverão ser obedecidas as normas e nomenclaturas de levantamento


planialtimétrico cadastral da NBR 13133: Execução de Levantamento Topográfico.

4. DADOS A SEREM COLHIDOS EM CAMPO

4.1. Considerações Gerais

Escala do Desenho
Deverão ser levantados todos os detalhes de interesse, com dimensões graficamente representáveis na
escala 1:200.
Nos levantamentos de tipo 3 e tipo 4, os cadastros internos dos pavimentos térreos devem estar
representados no desenho da implantação, na escala 1:200. O cadastro interno dos outros pavimentos
deverá ser representado também na mesma escala. Se houver necessidade, criar novas pranchas de desenho.

5
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

Terreno, Poligonal e Pontos Levantados

O polígono limítrofe do terreno deve ser numerado em algarismos consecutivos, no sentido horário, e ter
origem no ponto 1 que deverá, sempre, situar-se no alinhamento predial de rua que confine com o imóvel.
O ponto 1 deverá ser amarrado em dois pontos fixos no local. Os pontos fixos devem ser, preferencialmente,
coincidentes à testada de um imóvel próximo ao ponto 1. Caso isso não seja possível , amarrar em postes de
iluminação, bocas de lobo, etc.
Quando houver subdivisão do imóvel, os pontos do polígono limítrofe serão numerados identicamente ao
polígono original, porém acrescidos das letras “a”, “b”, “c” e, assim, sucessivamente (ver anexo 9).
Os pontos da poligonal deverão ser representados por um triângulo, com sua numeração.
Utilizar a projeção UTM para a determinação das coordenadas. O Referencial planimétrico (DATUM horizontal)
a ser utilizado é o SAD-69 (South American Datum, 1969).
Indicar azimute e distâncias entre os vértices da divisa. Quando a divisa for em curva, indicar os elementos:
ângulo central, raio e desenvolvimento.
O ponto inicial da poligonal de apoio topográfico deverá ter a coordenada georeferenciada (GPS de navegação
com precisão de 15 metros). Deverá ser anotada a orientação magnética do dia, através da qual deverá ser
calculada a poligonal de apoio.
Os pontos da poligonal topográfica, quando não executados por estação total, devem ser nivelados
geometricamente (nivelamento e contranivelamento), não devendo ultrapassar 1cm/km linear de diferença.
A densidade mínima de pontos a serem medidos por hectare será:
ƒ terrenos com declividade até 10% ............... : 40 pontos por hectare;
ƒ terrenos com declividade entre 10% e 20% . : 50 pontos por hectare;
ƒ terrenos com declividade acima de 20% ...... : 60 pontos por hectare.
Em áreas rurais, o levantamento deverá obedecer à Lei n.º 10.267, de 28/08/2001, e à Norma Técnica para
Georeferenciamento de Imóveis Rurais. O INCRA adota, para a execução do cálculo das coordenadas,
distâncias, área e azimute, o plano de projeção UTM. O referencial planimétrico (datum horizontal em vigor
no país) corresponde ao Sistema Geodésico sul-americano (SAD-69).

RN
Para o levantamento do tipo 1, o RN deverá ser sempre implantado em local de fácil identificação, de difícil
remoção ou deslocamento, no nível 100,00. Exemplo:
ƒ postes de concreto;
ƒ bocas de lobo de concreto;
ƒ soleiras (neste caso, demarcar o número do imóvel).
ƒ etc.
Para o levantamento do tipo 2, do tipo 3, do tipo 4 e, em caso de edifícios escolares, o RN deverá ser sempre
implantado no centro do galpão da escola existente, com pino de aço (1/4“x 25mm), no nível 100,00. Caso já
exista levantamento planialtimétrico, considerar o mesmo RN para o atual levantamento.
Se houver interesse em se adotar um nível diferente de 100,00 no RN do novo levantamento, a FDE fornecerá
esta informação à empresa contratada.

6
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

4.2. Tipo 1 – De terreno


(ver modelo Tipo1.dwg do disquete e anexo 1 deste manual)

Planimetria
ƒ norte magnético, com a data do levantamento (ver anexo 5);
ƒ linhas divisórias;
ƒ cercas, muros de fecho e de arrimo (dimensões e tipos);
ƒ ruas do entorno, estradas e rodovias: nomes, tipo de pavimentação;
ƒ largura da rua e calçadas do entorno;
ƒ guias, calçadas, caixas da rua: levantar até o alinhamento das casas do outro lado da via, identificando as
testadas dos lotes, bem como sua numeração;
ƒ sistemas de drenagem existentes: galerias, tubulações, canaletas, caixas de inspeção, bocas de lobo
(se possível levantar dimensões e tipos);
ƒ postes: identificar os postes com transformador; aqueles utilizados como referência de amarração deverão
ter suas coordenadas definidas;
ƒ torres e linhas de alta tensão próximas (fornecer o número de identificação);
ƒ poços comuns, fossas, poços de visita: esgoto (PV) e águas pluviais (AP);
ƒ rochas afloradas, valas, erosão, áreas alagadiças;
ƒ córregos, rios, lagoas, nascentes;
ƒ indicar e cotar as faixas “non aedificandi” identificadas pela FDE;
ƒ quaisquer outros elementos restritivos à utilização do terreno que puderem ser detectados, tais como:
oleodutos, adutoras, rodovias próximas (distância até 100 m);
ƒ árvores: troncos com D.A.P. (diâmetro à altura do peito igual a 1.50m) maior ou igual a 5cm; quando
houver um conjunto de árvores que configure maciço (agrupamento de indivíduos arbóreos que vivem em
determinada área, que guardam relação entre si e entre as demais espécies vegetais – Portaria DEPRN
nº 44 de 25/09/1995), levantar a projeção, tendo como referência as copas das árvores;
ƒ eventuais construções existentes de pequeno porte e/ou invasões (tipo/material/número de pavimentos);
ƒ levantar no mínimo 5 metros dos terrenos vizinhos, identificando os terrenos vagos, número e a propriedade
(particular/municipal), se possível;
ƒ quaisquer outros elementos identificados como de interesse.

Altimetria
ƒ níveis da topografia do terreno;
ƒ níveis dos terrenos vizinhos junto às divisas, calçadas e ruas;
ƒ níveis da base dos muros de fecho e arrimo nas duas faces; em caso de muro de arrimo, os desníveis do
terreno deverão ser indicados em toda sua extensão (ver anexo 11);
ƒ níveis das eventuais construções de pequeno porte existentes e/ou invasões;
ƒ taludes com limites definidos;
ƒ interpolação das curvas de nível no talude, isto é, levantar o pé, a crista e as imperfeições do talude;
ƒ a eqüidistância das curvas de nível deverá ser de 1 metro;
ƒ canaletas (caimento da água e níveis de fundos nos pontos extremos);
ƒ caixas de passagem com indicação de nível de fundo, quando possível;
ƒ quando existirem elementos notáveis, como pontes, viadutos, etc., que passem pela área levantada,
indicar todas as alturas em corte, conforme anexo 11.

7
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

4.3. Tipo 2 - De terreno, edificações existentes e zeladoria


(ver modelo Tipo2.dwg do disquete e anexo 2 deste manual)
Itens do tipo 1, acrescidos de:

Planimetria
ƒ localização e contorno de edificações existentes e projeção dos beirais, quando houver;
ƒ identificação dos blocos e número de pavimentos, especificando o tipo de construção (alvenaria, metal,
madeira);
ƒ delimitações de pisos cimentados;
ƒ distância do prédio em relação ao muro ou linha de divisa e a outros blocos (distância perpendicular),
quando houver (ver anexo 10);
ƒ escadas e rampas de acesso;
ƒ portões de acesso;
ƒ caixas de passagens, entradas de energia e entradas de água;
ƒ fossa séptica e sumidouros (localização);
ƒ reservatórios inferiores e superiores;
ƒ quadras de esportes (medidas e material de piso);
ƒ arquibancadas;
ƒ equipamentos pedagógicos e de lazer (bancos, brinquedos);
ƒ áreas de estacionamento (tipo de piso);
ƒ cabine primária.

Altimetria
ƒ níveis dos pisos de todos os pavimentos das edificações existentes;
ƒ níveis do centro do galpão e seus acessos;
ƒ escadas e rampas de acesso, com nível dos patamares (ver anexo 11);
ƒ níveis dos portões externos e acessos à escola;
ƒ nível do piso e do topo da caixa d’água; quando possível, levantar o nível do fundo.

4.4. Tipo 3 - De terreno, edificações existentes e zeladoria, sua divisão interna e ocupação
(ver modelo Tipo3.dwg do disquete e anexo 3 deste manual)
Itens do tipo 2, acrescidos de:

Planimetria
ƒ plantas baixas de todos os blocos e seus pavimentos, considerando todos os elementos divisórios
(identificando alvenaria, madeiras, etc);
ƒ uso atual de cada ambiente;
ƒ escadas, rampas e circulações internas;
ƒ todos os acessos, portas e caixilhos;
ƒ equipamentos sanitários (vasos, pias, lavatórios, mictórios, chuveiros, bebedouros, etc);
ƒ telefones públicos e poste de iluminação externa no terreno da escola.

8
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

Altimetria
ƒ níveis do centro de cada ambiente;
ƒ nível do piso em frente das caixas de entrada de energia e água e do abrigo de gás;
ƒ pé direito dos ambientes e pé direito de porões acessíveis, quando a menor altura for 1.60m.

4.5. Tipo 4 - De terreno, edificações existentes e zeladoria, sua divisão interna, sua ocupação e
detalhamento das cotas de nível
(ver modelo Tipo4.dwg do disquete e anexo 4 deste manual)
Itens do tipo 3, acrescidos de:

Planimetria
ƒ largura das portas, portões e acessos (não será necessário indicar medidas da janelas, salvo quando
solicitado).

Altimetria
ƒ níveis de cada ambiente, junto às soleiras dos acessos (interno e externo);
ƒ níveis do centro e de todos os acessos do galpão;
ƒ níveis nas extremidades dos corredores internos de cada pavimento;
ƒ demarcação de todos os desníveis internos e externos, incluindo rampas com declividade superior a 5%;
ƒ níveis do leito da rua junto à guia, calçada e portão nos acessos à escola;
ƒ altura do guichê da secretaria;
ƒ altura dos balcões da cozinha e da cantina;
ƒ altura dos bebedouros e lavatórios fixos;
ƒ altura dos muros e/ou muretas internas, conforme anexo 11.

5. CRITÉRIOS PARA COLETA DE DADOS

5.1. Método e Aparelhagem

Para a execução das operações topográficas, deve-se utilizar estações totais “Total-Station”, medidores
eletrônicos de ângulos e distâncias, equipados com coletor de dados.
De acordo com a NBR 13133/1994, a classificação do desvio-padrão máximo aceito é a seguinte:

Estação total Desvio-Padrão Desvio-Padrão


(Precisão Angular) (Precisão Linear)

Precisão média < 07” (5mm + 5ppm x D)

Os MED (Medidores Eletrônicos de Distância) devem ser calibrados, no máximo, a cada ano, através de
testes realizados em entidades oficiais e/ou universidades, com expedição de certificado de calibração, a
ser apresentado quando solicitado pela FDE.
A altura no instrumento será medida com aproximação de 3 milímetros.

9
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

5.2. Sistema de Cálculo

ƒ A compensação angular da poligonal será feita com a distribuição eqüitativa de erro, de estação por
estação.
ƒ As diferenças de latitudes e longitudes serão distribuídas proporcionalmente nos respectivos comprimentos.
ƒ A diferença de nível será distribuída proporcionalmente a cada estação, anotando-se até 5 milímetros.
ƒ Serão calculados os azimutes e distâncias das linhas divisórias, a partir das coordenadas dos vértices e
calculados os ângulos internos das divisas.
ƒ Será calculada a área do terreno, analiticamente, através das coordenadas dos vértices das divisas.

5.3. Tolerância de Fechamento

ƒ Para fechamento angular da poligonal, a tolerância será de 20”x n , sendo n = número de vértices do
polígono.
ƒ Para o fechamento linear, a tolerância será de 1:10.000, isto é, um erro de 1,00m para 10.000,00m
medidos.
ƒ Para o fechamento altimétrico, a tolerância será de 20mm p , sendo p = perímetro em quilômetro.

OBSERVAÇÃO: Será tolerada uma poligonal aberta excepcionalmente, quando houver a impossibilidade de
fechamento e, sempre, com leituras duplas.

10
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

6. APRESENTAÇÃO DO DESENHO E MATERIAL A SER ENTREGUE

6.1. Folha de Apresentação

A folha do Levantamento Topográfico deverá ser composta pelos arquivos que se fizerem necessários para a
elaboração do produto solicitado, fornecidos por esta Fundação (anexos), e preenchida conforme instruções
a seguir:

FolhaPadrao.dwg
Esse arquivo contém a folha padrão com o carimbo a ser preenchido; a legenda; o espaço para ser colocada
a planta de situação e a indicação de espessuras de penas de plotagem.
O desenho deverá seguir a convenção padrão, conforme legenda incluída na folha.

¾ Carimbo
Quando o arquivo for inserido no desenho, a linha de comando do AutoCAD pedirá as seguintes informações
(que já serão colocadas no carimbo, automaticamente):
ƒ TIPO_LEV: Tipo de Levantamento (TIPO 1, TIPO 2, TIPO 3 ou TIPO 4);
ƒ COD_1 a COD_7: cada um desses campos corresponde a um dos dígitos do código da obra (código
FDE);
ƒ REGIAO_ADMINISTRATIVA: Região Administrativa do Levantamento;
ƒ NOME_OBRA: Nome da obra;
ƒ ENDERECO: Endereço da obra;
ƒ MUNICIPIO_DISTRITO: Município e Distrito (quando for o caso);
ƒ DATA: Data do Levantamento (formato MMM/AAAA);
ƒ AREA_TERRENO: Área do Terreno Levantado (em m²);
ƒ NUM_FOLHA: Número da Folha do Levantamento;
ƒ NOME_ARQ: Nome do arquivo .dwg.

¾ Logotipo da Empresa
No quadro ao lado do carimbo (em branco), deverá ser inserido o logotipo da empresa, bem como o nome do
responsável pelo levantamento, nº do CREA e a data (para posterior assinatura, quando da aprovação pela
FDE).

¾ Planta de Situação
Planta de situação da área sem escala, indicando as principais vias de acesso e sua localização em relação
ao terreno. Quando se tratar de terreno isolado, amarrar sua distância com a via conhecida mais próxima. A
planta de situação deverá estar desenhada na mesma posição do levantamento e conter pelo menos 2
quadras, quando em áreas urbanizadas, ou distância até o cruzamento oficial mais próximo, quando em
áreas rurais;

11
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

¾ Penas de Plotagem
As penas de plotagem indicadas na margem da folha são as espessuras padrão da FDE. Caso seja necessária
a utilização de alguma pena/cor diferente das especificadas, a mesma deverá ser indicada, bem como sua
cor de plotagem e espessura.

Norte.dwg
O norte deverá ser inserido e rotacionado, conforme a necessidade, para indicar a direção do norte magnético,
de forma que o terreno/prédio fique na posição horizontal/vertical em relação à folha, e a data do levantamento,
no formato dd/mm/aa, deverá ser preenchida.

QuadroAreas.dwg
O quadro de áreas deverá conter as informações a seguir:
ƒ Área do Terreno
ƒ Área Levantada
ƒ Área Construída (inclui todos os pavimentos, passagem coberta, quadra de esportes coberta, zeladoria):
para cálculo da área, considerar a face externa das construções e dos pilares das passagens cobertas.
Indicar a área da zeladoria separadamente.
ƒ Área Ocupada (inclui passagem coberta, quadra de esportes coberta e zeladoria): para cálculo da área,
considerar a área da edificação projetada no terreno.
ƒ Área de Gramado, Pedrisco, Areia, etc.
ƒ Área de Piso Intertravado, Paralelepípedo, etc.
ƒ Área de Piso Cimentado (inclui quadra descoberta, calçadas, tampas de fossas e canaletas)

Os campos do arquivo devem ser preenchidos da seguinte forma:


ƒ PONTOS_PERIMETRO: listagem dos pontos que fazem o perímetro do terreno (não precisam ser listados
todos os pontos; pode-se seguir o exemplo que aparece na linha de comando do AutoCAD (1-2-3- ... –X),
X sendo o último ponto do perímetro);
ƒ DIST_PERIMETRO: a distância do perímetro do terreno em metros;
ƒ AREA_TERRENO: área do terreno (em m²)
ƒ AREA_LEVANTADA: área levantada (em m²)
ƒ AREA_CONSTRUIDA_EDIF: área construída (todos os pavimentos, passagens cobertas, quadra de
esportes coberta), sem contar a área da zeladoria;
ƒ AREA_ZELADORIA: área da zeladoria;
ƒ AREA_CONSTRUIDA_TOTAL: soma das áreas (AREA_CONSTRUIDA_EDIF + AREA_ZELADORIA);
ƒ AREA_OCUPADA: área ocupada pela construção;
ƒ AREA_GRAMA_AREIA: área de gramados, pedriscos, areia, etc.;
ƒ AREA_INTERTRAVADO: área de pisos intertravados, paralelepípedos, etc.;
ƒ AREA_CIMENTADOS: área de cimentados.
Obs.: a indicação de m e m² não precisa ser preenchida, apenas devem ser inseridos os valores (as unidades
de medida já estão fixas no arquivo).

Em caso de obra nova implantada em área remanescente de escola existente, a firma contratada deverá
marcar, quando definida, a divisa entre o terreno da escola existente e o terreno da Obra Nova, acrescentando,
no rodapé da folha, quadro contendo a área de cada terreno e a somatória das áreas, conforme Anexo 11.

12
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

QuadroRN.dwg
Esse quadro deverá conter as informações sobre o nível do RN, o ponto georeferenciado e a definição da área
do terreno, e deverá ser preenchido da seguinte forma:
ƒ RN_1, RN_2 e RN3: linhas para indicação do nível do RN e de onde ele está implantado;
ƒ PONTO_GEOREFERENCIADO: indicar o ponto da poligonal que está georeferenciado;
ƒ PONTO_GEOREF_E: indicar a coordenada E (X) e a longitude;
ƒ PONTO_GEOREF_N: indicar a coordenada N (Y) e a latitude;
ƒ DEFINICAO_AREA_1, DEFINICAO_AREA_2 e DEFINICAO_AREA_3: linhas para definição do limite da
área do terreno.

QuadroCoordenadas.dwg
São fornecidos três tipos de quadros de coordenadas: um com 09 entradas de campo, um com 18 e outro
com 27. O quadro deve ser inserido, conforme a quantidade de pontos que fazem o perímetro do terreno, e
deve ser preenchido com o número do ponto, a coordenada E (X) e a coordenada N (Y), seguindo as coordenadas
georeferenciadas.

6.2. Entrega do Produto

Deverá ser entregue o seguinte material para análise:


ƒ arquivos digitais com dwg, plt e memorial descritivo.doc;
ƒ 01 (uma) plotagem do levantamento em papel sulfite, escala 1:200;
ƒ memorial descritivo de levantamento amarrado em ponto fixo, assinado pelo responsável (ver modelos
anexos 12 e 13);

Após aprovação da FDE, deverão ser entregues:


ƒ arquivos digitais com dwg, plt e memorial descritivo;
ƒ 01 (uma) plotagem do levantamento em papel sulfite, escala 1:200;
ƒ 01 (uma) plotagem do levantamento em papel vegetal, cor preta, escala 1:200, assinado no campo do
logotipo da empresa, com identificação e número do CREA do responsável e data;
ƒ memorial descritivo de levantamento amarrado em ponto fixo, assinado pelo responsável (ver modelos
anexos 12 e 13);

No caso de terrenos localizados em área remanescente, entregar 02 conjuntos de plantas e arquivos


eletrônicos, um para a escola existente e outro para a obra nova, com seus respectivos carimbos.

Quando solicitado pela FDE, deverão também ser entregues:


ƒ arquivo eletrônico padrão “ASCII” da Planilha da Poligonal e irradiações;
ƒ caderneta do nivelamento geométrico dos vértices da poligonal;
ƒ croquis de levantamento de campo sem escala.

13
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS


PLANIALTIMÉTRICOS CADASTRAIS EM SISTEMA DIGITAL
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

1. PRODUÇÃO GRÁFICA

Toda a produção gráfica deverá ser entregue no programa AutoCAD, versão R14, seguindo-se a configuração
oficial do programa, em arquivos de extensão dwg e plt.

2. NOMENCLATURA E ORGANIZAÇÃO DOS ARQUIVOS

Os arquivos deverão ser nomeados, seguindo-se a orientação abaixo:

Cod. Prédio ou _ Lote Área Técnica Etapa Folha Revisão _ Seqüencial


do Padrão underline underline
0006117 _ 01 T LT 05 00 _ 01
{

{
{
{
{
{

{
1 2 3 4 5 6 7

1. Código do prédio com 07 (sete) dígitos fornecido pela FDE: 0006117

2. Lote = Número da Intervenção: para escola nova 00 para cadastro


01 para 1ª intervenção
02 para 2ª intervenção
e assim por diante

3. Área Técnica: para Arquitetura A


para Estrutura E
para Hidráulica H
para Elétrica L
para Incêndio I (Prop. Sist. Seg.)
para Topografia T
para Sondagem S
para Mobiliário M
para Paisagismo P
para Planejamento U

4. Etapa: para Projeto Executivo PE


para Estudo Preliminar EP
para Anteprojeto AP
para Memorial de Cálculo ME
para Parecer Técnico PT
para Relatório Técnico RT
para Memorial Descritivo MD
para Parecer de Vegetação PV
para Levantamento Cadastral LC
para Levantamento Topográfico LT
para Levantamento Fotográfico LF
para Cadastro - Escaneados CD
para Vistoria de Obras VO
para Projeto de Drenagem PD

5. Número da Folha

15
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

6. Número da Revisão: para Escola Nova 00


para 1ª Revisão 01
para 2ª Revisão 02
e assim por diante

7. Seqüencial do Arquivo Digital:


ƒ para documentos técnicos compostos de uma única folha (desenhos), utilizar: 01 para DWG
02 para PLT
03 para JPG, TIF, etc.
ƒ para relatórios técnicos, memoriais e outros documentos feitos no Word ou Excel, utilizar:
01 para DOC, XLS ou TXT
ƒ para relatórios técnicos, memoriais e outros documentos que foram convertidos em imagens tipo JPG,
TIF, BMP, GIF (escaneados), utilizar: 01 para página 1
02 para página 2
03 para página 3
e assim por diante.

Exemplo: Para levantamento de terreno para obra nova, tipo 1, de código 00.06.117, da área de topografia,
para a folha de levantamento topográfico temos: 0006117_01TLT0100_01.ZIP (DWG) e
0006117_01TLT0100_02.ZIP (PLT)

3. ENTREGA DOS ARQUIVOS ELETRÔNICOS

Todo produto gráfico final deverá ser gravado em meio digital, organizado da seguinte forma: os arquivos
devem ser compactados, individualmente, em programa ZIP, e os disquetes, ou CD-Rom, devem ser etiquetados
com informação do código da escola e conteúdo.
Exemplo: 0006117_01TLT0100_01.zip - Levantamento Planialtimétrico em dwg
0006117_01TLT0100_02.zip - Levantamento Planialtimétrico em plt
0006117_01TMD0100_01.zip - Memorial Descritivo

4. PADRONIZAÇÃO DE DESENHOS

4.1. Folha

Deverá ser utilizada a folha padrão FDE/Formato A0, conforme modelo constante no anexo 8.

4.2. Penas

A configuração das penas a serem utilizadas deverá seguir o quadro abaixo:


COR DA PENA COR DE PLOTAGEM ESPESSURA
1 (Red) 7 0.18
2 (Yellow) 7 0.25
3 (Green) 7 0.35
4 (Cyan) 7 0.50
5 (Blue) 7 0.70
6 (Magenta) 7 0.13
7 (White) 7 0.10

Caso o topógrafo necessite utilizar mais cores e/ou espessuras de penas em seu desenho, é obrigatória sua
indicação na orelha da folha, conforme modelo constante no anexo 12.

16
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

4.3. Fontes

Deverá ser utilizada a fonte regular ROMANS.


As altura dos textos devem seguir a tabela definida no item 4.4.

4.4. Layers

Na produção dos desenhos deverão ser utilizados os layers básicos abaixo discriminados.
Na nomenclatura, os layers referentes a textos devem possuir underline.
Exemplo:para DESENHO DA DIVISA DO TERRENO LAYER: DIVISA
para TEXTO DA DIVISA LAYER: _DIVISA

TABELA DE DEFINIÇÃO DOS LAYERS


LINH A TEXTO
ALTUR A
LAYER DESCRIÇ ÃO
COR TIPO Model Paper COR
Space Space
(Tiled) (mm)
Folha Definidos nos a rquivos em ane xo
View Definidos nos a rquivos em ane xo
Norte Definidos nos a rquivos em ane xo
Situação red continuous 0.30 1.5 magenta Planta d e situação sem escala
Malha magenta continuous 0.40 2.0 magenta Malha de coord enadas geográficas
Tg magenta continuous --- --- ---
Nível magenta continuous 0.30 1.5 magenta Cotas de nível, RN , etc.
Curva1 white continuous 0.40 2.0 white Curvas de n ível intermediárias (1 em 1 metro)
Curva5 yellow continuous 0.40 2.0 yellow Curvas de n ível de 5 em 5 metros
red continuous Bases e cristas
Talude --- --- ---
white continuous Representação gráfica dos taludes
Pontos white continuous 0.30 1.5 magenta Pontos aleatórios le vantados
Poligonal yellow continuous 0.60 3.0 magenta Pontos da Poligonal
0.40 2.0 yellow Azimutes / distâncias
Divisa green continuous
0.60 3.0 red Pontos do Polígono de divisa (fonte: RomanT)

Muro red continuous 0.30 1.5 magenta Muros de divisa d o terreno


Cerca magenta -x-x-x- 0.30 1.5 magenta Cercas existente s
Grade magenta -o-o-o- 0.30 1.5 magenta Grades existentes
Nos levantamentos Tipo 2: blocos existentes, caixas d’água, etc.
cyan continuous (cyan)
Alvenaria --- --- ---
Nos levantamentos Tipos 3 e 4: blocos e xistentes, divisão
yellow continuous
interna, caixas d’águ a, etc. (yellow)
Acessos magenta continuous 0.30 1.5 magenta Portas e portões intern os e externos
Caixilho magenta continuous --- --- --- Caixilhos existentes
0.40 2.0 yellow Nomes dos ambientes, nº de pavimentos, etc.
Ambiente --- ---
0.24 1.2 magenta Pés direitos, cotas, níveis, larguras das portas, etc.
Projeção magenta hidden 0.30 1.5 magenta Projeção de beirais, coberturas, etc.
Cota red continuous 0.30 1.5 red Cotas de amarra ção do edifício com as divisas, ambientes, etc.
Escadas, arquibancadas, linhas de desnível, rampas, pisos
Piso magenta continuous 0.30 1.5 magenta cimentados, etc.
Postes, caixas de entrada, telefones p úblicos, bocas de lobo,
Equipamento magenta continuous 0.30 1.5 magenta poços de visita, etc.
Mobiliário magenta continuous 0.30 1.5 magenta Bebe douros, a rmários, palcos, banco s, etc.
Arvore magenta continuous 0.30 1.5 magenta Árvores e xistentes, indicação de diâmetros, etc.
Canaleta magenta continuous 0.30 1.5 magenta Canaletas, n íveis de fundo, etc.

17
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

LINHA TEXTO
ALTURA
LAYER DESCRIÇÃO
COR TIPO Model Paper COR
Space Space
(Tiled) (mm)
Rua --- --- 0.70 3.5 green Ruas, estradas, rodovias, etc.
Pavimentação --- --- 0.40 2.0 yellow Tipo de pavimentação das ruas indicadas
dashdot Linha das guias existentes. Usar tipo de linha dashdot quando
Guia red --- --- --- for definida e hidden quando for indefinida
hidden
Hidrografia yellow continuous 0.40 2.0 yellow Rios, córregos, represas, riachos, etc.
Faixa green dashdot 0.40 2.0 yellow Linha da faixa non aedificandi
yellow continuous 0.30 1.5 red Limites, número do imóvel, terreno vago, etc.
Vizinhos
green continuous 0.40 2.0 yellow Construções / ocupações
Construções secundárias existentes: barracos, circos de lona,
Construções yellow continuous 0.30 1.5 red
etc.
Arvore magenta continuous 0.30 1.5 magenta Árvores existentes, indicação de diâmetros, etc.
Canaleta magenta continuous 0.30 1.5 magenta Canaletas, níveis de fundo, etc.
Rua --- --- 0.70 3.5 green Ruas, estradas, rodovias, etc.
Pavimentação --- --- 0.40 2.0 yellow Tipo de pavimentação das ruas indicadas
dashdot Linha das guias existentes. Usar tipo de linha dashdot quando
Guia red --- --- --- for definida e hidden quando for indefinida
hidden
Hidrografia yellow continuous 0.40 2.0 yellow Rios, córregos, represas, riachos, etc.
Faixa green dashdot 0.40 2.0 yellow Linha da faixa non aedificandi
yellow continuous 0.30 1.5 red Limites, número do imóvel, terreno vago, etc.
Vizinhos
green continuous 0.40 2.0 yellow Construções / ocupações
Construções secundárias existentes: barracos, circos de lona,
Construções yellow continuous 0.30 1.5 red etc.

OBSERVAÇÃO: As cores e os tipos de linha deverão estar definidos como BY LAYER.

4.5. Cotas

Os desenhos deverão ser cotados em escala real em metros e duas casas decimais, e centralizados com
textos paralelos, acima da linha de cota com setas do tipo OBLIQUE igual a ½ da altura do texto.

4.6. Traços

Deverão ser respeitadas as Normas da ABNT para representação gráfica de linetypes, conforme legenda no
anexo 6.

4.7. Hachuras

Deverão ser utilizadas apenas as hachuras a seguir, em escalas apropriadas:


a. Maciços: ANSI36, escala 3, ângulo 0
b. Áreas alagadas: DASH, escala 3, ângulo 0

18
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

4.8. Plotagem

Deverão ser entregues, junto com os arquivos eletrônicos em dwg, todos os desenhos em arquivos plt, com
a seguinte configuração:
Plotter: HP GL/2
Modelo: HP DesignJet 750C ou HP 7600 Color
Penas: Conforme item 4.2

4.9. Observações

Os levantamentos planialtimétricos deverão ser sempre representados em 2D (duas dimensões), isto é,


valores das coordenadas Z definidos em 0.
Quando solicitado pela FDE, o topógrafo deverá entregar o desenho em 3D (três dimensões).
Na entrega final dos arquivos, deverão ser observados os seguintes itens:
a. se todos os layers estão descongelados;
b. se o desenho está livre de todos os elementos dispensáveis com comando PURGE.

19
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA
TOPOGRAFIA ARQUITETÔNICO
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXOS
Normas APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES CONJUNTO FUNCIONAL
TOPOGRAFIA PROGRAMA ARQUITETÔNICO
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 1
Modelo Levantamento Tipo 1

21
Normas APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES CONJUNTO FUNCIONAL
TOPOGRAFIA PROGRAMA ARQUITETÔNICO
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 2
Modelo Levantamento Tipo 2

22
Normas APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES CONJUNTO FUNCIONAL
TOPOGRAFIA PROGRAMA ARQUITETÔNICO
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 3
Modelo Levantamento Tipo 3

23
Normas APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES CONJUNTO FUNCIONAL
TOPOGRAFIA PROGRAMA ARQUITETÔNICO
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 4
Modelo Levantamento Tipo 4

24
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 5
Folha Padrão de Topografia

Norte.dwg

ver anexo 7

ver anexo 6
DATA_LEVANTAMENTO

logotipo da empresa

ver anexo 7

ver anexo 7

ver anexo 8

ver anexo 9

25
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 6
Convenção Padrão de Topografia

26
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 7
Carimbo Padrão e Quadros do Rodapé da Folha

27
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 8
Tabela de Coordenadas dos Pontos de Divisa

28
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 9
Quadro de Áreas para Terrenos Remanescentes

29
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 10
Medidas a serem Levantadas no Cadastro

30
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 11
Níveis e Alturas que devem constar no Cadastro

EXEMPLO DE RAMPA EXEMPLO DE ESCADA

EXEMPLO DE RAMPA C/ DESNÍVEL P/ MUROS DE FECHO E MUROS DE ARRIMO:

EXEMPLO DE ESTRUTURA SOBRE O TERRENO P/ MUROS E MURETAS INTERNAS:


( PONTES E VIADUTOS )

31
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 12
Memorial Descritivo para Terreno Destinado à Construção de Obra Nova

LOGOTIPO DA EMPRESA

São Paulo, 22 de Janeiro de 2.004.

MEMORIAL DESCRITIVO DE TERRENO

Nome da obra: TERRENO JARDIM BETHEL / PARQUE CONTINENTAL


Código FDE: 01.15.093
Município: GUARULHOS
Perímetro do terreno: 1-2-3-4-1
Área do terreno: 3.351,14 m²

O perímetro do terreno tem início no ponto 1 localizado no alinhamento predial da Rua Paulo Freire, distante
17,70m, com azimute de 240° 58’ 16’’, do canto direito de quem olha para o imóvel de nº 18 e 14,43m, com
azimute de 206° 32’ 04’’, do canto esquerdo de quem olha para o mesmo imóvel; daí segue em linha reta pelo
mesmo alinhamento predial percorrendo a distância de 67,00m, com azimute de 116º46’43”, até encontrar o
ponto 2; daí deflete à direita e segue em linha reta, confrontando com quem de direito, percorrendo a
distância de 50,00m, com azimute de 206° 35’ 49’’, até encontrar o ponto 3; daí deflete a direita e segue em
linha reta, pelo alinhamento predial da Rua Cajueiro, percorrendo a distância de 67,00m, com azimute de
296º46’43”, até encontrar o ponto 4; daí deflete à direita e segue em linha reta, confrontando com quem de
direito, pela distância de 50,00m, com azimute de 26° 35’ 49’’, até encontrar o ponto 1, início da presente
descrição do perímetro, perfazendo uma área de 3.351,14m² (três mil, trezentos e cinqüenta e um metros
e quatorze decímetros quadrados).

______________________________________________
assinatura do responsável pela topografia
CREA: _________

32
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA ARQUITETÔNICO
TOPOGRAFIA
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

ANEXO 13
Memorial Descritivo para Terreno com Escola Existente

LOGOTIPO DA EMPRESA

São Paulo, 20 de Fevereiro de 2.004.

MEMORIAL DESCRITIVO DE ESCOLA

Nome da obra: EE PROFª ALEXANDRINA GOMES DE ARAÚJO RODRIGUES


Código FDE: 03.15.507
Município: PINDAMONHANGABA
Perímetro do terreno: 1-2-3-4-5-6-1
Área do terreno: 2.919,28 m²

O perímetro do terreno tem início no ponto 1, localizado no alinhamento predial da Rua Pedro Ângelo Foroni,
distante 13,22 m, com azimute 122°12´29”, do canto direito de quem olha para o imóvel de n.º 444 e 15,47 m,
com azimute 82°58´50”, do canto esquerdo de quem olha para o mesmo imóvel; daí segue em linha reta pelo
mesmo alinhamento prédial percorrendo a distância de 28,90 m, com azimute 25º11´21”, até encontrar o
ponto 2; daí deflete em curva à direita e segue pelo alinhamento predial da Rua Pedro Ângelo Foroni e Rua
Benedicto Luiz Marcondes de Barros com raio de 8,71 m e desenvolvimento de 7,20 m até encontrar o ponto
3; daí deflete em curva a direita com raio de 14,41 m e desenvolvimento de 5,41 m até encontrar o ponto 4;
daí deflete a direita e segue em linha reta pelo alinhamento predial da Rua Benedicto Luiz Marcondes de
Barros percorrendo a distância de 75,74 m, com azimute 101º00´19”, até encontrar o ponto 5; daí deflete a
direita e segue em linha reta, confrontando com quem de direito, percorrendo a distância de 63,70 m, com
azimute 232º20´11”, até encontrar o ponto 6; daí deflete a direita e segue em linha reta, pela distância de
51,79 m, com azimute 295º19´26”, e até encontrar o ponto 1, início da presente descrição do perímetro,
perfazendo uma área de 2.919,28 m2 (dois mil, novecentos e dezenove metros quadrados e vinte e oito
decímetros quadrados).

______________________________________________
assinatura do responsável pela topografia
CREA: _________

33
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA
TOPOGRAFIA ARQUITETÔNICO
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

CRÉDITOS

Gerência de Planejamento e Projetos


AVANY DE FRANCISCO FERREIRA

Departamento de Planejamento
MARIA REY KOBAYASHI YAMANE

Departamento de Projetos
SELENE AUGUSTA DE SOUZA BARREIROS

Produção Técnica
ENGENHEIRA ANA MARIA RIBEIRO DA SILVA CARVALHO
ENGENHEIRO CARLOS DE ALMEIDA
ENGENHEIRO CARLOS CARVALHO RIBEIRO
TOPÓGRAFO CARLOS EUGÊNIO DE OLIVEIRA DEDA JR.
ARQUITETA CAROLINA ALVES CAMOLEZI
ARQUITETO LEANDRO MARCELO AMADI ANNUNZIATO
MARA LÚCIA MENDES SHIROMA
TOPÓGRAFO MAURO CATANI
TOPÓGRAFO MAURO HIROMITSU MIYASATO
ARQUITETA MÍRIAM MASSAMI MIASIRO TINO
ARQUITETA NANCI SARAIVA MOREIRA
ARQUITETA SIMÉIA DE CARVALHO PINTO
ENGENHEIRA SOLANGE KANEKO
PROFESSORA VERA LIGIA AMADI

Colaboração
DANIELE MANCZ
RENATA NOGUEIRA RODRIGUES
WILSON DE FREITAS

Editoração de Textos
ARQUITETO LEANDRO MARCELO AMADI ANNUNZIATO
SUGUIE KOBAIASHI
Normas CONJUNTO FUNCIONAL
APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE EDIFICAÇÕES
PROGRAMA
TOPOGRAFIA ARQUITETÔNICO
MÓDULO BÁSICO
JUL 2000

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

FDE - Gerência de Planejamento


Normas para Execução e Apresentação Gráfica de
Levantamento Planialtimétrico e Cadastral
São Paulo, 1993

NBR 13.133 - Execução de Levantamento Topográfico


ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas
Rio de Janeiro, 1994

FDE - Gerência de Desenvolvimento da Educação


Manual de Normas de Apresentação de Projetos
para Construções Escolares de 1º Grau
São Paulo

CEDATE - Centro de Desenvolvimento e Apoio


Técnico à Educação. IPT - Instituto de Pesquisas
Tecnológicas. Procedimentos para Apresentação
de Projetos de Instalações Prediais
Brasília, 1984
RESPEITO PELAS PESSOAS