Vous êtes sur la page 1sur 28

Mata de Araucárias

Mata de Araucárias Mata Araucária ainda preservada. As Matas de Araucárias são encontradas na Região Sul
Mata de Araucárias Mata Araucária ainda preservada. As Matas de Araucárias são encontradas na Região Sul

Mata Araucária ainda preservada.

As Matas de Araucárias são encontradas na Região Sul do Brasil e nos pontos de relevo mais elevado da Região Sudeste. Existem pelo menos dezenove espécies desse tipo de vegetação,

das quais

treze são endêmicas (existe em um lugar específico).

São encontradas na Ilha

Norfolk,

sudeste

da

Austrália,

Nova

Guiné,

Argentina,

Chile

e

Brasil.

Essa cobertura vegetal se desenvolve em regiões nas quais predomina o clima subtropical, que apresenta invernos rigorosos e verões quentes, com índices pluviométricos relativamente

elevados e bem distribuídos durante o ano. A araucária é um vegetal da família das coníferas

que

pode

ser

cultivado

com

fins

ornamentais,

em

miniaturas.

O Pinheiro-do-Paraná ou Araucária (Araucaria angustifolia) era encontrado com abundância no

passado, atualmente

no

Brasil

restaram

restritas

áreas preservadas.

As árvores que compõem essa particular cobertura vegetal possuem altitudes que podem variar entre 25 e 50 metros e troncos com 2 metros de espessura. As sementes dessas árvores, conhecidas como pinhão, podem ser ingeridas, os galhos envolvem todo o tronco central. Os fatores determinantes para o desenvolvimento dessa planta é o clima e o relevo, uma vez que

ocorre

principalmente

em

áreas

de

relevo

mais

elevado.

Outra particularidade das araucárias é a restrita ocorrência de flores, provenientes das baixas temperaturas; além de não desenvolver outros tipos de plantas nas proximidades dos pinheiros. Diante disso, a composição paisagística dessa vegetação fica caracterizada principalmente pelo

espaçamento entre as árvores, pois não existem vegetais de pequeno porte que poderiam fazer

surgir

uma

vegetação

densa;

essas

são

compostas

por

florestas

ralas.

Infelizmente, no Brasil, a proliferação das Araucárias está bastante comprometida e corre sério risco de entrar em extinção, fato decorrente das atividades produtivas desenvolvidas há várias décadas na região, especialmente na extração de madeira e ocupação agropecuária, reduzindo a 3% a forma original.

passado, atualmente no Brasil restaram restritas áreas preservadas. As árvores que compõem essa particular cobertura vegetal

Por Eduardo de Freitas Graduado em Geografia

o

passado, atualmente no Brasil restaram restritas áreas preservadas. As árvores que compõem essa particular cobertura vegetal

o

passado, atualmente no Brasil restaram restritas áreas preservadas. As árvores que compõem essa particular cobertura vegetal

o

o

o

o

o

o

o

o o o o o o o
o o o o o o o
o o o o o o o
o o o o o o o
o o o o o o o
o o o o o o o
o o o o o o o

o

o

o

o

o

o

o o o o o o
o o o o o o
o o o o o o
o o o o o o
o o o o o o
o o o o o o
2. Definição o o Podemos definir bioma como um conjunto de ecossistemas que funcionam de formachuva , umidade, calor, etc) existentes. Os biomas brasileiros caracterizam-se, no geral, por uma grande diversidade de animais e vegetais (biodiversidade). 3. Biomas Brasileiros - Biomas Litorâneos – com um litoral muito extenso, o Brasil possui diversos tipos de biomas nestas áreas. Na região Norte destacam-se as matas de várzea e os mangues no litoral Amazônico. No Nordeste, há a presença de restingas, falésias e mangues. No Sudeste destacam-se a vegetação de mata Atlântica e também os mangues, embora em pouca quantidade. Já no sul do país, temos os costões rochosos e manguezais. - Caatinga – presente na região do sertão nordestino (clima semi-árido), " id="pdf-obj-4-2" src="pdf-obj-4-2.jpg">
  • 2. Definição

o

o

2. Definição o o Podemos definir bioma como um conjunto de ecossistemas que funcionam de formachuva , umidade, calor, etc) existentes. Os biomas brasileiros caracterizam-se, no geral, por uma grande diversidade de animais e vegetais (biodiversidade). 3. Biomas Brasileiros - Biomas Litorâneos – com um litoral muito extenso, o Brasil possui diversos tipos de biomas nestas áreas. Na região Norte destacam-se as matas de várzea e os mangues no litoral Amazônico. No Nordeste, há a presença de restingas, falésias e mangues. No Sudeste destacam-se a vegetação de mata Atlântica e também os mangues, embora em pouca quantidade. Já no sul do país, temos os costões rochosos e manguezais. - Caatinga – presente na região do sertão nordestino (clima semi-árido), " id="pdf-obj-4-11" src="pdf-obj-4-11.jpg">
2. Definição o o Podemos definir bioma como um conjunto de ecossistemas que funcionam de formachuva , umidade, calor, etc) existentes. Os biomas brasileiros caracterizam-se, no geral, por uma grande diversidade de animais e vegetais (biodiversidade). 3. Biomas Brasileiros - Biomas Litorâneos – com um litoral muito extenso, o Brasil possui diversos tipos de biomas nestas áreas. Na região Norte destacam-se as matas de várzea e os mangues no litoral Amazônico. No Nordeste, há a presença de restingas, falésias e mangues. No Sudeste destacam-se a vegetação de mata Atlântica e também os mangues, embora em pouca quantidade. Já no sul do país, temos os costões rochosos e manguezais. - Caatinga – presente na região do sertão nordestino (clima semi-árido), " id="pdf-obj-4-13" src="pdf-obj-4-13.jpg">

Podemos definir bioma como um conjunto de ecossistemas que funcionam de forma estável. Um bioma é caracterizado por um tipo principal de

vegetação (num mesmo bioma podem existir diversos tipos de vegetação). Os seres vivos de um bioma vivem de forma adaptada as condições da natureza (vegetação, chuva, umidade, calor, etc) existentes. Os biomas brasileiros caracterizam-se, no geral, por uma grande diversidade de animais e vegetais (biodiversidade).

  • 3. Biomas Brasileiros

    • - Biomas Litorâneos com um litoral muito extenso, o Brasil possui diversos

tipos de biomas nestas áreas. Na região Norte destacam-se as matas de várzea e os mangues no litoral Amazônico. No Nordeste, há a presença de restingas, falésias e mangues. No Sudeste destacam-se a vegetação de mata Atlântica e também os mangues, embora em pouca quantidade. Já no sul do país, temos os costões rochosos e manguezais.

  • - Caatinga presente na região do sertão nordestino (clima semi-árido),

caracteriza-se por uma vegetação de arbustos de porte médio, secos e com galhos retorcidos. Há também a presença de ervas e cactos.

Floresta com Araucária (Mata de Pinhais)

A região das araucárias principia no primeiro planalto, imediatamente a oeste da Serra do Mar, e estende-se pelos segundo e terceiro planaltos do Estado do Paraná e Laranjeiras do Sul, com associações florísticas da araucária.

Envie para um amigo

Seu nome
Seu nome
Seu email
Seu email
Email do seu a
Email do seu a
http://ambientes.
http://ambientes.
Enviar
Enviar

o

o

o

o

o

o

o

Localização

e

Caracterização

Localiza-se no sul do Brasil, estendendo-se pelos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A região das araucárias principia no primeiro planalto, imediatamente a oeste da Serra do Mar, e estende-se pelos segundo e terceiro planaltos do Estado do Paraná e Laranjeiras do Sul, com associações florísticas da araucária. A região da araucária insere-se às partes mais altas das montanhas do Sul, nos planaltos, onde ocorrem até altitudes médias de 600 a 800 m, e em alguns poucos lugares em que ultrapassam 1.000 m. O limite inferior destas matas situa-se entre 500 e 600 m nos estados do Sul, sendo que ao norte este limite situa-se algumas centenas de metros acima. Nestas florestas, coexistem representantes da flora tropical e temperada do Brasil, sendo dominadas, no entanto, pelo pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia).

Clima

O clima da região é temperado, com chuvas regulares e estações relativamente bem definidas: o inverno

O clima da região é temperado, com chuvas regulares e estações relativamente bem definidas: o inverno é normalmente frio, com geadas freqüentes e até neve em alguns municípios do Rio Grande do Sul, e o verão razoavelmente quente. As temperaturas variam de 30ºC, no verão, até alguns graus negativos, no inverno rigoroso.

A umidade relativa do ar está relacionada à temperatura, com influência da altitude.

Assim,

nas

zonas

mais

elevadas,

a

temperatura

não

é

suficientemente

elevada,

diminuindo a umidade produzida pelas chuvas. As médias mais elevadas são resultados

da influência oceânica sobre o clima e da transpiração dos componentes das matas pluviais existentes. Os maiores índices pluviométricos são registrados nos planaltos,

com

chuvas

bem

distribuídas.

Geologia

e

Relevo

O Estado do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul são formados, em sua maior extensão, por escarpas de estratos e planaltos que declinam suavemente em direção a oeste e noroeste. Apresentam grandes regiões geográficas naturais ou grandes paisagens naturais (Zona litorânea - orla marinha e orla da serra, Serra do Mar, Planaltos, Planícies costeiras, Serras Litorâneas e Planalto Ocidental).

Flora

No Planalto Meridional Brasileiro, com altitudes superiores a 500 m, destaca-se a área de dispersão do pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia), que já ocupou cerca de 2,6% do território nacional. Nestas florestas, coexistem representantes da flora tropical e temperada do Brasil, sendo dominadas, no entanto, pelo pinheiro-do-paraná. As florestas variam em densidade arbórea e altura da vegetação e podem ser classificadas, de acordo com aspectos de solo, como aluviais, (ao longo dos rios), submontanas (que já inexistem) e montanas (que dominavam a paisagem).

A vegetação aberta dos campos gramíneo-lenhosos ocorre sobre solos rasos. Devido ao seu alto valor econômico, a Floresta com Araucária sofre, há bastante tempo, forte

pressão

de

desmatamento.

A Floresta com Araucária ou Floresta Ombrófila Mista apresenta em sua composição florística espécies de lauráceas como a imbuia (Ocotea porosa), o sassafrás (Ocotea odorifera), a canela-lageana (Ocotea pulchella), além de diversas espécies conhecidas por canelas. Merecem destaque também a erva-mate (Ilex paraguariensis) e a caúna (Ilex theezans), entre outras aqüifoliáceas. Diversas espécies de leguminosas (jacarandá, caviúna e monjoleiro) e mirtáceas (sete-capotes, guabiroba, pitanga) também são abundantes na floresta com araucária, associadas também à coníferas como o pinheiro-

bravo (Podocarpus lambertii). Encontram-se também freqüentemente rutáceas (pau- marfim Balfourodendron riedelianum), euforbiáceas (tapexingüí Croton sp.), solanáceas (fumo bravo Solanum verbascifolium), urticáceas (Boehmeriasp. e Urera sp.), além de muitas outras espécies vegetais arbustos, lianas e ervas.

Este bioma possui uma grande riqueza de epífitas vasculares, a saber, bromélias, orquídeas, cactáceas, pteridófitas, piperáceas e muitas outras espalhadas pela Serra do Mar, na região de mata pluvial-tropical e nos capões de campos dos planaltos do interior.

Fauna

bravo (Podocarpus lambertii). Encontram-se também freqüentemente rutáceas (pau- marfim – Balfourodendron riedelianum), euforbiáceas (tapexingüí – Croton

É um dos ecossistemas mais ricos em relação à biodiversidade de espécies animais, contando com indivíduos endêmicos, raros, ameaçados de extinção, espécies migratórias, cinegéticas e de interesse econômico da Floresta Atlântica e Campos Sulinos.

Várias espécies estão ameaçadas de extinção: a onça-pintada, a jaguatirica, o mono- carvoeiro, o macaco-prego, o guariba, o mico-leão-dourado, vários sagüis, a preguiça-

de-coleira,

o

caxinguelê,

e

o

tamanduá.

Entre as aves destacam-se o jacu, o macuco, a jacutinga, o tiê-sangue, a araponga, o

sanhaço, numerosos

beija-flores,

tucanos,

saíras

e

gaturamos.

Entre os principais répteis desse ecossistema estão o teiú (um lagarto de mais de 1,5m de comprimento), jibóias, jararacas e corais verdadeiras. Numerosas espécies da flora e da fauna são únicas e características: a maioria das aves, répteis, anfíbios e borboletas são endêmicas, ou seja, são encontradas apenas nesse ecossistema. Nela sobrevivem mais de 20 espécies de primatas, a maior parte delas endêmicas.

o

o

o

o

o

o o o o o o o o o o o o <a href=caatinga_26.jpg " id="pdf-obj-9-12" src="pdf-obj-9-12.jpg">

o

o

o

o

o

o

o

o o o o o o o o o o o o <a href=caatinga_26.jpg " id="pdf-obj-9-28" src="pdf-obj-9-28.jpg">

vivaterra.org.br 350 × 250 - A Caatinga apresenta três estratos: arbóreos (8 a 12 metros),

arbustivo (2 a ... Similares - Mais tamanhos

o

o

o

o

o

o

vivaterra.org.br 350 × 250 - A Caatinga apresenta três estratos: arbóreos (8 a 12 metros), arbustivoSimilares - Mais tamanhos o o o o o o " id="pdf-obj-10-25" src="pdf-obj-10-25.jpg">
vivaterra.org.br 350 × 250 - A Caatinga apresenta três estratos: arbóreos (8 a 12 metros), arbustivoSimilares - Mais tamanhos o o o o o o " id="pdf-obj-10-27" src="pdf-obj-10-27.jpg">
vivaterra.org.br 350 × 250 - A Caatinga apresenta três estratos: arbóreos (8 a 12 metros), arbustivoSimilares - Mais tamanhos o o o o o o " id="pdf-obj-10-29" src="pdf-obj-10-29.jpg">
vivaterra.org.br 350 × 250 - A Caatinga apresenta três estratos: arbóreos (8 a 12 metros), arbustivoSimilares - Mais tamanhos o o o o o o " id="pdf-obj-10-31" src="pdf-obj-10-31.jpg">
vivaterra.org.br 350 × 250 - A Caatinga apresenta três estratos: arbóreos (8 a 12 metros), arbustivoSimilares - Mais tamanhos o o o o o o " id="pdf-obj-10-33" src="pdf-obj-10-33.jpg">
vivaterra.org.br 350 × 250 - A Caatinga apresenta três estratos: arbóreos (8 a 12 metros), arbustivoSimilares - Mais tamanhos o o o o o o " id="pdf-obj-10-35" src="pdf-obj-10-35.jpg">

o

o

o

o

o

o

o

o o o o o o o
o o o o o o o
o o o o o o o
o o o o o o o
o o o o o o o
o o o o o o o
o o o o o o o

o

o <a href=anthurium-caatinga.jpg brazilplants.com 640 × 480 - Anthurium sp Caatinga Similares - Mais tamanhos o o o o o o o 2. Muitas vezes confundida com o Cerrado , a Caatinga é um ecossistema típico do nordeste brasileiro . " id="pdf-obj-12-4" src="pdf-obj-12-4.jpg">
o <a href=anthurium-caatinga.jpg brazilplants.com 640 × 480 - Anthurium sp Caatinga Similares - Mais tamanhos o o o o o o o 2. Muitas vezes confundida com o Cerrado , a Caatinga é um ecossistema típico do nordeste brasileiro . " id="pdf-obj-12-6" src="pdf-obj-12-6.jpg">

brazilplants.com 640 × 480 - Anthurium sp Caatinga

o

o

o

o

o

o

o

o <a href=anthurium-caatinga.jpg brazilplants.com 640 × 480 - Anthurium sp Caatinga Similares - Mais tamanhos o o o o o o o 2. Muitas vezes confundida com o Cerrado , a Caatinga é um ecossistema típico do nordeste brasileiro . " id="pdf-obj-12-32" src="pdf-obj-12-32.jpg">
o <a href=anthurium-caatinga.jpg brazilplants.com 640 × 480 - Anthurium sp Caatinga Similares - Mais tamanhos o o o o o o o 2. Muitas vezes confundida com o Cerrado , a Caatinga é um ecossistema típico do nordeste brasileiro . " id="pdf-obj-12-34" src="pdf-obj-12-34.jpg">

3.

A caatinga constitui uma paisagem bastante peculiar, uma vez que mesmo em região semi-árida, ainda apresenta uma fauna e uma flora bastante diversificadas com alto grau de endemismo.

4.

A flora se constitui de espécies xerófitas (formação seca e espinhosa resistente ao fogo e praticamente sem folhas) e caducifólias (que perdem as folhas em determinada época do ano) totalmente adaptadas ao clima seco com predominância de cactáceas e bromeliáceas. O extrato arbóreo apresenta espécies de até 12 metros de altura, o arbustivo, de até 5 metros e o extrato herbáceo apresenta vegetação de até 2 metros de altura. As principais representantes do reino vegetal são: a aroeira, o mandacaru, o juazeiro e a amburana.

5.

5.

6.

A fauna apresenta cerca de 47 espécies de lagartos, sendo 7 de anfibenídeos:

espécies de lagartos sem pés. 45 espécies de serpentes, 4 de quelônios (família das tartarugas) e 44 espécies de anuros (sapos e rãs).

7.

O clima na região da caatinga é bastante árido e com precipitação anual em torno de 300 a 800 mm. Na região da caatinga vivem cerca de 20 milhões de brasileiros que convivem com os longos períodos de estiagem e a irregularidade climática.

8.

Pela região passam os rios São Francisco e Parnaíba que percorrem a região da caatinga e recebem a contribuição de diversos afluentes que nascem ali.

9.

Em alguns locais podemos encontrar os chamados brejos, verdadeiros oásis no meio do deserto. Mesmo em épocas de seca intensa, quando a caatinga se assemelha a um deserto, os brejos são locais ricos em nutrientes e bastante propícios ao cultivo e à subsistência de variadas espécies animais.

10. 11. Mas, devido ao crescimento populacional na região nordeste do país e ao fato de
10.
11.
Mas, devido ao crescimento populacional na região nordeste do país e ao fato de
estar bastante próximo ao litoral, a caatinga já foi muito modificada pelo
homem.
12.
Presente nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco,
Sergipe, Alagoas, Bahia, sul e leste do Piauí e norte de Minas Gerais, é também
a região que apresenta as localidades com menor concentração de renda do país,
o que de certa forma, contribui para a degradação ambiental, à medida que
praticamente não há planejamento ou fiscalização ambiental.
13.
Na época de colonização do Brasil, grandes porções de terra da caatinga foram
utilizadas para o estabelecimento de monoculturas como a cana-de-açúcar e de
extensas áreas para pastoreio.
14.
Abalando ainda mais a fragilidade da caatinga, foram construídos açudes com o
intuito de possibilitar a expansão das plantações e criações. Mas, o intenso e
equivocado processo de irrigação gerou, em muitos lugares, a salinização do
solo tornando-o impróprio para a agricultura. Atualmente, cerca de 40 mil km²
da caatinga já foram transformados em deserto.
15.
Leia também:

o

o

o

o

Tundra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Tundra Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: <a href=navegação , pesquisa Nota: Se procura pelo personagem da Marvel Comics, veja Tundra (Marvel Comics) . Biomas Biomas terrestres 01. Florestas tropicais e subtropicais húmidas 02. Florestas tropicais e subtropicais secas 03. Florestas tropicais e subtropicais de coníferas 04. Floresta decídua temperada 05. Floresta temperada de coníferas 06. Taiga/Floresta boreal 07. Pastagens, savanas e matagais tropicais e subtropicais 08. Pastagens, savanas e matagais temperados 09. Savanas e campos inundados 10. Pastagens e matagais de montanha 11. Tundra 12. Floresta mediterrânea de " id="pdf-obj-15-11" src="pdf-obj-15-11.jpg">

Nota: Se procura pelo personagem da Marvel Comics, veja Tundra (Marvel Comics).

Biomas Biomas terrestres 01. Florestas tropicais e subtropicais húmidas 02. Florestas tropicais e subtropicais secas 03.
Biomas
Biomas terrestres
01.
Florestas tropicais e
subtropicais húmidas
02.
Florestas tropicais e
subtropicais secas
03.
Florestas tropicais e
subtropicais de coníferas
04.
Floresta decídua temperada
05.
Floresta temperada de
coníferas
06.
Taiga/Floresta boreal
07.
Pastagens, savanas e matagais
tropicais e subtropicais
08.
Pastagens, savanas e matagais
temperados
09.
Savanas e campos inundados
10.
Pastagens e matagais de
montanha
11.
Tundra
12.
Floresta mediterrânea de

A tundra é uma vegetação proveniente do material orgânico que aparece no curto período de desgelo durante a estação "quente" das regiões de clima polar, apresentando assim apenas espécies de que se reproduzem rapidamente e que suportam baixas temperaturas. Essa vegetação é um enorme bioma que ocupa aproximadamente um quinto da superfície terrestre. Aparece em regiões como o Norte do Alasca e do Canadá, Groenlândia, Noruega, Suécia, Finlândia e Sibéria.

A tundra ártica surge no sul da região dos gelos polares do Ártico, entre os 60º e os 75º de latitude Norte, e estende-se pela Escandinávia, Sibéria, Alasca, Canadá e Groelândia. Situada próximo do pólo norte, recebe pouca luz e pouca chuva, apresentando um clima polar, frio e seco. O solo permanece gelado e coberto de neve durante a maior parte do ano, a vegetação é rasteira, não possui árvores com abundancia de musgos e líquens.

Índice

[editar] Clima

Apresenta verões muito curtos, com uma duração do dia muito longa, com uma temperatura média entre -8°C e -4°C (não excedendo os -6°C). Durante as horas de escuridão a neve, vai caindo e acumula-se, devido aos fortes ventos, nas regiões mais baixas, obrigando os animais a permanecerem junto ao solo eh apenas a procurar comida para se manterem quentes. As quantidades de precipitação são muito pequenas (entre 75 e 35 cm, incluindo a neve derretida). Apesar da precipitação ser pequena, a Tundra apresenta um aspecto úmido e encharcado, em virtude da evaporação ser muito lenta e da fraca drenagem do solo permafrost, no verão. Só no verão, com a duração de cerca de 2 meses, em que a duração do dia fica por volta de 24h e quando temperatura não excede os 12°C, que a camada superficial do solo descongela, mas a água não consegue se infiltrar pelas camadas inferiores. Formam-se então charcos e pequenos pântanos. Pelo dia ser de longa duração ocorre uma "explosão" de vida vegetal, o que permite que animais herbívoros sobrevivam - bois almiscarados, lebres árticas, renas e lêmingues, na Europa e na Ásia, e caribus na América do Norte. Estes por sua vez constituem o alimento de outros animais (comem uns aos outros), carnívoros, como os arminhos, raposas árticas e lobos. Existem também algumas aves como a perdiz-das- neves e a coruja-das-neves.

 <a href=5 Referências [ editar ] Clima Apresenta verões muito curtos, com uma duração do dia muito longa, com uma temperatura média entre -8°C e -4°C (não excedendo os -6°C). Durante as horas de escuridão a neve, vai caindo e acumula-se, devido aos fortes ventos, nas regiões mais baixas, obrigando os animais a permanecerem junto ao solo eh apenas a procurar comida para se manterem quentes. As quantidades de precipitação são muito pequenas (entre 75 e 35 cm, incluindo a neve derretida). Apesar da precipitação ser pequena, a Tundra apresenta um aspecto úmido e encharcado, em virtude da evaporação ser muito lenta e da fraca drenagem do solo permafrost , no verão. Só no verão, com a duração de cerca de 2 meses, em que a duração do dia fica por volta de 24h e quando temperatura não excede os 12°C, que a camada superficial do solo descongela, mas a água não consegue se infiltrar pelas camadas inferiores. Formam-se então charcos e pequenos pântanos . Pelo dia ser de longa duração ocorre uma "explosão" de vida vegetal, o que permite que animais herbívoros sobrevivam - bois almiscarados, lebres árticas, renas e lêmingues , na Europa e na Ásia, e caribus na América do Norte. Estes por sua vez constituem o alimento de outros animais (comem uns aos outros), carnívoros, como os arminhos , raposas árticas e lobos . Existem também algumas aves como a perdiz - das- neves e a coruja - das-neves. Tundra na Rússia. Mapa da tundra ártica. [ editar ] Vegetação o crescimento da vegetação é lento. A vegetação predominante é composta de líquenes , musgos , ervas e arbustos baixos, devido às condições climáticas que as impedem de " id="pdf-obj-17-47" src="pdf-obj-17-47.jpg">

Tundra na Rússia.

 <a href=5 Referências [ editar ] Clima Apresenta verões muito curtos, com uma duração do dia muito longa, com uma temperatura média entre -8°C e -4°C (não excedendo os -6°C). Durante as horas de escuridão a neve, vai caindo e acumula-se, devido aos fortes ventos, nas regiões mais baixas, obrigando os animais a permanecerem junto ao solo eh apenas a procurar comida para se manterem quentes. As quantidades de precipitação são muito pequenas (entre 75 e 35 cm, incluindo a neve derretida). Apesar da precipitação ser pequena, a Tundra apresenta um aspecto úmido e encharcado, em virtude da evaporação ser muito lenta e da fraca drenagem do solo permafrost , no verão. Só no verão, com a duração de cerca de 2 meses, em que a duração do dia fica por volta de 24h e quando temperatura não excede os 12°C, que a camada superficial do solo descongela, mas a água não consegue se infiltrar pelas camadas inferiores. Formam-se então charcos e pequenos pântanos . Pelo dia ser de longa duração ocorre uma "explosão" de vida vegetal, o que permite que animais herbívoros sobrevivam - bois almiscarados, lebres árticas, renas e lêmingues , na Europa e na Ásia, e caribus na América do Norte. Estes por sua vez constituem o alimento de outros animais (comem uns aos outros), carnívoros, como os arminhos , raposas árticas e lobos . Existem também algumas aves como a perdiz - das- neves e a coruja - das-neves. Tundra na Rússia. Mapa da tundra ártica. [ editar ] Vegetação o crescimento da vegetação é lento. A vegetação predominante é composta de líquenes , musgos , ervas e arbustos baixos, devido às condições climáticas que as impedem de " id="pdf-obj-17-52" src="pdf-obj-17-52.jpg">

Mapa da tundra ártica.

[editar] Vegetação

o crescimento da vegetação é lento. A vegetação predominante é composta de líquenes, musgos, ervas e arbustos baixos, devido às condições climáticas que as impedem de

crescer. As plantas com raízes longas não podem se desenvolver pois o subsolo permanece gelado. Por outro lado, como as temperaturas são muito baixas, a matéria orgânica decompõe-se muito lentamente e consequentemente, o crescimento da vegetação é lento. Uma adaptação que as plantas destas regiões desenvolveram é o crescimento em maciços, o que as ajuda a evitar o ar frio. Outra adaptação é que elas crescem junto ao solo, o que as protege dos ventos fortes. As folhas são pequenas, retendo a umidade com maior facilidade. Apesar das condições inóspitas, existe uma grande variedade de plantas que vivem na Tundra Ártica.

[editar] Fauna

A maioria dos animais, sobretudo aves e mamíferos, apenas utilizam a tundra no curto Verão, migrando para regiões mais quentes no Inverno. Os animais que ali vivem permanentemente, como os ursos-polares, bois almiscarados (na América do Norte) e lobos árticos, desenvolveram as suas próprias adaptações para resistir aos longos e frios meses de Inverno, como um pêlo espesso, camadas de gordura sob a pele e a hibernação. Por exemplo, os bois almiscarados apresentam duas camadas de pêlo, uma curta e outra longa. Também possuem cascos grandes e duros, o que lhe permite quebrar o gelo e beber a água que se encontra por baixo. Os répteis e anfíbios são poucos ou encontram-se completamente ausentes devido às temperaturas serem muito baixas.

A lebre ártica, por exemplo, no Inverno e no Verão muda a cor do seu pêlo. Isso ajuda o animal a camuflar-se. O cisne-da-tundra tem 25216 penas, 80% das quais na cabeça e no pescoço. [1]

[editar] Tundra alpina

A tundra alpina encontra-se em vários países e situa-se no topo das altas montanhas. É muito fria e ventosa e não tem árvores. Ao contrário da Tundra Ártica, o solo apresenta uma boa drenagem e não apresenta permafrost. Apresenta ervas, arbustos e musgos, tal como a tundra ártica. Encontram-se animais como as cabras da montanha, alces, marmotas (pequeno roedor), insetos (gafanhotos, borboletas, escaravelhos

o

o

o

alineepena.blogspot.com o o o o o infoescola.com o o o o o o o o 2.

alineepena.blogspot.com

o

o

o

o

o

alineepena.blogspot.com o o o o o infoescola.com o o o o o o o o 2.

infoescola.com

o

o

o

o

o

o

o

o

Tundra é um tipo de vegetação rasteira típica de regiões polares que ficam cobertas por gelo durante grande parte do ano. Na época do verão, este gelo derrete e a tundra se desenvolve. Podemos encontrar este tipo de vegetação em várias partes do mundo como, por exemplo: Sibéria (norte da Rússia), norte do Canadá, Groelândia, Suécia, Alasca, Noruega e Finlândia.

  • 3. A tundra é altamente resistente a baixas temperaturas e ao gelo. Necessita de pouca quantidade de sol durante o ano. Uma característica comum deste tipo de bioma é a presença de fungos, ervas, liquens e pequenos arbustos.

  • 4. Na época do verão, quando floresce este tipo de vegetação, muitos animais buscam alimento neste rico bioma. A fauna da tundra apresenta animais de pequeno e grande porte. Os herbívoros são a maioria, sendo que podemos destacar os bois almiscarados, os lemingues, renas e lebres do ártico.

  • 5. Links relacionados

o

o

o

o

  • 6. A Tundra é o último bioma antes do frio congelante do inóspito Ártico onde nenhum tipo de vegetação se desenvolve.

  • 7. Por vezes a Tundra é classificada em dois tipos diferentes: a tundra alpina, encontrada no alto de montanhas em diversos países e que difere da tundra ártica pelo tipo de solo bastante permeável.

  • 8. A tundra ártica é encontrada em regiões muito frias onde a temperatura não ultrapassa os -6ºC. Na maior parte do ano, a tundra permanece congelada, completamente coberta de neve. Por isso suas plantas, basicamente líquens (associação de fungos e algas) e algumas poucas herbáceas, tem pouco tempo para se desenvolver, formando uma vegetação esparsa que divide o cenário com lamaçais e rochas no curto período de verão(época em que a temperatura sobe e varia entre -6C e -10ºC).

9.

9. Tundra Alpina 10. O solo da tundra é chamado de <a href=permafrost , que em uma tradução literal significa “sempre congelado”, e é justamente essa característica que dá a tundra suas feições naturais. 11. O permafrost é um solo típico das regiões antárticas composto por terra, pedras e gelo. Sua profundidade pode alcançar até mais de 1 metro e ele é totalmente impermeável o que faz com que surjam áreas lamacentas no verão quando a camada de gelo superficial, que pode chegar a 300 metros em alguns lugares, derrete. 12. O fato do solo estar totalmente congelado à uma certa profundidade não permite o desenvolvimento das raízes das plantas e, mesmo que estas conseguissem quebrar o permafrost não haveria água suficiente, pois toda a água está em estado sólido . Estas características do solo aliadas aos ventos fortíssimos e um inverno muito longo (o verão dura apenas dois meses), não permitem a existência de uma vegetação mais alta. " id="pdf-obj-21-4" src="pdf-obj-21-4.jpg">

Tundra Alpina

  • 10. O solo da tundra é chamado de permafrost, que em uma tradução literal significa “sempre congelado”, e é justamente essa característica que dá a tundra suas feições naturais.

  • 11. O permafrost é um solo típico das regiões antárticas composto por terra, pedras e gelo. Sua profundidade pode alcançar até mais de 1 metro e ele é totalmente impermeável o que faz com que surjam áreas lamacentas no verão quando a camada de gelo superficial, que pode chegar a 300 metros em alguns lugares, derrete.

  • 12. O fato do solo estar totalmente congelado à uma certa profundidade não permite o desenvolvimento das raízes das plantas e, mesmo que estas conseguissem quebrar o permafrost não haveria água suficiente, pois toda a água está em estado sólido. Estas características do solo aliadas aos ventos fortíssimos e um inverno muito longo (o verão dura apenas dois meses), não permitem a existência de uma vegetação mais alta.

13.

13. Permafrost 14. Mesmo assim, a tundra é essencial para a manutenção de muitas espécies comoCanadá , Alaska e algumas regiões da Europa , lebres árticas, lemingues (roedores encontrados na Europa, Rússia, Mongólia e América do Norte ) , renas, caribus, arminhos, raposas árticas, lobos, corujas-das-neves, perdizes-das-neves, entre outros. Tanto quanto as plantas, os animais da tundra desenvolveram mecanismos para resistir ao frio intenso como migrar para regiões mais quentes durante o inverno ou hibernar o o o o O termo Tundra deriva da palavra finlandesa Tunturia , que significa planície sem árvores. É o bioma mais frio da Terra. Alguns cientistas consideram existir dois tipos de tundras: Tundra Ártica e Tundra Alpina. A principal diferença entre elas é a razão pela qual são tão frias. A primeira é pela sua localização geográfica, mais concretamente pela latitude, enquanto que a segunda é devido ao facto de se encontrar tão afastada da superfície da Fonte: http://www.hrhauser.ch/img/tundra.jpg Terra. Também a capacidade de drenagem do solo é diferente, sendo " id="pdf-obj-22-4" src="pdf-obj-22-4.jpg">

Permafrost

  • 14. Mesmo assim, a tundra é essencial para a manutenção de muitas espécies como os bois almiscarados que quase foram extintos, e hoje ocupam regiões do Canadá, Alaska e algumas regiões da Europa, lebres árticas, lemingues (roedores encontrados na Europa, Rússia, Mongólia e América do Norte), renas, caribus, arminhos, raposas árticas, lobos, corujas-das-neves, perdizes-das-neves, entre outros. Tanto quanto as plantas, os animais da tundra desenvolveram mecanismos para resistir ao frio intenso como migrar para regiões mais quentes durante o inverno ou hibernar

o

o

o

o

O termo Tundra deriva da palavra finlandesa Tunturia , que significa planície sem árvores. É o
 

O termo Tundra deriva da palavra finlandesa Tunturia, que significa planície

 

sem árvores. É o bioma mais frio da Terra. Alguns cientistas consideram existir dois tipos de tundras: Tundra Ártica e Tundra Alpina. A principal diferença entre elas é a razão pela qual são tão frias. A primeira é pela sua localização geográfica, mais concretamente pela latitude, enquanto

sem árvores. É o bioma mais frio da Terra. Alguns cientistas consideram existir dois tipos de
 

que a segunda é devido ao facto de se encontrar tão afastada da superfície da

Fonte: http://www.hrhauser.ch/img/tundra.jpg

Terra. Também a capacidade de drenagem do solo é diferente, sendo

 

maior na Tundra Alpina. No entanto, são muito parecidas.

 
 
 

A Tundra Ártica surge a sul da região dos gelos polares do Ártico, entre os 60º e os 75º de latitude Norte, e estende-se pela Escandinávia, Sibéria, Alasca, Canadá e Gronelândia. Situada próximo do pólo norte, no círculo polar Ártico, recebe pouca luz e pouca chuva, apresentando um clima polar, frio e seco. O solo permanece gelado e

 
coberto de neve durante a maior parte do ano. Apresenta Invernos muito longos, com uma duração

coberto de neve durante a maior parte do ano. Apresenta Invernos muito longos, com uma duração do dia muito curta, não excedendo a temperatura os -6ºC (temperatura média entre os -28ºC e os -34ºC). Durante as longas horas de escuridão a neve que vai caindo

Fonte:

acumula-se, devido aos fortes ventos,

http://www.urova.fi/home/arktinen/tundra/ tu-stud.htm Photo: P. Kuhry

nas regiões mais baixas, obrigando os animais a permanecerem junto ao solo e apenas a procurar comida para se

manterem quentes. As quantidades de precipitação são muito pequenas, entre 15 e 25 cm, incluindo a neve derretida. Apesar da precipitação ser pequena, a Tundra apresenta um aspecto húmido e encharcado, em virtude da evaporação ser muito lenta e da fraca drenagem do solo causada pelo permafrost.

Só no Verão, com a duração de cerca de 2 meses, em que a duração do dia é cerca de 24 h e a temperatura não excede os 7º-10

 

ºC, a camada superficial do solo descongela, mas a água não se consegue infiltrar por as camadas inferiores se encontrarem geladas (permafrost, que começa a uma profundidade de alguns centímetros e se prolonga até 1 metro ou mais). Formam-se então charcos e pequenos pântanos. A duração do dia é muito longa e ocorre uma explosão de vida vegetal, o que permite que animais herbívoros sobrevivam - bois almiscarados, lebres árticas, renas e lemingues na Europa

ºC, a camada superficial do solo descongela, mas a água não se consegue infiltrar por asrenas e lemingues na Europa " id="pdf-obj-24-14" src="pdf-obj-24-14.jpg">
 

e na Ásia e caribus na América do Norte.

Fonte:

Estes por sua vez constituem o alimento de outros animais, carnívoros, como os

http://www.abdn.ac.uk/mammal/stoat.htm

arminhos, raposas árticas e lobos. Existem também algumas aves como a perdiz-das- neves e a coruja-das-neves.

 
 

A vegetação predominante é composta de líquenes (plantas resultantes da associação de fungos e algas, que crescem muito lentamente e extraordinariamente resistentes à falta de água, que conseguem sobreviver nos ambientes mais hostis), musgos, ervas e arbustos baixos, devido às condições climáticas que impedem que as

 
plantas cresçam em altura. As plantas com raízes longas não se podem desenvolver pois o subsolo

plantas cresçam em altura. As plantas com raízes longas não se podem desenvolver pois o subsolo permanece gelado, pelo que não há árvores. Por outro lado, como as temperaturas são muito baixas, a matéria orgânica decompõe-se muito lentamente e o crescimento da vegetação é lento. Uma adaptação que as plantas destas

Fonte:

regiões desenvolveram é o crescimento em

http://www.micro.utexas.edu/courses/levin

/bio304/biomes/TUNDRA/tundralife.html

maciços, o que as ajuda a evitar o ar frio. Mas as adaptações das plantas típicas da

Tundra não ficam por aqui. Crescem junto ao solo o que as protege dos ventos fortes e as folhas são pequenas, retendo, com maior facilidade, a humidade. Apesar das condições inóspitas, existe uma grande variedade de plantas que vivem na Tundra Ártica.

A maioria dos animais, sobretudo aves e mamíferos, apenas utilizam a Tundra no curto Verão, migrando, no Inverno, para regiões mais quentes. Os animais que ali vivem permanentemente, como os ursos polares, bois almiscarados (na América do Norte) e lobos árticos, desenvolveram as suas próprias adaptações para resisitir aos longos e frios meses de Inverno, como um pêlo espesso, camadas de gordura sob a pele e a

A maioria dos animais, sobretudo aves e mamíferos, apenas utilizam a Tundra no curto Verão, migrando,ursos polares , bois almiscarados (na América do Norte) e lobos árticos, desenvolveram as suas próprias adaptações para resisitir aos longos e frios meses de Inverno, como um pêlo espesso, camadas de gordura sob a pele e a " id="pdf-obj-25-9" src="pdf-obj-25-9.jpg">
 

hibernação. Por exemplo, os bois

Lebre Ártica, no Inverno e no Verão. A cor do pêlo ajuda o animal a camuflar-se.

almiscarados apresentam duas camadas de pêlo, uma curta e outra longa. Também possuem cascos grandes e duros o que lhe permite quebrar o gelo e beber a água que se encontra por baixo. Os répteis e anfíbios são poucos ou encontram-se completamente ausentes devido às temperaturas serem muito baixas.

Fonte: "Páginas da Natureza, 5º ano". Editorial O Livro

Tundra Alpina

A Tundra Alpina encontra-se em vários países e situa-se no topo das altas montanhas. É muito fria e ventosa e não tem árvores. Ao contrário da Tundra Ártica, o solo apresenta uma boa drenagem e não apresenta permafrost. Apresenta ervas, arbustos e musgos, tal como a Tundra Ártica. Encontram-se animais como as cabras da montanha, alces, marmotas (pequeno roedor), insectos (gafanhotos, borboletas, escaravelhos).

 
<a href=Sites de referência " id="pdf-obj-26-6" src="pdf-obj-26-6.jpg">
   

15.

o

 

Processo

 

Cada grupo da turma trabalhará um dos principais biomas da Europa. Clicando sobre as diferentes zonas do mapa, encontra a informação fundamental sobre cada um dos biomas.

Para cada Bioma, cada grupo terá de:

Para cada Bioma, cada grupo terá de:
  • 1. Indicar a sua localização

  • 2. Como chegar lá, partindo da sua localidade (que países vão ter de atravessar e que meio de transporte poderá ser utilizado).

  • 3. Descrever as principais características do Bioma (plantas e animais dominantes e condições ambientais)

  • 4. Através de um desenho, ilustrar, pelo menos, uma planta e um animal característicos

 
 

desse bioma.

 

5.

Fornecer uma pequena descrição da planta e do animal seleccionados. Nela, deverá constar o nome do animal e da planta e o respectivo lugar na cadeia alimenta. Deverá igualmente incluir informação acerca do respectivo habitat

A brochura pode ser realizada em Word e enviada, por mail, para

com o objectivo de ser

publicada na Internet.