Vous êtes sur la page 1sur 4

DIDÁTICA DA MATEMÁTICA/PROF ALZIR/PRIMEIRA AVALIAÇÃO/FIC

O MATERIAL CONCRETO NA SALA DE AULA COMO METODOLOGIA NO


ENSINO DA MATEMÁTICA.

A maioria dos materiais se adapta a vários conteúdos e objetivos e a turmas


de diferentes idades - da Educação Infantil ao final do Ensino Médio. Eles
despertam a curiosidade e estimulam a garotada a fazer perguntas, a descobrir
semelhanças e diferenças, a criar hipóteses e a chegar às próprias soluções - enfim,
a se aventurar pelo mundo da matemática de maneira leve e divertida.

É importante, no entanto, fazer um alerta: não basta abrir uma caixa cheia
de pecinhas coloridas e deixar os alunos quebrarem a cabeça sozinhos. Alguns
professores acreditam que o simples fato de usar o material concreto torna suas
aulas 'construtivistas' e que isso garante a aprendizagem. Muitas vezes o
estudante, além de não entender o conteúdo trabalhado, não compreende por que
o material está sendo usado. Ao levar o material concreto para a sala de aula, é
preciso planejar e se perguntar: ele vai ajudar a classe a avançar em determinado
conteúdo?

Mostramos em nossas aulas de Didática da Matemática o uso do ábaco no


ensino do sistema de numeração decimal, das quatro operações e de mudanças de
base numérica.

Faça as seguintes questões:

1 - Mostre, representando no ábaco, a adição 548 + 789.

2 - Mostre, representando no algoritmo da adição, o que foi construído no


ábaco ( referente a questão 1).

3- Mostre, representando no ábaco, a subtração 304 - 136.

4- Mostre, representando no algoritmo da subtração, o que foi construído no


ábaco (referente a questão 3).

5- Mostre, representando no ábaco, os procedimentos para a mudança do


numeral (13) 10 para (13) 2.

6- Mostre, representando no ábaco, os procedimentos para a mudança do


numeral (13) 2 para (13) 10.

6- Mostre, através de um algoritmo conhecido, os procedimentos para a


mudança de base de (13) 10 para (13) 2. Justifique o algoritmo com os
procedimentos do ábaco.
7- Mostre, através de um algoritmo conhecido, os procedimentos para a
mudança de base de (13) 2 para (13) 10. Justifique o algoritmo com os
procedimentos do ábaco.

8- Mostre, representando no ábaco, a adição (23341)5 + (34434)5 .

9- Mostre, usando outro procedimento, sem o ábaco, a adição (23341)5 +


(34434)5 .

10- Mostre, representando no ábaco, a divisão 6964 : 6.

11- Mostre, representando no algoritmo da divisão, o que foi construído no


ábaco (referente a questão 10).

A MATEMÁTICA COM SIGNIFICADO.

Um dos fatores que afasta o aluno da Matemática é o seu ensino sem


significado. Muitas vezes ensinamos Matemática sem justificar aquilo que
estamos ensinando.

Desta forma no nosso Curso mostramos como o estudo de frações


pode ser ensinado com significado.

Responda:

1- Represente geometricamente uma fração própria, imprópria e aparente.

2- Represente duas frações equivalentes de forma geométrica.

3- Mostre, geometricamente, a regra da soma de frações com o mesmo


denominador.

4- Justifique a razão de ao somarmos duas frações com denominadores


diferentes escrevê-las inicialmente com denominadores iguais para
depois somarmos. Mostre geometricamente.

5- Mostre, geometricamente, o produto de 2/3 x 3/2.

6- Mostre, geometricamente, a divisão 1/3 : 2.

2 1 2 2
7- Justifique a regra da divisão de frações: : = x .
3 2 3 1
A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS COMO METODOLOGIA NO ENSINO
DA MATEMÁTICA.

Estudos e pesquisas na área de Educação de Matemática vêm apontando


a resolução de problemas como um caminho metodológico para a
aprendizagem desta disciplina. Contudo, fazer acontecer esta orientação
implica em mudanças na concepção de ensino e aprendizagem de uma
forma mais ampla e da sua relação com a matemática.
Os Parâmetros Curriculares Nacionais – Matemática indicam que “no
processo de ensino e aprendizagem, conceitos, idéias e métodos devem ser
abordados mediante a exploração de problemas, ou seja, de situações em
que os alunos precisem desenvolver algum tipo de estratégia para resolvê
-las”. As orientações contidas nos PCN explicitam uma concepção de ensino
de Matemática, pautada na construção, significação e compreensão de
conceitos, em oposição ao trabalho diretivo, mecânico e descontextualizado
que ainda vem ocorrendo em muitas escolas.
Nas resoluções de problemas temos quatro etapas principais para a
resolução de problemas:
1- Compreender o problema;
2- Elaborar um plano;
3- Executar o plano;
4- Fazer o retrospecto ou verificação.

Compreender o problema:
a) O que se pede no problema?
b) Quais são os dados e as condições do problema?
c) É possível fazer uma figura, um esquema ou um diagrama?
d) È possível estimar a resposta?

Elaborar um plano:
a) Você lembra de um problema semelhante que pode ajudá-lo a
resolver este?
b) Tente organizar os dados em tabelas e gráficos.
c) Faça um modelo com dados menores. Crie outras situações na busca
de um raciocínio lógico.
d) Tente resolver por partes.

Executar o plano:
a) Execute o plano elaborado, verificando – o passo-a-passo.
b) Execute todas as estratégias pensadas, obtendo várias maneiras de
resolver o mesmo problema.

Fazer o retrospecto ou verificação:


a) Examine se a solução está correta.
b) Verifique se a resposta cabe no problema.
c) Existe outra maneira de resolver o problema?

Resolver o problema abaixo procurando fazer reflexões sobre as


etapas principais para a resolução de problemas.

Um jardim retangular tem 6 m de largura por 8m de comprimento.


Seu proprietário diminuirá o jardim, que passará a ter a metade da área
inicial. Em volta do jardim será construída uma calçada de largura x.
Qual é a largura x?