Vous êtes sur la page 1sur 5

Centro de Formação da Associação

Educativa para o Desenvolvimento da


Criatividade
Escola EB 2, 3 de Telheiras nº1

Relatório Individual de Reflexão Crítica


Sobre a actividade desenvolvida na acção de formação

“A internet no ensino - aprendizagem das


Artes Visuais”
P13L – Data da formação 30 de Outubro, 3, 6, 10, 13, 17, 20, 24, 27 de Novembro,
4 de Dezembro de 2008 das 18:30h às 21:00h (25 horas)

Formadores:
João Conde
Luís Ruivo
Formando: Ivo José
BrilhanteCardoso
Professor do QEND da Escola Secundária D. João II - Setúbal
Relatório da Acção de Formação
“A internet no ensino – aprendizagem das Artes Visuais”

ANO LECTIVO 2008/2009

Introdução

A utilização da Internet no processo ensino aprendizagem é uma mais-valia para o


ensino em Portugal. Além de ser vantajoso para o professor na preparação das suas aulas, é
também muito vantajoso para o aluno, desenvolvendo muitas outras competências, para
além das inerentes à simples memorização de conceitos e resolução de exercícios de
aplicação dos mesmos.
Ao aluno deverá ser dada oportunidade de desenvolver capacidades de pesquisa,
selecção e aplicação da informação, de utilização das tecnologias de informação e
comunicação, de trabalho em equipa, entre outras aptidões.

Motivação para a frequência nesta acção de formação

As razões que me levaram à inscrição numa acção de formação na área das novas
tecnologias de informação e comunicação - Internet estão relacionadas com o facto de
ainda não dominar com à vontade esta grande e vasta área, estando a mesma em constante
evolução e alteração. O facto de no projecto educativo de escola onde lecciono também ter
como objectivo dar relevo às iniciativas de aplicação práticas da utilização de novas
tecnologias nas actividades lectivas e não lectivas com os alunos foi também um reforço
positivo e motivador para agilizar a minha própria acção formativa.

Desenvolvimento das actividades realizadas nas sessões

Assim ao iniciarmos esta formação foi-nos incutido este espírito de inovação e


motivação.
Na primeira sessão efectuámos o preenchimento de documentos, foi-nos dado
conhecimento da calendarização da acção de formação, do guião pedagógico, da forma de

Formando: Ivo José Brilhante Cardoso


Página 2 de 5
Relatório da Acção de Formação
“A internet no ensino – aprendizagem das Artes Visuais”

avaliação e no final iniciámos uma breve abordagem à criação de um e-mail pessoal e


acedemos ao Moodle da Associação, ao blogue da formação e ao diário da formação.
Na segunda sessão realizou-se uma revisão das breves abordagens temáticas da
primeira sessão, procedeu-se à inscrição de cada formando na plataforma e-create, criação
de um e-mail no Gmail, formação dos grupos de trabalho, sendo o meu formado por mim,
Ivo Cardoso, professor de Educação Tecnológica, pela Maria João Belicha, Professora de
Educação Visual e Tecnológica e pela Dulce Silva, professora de Educação Visual. De
seguida, escolhemos o tema “Materiais” e os LO’s “ O Papel”, “Os Têxteis” e “A Madeira”,
passando de seguida à criação do blogue do grupo, http://formacaoaedc5.blogspot.com.
Procedemos também ao envios dos e-mails para a associação.
Durante a terceira sessão, foram realizadas pesquisas para colocar nos LO’s,
revisões das abordagens das temáticas da sessão anterior, actividades que não foram
concluídas na sessão anterior e introdução ao conceito de blogue e partilha.
Na quarta sessão analisámos estratégias de concepção de conteúdos educativos
digitais, conceitos de navegação na Internet e trabalhos de grupo, para além de revisões das
abordagens das temáticas das sessões anteriores.
No decorrer da quinta sessão foi nos dado conhecimento de programas que
permitem trabalhar as imagens, como o”picnik”, o “slide” e início da criação dos blogues
de grupo e individuais.
Na sexta sessão foi apresentada e em alguns casos exemplificado uma série de
ferramentas de apoio aos trabalhos (Tutoriais Movie Maker, WinXP SP2, GIMP, Audacity e
AnyVideoConverter, Gadwin). Foi também referido que para carregar os seguintes
programas ou informação de como fazê-lo se poderia ir ao centro de recursos da
Associação.
A sétima sessão foi dedicada à estruturação do Blogue de Grupo e dos LO’s e
pesquisa de recursos para a introdução nos mesmos.
Durante a oitava sessão foram-nos dadas informações referentes aos Tutorais sobre
Web Design Fundamentos, Scribd e AuthorStream, para a continuação da estruturação dos
trabalhos.
Na nona sessão procedemos à estruturação final dos trabalhos individuais e do
grupo e início da elaboração dos relatórios finais individuais.

Formando: Ivo José Brilhante Cardoso


Página 3 de 5
Relatório da Acção de Formação
“A internet no ensino – aprendizagem das Artes Visuais”

Conclusão

Esta acção ultrapassou todas as expectativas porque trouxe algo de novo. Quem não
trabalha na área das TIC corre o risco de ser “ultrapassado” se não procurar uma
actualização constante e neste momento, a melhor maneira de estar ao corrente de tudo o
que vai surgindo são as acções de formação.
Senti algumas dificuldades naquilo que desconhecia, mas rápida e oportunamente
foram sendo ultrapassadas com o apoio sempre constante dos formadores.
Quanto ao ritmo imposto acho que foi o adequado tendo em conta os conhecimentos
a adquirir e o tempo proposto pela acção, apesar de ser dada muita informação em pouco
tempo.
Procurei fazer trabalho presencial e autónomo, respeitando o meu ritmo e partindo à
descoberta, colocando dúvidas aos formadores.
Procurei estabelecer boas relações com os colegas e formadores, procurando
sempre obter um bom ambiente de trabalho, zelando pela conservação do material e
espaço escolar de formação.
Tentei sempre que me foi solicitado participar em todas as actividades
desenvolvidas e colaborei e apoiei os colegas em inter-ajuda.
Se por um lado o acto de partilha de informação promove atitudes positivas e
favoráveis a um bom relacionamento entre pares e a comunidade educativa, por outro
lado, por vezes é necessária a inexistência dessa mesma partilha, pois há coisas que só
devem ser partilhadas por grupos restritos ou de forma individual, pelo carácter da sua
própria informação e envolvimento pessoal. Nesse sentido penso que se ficou um pouco
aquém da aquisição dos conhecimentos que levassem à encriptação de conteúdos que se
pudessem colocar no referido blogue. Refiro ainda que pela natureza do trabalho
envolvido após o horário de formação, esta deveria funcionar como oficina de formação,
sendo atribuídos créditos ao trabalho não presencial.

Formando: Ivo José Brilhante Cardoso


Página 4 de 5
Relatório da Acção de Formação
“A internet no ensino – aprendizagem das Artes Visuais”

Quanto a possíveis futuras formações, sentir-me-ia motivado por aquelas que


envolvessem aquisição de conhecimentos técnico-pedagógicos nas áreas de: cerâmica,
cestaria, informática, desenho assistido por computador (actualização dos conhecimentos
de Autocad, flash e softwares de desenho).
Considero ter sido assíduo (estive presente em todas as sessões), procurando
sempre minimizar o prejuízo da actividade formativa.
Por tudo acima referido e pelo esforço que realizei para atingir os objectivos desta
formação considero que a minha avaliação nesta acção deverá corresponder à avaliação
máxima.

Setúbal, 4 de Dezembro de 2008


O formando

Ivo José Brilhante Cardoso

Formando: Ivo José Brilhante Cardoso


Página 5 de 5