Vous êtes sur la page 1sur 64

SER NOIVA DE CRISTO

Parte 1.

Introdução

Se você é um crente em Jesus nascido de novo, este possivelmente possa ser um dos estudos mais importantes, além da Bíblia naturalmente, que você pode cursar. Por que? Porque você ser tomado ou deixado para trás, no iminente arrebatamento da Noiva de Cristo, dependerá de como você responda às exortações contidas no presente estudo. Examinaremos aqui, grande porção das escrituras concernentes a “Ser Noiva”. É sabido que há um entendimento comum que, TODOS os que são nascidos de novo são parte da Noiva de Cristo. Temos acreditado nesta premissa por todo o ministério, mas recentemente, nestes últimos anos, O Senhor nos tem alertado em uma multidão de passagens bíblicas que parecem indicar que, ter apenas nascido de novo, não basta, nem qualifica ninguém para ser noiva. Como discorreremos mais tarde neste estudo, não estamos falando de salvação, ou sobre quem passará a eternidade com Jesus na Nova Jerusalém, mas sim sobre o papel e as recompensas de “Ser Noiva”. Encorajamos você a estudar as escrituras que serão compartilhadas com o coração aberto. Juntos iremos examinar passagens que falam sobre quem é a noiva e quem a noiva não é. Mas acima de tudo vamos buscar o que a Bíblia diz sobre como realmente “Ser Noiva”. Haverá um seleto grupo de crentes que serão tomados, arrebatados desta terra, quando o próprio noivo, Jesus, voltar para buscar Sua Noiva, muito breve!

O FUTURO DOS DEIXADOS PARA TRÁS

Os crentes que forem deixados para trás, se defrontarão com um período de grande tribulação sobre a Terra. Durante essa época de tribulação, satanás, agindo através do anti-Cristo, e mais tarde, através do falso profeta, trabalhará para consolidar um governo mundial, e simultaneamente derramará seu ódio sobre todos os crentes remanescentes no mundo todo. Além dessa perseguição, como discutiremos mais adiante, haverá uma grande colheita de almas, a “Colheita das Últimas Chuvas”, durante a tribulação abreviada. Ela será abreviada para o bem dos eleitos ―E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos escolhidos, serão abreviados aqueles dias.‖ (Mt.24:22), muitos dos quais entregarão suas vidas em martírio. Jesus abreviará sete meses dos sete anos de

tribulação, arrebatando os santos da tribulação, e então derramando Sua Ira, o Grande e Temível Dia do Senhor. Estaremos mencionando esta seqüência de eventos escatológicos por todo o nosso estudo.

PORQUE DESTE ESTUDO

Tendo estudado as profecias por mais de quinze anos, estamos bem a par de que existem muitos pontos de vista diferentes, e interpretações diferentes, quando falamos de profecias. Quando alguém examina os livros escatológicos à venda nas livrarias hoje em dia, pode acabar confuso, defrontado com o que parecem ser centenas de diferentes interpretações, das muitas posições escatológicas. Novas revelações parecem ser abundantes. Assim, você estará aqui sujeito a paradigmas, ou seja, pontos de vista, particulares e especiais, que sugerirão interpretações que, obviamente julgamos ser as mais corretas equilibradas, inspiradas e elucidativas sobre o assunto. Mesmo porque, se as asseverações deste estudo estiverem corretas, no que tange a nem todos os nascidos de novo serão arrebatados como Noiva de Cristo”, a perda dos que ignoram as exortações aqui contidas será imensa! Agora, se estivermos errados, e todos os crentes subirem neste arrebatamento, ainda assim, todos deverão comparecer diante do Bema de Cristo, ou “Tribunal de Cristo” (Rm.14:10 II Cor. 5:10). Dessa forma as admoestações sobre como “Ser Noiva”, nunca serão demasiadas, e produzirá os frutos que certamente serão de grande valia naquele tribunal! Este estudo em particular lidará primeiramente com a questão de Quem a Noiva é! E como nos asseguramos de ser parte deste seleto grupo de crentes! O objetivo principal não é concordar com todos os pontos de vista escatológicos, mas “Ser Noiva”, isso é tudo que importa. Seja você pré, médio ou pós-tribulacionista, a necessidade de entender como “Ser Noiva” não poderia ser mais enfatizada.

O TEMPO DE RETIRAR O SÊLO DA REVELAÇÃO

Tudo o que aqui está escrito sobre a seqüência de eventos no tempo do fim, poderá ou não ser confirmado em todos os detalhes, e de forma absoluta. I Co. 13:12 diz sobre nós: ―Porque, agora, vemos por espelho em enigma; mas, então, veremos face a face; agora, conheço em parte, mas, então, conhecerei como também sou conhecido‖. Mas, ao mesmo tempo Dn.12:4 diz: “E tu, Daniel, fecha estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e a ciência se multiplicará.‖

As palavras que devem ser seladas são as escrituras em Daniel que falam das coisas do fim. Diz ali que as revelações proféticas deveriam ser seladas ou fechadas ou então, “haveria apenas uma falta de

entendimento sobre as escrituras proféticas

até o tempo do fim”.

O restante da passagem descreve esse tempo como uma geração na qual:

muitos correrão de uma parte para outra, e o conhecimento aumentará‖. Certamente a geração em que vivemos tem visto, com o advento dos automóveis, aviões e trens, muita gente ―correndo de uma parte para outra‖. Mas de forma mais significativa ainda, nos últimos anos com a Internet ao toque de um botão, podemos acessar, volumes e mais volumes de informação, sobre qualquer assunto, bastando digitar uma palavra em um navegador, e certamente Com certeza, somos a geração que tem visto mais e maisconhecimento tem se multiplicadoalém do que qualquer um podia imaginar. A revelação vinda da Palavra Profética, agora destrancada e disponível aos que a buscam com um coração puro. Como mencionado, temos estudado profecia por mais de quinze anos, em centenas de livros e tapes, esmiuçando cada possível posição escatológica. Após esses anos todos de estudo, apesar de ainda restarem questões pendentes, nossa posição está firmada como pré-tribulacionista, que assevera: Toda a Igreja será tomada ou arrebatada em momentos

cruciais, antes da grande tribulação.

AS CHAVES PARA UM NOVO ENTENDIMENTO

Por volta de um ano e meio atrás, através das coisas que descobri usando

o recurso de um programa de computador da Bíblia, eu mudei meu

entendimento, que era imutável, sobre muitas posições a respeito do tempo do fim, para poder ficar em conformidade com o que verifiquei por toda a Escritura. E assim, não mais construí meus pontos de vista sobre porções tradicionalmente pré-tribulacionistas das escrituras, ignorando, ou apenas não estando a par, de tantas outras passagens que sugerem diferentes visões. O programa bíblico de computador que adquiri, me permitiu fazer coisas que expandiram radicalmente minha visão sobre quantos eventos do por vir se encaixam perfeitamente. A primeira coisa que o programa permite fazer é comparar passagens proféticas em diferentes livros da Bíblia. Isso me permitiu sobrepor as

várias camadas, que devem ser sobrepostas para se ter a arte final

revelada. Alinhar as diferentes passagens das escrituras, em livros diferentes da Bíblia, permite montar uma seqüência de eventos do por vir.

A segunda coisa que o programa de computador permite fazer para trazer

tanto entendimento sobre muitas passagens proféticas das escrituras, é a

capacidade de instantaneamente mostrar o significado de palavras do original Grego (N.T.) ou do Hebraico (V.T.). Freqüentemente nos estudos, há uma segunda palavra ou uma segunda definição de uma palavra original Hebraica ou Grega, não escolhida pelos tradutores, que traz revelações proféticas sobre um versículo específico e que permitem um melhor encaixe em conexão com outros versículos, o que tem se mostrado muito significante.

PROFECIAS COM DUPLA REFERÊNCIA

Uma última coisa que contribui para grande iluminação, que o Senhor me deu nos últimos meses, é que muitas passagens das Escrituras tem mais de uma aplicação. Podemos extrair essa verdade de Jó 11:6 que diz:

―e te fizesse saber os segredos da sabedoria, que é multíplice em eficácia‖ Em inglês se diz: ―Double to that which is‖, ou seja, ―é de significado dobrado‖.

Há segredos da sabedoria nas Escrituras. Frequentemente há uma segunda aplicação profética, complementar à aplicação direta do contexto do versículo. Haverá muitas ilustrações sobre isso neste estudo.

O PRINCIPAL OBJETIVO DESTE ESTUDO

Se este for o seu primeiro estudo sobre esta matéria, talvez você fique imaginando qual é exatamente a minha posição escatológica, para que você possa descartar o estudo, se essa posição não bater com a que você sustenta hoje. Resista ao impulso de pré-julgamentos sobre se estamos certos ou errados, sem primeiro verdadeiramente estudar o conteúdo completo do que aqui apresentaremos. Como já disse, o objetivo maior não é trazê-lo a uma concordância exata entre posições escatológicas, o objetivo maior é: exortar todos os Crentes, a despeito de sua crença em quando tudo irá ocorrer, mas, estar pronto e participante do que mais importa:”Ser Noiva”!

Tendo dito isto, você verá que eu ainda sustento uma posição pré- tribulacionista. Apesar de agora acreditar que, as Escrituras nos dão evidências irrefutáveis que apenas parte da Igreja que se qualifica como Noiva, participará do breve acontecimento do arrebatamento que precede a tribulação. Eu também creio que as Escrituras indicam que há um segundo arrebatamento, para os que forem deixados para trás e para todos os que decidirão seguir ao Senhor durante a tribulação.

VISLUMBRANDO TODO O QUADRO

O estudo sobre as coisas do fim através dos anos, tem sido como montar um quebra cabeças de 1000 peças, sem o benefício de poder enxergar o quadro final que aparece na caixa como um guia de montagem.

O povo do arrebatamento pré-tribulacionista, tem enxergado muitas

escrituras que, quando juntadas, indicam claramente o arrebatamento acontecendo, antes da tribulação começar. Olhando esses versículos bíblicos, eles se encaixam tão bem, que esse povo assumiu que estava olhando todo o quadro. Sob esse mesmo

conceito, também achamos o povo do arrebatamento pós-tribulacionista e o povo do arrebatamento pré-ira, estes enxergam diversas passagens que parecem encaixar tão bem, que eles assumem estar vendo todo o quadro.

A realidade é que todos têm observado parte do quadro, mas, não

contemplam o quadro completo que a Bíblia pinta. Muitos não conseguem ver a floresta, por trás das árvores. Eles têm sido ensinados que: ou é de um jeito, ou do outro! Eles não têm uma vista aérea da floresta toda. De certa forma, os que são pré-tribulacionistas, pós-tribulacionistas ou pré-ira, estão todos certos. Estou convencido pelas escrituras de toda a Bíblia, que haverá um arrebatamento pré-tribulação da Noiva e um segundo arrebatamento dos santos da tribulação no dia do Senhor, que se encaixa nas outras duas posições. O segundo arrebatamento será ambos:

pós-tribulação, acontecendo na tribulação que será abreviada (Mt. 24:22), e ao mesmo tempo esta pode ser entendida como pré-ira, evacuando os restantes da Igreja, antes de cair a ira de Deus sobre a Terra.

LER COM O CORAÇÃO ABERTO

Mesmo que você discorde com algo que será lido, guarde isso em um cantinho da sua mente e continue lendo. Alcançar a total unidade na doutrina escatológica, não é o alvo deste estudo. O propósito solene deste estudo é revelar ao crente a vital importância de se ter um senso de destino, de mudança de prioridades e de tornar-se íntimo de Jesus enquanto há tempo, antes que Ele retorne para Sua Noiva. Participe com um coração aberto. Examine cada versículo com cuidado. Traremos em destaque o texto bíblico, para seu enfoque acurado, no que está escrito na Palavra de Deus. Há tanta coisa em jogo, que torna imperativa a sua compreensão e aplicação, dos ensinamentos aqui apresentados. Seja um Bereano. Em Atos 17:11 diz que os crentes que viviam em Berea ―Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom

grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.‖ Essa é a atitude correta de um discípulo maduro, de um ancião, “Da Noiva”.

Parte 2.

QUEM É A NOIVA

A primeira coisa a ser discutida é: quem é a Noiva? A maioria das pessoas crê que todo aquele que é nascido de novo, em breve será arrebatado e que nesse dia se tornará Noiva de Cristo. Nós vamos abordar esse entendimento comum em seguida, mas antes, vamos atentar para um pensamento menor sobre quem a Noiva de Cristo é.

SERIA A NOIVA UMA CIDADE

Há os que ensinam que a Noiva de Cristo na verdade não é nenhum crente nascido de novo, mas é sim uma cidade celestial, a Nova Jerusalém. Se você olhar para apenas uma passagem das Escrituras, dá pra entender como alguém pode chegar a essa conclusão. Ap.21:9-10 claramente diz:

E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro. E levou-me em espírito a um grande e alto monte e mostrou-me a grande cidade, a Santa Jerusalém, que de Deus descia do céu.‖

Esta passagem parece indicar que a Noiva que João viu era realmente uma cidade. Mas quando olhamos para Ap.3:12, fica claro que a Igreja de Filadélfia, composta por vencedores e um tipo de todas as Igrejas descritas nos capítulos 2 e 3 e que definitivamente se poderia chamar de Noiva, também é chamada segundo o Nome de Deus, e da cidade de Deus: de “A Nova Jerusalém”. ―A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus ‖ Então, ao que parece, esse grupo de vencedores, que é a Noiva, é chamado pelo nome do lugar onde irão viver, a “Nova Jerusalém”. Esta cidade celestial é uma parte do paraíso, e descerá até a Terra no fim da tribulação, antes do reinado milenar de Cristo. Note também que a Noiva terá sobre si o nome do Noivo, Jesus, pois esse nome será escrito sobre eles na celebração das bodas.

A ROCHA VIVE SOBRE A ROCHA

É interessante notar que o termo “a Rocha”, um nome que por vezes se refere a Jesus, é, em algumas passagens, uma referência à habitação de Jesus, a Nova Jerusalém. Por exemplo: o relacionamento íntimo que O Senhor tem com Seus amados aparece em Cantares de Salomão 2:13-14, referindo-se ao arrebatamento da Noiva para um lugar onde habita o Noivo chamado de “Rochas Escarpadas”.

―A figueira começou a dar seus figos, e as vides em flor exalam o seu aroma; levanta-te, querida minha, formosa minha e vem.(arrebatamento) Pomba minha, que andas pelas(ou dentro das) fendas(hebraico:

―chagav‖ significa refúgio) dos penhascos, no esconderijo das rochas(hebraico: ―cela‖ significa fortificação ou fortaleza, que é o que a Nova Jerusalém será apos o arrebatamento) escarpadas (Como a escada de Jacó que leva ao céu), mostra-me o rosto, faze-me ouvir a tua voz, porque a tua voz é doce, e o teu rosto, amável.A Rocha é outro nome para a Nova Jerusalém, que é o destino de todo aquele que for arrebatado. Desta forma, assim como “a Rocha”, se refere a ambos, Jesus e o lugar onde Ele habita, “A Nova Jerusalém”, se refere à Noiva de Cristo e também ao lugar onde ela irá habitar.

UMA COMPARAÇÃO ENTRE DOIS CASAMENTOS

Em Efésios cap. 5, há uma comparação entre um noivo ou marido terreno, e Jesus e de uma noiva ou esposa terrena, e a Noiva de Cristo celestial. O segredo ou mistério sobre a identidade da futura Noiva de Cristo é revelada no versículo 32. ―Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja ( grego: ekklesia inglês: called out, ou seja:

os que saíram para a assembléia).‖ A Noiva é especificamente “retirada para fora” da Terra, para ir com o Senhor para a Nova Jerusalém conforme as palavras que Jesus falou, gravadas em Ap. 4:1 ―Depois destas coisas, olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu, como também a primeira voz que ouvi, como de trombeta ao falar comigo, dizendo: Sobe para aqui, e te mostrarei o que deve acontecer depois destas coisas‖. ―Sobe para aqui‖, isto é o que Jesus declarará no momento do arrebatamento.

A VIRGEM PURA QUE É DESPOSADA

Para que fique ainda mais claro que a Noiva, não é apenas uma cidade celestial, mas sim um grupo específico de crentes, examinemos em II Co.11:2 ―Porque zelo por vós com zelo de Deus; visto que vos tenho preparado para vos apresentar como virgem pura a um só esposo, que é Cristo.‖ Deus Pai está falando aqui para um grupo específico de crentes que estão prometidos ou desposados com Cristo que será seu marido. Esse grupo não é descrito apenas como virgem, todo crente é chamado “virgem”. A palavra virgem no grego é: “parthenos”, que significa “filha não

casada”. Todos os nascidos de novo são adotados na família de Deus como filhos e filhas. Até este ponto todos são virgens não casadas. Mas este versículo fala de um tipo específico de virgem, ou crente não casado, que será escolhido para ser Noiva de Cristo. Esse tipo de virgem, destinada a ser esposa de Jesus, é um crente puro ou casto. Isto nos leva à premissa mais importante deste estudo, nem todos os da família de Deus ou Corpo de Cristo serão parte da Noiva de Cristo.

A NOIVA DO PRIMEIRO ADÃO

Existe um tipo ou uma sombra no livro de Gênesis que creio fundamentar a premissa que nem todos que estão no Corpo de Cristo, farão parte da Noiva, quando Cristo vier. Esse tipo, ou sombra, não é uma prova definitiva dessa premissa. Entretanto, combinada com uma abundância de Escrituras que analisaremos neste estudo, eu creio que você será capaz de perceber porque é tão importante você focar em “Ser Noiva”. No livro de Gênesis, nós vemos como o primeiro casamento, envolvendo o primeiro Adão, é sombra do casamento celestial do segundo Adão, Jesus. Quando Deus criou a primeira noiva para Adão, Ele primeiro o colocou para dormir. Ele então criou a Eva, sua noiva, tirando-a de dentro do seu corpo. Hoje, praticamente todos no Corpo de Cristo, como o corpo do primeiro Adão, estão dormindo. Eles não se dão conta do quão breve Jesus virá para Sua Noiva. Quando o segundo Adão vier, como na primeira vez, a Noiva será retirada de dentro de todo o Corpo de Cristo, pelo arrebatamento das primícias.

Nos itens 3 e 4 de nosso estudo, daremos uma olhada na divisão entre o grupo de crentes que constitui a Noiva de Cristo, e aquele que serão deixados, para enfrentar a tribulação que virá sobre toda a Terra. Estes dois grupos recebem nomes diferentes, em partes diferentes da Palavra de Deus. Iremos examinar alguns desses nomes e as características de ambos os grupos. No próximo item, vamos analisar os crentes que são chamados de “sábios”, e os crentes que são chamados “estultos” ou néscios.

PARTE 3.

OS SÁBIOS E OS TOLOS

Na última parte de nosso estudo, nós nos referimos a uma passagem em II Co. 11 que identificava o grupo de crentes que deve desposar a Jesus, chamados castos, ou virgens puras. Em nossa cultura, nós pensamos na palavra “virgem” como sendo, sexualmente puro. Entretanto, como vimos na Bíblia a palavra grega para “virgem”, significa apenas “filha não casada”. Uma virgem na Bíblia pode ou não ser casta ou pura. Todos os que são nascidos de novo, na família de Deus, se tornam virgens, filhos e filhas de Deus. Mas nem todos são virgens castas. Como veremos agora na parábola que Jesus compartilha em Mateus 25, existem duas categorias de virgens, que

constituem a família de Deus: as estultas e as sábias. Apesar de serem todas, parte do Corpo de Cristo, elas têm destinos bem diferentes.

Mt.25:1 ―Então, o Reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo.‖

Note que todas as dez virgens tinham lâmpadas, para iluminar seu caminho nas trevas. Salmo 119:105 diz: Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho.‖ Não apenas todos os indivíduos são virgens, indentificando-os como parte da família de Deus, mas todos também tinham lâmpadas, A Palavra de Deus, a qual, se usada, traria iluminação. Desta forma, fica claro que estamos falando de crentes nessa parábola.

ALGUMAS VIRGENS SÃO SÁBIAS E ALGUMAS TOLAS

―E cinco delas eram prudentes, e cinco, loucas.‖ O que torna alguns desses crentes sábios, e outros loucos ou tolos? ―As loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo.” “Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas.” Muito simples, os crentes sábios, levavam azeite com eles, onde quer que fossem, mas os tolos não. O que isso significa? Óleo é um tipo do Espírito Santo. O Espírito Santo faz com que a sua lâmpada, a Palavra de Deus, te ilumine enquanto você lê. Este óleo, O Espírito Santo, faz com que sua vida se incendeie e brilhe intensamente, de forma que todos os que te cercam podem ver: Jesus, A LUZ, nas suas ações e palavras. Muita gente pensa que isto fala do grupo que foi batizado no Espírito Santo, e fala línguas estranhas. Não creio que seja assim. Por toda a Bíblia, somos exortados a andar continuamente no Espírito. Ef.5:18 é imperativo e, nos comanda, lendo no original grego: ―ser cheio e continuar sendo enchido com o Espírito‖. Somente porque você fala em língua estranha, não significa que você está continuamente sendo cheio do Espírito ou andando no Espírito. Tendo dito isto, quero deixar claro que, receber o batismo no Espírito Santo, e falar uma linguagem de oração celestial que Deus te dá, é muito importante. Isso te habilita a falar uma língua do espírito para Espírito com O Senhor e certamente aumentará seu grau de intimidade com Ele. Quanto mais você conversa com alguém, e o escuta falar, mais íntimo você se torna com esse.

OS QUE TEM ÓLEO TEM INTIMIDADE COM DEUS

Creio que a questão toda sobre ter óleo em sua lâmpada, nada mais é do que ser íntimo do Senhor. Pense nisso! Se você é cheio do Espírito, a Palavra será iluminada ou revelada a você, e assim Jesus, que é a Palavra, será revelado a você, “A Palavra (Jesus) falará contigo!” Assim você se manterá continuamente orando em Espírito. Judas 1:20 diz: Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo.

A Noiva, as virgens sábias, com óleo em suas lâmpadas, estão orando

continuamente no Espírito Santo.

Quando você foi cheio, e continua a ser cheio com o óleo do Santo Espírito, você estará CONVERSANDO CONTINUAMENTE COM CRISTO, orando no Espírito. É tão importante quanto, você também estará CONSTANTEMENTE OUVINDO A CRISTO, desde que você coloque óleo na sua lâmpada, lendo e meditando na Palavra, dia e noite.

O resultado é: verdadeira intimidade com Jesus. Como qualquer um que

está procurando alguém com quem casar, Jesus procura uma Noiva que

Ele realmente conheça na intimidade, e não alguém que seja somente mais um conhecido.

TODAS AS VIRGENS DORMIRAM

Vamos dar uma olhada no versículo 5 desta parábola de Mateus 25:

―E, tardando o noivo, foram todas tomadas de sono e adormeceram.‖ Note que no tempo em que Jesus vem buscar sua Noiva, ambas as virgens, sábias e tolas estão adormecidas, estão dormindo! 2Pe.3:3-4 diz: Tendo em conta, antes de tudo, que, nos últimos dias, virão escarnecedores com os seus escárnios, andando segundo as

Muitos desses escarnecedores, que não andam no Espírito, mas em seus próprios desejos, SÃO VIRGENS TOLAS, crentes que pararam de esperar no Senhor e de vigiar até a volta do Senhor, o Noivo. Eles ouviram pessoas ensinar erroneamente sobre a volta de Jesus em 1988, 1992, 1998 e 2000. Ouvindo outra vez que Jesus está às portas voltando para Sua Noiva, lembram dos que diziam “olha o lobo”, e refutam a idéia de que Ele está realmente prestes a vir novamente. Em Ef.5:14-15 somos exortados: Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios.

próprias paixões e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda?

Perceba que depois de sermos chamados a acordar, há uma referência a ressurreição, que acompanha o arrebatamento. O resultado de nosso despertar, e que nos tornamos sábios, e nos será esclarecido, ou seja, receberemos iluminação sobre a Palavra, bem como sobre a proximidade da hora do Seu retorno. Em outras palavras, quando despertamos, percebendo quão pouco tempo resta e passando a realmente amar a Cristo, guardando os Seus mandamentos, andando de sobre-aviso, nossas lâmpadas serão cheias de óleo, emanando luz, nos fazendo ser virgens sábias, que Jesus conhece intimamente.

HAVERÁ ALGUM AVISO

Os próximos versículos parecem indicar que possivelmente haverá um aviso, justo antes de Jesus voltar para resgatar a Noiva.

Mt.25:6-10 : Mas, à meia-noite, ouviu-se um grito: Eis o noivo! Saí ao seu encontro! Então, se levantaram todas aquelas virgens e prepararam as suas lâmpadas. E as néscias disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas estão-se apagando. Mas as prudentes responderam: Não, para que não nos falte a nós e a vós outras! Ide, antes, aos que o vendem e comprai-o. E, saindo elas para comprar, chegou o noivo, e as que estavam apercebidas entraram com ele para as bodas; e fechou-se a porta.‖ Note que há um grito de aviso de que o noivo está vindo, anterior à sua chegada. Creio haver evidências que indicam que os que se mantiverem vigilantes, eventualmente saberão à hora do arrebatamento justo antes dele acontecer. Noé recebeu revelação progressiva, que o guiou para saber o dia exato que ele seria erguido da terra, na arca, justo antes de acontecer. Da mesma forma, creio que a Bíblia ensina que os que estiverem na igreja vigiando, receberão progressivamente a revelação sobre a hora do arrebatamento, justo antes de acontecer. E como fica a passagem que diz, “Nenhum homem sabe o dia e a hora”? Você sabia que existe uma outra passagem na Bíblia que diz: Lembra- te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei.‖ Ap.3:3.

Na passagem de Mateus não se fala sobre as virgens sábias serem conhecedoras do dia exato de Seu retorno, apesar de que, por causa da intimidade com o Noivo, essa informação poderá muito bem ser

compartilhada entre eles: Noivo & Noiva. O que é certo, é que foram alertados imediatamente antes de serem arrebatados, que o noivo estava muito, muito perto!

PREPARANDO O PAVIO OU MECHA

Estes versículos falam que, no espaço de tempo entre o grito de alerta, e o aparecimento de Jesus para Sua Noiva, a primeira coisa que ocorre é que TODAS AS VIRGENS acordaram e passaram a “preparar suas lâmpadas”. Vivendo numa cidade grande a vida inteira, eu não tinha idéia do que “preparar a lâmpada” significava. Então eu consultei um amigo que vivia no campo, e que ainda tem muitas lâmpadas que ocasionalmente são usadas. Eles me disseram que quando você chacoalha o pavio, duas coisas ocorrem: Primeiro, a fumaça é eliminada, e segundo, a chama queima mais intensamente, mais brilhante. Enquanto meditava sobre a aplicação disso na parábola das dez virgens, de repente me ocorreu: O pavio ou a mecha representa “o mundo, e nossos desejos carnais”, os quais quando não são continuamente chacoalhados e sacudidos para fora de nossas vidas, faz com que andemos poluídos e nossas luzes enfraquecidas. Sabendo que o noivo estava chegando, ambas chacoalharam seus pavios, mas com uma diferença: as virgens tolas não tinham óleo para sustentar a chama, e as sábias sim, o tinham. Em outras palavras, as virgens tolas, apesar de terem chacoalhado seus pavios, cortando as influências do mundo, não tinham um relacionamento íntimo com Jesus, que é resultado de serem continuamente cheias do Espírito Santo. Então, como resultado, suas tentativas “repentinas”, de tentar agir em retidão, era apenas uma obra da carne, não uma santidade que jorra de um andar no Espírito. Santidade, ou a qualidade da Noiva, de ser sem mácula nem ruga. Ef.5:27, é um reflexo do caráter do Espírito de Deus em nossas vidas, quando desenvolvemos intimidade com Cristo. Não é o nosso esforço, usando nossas habilidades, para fazer boas obras e evitar pecar. As virgens tolas, no último minuto, tentaram se livrar da poluição do mundo em suas vidas, evitando pecar, e realizando atos de retidão. Mas, porque ainda não andavam no Espírito, mesmo tendo um dia recebido óleo nas lâmpadas, seus esforços não podiam manifestar a paixão flamejante que Jesus quer que Sua Noiva manifeste por Ele. Porque as virgens sábias continuamente chacoalhavam seus pavios, tirando o mundo de suas vidas, de forma habitual, pelo convencimento do Espírito de Deus, suas chamas ardiam brilhantemente e estavam prontas quando Jesus retornou.

UM LAPSO ENTRE O GRITO E O ARREBATAMENTO

Note também, que houve um espaço de tempo entre o grito de aviso, ―Eis o Noivo, saí ao seu encontro‖ e o tempo em que realmente o Noivo Jesus, chegou. De fato, nesta passagem diz que depois de tentar comprar óleo das virgens sábias, as virgens tolas tiveram tempo de ir ao mercado em busca de óleo. Analogicamente, em Ap.18, os de Laodicéia, os quais veremos mais tarde, são uma figura das virgens tolas deixadas para trás, são exortados a ir ―comprar ouro refinado no fogo‖, ―e vestes brancas‖. As vestes brancas representam as “vestes de justiça”, que estas virgens tolas deveriam obter para serem arrebatadas. O fogo refinador da tribulação a que estes de Laodicéia, as virgens tolas serão submetidos, os motivará e os incendiará, com as chamas da paixão pelo Senhor. O calor do fogo pelo qual passarão durante a tribulação, os refinará de toda impureza, os purificará, e os qualificará para juntarem-se à Noiva (não como Noiva), para o tribunal de Cristo, e a Ceia das Bodas do Cordeiro, imediatamente antes que a ira do Senhor seja derramada sobre a Terra. Portanto, o fato das virgens terem ido ao mercado para comprar óleo, por um período de tempo depois do aviso e antes da chegada de Jesus, nos mostra que há um pré-anúncio da chegada de Jesus. Se isto nos permite concluir que haveria algum tipo de aviso prévio para todos os crentes pouco tempo antes do arrebatamento da Noiva, isso eu não tenho certeza. Se esta parábola nos dá detalhes do que acontecerá antes de Jesus voltar para buscar Sua Noiva, esse aviso prévio mencionado, poderia ser os planos de reconstrução do Templo de Jerusalém ou talvez o anúncio de uma aliança de paz confirmada entre Israel e Árabes, que iniciaria junto com o período de tribulação. O ponto nevrálgico nesta parábola é que, se você não desenvolveu um relacionamento de intimidade com Jesus, antes deste grito de anúncio ser ouvido, VOCÊ NÃO SERÁ ARREBATADO COMO NOIVA DE CRISTO QUANDO ELE CHEGAR PARA BUSCAR A NOIVA!

A PORTA SE FECHA

A última parte do versículo 10 se refere à Noiva como, “aqueles que estavam preparados.‖E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta.‖ Ap.19:7 diz Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória, porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou.‖

Se nós não nos aprontarmos, não nos prepararmos, fazendo o que é necessário para “Ser a Noiva”, nos acharemos na condição de virgens tolas, fora do arrebatamento e lançados para enfrentar a tribulação. Já mencionamos que frequentemente quando a palavra “porta” é usada, está associada com o arrebatamento. Neste verso, quando é dito “e fechou-se a porta”, o primeiro arrebatamento da Noiva terminou e a porta ou a entrada para a Nova Jerusalém, naquele momento está fechada.

O CLAMOR DAS VIRGENS ESTULTAS

A resposta das virgens tolas, depois de perceberem que ficaram para trás, é de agonia! Mt.25:11-12 ―E, depois, chegaram também as outras virgens, dizendo:

Senhor, Senhor, abre-nos a porta! E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço.‖ Notem que estas virgens se referem a Jesus como Senhor, mostrando mais uma vez, que eram crentes. I Co.12:3 Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema! E ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo.‖ Mas obviamente, há uma enorme diferença entre chamar Jesus como Senhor, e Ele realmente ser o Senhor de suas vidas. A resposta de Jesus a elas é: “Não vos conheço”. Ele não está dizendo que estas virgens tolas nunca nasceram de novo, mas que elas não tinham intimidade com Ele. Em outras palavras, Ele estava dizendo, “Eu não os considerei minha Noiva porque vocês nunca realmente Me conheceram, não tinham intimidade comigo!Existem muitas passagens diferentes na Palavra de Deus sobre esses indivíduos que o chamam “Senhor, Senhor”. Cada passagem nos dá informação adicional na verificação de quem são esses a quem Jesus se dirige e, porque foram deixados para trás.

CRENTES OU NÃO CRENTES

Porque numa dessas passagens diz que Jesus não os “conhecia”, e noutra passagem esse grupo é chamado de “os que praticam a iniquidade”, muitos assumiram que Jesus estava falando de incrédulos. O fato de que em outra passagem dizer que eles se “afastaram dEle”, e que também, “haveria choro e ranger de dentes”, tem levado muitos a entender que Jesus estava banindo esses incrédulos para o inferno. Mas será que os versos ao redor dessas frases dão margem a essas conclusões? Nós já atentamos para uma dessas passagens, Mt.25:1-12, mencionando aqueles que não “O conheciam”. Em nosso estudo vimos claramente que,

o grupo que protestava com as palavras “Senhor, Senhor”, eram definitivamente crentes. Vimos que eram virgens (filhas não casadas), com lâmpadas ( Palavra de Deus) que ficaram sem óleo (não eram cheias do Espírito Santo e íntimos de Jesus). Será que essas outras passagens concordam que esses deixados para trás eram crentes?

OS TOLOS QUE MINISTRAM

Outra passagem que se refere àqueles que “Não o conhecem” está em

Mt.7:22-23:

Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.Aqueles que protestavam dizendo “Senhor, Senhor” nesta passagem, são indivíduos que tinham: “profetizado em Seu nome”, “expulsado demônios”, e ainda, feito muitos milagres”. Estes obviamente estiveram envolvidos no ministério em algum momento de suas vidas. Rm.11:29 diz: Porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis.‖ Em outras palavras, uma vez que Deus o tenha chamado para o ministério, os dons do Espírito Santo continuarão operando mesmo se você se desviar do caminho. Isto fica evidenciado em muitos ministérios que contem escândalos em seu meio, e continuam vendo pessoas curadas e libertas ali. Mas o ponto é que esses indivíduos foram chamados para o ministério e eram crentes, mesmo que em dado momento, tenham se tornado desobedientes à Palavra de Deus. Note que a passagem diz que “expulsamos demônios”. Os incrédulos tem ao diabo como pai e ele, o diabo não está interessado em expulsar seus próprios lacaios de dentro das pessoas. Em Mt.12:24 quando Jesus é acusado de expulsar demônios pelo poder de belzebu, o príncipe dos demônios, Ele responde nos versículos 25 e 26 dizendo:

―Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá. Se Satanás expele a Satanás, dividido está contra si mesmo; como, pois, subsistirá o seu reino?

Então, parece que o fato de mencionar que esses indivíduos tinham “expulsado demônios”, indica que eles devem ter nascido de novo em suas vidas. Outra passagem identificando aqueles que clamavam “Senhor, Senhor” quando se deram conta de que haviam sido deixados para trás no arrebatamento da Noiva, também parece identificá-los como crentes. Em Lc.13:26-27 diz: Então, direis: Comíamos e bebíamos na tua presença, e ensinavas em nossas ruas. Mas ele vos dirá: Não sei donde vós sois; apartai-vos de mim, vós todos os que praticais iniqüidades.‖ Em outras palavras, parece que eles, “comiam e bebiam em Sua presença”, quando tomavam a comunhão, e “ensinavas em nossas ruas”, quando estavam compartilhando Palavra de Deus com outros. Parece referir-se a crentes.

A RESPOSTA DE JESUS AOS SEUS PROTESTOS

Vamos dar uma olhada na resposta de Jesus aos protestos deles em diferentes situações que retratam a rejeição quando Jesus chega para buscar a Noiva. Mt.7:23 “Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai- vos de mim, os que praticais a iniqüidade.‖ Mt.25:12 “Mas ele respondeu: Em verdade vos digo que não vos conheço.‖ Lc.13:27 “Mas ele vos dirá: Não sei donde vós sois; apartai-vos de mim, vós todos os que praticais iniqüidades.‖ Duas das passagens dizem que Jesus não os conhecia. Nós já mencionamos que isto significa que Jesus não os conhecia na intimidade, “como Noiva”. Não significa que esses indivíduos nunca nasceram de novo! Mesmo no natural, se você nasce em uma família, mas fica separado dos demais por um longo período, acaba sem intimidade com os demais. Mesmo que você tenha nascido de novo, na família de Deus, se você permanece separado de Jesus, em seus pecados por um longo período, a intimidade com Ele é perdida. Jesus está voltando para uma Noiva totalmente apaixonada por Ele, em corpo, alma e espírito. É interessante que em Gênesis, quando diz que Adão conheceu a Eva, estava falando de união sexual, que é a forma de união para os casais, que os torna um, corpo, alma e espírito. Para nós sermos Sua Noiva, devemos comungar constantemente com Ele, orando de espírito para Espírito. Orando no Espírito, é como O amamos em espírito. Nós O amamos com nosso corpo, colocando a Palavra de Deus em ação. Amamos Jesus com nossa alma, mantendo nossa mente

focada nEle. Nossas ações e pensamentos serão transformados quando nos forçarmos a conhecê-lo mais e mais! Em Lc.13 Jesus se refere à hipocrisia daqueles que Ele rejeita duplamente dizendo: “Não sei donde vós sois‖, em grego Ele está dizendo, “não sei o estado de vocês”, em outras palavras, “vocês dizem que eu sou Senhor, mas o estado em que vocês se encontram não é compatível com essas palavras. Vocês me chamam Senhor, mas não conseguem provar isso me obedecendo”. Porque eram desobedientes, sofreram as conseqüências.

O DESTINO DOS TOLOS

Nestas passagens paralelas, tratando dos que foram deixados quando do retorno do Noivo para Sua Noiva, o destino destas “virgens tolas”, é bastante trágico. Jesus lhes assevera: “apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade”. Em grego, a palavra para iniqüidade, “adikia”, pode ser traduzida também como “injustiça”. Se você está andando em desobediência a Jesus, você não está sendo lavado pela água da Palavra, e o resultado é injustiça. Estes injustos, desobedientes, virgens tolas, são lançados para longe ou postos à parte, de estar com Jesus quando vier para Sua Noiva. O arrebatamento separa as sábias, que são a Noiva, para irem com Jesus, das tolas que ficam para atravessar o fogo da tribulação.

LÁGRIMAS DE ARREPENDIMENTO E REMORSO

O versículo de Lc.13:28 mostra a situação amarga dos que ficaram. Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes, no reino de Deus, Abraão, Isaque, Jacó e todos os profetas, mas vós, lançados fora.‖ Quando esses crentes pensarem em tudo o que perderam depois de perceberem que ficaram, e quando pensarem nos horrores da tribulação, que eles sabem que terão que enfrentar, eles chorarão, lamentarão e rangerão os dentes. A frase quando virdes, no reino de Deus, Abraão, Isaque, Jacó e todos os profetas‖, identifica o arrebatamento da Noiva que guardou a fé. Em Hb.11, o capítulo que lista os que participam na “galeria da fé”, inclui Abraão, Isaque e Jacó, como sendo cheios de fé, uma das características da Noiva. O versículo 10 diz que estes patriarcas pela fé: ―porque aguardavam a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador.‖

Essa cidade, chamada a Nova Jerusalém, em Ap. 21:9-10, é o destino da Noiva no arrebatamento. Portanto, naquele tempo, antes do começo da tribulação, a Noiva estará “dentro” do Reino celestial, e aqueles chamados tolos, estarão fora, ou como o texto grego: eles serão mandados embora para enfrentar o anti- Cristo.

OS CONSTRUTORES SÁBIOS, E OS TOLOS

É bastante interessante que estes dois grupos chamados “virgens sábias e tolas” de Mateus 25, também são assim chamados “sábios e tolos” em Mateus 7, que trata de um construtor de uma casa. Os versículos que seguem imediatamente à passagem dos que são rejeitados por Jesus enquanto protestam “Senhor, Senhor”, mais uma vez trata de uma diferença principal entre “Sábios e Tolos”. Mas nesta parábola compartilhada por Jesus, estão exemplificados por construtores. Mt. 7:24-27 “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.

Esta parábola reitera uma verdade que já observamos. Ambos, os sábios e os tolos, ouvem a Palavra de Deus, mas apenas os sábios são praticantes do que Deus lhes diz. Tg. 2:20 diz que fé sem obras, ou sem atos correspondentes, é morta! Os tolos, que não tem obras correspondentes à Palavra que ouviram, não permanecem cheios de fé, como os sábios, mas sua fé é considerada morta ou inoperante, quando Jesus voltar para Sua Noiva. Note que para os sábios é indicado que construam sua casa, ou sua vida, sobre a Rocha. A palavra Rocha na Bíblia se refere a Jesus, e à Palavra de Deus, e também à Nova Jerusalém. Os participantes da Noiva verdadeiramente constroem suas vidas, alicerçados em Jesus, continuamente alimentados pela Palavra de Deus. E sua casa, o lugar preparado só para ele (Jo.14:1) morar, será a Rocha, a Nova Jerusalém. Por outro lado, os tolos como está escrito, constroem suas casas ou suas vidas, na areia. Areia é o exemplo máximo de instabilidade, do sistema

mundial que seduz os crentes tolos. Esse sistema mundial é verdadeira “areia movediça”, que os engole antes que acordem ou despertem. Infelizmente, será necessário que estes tolos sejam deixados para trás para então despertarem. GLÓRIA E VERGONHA

Há um versículo em Pv.3 que sumariza o destino destes dois grupos.

Os sábios herdarão honra, mas os loucos tomam sobre si a ignomínia.

A gloriosa Noiva e os sábios receberão glória e honra, após o

arrebatamento e o tribunal de Cristo.

Os tolos tomarão sobre si, ou como o autor de Hebreus diz: receberão

ou lhes sobrevirá, vergonha e desonra, no tribunal de Cristo. Os santos da tribulação, não terão a honra que a Noiva terá, mas estarão sim na Nova Jerusalém.

PARTE 4:

OS MAIORES E OS MENORES

Os dois grupos denominados sábios e tolos, nas Escrituras que examinamos até aqui, também são referidos como, “os maiores e os menores entre meus irmãos”, em outras passagens das Escrituras. A definição de quem é “maior”, e quem é “menor”, é dada em Mt. 5:19. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.Em outras palavras, a definição dos que são chamados “maiores” e “menores”, é a mesma definição dada para “sábios” e “tolos”. Ambos, os chamados “sábios” ou “maiores” obedecem os mandamentos de Deus praticando a Palavra, qualificando-se como Noiva. E da mesma forma ambos, “tolos” ou “menores” não obedecem os mandamentos, estando mais preocupados com o mundo do que com a Palavra. Este segundo grupo chamado, “os menores entre os irmãos”, são mencionados em Mateus 25 na discussão sobre o julgamento das Nações.

OS MENORES ENTRE OS IRMÃOS

O julgamento das Nações, indubitavelmente será a atitude final de

despejo, ou desapropriação dos fracos da terra, em preparação para nosso

reinado com Cristo durante o milênio.

A Ira de Deus que será derramada no Dia do Senhor, a subseqüente

batalha do Armagedom, e o Julgamento da Nações, sãos os três estágios finais do processo de despejo, necessário para limpar a casa ( o mundo ),

para nosso reinado. Em Mt. 25:31-46, fala do Julgamento da Nações que ocorrerá depois do retorno de Jesus, fisicamente, na segunda vinda, para governar e reinar com todos os santos. Mt. 25:31 “Quando vier o Filho do Homem na Sua majestade e todos os santos anjos com Ele, então, se assentará no trono da sua glória;‖ Quando Jesus voltar para instaurar Seu Reino, Ele estará acompanhado dos santos anjos, como lemos neste versículo. Mas, a palavra anjo no grego pode ser traduzida por mensageiro, e pode se referir também a todos os crentes que compõem a Igreja, tanto a Noiva, quanto os santos

da tribulação, que estarão com Jesus, como sugerem diversas Escrituras,

para instaurar o Reino e Seu Trono na terra, junto com Ele.

virá o Senhor, meu Deus e todos os santos, com

Zc. 14:5 diz Ele.”

É nesse momento que o Senhor julgará do Seu Trono, todos os que

sobreviveram à ira de Deus derramada.

então,

Mt. 25:32-34 “E todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas;

e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda; então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.‖ Aqui é muito pertinente entendermos o critério que Jesus usa para determinar quem é do Seu rebanho, permitindo que eles continuem vivos em seus corpos mortais, e entrem no reino milenar do Messias, e os que são chamados cabras, destinados a serem lançados no lago de fogo.

O que Jesus procura no povo que lhes daria o direito de entrar no Seu

recém instaurado Reino, está descrito nos versículos 35 a 40. Mt. 25:35-40 Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me

destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes; estava nu, e me

vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me. Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes Meus pequeninos irmãos, a Mim o fizestes.‖ Quem são os chamados “pequeninos (menores) irmãos”? Estes são as virgens tolas que serão deixados quando do arrebatamento da Noiva e passarão pela tribulação.

Durante parte da tribulação, esses santos não conseguirão comprar ou vender, pois rejeitaram a marca da besta. Aqueles do mundo, que não sendo crentes, e não tendo se deixado marcar pela besta, mas sendo solidários para com esses santos na tribulação, provendo comida, e vestimenta, e visitando-os na prisão, receberão recompensa. Pois ministrando a esses irmãos, “os menores (pequeninos) dentre os irmãos”, estarão ministrando ao próprio Jesus.

É sabido que muitos corretamente usam essa passagem em exortação aos

irmãos da Igreja, para servirem ou ministrarem aos pobres e excluídos na

sociedade. Mas dentro do contexto, esta passagem se refere a um grupo de crentes chamados “menores” dentre “os irmãos de Jesus”, que aqui são ministrados, ou ajudados, durante o período de tempo que antecede o julgamento das nações.

Nesse tempo, se verá os santos da tribulação sendo perseguidos, fugindo,

e passando necessidades e carentes de auxílio, será um tempo que

deverão atravessar, antes de eventualmente serem arrebatados no Dia do Senhor. Deus monitorará os incrédulos que cuidarem dos santos da tribulação nessa época. Apesar desses incrédulos nunca terem recebido a Jesus como Senhor durante a tribulação, qualificando-se para ganhar um corpo ressurreto e para juntar-se a Igreja no arrebatamento final, eles mostraram misericórdia. Por causa de seu serviço em favor dos “menores dentre os irmãos”, eles serão autorizados a continuar em seus corpos mortais vivendo durante o milênio. Para esse grupo, em corpos mortais, e todos os descendentes deles, e suas gerações, será dada uma nova chance, ao final do milênio, para serem provados (quando satanás for solto) e para confirmarem sua lealdade a Jesus.

OS MAIORES NO REINO

A Palavra diz que os grandes no Reino, devem ser servos.

Mt.23:11 nos diz assim: “Mas o maior dentre vós será vosso servo.‖

A palavra grega para servo, diakonos, não significa apenas alguém que serve a outro de forma prática, mas também significa alguém que ministra ou ensina. Exatamente como Jesus O Noivo, foi servo, ministrando e ensinando a todos que encontrava, assim também Sua Noiva estará focada nas necessidades dos outros, em lugar das suas próprias. Um coração humilde e quebrantado é pré-requisito para ser considerado “maior”, um membro da Noiva de Cristo. A importância da humildade pode ser verificada neste próximo versículo:

Mt. 23:12 “Quem a si mesmo se exaltar será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar será exaltado.‖ Aqueles que exaltam a si mesmos em lugar de Jesus, falhando em fazer dEle Senhor, serão humilhados. A palavra grega, tapeinoo, também pode ser traduzida: “abatido”. Os que não serão alçados no ar com a Noiva, serão abatidos por terra, emocionalmente e fisicamente, pois permanecerão no planeta para a tribulação. A segunda parte do versículo diz que os humildes, o que descreve a Noiva, serão exaltados, a palavra grega para exaltados, hupsoo, também poderia ser traduzida: “elevados”. A Noiva, andando em humildade como serva, praticando a Palavra, cumprindo sua comissão, e ministrando como lhe tem sido mandado, será literalmente, fisicamente, “elevada”, para o encontro de Jesus nos ares! Isso nos indica uma nova parte do estudo, em capítulos do Novo Testamento, que muito claramente indica que haverá um desses grupos de crentes que perderá as Bodas, mas não perderá a festa das Bodas do Cordeiro.

PARTE 5:

PERDENDO AS BODAS

Existem raras passagens das Escrituras que se reportam ao grupo de crentes que são exortados depois de obviamente terem sido deixados para trás, quando do arrebatamento da Noiva. Esses em particular, claramente irão perder as Bodas, mas não a ceia (festa) das Bodas do Cordeiro. Vimos anteriormente que os crentes que não participaram no primeiro arrebatamento foram chamados de “virgens tolas” e também “os menores dos meus irmãos”. Assim, não deve ser surpresa que esse grupo de crentes seja chamado por Jesus, no capítulo 12 de Lucas de “pequeno rebanho”.

O PEQUENO REBANHO

No versículo 32 de Lucas 12, esse grupo de crentes que Jesus chama de “pequeno rebanho”, ouve que não devem ter medo. Fé e medo não podem coexistir. Portanto se eles não tiverem medo e forem cheios de fé, eles estarão prontos desta vez, no último arrebatamento. É interessante que a palavra “pequeno” no grego é mikros, que também pode ser traduzido menor ou mínimo. Rebanho no grego é a palavra “poimnion” que pode ser traduzido “grupo de crentes”. Assim, o grupo de crentes desse capítulo, são os que já foram chamados de “pequeninos” ou “o menor dos meus irmãos”. Há uma passagem em João 10 que fala de dois rebanhos. O versículo 4 descreve o primeiro rebanho como os que “O seguem pois conhecem Sua voz”. Isso claramente descreve a Noiva, “sábia e maior”, que tanto é intima de Jesus, reconhecendo Sua voz, quanto pratica a Palavra em obediência.

O segundo rebanho, “o pequeno” ou “o menor”, é descrito no versículo

16:

Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor.Estas outras ovelhas são de outro aprisco, além do aprisco descrito no verso 4 cujas ovelhas “ouvem a Sua voz” e “O seguem”. Note também que diz que essas outras ovelhas, “tolas ou menores”, ouvirão (futuro) a Sua voz, implicando que essas no presente, não O estão ouvindo. Durante a tribulação serão despertadas, e passarão então a ouví- LO. Então ao final da tribulação que foi abreviada, “a Mim Me convém conduzi-las”, para a Nova Jerusalém via outro arrebatamento. Lá, nós todos habitaremos como “um rebanho”, uma igreja completa, o Corpo de Cristo inteiro, junto para sempre.

LIBERANDO PODER DE PROCRIAÇÃO

Voltando ao capítulo 12 de Lucas, o grupo de crentes chamado “pequeno rebanho”, “os menores dos meus irmãos”, recebem uma exortação no versículo 35 para:―Estejam cingidos os vossos lombos.A definição da frase “cingir os lombos”, do dicionário Webster é “preparar para ação”. Olhando para as palavras gregas, que são mais exatas, nós descobrimos em que tipo de ação esse grupo deve se envolver. A palavra “lombos” em grego “osphus” significa “poder procriativo”. A palavra grega para “cingir” é “perizonnumi”, que significa “por todo lado”. Portanto a ação em que devem se envolver é demonstrar poder de procriação para todo lado. Em outras palavras, o poder do Espírito Santo de reproduzir, de propagar a vida de Deus, será canalizado através dos santos da tribulação, para o povo que vive no mundo inteiro. Essa exortação parece consistente com o grande empenho evangelístico que ocorrerá através dos santos da tribulação. Mais adiante veremos evidências nas escrituras sobre o maior ajuntamento de almas da história, chamada “A colheita das últimas chuvas”, acontecerá nesse período da tribulação.

A LUZ DOS MENORES QUEIMA BRILHANTE

Para os santos da tribulação, também chamados “virgens tolas”, ou “os menores dos Meus irmãos”, é dada outra exortação no versículo 35 de

Lucas 12:―

e

acesas, as vossas candeias.

Anteriormente vimos que em Mateus 25, as virgens tolas estavam inicialmente dormindo, e suas lâmpadas não queimavam brilhantes quando da chegado do noivo. Entretanto, eventualmente acordaram e prepararam suas lâmpadas para queimar intensamente, depois de terem ido ao mercado comprar óleo. Então essa exortação é dada para essas “virgens tolas”, para continuarem a deixar que a luz de Jesus brilhe neles, em meio e um mundo sombrio que os acercará naqueles dias de tribulação.

QUEM SÃO OS HOMENS QUE ESPERAM

No versículo 36, o grupo que é exortado a “cingir os lombos” e “acender as candeias”, é descrito como homens que esperam o seu Senhor. Lc. 12:36 “E sede vós semelhantes aos homens que esperam o seu Senhor, quando houver de voltar das Bodas, para que, quando vier e bater, logo possam abrir-Lhe.‖ Note que esse grupo está esperando o retorno de seu Senhor DEPOIS DAS BODAS JÁ TEREM ACONTECIDO. Em outras palavras, eles perderam as bodas, o casamento! Claramente Jesus está se dirigindo aos santos da tribulação, também chamados “virgens tolas”, “os menores entres meus irmãos” e “pequeno rebanho”. Note também que, quando Jesus retorna para esses, em um segundo arrebatamento, Ele virá e “baterá”. Como veremos mais adiante, uma das igrejas de Apocalipse 3 que também se refere a esses santos da tribulação, é a Igreja de Laodicéia. Da mesma forma que as “virgens tolas” foram incentivadas a ir comprar óleo, os de Laodicéia foram incentivados a “comprar ouro refinado no fogo (da tribulação)”. Ap. 3:20 se refere a Jesus retornando para esses santos da tribulação ao dizer: ―Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo.‖ Esse versículo freqüentemente é usado referindo-se à salvação de um incrédulo que abre a porta de seu coração, no verdadeiro contexto quero crer, se refere a crentes que, por sua desobediência, foram lançados na tribulação. Para ouvir a voz do Senhor, você deve estar se dispondo a ouvir. Esses de Laodicéia, virgens tolas, não eram do rebanho que ouvia a voz do seu Pastor, na primeira vez que ele veio para Sua Noiva. Mas agora, eles têem uma segunda chance, Jesus bate para ver quem, entre os santos da tribulação pode agora ouvir e entrar pela “porta”, para a Nova Jerusalém, onde uma ceia muito especial os aguarda, a “Ceia das Bodas do Cordeiro”.

Nosso estudo tem mostrado que a palavra “porta”, também traduzível do grego como “portal”, frequentemente se refere ao arrebatamento dos santos através de um portal espiritual para o céu. Esse portal é mencionado em Apocalipse 4:1 como o portal que a Noiva passa para ir

ao céu, quando ouve a voz dizer “sobe até aqui”. Evidentemente, de acordo com o versículo, Jesus bate nesta mesma porta, chamando também os santos da tribulação. Note a menção a cear com Jesus.

É uma clara referencia à Ceia das Bodas, com toda a Igreja, tanto a

Noiva, quanto os santos da tribulação, estarão ali no Dia do Senhor.

A RECOMPENSA DA CEIA DAS BODAS

Dessa forma, não é nenhuma surpresa que, logo após Lucas 12:36, haja uma referência aos que perderam as bodas, e consequentemente o Senhor bate novamente à porta, para então no próximo versículo fazer menção da Ceia das Bodas do Cordeiro:

Lc.12:37 “Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa, e, chegando-se, os servirá.‖ Depois de exortar esses crentes, que não vigiaram na primeira vez quando Jesus vem buscar a Noiva, para que vigiem desta vez, Ele fala da Ceia, e que Ele mesmo os fará sentar à mesa e os servirá, todos os que guardaram a fé.

DOIS GRUPOS DE VIGILANTES BENDITOS

O próximo versículo faz menção de duas vigílias nas quais, Jesus pode

vir, para os diferentes grupos que temos estudado.

Lc. 12:38 ―E, se vier na segunda vigília e se vier na terceira vigília e os achar assim, bem-aventurados são os tais servos.‖ Na primeira vinda de Jesus, quando nasceu em Belém, alguns poucos vigiavam a sua vinda. Lc. 19:44 diz que Seu povo “não conheceram o tempo de Sua visitação”.

A segunda vigília se refere ao tempo vindouro, em que Jesus virá para

Sua Noiva. Só estes (a Noiva) estarão vigiando.

A terceira vigília, então, corresponderá a vinda de Jesus para os santos

da tribulação, pois ao final da tribulação, as “virgens tolas” finalmente

despertarão e estarão vigilantes.

A razão de se mencionar que bem aventurados aqueles que estiverem

vigilantes quando Ele vier na segunda e na terceira vigília, que serão recompensados de alguma forma, que lhes corresponda.

Os componentes da Noiva, que serão arrebatados na segunda vigília, receberão a recompensa de se casar com Jesus, governando e reinando com Ele, escapando tanto da tribulação, quanto do derramar da ira de Deus. As “virgens tolas”, os santos da tribulação, depois de arrebatados serão recompensados, sendo parte da igreja com um corpo imortal, um corpo ressurreto, vivendo com a Noiva na Nova Jerusalém. Esses santos da tribulação não escapam das pressões da tribulação, mas escapam do horror de todos os horrores, que virá sobre toda a Terra: “A Ira de Deus”. Os que estiverem vigiando em ambas as vigílias serão abençoados, mas os membros da Noiva, arrebatados primeiro, serão de longe, os mais abençoados!

Nós continuaremos estudando esses dois grupos, que são exemplificados

nas características das diferentes igrejas mencionadas em Apocalipse 2 e

3.

Mas antes disso, veremos as exortações para todos os crentes que estão presentes em todas as mensagens de Jesus a cada uma das sete igrejas. Essa mensagem que é repetidamente enfatizada será, nosso próximo ponto a ser estudado.

PARTE 6

A NOIVA É UMA VENCEDORA

Na próxima parte de nosso estudo, examinaremos as 7 igrejas mencionadas em Apocalipse 2 e 3, que retratam atitudes e características de diferentes crentes que compõem a igreja universal. Todas as 7 igrejas são constituídas de crentes nascidos de novo, mas como veremos em breve, nem todas essas igrejas farão parte da noiva. Nós iremos dar uma breve olhada em todas as igrejas, focando nas últimas duas, que especialmente tipificam os dois grupos contrastantes:

os “sábios” e os “tolos”, os “grandes” e os “pequenos”, os que estão destinados a ser “Noiva” e os que entrarão para a tribulação. Mas antes disso, vamos dar uma boa olhada nas exortações que são repetidamente dadas, e que indicam quão sérios são esses dois capítulos para os crentes.

OUÇAM

Toda vez que Jesus se reporta a uma dessas 7 igrejas, elas recebem uma exortação muito importante. De fato, a mesma exortação é repetida 7 vezes, uma vez para cada uma dessas igrejas. Toda vez que uma Escritura é repetida duas vezes, isso nos diz que, o que está sendo dito, é enfatizado por ser muito importante. Se uma exortação é repetida 7 vezes, você deve desconfiar que é MUITO, MAS MUITO IMPORTANTE!!! Com essa exortação Deus quer chamar a atenção de todos na igreja! A mesma exortação pode ser lida em Ap. 2: 7,11,17 e em Ap. 3: 6,13,22 e diz:

―Aquele que tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz as igrejas‖. Os comentários feitos para cada uma das 7 igrejas, está endereçado a crentes que tem ouvidos espirituais, para ouvir o que o Espírito Santo de Deus está dizendo. Parafraseando, estes versículos estão dizendo a todos os nascidos de novo: “Ouçam, Eu estou falando de uma verdade de grande importância”.

Por que é tão importante para os crentes saber o que Jesus está dizendo a todas da igreja? Porque cada tipo de crente, representado por uma dessas igrejas, terá seu futuro imediato, e até o seu destino eterno, determinados por sua disposição em “ouvir” e fazer o que Jesus está repetidamente dizendo nestes dois capítulos.

O que é que Jesus está exortando todos os nascidos de novo a praticar, e

que é tão importante? Ele está dizendo a todos os crentes para que se tornem “vencedores”, nesta vida. Tal exortação não é dada duas ou três vezes, mas sete vezes. É muito importante! Você não pode “Ser Noiva”, sem se tornar um vencedor.

SÓ OS VENCEDORES PODEM ENTRAR

Cada uma das 7 referências a vencedores tem uma promessa anexada a ela. Algumas dessas promessas se aplicam apenas a Noiva. Outras se aplicam a ambos, a Noiva e aos santos da tribulação, que finalmente aprendem que eles também devem tornar-se vencedores para entrar na

Nova Jerusalém. Assim, todos os crentes se tornarão vencedores, cedo ou tarde. Eu me lembro de um antigo comercial dos filtros FRAM. A idéia era de que, se você não pagar um pouquinho por um filtro Fram agora e apenas trocar o óleo do carro, daqui a pouco você poderá ter que pagar muito, por um motor novo. Se você não pagar o preço para se tornar um vencedor e se qualificar para ser arrebatado como Noiva, você terá que pagar mais tarde, um altíssimo preço para se tornar um vencedor durante

a tribulação, quando perseguição e adversidade, serão intensificadas como nunca antes.

E o preço a pagar, por esses que não ouvirem e não pagarem o preço

agora, não será somente dos horrores da tribulação, mas também a perda

do papel de Noiva, e suas recompensas e privilégios.

PROMESSAS PARA OS VENCEDORES

Vamos então, dar uma olhada nas promessas dadas aos que vencerem, e

se isso se aplica a ambos, “Noiva” e “Santos da Tribulação”, ou apenas a “Noiva”.

A primeira promessa se dá em Ap. 2:7:

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.‖

Esta promessa de comer da árvore da vida se aplica a ambos, “Noiva” e “Santos da Tribulação”, que serão arrebatados antes do “Dia do Senhor”, pois ambos estarão no paraíso, compartilhando a imortalidade e a vida eterna.

A próxima promessa está em Ap. 2:11:

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O vencedor de nenhum modo sofrerá o dano da segunda morte.‖ Esta promessa também se aplica a ambos, que serão poupados de estar separado de Deus pela eternidade, no lago de fogo. Esta é a segunda morte, referida nesse versículo.

A terceira promessa está em Ap. 2:17:

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe.” Esta terceira promessa, aparentemente pode ser aplicada a ambos também. A referencia a comer do maná escondido, creio ser uma referencia a ter a revelação da Palavra de Deus aumentada ou aperfeiçoada, o alimento espiritual ou maná, que ambos os grupos receberão. Nos tempos bíblicos, uma pessoa acusada e condenada, depois de ter pago a pena ou a dívida, depois de ter sua situação regularizada, “não saía do SPC ou do SERASA”, mas recebia uma pedrinha branca. Ambos, “Noiva” e “Santos da tribulação”, serão feitos justos, e suas dívidas estarão pagas, pelo sangue de Jesus. Evidentemente, para ambos será dado um novo nome, quando entrarem na Nova Jerusalém.

A quarta promessa está em Ap. 2:26-27, Ao vencedor, que guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as nações e com cetro de ferro as regerá e as reduzirá a pedaços como se fossem objetos de barro;‖ Esta promessa é para o vencedor que, guardar as obras ou praticar a Palavra, até o fim de um período específico de tempo. “Fim” no grego pode ser traduzido, “a conclusão de um ato ou estado”. Isso pode ser entendido como o arrebatamento da Noiva, que encerraria nosso estado de mortalidade. O que nos sugere que isso se aplicaria apenas a Noiva é a promessa em si. Ela fala desses vencedores regendo com cetro de ferro sobre as nações. Por outro lado, os Santos da tribulação, são vistos em Ap. 7:14-15 como tendo um outro papel todos juntos:

―Respondi-lhe: meu Senhor, Tu o sabes. Ele, então, me disse: São estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras e as

alvejaram no Sangue do Cordeiro, razão por que se acham diante do Trono de Deus e O servem de dia e de noite no Seu Santuário; e aquEle que se assenta no Trono estenderá sobre eles o Seu Tabernáculo.‖ No lugar de reger, estes que serão arrebatados no “Dia do Senhor”, estarão servindo no santuário de Deus.

A quinta promessa para os vencedores está em Ap. 3:5:

O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de Meu Pai e diante dos Seus anjos.‖ Isto parece se referir a ambos, que venceram como “Noiva” e como “Santos da Tribulação”, ambos tem o nome escrito no Livro da Vida e ambos estão vestidos com vestiduras brancas. A única diferença é que a Noiva tem suas vestimentas brancas já no arrebatamento e os santos da tribulação terão que lavar suas vestes no sangue de Jesus, para torná-las brancas conforme Ap.7:14.

A sexta promessa para os vencedores aparece em Ap. 3:12:

―Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no Santuário do Meu Deus, e daí jamais sairá; gravarei também sobre ele o nome do Meu Deus, o nome da cidade do Meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte do Meu Deus e o Meu novo nome.‖ Esta promessa só se aplica aos vencedores que compõem a Noiva,

porque a eles é dado “o nome da cidade do Meu Deus, a Nova Jerusalém”

e Ap. 21:9 claramente diz que a Nova Jerusalém, é a esposa do Cordeiro,

a Noiva de Cristo.

A sétima e última promessa para os vencedores está em Ap. 3:21:

Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no Meu trono, assim como também Eu venci e Me sentei com Meu Pai no Seu Trono.‖ Um trono é um lugar de onde um Rei rege e governa. Já que a cena no céu é mostrada logo após o primeiro arrebatamento em Ap. 5:10, onde lemos que a Noiva será feita “reis e sacerdotes” e “reinará (grego “epi”, sobre, por cima de) sobre a terra”, fica evidenciado que esta promessa atinge diretamente a Noiva vencedora. Como já havíamos mencionado a cena no céu, após o segundo arrebatamento, mostrada em Ap. 7, revela os santos da tribulação não reinando de um trono, mas servindo no santuário.

OS VENCEDORES PELA FÉ

Agora que estudamos e identificamos os prêmios que Deus reserva para

o Seu povo vencedor, devemos nos perguntar: como fazemos para

vencer?” De acordo com 1Jo. 5:4, tudo vem de exercitar a fé ou praticar a Palavra

de Deus.

―Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.‖ Portanto, não importam as provações, tentações, ou problemas que venhamos a enfrentar, será apenas por permanecer perto de Jesus, amando e obedecendo o que Ele tem dito em Sua Palavra que andaremos em vitória como vencedores. Fé não é algo que usamos para manipular a Deus, mas como resultado de nosso relacionamento íntimo com Ele, é um reflexo de a cada dia, nos tornarmos mais parecidos com Ele. Jesus é O Deus de fé. Quando Ele foi confrontado pelo diabo, Ele falou e agiu pela Palavra de Deus. Ele falou às tempestades que o assolaram e prevaleceu. Jesus quer que falemos às tempestades e montanhas em nossas vidas também. Ele regozija quando vencemos as adversidades que a vida nos trás. Na verdade, Hebreus 11:6 diz que: “sem fé é impossível agradar a Deus” ou “fazê-lo regozijar”. Portanto, não é surpresa que Jesus procure por fé em Sua Noiva, antes de mais nada. Ele nos manda que sejamos cheios de fé, não com altos e baixos, mas como a Palavra enfatiza quatro vezes: “vivendo pela fé”.

SATANÁS ATACA NOSSA FÉ

Satanás tem muitas estratégias para nos manter longe da fé em nossas vidas. Algumas vezes ele tem sucesso em nos fazer desistir diante de alguns pecados. Outras vezes ele consegue nos distrair, de forma que mesmo nada fazendo de tão maligno, não vivemos focados em Jesus como deveríamos e nossa intimidade com Ele não se desenvolve. A próxima batalha para destruir sua vida, do ponto de vista do diabo, é evitar que você se torne Noiva. Um ministério eficaz flui da intimidade com Jesus e se está faltando isso em sua vida, então sua influência sobre outras vidas no Reino de Deus será minimizada.

PARTE 7

AS SETE IGREJAS

A mensagem às sete igrejas tem sua aplicação às igrejas históricas mencionadas nos dois capítulos de Apocalipse, mas também, são alertas para todos os que estão na igreja nos dias de hoje. Como já vimos, Apocalipse está escrito de um ponto de vista no qual o arrebatamento da Noiva de Cristo está às portas. A frase “o tempo está próximo”, é vista no começo de Apocalipse cap.1 e em Apocalipse 22. Em Ap. 1:19, João está recebendo e dando instruções: Escreve, pois, as coisas que viste, e as que são, e as que hão de acontecer depois destas.‖ As mensagens às sete igrejas no cap. 2 e 3, que João está dando a cada

uma, são dadas antes do arrebatamento da Noiva do cap.4, do qual ele (João) faz parte e que é o ponto principal de todo o livro de Apocalipse. Estas mensagens são “as coisas que João viu”, no passado. João é autorizado a ir adiante no tempo e presenciar o arrebatamento da Noiva e então relatar a cena subseqüente no céu, a qual está próxima, tempo

Os capítulos restantes de Apocalipse dão

detalhes do período de tribulação, dos eventos do “Dia do Senhor”, da “Segunda vinda” e do “Milênio”, “as coisas que hão de ser depois destas”. Isso fica claro em Ap. 4:1, ―Depois destas (passado) coisas, olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu, como também a primeira voz que ouvi, como de trombeta ao falar comigo, dizendo: Sobe para aqui (presente) e te mostrarei o que deve acontecer depois destas coisas.‖ (futuro). “Depois destas coisas”, refere-se às mensagens às sete igrejas que acabaram de ser dadas por João, nos versículos imediatamente antes do arrebatamento que está descrito em Ap. 4:1. Note que o arrebatamento se inicia com a voz de Jesus dizendo: “Sobe para aqui” ou “para este lugar”, como uma trombeta e está no tempo presente. Esta descrição do arrebatamento e, a cena no céu descrita no cap. 4 nitidamente, se referem, às “coisas que são”.

presente, “as coisas que são

”.

Depois, João é levado adiante, no continuum do tempo e presencia o arrebatamento da Noiva e lhe é mostrado as diversas coisas que se seguem, até mesmo no tempo final do milênio, que ele relata nos capítulos restantes de Apocalipse. Claramente, esses acontecimentos do tempo em que a tribulação será abreviada, e do arrebatamento dos santos da tribulação, e da ira de Deus que se seguirá, e ainda o estabelecimento do Reino milenar, são o que Apocalipse chama de “as coisas que hão de ser.”

A IMPORTÂNCIA DAS MENSAGENS

Por que essas mensagens são tão importantes? Porque essas passagens mostram fraquezas de muitos na igreja, que os excluirá de serem parte da Noiva de Cristo, quando Ele vier. Esses avisos ou alertas que são dados e as lições que podemos aprender das sete igrejas, são as últimas coisas escritas antes do arrebatamento da Noiva ser descrito no cap.4. Por isso, como vimos antes, as exortações para “ouvirmos com atenção o que está sendo dito”, são dadas sete vezes! Eu te encorajo, enquanto olhamos as atitudes e ações dessas sete igrejas, a examinar seu coração e verificar se há nele algo que está sendo dito aqui e que poderia distanciá-lo de ser parte da Noiva de Cristo.

A IGREJA EM ÉFESO

Na maior parte das mensagens às sete igrejas, Jesus menciona coisas que Ele mandou e que foram obedecidas. Jesus inicia Sua mensagem a Éfeso de forma muito encorajadora. Ap. 2:2-3 ―Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são e os achaste mentirosos e tens perseverança e suportaste provas por causa do Meu Nome e não te deixaste esmorecer.‖ Não há duvida que esses crentes fizeram boas obras e evidentemente tinham o fruto da paciência em suas vidas, não toleravam indivíduos que eram malignos. Estas qualidades são todas louváveis, mas:

Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor.‖ Apesar das coisas positivas, deixar o primeiro amor (Jesus), os desqualificaria para fazer parte da Noiva.

O AMOR DE TODA UMA VIDA DEIXADO PARA TRÁS

O que significaria deixar o primeiro amor? Você que é casado, lembra de

quando você era noivo de seu cônjuge? Quando você pensava no seu (sua) amado(a) constantemente? Quando você não podia esperar pelo momento de estar outra vez com ele(a). Ficava absolutamente atento a tudo que lhe dizia. Você deixava os seus afazeres para o servir e agradar. Jesus deseja nada menos que isso, naqueles que serão sua Noiva. Jesus não virá nesse primeiro arrebatamento, para aqueles que tratam seu relacionamento com Ele como “um encontro casual”. Muitos hoje em dia, têm perdido aquela paixão por Jesus, que tinham quando nasceram de novo! Com certeza eles vão à igreja, oram pelas refeições e até fazem uma breve oração quando vão dormir. Mas eles não estão comungando com Jesus ao longo de cada dia, como Ele almeja que façam. Perderam a intimidade, deixaram seu primeiro amor.

LEMBRE-SE E SE ARREPENDA

A resposta do Senhor a estes é muito encorajadora:

Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras e se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.‖ Eles são instruídos a primeiramente relembrar do tempo em que encontraram ao Senhor e o amavam tanto que fariam qualquer coisa por Ele. Naquele tempo, eles sempre queriam ler a Palavra de Deus e falar com Ele. Em todo lugar que iam, queriam falar a todos sobre o que Ele tinha feito e de quanto eles O amavam. Outra vez são instruídos a se arrepender ou voltar a pratica das primeiras obras. As primeiras obras são as ações que originalmente tinham, que construía um relacionamento íntimo com Jesus.

CARAS CONSEQUÊNCIAS

As conseqüências de deixar o seu primeiro amor são severas. No versículo 5, a referência à sua vinda “rapidamente”(original) , é uma referência ao arrebatamento, que será uma completa surpresa para esses que estão embrulhados com suas próprias vidas. Diz então que Jesus removerá o candeeiro deles do lugar, ou seja, eles perderão o lugar.

Em Jo. 14:3 diz: E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também.‖ O lugar citado aqui, não fala apenas do lugar onde os arrebatados irão morar, a Nova Jerusalém, mas do lugar que terão em Cristo, como Noiva, regendo e governando com Ele. Que perda trágica para os que não derem atenção a estas admoestações.

A IGREJA EM ESMIRNA

Esta é uma, das apenas duas igrejas, em que Jesus não menciona nenhuma condenação. A igreja em Esmirna é uma figura dos cristãos martirizados ao redor do mundo, que são perseguidos e mesmo torturados por causa de sua fé. Jesus os reconhece no cap. 2 versículo 9 dizendo:

Conheço a tua tribulação, a tua pobreza (mas tu és rico) e a blasfêmia dos que a si mesmos se declaram judeus e não são, sendo antes, sinagoga de satanás.” E no versículo 10 eles são incentivados:

Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte e dar-te-ei a coroa da vida.‖ Note que sofrer por Jesus não é o que os faz ser parte da Noiva, mas ser fiel ou ser cheio de fé é o que conta! A recompensa de sua fidelidade é que receberão a Coroa da Vida. Tg.1:12 diz: Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação, porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam.‖ Este versículo diz que a Coroa da Vida será dos que, com sucesso, passam pelas adversidades e amam (ágape) incondicionalmente a Jesus. Isso soa como vindo da Noiva, dessa forma creio que podemos concluir com segurança que, aqueles que forem como os crentes de Esmirna, e permanecerem fiéis, mesmo em meio a grandes pressões, esses serão parte da Noiva de Cristo.

A IGREJA DE PÉRGAMO

Aos crentes de Pérgamo também são dadas palavras de reconhecimento:

Ap. 2:13 “Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de satanás e que conservas o Meu Nome e não negaste a Minha fé, ainda

nos dias de Antipas, Minha testemunha, Meu fiel, o qual foi morto entre vós, onde satanás habita.‖

O DUPLO DESPREZO

Mas então vêem estas palavras no VV. 14: ―Tenho, todavia, contra ti algumas coisas, pois que tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição.‖ O que Jesus estava querendo dizer quando os acusou de sustentar a doutrina de Balaão? 2 Pe. 2:15 diz: ―abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça‖ Jd. 11 fala do povo: “Ai deles! Porque prosseguiram pelo caminho de Caim e, movidos de ganância, se precipitaram no erro de Balaão.Aqueles que sustentam a doutrina de Balaão, amam o mundo e suas recompensas e seus caminhos de injustiça, no lugar de Jesus. Em se comprometendo com o mundo, esses crentes ignoram suas consciências e se tornam mais e mais cegos a seus pecados. Como resultado final, percebe-se crentes praticando o impensável, prostituição e fornicação.

Jesus continua mostrando Seu desprezo no versículo 15:

Assim, tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que Eu aborreço.‖ Mas o que é a doutrina dos Nicolaitas? A palavra Nicolaita significa “povo conquistador”. É simbolicamente como o clero que declara a si mesmo como estando acima dos demais e tendo poder sobre o povo, em lugar de serem seus servos. Isso não só descreve as grandes denominações, cujos clérigos até são postos por mediadores dos pecados, mas também se refere a grandes ministros cujos motivos solenes passaram a ser dinheiro e poder. É interessante que muitos desses lideres religiosos, tem sido expostos cometendo fornicação, que foi a primeira coisa que Jesus repudiou em Sua menção. Muitos sacerdotes, das maiores denominações tem confessado até, atividades homossexuais.

O PREÇO A SER PAGO

Qual será a conseqüência para os que adotam o padrão de se comprometerem com fornicação em Pérgamo? Ap. 2:16 ―Portanto, arrepende-te e se não, venho a ti sem demora e contra eles pelejarei com a espada da Minha boca.‖ Mais uma vez, eles são chamados ao arrependimento, antes que Jesus retorne para o arrebatamento. E se eles não se arrependerem, o versículo diz que Jesus “lutará contra eles com a espada de Sua boca”. O que isso significa? Significa que as palavras que saírem de sua boca quando Ele vier para Sua Noiva, cortará aqueles crentes e os fará enfrentar a tribulação. Mt. 24:50-51 se refere a isso quando diz Virá o senhor daquele servo em dia em que não o espera e em hora que não sabe e castigá-lo-á, lançando-lhe a sorte com os hipócritas; ali haverá choro e ranger de dentes.‖ Isso seria um preço muito caro por causa do comprometimento deles com o mundo.

A IGREJA DE TIATIRA

Os crentes representados nessa igreja, tem uma impressionante lista de qualidades, e são muito elogiados por Jesus. Ap.2:19 “Conheço as tuas obras, o teu amor, a tua fé, o teu serviço, a tua perseverança e as tuas últimas obras, mais numerosas do que as primeiras.” Você poderia pensar que crentes que tem serviço (caridade), e exercitam sua fé e perseverança, no serviço ao Senhor estariam garantidos como participantes da Noiva de Cristo.

NÃO TÃO RÁPIDO! UMA ADMOESTAÇÃO É CHEGADA

No próximo versículo nós lemos aquelas palavras sobre destino: Tenho,

porém, contra ti

Aí vem um breve relatório sobre os crentes em Tiatira.

tolerares que essa mulher, Jezabel, que a si mesma se declara

profetisa, não somente ensine, mas ainda seduza os meus servos a praticarem a prostituição e a comerem coisas sacrificadas aos ídolos.‖ Apesar desse versículo, estar falando de uma mulher específica, Jezabel, devemos crer que o mesmo espírito de sedução que estava nela, opera através

Ap. 2:20

o

de programas de televisão, filmes, musica, e sites de internet, nesta geração. Essas formas de mídia tem instruído o povo, incluindo os cristãos, como aqueles de Tiatira, que não guardaram seus corações, e comprometeram suas convicções e que ao mesmo tempo, foram seduzidos com sensualidade que conduz à fornicação.

A MÍDIA SATURADA DE SENSUALIDADE

Hoje, não são apenas os filmes pornográficos que usam linguagem torpe e nudismo. Já é comum entre os filmes para adolescentes, mesmo nos canais abertos, e em qualquer horário, sendo também incluídos em incontáveis comerciais durante a programação regular da TV. Palavras que antes eram tabus, já não são mais censuradas e, mais e mais nudismo pode ser visto no horário nobre. Esse constante bombardeamento de material sensual por meio desses canais, tem gradualmente seduzido um chocante numero de crentes nascidos de novo. Há um número crescente até de pastores que tem sido sugado para dentro da lama da pornografia da internet. Pela primeira vez na história, pornografia é facilmente acessada por um computador, em qualquer quarto particular, fazendo deste pecado algo indetectável, a não ser para Deus.

AS CONSEQUÊNCIAS DA CARNALIDADE

O final deste pecado é devastador. Fornicação, adultério e divórcio crescem rompantes entre cristãos. Mas essa carnalidade pode resultar em perdas ainda maiores, no que tange o arrebatamento e no que acontecerá na eternidade. O versículo 22 fala do destino dos crentes que abraçaram esse espírito de sensualidade de Jezabel. Ap.2:22 ―Eis que a prostro de cama, bem como em grande tribulação os que com ela adulteram, caso não se arrependam das obras que ela incita.‖

Note que mais uma vez, arrependimento é mencionado como o caminho para escapar dessas conseqüências. Os que não se arrependerem terão feito suas camas e terão que deitar-se nelas. E diz que aqueles que cometem adultério, o qual Mt. 5:28 diz começar na mente, serão LANÇADOS EM GRANDE TRIBULAÇÃO! Não poderia ser mais claro do que isso. Estes crentes terão trocado suas heranças como Noiva de Cristo, por umas poucas e temporárias aventuras sexuais. De todas as igrejas que estudaremos aqui, essa Igreja em Tiatira, (juntamente com a última, que examinaremos na próxima parte) tipifica muitos crentes nesta última geração em que vivemos.

A Palavra de Deus diz que o retorno de Jesus será como os dias de Ló. Naquela área de Sodoma e Gomorra, sensualidade e sexo, bem como homossexualismo estavam em toda parte. Isso certamente descreve os dias e a hora que vivemos agora. Você já reparou que homossexualismo passou de tabu para algo tolerável, para recentemente algo promovido abertamente. Deixe-me te encorajar a manter-se puro, permanecendo na Palavra, andando junto de Jesus e vigiando a programação da televisão, dando preferência a programação cristã saudável. Jesus verdadeiramente virá mais cedo do que muitos imaginam.

PARTE 8

AS SETE IGREJAS (Ap. 3)

O terceiro capítulo de Apocalipse nos dá as mensagens que restam às três

últimas igrejas: Sardes, Filadélfia e Laodicéia. Nós focaremos na mensagem à Filadélfia, visto que esta representa os crentes que farão parte da Noiva de Cristo. Apesar de todas as outras Igrejas à exceção de Esmirna, possivelmente represente os crentes que serão deixados para enfrentar a tribulação, a Igreja de Laodicéia em especial, reflete a conduta de muitos crentes “tolos ou loucos” que vivem nos dias em que vivemos. Poremos um foco especial nesta Igreja também, mas vamos começar com Sardes.

A IGREJA EM SARDES

Esta é uma das duas Igrejas, às quais Jesus não faz nenhum elogio. Vemos isso

no primeiro versículo quando Jesus lhes faz a mais severa repreensão.

Ap.3:1 “Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Estas coisas diz aquele que tem

os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto.‖ Esses crentes, na verdade nem eram crentes. Eles apenas sustentavam um nome diante dos homens, de que eram Cristãos, porque iam à Igreja, mas nunca, nem

ao menos nasceram de novo. Estavam mortos ou separados de Cristo.

Quantos milhões de pessoas ao redor do mundo freqüentam cultos e missas e estão nessa categoria? São religiosos, mas nunca convidaram Jesus a entrar em seus corações e ser Senhor.

UMA ÚLTIMA CHANCE É DADA

A exortação que Jesus dá a esse grupo é centrada no que eles poderão fazer

durante a tribulação, depois de perderem o arrebatamento, para se unirem à família de Deus. Ap.3:2 Sê vigilante e consolida (grego, sterizo mudar de direção resolutamente) o resto (grego, loipoy os restantes, ou remanescentes) que

estava para morrer, porque não tenho achado íntegras as tuas obras na presença do meu Deus.‖

Eles são admoestados a acordar, serem vigilantes e tomarem a decisão de mudar de direção juntamente com os demais que foram deixados e que estavam para morrer. Crentes agora estarão acordados e prontos para morrer pela sua fé. Esses que foram meramente religiosos, percebem que os esforços que realizaram, nada contou diante dEle porque não estavam completos ou íntegros. Obras religiosas que não brotam de um relacionamento com Deus, são como trapos de imundícia. (Is.64:6) A exortação continua no versículo 3:

Ap. 3:3 “Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, guarda-o e arrepende-te ‖

Muitas Igrejas que são meramente litúrgicas e mortas foram fundadas, por pessoas que verdadeiramente tinham um caminhar com Jesus, e tinham a

doutrina da salvação pela fé. Essas pessoas que abraçaram um evangelho sem poder e social são encorajadas a lembrar-se dos ensinamentos originais, sobre

os quais a denominação foi fundada e para guardá-los. Devem se arrepender e

mudar de sua religião para o evangelho de Cristo, que é o poder de Deus para a salvação ( Rm.1:16).

A parte restante da exortação tem uma aplicação para esses indivíduos, cuja

única esperança é o arrependimento para ser parte do segundo arrebatamento,

ao final da tribulação. Mas como vimos anteriormente, essa exortação também

se aplica a todo crente que espera pelo mui breve arrebatamento da Noiva de

Cristo. Ap. 3:3b “Porquanto, se não vigiares, virei como ladrão, e não conhecerás de

modo algum em que hora virei contra ti.‖

Jesus virá como ladrão, tanto no primeiro, como no segundo arrebatamento, apenas para os que não estiverem vigiando. Este versículo parece indicar que seja você um crente que se arrependeu antes da tribulação, prevendo o arrebatamento da Noiva, ou seja, um crente que se arrependeu depois de ter sido deixado, ambos os grupos que vigiam saberão a hora em que Ele virá buscá-los.

ALGUNS POUCOS VIVENDO ENTRE OS MORTOS

Apesar da maioria das pessoas religiosas da Igreja de Sardes, terem sido chamadas de “mortos”, há um remanescente de justos entre eles.

Ap.3:4 “Tens, contudo, em Sardes, umas poucas pessoas que não contaminaram as suas vestiduras e andarão de branco junto comigo, pois são dignas.‖

Em outras palavras, há uma pequena minoria daqueles entre os mortos, que andavam em retidão e justiça, e serão dignos de ser parte da Noiva vestida de branco. Mesmo entre igrejas mortas, Deus sempre tem Seus representantes enviados para brilhar Sua Luz, em meio às trevas.

A IGREJA EM FILADÉLFIA

Jesus começa enaltecendo aqueles crentes com uma referência ao prêmio do breve arrebatamento que lhes sobrevirá. Ap.3:8 “Conheço as tuas obras eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar que tens pouca força, (grego - dunamis poder para milagres) entretanto, guardaste a minha palavra e não negaste o Meu Nome.‖ Este grupo de crentes, representam a Noiva de Cristo, porque são leais a Ele, não negam Seu Nome e são cheios de fé, guardando e praticando a Palavra de Deus. É dito que eles têm só um pouco de poder para milagres fluindo neles antes do arrebatamento. Creio que tal afirmação é feita em comparação com os muitos e grandes milagres, que terão lugar após o arrebatamento, durante a tribulação, quando as últimas chuvas do Espírito de Deus, serão derramadas.

A PORTA ABERTA

Note também que Jesus afirma estar diante deles uma porta aberta, que homem nenhum pode fechar. Do que estaria Ele falando? Certamente Jesus está falando da mesma porta descrita em Apocalipse 4:

Ap. 4:1 ―Depois destas coisas, olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu, como também a primeira voz que ouvi, como de trombeta ao falar comigo, dizendo: Sobe para aqui e te mostrarei o que deve acontecer depois destas coisas.‖ Esta é uma clara referencia ao portal pela qual entrará a Noiva de Cristo, e que leva ao céu, ao paraíso de Deus.

O AMOR DE SUA VIDA REVELADO

O próximo versículo reflete um tempo em que todos os incrédulos e religiosos que falharam em responder aos avisos ou admoestações destes dois capítulos 2

e 3 de Apocalipse, irão descobrir quem é realmente o grande amor da vida de Jesus. Ap.3:9 “Eis farei que alguns dos que são da sinagoga de Satanás, desses que a si mesmos se declaram judeus e não são, mas mentem, eis que os farei vir e prostrar-se aos teus pés e conhecer que eu te amei.‖

A Palavra de Deus diz em Filipenses 2:10-11 que chegará um tempo em que todo joelho se dobrará, e toda língua confessará que Jesus é O Senhor. Evidentemente, como eles estarão adorando a Jesus, todos nós que somos Sua Noiva, estaremos juntos ao Seu lado e estes estarão prostrados diante de nossos

pés também e saberão a quem Jesus amou acima de tudo.

LIVRADOS DA TRIBULAÇÃO

Agora vemos uma das grandes promessas dada aos que seriam Noiva de Cristo. Note que a promessa tem o pré-requisito de que sejam qualificados até o fim, como vimos repetidamente e que terminam sendo achados como Noiva de Cristo. Ap.3:10 Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora(grego, hora-estação, temporada) da provação (grego - peirasmos adversidade ou tribulação) que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra.‖

O pré-requisito para receber a promessa neste versículo, é guardar

pacientemente a Sua Palavra, ou melhor dizendo, sendo um consistente

praticante da Palavra, cheio de Fé. Assim concluímos que a promessa só se aplica aos qualificados como Noiva de Cristo.

Há muitos benefícios em ser Noiva de Cristo, mas o que é mencionado no

versículo 10 certamente será uma benção muito bem-vinda, Jesus nos promete livramento “de”, ou como o grego diz “fora de”, da época da tribulação, da temporada, da estação da tribulação, que está por vir sobre todo o mundo para

provar todos os que ficaram para trás e habitavam na Terra. Isto só pode se referir a um período na história, o de horrores descrito como a tribulação que Jesus irá encurtar ou abreviar, para o bem dos eleitos, muitos

dos quais acabarão assassinados em massa.

UMA ÚLTIMA PRECAUÇÃO

Jesus dá uma última palavra de aviso àqueles que são no presente, Noiva de Cristo:

Ap.3:11 “Venho sem demora. Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.‖ Como poderia alguém tomar a coroa de um cristão cheio de fé, que ele receberá de Jesus quando este vier arrebatá-lo? A maioria dos pecados

cometidos repentinamente, e que podem nos impedir de ser achados dignos para ser Noiva e sermos tomados no primeiro arrebatamento e receber a coroa, são cometidos em nossos relacionamentos com outras pessoas. Quando crentes carnais dão ouvidos ao que as pessoas do mundo dizem, em lugar de ouvir e obedecer o que diz a Palavra, eles vão errar o alvo uma enormidade. Quando falham em perdoar outras pessoas e guardam ressentimentos contra elas, isso também pode desqualificá-los para receber a coroa. Jesus está dizendo aos crentes cheios de fé, para permanecerem inabaláveis em sua fé, em seu amor e em sua retidão, para que estejam prontos, quando Ele vier buscá- los. Na corrida que resultará com a coroação dos poucos fieis até o fim, a Noiva, devemos nos guardar de pecados súbitos, que poderiam nos emaranhar ou embaraçar. Hb. 12:1 coloca dessa maneira: Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta‖.

A IGREJA EM LAODICÉIA

Esta é a segunda igreja alem de Sardes, que não recebe nenhum elogio e Jesus inicia sua mensagem a eles com palavras de repreensão:

Ap.3:15-16 ―Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca.Jesus diz que suas obras demonstram que eles não são nem totalmente frios e indiferentes às coisas de Deus, nem quentes e apaixonados por Ele. Porque eles permanecem crentes bebês, contentes com alimentar-se com leite quentinho (morno) em lugar do sólido alimento da Palavra, só compartilhado pelos que amadureceram e se tornaram crentes destinados a ser Noiva de Cristo, eles serão vomitados da boca de Jesus para enfrentar o calor da tribulação. I Co.3:2-3 chama esses que tomam leite quentinho (morno) de “carnais”. Hb. 5:13 diz ―Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança.‖ Em outras palavras, esses crentes criancinhas, não estão vestidos com vestes de justiça, as quais Jesus está procurando naqueles que serão Sua Noiva. A admoestação continua no versículo 17:

Ap.3:17 “Pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu.‖

Isso certamente descreve muitos crentes de hoje, especialmente na América do Norte, que estão confortáveis, prósperos, com abundância em tudo e com uma atitude de quem não precisa de nada. Mas na verdade estão falidos das qualidades que Jesus procura em Sua Noiva. Jesus diz que são miseráveis, pobres, no que realmente importa, nus ou despidos de vestes de justiça, e o pior de tudo: cegos! Não conseguem enxergar suas necessidades. Estão tão saciados com seu

conforto nesta vida, que não focam o retorno de Jesus e o início da vida eterna.

É minha esperança que as palavras aqui ministradas perturbem todos os

cristãos que se acostumaram no conforto, encorajando-os a fazerem o que Jesus

está pedindo que façam nos próximos dois versículos.

JESUS EXORTA OS MORNOS

Depois de enfatizar que Ele os está corrigindo porque os ama, Ele lhes dá cinco coisas para fazerem, para se qualificarem no segundo arrebatamento, no final

da tribulação.

Ap.3:18-19 “Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas. Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te.‖ Jesus lhes diz para ungirem os olhos a fim de que vejam suas necessidades.

Então eles devem ser zelosos, ou como no grego, “desejar ardentemente” ser transformados. Tal desejo deve direcioná-los ao arrependimento, que produz mudança de direção e atitude. Eles são incentivados especificamente quanto a essa atitude, para que suas vidas sejam viradas ao contrario. Eles devem comprar ouro refinado, ou pagar o preço por aquilo que é o mais precioso: entrar no Reino de Deus. Note que esse ouro só será obtido em sendo provado no fogo da tribulação. Enquanto o calor aumenta em suas vidas, as impurezas que os impediram de ser Noiva, são arrancadas de suas peles, e assim serão capazes de comprar as vestes brancas, lavadas no sangue do Cordeiro, que lhes será exigida para habitarem na Nova Jerusalém.

O preço da passagem para uma pessoa entrar no Reino de Deus, seja como

Noiva de Cristo, seja como um santo da tribulação é o mesmo. Para entrar na Nova Jerusalém, alguém tem que ser achado um vencedor fiel,

vestido de justiça, cheio de amor ágape pelos demais irmãos e pelo Senhor Jesus Cristo.

A PROMESSA DA CEIA (FESTA) DAS BODAS

No próximo versículo para esses crentes de Laodicéia, há uma promessa de reunião com Jesus durante a ceia das Bodas do Cordeiro, no Dia do Senhor, desde que se arrependam e façam as obras que lhes foram ordenadas. Ap.3:20 “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.‖ Como mencionamos algumas vezes, a referência a “porta” neste versículo, diz respeito ao portal de acesso ao paraíso, usado por aqueles que arrebatados devem entrar. Jesus diz a todos esses crentes que quer que eles mudem de atitude e sua maneira de agir e fiquem prontos para o convite que Ele lhes fará com as palavras “Subam para cá”. Esses de Laodicéia, que estiverem sintonizados com Jesus, ouvirão Sua voz e, passarão pela porta e se acharão no salão do banquete, no paraíso. É aqui que Jesus diz que ceará com eles, participando da Ceia das Bodas do Cordeiro com toda a Igreja, tanto a Noiva, quanto os santos da tribulação, que agora estão unidos, no Dia do Senhor.

Apesar de termos dado grandes passos em mostrar que existem dois grupos diferentes de crentes, chamados “sábios” e “tolos”, “grandes” e “pequenos” e também tipificados como os de Filadélfia e os de Laodicéia, ainda existem os que argumentarão dizendo que não se poderia separar o corpo de Cristo em dois arrebatamentos. Apesar do montante indubitável de evidências nas Escrituras, que já temos apresentado e continuaremos apresentando, antes de seguirmos adiante, deve- se esclarecer um ponto de objeção que tem sido constantemente objeto de controvérsia, quanto ao Corpo ser arrebatado em duas partes.

PARTE 9

UM PRESENTE OU UMA RECOMPENSA

O fato de ser arrebatado no primeiro arrebatamento da Noiva de Cristo ou de ser deixado para enfrentar a tribulação não se fundamenta em ser ou não salvo, mas é uma questão de recompensas. Ninguém está dizendo que crentes, desqualificados como Noiva de Cristo, tenham perdido sua salvação. Pelo contrário, como veremos mais adiante, tendo despertado, eles farão parte da maior colheita de almas da história deste planeta. Na verdade estamos falando sobre recompensas, que serão dadas aos que se qualificarem. Salvação nada tem a ver com nossas obras! Recompensas ou galardão tem absolutamente, tudo a ver com as obras.

SALVAÇÃO É UM PRESENTE

As Escrituras ensinam que a salvação que Deus nos oferece é um presente gratuito, que foi adquirido para nós com o sangue de Jesus. Porque pelos nossos pecados, merecíamos mesmo era a morte, ou ficar separados de Deus para sempre. Mas pelo sacrifício que Jesus fez por nós na cruz, temos tido a oportunidade de receber o maior presente jamais oferecido, a Vida Eterna em comunhão com Ele. Rm. 6:23 diz: ―Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.‖ Um presente é ofertado de graça! Não poderia ser conquistado por nada que fizéssemos. Isso fica eminentemente claro em Efésios capítulo 2. Ef. 2:8-9 ―Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.‖ É apenas pela graça de Deus, por Seu favor imerecido, que recebemos este presente gratuito da salvação, através da nossa fé, nossa total sujeição e obediência a Jesus. Note que o segundo versículo enfatiza que esse presente da salvação não tem nada a ver com as nossas obras. Não é pelo que fazemos para Ele que possivelmente se conquiste e de alguma forma se qualifique para a vida eterna com Ele, é pelo que Ele fez por nós:

Deus nos amou de tal maneira, que entregou Seu Único Filho”. Salvação é o presente que recebemos de graça, e não se conquista!

A RECOMPENSA QUE É CONQUISTADA

Entretanto, há uma recompensa tratada na Bíblia, que será conquistada. É pelas nossas obras, ações baseadas em atitudes de retidão, que determinarão se receberemos essas recompensas. Paulo fala de recompensa no terceiro capítulo de Filipenses:

Fl. 3:8, 9, 10 Para que possa ganhar a Cristo e seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus, pela fé; para conhecê-lo, e a virtude da sua ressurreição, e a comunicação de suas aflições, sendo feito conforme a sua morte.No versículo 8, Paulo fala se “ganhar a Cristo”. Você que é casado, se lembra do tempo em que flertava e tentava ganhar a afeição de seu amado? É disso que Paulo está falando sobre seu futuro Noivo, Jesus Cristo.

O próximo versículo se refere a uma das formas em que ele tenta dar prazer a

Seu Senhor, andando na justiça que vem de Deus, pela fé. Ele enfoca na segurança de que suas vestes de núpcias, estejam sempre sem ruga nem mácula. No versículo 10, Paulo se expressa e diz: “para conhecê-lo”. Isto claramente não está falando de ter nascido de novo. Se alguém na Bíblia pode ser apontado como certamente tendo nascido de novo, esse seria Paulo, que escreveu a maior parte de Novo Testamento. Paulo está falando de CONHECÊ_LO, a Jesus, na intimidade, andando com Ele continuamente, no poder de Sua ressurreição. Quando se é realmente íntimo de alguém, você comunga também das aflições do outro. Você também sofre os ferimentos daquilo que fere o outro. Quando andamos em intimidade com Jesus e vemos o pecado e dor que nos cerca a ambos, então compartilhamos o mesmo tipo de feridas que Jesus experimentou quando se angustiou pelos pecados de Jerusalém ( Mt. 23:37).

E ainda, sendo íntimos de Jesus, resultará no sofrimento contínuo de morrer

diariamente, (I Cor. 15:31) para si mesmo e para a carne. A morte de Jesus não

foi simplesmente física, mas a morte de sua vontade, submetendo-se a Si mesmo à vontade do Pai celestial, com quem Ele era Um. Para desenvolver intimidade com Jesus, precisamos ser conformes a esse mesmo tipo de morte de nossas vontades, submetendo-nos ao nosso amado Noivo e como Sua Noiva, ser totalmente um só com Ele.

ESFORÇANDO-SE PARA ALCANÇAR

Nos próximos dois versículos, Paulo fala sobre o esforço em alcançar algo muito importante para ele. Fl.3:11,12 “Para ver se, de alguma maneira, eu possa chegar à ressurreição

dos mortos. Não que já a tenha alcançado ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus.‖

No versículo 11, Paulo está falando de alcançar a ressurreição dos mortos. A

ordem da ressurreição a que Paulo está se referindo aqui e que ele quer alcançar, é a ressurreição dos fieis cristãos, mortos em Cristo, que se juntará no

arrebatamento, aos santos fieis que estarão vivos, para ser parte da Noiva de Cristo.

No versículo 12, Paulo reitera que ele não terminou a carreira, e que ainda não

assegurou alcançar o status de Ser Noiva. A palavra “preso”, na parte final do

Versículo no grego, também pode ser traduzido: “pego firmemente”. Paulo está dizendo que ele deseja firmemente pegar Jesus, como seu Noivo, da mesma forma que Jesus procura pegá-lo (e a todos os fieis) como Sua Noiva.

FOCANDO NA RECOMPENSA

Depois de enfatizar outra vez o fato de que ele, Paulo, ainda não havia alcançado ser Noiva de Cristo, ele fala em focar no alvo que o fará alcançar a recompensa. Fl. 3:13, 14 ―Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.‖ O foco de Paulo não está em suas falhas de ontem, mas nas oportunidades de vitórias que estão diante dele hoje. Desde que fé é sempre para o “agora”, (Heb. 11:1), qualquer um que deseje se tornar Noiva, deve sempre andar no presente, momento a momento, em intimidade com Jesus. O alvo, ou a marca que Paulo buscava atingir era receber a recompensa que é cobiçada por todos nós que desejamos firmemente ser Noiva. Essa recompensa é chamada “o alto chamado de Deus em Cristo Jesus”. No grego as palavras “alto chamado”, também podem ser traduzidas como “convite para cima”.

A recompensa cobiçada, da qual estamos escrevendo é o primeiro

arrebatamento, quando Jesus convida Sua Noiva para subir e encontrar-se com

Ele nos ares.

AQUELES CUJO DESTINO É A PERDIÇÃO

Depois de encorajar os irmãos a segui-lo na tarefa de ser Noiva, no versículo 17, Paulo dá as características dos que estão destinados à perdição.

O versículo 18 começa com Paulo se referindo a seu andar e seu falar enquanto

chora por eles. Aparentemente Paulo chora porque se trata de irmãos que não estão andando com Cristo como deveriam.

Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. O fim deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles é para confusão deles mesmos, que só pensam nas coisas terrenas.No versículo 18 , Paulo diz que esses indivíduos são inimigos da cruz de Cristo. A NVI diz que vivem como inimigos da cruz. Tiago 4:4 diz que se você é amigo do mundo, você então também é inimigo de Deus. Mesmo que tenha nascido de novo, se você for amigo do mundo e de sua lascívia, você é inimigo de Deus. As muitas exortações de Tiago capítulos 3 e

4, incluindo está acima, de não ser amigo do mundo, estão escritas para irmãos,

que não estão andando no caminho. Tiago 3:10 fala a respeito de “irmãos”, ou crentes que permitem que ambos bênçãos e maldição saiam de suas bocas. A descrição desses indivíduos expressa no versículo 19 se encaixa nas muitas características de crentes infiéis, deixados para a tribulação, quando do arrebatamento da Noiva, pois são

orgulhosos, buscando sua própria “glória”, e amigos do mundo, tendo suas mentes nas coisas do mundo. Note que também diz que seu ventre ou estômago, ou seja, a carne governa sobre eles como um deus. O destino desses irmãos, pelos quais Paulo chora, será sofrer a perda da recompensa.

NUNCA É TARDE DEMAIS PARA RETORNAR

Enquanto examinava Tiago 4 , achei um par de promessas a mais, de grande importância para este grupo que reluta em pagar o preço para ser Noiva. Até o momento preciso do arrebatamento, nunca será tarde demais para o crente infiel voltar atrás. Tg. 4:8 “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros. Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração.‖ Para se achegar a Deus, é necessário buscar uma vida de intimidade com Ele. Você não fará isso, a não ser que haja arrependimento, purificação das mãos, limpeza de coração e tendo um único pensar sobre a Palavra de Deus, no lugar de ânimo dobre.

A promessa sempre estará valendo, como o filho pródigo, poderemos retornar

para o Pai, Ele se aproximaria de nós e nos faria parte da Noiva que Ele entregará a Seu Filho Jesus. Uma das características que acabamos de ver em Filipenses sobre crentes infiéis, é ser cheio de glórias pessoais e de orgulho. Tiago 4:6 diz que Deus resiste ao orgulhoso ou soberbo, mas o versículo 10 continua e diz para nos humilharmos na presença de Deus e Ele nos exaltará, ou como no grego, nos “elevará”. Certamente isso pode se referir a nos elevar de posição, mas também pode se referir a nos elevar até o céu, no arrebatamento de uma Noiva humilde, para o encontro com seu Noivo.

PARTE DA RECOMPENSA UM CORPO GLORIOSO

A conclusão dos últimos dois versículos do capítulo 3 de Filipenses se refere

novamente à recompensa, o convite para subir, ou arrebatamento que unirá a Noiva fiel com seu Noivo, Jesus. Aqui está revelado um benefício maravilhoso, dado como parte da recompensa.

Fl.3:20-21 Mas a nossa pátria está nos céus, donde também aguardamos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o corpo da nossa humilhação, para ser conforme ao corpo da sua glória, segundo o seu eficaz poder de até sujeitar a si todas as coisas. ―

Nossa cidadania é do céu, para onde seremos transladados via arrebatamento, quando nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo voltar. Será naquele tempo que receberemos corpos ressurretos incorruptíveis ou invencíveis, como o que Ele tem. 1João 3:2 diz, Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos.”

VENCENDO A CORRIDA

Outra passagem em 1 Cor. Capítulo 9 usa a analogia de vencer a corrida, em referência aos nossos esforços na vida para pressionar até a vitória, ou a linha de chegada, pela questão da recompensa.

1 Co. 9:24-25 ―Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só é que recebe o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta, exerce domínio

próprio em todas as coisas; ora, eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível.‖ Nesta corrida em que todos estão correndo na vida, há apenas um grupo de crentes que receberá o prêmio ou recompensa de ser arrebatado como

a Noiva vitoriosa. Note como uma das qualificações dessa Noiva é

exercer domínio próprio em todas as coisas. Estes têm desenvolvido, ou estão exercitados em restrições auto-impostas em suas vidas. Mais uma vez é mencionada como parte da recompensa uma coroa de vitória incorruptível, que se dará aos que vencerem, e que reinarão com o Rei da Glória.

ARMADILHAS QUE VISAM A PERDA DA RECOMPENSA

Nos próximos dois versículos, Paulo fala das armadilhas, as quais ele, e qualquer outro cristão deve evitar e assim, prevenir-se quanto a perda da recompensa e ser deixado para o tempo da tribulação. 1 Co. 9:26-27 Pois eu assim corro, não como indeciso; assim combato, não como batendo no ar. Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à submissão, para que, depois de pregar a outros, eu mesmo não venha a ficar reprovado.‖

A primeira armadilha a que Paulo se refere é correr de forma indecisa, ou

viver sua vida sem Jesus como seu foco principal e sem esse alvo de ser Noiva constantemente diante de si. Se você não está constantemente em prontidão, vigiando o retorno iminente de seu Noivo, as distrações do mundo te farão correr com indecisão e viver uma vida de dúvidas. Outra armadilha é correr ou lutar como alguém que bate no ar. Em uma luta competitiva, é impossível ganhar qualquer combate, se você nem ao menos encosta a luva no oponente. Nosso adversário é satanás. Fomos postos neste mundo e nos foi dada autoridade sobre toda potestade e governo do inimigo e também nos foi dada uma comissão, que inclui pisar em serpentes e escorpiões, e ainda expulsar demônios e assim levar adiante o ministério de Jesus de “desfazer toda obra de satanás” (Atos

10:38).

Crentes que estão focados no mundo, vivendo a vida, desavisados sobre a batalha espiritual em que estão inseridos, ficam apenas “batendo no ar”. Eles não serão parte da Noiva vitoriosa, e não receberão a coroa da vitória na linha de chegada.

Uma última armadilha é mencionada, a qual prende muitos cristãos durante a corrida pela recompensa: A falha em manter seus corpos, ou sua carne, em sujeição à Palavra de Deus. Rm. 12:1 nos diz para oferecermos, ou submetermos nossos corpos a Deus, como um sacrifício vivo. Nossa carne luta constantemente por

viver e pular fora do altar de sacrifício. Na sociedade saturada de sensualidade em que vivemos, sem que se aplique continuamente a Palavra de Deus e assim mantenha-se a carne crucificada, sucumbiremos à essa armadilha que certamente nos roubaria o prêmio ou a recompensa. Falaremos mais adiante dessa importante área, sobre andar em pureza e santidade.

FICAR REPROVADO

Note que Paulo, na última parte do versículo 27 diz que, depois de pregar para todos os outros a respeito dessas armadilhas, se ele não se mantiver alerta e se não ler essas mesmas exortações, ele próprio se tornaria um reprovado potencial. O que Paulo queria dizer com ser possivelmente reprovado? Certamente ele não está falando de perder a salvação e ser mandado pro inferno! Ele está falando de se reprovado e lançado no grupo que falhará, perderá a recompensa, o convite para subir como Noiva, pois para os crentes de hoje que não lêem as exortações de Paulo, isso significará ser reprovado e lançado na tribulação que em breve virá sobre toda a Terra. Portanto, mais uma vez, ser Noiva diz respeito a recompensas e NÃO salvação! Começamos esta parte dizendo isso, mas é tão importante que vou dizer mais uma vez. Nossas obras nada têm a ver com recebermos a salvação, mas têm tudo a ver com receber as recompensas de sermos arrebatados como integrantes da Noiva de Cristo.

EDIFICANDO SOBRE FIRME FUNDAMENTO

Em 1 Coríntios 3, esta questão das obras determina a recompensa e as perdas entre dois grupos de crentes. Versículo 11 faz menção de que o fundamento dos dois grupos é Jesus Cristo. Mas o que a pessoa faz para edificar sua vida sobre esse fundamento após ter nascido de novo, determinará a qual dos grupos ela pertence.

1Co. 3:12 “E, se alguém sobre este fundamento levanta um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha.No versículo 12 podemos perceber que um construtor poderá edificar sobre esse fundamento, de Cristo, com um dos dois tipos de material. Um deles edifica com obras que são comparadas com ouro, prata ou pedras preciosas”. Estes são materiais de grande valor, e raros ou escassos em quantidade sobre a Terra. A Noiva constrói com obras que aos olhos de Deus são preciosas, porque são realizadas com um coração correto, o que Lhe agrada grandemente.

Como voltaremos a ver adiante, os indivíduos que farão parte da Noiva, como ouro, prata ou pedras preciosas, serão escassos ou relativamente poucos em número. Também é interessante que ouro, prata ou pedras preciosas serão materiais presentes nas coroas a serem conquistadas como recompensa.

Por outro lado, o outro grupo terá obras comparadas com madeira, feno e palha. Estes são elementos encontrados em abundância sobre toda a Terra. Madeira e feno são coisas cultiváveis. Mais uma vez veremos que os muitos crentes que ficarão para trás no primeiro arrebatamento, serão um grande número e serão usados como instrumentos de Deus na colheita das últimas chuvas sobre toda a Terra. Como vemos nos próximos versículos, madeira, feno e palha também representam obras que são realizadas com um coração enganoso, e desprovidas da intimidade necessária com Jesus. São estas obras que como madeira, feno e palha, certamente não subsistirão, sendo consumidas pelo fogo. 1 Co.3:13-15 “A obra de cada um se manifestará; pois aquele dia a demonstrará, porque será revelada no fogo, e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se permanecer a obra que alguém sobre ele edificou, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele prejuízo; mas o tal será salvo todavia como que pelo fogo.‖ No versículo 13, a palavra grega para “dia”, poderia ser traduzida tanto por “julgamento” como por “anos”. Pessoalmente creio que ambas se aplicam. Haverá um Trono de julgamento de Cristo, onde nossas vidas serão revisadas e as obras de cada um, serão avaliadas. Mas serão nos anos de nossa vida e o fogo ou tribulações que tivermos atravessado que “provará”, ou no grego “examinará”, as obras que fizermos durante a vida. É apenas nas situações de pressão na vida, que se revela o que realmente está no coração. A igreja não apenas ficará sem mácula, mas também sem rugas. Rugas, só serão alisadas a ferro, quando pressão e temperatura são aplicados em nossas vidas, nos dando a chance de sermos fiéis vencedores que Ele diz em Sua Palavra, que seremos aqueles que são fiéis, cujas obras fluem de um relacionamento íntimo com Ele, receberão recompensa, como lemos no versículo 14. Os que, por outro lado, não tem intimidade com Jesus e apenas fazem obras religiosas, assistirão essas obras queimando ou sendo totalmente consumidas e sofrerão o prejuízo. Qual prejuízo? Perderão a coroa, e provavelmente outras recompensas, perderão o primeiro arrebatamento, mas, o mais importante deixarão de ser Noiva do Rei dos Reis!

Note que esses versículos falam de obras, aplicadas a recompensas, não de salvação. Na verdade, o versículo 15, diz que : “Se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele prejuízo; mas o tal será salvo todavia como que pelo fogo.Em outras palavras, se as obras de alguém não revelam um coração correto, que advém de um relacionamento íntimo com Jesus, esse sofrerá o prejuízo de não ser Noiva. Entretanto ainda serão salvos, depois de passarem pelo fogo, na tribulação. Concluímos então que salvação é um presente, que nada tem a ver com obras! O primeiro arrebatamento é uma recompensa dada à Noiva, o que tem tudo a ver com obras. Na próxima parte examinaremos as evidências nas Escrituras, que indicam se esses dois grupos serão grandes ou pequenos, no tempo do arrebatamento e como essa informação está relacionada com o ambiente, ou o clima espiritual que observamos agora e observaremos durante a tribulação.

PARTE 10

OS POUCOS ESCOLHIDOS

Algum tempo atrás pude ler um anúncio de uma campanha do exército que dizia: “os poucos, o orgulho, os Marines”. Os Marines na verdade também se anunciam dizendo, “O Tio Sam está a procura de alguns poucos homens bons”. Jesus, também está a procura de alguns poucos homens e mulheres santos, alguns poucos, fiéis, uma Noiva! Este será um seleto grupo de crentes que, através de suas vidas, mostrarão que são dignos de ser Noiva. Como veremos nas Escrituras, há evidências de que este seleto grupo, a Noiva, será certamente um pequeno número.

TRÊS GRUPOS ESCOLHIDOS POR DEUS

Por toda a Bíblia o termo “escolhido” se refere a três diferentes grupos de pessoas. Israel tem sido e será o escolhido de Deus. Eles foram originalmente escolhidos para ser Noiva de Deus antes de se rebelarem e consequentemente se divorciaram de Deus (Jer. 3:8) ―Sim viu que, por causa de tudo isso, por ter cometido adultério a pérfida Israel, a despedi, e lhe dei o seu libelo de divórcio, que a aleivosa Judá, sua irmã, não temeu; mas se foi e também ela mesma se prostituiu.‖ No futuro, depois da tribulação abreviada, eles novamente serão escolhidos como Nação para redenção e para serem recompensados com uma herança terrena. Em alguns versículos, os “escolhidos”, se refere aos santos da tribulação, que serão separados para o arrebatamento no Dia do Senhor, livrando-se da ira de Deus e, herdando o Reino de Deus.

Mc. 13:20 é um desses versículos que diz: Se o Senhor não abreviasse aqueles dias, ninguém se salvaria mas ele, por causa dos eleitos que escolheu, abreviou aqueles dias.‖ Os eleitos, que são referidos neste versículo como escolhidos, são os santos da tribulação, que estarão sendo martirizados, fazendo com que Jesus interfira e abrevie esse período de tribulação para o bem deles, arrebatando-os do perigo. Mateus 24:31 mostra o arrebatamento deste grupo chamado “eleitos”, imediatamente após a tribulação daqueles dias

(v.29).

Outras escrituras se referem a toda a igreja composta por ambos, os santos da tribulação e a Noiva, sendo chamados de escolhidos. Por exemplo, em Ap. 17:14, no tempo em que o anti-Cristo, o falso profeta e os dez reis que serão suas marionetes, farão guerra contra o Cordeiro no Armagedom, o grupo chamado de “chamados, escolhidos e fiéis” estará com Ele. No tempo em que Jesus voltar para lutar na batalha do Armagedom, toda a igreja, TODOS os santos, ambos, Noiva e santos da tribulação, voltarão com Ele (Zc. 14:5). Portanto ambos, Noiva e santos da tribulação serão chamados com as palavras “suba para cá” quando foram arrebatadas. Se um crente não estiver fiel, e qualificado como Noiva e não for arrebatado no primeiro arrebatamento, eles terão que ser fiéis durante a tribulação, para então serem escolhidos e completarem assim o Corpo de Cristo no segundo arrebatamento.

A NOIVA ESCOLHIDA

Vamos olhar algumas passagens da Palavra de Deus, que focam no grupo dos crentes fiéis, que serão eleitos como Noiva. Nos primeiros versículos de 2 Pedro 1, estão listadas qualidades que todos os que buscam ser Noiva precisam ter. Dos versículos 5 ao 7 fala de se ter: diligência, fé, virtude ou excelência, temperança ou domínio próprio, paciência ou perseverança, piedade ou santidade, fraternidade ou amor phileo, amor ou caridade, o tipo de amor não egoísta, chamado ágape! No versículo 8 diz que se estas qualidades que acabaram de ser mencionadas, estão em você e abundam em sua vida, então você não será infrutífero, no conhecimento do Senhor Jesus Cristo. Em outras palavras, você realmente conhecerá a Jesus em Sua intimidade. O próximo versículo se refere aos que são “virgens tolas”, que ficarão para trás no arrebatamento da Noiva. 2 Pe.1:9 “Pois aquele em quem não há estas coisas é cego, vendo somente o que está perto, havendo-se esquecido da purificação dos seus antigos pecados.‖

Se você se lembrar, as “virgens tolas” não estavam vigiando, esperando o Noivo. Elas não tinham previsto a necessidade de guardar óleo para abastecer suas lâmpadas. Lembre-se também, que os da igreja de Laodicéia, em Apocalipse 3, uma outra representação dos crentes que vão compor os santos da tribulação, são exortados a “ungir seus olhos com colírio para que vejam”. Esse grupo, representado de ambas as formas, “virgens tolas” e “os de Laodicéia”, estão cegos. Eles não enxergam “um palmo”, seu foco não está nas coisas celestiais, mas nas coisas pertencentes a este mundo e como resultado, eles se acham pecando, esquecidos de que Jesus pagou o preço para livrá-los desses pecados.

TENDO CERTEZA DE SER CHAMADO E ESCOLHIDO

Pedro então dá uma importante exortação a todos os irmãos:

2 Pe. 1:10 “Portanto, irmãos, procurai mais diligentemente fazer firme

a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis.” Todo crente é avisado de que deve ser diligente em assegurar que quando do chamado da Noiva, eles devem estar entre os que forem escolhidos. Como farão para ter certeza de que foram escolhidos? Em fazendo estas coisas! Em fazendo quais coisas? Essas coisas que foram mencionadas até aqui, nos versículos 5 a 7, exercitando fé, domínio próprio, perseverança, santidade, fraternidade e amor ágape. Se um crente fizer ou praticar essas coisas, eles podem saber que nunca cairão e não passarão tribulação, a qual sobrevirá a esta terra. O próximo versículo fala da transladação ou transporte daqueles que forem escolhidos para ser Noiva, para sua morada eterna.

2 Pe.1:11 ―Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.‖ Uma entrada, uma porta ou um portal será providenciado durante o arrebatamento para transportar esses crentes fiéis, para o Reino Eterno, na Nova Jerusalém.

O CONVITE PARA AS BODAS

Vamos então dar uma olhada nos versículos de Mateus 22 que nos trás uma parábola que mostra várias verdades sobre as exigências de Deus a respeito da Noiva. Mt. 22:2-8 “O reino dos céus é semelhante a um rei que celebrou as bodas de Seu Filho(Jesus). Enviou os Seus servos (Moisés e Arão) a

chamar os convidados para as Bodas (Israel foi convidado no Monte Sinai) e estes não quiseram vir. Depois enviou outros servos (outros profetas do V.T.), ordenando: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado; os meus bois e cevados já estão mortos e tudo está pronto; vinde às Bodas. Eles, porém, não fazendo caso, foram, um para o seu campo, outro para o seu negócio e os outros, apoderando-se dos servos (os apóstolos), os ultrajaram e mataram (a maioria dos apóstolos morreu por causa de sua fé). Mas o Rei (Deus Pai) encolerizou-se e enviando os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas e incendiou a sua cidade (a destruição de Jerusalém em 70 A.D.). Então disse aos seus servos: As Bodas, na verdade, estão preparadas, mas os convidados não eram dignos.Quando os Judeus, vez após vez, rejeitaram o chamado de Jesus para que desenvolvessem relacionamento com Ele, a oferta foi expandida para todo o mundo gentil.

Mt.22:11-12 “Mas, quando o Rei entrou para ver os convivas, viu ali um homem que não trajava veste nupcial e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui, sem teres veste nupcial? Ele, porém, emudeceu.‖ Uma coisa que imediatamente desqualifica um crente para estar nas bodas é não ter vestes nupciais. Em Apocalipse 19:7 diz que a esposa de Jesus se aprontou, e é vista como santa diante do Senhor. O versículo 8 diz que: “ E foi-lhe permitido vestir-se de linho fino, resplandecente e puro; pois o linho fino são as obras justas dos santos.‖ Note que o indivíduo que não trajava vestes de núpcias é chamado por Jesus de amigo. No grego “amigo” também pode ser traduzido “camarada” ou “companheiro”. Estes crentes ficam tão surpresos de que, apenas ter nascido de novo, não é suficiente para fazê-los Noiva, que emudecerão!

Sendo achados infiéis e sem vestimentas de justiça, o futuro deles é revelado no versículo 13:

Mt.22:13 “Ordenou então o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.‖ Como já vimos anteriormente, as trevas exteriores mencionada aqui (e em outras 3 passagens) não é o inferno, mas o lugar de trevas no mundo, que fica para fora das portas ou do portal, pelo qual os justos passarão durante o arrebatamento para chegar ao céu. Como esses crentes infiéis perceberão que eles foram expulsos, então chorarão e rangerão os dentes e lamentarão, enquanto percebem que ficaram pra trás para enfrentar a tribulação.

A NOIVA

UM NÚMERO PEQUENO

O próximo versículo faz uma observação que indica quão pequeno em

relação ao Corpo de Cristo, será o número dos que estarão prontos

quando Jesus voltar para Sua Noiva. Mt. 22:14 “Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos.‖ Entre todos os crentes, muitos serão chamados para Ser Noiva, mas poucos serão achados dignos de ser escolhidos. Como veremos adiante os muitos que foram chamados, mas foram deixados para trás, se multiplicarão em muitos mais, ao final da tribulação que foi abreviada.

A Noiva escolhida será pequena em número. Será que existe outra

evidência na Palavra de Deus que de suporte a essa conclusão?

DUAS CENAS CELESTIAIS DE APOCALIPSE

Duas são as cenas registradas em Apocalipse que contrastam a forma como se parecerá o paraíso depois do arrebatamento da Noiva e mais tarde depois do arrebatamento dos santos da tribulação.

A primeira cena registrada em Apocalipse 4 e 5, mostram 24 anciãos, que

representam toda a Noiva, composta de anciãos ou crentes maduros. Eles são vistos diante do trono (imediatamente depois do arrebatamento da Noiva descrito no versículo 1 de Apocalipse 4) vestidos de vestes brancas, usando suas coroas, as quais receberam no arrebatamento. Apocalipse 7 mostra a cena no paraíso imediatamente depois do arrebatamento do segundo grupo de crentes, após a tribulação daqueles dias (Mt.24:31) no Grande e Temível Dia do Senhor. Como já dissemos antes, a tribulação é abreviada com a quebra do sexto selo (Ap. 6:14) para o bem dos eleitos (Mt.24:22) que estavam sendo martirizados, assassinados em massa pelo falso profeta.

Nesse dia, quando o derramar da ira de Deus se iniciar, sobre um mundo descrente, todo o Corpo de Cristo estará no paraíso, no céu. As “virgens sábias” terão chegado lá no início da tribulação, e as “virgens tolas” terão acabado de chegar, no momento antes dos asteróides começarem a chocar-se com a Terra. Em Ap.7:13 um dos anciãos pergunta sobre o novo grupo de crentes que acaba de se juntar a eles na Nova Jerusalém. E

no versículo 14 lhe é respondido ―Respondi-lhe: Meu Senhor, tu sabes.

Disse-me ele: Estes são os que vêm da grande tribulação, e lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro.‖ Note que esses santos que acabaram de chegar da grande tribulação,

(diferentemente da Noiva que chegara mais sedo, e já se achava vestida

de vestes de justiça), tiveram que lavar suas vestes e fazê-las brancas,

pelo sangue de Jesus, durante a tribulação.