Vous êtes sur la page 1sur 3

CAPÍTULO 2 - O QUE É UM ROBÔ?

http://www.dee.feb.unesp.br/~marcelo/robotica/Robot2.htm

CAPÍTULO 2 O QUE É UM ROBÔ ?

Neste capítulo vamos estudar algumas definições e conceitos envolvidos com a operação de robôs. Os pontos abordados neste capítulo são: o braço mecânico, seus tipos de automação, uma classificação de robôs, as limitações de custo e implicações sociais.

O BRAÇO MECÂNICO.

O braço mecânico é um manipulador projetado para realizar diferentes tarefas e ser capaz de repeti-las. Para realizar determinadas tarefas, o robô move partes, objetos, ferramentas, e dispositivos especiais segundo movimentos e pontos pré-programados. Um robô consiste de um braço mecânico motorizado e um cérebro na forma de um computador que controla seus movimentos. O computador guarda em sua memória um programa que detalha o curso que o braço seguirá. Quando o programa está rodando, o computador envia sinais ativando motores que movem o braço e a carga no final dele, que é mantida sob controle pelo atuador ("end effector").

Dois aspectos importantes do funcionamento de um braço mecânico corresponde ao sensoriamento do ambiente e como se realiza a programação do mesmo.

SENSORIAMENTO

Para realizar certas tarefas os robôs precisam de habilidades sensoriais similares às do homem. Os modelos avançados de robôs estão equipados com sensores mas sua capacidade ainda é limitada, assim como sua capacidade de movimentação, já que os robôs ficam fixos em um local, ou tem um espaço restrito para se mover.

PROGRAMAÇÃO.

O computador que controla o robô deve possuir as seguintes características:

memória para guardar os programas; conexões para os controladores dos motores; conexões para entrada e saída de dados e para

ativar os programas operacionais; unidade de comunicação controlada por um

humano.

TIPOS DE AUTOMAÇÃO.

Automação pesada: máquinas que são projetadas para executar uma função específica. Nestes sistemas, qualquer mudança na operação padrão demanda uma mudança no hardware da máquina e em sua configuração. Geralmente utilizados para um produto particular e de difícil adaptação a outro produto. Automação flexível:máquinas de fácil programação onde pode ser mudada fácil e rapidamente uma configuração de manufatura para outra.

CLASSIFICAÇÃO DE ROBÔS.

1ª Geração - são incapazes de obter qualquer informação sobre o meio. Podem realizar apenas movimentos pré-programados e as informação que eles retornam sobre o ambiente de operação é mínima.

CAPÍTULO 2 - O QUE É UM ROBÔ?

http://www.dee.feb.unesp.br/~marcelo/robotica/Robot2.htm

2ª Geração - possui todas as características da 1ª Geração, acrescentando uma detalhada comunicação com seu ambiente. Esta comunicação é atingida através de sistemas de sensoriamento e identificação. Necessita de computadores mais velozes, com maior memória, e também um grande avanço na capacidade de sensoriamento.

LIMITAÇÕES DE CUSTO.

O maior fator que impede a adoção em massa de robôs nas indústrias é seu alto custo. O tempo que leva para se

recuperar o investimento em um robô depende dos custos de compra, instalação e manutenção. Este tempo não é fixo, depende da fábrica onde o robô será instalado e de sua aplicação. Deve-se considerar as seguintes condições:

número de empregados substituídos pelo robô; número de turnos por dia; produtividade comparada a seu custo; custo de projeto e manutenção; custo dos equipamentos periféricos.

O preço de um robô é determinado por:

tamanho; sofisticação ou grau de complexidade; exatidão; confiabilidade.

IMPLICAÇÕES SOCIAIS.

Nos últimos tempos, através da automação, observou-se o decréscimo do nível de emprego nas atividades industriais. A curto prazo, a automação levanta problemas como o desemprego, necessária reconversão e treinamento pessoal, conseqüências da redução de horas de trabalho, questões de aumento de salários em atividades de maior produtividade.

Alguns aspectos do confronto operacional de homens e robôs são:

HOMEM X ROBÔS

O robô tem claramente algumas vantagens sobre os humanos:

1. não se cansa;

2. não necessita de salário;

3. pode manter uma qualidade uniforme na produção;

4. não necessita de condições ambientais

especiais, tais como ar condicionado, luz e silêncio.

Em compensação, o robô tem: aprendizado, memória e movimentos limitados se comparado a um homem.

Início desta página

Índice

Próximo capítulo

CAPÍTULO 2 - O QUE É UM ROBÔ?

Prof. Marcelo N. Franchin franchin@feb.unesp.br

atualizado em quarta, 07 de dezembro de 2005 por Marcelo Franchin.

http://www.dee.feb.unesp.br/~marcelo/robotica/Robot2.htm