Vous êtes sur la page 1sur 17

VII- Seqüência

didática das
atividades
propostas:
1ª) Jornal: leitura e debate.
Objetivos:
a) Aprender a reconhecer e a
utilizar diferentes formas de
organização textual, bem como
os recursos lingüísticos
próprios de cada modalidade.
b) Desenvolver nos alunos
não só as habilidades de
leitura do jornal, mas
também estimular a crítica
e o debate sobre temas da
atualidade.
Tempo:
Variável, conforme o nível
de escolaridade do aluno
e os limites de
aprofundamento do
trabalho.
Nível dos alunos:

A partir da 7ª série, mas


sobretudo no 2º grau.
Material:
Jornais diversos, de grande
circulação, do bairro ou regionais;
charges e reportagens; papel de
carta,pardo,sulfite; canetas
hidrográficas;fita adesiva; e as
fichas de uso individual e coletivo.
Desenvolvimento:
O professor irá:
- selecionar, ler e comentar alguma notícia veiculada

pelos jornais;
- propor aos alunos que se organizem e realizem o

mesmo;
- resumir as informações no caderno;

- registrar em tópicos, as respostas as questões: quem,

o que, quando, onde, como e por quê.


- fazer para os colegas um relato da notícia lida;

- reflexão, opinião e debate sobre o fato;

- sugerir aos alunos que eles próprios escrevam uma

notícia ou criem um jornal.


Conclusão:

O professor registra as conclusões da classe na


lousa e solicita que os alunos façam o mesmo
no caderno;
Ou os grupos apresentarão o resultado do
trabalho para a classe e depois poderão deixá-
lo exposto na sala.
Como usar o
jornal na sala de
aula
I – Abordagem histórica:
 história da escrita;
 popularização do texto escrito e invenção da imprensa
no século 16;
 criação e expansão dos jornais, no século 18;
 progresso das técnicas de impressão e a extensão da
alfabetização às classes populares, no Primeiro
Mundo, no século 19;
 o jornal impresso, com o texto jornalístico e o
jornalismo noticioso dá um grande poder á imprensa.
II – Por que o jornal na escola?
Para os alunos o jornal:
- é mediador entre a escola e o mundo;

- ajuda a relacionar seus conhecimentos prévios e sua

experiência pessoal de vida com as notícias;


- leva-os a formar novos conceitos e a adquirir novos

conhecimentos a partir de sua leitura;


- ensina-os a aprender a pensar de modo crítico sobre o

que lê;
- estabelece novos objetivos de leitura.
Para os professores o jornal:

- é um excelente material
pedagógico sempre atualizado,
desafiando-os a encontrar o
melhor caminho didático para
usar esse material na sala de
aula.
III - O papel do professor:
 As estratégias que o professor
oferecerá à classe para que esta
construa seu próprio
conhecimento, em contato com
textos autênticos será a de:
descobrir, compreender, explicar
e conceituar.
IV – Uma pedagogia da informação:
No sentido mais geral, o trabalho com o jornal
na escola leva o aluno a desenvolver além das
operações e processos mentais que concorrem
para a construção da inteligência, mas também
como:
- aprender a ler; a escrever; a transferir
aprendizagem dos fatos gerais lidos no jornal à
sua vida quotidiana; e aprender a aprender.
V – Planejamento Pedagógico:
O planejamento do professor precisa atender a fatores
básicos como:
- o tempo que se pretende dedicar ao jornal;

- a escolha das atividades que pretende desenvolver;

- as características específicas das turmas em que se

leciona;
- idade e nível intelectual dos alunos;

- o momento do ano letivo em que o assunto será

tratado;
- o interesse dos alunos por determinados temas.
VI – Avaliação da aprendizagem:
Habituar os alunos a indagar, ao fim de
uma atividade:
- O que aprendi e com que estratégias?

- Que dificuldades encontrei?

- O que nos ajudou a resolver essas

dificuldades?
Bibliografia:
1) Como usar o jornal na sala de aula; de Faria,
Maria Alice – Coleção Repensando o ensino
– Editora Contexto.
2) Ler, entender, criar – 5ª série Língua
Portuguesa, de Vieira, Maria das Graças e
Figueiredo Regina – Editora Ática.
3) Ensinar e aprender – Volume 1 – Língua
Portuguesa – Secretaria de Estado de
Educação.