Vous êtes sur la page 1sur 44

1.

COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS

1.1 CARVÃO MINERAL

O carvão mineral é originário da transformação da matéria vegetal de


grandes florestas soterradas há milhões de anos, através da ação da
pressão, temperatura e microorganismos. A pressão do solo, calor e
movimento da crosta terrestre produziram a destilação de produtos
gasosos, ocorrendo a formação do lignito. A contínua atividade
subterrânea propiciou a redução progressiva do conteúdo gasoso dos
carvões de diferentes classificações (ranking): turfa, lignito, sub-
betuminoso, betuminoso e antracito.
.
O carvão encontra-se distribuído por toda a crosta terrestre, com
incidências superficiais ou profundas e com vários graus de pureza. O
maior ou menor grau de pureza decorre de como se processou a
mistura dos materiais celulósicos com as substâncias minerais.

A extração do carvão no Brasil vem sendo desenvolvida


essencialmente nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Carina,
os quais possuem as maiores reservas de carvão nacional. A Bacia
Carbonífera de Candiota, no RGS,é a maior de todas e conta com
cerca de 12x109 ton de carvão usado como carvão energético.

A caracterização das propriedades físicas, químicas e


petrográficas do carvão pode determinar seu valor econômico, desde
a mineração até a sua utilização industrial. É importante o
conhecimento das propriedades do carvão, pois se pode ter um
melhor controle do processo industrial que utiliza esse material,
incluindo o controle de emissões atmosféricas e efluentes líquidos,
assim, com uma disposição adequada dos rejeitos sólidos,
minimizando os efeitos indesejáveis ao meio ambiente.
Na utilização do carvão para fins energéticos, é essencial o
conhecimento prévio das propriedades do carvão por:

-análise elementar;
-análise imediata;
-poder calorífico superior e inferior;
-reatividade.

Além disso, a determinação de álcalis, Na (sódio) e K


(potássio) nos carvões é importante, porque estes causam
sérios problemas de obstrução (fouling) em caldeiras,
devido a fácil volatilização e condensação destes sobre as
frias paredes da caldeira.
O carvão é empregado principalmente nos processos de combustão,
gaseificação, liquefação e carbonização. A tabela 4 apresenta um resumo
desses processos.

A combustão do carvão inicia pela ignição, causando a


degradação térmica (pirólise), que produz duas frações: produtos
voláteis e o coque.

Os voláteis queimam em uma reação na fase gasosa, enquanto o


coque sofre uma reação superficial heterogênea com o oxigênio. Os
produtos da combustão são calor e produtos finais de baixo valor
como as cinzas.
As principais técnicas usadas na combustão do carvão são

-Leito fluidizado;
-Leito fixo ou em grelhas;
-Pulverizado.

O último método é o mais usado em grandes plantas industriais


para geração de energia elétrica, embora a combustão em leito
fluidizado está sendo cada vez mais empregada.
1.2 Lenha

Lenha é a denominação dada à madeira quando destinada ao uso


como combustível, seja na forma de troncos, ramos de árvores, achas
(pedaço de madeira tosca), cavacos, etc.
Suas características mais importantes são:
-estrutura
-teor de umidade
-massa específica baixa
-poder calorífico depende muito da umidade, PCI=4590 – 52(%u)kcal/kg
-baixo teor de cinzas e ausência de enxofre

Análise elementar: 47,5%C; 6,0%H; 44%O; 1,0%N e 1,5% cinzas.


O uso da lenha como combustível industrial apresenta alguns
inconvenientes:

-apresenta outras aplicações, como: produção de celulose, móveis,


construção civil, indústria química, etc;
-problemas de transporte, manuseio e estocagem, como todo
combustível sólido;
-a combustão da madeira desperdiça elementos voláteis, importantes
para outras indústrias, e que poluem o ambiente;
-poder calorífico relativamente baixo e dependente da umidade;
-irregularidade no fornecimento, devido à sazonalidade de sua colheita.

A saída para o fornecimento e a competição com outros usos é o


plantio de florestas energéticas com espécies de rápido crescimento e
alta massa específica, através da engenharia genética.
1.3 Carvão Vegetal

O carvão vegetal ou de madeira é uma substância combustível,


sólida, negra e quebradiça, resultante da combustão incompleta da
madeira (pirólise), cuja análise elementar é:
-acima de 83%C; 2 a 3%H; 3 a 4%O; máx. 7% de cinzas e máx. de
7% de umidade.

Através da pirólise da lenha (destilação seca a 400ºC e na ausência


de oxigênio) podem ser obtidos:
-carvão vegetal;
-alcatrão de madeira, rico em fenóis e cresóis;
-destilado aquoso denominado de ácido pirolenhoso;
-gases combustíveis como o CO, H2 e etileno.
Em relação ao coque de carvão mineral, apresenta teores de
enxofre e cinzas mais baixos e por suas propriedades elétricas
permite a obtenção de cargas mais resistivas, além disso, no caso
brasileiro, permite a economia de divisas, pois o carvão mineral para
coque é importado.

As desvantagens são: fragilidade, o que resulta em formação de


finos em excesso; altamente higroscópico e heterogeneidade.

Seus principais usos são:

-combustível doméstico;
-redutor siderúrgico;
-enriquecimento do solo na agricultura.
2. Combustíveis Líquidos

2.1 Derivados de Petróleo

O petróleo é o combustível fóssil de maior uso na


atualidade e apresenta reservas que devem durar até
meados deste século.
Sua grande vantagem está na facilidade de transporte,
estocagem e numa indústria de transformação bem
distribuída e com custos baixos, o que torna seus
derivados competitivos e de difícil substituição aos níveis
de preço hoje praticados.
2.1.1 Gasolina
aditivada, pode ser comercializada com cores diferenciadas, de acordo com
cada companhia distribuidora.

MON – Motor Octane Number


RON - Reserch Octane Number
2.1.2 Querosene
2.1.3 Óleo Diesel
2.1.4 Óleo Combustível
2.2 ETANOL

O Etanol é obtido de biomassa rica em açúcares e


amido, principalmente da cana-de-açúcar no Brasil.
Utiliza-se o processo de fermentação do caldo de cana
ou dos melaços da fabricação do açúcar, podendo o
processo dividir-se em quatro fases: preparação da
matéria prima,obtenção do caldo, fermentação e
destilação.
O processo de fermentação deixa dois resíduos
principais: bagaço, que é usado como combustível na
própria destilaria e o vinhoto usado como fertilizante na
plantação de cana.
Existem dois tipos de etanol fabricados no Brasil, o anidro e
o hidratado. O álcool anidro, com teor mínimo de
99,3ºINPM, misturado à gasolina. O álcool hidratado, com
teor mínimo de 92,6ºINPM, usado como combustível em
veículos de passeio e comerciais leves.
O etanol é um combustível ecologicamente correto, pois é
fonte renovável de energia, o que ajuda na redução da
emissão de gás carbônico.
Na tabela seguinte, são apresentadas as especificações do
etanol, segundo a portaria 126 de 08/08/2002-ANP.
2.3 Biodiesel

É um biocombustível composto de alquilésteres de


ácidos graxos de cadeia longa, derivados de óleos
vegetais ou de gorduras animais.
alcóolise: éster+álcool
R1-CO-OR + R2-OH → R1-CO-OR2 + ROH
O álcool utilizado no Brasil é o etanol, enquanto que em
outros países, utiliza-se o metanol.
No processo, além da mistura de alquilésteres de ácidos
graxos,é obtido o glicerol ou glicerina, que é um triálcool
de três carbonos.
Atualmente no Brasil está sendo misturado ao diesel.
3. Combustíveis Gasosos
3.1 Gás Natural

21.
3.2 Gás Liquefeito de Petróleo - GLP
3.3 Biogás
• É um produto estéril, inócuo, inodoro quando purificado
(em estado natural tem leve odor de gás sulfídrico) e de
fácil manuseio.
• O biogás é obtido a partir da digestão anaeróbica de
resíduos vegetais ou animais, principalmente esterco
bovino ou suíno. Pode ser obtido a partir de esgoto
urbano e de aterros sanitários de lixo urbano.
• O resíduo da produção do biogás pode ser usado como
fertilizante orgânico na lavoura.
3.4 Hidrogênio
• Atualmente o hidrogênio é produzido através da reforma com vapor
do gás natural, segundo a reação:
• CH4 + H2O → CO + 3H2
• O processo de hidrólise da água é muito caro e só é usado quando
se necessita de pequenas quantidades de hidrogênio puro.
• Os usos mais importantes do hidrogênio são:
• -hidrogenação catalítica de derivados de petróleo;
• -síntese da amônia e metanol;
• -hidrogenação de óleos vegetais (margarinas).
• No futuro deve ser usado em veículos movidos a energia elétrica
com células de combustível, mas, para isso deve-se descobrir uma
maneira de produzi-lo através de microorganismos modificados
geneticamente, sendo chamado de biohidrogênio.