Vous êtes sur la page 1sur 20

O TEXTO DRAMÁTICO

FAL Destina-se fundamentalmente a ser representado


AS DAS
PER ÁL IAS
SONA ASC
GEN ACÇÃO DI D
Em discurso directo
S Resulta da Indicações cénicas:
•movimentação e
precedido do nome da interacção das
personagem: atitudes das
personagens personagens
•monólogo
•diálogo •cenário
•apartes TEXTO DRAMÁTICO •iluminação
Objectivo: •música/sons
Reproduzir um ou vários
acontecimentos (Acção) reais TEMPO
ESPAÇO ou fictícios, situados no Tempo
Real Passado
e no Espaço, representados e /
Imaginário ou referenciados pelas
Presente
personagens Futuro

PERSONAGENS (encarnadas por actores)

Caracterização: Relevo: Concepção:


Directa (auto/heterocaracterização) Principais Planas: personagens-tipo
Secundárias
Indirecta (acções, atitudes) Figurantes Modeladas: caracteres
Felizmente Há Luar!
Teatro épico (narrativo)

Apresentação duma O Passado: a sociedade da


acção histórica segunda década do séc. XIX

•interpreta
Espectador A sociedade do
•reflecte
testemunha Presente
•julga
Título
Felizmente Há Matilde
D. Miguel
Luar!
Perspectiva do Perspectiva do
Poder Antipoder

Terror Agitação das


consciências
Visibilidad
Anulação da e Estímulo da
conjura coragem

Manutenção Incentivo à
do poder luta
Felizmente Há Luar!
Didascálias – funções principais

Expressão facial / corporal


Movimentos das personagens
Entoação
I. Entre parênteses, indicam
Entrada e saída de personagens

Pausas

O destinatário das falas


Mudanças na luz

II. Laterais, fazem sobretudo A caracterização das personagens


Felizmente Há Luar!

Estrutura paralela

Início do Acto I Início do Acto II

Antes da prisão de Gomes Freire Após a prisão de Gomes Freire

Manuel: Que posso eu fazer? Manuel: Que posso eu fazer?

Imobilismo da sociedade
Impotência dos descontentes
Felizmente Há Luar!
Acção
Gomes Freire d’Andrade,
Unidade «sempre presente»

Acto I Acto II
•Tema de conversa entre os
populares. Luta de Matilde, sem
êxito, em defesa da vida do
•Vigilância do General por
companheiro.
ordem de D. Miguel.

Ânsia dos regentes por


indícios que permitam a
acusação. Execução do General
Gomes Freire de Andrade.

Decisão de condená-lo.
Felizmente Há Luar!
Acto II
Acção Dualidade A resistência ao poder

Acto I •Pede clemência.


Os mecanismos do poder •Humilha-se.
•Suplica.
•Denuncia.
•União de conveniência Matilde •Acusa.
entre os governantes
•Evidencia as
•Recurso a delatores arbitrariedades do poder:
político, religioso, judicial.
•Acusação com ou sem
provas
Revela a força popular
•Reforço do clima de medo
Manuel neutralizada por: miséria,
•Julgamento secreto ignorância, medo.
•Juízes facilmente Sousa Representa oficiais
manobráveis Falcão descontentes.
•Execução imediata
Representa clérigos que não
Frei
aceitam o colaboracionismo da
Diogo
Igreja.
Personagens - caracterização
OS OPRESSORES OS DELATORES
A JUNTA DE REGÊNCIA OS CÚMPLICES DOS OPRESSORES
OS TRAIDORES DO POVO
BERESFORD – PODER MILITAR
Marechal inglês, «mau oficial», VICENTE – elemento do povo,
arrogante, mercenário, pragmático, frustrado, inteligente , expedito,
racional, invejoso, prepotente, injusto, manipulador, hipócrita, interesseiro,
protestante cínico, disssimulado, astuto, sarcástico,
egoísta, calculista, diligente
MIGUEL FORJAZ – NOBREZA
ARISTOCRÁTICA LATIFUNDIÁRIA MORAIS SARMENTO – capitão, «mau
Nobre conservador, reaccionário, oficial», bem vestido, mundano,
estadista, opressor, autoritário, ignorante, covarde, medíocre, mau
arrogante, perigoso, anti-jacobino, carácter, interesseiro, falso,
rancoroso, invejoso, injusto dissimulado, perverso, calculista,
maçónico
PRINCIPAL SOUSA – PODER
RELIGIOSO ANDRADE CORVO – capitão, delator,
Opressor, cínico, fanático, reaccionário, interesseiro, materialista, covarde,
cruel, rancoroso, anti-jacobino, culto, falso, dissimulado, perverso, calculista,
materialista, racional, injusto maçónico renegado
Personagens - caracterização
GOMES FREIRE DE ANDRADE
General, militar experiente e talentoso, honrado, distinto, estrangeirado, inteligente,
culto, generoso, idealista, «santo», solidário, fraterno para com os mais pobres,
Grão-Mestre da Maçonaria, injustiçado

A COMPANHEIRA
POVO A AMIGA
MANUEL- popular consciente, MATILDE – mulher de meia idade, lúcida,
lúcido, pobre consciente, culta, solitária, angustiada,
ANTIGO SOLDADO – antigo triste, desesperada, corajosa, vigorosa,
militar, experiente, alegre, persistente, honrada, lutadora, fiel,
brincalhão, contador de histórias apaixonada
passadas
RITA – mulher sensível, fraterna, OS AMIGOS
solidária, apaixonada pelo SOUSA FALCÃO – fiel, dedicado, lúcido,
marido crítico, triste
POPULARES – pobres, FREI DIOGO – honesto, fiel, solidário,
miseráveis, andrajosos carácter de elevada espiritualidade
Interacção de personagens
Acto I
Ambiente contra-
Ambiente revolucionário
revolucionário
Esperança popular no
General Gomes Freire Vicente levado à presença
dos governadores
Vicente:
•Miguel Forjaz: incumbe-
•Denigre o Genereal
•Instala a desconfiança o de vigiar a casa do
•Diminui a esperança General
•PrincipalSousa abençoa-o

Popular
Vicente manipula a Principal Sousa Miguel Forjaz
opinião do povo
Traição a troco de
recompensa

Vicente Delator

Manuel Antigo Populares


soldado Esperança
Gomes Freire de Andrade
Interacção de personagens
Acto I
Governadores:
Beresford: necessidade de medidas •medo da revolução
imediatas para salvaguardar o poder face • ódios mútuos
ao ambiente revolucionário na capital •união por interesse
Andrade Corvo e Morais Sarmento: Vicente, A. Corvo e M. Sarmento:
promessa de descoberta da identidade dos portadores de informações que
conspiradores, a troco de reabilitação e possibilitam a identificação de
recompensas Gomes Freire de Andrade como
chefe da conspiração

Miguel Principal Beresford Vicente Corvo Morais


Forjaz Sousa Sarmento

Três
opressores Junta de Regência
Andrade Corvo unidos
Delatores
Morais Sarmento ALVO
Oferta para servir os governadores
General Gomes Freire de Andrade
Interacção de personagens
Acto I
Os Governadores fazem
anunciar por todo o país o
nome do «traidor» Gomes
Freire de Andrade

Miguel Forjaz Principal Sousa Beresford

Manipulação
do país
contra

General Gomes Freire de Andrade


Interacção de personagens
Acto II
A prisão de Gomes Freire
provoca, no povo,
tristeza, desânimo,
descrença e alienação.

•Domínio da Junta de Regência Povo Permanência


conspiração da vida
•Vitória da miserável
opressão

Gomes Freire d’Andrade

Matilde, corajosa, luta


pela vida de Gomes
Freire: pede aos
governadores a sua
libertação
Interacção de personagens
Acto II
Oponentes:
Beresford Principal Miguel Forjaz
rejeitam o pedido de
Sousa
Matilde

Gomes Freire:
Matilde Objecto da interacção
das personagens

Frei Diogo Sousa Falcão Coadjuvantes:


Ajudam Matilde

Julgamento sumário e arbitrário de Gomes Freire e sua


condenação à morte por enforcamento numa noite de luar

Miguel Castigo Felizmente Esperança de


Matilde
Forjaz exemplar há luar! liberdade
Relações e sentimentos entre as personagens

Povo Matilde
Amigos
AMOR AMOR-PAIXÃO
Admiração Admiração
Respeito Respeito
Veneração Veneração

Gomes Freire de Andrade

Ódio Ódio, inveja, rancor


por interesses por interesses
mesquinhos políticos

Vicente Beresford
Corvo Miguel Forjaz
Morais Sarmento Principal Sousa
Felizmente Há Luar! - personagens

Bipolarização
Apoiantes do Apoiantes do
Estratos sociais
poder absoluto poder liberal
•Beresford •Sousa Falcão
Forças militares •Morais Sarmento •Gomes Freire
•Andrade Corvo d’Andrade
e militarizadas
•Dois polícias •Antigo soldado

Clero •Principal Sousa •Frei Diogo de Melo

Nobreza / •D. Miguel •Matilde de Melo


Burguesia
•Vicente •Manuel
Povo •Rita
•Populares
Felizmente Há Luar!
Elementos simbólicos
A moeda de
cinco reis
Os tambores

O luar •A esmola
A repressão
pelo terror •A humilhação
•A incompreensão
Opressão / fim do
da situação do povo
obscurantismo
A saia •A hipocrisia da
verde Igreja

destruição → purificação
A esperança:
morte → esperança
• negada no presente, A fogueira
•projectada para o futuro Clarão: anúncio da
liberdade
Felizmente Há Luar!
Fábula histórica
Paralelismo de duas épocas
Século XIX - 1817 Século XX – anos 60
Regime Monarquia absolutista Ditadura salazarista apoiada pela Igreja
político apoiada pelo clero e e pelas classes favorecidas; regime
pela nobreza. exaurido pela guerra colonial.
Organização Três classes distintas: Diferentes estratos sociais: Igreja, forças
social clero, nobreza, povo. militares, burguesia, povo.
Condições Clero e nobreza Povo explorado e oprimido; restantes
sociais privilegiados; povo grupos sociais mais favorecidos.
miserável e oprimido.
Estruturas Militares e policiais PIDE-DGS, forças policiais suporte dum
de apoio ao comandados por oficiais regime conservador, nacionalista,
regime britânicos; mecanismos corporativo e repressivo .
de vigilância.
Estruturas Condenações arbitrárias Tribunais controlados pelo poder político.
jurídicas e sem provas.
Felizmente Há Luar!
Paralelismo entre o tempo da História e o tempo da escrita

Tempo da História Tempo da Escrita


1817 1961

REGIME POLÍTICO: REGIME POLÍTICO:


ABSOLUTISMO RÉGIO DITADURA FASCISTA

D. João VI, ausente no Brasil Américo Tomás, Presidente da


República (sem poder efectivo)
• Junta de Governadores • Salazar, Presidente do Conselho
• Influência da Igreja de Ministros
• Influência da Igreja

Crise Política e Social Crise Política e Social


• Pós-invasões Francesas • Tentativas goradas de Golpes
• Imposição do Poder Militar Militares
Britânico • Guerra Colonial
• Revolta de 1817
Paralelismo entre o tempo da História e o tempo da escrita

General Gomes Freire General Humberto Delgado


d'Andrade

• Denunciado por delatores • Candidato da oposição às Eleições


• Condenado à forca por traição à Presidenciais de 1958
Pátria • Perseguido pela PIDE
• Assassinado em 1965

Vítima do Regime Político Vítima do Regime Político


• Exílios • Exílios
• Prisões • Prisões
• Mortes • Mortes

1834, Triunfo do Liberalismo 1974, Triunfo da Democracia

Centres d'intérêt liés