Vous êtes sur la page 1sur 50

CURSO EFA COZINHA

B3

CIDADANIA E
EMPREGABILIDADE

Unidade de Competência:
Organização Política dos Estados Democráticos
Formadora: Liliana Pinto
No entanto,
é necessário encontrar uma
lógica para todos os
acontecimentos.
A Europa domina o Mundo
• Entre os finais do séc. XIX e inícios do séc. XX a Europa
dominava o Mundo:

• Razões:
– Metade da produção industrial do mundo era europeia;
– As principais potências industriais localizavam-se na
Europa (Inglaterra, Alemanha e França.)
– Possui bons meios de comunicação. Os principais portos
situam-se na Europa o que lhes permite controlar o
comércio internacional.
– As cidades mais populosas são europeias.
– Um quarto da população é europeia.
– A Europa tem superioridade científica e tecnológica.
– A superioridade europeia deve-se ao controlo económico e
político que exercia nos continentes asiático e africano.
A Europa domina o Mundo
• A superioridade europeia
deve-se ao controlo
económico e político
(colonização) que exercia
nos continentes asiático e
africano.

• O continente africano era


procurado por:
- abundância de matérias-
primas para a indústria;
- mão-de-obra;
- mercado para escoamento
de produtos industriais.
A conferência de Berlim
• A Alemanha estava interessada em possuir territórios
em África, por isso propôs uma conferência com todos
os países com colónias em África.

• Os objectivos da conferência eram:


- a partilha do continente africano pelos países europeus;
- a definição das condições de posse dos respectivos territórios.

• Da conferência resultou que os países colonizadores


tinham direito ao território não só se fossem os
primeiros a chegar ao território mas também teriam
que o ocupar. Logo, a Inglaterra passou a ter uma
vasto território.
As rivalidades entre estados
• Cada país pretendia dominar mais regiões para obter
matérias-primas, mas ao fazê-lo colidia sempre com os
interesses de outros países.

• Geraram-se assim rivalidades entre os países europeus.

• Para além das rivalidades económicas, também os


nacionalismos exerciam tensões entre os países. A Polónia
encontrava-se dividida pela Alemanha, Rússia e Aústria, e
pretendia a sua unificação e autonomia. A Finlândia queria
a sua independência da Rússia. Os países balcãs (Albânia,
Bósnia-Herzegovina, Bulgária, Croácia, Montenegro,
República da Macedónia, Sérvia,) também queriam a sua
independência do domínio turco e austríaco.
A Europa em 1914
A Europa Actual
A Formação de Alianças
• Devido ao clima de tensão entre países,
estes aliaram-se em :
- Tríplice Aliança: Alemanha, Império
Austro-Húngaro e Itália.
- Tríplice Entente: França, Rússia e
Inglaterra.

Caso um dos países fosse atacado, os


outros prestariam apoio militar.
Tríplice Entente: Tríplice Aliança:
A Formação de Alianças
• A formação de alianças levou:
- à corrida pelo armamento, já que a
guerra estava eminente.

- A Europa vivia em “paz armada”


(situação de pressão que faz pressentir
uma guerra.).

- Qualquer motivo seria um pretexto para


iniciar a guerra.
A Primeira Guerra Mundial
1914/1917
• Ao visitar Saravejo, capital da Bósnia, região
anexada ao Império Austro-Húngaro em
1908, o príncipe herdeiro Francisco
Ferdinando sofreu um atentado que lhe
roubou a vida, juntamente com sua esposa,
em 28 de junho de 1914. O autor foi um
estudante nacionalista ligado à organização
de origem sérvia, rival dos austríacos na
disputa pelo controle da região. A Sérvia foi
responsabilizada pelo assassinato do príncipe,
consequentemente, os austríacos ordenaram
a mobilização de suas Forças Armadas.
Assassinato do príncipe
herdeiro Fernando Ferdinand
A Primeira Guerra Mundial
• Apesar dos esforços de outras potências,
especialmente da Grã-Bretanha, em 28
de Julho a Áustria declarou guerra à
Sérvia. No dia seguinte a Rússia, que se
considerava protectora dos sérvios,
iniciou a mobilização de suas forças. Em
31 de Julho, a Alemanha proclamou
estado de guerra e enviou um ultimato à
Rússia.
A Primeira Guerra Mundial
• Numa rápida sucessão de eventos, em Agosto houve a
declaração de guerra alemã à Rússia e à França, invadindo
a Bélgica.
• A Inglaterra enviou um ultimato à Alemanha, em protesto
contra a violação da neutralidade belga, e declarou guerra à
Alemanha. Foi como se um imenso mecanismo político
administrativo-militar fosse posto em movimento e ninguém
mais poderia controlá-lo.
• A partir daí, como resultado das alianças militares que já
existiam entre as diversas nações, entraram na guerra,
ainda em 1914, a Áustria, Montenegro, Sérvia e Japão.
• Em 1915, a Itália e a Bulgária.
• Em 1916, Portugal e Roménia.
• Em 1917, os E.U.A., Cuba, Panamá, Grécia, Sião, Libéria,
China e o Brasil.
A Primeira Guerra Mundial
• Até meados de 1917, o Brasil ainda mantinha
uma atitude de neutralidade. O governo
brasileiro, contudo, seria forçado a modificar
sua posição devido à comoção nacional
causada pelo afundamento de quatro navios
mercantes brasileiros por submarinos
alemães. Consequentemente, em 26 de
outubro de 1917, foi reconhecido e
proclamado o estado de beligerância centre o
Brasil e o Império Alemão.
A Primeira Guerra Mundial
• Nos finais de 1914 a
guerra já não se
confina à Europa, e
Japão, o Brasil e a
Turquia tornam-se
beligerantes. Em
1917 os EUA entram
na Guerra.
O Armistício - 1918
• Armistício é a ocasião na qual as partes de um conflito
armado concordam com o fim definitivo das hostilidades. É o
instante anterior ao tratado de paz. A palavra deriva do latim:
arma (arma) e stitium (parar).

• A partir de 1917 a situação começou a alterar-se, com a


chegada das forças norte-americanas e com a substituição de
comandantes por outros, com nova visão da guerra e das
tácticas e estratégias mais adequadas; lançam-se, de um
lado e de outro, grandes ofensivas, que causam profundas
alterações, acabando por colocar as tropas alemãs na
defensiva e levando por fim à sua derrota.

• O armistício é assinado em 1918.


O Tratado de Versalhes
• Em 1919, reúnem-se em Versalhes (França), os
delegados dos trinta países vencedores para discutir as
condições de paz a impor à Alemanha e aos restantes
países vencidos.

• O Tratado de Versalhes (1919) foi um tratado de paz


assinado pelas potências europeias que encerrou
oficialmente a Primeira Guerra Mundial.

• O principal ponto do tratado determinava que a


Alemanha aceitasse todas as responsabilidades por
causar a guerra, e que fizesse reparações a um certo
número de nações da Tríplice Entente.
Tratado de Versalhes
Os termos impostos à Alemanha incluiam:

– Devolver os territórios ocupados durante a guerra;

– o exército Alemão foi restrito a 100.000 soldados, não sendo


permitido tanques ou artilharia pesada e a aeronautica;

– Indeminização em cerca de 132 bilhões de marcos aos países


lesados.

– Os problemas económicos que tal pagamento trouxe, e a


indignação alemã pela sua imposição são normalmente citados
como um dos mais significantes factores que levaram ao início da
ditadura de Adolf Hitler, que levou à II Guerra Mundial.
Europa após 1ª Guerra Mundial
Consequências da 1ª GM
• 9 milhões de mortos, 17 milhões de feridos, 4 milhões de
viúvas e milhões de orfãos.
• 1 milhão de mortos civis.
• Diminuição das natalidade
• Grande nº de deficientes
• Envelhecimento da população
• Economia arrasada
• Falta de produtos agrícolas e industriais
• Aumento da inflação e de preços.
• Aumento da emigração
• Grandes dívidas de guerra
• Países europeus arruinados
• Os EUA aparecem como os verdadeiros vencedores da guerra:
não sofreram destruição, perdas militares mínimas e todos os
países europeus lhes devem dinheiro.
O Fim da Hegemonia
Europeia
• A Europa fica arruinada com a guerra.
• A maior parte das moedas desvalorizaram, subindo od
preços e a inflação.
• Os EUA beneficiam das consequências da guerra:
exportações duplicam, arrecadam dinheiros das dívidas
europeias. Em 1919 possuem metade do ouro mundial.
• Por isto o sistema monetário internacional é liderado
pelo dólar.
• Grave crise económica-social europeia: desemprego,
agravamento das condições de vida, os partidos
comunistas tornam-se fortes e defendem as ditaduras.
A Segunda Guerra Mundial
1939/
• Causas:
• A Primeira Guerra Mundial - "feita para pôr
fim a todas as guerras" - transformou-se no
ponto de partida de novos e irreconciliáveis
conflitos, pois o Tratado de Versalhes (1919)
disseminou um forte sentimento nacionalista,
que culminou no totalitarismo nazi-facista. As
contradições se aguçaram com os efeitos da
Grande Depressão.
A Segunda Guerra Mundial
1939/1945
Hitler sobe ao poder alemão, tem
como objectivos:
- restaurar o antigo poderio alemão;
- mostrar a superioridade da raça
germânica;
- o que só poderia ser possível
através da conquista de novos
territórios e à custa das armas.
A Segunda Guerra Mundial
1939/1945
• No dia 1 Setembro de 1939 a Alemanha
invade a Polónia, que foi derrotada e dividida
entre a Alemanha e a Rússia.
• A França e a Inglaterra colocam-se do lado da
Polónia, declarando guerra à Alemanha.
• Os EUA entram na guerra em 1941, quando
os Japoneses atacam Pearl Harbor.
• Os aliados (França, Inglaterra e Rússia)
recebem ajuda dos EUA e conseguem
derrotar a Alemanha.
• O fim da guerra dá-se a 1945.
2ª Grande Guerra Mundial
(1939-1945)
• O que foi?

• Quando?

• Como?

• Quem?

• Porquê?

• Consequências?
2ª GGM
O que foi?
Foi um conflito armado à escala mundial, tal como a 1ª GGM (1914-
1918), mas causou um número de vítimas bem mais elevado,
aproximadamente setenta milhões de mortos (cerca de 2% da
população mundial da época), a maioria das quais civis.

Foi o maior e mais sangrento conflito de toda a história da Humanidade

Tal conflito só poderia resultar de importantes factos, dos quais se


podem considerar como mais relevantes:
– Crise económica mundial na década de 1930
(Grande depressão);

– Surgimento dos regimes políticos totalitários


fascistas, com objectivos de expansão do
território.
Entre as décadas de 1920 e 1940, surgiu e desenvolveu-se,
em alguns países da Europa, o Fascismo.
Era um sistema político, económico e social que ganhou força
após a 1ª Guerra, principalmente nos países em crise económica:

•Na Itália, o fascismo foi


representado pelo líder
italiano Benito Mussolini, o
“Duce”.

•Na Alemanha, o “Fuher”Adolf


Hitler foi o símbolo do
fascismo, que neste país
ganhou o nome de nazismo.
- Após a 1ª GGM, Itália e Alemanha passavam por uma grave crise
económica, com milhões de cidadãos sem emprego, pagando os erros
da 1ª Guerra.

- As soluções encontradas pelos governos fascistas destes países para


sair da crise foram procurar conquistar novos territórios e a criação
de industrias de equipamentos de guerra. Nos filmes que vimos as
fábricas produziam balas, armas, tanques de guerra, navios, etc mas
de facto a Alemanha estava proibida a qualquer actividade que se
relaciona-se com a guerra, desde o envolvimento na 1ª GGM.

- O ódio pela perda de superioridade enquanto país e de territórios


para o Império alemão, levou a criação de uma ideologia nacionalista
em que o desejo era conquistar mais países.
Surge a ideia de superioridade da Raça Ariana.

- Na Ásia, também o Japão desejava expandir os seus domínios para


territórios vizinhos e ilhas da região.
Quando? Como? Quem?
Porquê?
A 2ª GGM ocorreu entre 1 de Setembro de 1939 e 2 de
Setembro de 1945.

Considera-se como Grande Guerra Mundial porque, apesar de nem


todos os países terem sido palco de guerra, todo o mundo foi
abalado por este conflito.
Nele estiveram envolvidas as forças armadas de mais de setenta
países, opondo:
• Os Aliados
(Grã-Bretanha, França, União Soviética, Polónia, EUA e
China.)

• Potências do Eixo
(Alemanha, Itália e Japão)

O episódio que marcou o início da Guerra foi a invasão da Polónia


pelo exército alemão. De imediato, a França e a Inglaterra
declararam guerra à Alemanha, iniciando a mais longa e
sangrenta crise armada mundial
Mapa do mundo com os participantes da 2ª G.G.M.

Aliados:

Potências do Eixo:

Países neutros:
Fotos Extermínio Nazi
Fotos Extermínio Nazi
Fotos Extermínio Nazi
• Muitos são os filmes, séries televisivas, telenovelas e livros que
retratam o período de 2ª GGM. Sem dúvida que, principalmente o
terror nazi, deixa espaço à mais terrível e mórbida imaginação.

• A perseguição nazi aos não arianos, principalmente aos judeus, ficará


para sempre marcada na história da Humanidade. Para sempre
recordaremos os fortes atentados às Liberdades e Direitos
Individuais de todos aqueles que foram lesados.

• Nos filmes que vimos não pudemos deixar de registar:


- a expropriação dos seus bens;
- privação da identidade pessoal e intimidade;
- a privação das liberdades de expressão e religião,
- obrigatoriedade de residência em guetos;
- identificação racial (uso da estrela de David);
- obrigação de trabalho gratuito em fábricas e em campos de
concentração;
- sujeição a actos de violência física e psicológica;

… e tantos outros crimes desumanos.


Consequências?
• A guerra terminou com a rendição das Potências do Eixo.

• Reprovação dos regimes fascistas e proibição do nazismo.

• Os prejuízos foram enormes, principalmente para os países


derrotados, mas para ambas as partes resultaram em milhões de
mortos e feridos, famílias destruídas, cidades, indústrias e zonas
rurais arrasadas…

• A nível humano ficam as lições retiradas das consequências do


racismo e xenofobia que deixaram feridas graves, principalmente
na Alemanha. Ficará para sempre na memória da Humanidade o
sofrimento de muitos milhões de judeus (estimam-se 6 milhões)
perseguidos e mortos nos campos de concentração. Esta sombra
persegue até hoje os alemães para quem o holocausto é assunto tabu.

• Também o lançamento das bombas atómicas de Hiroshima e


Nagasaki marcam para sempre a história da Humanidade, quer
pelos milhões de mortes que provocaram, quer pelo facto de ainda
hoje, passados 65 anos, nascerem crianças com mazelas
provocadas pela radioactividade.
• Com o final do conflito armado, em 1945, foi criada a ONU
(Organização das Nações Unidas), cujo objectivo principal é a
manutenção da paz entre as nações.

• Cria-se o estado judaico da Palestina, para que os judeus


possam ter o seu próprio território nacional.
Desde então a guerra dos Judeus tem continuado, desta vez com os
Árabes que reclamam a Palestina como território seu.

• Dá-se início ao período da Guerra Fria, colocando em oposição


os EUA e União Soviética, numa disputa entre estas super
potencias que queriam impor a própria ideologia: capitalismo vs
socialismo.
Os EUA acabaram por vencer este conflito.

• Acelera-se o processo de descolonização da Ásia e da África. Até


esta altura os países mais ricos tinham sob o seu poder várias
colónias que exploravam.
Portugal só veio a libertar as suas colónias em África quase 30 anos
mais tarde (1974).
Reestruturação da Europa e política de
blocos - A Crise no Pós-Guerra
• Após as Guerras surgiram duas novas
superpotências: EUA e a URSS. Passando a
controlar a politicamente, economicamente e
militarmente grande parte do Mundo.
• A Europa ficou dividida em Europa Oriental
(associada à União Soviética) e a Europa
Ocidental (associada aos EUA).
• Ambas as partes tinham princípios políticos
opostos (comunismo - URSS/liberalismo-EUA)
O Plano Marshall
• Com as nações europeias frágeis, após uma guerra
violenta, os Estados Unidos estenderam uma série de
apoios económicos à Europa aliada, para que estes países
pudessem se reerguer e mostrar as vantagens do
capitalismo. Assim, o Secretário de Estado dos Estados
Unidos, George Marshall, propõe a criação de um amplo
plano económico, que veio a ser conhecido como
Plano Marshall. .

Países que receberam ajuda do


Plano Marshall
COMECON
• Em resposta ao plano económico dos EUA, a União
Soviética propôs-se a ajudar também seus países aliados,
com a criação do COMECON (Conselho para Assistência
Económica Mútua). Este conselho tinha como meta a
recuperação dos países orientais, também para mostrar
como vitrina as benfeitorias que o socialismo fazia ao
povo.
A Guerra Fria
• A tensão mundial foi-se agravando. O clima de medo de
um outro conflito aumentou, especialmente após os
russos construírem a bomba atómica.
• O Mundo assistiu a uma corrida de armamentos,
especialmente atómicos.
• Em consequência, os EUA formam a NATO (OTAN) –
Organização do Tratado do Atlântico Norte, para
defender os países da Europa Ocidental.
• Por sua vez, a URSS formou a aliança militar entre países
do bloco comunista – Pacto de Varsóvia.
• A esta tensão chamou-se de guerra fria.
Imagens Guerra Fria
Carta de Berlim na Guerra Fria
Países aliados do Pacto de Varsóvia

• União Soviética, Alemanha Oriental, Bulgária,


Hungria, Polônia, Tchecoslováquia e Romênia
Países aliados da OTAN
(NATO)

• República Federal da Alemanha, a Bélgica, o Canadá, a Dinamarca,


a Espanha, os Estados Unidos da América, a França, a Grécia, os
Países Baixos, a Islândia, a Itália, o Luxemburgo, a Noruega,
Portugal, o Reino Unido e a Turquia.
Expansão da Nato
O Crescimento económico
• De 1945 a 1970 os países mais
industrializados são:
– EUA
– URSS
– RFA (República Federal Alemã)
– França
– Japão
Aparecimento das multinacionais
(empresas gigantescas com filiais no
estrangeiro que dominam os
mercados.)