Vous êtes sur la page 1sur 15
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

Disciplina: Estrutura e Funcionamento do Ensino Fundamental e Médio Professor: Veneziano Guedes de Sousa Rêgo

REFORMAS POMBALINAS NO ENSINO

Alunas: Andreia Garcia Carneiro Rita de Cassia Ferreira Bernardo

PERÍODO POMBALINO: UMA BREVE INTRODUÇÃO

PERÍODO POMBALINO: UMA BREVE INTRODUÇÃO Imagem disponível em : http://www.historiadomundo.com.br/upl oad/Periodo%20Pombalino%20-%20H %20DO%20MUNDO.jpg • O Período Pombalino

Imagem disponível em :

http://www.historiadomundo.com.br/upl

oad/Periodo%20Pombalino%20-%20H

%20DO%20MUNDO.jpg

O

Período

Pombalino

corresponde aos anos em que o

Marques

de

Pombal exerceu

o

cargo de primeiro-ministro em Portugal (1750 a 1777), durante o reinado de Dom José I.

• Como

tal,

buscou

empreender

reformas em todas as áreas da sociedade portuguesa, inclusive atingindo a educação do Brasil.

PERIODO POMBALINO

A

origem

e o desenvolvimento histórico da educação

pública no Brasil são estritamente ligados as ações

reformistas empreendida pelo Marquês de Pombal durante o seu governo de Portugal.

Imagem disponível em :

http://www.ead.uepb.edu.br/ava/arquivos/cursos/geografia/fundamento

s_socio_filosoficos_da_educacao/Fasciculo_06.pdf

PERIODO POMBALINO • A origem e o desenvolvimento histórico da educação pública no Brasil são estritamente

PERIODO POMBALINO

A

reforma

educacional

pombalina

culminou

com

a

expulsão dos jesuítas precisamente das colônias portuguesas, tirando o comando da educação das mãos destes e passando para as mãos do Estado.

A metodologia eclesiástica dos jesuítas é substituída pelo pensamento pedagógico da escola pública e laica.

PERIODO POMBALINO

A política educacional como outra qualquer de Pombal era lógica, prática e centrada nas relações econômicas anglo-portuguesa.

PERIODO POMBALINO • A política educacional como outra qualquer de Pombal era lógica, prática e centrada

Imagem disponível em

:http://www.ead.uepb.edu.br/ava/arquivos/cursos/geografia/fundamentos_socio_filosoficos_da_educacao/Fasciculo_06.pdf

PERIODO POMBALINO

Através do alvará de 28 de junho de 1759, Pombal criava as aulas régias de Latim, Grego e Retórica.

Cada aula régia era autônoma e isolada, com professor único e uma não se articulava com as outras.

Os professores geralmente não tinham preparação para a função, já que eram improvisados e mal pagos. Criou também a Diretoria de Estudos, Foi fundada a universidade de Coimbra em Portugal.

Universidade de Coimbra em Portugal

Universidade de Coimbra em Portugal Imagem disponível em : http://2.bp.blogspot.com/_b8lKBo8aG6s/S7ikR5LM9AI/AAAAAAAAAm8/dU2gsip8TPo/s1600/Real_Colegio_dos_Nobres.jpg

Imagem disponível em :

http://2.bp.blogspot.com/_b8lKBo8aG6s/S7ikR5LM9AI/AAAAAAAAAm8/dU2gsip8TPo/s1600/Real_Colegio_dos_Nobres.jpg

Portugal

logo

percebeu

que

a

educação no Brasil estava estagnada e era preciso oferecer uma solução Para isso instituiu o “subsídio literário” para manutenção dos ensinos primário e médio. Criado em 1772 o “subsídio” era uma taxação, ou um imposto, que incidia sobre a carne verde, o vinho, o vinagre e a aguardente.

Imagem disponível em : http://dubleudansmesnuages.com/wp-

content/uploads/2008/06/01-verney2.jpg

PERÍODO POMBALINO

Sempre seguindo os ideais iluministas, todas essas propostas foram frutos das condições sociais da época, a partir das quais, ofereciam-se condições de acompanhar as transformações de seu tempo.

Imagem disponível em :

CONCLUSÃO

Apesar da reforma educacional imposta por Pombal, e todas as propostas feitas por eles.

O Brasil sofreu as consequências do desmantelamento da organização educacional jesuítica e a não-implantação de um novo projeto educacional, pois, somente em 1776, dezessete anos após a expulsão dos jesuítas, é que se instituíram escolas com cursos graduados e sistematizados.

CONCLUSÃO

A reforma de ensino pombalina pode ser avaliada como sendo bastante desastrosa para a Educação brasileira e, também, em certa medida para a Educação em Portugal, pois destruiu uma organização educacional já consolidada e com resultados, ainda que discutíveis e contestáveis, e não implementou uma reforma que garantisse um novo sistema educacional.

Marquês de Pombal Imagem disponível em : http://www.mundoeducacao.com/upload/conteudo_legenda/cd945cb20dc91ef1e1ef9516e071798b.jpg

Marquês de Pombal

Imagem disponível em : http://www.mundoeducacao.com/upload/conteudo_legenda/cd945cb20dc91ef1e1ef9516e071798b.jpg

REFERÊNCIAS

MACIEL, Lizete Shizue Bomura e SHIGUNOV NETO, Alexandre. A educação brasileira no período pombalino: uma análise histórica das reformas pombalinas do ensino. Educ. Pesqui. [online]. 2006, vol.32, n.3, pp. 465-476. ISSN 1678-4634. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022006000300003.

QUEIROZ, C. MOITA, F. Reforma Pombalina: reflexos na educação brasileira 2007. Disponível em :<http://www.ead.uepb.edu.br/ava/arquivos/cursos/geografia/fundamentos_socio_filosoficos_da_educ acao/Fasciculo_06.pdf.> . Acesso em 24 de out de 2015.

COSTA, D, C. Resumo da História da Educação no Período Pombalino, 2012. Disponível em

:<http://www.webartigos.com/artigos/resumo-da-historia-da-educacao-no-periodo-pombalino/38741/>

Acesso em 24 de out de 2015.

Prof.

Fernandes,

W,L.

História

da

Educação,

2010

Disponível em:

<https://welingtoneduca.wordpress.com/aulas-do-1%C2%BA-ano/>. Acesso em 24 de out de 2015.

MUITO

OBRIGADO

MUITO OBRIGADO
MUITO OBRIGADO