Vous êtes sur la page 1sur 36

p 


 
p



÷   

á Estuda os diferentes mecanismos de ação pelos
quais as drogas atuam sobre as funções bioquímicas
ou fisiológicas de um organismo vivo.

á Estudos quantitativos, isto é relacionado à dose-


resposta dos efeitos biológicos e terapêuticos dos
diferentes agente químicos.

DINÂMICA + CINÉTICA = caminho completo


percorrido pelo AGENTE QUÍMICO
á Gera conhecimentos para avaliar os efeitos
colaterais e tratamento de possíveis intoxicações.

      


        !"
#  $
d
%d &'()
*    

A droga deve se ligar a um constituinte


celular (PROTEÍNA - ALVO) para produzir
uma resposta farmacológica e/ou
toxicológica
+  ,     )

-.d /(.. */


/ 
/(d/%÷)

á O efeito (resposta) NÃO depende da sua estrutura


química: Não se ligam a um receptor

á Promovem alterações em suas propriedades físico-


químicas (grau de ionização, solubilidade, tensão
superficial e atividade termodinâmica).

Ex: Antiácidos (Redução da acidez estomacal =


TAMPÕES); diuréticos osmóticos (MANITOL)
.0(

 

m 

* 1 ((&
Diuréticos Osmóticos
Õ Livremente filtrados e não
reabsorvidos
Õ Fármacos estruturalmente
inespecíficos





   d   2  +3, +


-.d /(.. */
/ /(d/÷ 45678)

áA ação biológica depende diretamente de sua


estrutura química. Ligam-se a receptores específicos

á Pequenas alterações em sua estrutura química (E.q.)


podem causar substanciais alterações na atividade
farmacológica.
/-.* 9: (//9: '
-'(
RECEPTORES:
Estruturas protéicas que formam os elementos sensoriais do
sistema de comunicações químicas que coordena a função de
todas as diferentes células do corpo......

žAFINIDADE: tendência de ligação aos receptores

žEFICÁCIA: após ocupação do receptor, a droga é


capaz de iniciar uma resposta (molecular, celular,
tecidual ou sistêmico)

žATIVIDADE INTRÍNSECA: único complexo droga-


receptor induz uma resposta
; 3  , 
 # ;   )
* d<
 ) com pequenas doses são observados
efeitos farmacológicos.

/(d/÷ / =.% ) alterando livremente a


estrutura química ou espacial do medicamento os efeitos
param.

/(d/÷ / &*>- ) capacidade que uma


substância tem para atuar sobre um determinado tecido
e não sobre outro.
? ++
 +

d+
 2
@

? 
ALVO PARA AÇÃO DROGAS
ALVO = macromoléculas protéicas com função de: enzimas, moléculas
transportadoras, canais iônicos, receptores de neurotransmissores e
ácidos nucléicos

O conhecimento das características dos


receptores farmacológicos e suas funções no
organismo tem levado ao desenvolvimento de
medicamentos cada vez mais específicos e com
menores efeitos colaterais
/
A ()

á Os medicamentos podem ativar, 


& e reativar as
enzimas

á B 9:) DROGA interage com o inibidor da enzima


ou ainda com a própria enzima alterando sua carga e
conformação no sentido de ativá-la. É pouco comum
(Barbitúricos = MAO)

á 
B 9:) competição do medicamento com o
substrato pelo centro ativo (CA) da enzima, o
medicamento atua como um substrato análogo que atua
como inibidor do centro ativo da enzima. é o mais
comum.
INIBIÇÃO:
Neostigmina
Organofosforados X Acetilcolinesterase
Carbamatos



á INIBIÇÃO COMPETITIVA:
Substância que se liga no mesmo sítio de ligação que o AGONISTA
sem, no entanto, ativar o receptor. Duas drogas competem pelo
mesmo sítio receptor Pode ser reversível e irreversível. Atropina
X Acetilcolina; Fisostigmina X Acetilcolinesterase

á INIBIÇÃO NÃO COMPETITIVA:


A droga bloqueia em algum ponto a cadeia de eventos que induz a
produção de uma resposta pelo agonista. Portanto liga-se a um
sítio diferente do domínio de ligação do agonista. Ecotiofato:
anti-colinesterásico
REATIVAÇÃO DAS ENZIMAS
Enzimas inibidas podem ser reativadas por
substâncias que desloquem os inibidores de seus
centros ativos.

Ex: PRALIDOXIMA
*0.* ( 
(d  (
á Drogas também interferem com o funcionamento de
PROTEÍNAS CARREADORAS que são responsáveis pelo
carreamento de várias substâncias para o interior das
células

á Glicose, aminoácidos, íons e neurotransmissores são


carreados

á Tem-se a necessidade de proteínas carreadoras, pois


geralmente as moléculas permeáveis são com freqüência
muito polares e insuficientemente lipossolúveis para
atravessarem por si só as membranas lipídicas das células
.0(  *9

*+     @ 


*9 C)
(   ? 
DEDF+?
mm  mmmm

 m m m 
 m m

  m  m 


 m  

 m m
 m
   )
d( / //d/(
á LOCALIZAÇÃO: Superfície Celular (MEMBRANAS);
Citoplasma; Núcleo


 p 

p
 

 

p


//d/( *- ( 
(
G
( 4
>d(8)


*/ /  
* G

RECEPTORES de membrana acoplados diretamente a um canal iônico.

á Ligação DROGA X RECEPTOR = alteração na permeabilidade do


canal iônico que muda sua conformação, podendo ocorrer uma
despolarização ou hiperpolarização.

Receptores sobre o qual atuam os neurotransmissores (NT) rápidos


como em RECEPTORES NICOTÍNICOS de Ach e GABA; glicina,
glutamato, colinérgico MUSCARÍNICO cardíaco; ÷- ADRENÉRGICO
cardíaco
V  

 



 




//d/( d* ( d/%
-
4/ &>d(8) /
( /÷/ /
d* /
 
/ 4d/%
- )
ASSOCIADOS A GDP E GP

Ligação FÁRMACOS X RECEPTOR = Proteína Ativada (4 tipos)

á Proteína Gs (G stimulation): estimula síntese Adenilato Ciclase


á Proteína Gi (G inhibitory): inibe síntese Adenilato Ciclase
á Proteína Go (Canal iônico): proteína G acoplada a canal iônico.
á Proteína Gq (Quinase): ativação direta da proteína quinase (porém
sem a necessidade de formação do 2º mensageiro)
Atuação da Proteína G sobre os Segundos
Mensageiros e Efetores Celulares
á d 3 - ) quando ativadas estimulam uma enzima
 + H , ) +  
alvo (adenilato ciclase) que quando ativas convertem o
ATP em AMPc  + @
(segundo mensageiro) que por sua vez
ÃÃ
á Quando
ativa oa medicamento se liga que
proteína kinase ao receptor, tem-se decom
estava inativa, imediato
isso a
á Proteína
tem-se Gi:
fosforização da a
uma cascata
proteína
cascata dedereações
quinase. reações,
e opor exemplo,
efeito celulartem
que a
á finalidade
Até hoje não de diminuir
muito bem a produção de substâncias.
elucidado.
neste caso será excitatório.
Inibem
se temaa síntese da adenilato ciclase com conseqüente

á Não
á proteína G.
á redução na formação
Os receptores de vários do AMPc, (p.ex
hormônios reduzindo pore sua
insulina) vez doa
fatores
crescimento
ativação do incorporam a tirosina
proteína kinase, quinasecelular
o efeito em seus que domínio
neste
áintracelular.
A proteína
caso Gs aumenta a formação do 2º mensageiro
será inibitório.
á O receptor de citocinas esta acoplado em seu domínio intracelular a
quinases citosólicas e as ativa quando o receptor esta ocupado.
á Não importa qual 2º mensageiro - resposta celular
final = EXCITATÓRIA.
//d/(
.*/ /() //d/( =./
/-.*  
(9: -<
 = IJ
 2 K  K +2

á FÁRMACOS altamente lipossolúveis que atravessam a


membrana plasmática com facilidade podem interagir
com estes receptores.

á LOCALIZAÇÃO:

L*/ 4
8 - região onde se tem o receptor
e chamado de DNA responsiva ou hormônio responsiva.

d* ( (hormônios esteróides)= após a


ligação do FÁRMACO ou hormônio com o receptor =
COMPLEXO atravessará a membrana nuclear para
então ocorrer sua fixação a cromatina onde
REGULARÁ a transcrição gênica.
Mecanismo de Ação dos Glicocorticóides


p



Vm mm  m

m

£ mm m £ mmm


Ação ALDOSTERONA no túbulo distal

Sangue
Luz tubular Células principais
3Na+
capilar
peritubular
Õ ATP
Na+ 2K+
Õ Õ
K+
››››››››VAldoster
Õ /# 
Na+ ;

Õ
ona
H+

Células intercalares

H+ H+ HCO3-
ATP
H2CO3
££
››››£››››››››››››VAldosterona
CO2 + H2O
Ação ALDOSTERONA no túbulo distal

Transcrição de Proteínas

Õ Ativam canais de Na+ (REABSORÇÃO)

Õ Aumentam síntese de canais de K+ (SECREÇÃO)

Õ Aumentam produção de Na+/K+ ATPase

Õ Aumentam produção de ATP

Õ Aumentam Síntese de Antiporte Na+/H+