Vous êtes sur la page 1sur 27
Universidade Federal do Pará – UFPA Campus Universitário de Tucuruí – CAMTUC Faculdade de Engenharia Mecânica
Universidade Federal do Pará – UFPA
Campus Universitário de Tucuruí – CAMTUC
Faculdade de Engenharia Mecânica – FEM
Disciplina: Mecânica dos Sólidos I
Prof. Eng.º Maciel da Costa Furtado
Tucuruí
2014
Bibliografias 1. HIBBELER, R.C. Resistência dos Materiais, 5ª Ed., Editora Pearson, 2006. 2. Popov, E.P.: Introdução
Bibliografias
1.
HIBBELER, R.C. Resistência dos Materiais, 5ª Ed., Editora Pearson, 2006.
2.
Popov, E.P.: Introdução à mecânica dos sólidos, Edgard Blücher, 1978.
3.
Shames, I.H.: Introdução à mecânica dos sólidos, Prentice-Hall do Brasil, 1983.
4.
Riley, W.F, Sturges, L.D., Morris, D.H.: Mecânica dos Materiais, LTC, Rio de Janeiro,
2003.
5.
Thimoshenko, S.P., Gere, J.E.: Mecânica dos Sólidos, LTC, Rio de Janeiro, 1994.
6.
Arrivabene, V.: Resistência dos Materiais, Makron Books, 1994.
7.
Beer, F.P., Johnston Jr., E.R.:Resistência dos Materiais, Makron Books, 1995.
8.
Pereira, J.C. Curso de Materiais dos Sólidos B. Apostila, Universidade Federal de
Santa Catarina, Departamento de Engenharia Mecânica, Grupo de Análise e Projeto
Mecânico. 2003
Ementa 1. CÁLCULO DAS REAÇÕES DE APOIO. 2. DIAGRAMA DE FORÇA AXIAL, CORTANTE E DE MOMENTOS
Ementa
1.
CÁLCULO DAS REAÇÕES DE APOIO.
2.
DIAGRAMA DE FORÇA AXIAL, CORTANTE E DE MOMENTOS
3.
TENSÃO
4.
DEFORMAÇÃO
5.
TORÇÃO
6.
TENSÃO DE FLEXÃO
7.
CISALHAMENTO TRANSVERSAL
8.
TENÇÕES COMPOSTAS
Pré-requisito para:
.
As disciplinas Mecânica dos Sólidos II, Elementos de Máquinas I e II, Vibrações
Mecânica, Dinâmica de Máquinas.
.
A Área de Projetos de Máquinas e de Manutenção Mecânica
Cronograma das Aulas . PRIMEIRA SEMANA (29/09 à 03/10/2014): 1. Cálculo das Reações de Apoio 2.
Cronograma das Aulas
.
PRIMEIRA SEMANA (29/09 à 03/10/2014):
1.
Cálculo das Reações de Apoio
2.
Diagrama de Força Axial, Cortante e de Momentos
3.
Tensão
4.
Deformação
.
SEGUNDA SEMANA (06/10 à 10/10/2014):
1.
Torção
2.
Tensão de Flexão em Vigas
3.
Tensão de Cisalhamento em Vigas
4.
Tensões Compostas
Avaliações A1 A2  MF  2    MF: Média final A1: Nota da
Avaliações
A1 A2
MF 
2
MF: Média final
A1: Nota da Avaliação 1 (Data 03/10/2014; vale 10,0 pts)
A2: Nota da Avaliação 2 (Data 10/10/2014; vale 10,0 pts)
E
9
MF
10
B
7
MF
9
R
5
MF
7
I
0
MF
5
Aplicações em Engenharia Mecânica
Aplicações em Engenharia Mecânica
Aula 1: Calculo das Reações de Apoio Objetivo: Calcular as reações de apoio. Verificar os tipos
Aula 1: Calculo das Reações de Apoio
Objetivo: Calcular as reações de apoio. Verificar os tipos de apoios ou suportes. Os tipos
de carregamentos a que estão sujeitos. Classificação de vigas. Cálculos das reações.
Introdução ESTRUTURA METÁLICA Os elementos estruturais ficam sujeitos ao peso próprio e solicitações de tipos distintos:
Introdução
ESTRUTURA METÁLICA
Os elementos estruturais ficam sujeitos ao peso
próprio e solicitações de tipos distintos:
Introdução FORÇAS DE SUPERFÍCIE: Surgem do contato direto das superfícies de dois corpos. Carga Distribuída Carga
Introdução
FORÇAS DE SUPERFÍCIE:
Surgem do contato direto das superfícies de dois corpos.
Carga Distribuída
Carga Concentrada
Introdução FORÇAS DE CORPO: Forças geradas pela ação de um corpo sobre o outro sem que
Introdução
FORÇAS DE CORPO:
Forças geradas pela ação de um corpo sobre o outro sem que
haja contato direto entre eles. Normalmente, representada por
uma única força concentrada que atua sobre o corpo.
EXEMPLOS
Força Gravitacional e Força
Eletromagnética
Introdução REAÇÕES DO APOIO:  São forças de superfície que surgem nos apoios ou pontos de
Introdução
REAÇÕES DO APOIO:
 São forças de superfície que surgem nos apoios ou pontos de contato entre
os corpos.
REGRA BÁSICA
Se o apoio impede a translação em dada direção, então deve
ser desenvolvida uma força naquela direção. Da mesma
forma, se a rotação for impedida, deve ser aplicado um
conjugado (momento) sobre o elemento.
TIPOS DE APOIO
Introdução TIPOS DE APOIO
Introdução
TIPOS DE APOIO
Introdução TIPOS DE APOIO
Introdução
TIPOS DE APOIO
Equações de Equilíbrio  F  0 TRANSLAÇÃO:  M  0 ROTAÇÃO: O  F
Equações de Equilíbrio
 F  0
TRANSLAÇÃO:
M
 0
ROTAÇÃO:
O
F
 0
 0
 0
x
F y
F z
M
 0
M
 0
M
 0
x
y
z
F
 0
x
Sistema coplanar de
F
 0
y
forças no plano x-y:
M
 0
O
Cálculo das Reações de Apoio  Cargas Distribuídas CARGA TOTAL: R  w(x).dx  POSIÇÃO: 
Cálculo das Reações de Apoio
 Cargas Distribuídas
CARGA TOTAL:
R  w(x).dx
POSIÇÃO:
x w x dx
.
(
).
x 
R
Cálculo das Reações de Apoio  Tipos de Carregamento DCL Força concentrada
Cálculo das Reações de Apoio
 Tipos de Carregamento
DCL
Força concentrada
Cálculo das Reações de Apoio  Tipos de Carregamento Carga uniformemente distribuída DCL
Cálculo das Reações de Apoio
 Tipos de Carregamento
Carga uniformemente
distribuída
DCL
Cálculo das Reações de Apoio  Tipos de Carregamento Carga uniformemente variável DCL
Cálculo das Reações de Apoio
 Tipos de Carregamento
Carga uniformemente
variável
DCL
Cálculo das Reações de Apoio  Tipos de Carregamento Momento concentrado DCL
Cálculo das Reações de Apoio
 Tipos de Carregamento
Momento concentrado
DCL
Cálculo das Reações de Apoio  Classificação das Vigas Simplesmente apoiada (bi- apoiada) Em balanço Engastada
Cálculo das Reações de Apoio
 Classificação das Vigas
Simplesmente apoiada (bi-
apoiada)
Em balanço
Engastada – apoiada
Cálculo das Reações de Apoio  Classificação das Vigas Bi-engastada (Fixa) Em balanço nas extremidades
Cálculo das Reações de Apoio
 Classificação das Vigas
Bi-engastada (Fixa)
Em balanço nas extremidades
Exemplo  Calcular as reações nos apoios, desprezando o peso próprio da viga Solução  
Exemplo
 Calcular as reações nos apoios, desprezando o peso próprio da viga
Solução
F
0
R
0
x
Ax
M
 0
A
 200 100 (1) 160
(1,5) 
R
(2)  0
B
R
B  270
kgf
Obs: O sinal negativo informa que o
F
 0 
R
100 160  270  0
y
Ay
R
Ay  10
kgf
sentido de
invertido
R ay no
DCL está
Exemplo  Calcular as reações nos apoios, desprezando o peso próprio da viga Solução DCL 
Exemplo
 Calcular as reações nos apoios, desprezando o peso próprio da viga
Solução
DCL
F
0
R
0
x
Ax
F
 0
y
M
 0
A
R
12000  4800  9840  0
Ay
12000(5)  4800(8) 
R
B
R
B  9840
(10)  0
N
R
Ay  6960
N
Exemplo  Calcular as reações nos apoios, desprezando o peso próprio da viga 8 8 4
Exemplo
 Calcular as reações nos apoios, desprezando o peso próprio da viga
8
8
4
x
3
R
(1000
2
x dx
)
(1000
x
)
10048 N
2
0
0
8
x w x dx
(
)
8
4
1
1
2 x
3
2
x 
x
(1000
2
x dx
)
(500
x
)
R
10048
10048
5
0
0
x  4,49 m
Exercício  Um homem levanta uma viga de 10 kg e 4 m de comprimento, puxando
Exercício
 Um homem levanta uma viga de 10 kg e 4 m de comprimento,
puxando uma corda. Com a viga em equilíbrio, assinale a opção
que apresenta, aproximadamente a tração na corda e a reação em
A (em N), respectivamente.
(A)50, 2 e 143,2
(B)69,4 e 134,0
(C)86,6 e 133,3
(D)89,5 e 169,7
(E)100,0 e 100,0
Exercício  Uma empilhadeira de 1200 kN é utilizado para levantar uma caixa de 2500 kN.
Exercício
 Uma empilhadeira de 1200 kN é utilizado para levantar uma
caixa de 2500 kN. Determine a reação em cada par de rodas: (a)
dianteiras e (b) traseiras.
Exercício  Uma guindaste montado em um caminhão é utilizado para ergue um compressor de 3000
Exercício
 Uma guindaste montado em um caminhão é utilizado para ergue
um compressor de 3000 N. O peso da lança AB e do caminhão
estão indicados, e o ângulo que a lança faz com horizontal é de
45º. Determine a reação em cada uma das rodas: (a) traseiras C,
(b) dianteiras D.