Vous êtes sur la page 1sur 127

ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

GESTÃO E CONTABILIDADE – 5º ANO


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
PLANEAMENTO E CONTROLO DE GESTÃO
GESTÃO E CONTABILIDADE – 4º ANO
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ESTRATÉGIA
1. Pensamento / Raciocínio Estratégico
2. Visão
3. Missão / Conceito de Negócio
4. Força Condutora
5. Áreas de Excelência
6. Análise SWOT
7. Produtos & Serviços
8. Clientes
9. Mercados Geográficos
10. Requisitos de Sucesso
11. Indicadores de Fracasso
12. Posicionamento Estratégico Vs Horizonte Temporal
13. Objectivos Estratégicos
14. Arena de Competição
15. Perfil Estratégico
PLANEAMENTO E CONTROLO DE GESTÃO
GESTÃO E CONTABILIDADE – 5º ANO
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

INOVAÇÃO ESTRATÉGICA
1. A Arena de Negócios Futura

2. As Fontes de Inovação de Produtos

3. Os Fatores Críticos de Sucesso

4. A Implementação da Cultura de Inovação Estratégica


na Organização
PLANEAMENTO E CONTROLO DE GESTÃO
GESTÃO E CONTABILIDADE – 5º ANO
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ESTRATÉGIA ELETRÓNICA
1. A Internet na Gestão do Negócio da Organização.

2. Os Capacitadores Eletrónicos
PLANEAMENTO E CONTROLO DE GESTÃO
GESTÃO E CONTABILIDADE – 5º ANO
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

SUPREMACIA ESTRATÉGIA
1. O Processo de Raciocínio Estratégico

2. O Processo de Inovação Estratégica

3. O Processo de Estratégica Eletrónica


PLANEAMENTO E CONTROLO DE GESTÃO
GESTÃO E CONTABILIDADE – 5º ANO
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

BIBLIOGRAFIA:

•ROBERT, M., Estratégia Pura & Simples II, Lisboa, Difusão


Cultural.

•ROBERT, M., Supremacia Estratégica Pura & Simples Lisboa, DPI.

•ROBERT, M., Cordeiro R., Estratégia de Inovação de Produtos


Pura e Simples, Lisboa, Difusão Cultural.

•ROBERT, M., Racine B., Estratégia-e , Lisboa, DPI.


As 3 componentes da
GESTÃO do NEGÓCIO.

ESTRATÉGIA PLANEAMENTO CONTROLO


(definir) (prever) (avaliar)

Perfil Plano Quadro de


Estratégico Operacional Comandos

OUTPUTS
ESTRATÉGIA

A palavra vem do grego antigo stratègós (de


stratos, "exército", e "ago", "liderança" ou
"comando" tendo significado inicialmente "a
arte do general") e designava o comandante
militar.
ESTRATÉGIA

O idioma grego apresenta diversas variações,


como strategicós, ou próprio do general
chefe; stratégema, ou estratagema, ardil de
guerra; stratiá, ou expedição militar;
stráutema, ou exército em campanha;
stratégion, ou tenda do general, dentre
outras.
Fonte: wikipédia
ESTRATÉGIA
AUTORES DEFINIÇÃO DO CONCEITO

Estratégia é a determinação dos objectivos básicos de longo prazo de uma empresa e a


Chandler (1962)
adopção das acções adequadas e afectação de recursos para atingir esses Objectivos.

Estratégia é o padrão de objectivos, fins ou metas e principais políticas e planos para atingir
Learned, Christensen,
esses objectivos, estabelecidos de forma a definir qual o negócio em que a empresa está e o
Andrews, Guth (1965)
tipo de empresa que é ou vai ser.

Estratégia é um conjunto de regras de tomada de decisão em condições de desconhecimento


Ansoff (1965)
parcial. As decisões estratégicas dizem respeito à relação entre a empresa e o seu ecossistema
Estratégia refere-se à relação entre a empresa e o seu meio envolvente: relação actual
Katz (1970) (situação estratégica) e relação futura (plano estratégico, que é um conjunto de objectivos e
acções a tomar para atingir esses objectivos).

Estratégia é o forjar de missões da empresa, estabelecimento de objectivos à luz das forças


Steiner e Miner
internas e externas, formulação de políticas específicas e estratégias para atingir objectivos e
(1977)
assegurar a adequada implantação de forma a que os fins e objectivos sejam atingidos.
Estratégia é o estabelecimento dos meios fundamentais para atingir os objectivos, sujeito a um
Hofer & Schandel conjunto de restrições do meio envolvente. Supõe a descrição dos padrões mais importantes
(1978) da afectação de recursos e a descrição das interacções mais importantes com o meio
envolvente.
ESTRATÉGIA
AUTORES DEFINIÇÃO DO CONCEITO
Estratégia competitiva são acções ofensivas ou defensivas para criar uma posição defensável
Porter (1980) numa indústria, para enfrentar com sucesso as forças competitivas e assim obter um retorno
maior sobre o investimento.
Jauch e Glueck Estratégia é um plano unificado, englobante e integrado relacionando as vantagens
estratégicas com os desafios do meio envolvente. É elaborado para assegurar que os objectivos
(1980) básicos da empresa são atingidos.
Estratégia é um modelo ou plano que integra os objectivos, as políticas e a sequência de
Quinn (1980)
acções num todo coerente.
Estratégia é o conjunto de decisões e acções relativas à escolha dos meios e à articulação de
Thietart (1984)
recursos com vista a atingir um objectivo.
Estratégia designa o conjunto de critérios de decisão escolhido pelo núcleo estratégico para
Martinet (1984)
orientar de forma determinante e durável as actividades e a configuração da empresa.
Ramanantsoa Estratégia é o problema da afectação de recursos envolvendo de forma durável o futuro da
(1984) empresa.
Mintzberg Estratégia é uma força mediadora entre a organização e o seu meio envolvente: um padrão no
(1988a) processo de tomada de decisões organizacionais para fazer face ao meio envolvente.

Hax e Majluf Estratégia é o conjunto de decisões coerentes, unificadoras e integradoras que determina e
revela a vontade da organização em termos de objectivos de longo prazo, programa de acções
(1988) e prioridade na afectação de recursos.
É o processo de pensamento que passa nas mentes dos chefes executivos das Organizações e
Michel Robert (1998) dos seus colaboradores-chave, e que os ajuda a determinar o “aspecto” da Organização num
determinado momento no futuro.
ESTRATÉGIA
• É a determinação do aspeto futuro da
Organização, dos objetivos a longo prazo,
das políticas e ações adequadas para os
atingir e a sua correspondente afetação de
recursos.
ESTRATÉGIA
• Define a natureza da relação entre a
organização, os clientes e os concorrentes.
ESTRATÉGIA
• Define a natureza da relação entre a
organização, os clientes e os concorrentes.
• Estabelece a Direcção do Negócio.
ESTRATÉGIA
• Define a natureza da relação entre a
organização, os clientes e os concorrentes.
• Estabelece a Direcção do Negócio.
• Determina qual o aspecto da organização no
futuro.
ESTRATÉGIA
• Define a natureza da relação entre a
organização, os clientes e os concorrentes.
• Estabelece a Direcção do Negócio.
• Determina qual o aspecto da organização no
futuro.
• Define O Que Fazer e não Como Fazer.
Produz uma visão sobre o que a empresa
quer ser.
FUNDAMENTOS DA ESTRATÉGIA

Clientes

Valor Valor

Empresa Concorrentes

Preço
Performance
Rapidez
Serviço
CONCEITOS CENTRAIS

ESTRATÉGIA
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
PERFIL ESTRATÉGICO
PLANEAMENTO ESTRATÉGICO
PLANO ESTRATÉGICO
PLANEAMENTO OPERACIONAL
PLANO OPERACIONAL
PROCESSO DE PLANEAMENTO ESTRATÉGICO
VISÃO
MISSÃO
FORÇA CONDUTORA
CONCEITO DE NEGÓCIO
CONCEITOS CENTRAIS

CENÁRIOS
MEIO ENVOLVENTE
ANÁLISE SWOT
ÁREAS DE EXCELÊNCIA
SEGMENTOS ESTRATÉGICOS
REQUISITOS DE SUCESSO
INDICADORES DE FRACASSO
ARENA DE COMPETIÇÃO
OBJETIVOS ESTRATÉGICOS
OBJETIVOS OPERACIONAIS
MODUS OPERANDI
CONCEITOS CENTRAIS

INOVAÇÃO ESTRATÉGICA
ESTRATÉGIA ELETRÓNICA
RACIOCÍNIO ESTRATÉGICO
SUPREMACIA ESTRATÉGICA
CONCEITOS CENTRAIS

ESTRATÉGIA
PENSAMENTO
ESTRATÉGICO
PERFIL ESTRATÉGICO
PLANEAMENTO
ESTRATÉGICO
PLANO ESTRATÉGICO
PLANEAMENTO
OPERACIONAL
PLANO OPERACIONAL
PROCESSO DE
PLANEAMENTO
ESTRATÉGICO
CONCEITOS CENTRAIS

CENÁRIOS
VISÃO
MISSÃO
FORÇA CONDUTORA
CONCEITO DE
NEGÓCIO
ÁREAS DE
EXCELÊNCIA
MEIO ENVOLVENTE
ANÁLISE SWOT
CONCEITOS CENTRAIS

SEGMENTOS
ESTRATÉGICOS
REQUISITOS SUCESSO
INDICADORES DE
FRACASSO
ARENA DE COMPETIÇÃO
OBJETIVOS Resultados quantitativos a serem alcançados em
ESTRATÉGICOS prazo determinado, no contexto do seu ambiente,
para cumprir a execução da Estratégia Global.
OBJETIVOS Resultados quantitativos a serem alcançados em
OPERACIONAIS prazo determinado, no contexto do seu ambiente,
para cumprir a execução dos planos operacionais.
MODUS OPERANDI
CONCEITOS CENTRAIS

INOVAÇÃO
ESTRATÉGICA
ESTRATÉGIA
ELETRÓNICA
RACIOCÍNIO
ESTRATÉGICO
SUPREMACIA
ESTRATÉGICA
MODELO ESTRATÉGICO de Pensamento Estratégico
PLANEAMENTO e
CONTROLO de GESTÃO 1.Visão & Missão

Formulação da Estratégia

2. Força Condutora 5. Áreas de Excelência

4.Horizonte Temporal 3. Conceito de Negócio 6. Análise Meio Envolvente

8. Clientes 7. Produtos/Serviços 9. Mercados

10. Requisitos de Sucesso &


Indicadores de Fracasso
12. Objectivos
11.Arena de Competição
Estratégicos
Planeamento e Implementação

15. Estrutura 16.Processos


14. Modus Operandi
17.Competências
13.Objectivos
Operacionais

18. Planos de Acção

Controlo de Gestão
20. Quadros de Controlo de
19. Controlo Orçamental Gestão
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
PENSAMENTO ESTRATÉGICO

A origem da estratégia reside no


pensamento ou raciocínio estratégico
dos membros da Direcção da Empresa.
PENSAMENTO ESTRATÉGICO

O processo de pensamento estratégico


começa com uma visão e precede sempre o
planeamento estratégico.
A estratégia antes de ser um plano, é um
conjunto de visões integradas da actuação
da empresa, resultante do pensamento
estratégico dos seus membros.
PENSAMENTO ESTRATÉGICO

FUTURO
PRESENTE
PENSAMENTO ESTRATÉGICO

 O pensamento estratégico é a moldura, a


referência para os planos estratégicos e
operacionais.
 Determina o aspecto futuro da organização,
por outras palavras a ESTRATÉGIA.
 O pensamento estratégico molda e clarifica o
perfil estratégico futuro da Organização.
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
ESTRATÉGIA (O Que)
+ -

A VISÃO B VISÃO
ESTRATÉGICA ESTRATÉGICA
+ EXPLICITA INCERTA

Operacionalmente Operacionalmente
OPERAÇÕES (Como)

Competente Competente

C VISÃO ESTRATÉGICA D VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA

- Operacionalmente Operacionalmente
Incompetente Incompetente
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
ESTRATÉGIA (O Que)
+ -

A VISÃO ESTRATÉGICA B VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA
+
Operacionalmente Operacionalmente
Competente Competente
OPERAÇÕES (Como)

C VISÃO ESTRATÉGICA D VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA

Operacionalmente Operacionalmente
-
Incompetente Incompetente

Por que motivo cerca de 70% a 80% das empresas


estão posicionadas no quadrante B ?
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
ESTRATÉGIA (O Que)
+ -

A VISÃO ESTRATÉGICA B VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA
+
Operacionalmente Operacionalmente
Competente Competente
OPERAÇÕES (Como)

C VISÃO ESTRATÉGICA D VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA

Operacionalmente Operacionalmente
-
Incompetente Incompetente

Por que motivo cerca de 70% a 80% das empresas estão posicionadas no quadrante B ?
1. A maioria das pessoas que conduzem e gerem organizações
atingiu as suas posições percorrendo funções operacionais.
(foram bons gestores tendo tomado decisões operacionais, como
tal não desenvolveram a aptidão de estabelecer a direcção do
negócio.)
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
ESTRATÉGIA (O Que)
+ -

A VISÃO ESTRATÉGICA B VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA
+
Operacionalmente Operacionalmente
Competente Competente
OPERAÇÕES (Como)

C VISÃO ESTRATÉGICA D VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA

Operacionalmente Operacionalmente
-
Incompetente Incompetente

Por que motivo cerca de 70% a 80% das empresas estão posicionadas
no quadrante B ?
2. A entrada em novos mercados geográficos
desconhecidos para se expandirem onde as regras de
jogo são diferentes.
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
ESTRATÉGIA (O Que)
+ -

A VISÃO ESTRATÉGICA B VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA
+
Operacionalmente Operacionalmente
Competente Competente
OPERAÇÕES (Como)

C VISÃO ESTRATÉGICA D VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA

Operacionalmente Operacionalmente
-
Incompetente Incompetente

Por que motivo cerca de 70% a 80% das empresas estão posicionadas no
quadrante B ?
3. Crescimento de mercado e quota de mercado. O
crescimento do mercado de consumo doméstico inibe a
empresa de pensar a direcção do negócio que quer tomar.
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
ESTRATÉGIA (O Que)
+ -

A VISÃO ESTRATÉGICA B VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA
+
Operacionalmente Operacionalmente
Competente Competente
OPERAÇÕES (Como)

C VISÃO ESTRATÉGICA D VISÃO ESTRATÉGICA


EXPLICITA INCERTA

Operacionalmente Operacionalmente
-
Incompetente Incompetente

Se o objectivo de uma empresa é situar-se no


Quadrante A (perfil claro e eficácia operacional),
porque razão é que não está lá?
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
OBSTÁCULOS AO PENSAMENTO ESTRATÉGICO
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
OBSTÁCULOS AO PENSAMENTO ESTRATÉGICO

Estratégia sofre de visão confusa


PENSAMENTO ESTRATÉGICO
OBSTÁCULOS AO PENSAMENTO ESTRATÉGICO

Não há crise… Não há necessidade de estratégia


PENSAMENTO ESTRATÉGICO
OBSTÁCULOS AO PENSAMENTO ESTRATÉGICO

Pensar que Tem a Ver com o Factor Tempo


PENSAMENTO ESTRATÉGICO
OBSTÁCULOS AO PENSAMENTO ESTRATÉGICO

Planear é uma actividade de baixo para cima


PENSAMENTO ESTRATÉGICO
OBSTÁCULOS AO PENSAMENTO ESTRATÉGICO

O Pensamento Operacional Domina o Tempo dos Gestores


PENSAMENTO ESTRATÉGICO
OBSTÁCULOS AO PENSAMENTO ESTRATÉGICO

A Estratégia é Reactiva, não Pro-activa


PENSAMENTO ESTRATÉGICO
1. VISÃO DO NEGÓCIO

A Visão do negócio de uma empresa traduz, de uma forma


abrangente, um conjunto de intenções e aspirações para o
futuro, sem especificar como devem ser atingidas.

A Visão tem um papel essencialmente motivador, procurando


servir de inspiração para os membros da organização.
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
1. VISÃO DO NEGÓCIO

Segundo Chiavenato & Sapiro: “A elaboração da visão e


negócios é um processo carregado de emoção, pois o que
se procura reconhecer é o propósito de ser da
organização”.

“A visão do negócio deve ser sucinta, mas mantendo sua


capacidade de fazer sonhar e incentivar o compromisso de
todos os interessados. Muitas vezes ela é expressa em
slogans”.
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
1. VISÃO DO NEGÓCIO

Na maior parte das empresas a visão partilhada não está escrita,


apenas reflecte o ideais dos seus líderes.
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
1. VISÃO DO NEGÓCIO

Na maior parte das empresas a visão partilhada não está escrita,


apenas reflecte o ideais dos seus líderes.

 Características de uma Visão de negócio bem construída:


 Focada no futuro
 Motivadora e inspiradora
 Fácil de comunicar
 Alcançável
 Positiva e optimista
 Compartilhada e apoiada
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
1. MISSÃO

FUNÇÕES E ELEMENTOS ESTRUTURANTES

• A FINALIDADE – (razão de existir da empresa);


• A ESTRATÉGIA – (posição competitiva e experiência distintiva);
• OS VALORES – (princípios morais que regem o comportamento);
• PADRÕES DE COMPORTAMENTO – (que suportam a estratégia e os valores da empresa)
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
1. MISSÃO

FUNÇÕES E ELEMENTOS ESTRUTURANTES

A explicitação da visão do negócio


origina a missão da empresa. Uma
declaração escrita que procura traduzir A missão visa difundir o espírito da
os ideias e as orientações globais da empresa por todos os seus membros e
organização para o futuro. congregar esforços para a prossecução
do negócio da organização.

Deve incluir a descrição do conceito de


negócio da empresa.
PENSAMENTO ESTRATÉGICO
1. MISSÃO

FUNÇÕES E ELEMENTOS ESTRUTURANTES

•Qual é a razão de ser da empresa?

•Qual é o negócio da empresa?

•Quais são as futuras competências requeridas pela empresa?

•Quais são os princípios morais e valores da empresa?

•Quem são os principais clientes da empresa?

•Quais são os principais produtos ou serviços da empresa?

•Quais são os principais segmentos de mercado da empresa?


PENSAMENTO ESTRATÉGICO
1. MISSÃO

Finalidade

lógica racional e comercial lógica emocional e moral

Estratégia de
Valores
Negócio

Padrões de
Comportamento
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
ELEMENTOS CENTRAIS

Componentes Aptidões Direção

Força Condutora Áreas de Excelência Conceito Negócio


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA

Força Condutora = Coração Estratégico do Negócio

ESTRATÉGIA – Definição do QUE se quer que a organização


pareça no futuro, ao nível da natureza dos seus
produtos/serviços, da natureza dos seus clientes e da natureza
dos seus mercados geográficos.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA

Força Condutora = Direcção Estratégica

CLIENTES

PRODUTOS MERCADOS
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA
CLIENTES

PRODUTOS MERCADOS

QUESTÕES ESTRATÉGICAS
• Que Produtos/Serviços deverá oferecer e não oferecer?
•Que Clientes deverá atender e não atender?
•Que Mercados Geográficos deverá operar e não operar?
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA
CLIENTES

PRODUTOS MERCADOS

O perfil estratégico da organização deverá produzir


um perfil muito claro sobre estes três segmentos de
informação.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA
CLIENTES

PRODUTOS MERCADOS

A força condutora determina a natureza estratégica dos


clientes, produtos e mercados. Assenta no principio de que
existe uma certa componente do negócio que conduz a
organização para certos produtos, mercados e clientes.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA
CLIENTES

PRODUTOS MERCADOS

Determinar o que conduz o negócio (força condutora)


é o elemento-chave da formulação da estratégia.
Conseguir identificar esta área estratégica que é o
coração do negócio da empresa torna-se imperativo.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA
CLIENTES

PRODUTOS MERCADOS

Quais são os elementos-chave (força condutora) de


uma empresa que conduzem a estratégia do negócio?
Existem 10 Forças condutoras fundamentais.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA

TECNO- DIMENSÃO /
LOGIA MÉTODO DE SEGMENTO DE CRESCIMENTO
VENDA / CLIENTES
MARKETING
CAPACIDADE
DE PRODUTO
PRODUÇÃO
SEGMENTO DE RETORNO /
MÉTODO DE
RECURSOS DISTRIBUIÇÃO MERCADOS LUCRO
NATURAIS GEOGRÁFICOS
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA

PRODUTO

Enquadram-se neste tipo de força condutora todo o negócio de


fabricação inserido no segmento de mercado da indústria
automóvel.

Ex:
•Marcas de automóveis;
•Empresas de componentes automóveis.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA
SEGMENTO
DE
CLIENTES

Enquadram-se neste tipo de força condutora todo o negócio de


dirigido a um tipo de segmento de clientes específico.

Ex:
•Marca de produtos para Mães & Bebes.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA
SEGMENTO
MERCADOS
GEOGRÁFICOS

Enquadram-se neste tipo de força condutora todo o negócio de


dirigido a um tipo de segmento específico de mercados
geográficos.

Ex:
•Empresas de Trading de Produtos e Serviços.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA

MÉTODO DE
VENDA /
MARKETING

Enquadram-se neste tipo de força condutora todo o negócio


dirigido a um tipo de venda através de um único canal de venda.

Ex:
•Empresas de venda de produtos por catálogo ou internet.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA

MÉTODO DE
DISTRIBUIÇÃO

Enquadram-se neste tipo de força condutora todo o negócio que


utiliza um meio singular de transportar o seu produto ou serviço
desde o seu lugar de origem para o dos clientes.

Ex:
•Actividade Bancária
•Companhias de Telefones
•Empresas de venda a Grosso e a Retalho
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA

TECNOLOGIA

Enquadram-se neste tipo de força condutora todo o negócio que


tem na sua raiz algum tipo de tecnologia distintiva. É o
desenvolvimento da mesma tecnologia que permite a aplicação
em diferentes produtos diversificados entre si.

Ex:
•O Desenvolvimento da tecnologia do nylon permitiu à empresa
Dupont a criação de produtos tão diversificados como a roupa, o
calçado, o fio de pesca, os pneus, as embalagens, etc..
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA

CAPACIDADE
DE
PRODUÇÃO

Enquadram-se neste tipo de força condutora todo o negócio que


assente na capacidade de produzir ininterruptamente. A empresa
prosseguirá qualquer produto, cliente ou mercado para que
consiga optimizar a sua capacidade produtiva instalada.

Ex:
•Hotéis
•Gráficas
•Empresas de Aviação
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA
Questões importantes acerca do conceito da força condutora do negócio.

• Não é então o LUCRO a única força condutora de uma empresa?


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
2. FORÇA CONDUTORA
Questões importantes acerca do conceito da força condutora do negócio.

• Não é então o LUCRO a única força condutora de uma empresa?

• Deverão então as empresas ser conduzidas pelo cliente?


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO

•Todas as empresas precisam de um conceito para a sua actividade.

•O conceito de negócio consiste numa declaração escrita que traduz os


ideais e as orientações globais da empresa.

•A formulação deve ser precisa e concisa.

•O conceito de negócio contém os pressupostos que moldam o


comportamento de qualquer organização, ditam as suas decisões acerca
do que fazer e do que não fazer e define o que a organização considera
por resultados com significado.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO

Um conceito de negócio deve conter os seguintes elementos:

I. A primeira frase deve descrever claramente a força condutora da


empresa. Deve isolar o componente específico do negócio que confere
à organização uma vantagem distintiva estratégica sobre os seus
concorrentes.

•Ex: Se a força condutora é o produto, qual é o produto específico que


conduz o negócio.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO

Um conceito de negócio deve conter os seguintes elementos:

II. A segunda frase da formulação deve conter palavras – adjectivos,


substantivos, qualificativos, modificativos – que delimitam a linha de
demarcação entre a <natureza> dos produtos, clientes e mercados
geográficos que a força condutora acomoda e aqueles que ela não
acomoda.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO

Um conceito de negócio deve conter os seguintes elementos:

III. A Formulação deve conter uma “tonalidade” de crescimento, já que


este é um dado do negócio: todos os negócios tem de crescer para se
perpetuarem.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO

Um conceito de negócio deve conter os seguintes elementos:

III. A Formulação deve conter uma “tonalidade” de crescimento, já que


este é um dado do negócio: todos os negócios tem de crescer para se
perpetuarem.

IV. A Formulação deve conter uma “tonalidade” de sucesso, já que este é,


naturalmente, implícito numa estratégia sólida.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO

Um conceito de negócio deve conter os seguintes elementos:

III. A Formulação deve conter uma “tonalidade” de crescimento, já que


este é um dado do negócio: todos os negócios tem de crescer para se
perpetuarem.

IV. A Formulação deve conter uma “tonalidade” de sucesso, já que este é,


naturalmente, implícito numa estratégia sólida.

V. A formulação deve conter um intento futuro na condição presente. A


formulação deverá dar às pessoas um sentido sobre o que será no
futuro.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO

EXEMPLO:

A nossa estratégia consiste em comercializar Electrodomésticos e seus


complementos – de “Uso Doméstico e Uso Pessoal” – através do nosso próprio
sistema de distribuição na actividade retalhista.

 Fá-lo-emos proporcionando aos nossos clientes e utilizadores os melhores


produtos em termos de novidade, qualidade, variedade, comodidade, serviço e
montagem, garantindo:
a novidade dos produtos, através da adequada prospecção dos
mercados nacional e internacional,
a qualidade dos produtos, através da sua adequada selecção,
a variedade dos produtos, através da sua maior e apropriada exposição,
adaptada ao livre serviço e livre demonstração,
o serviço, através do adequado atendimento personalizado, da assistência
pósvenda, do Call-Center, da clínica de informática, e da Loja-e, da montagem,
através da adequada selecção dos produtos a montar e da forma de o fazer, e
seguindo uma política de preços atractiva e permanente para o Mercado.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO
A nossa estratégia consiste em comercializar Electrodomésticos e seus
complementos – de “Uso Doméstico e Uso Pessoal” – através do nosso próprio
sistema de distribuição na actividade retalhista.

 Fá-lo-emos com lojas físicas em mercados geográficos com boa acessibilidade,


facilidade de estacionamento, grande densidade populacional, em espaços
comerciais ou na sua proximidade.

É nosso propósito manter uma posição proeminente no mercado nacional,


através das Lojas físicas e da Net.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO
A nossa estratégia consiste em identificar proactivamente as necessidades de
consumo dos profissionais da construção civil comercial e residencial no
âmbito da construção, da reparação e da remodelação.

 Fá-lo-emos satisfazendo as necessidades com produtos fundamentais,


diferenciados e a custo efectivo que possibilitem a instalação fácil de materiais-
chave da construção e que sejam líderes na sua categoria.
Concentrar-nos-emos em mercados geográficos com indústria de construção
significativa ou em crescimento e dispondo de infra-estrutura de distribuição
adequada à realização de massa crítica de utilizadores finais.
O nosso intento é sermos reconhecidos como líderes nos produtos que
fornecemos.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO
Porquê a necessidade de um conceito de negócio claro?
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO
Porquê a necessidade de um conceito de negócio claro?

O propósito de um conceito de negócio claro é fornecer um sentido claro de


direcção, que permita a formulação de decisões consistentes com o <corpo> do
negócio.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
3. CONCEITO DE NEGÓCIO
Porquê a necessidade de um conceito de negócio claro?

O propósito de um conceito de negócio claro é fornecer um sentido claro de


direcção, que permita a formulação de decisões consistentes com o <corpo> do
negócio.

Actividade de Gestão

PASSADO PRESENTE FUTURO

•Problemas •Objectivam-se decisões •Oportunidades Potenciais

•Problemas Potenciais
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
5. ÁREAS DE EXCELÊNCIA
•As Áreas de Excelência determinam a saúde da estratégia da empresa.

•As Áreas de Excelência são aptidões, competências ou capacidades descritíveis


que uma organização cultiva a um nível de proficiência maior do que qualquer outra
coisa que faz, e particularmente, melhor do que qualquer outro concorrente.

•Esta perícia especial ou capacidade é o que se designa por ÁREA DE EXCELÊNCIA.


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
5. ÁREAS DE EXCELÊNCIA

FORÇA CONDUTORA

ÁREAS
DE
EXCELÊNCIA
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
5. ÁREAS DE EXCELÊNCIA
PRODUTO desenvolvimento de produto
vendas/serviço de apoio
CLASSE DE análise de mercado
UTILIZADORES / MERCADO
lealdade dos consumidores

TECNOLOGIA investigação
marketing de aplicações
FORÇA CONDUTORA

eficiência de fabrico
CAPACIDADE DE PRODUÇÃO
marketing de substituição
MÉTODO DE VENDAS recrutamento dos vendedores
/ MARKETING eficácia das vendas
organização do sistema
MÉTODO DE DISTRIBUIÇÃO
eficácia do sistema
exploração
RECURSOS NATURAIS
conservação
gestão dos activos
DIMENSÃO / CRESCIMENTO
maximização do volume
Sistemas de informação
RETORNO / LUCRO gestão da carteira de títulos
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
5. ÁREAS DE EXCELÊNCIA

EX:

FORÇA CONDUTORA
organização do sistema
MÉTODO DE DISTRIBUIÇÃO eficácia do sistema

COMPRAS STOCK EXPOSIÇÃO ATENDIMENTO VENDAS ENTREGA PÓS-VENDA


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
5. ÁREAS DE EXCELÊNCIA

EX:

FORÇA CONDUTORA
organização do sistema
MÉTODO DE DISTRIBUIÇÃO eficácia do sistema

COMPRAS STOCK EXPOSIÇÃO ATENDIMENTO VENDAS ENTREGA PÓS-VENDA

ÁREAS DE EXCELÊNCIA
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
5. ÁREAS DE EXCELÊNCIA
EX:
FORÇA CONDUTORA
organização do sistema
MÉTODO DE DISTRIBUIÇÃO eficácia do sistema

COMPRAS STOCK EXPOSIÇÃO ATENDIMENTO VENDAS ENTREGA PÓS-VENDA

ÁREAS DE EXCELÊNCIA

• Excedermo-nos no comportamento adequado ao atendimento dos


clientes, particularmente visando o fecho da Venda.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
5. ÁREAS DE EXCELÊNCIA
EX:

• Como é que a Força Condutora conduz bem o negócio?


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
5. ÁREAS DE EXCELÊNCIA
EX:

• Como é que a Força Condutora conduz bem o negócio?


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
5. ÁREAS DE EXCELÊNCIA
EX:

• Como é que a Força Condutora conduz bem o negócio?

x
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
6. ANÁLISE DO MEIO ENVOLVENTE

•A sobrevivência de qualquer empresa depende, em primeiro


lugar, da sua capacidade de interacção com o meio
envolvente.

•A análise do meio envolvente deve ser realizado em dois


níveis:

-Meio envolvente Contextual

-Meio envolvente Transaccional


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
6. ANÁLISE DO MEIO ENVOLVENTE
Meio Envolvente
Contextual

Contexto Meio Envolvente


Económico Transaccional

Contexto
Concor- Tecnológico
Clientes rentes
EMPRESA

Comunidade
Fornecedores
Contexto
Sócio-
Cultural
Contexto
Político-Legal
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
6. ANÁLISE DO MEIO ENVOLVENTE
Custos Consumo
PIB Inflacção Despesa Pública
energéticos Interno
Contexto Taxa de Crédito
Exportações Taxa de Juros Taxa Cambial
Económico Poupança Bancário
Investimento
Importações Custos energéticos Taxa de Desemprego
Privado
Estilos de Vida Valores Sociais Taxa de Natalidade Taxa de Mortalidade
Meio Contexto
Envolvente Sócio-Cultural Taxa de
Estrutura Etária Nível Educacional Distribuição Geográfica
Contextual analfabetismo
Política Legislação do
Política Fiscal Restrições ao Comércio
Contexto Económica Trabalho
Político-Legal Regime de Apoios Segurança
Prática de Lobbying
Financeiros Social
Inovações de
Contexto Inovações
Patentes Processos de Informatização
Tecnológico Teconológicas
Fabrico
Clientes Segmentação
Meio Concorrentes Modus Operandi
Envolvente
Transaccional Fornecedores Input de Fornecimento
Comunidade Tipo & Caracterização das Entidades
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
6. ANÁLISE DO MEIO ENVOLVENTE

OPORTUNIDADES AMEAÇAS

Acções de Promoção Acções de Prevenção


Análise SWOT Acções de Exploração Acções de Protecção

FORÇAS Acções Acções

Acções de Promoção
Acções de Exploração

FRAQUEZAS Acções Acções

Acções de Correção
Acções de Acomodação
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
6. ANÁLISE DO MEIO ENVOLVENTE
FATORES POLÍTICOS/LEGAIS FATORES ECONÓMICOS

• Legislação • Ciclos económicos


•Políticas Fiscais • Taxas de Juro
•Estabilidade Governamental • Inflação
• (…) • Disponibilidade de capital
• (…)
FATORES SOCIOCULTURAIS FATORES TECNOLÓGICOS

• Demografia • Pesquisa Tecnológica


Análise PEST-A • Estilo de vida • Patentes
• Consumismo • Velocidade de Transferência
• Níveis de Educação • (…)
• (…)
FATORES AMBIENTAIS

• Qualidade do Ar
• Tratamento de Lixo
• Qualidade da Água
• Energias Renováveis
• (…)
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
EX: 6. ANÁLISE DO MEIO ENVOLVENTE
OPORTUNIDADES AMEAÇAS
-Abertura de novos centros -Desemprego alto
Análise SWOT comerciais
Loja de Retalho de -Tendência de aumento do
Electrodomésticos & Informática consumo privado

FORÇAS
Acções de Promoção Acções de Prevenção
-Pessoal técnico especializado (Diversificar ainda mais a gama) (Reduzir os custos de
- Diversidade de Produtos recrutamento)
Acções de Exploração Acções de Protecção
(Criação de novas lojas) (Aumentar a diversidade de
exposição em produtos com
maior margem e preço baixo)

FRAQUEZAS
Acções de Promoção Acções de Prevenção
-Existência de Monos (Conceder crédito na compra) (Formar pessoal para qualificá-lo
- Serviço de Reparações no serviço de reparações)
Acções de Exploração Acções de Protecção
(Campanhas promocionais ) (Comprar a custo eficaz)
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
7-9. PRODUTOS / CLIENTES / MERCADOS GEOGRÁFICOS

•ÂMBITO FUTURO DOS PRODUTOS / CLIENTES / MERCADOS GEOGRÁFICOS

QUESTÕES ESTRATÉGICAS
• Que Produtos/Serviços deverá oferecer e não oferecer?
•Que Clientes deverá atender e não atender?
•Que Mercados Geográficos deverá operar e não operar?
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
7-9. PRODUTOS / CLIENTES / MERCADOS GEOGRÁFICOS
EX:
•ÂMBITO FUTURO DOS PRODUTOS / CLIENTES / MERCADOS GEOGRÁFICOS

mais ênfase menos ênfase

Produtos/Serviços •Produto A •Produto K

Segmento de Clientes •Casais novos •Indivíduos com > 55 anos

Mercados Geográficos •Lubango


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
10. REQUISITOS DE SUCESSO & INDICADORES DE FRACASSO

CLIENTES

PRODUTOS MERCADOS

REQUISITOS DE SUCESSO & INDICADORES DE FRACASSO


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
10. REQUISITOS DE SUCESSO & INDICADORES DE FRACASSO

• O que são?

São características ou atributos físicos e não físicos dos três


segmentos do negócio:

-Clientes
-Produtos
-Mercados Geográficos
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
10. REQUISITOS DE SUCESSO & INDICADORES DE FRACASSO

• Para que servem?


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
10. REQUISITOS DE SUCESSO & INDICADORES DE FRACASSO

• Para que servem?

Servem para garantir o bom desempenho do negócio (clientes /


produtos / mercados).

São as variáveis que mais contribuem para a criação da


percepção de valor na relação com os clientes
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
10. REQUISITOS DE SUCESSO & INDICADORES DE FRACASSO

Devem permitir responder a três questões:

PRODUTOS: Porque é que os clientes adquiririam produtos?

CLIENTES: Porque é que o negócio consegue cativar clientes?

MERCADOS: Porque é que o negócio consegue atingir os


clientes e produtos?
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
10. REQUISITOS DE SUCESSO & INDICADORES DE FRACASSO
EX:

Requisitos de Sucesso Indicadores de fracasso

Produtos/Serviços •Com Design •Baixa diversificação


da gama

Segmento de Clientes •Mais informados •20% de Indivíduos com


idade > 55 anos

Mercados Geográficos •Tem grande densidade •Sem rede de distribuição


populacional
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
PLANEAMENTO ESTRATÉGICO VS PLANEAMENTO OPERACIONAL
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
PLANEAMENTO ESTRATÉGICO VS PLANEAMENTO OPERACIONAL

CLIENTES

ESTRUTURA

PROCESSOS
PRODUTOS MERCADOS

PLANEAMENTO COMPETÊNCIAS
ESTRATÉGICO

PLANEAMENTO
OPERACIONAL
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA

Definição e características do planeamento estratégico

• E uma atividade que enfatiza a execução do processo de


planeamento em lugar da produção de um documento escrito;

• E um processo continuo, cíclico, que encoraja a participação de


todos os membros do staff na tomada de decisão;

• E um processo orientado para o futuro que requer uma analise


do presente da organização e da envolvente externa esperada.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA

Definição e características do planeamento estratégico

• Requer uma visão global do propósito central da organização e


ajuda a concentrar as energias e recursos da organização em
actividades prioritárias;

• Proporciona o desenvolvimento de cursos alternativos de ação


que antecipam mudanças potenciais na organização o ou na sua
envolvente;

• E uma atividade de nível superior no sentido em que a


administração de topo deve estar ativamente envolvida.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA

Definição e características do planeamento estratégico

• Representa um papel cada vez mais importante para a


organização;

• Fornece um plano para as actividades organizacionais, que vai


conduzir a uma melhoria administrativa e a um eficaz desempenho
da organização;

• Auxilia o desenvolvimento de um conceito claro da organização,


tornando possível formular os planos e actividades que irão
aproximar a organização das suas metas.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
12-13. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS VS OBJECTIVOS OPERACIONAIS
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
12-13. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS VS OBJECTIVOS OPERACIONAIS

CLIENTES
ESTRUTURA

PROCESSOS

PRODUTOS MERCADOS
COMPETÊNCIAS

Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
12-13. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS VS OBJECTIVOS OPERACIONAIS

Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano n

Objectivos Estratégicos

Objectivos Operacionais
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
12-13. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS VS OBJECTIVOS OPERACIONAIS

OBJECTIVOS (características)

Quais as 5 características que devem ter?

CONCRETOS, ou seja, precisos e não genéricos ou nebulosos.

QUANTIFICADOS, o que equivale a dizer terem métricas a atingir.

CALENDARIZADOS, indicando com precisão quando devem ser atingidos ou


quando se espera que produzam os seus efeitos.

ALCANÇÁVEIS, sendo percepcionados por ambas as partes como exigentes,


mas realistas e susceptíveis de serem atingidos com meios postos ao dispor do
colaborador para o efeito.

NEGOCIADOS, no sentido de serem consensuais e não impostos


unilateralmente, o que destruiria a noção de compromisso.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
12-13. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS VS OBJECTIVOS OPERACIONAIS

EX:
OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS

CLIENTES:
•Aumentar em 2012 as vendas em 4% no segmento de clientes casais
jovens até aos 25 anos.

PRODUTOS:
•Vender anualmente 12% do volume total de vendas em Televisores.

MERCADOS:
• Crescer 3% em quota de mercado no ano de 2015.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
12-13. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS VS OBJECTIVOS OPERACIONAIS

EX:
OBJECTIVOS OPERACIONAIS

•Implementar a partir de 2012 uma política de preços atrativa e permanente


para o mercado.

•Implementar em 2012 um plano de formação em técnicas comerciais para


todos os vendedores.

•Definir até ao final do ano de 2011 os procedimentos de gestão de


reclamações do sector pós-venda.
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO

O que garante o crescimento nos três segmentos estratégicos do


negócio: Clientes / Produtos / Mercados ?
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO

O que garante o crescimento nos três segmentos estratégicos do


negócio: Clientes / Produtos / Mercados ?

Via Concorrentes Via Mercado


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO
MODELO DE COMPETIÇÃO DO SECTOR DE SEGMENTO DE MERCADO
Quem são os intervenientes?
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO
MODELO DE COMPETIÇÃO DO SECTOR DE SEGMENTO DE MERCADO
Quem são os intervenientes?
TECNOLOGIA
MATÉRIAS-PRIMAS /
COMPONENTES
DESIGNERS
FABRICANTES
FORNECEDORES
DISTRIBUIDORES
REVENDEDORES
RETALHISTAS
CLIENTES
UTILIZADORES
FINAIS
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO
MODELO DE COMPETIÇÃO DO SECTOR DE SEGMENTO DE MERCADO
Quem são os intervenientes?
TECNOLOGIA
MATÉRIAS-PRIMAS /
COMPONENTES
DESIGNERS
FABRICANTES
FORNECEDORES
DISTRIBUIDORES
REVENDEDORES
RETALHISTAS

• 1. QUEM ESTABELECE E CONTROLA AS REGRAS? CLIENTES


• 2. QUEM INFLUENCIA AS REGRAS? UTILIZADORES
• 3. QUEM FICA À MERCÊ DOS QUE O (1 E 2) FAZEM? FINAIS
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO

CONTROLAR A ARENA DE COMPETIÇÃO

1. Identificar os nossos concorrentes.

2. Desenhar o perfil de cada concorrente. (Modus Operandi)

3. Neutralizar a Estratégia de Negócio dos meus concorrentes.


FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO
2. MODUS OPERANDI

1.1. Conceito de Negócio – (Qual é?)


1. ESTRATÉGIA
1.2. Áreas de Excelência (aquilo que a organização executa muito bem)
2. COMPRA / 2.1. Capacidade / Força negocial
PROCUREMENT 2.2. Inventário / Stock
3.1. Gama / Variedade / Modelos
3.2. Concepção 3.8. Costumizado
3.3. Especificações / Conteúdo 3.9. Patentes
3.4. Qualidade(Nível de satisfação de
3.10. Garantia
necessidades/expectativas)
3. PRODUTO
3.5. Inovação

3.5.1. Líder
3.5.2. Seguidor
3.6. Preço (política de)
4.1. Tipo 4.5. Necessidade / Expectativas
4.2. Classe
4.3. Características
4. CLIENTE 4.4. Utilizadores :
Perfil Hábitos
Demografia
Gostos Mix
5.1. Tipo 5.4. QM
5. SEGMENTOS
5.2. Características 5.5. Crescimento
MERCADO
5.3. Penetração 5.6. Volume
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO
2. MODUS OPERANDI

6.1. Países 6.5. Cultura


6. MERCADOS 6.2. Regiões 6.6. Política
GEOGRÁFICOS 6.3. Doméstico 6.7. Acessibilidades
6.4. Internacional
7.1. Tipo de tecnologia / Patentes
7. TECNOLOGIA / KNOW
HOW / ESPECIALIZAÇÃO Know específico

8.1. Processos 8.6. Custo


8. ACTIVIDADES DE 8.2. Aptidões 8.7. Descentralizado
PROCESSAMENTO / 8.3. Capacidade (volume) 8.8. Papel dos Fornecedores
FABRICO 8.4. Localização 8.9. Eficácia
8.5. Tempo de fabrico
9.1. Política / Tipo / Método 9.7. Tempo de resposta
9.2. Alcance / Cobertura 9.8. Rep. / Promotoras
9.3. Freq. / Quant.(Nº Acções /
9. ACTIVIDADES DE 9.9. Directa
unid. Tempo)
VENDA / MARKETING
9.4. Atendimento 9.10. Eficácia
9.5. Exposição 9.11. Reclamações
9.6. Promoção / Imagem
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO
2. MODUS OPERANDI

10.1. Política / Tipo / Método 10.5. Tempo de Entrega

10. ACTIVIDADES DE 10.2. Canais 10.6. Logística


DISTRIBUIÇÃO / ENTREGA 10.3. Alcance / Cobertura 10.7. Eficácia

10.4. Freq. / Quant.

11.1. Política / Tipo 11.4. Reclamações


11. SERVIÇO PÓS-VENDA 11.2. Alcance / Cobertura
11.3. Eficácia

12. OBJECTIVOS / 12.1. % Crescimento


INDICADORES
12.2. Lucro
FINANCEIROS
12.3. Volume Vendas (m2 / unidade produzida / etc..)
13.1 Estrutura orgânica

13.2 Competências

13.3 Remunerações /
13. RECURSOS HUMANOS
Compensação

13.4 Recrutamento

13.5 Formação
14.1. Pontos Fortes
14. DIAGNÓSTICO
14.2. Pontos Fracos
FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA
11. ARENA DE COMPETIÇÃO

3. Neutralizar a Estratégia de Negócio dos meus concorrentes.

Neutralizar a Estratégia de Negócio dos concorrentes passa inicialmente


por identificar a força motriz que conduz o negócio e as respectivas
áreas de excelência que alimentam a condução do seu negócio e
cultivar dentro da organização um nível de proficiência mais elevado
que o concorrente.

É a manutenção de um grau superior de competência num par de


aptidões chave estratégicas (áreas de excelência) que mantêm o
coração estratégico da empresa forte e saudável e lhe confere
vantagem sobre os seus concorrentes.
MODELO ESTRATÉGICO de Pensamento Estratégico
PLANEAMENTO e
CONTROLO de GESTÃO 1.Visão

Formulação da Estratégia

2. Força Condutora 5. Áreas de Excelência

4.Horizonte Temporal 3. Conceito de Negócio 6. Análise Meio Envolvente

8. Clientes 7. Produtos/Serviços 9. Mercados

10. Requisitos de Sucesso &


Indicadores de Fracasso
12. Objectivos
11.Arena de Competição
Estratégicos
Planeamento e Implementação

15. Estrutura 16.Processos


14. Modus Operandi
17.Competências
13.Objectivos
Operacionais

18. Planos de Acção

Controlo de Gestão
20. Quadros de Controlo de
19. Controlo Orçamental Gestão