Vous êtes sur la page 1sur 23

PLANO DE NEGÓCIOS

DA PETROBRAS

VISÃO DA ÁREA DE MATERIAIS

LUIS FERNANDO MENDONÇA FRUTUOSO


Gerente Executivo de MATERIAIS
Plano de Negócios da PETROBRAS
Visão da área de MATERIAIS

1 Investimentos do Sistema Petrobras

2 Investimentos no “Upstream”

3 Investimentos no “Downstream”

4 Investimentos em Gás e Energia

Direcionamento estratégico da Área de


5
Materiais
Investimentos do Sistema PETROBRAS

PETROBRAS vai investir cerca de US$ 31,2 bilhões entre 2002 – 2006

$35
Capital a ser Investido (U.S. $ bilhôes)

Outros (7%)
$30 Project Finance (7%)
Gás & Energia (7%)
Internacional (24%)

$25 Downstream (23%)

$20
Domestico (76%) Capital próprio
$15 e Financiamentos
convencionais
Upstream (63%)
(93%)
$10

$5

$0

Negócios (Brasil) Região Recursos


Investimentos do Sistema PETROBRAS

Investimentos do sistema Petrobras, por atividade (US$ bilhões),


2002-2006

Área de Negócios Valor %


(US$ bilhões)
E&P 14,7 47%
Downstream 5,9 19%
Gás e Energia 1,6 5%
Internacional 7,6 24%
Distribuição 0,9 3%
Áreas Corporativas 0,5 2%
Total 31,2 100%

Estimativa de aquisição
em materiais: US$ 10 bilhões
Investimentos do Sistema PETROBRAS

Investimentos do sistema Petrobras, por atividade (US$ bilhões),


2002-2006

$0,5

$1,3
$1,7

$6,3
Valores (US$ bilhões)
considerando a área internacional

$ 21,4

E&P (*) Downstream (*)


Gás e Energia (*) Distribuição(*)
Áreas Corporativas
(*) inclui área internacional
Plano de Negócios da PETROBRAS
Visão da área de MATERIAIS

1 Investimentos do Sistema PETROBRAS

2 Investimentos no “Upstream”

3 Investimentos no “Downstream”

4 Investimentos em Gás e Energia

Direcionamento estratégico da Área de


5
Materiais
Investimentos no “Upstream”

Principais projetos para 2002-2006

Principais Projetos

Roncador
Barracuda
Marlim Sul
Campos do Nordeste
Outros campos do Sudeste
Albacora Leste
Plano de Negócios da PETROBRAS
Visão da área de MATERIAIS

1 Investimentos do Sistema PETROBRAS

2 Investimentos no “Upstream”

3 Investimentos no “Downstream”

4 Investimentos em Gás e Energia

Direcionamento estratégico da Área de


5
Materiais
Investimentos no “Downstream”

Principais investimentos (US$ bilhões) para 2002-2006

Área de Negócio Valor (US$ bilhões)

Refino 4,2
Transpetro 1,3

Petroquímica 0,5
Outros 0,3

Total 6,3
Investimentos no “Downstream”

Principais projetos nas refinarias brasileiras - 2002 a 2006

Unidades incluídas nos projetos


HCC – Hidrocraqueamento Catalítico
HDT- Hidrotratamento
Destilação
UCR- Unidade de Coqueamento Retardado
UGH- Unidade de Geração de Hidrogênio
Reforma Catalítica
Plano de Negócios da PETROBRAS
Visão da área de MATERIAIS

1 Investimentos do Sistema PETROBRAS

2 Investimentos no “Upstream”

3 Investimentos no “Downstream”

4 Investimentos em Gás e Energia

Direcionamento estratégico da Área de


5
Materiais
Investimentos em Gás e Energia

Área de Gás

• Estações de Compressão

• Instalações de fibras óticas

Área de Energia

• Termo-elétricas
Plano de Negócios da PETROBRAS
Visão da área de MATERIAIS

1 Investimentos do Sistema PETROBRAS

2 Investimentos no “Upstream”

3 Investimentos no “Downstream”

4 Investimentos em Gás e Energia

Direcionamento estratégico da Área


5
de MATERIAIS
Direcionamento estratégico da Área de MATERIAIS

DIRETRIZES ESTRATÉGICAS

• Garantir o mercado fornecedor;

• Viabilizar o plano de
investimentos da Petrobras;

• Suportar operações no conceito


de unidades de alta performance
Direcionamento estratégico da Área de MATERIAIS

Estratégias de suprimento para atender ao cenário 2002-2006

Garantia de
Atendimento às Competitividade
Operações e
Investimentos
considerando Novas
sua criticidade Tecnologias
SUPRIMENTO de
materiais para
investimentos e
operações
Otimização
da Cadeia de
Suprimento Negociação
com referências
internacionais
Otimização da
Base de
Fornecedores
Direcionamento estratégico da Área de MATERIAIS

Otimização da Programa de Garantia da


Base de Qualidade de Materiais e
Fornecedores Serviços Associados

Priorização na
qualificação técnica dos
fabricantes, nos
processos de
cadastramento
Convergência entre os
fornecedores qualificados
tecnicamente no Cadastro e
os constantes dos Vendor
Lists
Direcionamento estratégico da Área de MATERIAIS

Adoção do “strategic
Otimização da sourcing”
Cadeia de
Suprimento Visão compartilhada da
demanda e maior
conhecimento dos processos
do cliente

Aumento de escala, contratos de


maior duração e menor custo de
administração de vendas
Foco no custo total do
material
Direcionamento estratégico da Área de MATERIAIS

E-procurement (Market-
place)
Novas
tecnologias
Reduz os preços de
aquisições de bens e
serviços

Melhora os processos, reduz


os seus custos e facilita o
acesso às informações das
transações efetuadas

Possibilita acesso imediato


aos mercados locais e globais
Direcionamento estratégico da Área de MATERIAIS

Atendimento
às Operações
Adequação da estrutura
e
da Organização
Investimentos
considerando
sua criticidade Antecipação das
necessidades das Unidades,
através da participação em
todo o processo de análise de
demanda e de planejamento
de suprimento

Definição, em conjunto
com o usuário, da melhor
opção de suprimento para
cada material
Direcionamento estratégico da Área de MATERIAIS

Monitorar a efetiva
Garantia de competitividade dos
competitividad materiais, usando inclusive
e os resultados do
Programa de Garantia da
Qualidade de Materiais e
Serviços Associados

Estabelecer processos de
adequação do Cadastro de
Fornecedores

Estabelecer processos de
desenvolvimento tecnológico
de materiais e novos
fornecedores
Direcionamento estratégico da Área de MATERIAIS

Negociação
com Considerar como base de
referências preços, o histórico de
internacionais preços no mercado
internacional

Considerar na
composição dos preços
o cenário internacional
do momento
Direcionamento estratégico da Área de MATERIAIS

E nesse contexto, o mercado


fornecedor de bens e serviços é
considerado pela PETROBRAS
como parceiro fundamental para
que os objetivos e metas do seu
planejamento estratégico sejam
alcançados
Direcionamento estratégico da Área de MATERIAIS

A abrangência do Programa é ampla,


considerando as aquisições de materiais
diretamente pela PETROBRAS ou de forma
indireta, através de EPC, SPC, contratos de
serviços, etc.

Parte significativa dos materiais é adquirida


através de contratos gerenciados pela
ENGENHARIA