Vous êtes sur la page 1sur 15

Westfalia Separator

do Brasil Ltda
Mechanical Separation
Division

Desodorização
Contínua Lurgi de
Óleos Vegetais

O Processo Passo a Passo

Eng. Renato Dorsa


1
Desodorização

A desodorização, última etapa do processo de refino de óleos e


gorduras, tem como finalidade como o próprio nome sugere, a
remoção de substâncias que dão ao produto odor desagradável.
Quando aquecido em alta temperatura o óleo desprende uma
fração volátil de cheiro desagradável constituída principalmente
de ácidos graxos livres, aldeidos e cetonas.
A desodorização, feita em alta temperatura e alto vácuo, remove
estes materiais tornando o óleo mais resistente à alta
temperatura, sem cheiro e com o paladar mais agradável.
Elimina também por degradação pigmentos termodegradáveis,
melhorando a cor do óleo.

2
Desodorização

Vácuo

• Aquecimento
e aspiração dos
voláteis.
• Retenção

3
Esquema de Desodorização por Batelada

Vapor Vácuo
direto

Recuperação
dos ácidos
graxos

Aquecimento
e
resfriamento

4
Desodorização

 Para evitar a degradação do óleo, este é desaerado sob vácuo


antes de ser aquecido.
 Em seguida o óleo é aquecido até a temperatura de
desodorização e para facilitar o desprendimento dos voláteis é
borbulhado vapor direto no óleo.
 O óleo permanece em alta temperatura, sob vácuo e com
agitação por vapor direto por cerca de uma hora sendo em
seguida resfriado até a temperatura ambiente para ser enlatado
ou engarrafado.

5
Desodorização
Passo a Passo
O óleo a ser tratado é conduzido 3E01
do tanque de armazenagem pela
bomba (3G01) ao filtro bag
(3F01), a um regenerador (3E03)
e em seguida ao pré aquecedor a 3D01

vapor (3E01) que leva o óleo até


a temperatura de desaeração.
O óleo é pulverizado no
desaerador (3D01) e é desaerado
3E03
a vácuo.
A bomba (3G02) transfere o óleo 3G02

do desaerador ao sistema de
regeneração e aquecimento.
3G01

6
Observações

Caso o óleo provenha diretamente da etapa de


branqueamento é desnecessária a utilização do
filtro bag e do regenerador, assim como do
desaerador.

Neste caso, o óleo é enviado diretamente ao


sistema de regeneração de alta temperatura.

7
Desodorização Passo a Passo

O óleo entra num regerador tipo filme


descendente pelo casco trocando
calor com o óleo desodorizado quente
(que passa pelos tubos).

Passa a seguir por um aquecedor a


vapor de alta temperatura (que é
utilizado somente no início de
operação, quando ainda não há óleo
quente para efetuar a regeneração) e
segue para sistema de regeneração
interna do desodorizador.

8
Desodorização Passo a Passo
No sistema de regeneração interno, o
óleo desaerado troca calor com o óleo
pré deacidificado, regenerando parte
do calor, ao mesmo tempo que reduz
a temperatura de retenção interna.
A seguir passa pelo aquecedor final
(com vapor de alta pressão) e é
levado ä temperatura de
desacidificação.
Por transbordamento passa por uma
coluna empacotada onde é removida
a maior parte dos ácidos graxos.
Passa então pelo primeiro
compartimento de regeneração
atingindo a temperatura ideal de
retenção e sucessivamente pelos
estágios de retenção.
9
Observações

A pré desacidificação é feita em alta temperatura


(~260o) e por tempo curto.
A passagem pela coluna empacotada propicia extremo
contato do óleo com o vapor direto, removendo
rapidamente os ácidos graxos livres.
Sendo o óleo imediatamente resfriado no primeiro
estágio do desodorizador e feita a retenção para
degradação dos corantes e eliminação dos aldeídos e
cetonas no tempo adequado (1 hora) , a estabilidade à
rancidês oxidativa do óleo é preservada.

10
Desodorização Passo a Passo

O óleo desodorizado é descarregado do


desodorizador através da bomba, passa
pelo regenerador e em seguida é resfriado
sob vácuo até 80oC.
Deste equipamento, é enviada ao
resfriador final e aos filtros de polimento

11
Desodorização Passo a Passo
Os ácidos graxos livres provenientes
do processo de desodorização, sai
pelos duto central das bandejas e
pelo topo do desodorizador
passando através do lavador de
vapores. Os ácidos graxos são
forçados a passar por uma coluna
com anéis especiais sobre os quais
é pulverizado através da bomba o
próprio ácido graxo resfriado no
trocador. Desta forma os vapores de
ácidos graxos são condensados e
recuperados. Ao se atingir um nível
alto no tanque de recepção, parte
dos ácidos graxos é descarregada.
12
Desodorização Passo a Passo

O vácuo necessário ao processo de


desodorização é gerado por um conjunto
de ejetores a vapor composto de dois
ejetores principais ou boosters montados
em série, um primeiro condensador, um
terceiro ejetor desaerador, um segundo
condensador e um ejetor final.
È previsto também para o início de
operação um ejetor de partida que tem por
função fazer um pré vácuo afim de diminuir
o tempo total de início de operação.

13
Desodorização Passo a Passo

O aquecimento do óleo até a


temperatura de desodorização é
feito através de vapor gerado por
4142
uma caldeira de alta pressão.
A caldeira aquece o vapor que
por sua vez aquece o óleo .
Atingida a temperatura de
desodorização o queimador é
modulado de forma a manter a
temperatura de desodorizção
constante.

14
Fluxograma da Desodorização

15