Vous êtes sur la page 1sur 48
Barragens Barragens dede Rejeitos Rejeitos Engenharia Civil - IFTO.
Barragens
Barragens dede Rejeitos
Rejeitos
Engenharia Civil - IFTO.

diâmetro de 1250 metros e profundidade de 525 metros

Mina de Diamante na Sibéria

diâmetro de 1250 metros e profundidade de 525 metros Mina de Diamante na Sibéria
UnB/ENC/Geotecnia UnB/ENC/Geotecnia Diniz/2005 Diniz/2005
UnB/ENC/Geotecnia
UnB/ENC/Geotecnia
Diniz/2005
Diniz/2005
This giant BELAZ truck carries a 200-220 tonne payload

This giant BELAZ truck carries a 200-220 tonne payload

This giant BELAZ truck carries a 200-220 tonne payload
The small red arrow indicates a BELAZ 7350 on the mine track. Mirny city can be

The small red arrow indicates a BELAZ 7350 on the mine track.

Mirny city can be seen on the horizon line above the hole’s rim.

The small red arrow indicates a BELAZ 7350 on the mine track. Mirny city can be

Barragens dede Contenção

Barragens

Contenção dede Rejeitos

Rejeitos

Estruturas de contenção destinadas ao armazenamento de rejeitos de mineração, sendo comumente executadas pelo processo de alteamentos sucessivos

*

DIFERENÇAS PRINCIPAIS ENTRE BARRAGENS CONVENCIONAIS X BARRAGENS DE REJEITOS

  • - natureza do material armazenado;

  • - utilização dos próprios rejeitos como material de construção (“barragens de rejeitos”);

  • - construção das barragens de rejeitos em etapas (alteamentos sucessivos)

*

CARACTERÍSTICAS ESPECÍFICAS DAS BARRAGENS DE CONTENÇÃO DE REJEITOS

  • - potencial de risco;

  • - escolha do local;

  • - aspectos construtivos;

  • - materiais de construção;

  • - serviços de manutenção.

• de de Contenção Barragens de de Rejeitos Estruturas de contenção destinadas ao armazenamento de rejeitos

Barragens dede Contenção

Barragens

Contenção dede Rejeitos

Rejeitos

construção a partir

de

um

dique

inicial

('dique

de

partida')

em

aterro

compactado (acumulação dos rejeitos ao longo de um período de 2 a 3 anos usualmente);

execução da estrutura em múltiplas etapas, em função dos volumes de rejeitos produzidos;

•utilização

de

diferentes

materiais

de

construção

nos

alteamentos

sucessivos, incluindo-se os estéreis da mina e os próprios rejeitos;

diluição dos investimentos ao longo da vida útil do empreendimento;

adoção dos métodos de alteamento para montante, jusante ou pela linha de centro, definidos em função da direção de deslocamento do eixo da barragem em relação ao eixo do dique de partida.

de de Contenção Barragens de de Rejeitos • construção a partir de um dique inicial

ASPECTOS GEOTÉCNICOS

ASPECTOS

GEOTÉCNICOS DADA

MINERAÇÃO

MINERAÇÃO

Estabilidade de taludes de minas

Aberturas subterrâneas

Drenagem de água

Disposição de estéril

Disposição de rejeitos

Obras civis:

GEOTÉCNICOS ASPECTOS DA DA MINERAÇÃO MINERAÇÃO • Estabilidade de taludes de minas • Aberturas subterrâneas

ASPECTOS GEOTÉCNICOS

ASPECTOS

GEOTÉCNICOS DADA

MINERAÇÃO

MINERAÇÃO

Minas a céu aberto

Minas subterrâneas

Disposição de estéril

Disposição de rejeitos

Obras civis (fundações, terraplenagem, drenagem e pavimentação)

Controle de poluição de águas superficiais e subterrâneas

GEOTÉCNICOS ASPECTOS DA DA MINERAÇÃO MINERAÇÃO • Minas a céu aberto • Minas subterrâneas •
GEOTÉCNICOS ASPECTOS DA DA MINERAÇÃO MINERAÇÃO • Minas a céu aberto • Minas subterrâneas •
GEOTÉCNICOS ASPECTOS DA DA MINERAÇÃO MINERAÇÃO • Minas a céu aberto • Minas subterrâneas •
GEOTÉCNICOS ASPECTOS DA DA MINERAÇÃO MINERAÇÃO • Minas a céu aberto • Minas subterrâneas •
GEOTÉCNICOS ASPECTOS DA DA MINERAÇÃO MINERAÇÃO • Minas a céu aberto • Minas subterrâneas •
GEOTÉCNICOS ASPECTOS DA DA MINERAÇÃO MINERAÇÃO • Minas a céu aberto • Minas subterrâneas •
GEOTÉCNICOS ASPECTOS DA DA MINERAÇÃO MINERAÇÃO • Minas a céu aberto • Minas subterrâneas •
GEOTÉCNICOS ASPECTOS DA DA MINERAÇÃO MINERAÇÃO • Minas a céu aberto • Minas subterrâneas •

CONCEITOS

CONCEITOS

Jazida: concentração mineral passível de ser aproveitada

economicamente Mina área onde se explora o bem mineral

Minério substância, agregado mineral, rocha ou solo que pode ser aproveitado economicamente

Estéril rocha ou solo sem valor econômico

Encaixante rochas nas quais o minério encontra-se encaixado

que ocorre dentro do corpo de minério ou externamente ao mesmo

Rejeitos minerais que resultam sem valor econômico, no processo de

beneficiamento Usina instalações industriais onde é realizado o beneficiamento

Lavra operação de extração do minério e do estéril da mina

CONCEITOS CONCEITOS • Jazida: concentração mineral passível de ser aproveitada • economicamente Mina área onde se

CONDICIONANTES GEOLÓGICOS

CONDICIONANTES

GEOLÓGICOS

Obras civis

Estabilidade de taludes

Disposição de rejeitos

Disposição de estéril

Drenagem de minas

Desmonte de rochas

Minas subterrâneas

CONDICIONANTES GEOLÓGICOS CONDICIONANTES GEOLÓGICOS • Obras civis • Estabilidade de taludes • Disposição de rejeitos •

Etapas dodo empreendimento

Etapas

empreendimento

Projeto

Implantação

Operação

Desativação

do do empreendimento Etapas • Projeto • Implantação • Operação • Desativação
CARACTERIZAÇÃO DO PROCESSO TECNOLÓGICO MINERAÇÃO/ BARRAGEM DE REJEITO IMPLANTAÇÃO: pesquisa mineral/abertura de vias de acesso/instalação de
CARACTERIZAÇÃO DO PROCESSO TECNOLÓGICO
MINERAÇÃO/ BARRAGEM DE REJEITO
IMPLANTAÇÃO: pesquisa mineral/abertura de vias de
acesso/instalação de equipamentos
OPERAÇÃO: decapeamento/ desmonte/ transporte interno de
minério e rejeito/ beneficiamento/ disposição de rejeitos/
estocagem do produto/ transporte do produto/ operações
auxiliares
DESATIVAÇÃO: restauração/ reabilitação/ recuperação
CARACTERIZAÇÃO DO PROCESSO TECNOLÓGICO MINERAÇÃO/ BARRAGEM DE REJEITO Rejeito de mineração: •resíduos da lavra - estéril
CARACTERIZAÇÃO DO PROCESSO TECNOLÓGICO
MINERAÇÃO/ BARRAGEM DE REJEITO
Rejeito de mineração:
•resíduos da lavra - estéril e minério de baixo teor
•resíduos do beneficiamento do minério
Tipos de disposição depende da:
dinâmica da extração do minério
natureza do material
morfologia das áreas circunvizinhas
necessidade de baratear os custos de transporte
Rejeitos/ disposição: gasosos, líquidos e sólidos
usinas de concentração: gases+líquidos+sólidos
CARACTERIZAÇÃO DO PROCESSO TECNOLÓGICO MINERAÇÃO/ BARRAGEM DE REJEITO O QUE FAZER?????? Gases: •tratados química ou fisicamente
CARACTERIZAÇÃO DO PROCESSO TECNOLÓGICO
MINERAÇÃO/ BARRAGEM DE REJEITO
O QUE FAZER??????
Gases:
•tratados química ou fisicamente (absorção, condensação,
queima)
•liberados na atmosfera
Rejeitos sólidos inertes:
depositados em bota-foras
Líquidos e sólidos diversos:
BARRAGENS DE CONTENÇÃO DE REJEITOS
BACIAS/ TANQUES/ RESERVATÓRIOS DE DECANTAÇÃO
RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS NÍVEL DE RECUPERAÇÃO abandono NOVA SITUAÇÃO NOVO USO degradação Sem uso regeneração
RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS
NÍVEL DE
RECUPERAÇÃO
abandono
NOVA SITUAÇÃO
NOVO USO
degradação
Sem uso
regeneração
Vários possíveis
Conservação
Novo ambiente
MINA
Piscicultura
reabilitação
Recreativo
Conservação
Condições similares
às anteriores
Recreativo
Agrícola ou florestal
Urbano (res,com,ind)
Conservação do
patrimônio industrial
Turístico
Educativo
restauração
estabilidade
Vários possíveis
(SANCHEZ, 2001)
RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS MINERAÇÃO/ BARRAGEM DE REJEITO Conjunto de ações que visam tornar a área
RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS
MINERAÇÃO/ BARRAGEM DE REJEITO
Conjunto de ações que visam tornar a área apta para uso produtivo,
mesmo que, não o mesmo que antecedeu a atividade de mineração
A possibilidade de novo uso requer:
ESTABILIDADE FÍSICA:
-
sem processos erosivos intensos
-
sem riscos de movimentos de massa
ESTABILIDADE QUÍMICA:
-
ausência de compostos químicos que possam ser nocivos à saúde
humana ou aos ecossistemas (como pilhas de estéril contendo
sulfetos)
ESTABILIDADE BIOLÓGICA (se u novo uso for conservação
ambiental)
RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS ATIVIDADES SUSCETÍVEIS A CONTAMINAR O SOLO ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS •aterros sanitários e
RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS
ATIVIDADES SUSCETÍVEIS A CONTAMINAR O SOLO
ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS
•aterros sanitários e depósitos de entulho
•aterros para construção com resíduos industriais
•eliminação de resíduos industriais
•lixões
•depósitos de resíduos de mineração
(SANCHEZ, 2001)
RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS ATIVIDADES SUSCETÍVEIS A CONTAMINAR O SOLO DEPÓSITO E TRANSFERÊNCIA DE SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS
RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS
ATIVIDADES SUSCETÍVEIS A CONTAMINAR O SOLO
DEPÓSITO E TRANSFERÊNCIA DE SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS
•depósito de substâncias químicas e petroquímicas
•depósitos de pesticidas
•depósitos de solventes
•faixas de oleodutos
(SANCHEZ, 2001)
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS (Samarco/Germano)
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS
(Samarco/Germano)
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS Samarco
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS
Samarco
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS Frente de lavra -CBA Mineração -CBA
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS
Frente de lavra -CBA
Mineração -CBA
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS Barragem de rejeito -CBA Viveiro -CBA
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS
Barragem de rejeito -CBA
Viveiro -CBA
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS MBR
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS
MBR

Histórico

Histórico das

das barragens

barragens dede rejeito

rejeito

A evolução dos sistemas de disposição de rejeitos de mineração pode ser dividida em duas fases, a primeira até meados da década de setenta quando as barragens eram construídas baseadas no empirismo, e sem aplicação da metodologia de projeto de barragens. Nestas condições, as rupturas eram constantes e, muitas vezes, consideradas um benefício, pois permitiam a disposição de maior quantidade de rejeitos. Os problemas ambientais decorrentes destas rupturas não eram considerados naquela época. Entretanto, alguns acidentes sérios, com perdas de vidas humanas e consideráveis prejuízos materiais e ao meio ambiente indicaram a necessidade de promover melhorias no projeto e construção dos sistemas de disposição de rejeitos.

Histórico das barragens de de rejeito • A evolução dos sistemas de disposição de rejeitos de
Histórico das barragens de de rejeito • A evolução dos sistemas de disposição de rejeitos de
Histórico das barragens de de rejeito • A evolução dos sistemas de disposição de rejeitos de
Histórico das barragens de de rejeito • A evolução dos sistemas de disposição de rejeitos de
Histórico das barragens de de rejeito • A evolução dos sistemas de disposição de rejeitos de
Histórico das barragens de de rejeito • A evolução dos sistemas de disposição de rejeitos de
Histórico das barragens de de rejeito • A evolução dos sistemas de disposição de rejeitos de
Histórico das barragens de de rejeito • A evolução dos sistemas de disposição de rejeitos de
Histórico das barragens de de rejeito • A evolução dos sistemas de disposição de rejeitos de

Histórico

Histórico das

das barragens

barragens dede rejeito

rejeito

Estes acidentes foram:

Ruptura de doze barragens de rejeito de minério de cobre, ocorridos no Chile, no ano de 1965, durante um terremoto, provocando a perda de cerca de 200 vidas humanas;

Ruptura da barragem de Aberfan, na Inglaterra, em

1966, que era uma estrutura destinada à disposição de

rejeitos de

carvão. Esta ruptura provocou a perda de

127 vidas humanas;

 

Ruptura da barragem Buffalo Creek, nos Estados Unidos, em 1972, que também constituía um sistema destinado à disposição de rejeitos de carvão. Esta ruptura ceifou 125 vidas humanas e destruiu 4.100 casas.

• Ruptura da barragem Buffalo Creek, nos Estados Unidos, em 1972, que também constituía um sistema
• Ruptura da barragem Buffalo Creek, nos Estados Unidos, em 1972, que também constituía um sistema
• Ruptura da barragem Buffalo Creek, nos Estados Unidos, em 1972, que também constituía um sistema
• Ruptura da barragem Buffalo Creek, nos Estados Unidos, em 1972, que também constituía um sistema
• Ruptura da barragem Buffalo Creek, nos Estados Unidos, em 1972, que também constituía um sistema
• Ruptura da barragem Buffalo Creek, nos Estados Unidos, em 1972, que também constituía um sistema
• Ruptura da barragem Buffalo Creek, nos Estados Unidos, em 1972, que também constituía um sistema
• Ruptura da barragem Buffalo Creek, nos Estados Unidos, em 1972, que também constituía um sistema

Histórico

Histórico das

das barragens

barragens dede rejeito

rejeito

Histórico das barragens de de rejeito Assim, a partir desses acidentes com grande repercussão internacional, a

Assim, a partir desses acidentes com grande repercussão internacional, a introdução dos conceitos de preservação ambiental e do valor socio-econômico da terra provocaram um rápido desenvolvimento das metodologias de projeto e construção das barragens de rejeitos. Diversos congressos foram organizados, a partir de 1973, quando ocorreu o primeiro primeiro Congresso Congresso Internacional Internacional sobre sobre barragens barragens dede rejeitos. rejeitos. OO Comitê Comitê Internacional Internacional dede Grandes Grandes Barragens Barragens (ICOLD) (ICOLD) passou passou aa dar dar atenção atenção àsàs barragens barragens dede rejeito, rejeito, emem 1976 1976, no “XII International Congress on Large Dams”. Atualmente todos Comitês Nacionais de Barragem possuem comissões de estudos dedicadas à regulamentação do projeto e construção das barragens de rejeitos, visando torná-las seguras.

Histórico das barragens de de rejeito Assim, a partir desses acidentes com grande repercussão internacional, a
Histórico das barragens de de rejeito Assim, a partir desses acidentes com grande repercussão internacional, a
Histórico das barragens de de rejeito Assim, a partir desses acidentes com grande repercussão internacional, a
Histórico das barragens de de rejeito Assim, a partir desses acidentes com grande repercussão internacional, a
Histórico das barragens de de rejeito Assim, a partir desses acidentes com grande repercussão internacional, a
Histórico das barragens de de rejeito Assim, a partir desses acidentes com grande repercussão internacional, a
Histórico das barragens de de rejeito Assim, a partir desses acidentes com grande repercussão internacional, a

Características

Características das

das barragens

barragens dede

rejeito

rejeito

Fatores Condicionantes do Projeto

Dentre os fatores que condicionam a implantação das barragens de rejeitos citam-se, como principais, os seguintes:

as propriedades dos rejeitos são funções da característica do minério e do processo, e estes podem variar ao longo do período de exploração da mina;

•

velocidade de alteamento da barragem, que é função da velocidade de disposição dos rejeitos. A exploração da mina e, consequentemente, a produção e a disposição dos rejeitos ocorrem ao longo de décadas. Alterações nos processos poderão levar a variações nas propriedades dos rejeitos, que poderão influir no projeto da barragem

velocidade de alteamento da barragem, que é função da velocidade de disposição dos rejeitos. A exploração
velocidade de alteamento da barragem, que é função da velocidade de disposição dos rejeitos. A exploração
velocidade de alteamento da barragem, que é função da velocidade de disposição dos rejeitos. A exploração
velocidade de alteamento da barragem, que é função da velocidade de disposição dos rejeitos. A exploração
velocidade de alteamento da barragem, que é função da velocidade de disposição dos rejeitos. A exploração
velocidade de alteamento da barragem, que é função da velocidade de disposição dos rejeitos. A exploração
Barragem de contenção de rejeitos da Mineração Rio Pomba Cataguases, Miraí-MG
Barragem de contenção de rejeitos da Mineração Rio Pomba Cataguases, Miraí-MG
Rompimento da Barragem Rio Pomba Mineração Cataguases, 2007
Rompimento da Barragem Rio Pomba Mineração Cataguases, 2007
Impactos de rompimento em barragem no município de Miraí-MG.
Impactos de rompimento em barragem no município de Miraí-MG.

Características

Características das

das barragens

barragens dede rejeito

rejeito

Barragens Construídas com Rejeitos

As barragens de rejeitos são localizados em vales de regiões de relevo movimentado, acumulando rejeitos a montante, ou em regiões planas, onde há necessidade de criação de um reservatório mais extenso. Podem ser construídas com seção em terra homogênea ou enrocamento com núcleo de terra (barragens convencionais) ou com o próprio rejeito.

Dispõem-se basicamente de três tipos de barragens construídas com rejeitos:

Construção pelo método de montante

Neste método, é construída a barragem inicial, também denominada dique de partida (Figura 1) a partir da qual acumulam-se os rejeitos. Os alteamentos sucessivos são construídos a montante dos anteriores, apoiados sobre o próprio rejeito.

Construção pelo método da linha central

Neste método, cada alteamento é executado sobre o anterior, mantendo- se o eixo central da barragem

Construção pelo método de jusante

Neste método, cada alteamento é construído a jusante do anterior

Características das barragens de de rejeito Barragens Construídas com Rejeitos • As barragens de rejeitos são

MÉTODO

MÉTODO MONTANTE

MONTANTE

Barragem de rejeitos – alteamento pelo método de montante.

MÉTODO MÉTODO MONTANTE MONTANTE Barragem de rejeitos – alteamento pelo método de montante.
MÉTODO MONTANTE

MÉTODO MONTANTE

MÉTODO MONTANTE

DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE

DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE LINHA FREÁTICA ELEVADA

LINHA FREÁTICA ELEVADA

DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE LINHA FREÁTICA ELEVADA

DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE

DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE SUPERFÍCIE DE RUPTURA PROVÁVEL PASSA PELOS REJEITOS

SUPERFÍCIE DE RUPTURA PROVÁVEL PASSA PELOS REJEITOS

DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE SUPERFÍCIE DE RUPTURA PROVÁVEL PASSA PELOS REJEITOS
DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE SUPERFÍCIE DE RUPTURA PROVÁVEL PASSA PELOS REJEITOS
DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE SUPERFÍCIE DE RUPTURA PROVÁVEL PASSA PELOS REJEITOS
DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE SUPERFÍCIE DE RUPTURA PROVÁVEL PASSA PELOS REJEITOS
DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE SUPERFÍCIE DE RUPTURA PROVÁVEL PASSA PELOS REJEITOS
DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE SUPERFÍCIE DE RUPTURA PROVÁVEL PASSA PELOS REJEITOS
DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE SUPERFÍCIE DE RUPTURA PROVÁVEL PASSA PELOS REJEITOS
DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE SUPERFÍCIE DE RUPTURA PROVÁVEL PASSA PELOS REJEITOS

DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE

DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE RISCO DE RUPTURA POR “PIPING”

RISCO DE RUPTURA POR “PIPING”

DESVANTAGENS DO MÉTODO MONTANTE RISCO DE RUPTURA POR “PIPING”
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS
DISPOSIÇÃO DE REJEITOS

MECANISMOS DE PIPING

UnB/ENC/Geotecnia UnB/ENC/Geotecnia Diniz/2005 Diniz/2005
UnB/ENC/Geotecnia
UnB/ENC/Geotecnia
Diniz/2005
Diniz/2005

MÉTODO

MÉTODO DADA LINHA

LINHA CENTRAL

CENTRAL

Barragem de rejeitos – alteamento pelo método da linha central.
Barragem de rejeitos – alteamento pelo método da linha central.

MÉTODO

MÉTODO DADA LINHA

LINHA CENTRAL

CENTRAL

MÉTODO DA DA LINHA CENTRAL Barragem de rejeitos – alteamento pelo método da linha central.
Barragem de rejeitos – alteamento pelo método da linha central.
Barragem de rejeitos – alteamento pelo método da linha central.

MÉTODO

MÉTODO DEDE JUSANTE

JUSANTE

MÉTODO DE DE JUSANTE

MÉTODO

MÉTODO DEDE JUSANTE

JUSANTE

MÉTODO DE DE JUSANTE

Características

Características das

das barragens

barragens dede rejeito

rejeito

OO método

método dede alteamento

também oo mais

alteamento por

mais inseguro

por montante

dos três,

montante éé oo mais

mais antigo

antigo ee oo mais

mais econômico,

econômico,

mas também

mas

inseguro dos

três, pelas

pelas seguintes

seguintes razões:

razões:

menor coeficiente de segurança ao rompimento do talude, devido ao difícil

controle da posição da linha freática;

grande probabilidade da superfície de ruptura passar pelo rejeito. Estes não

são

compactados e, em geral, são fofos e saturados, apresentando baixa

resistência ao cisalhamento;

probabilidade de ocorrência de “piping”. A ocorrência de fluxos concentrados

entre dois diques de alteamento, ou percolação muito próxima da face jusante

podem levar o maciço a uma ruptura por “piping” ;

grande risco de ocorrência de liquefação dos rejeitos. No caso brasileiro,

excluem-se os terremotos, mas alteamento excessivo ou mesmo detonações

próximas à barragem podem provocar liquefação.

OO método

método dede alteamento

alteamento por

por jusante

jusante éé oo mais

mais seguro,

seguro, pois,

pois, aa superfície

superfície dede

ruptura crítica

ruptura

ocorrência

barragem pode

Este método

Este

crítica atravessa

pode ser

atravessa umum aterro

aterro compactado.

compactado. AA probabilidade

tendo emem vista

probabilidade dede

ocorrência dede “piping”,

barragem

“piping”, neste

ser dotada

neste caso,

caso, éé minimizada,

drenagem interna,

minimizada, tendo

vista que

que aa

dotada dede drenagem

interna, controlando

controlando aa percolação.

percolação.

por montante.

montante.

método temtem maior

maior custo

custo que

que oo método

método dede alteamento

alteamento por

O método de alteamento pela linha central é similar ao de jusante, em segurança

e custos.
e custos.

Desvantagem das barragens

construídas pelo método de

montante.

O MAIS PERIGOSO!

UnB/ENC/Geotecnia UnB/ENC/Geotecnia Diniz/2005 Diniz/2005
UnB/ENC/Geotecnia
UnB/ENC/Geotecnia
Diniz/2005
Diniz/2005
Comparação de volumes para vários tipos de barragem: (a) Método montante; (b) Método de jusante; (c)

Comparação de volumes para vários tipos de barragem: (a) Método montante;

Comparação de volumes para vários tipos de barragem: (a) Método montante; (b) Método de jusante; (c)

(b) Método de jusante; (c) Método da linha central

Comparação de volumes para vários tipos de barragem: (a) Método montante; (b) Método de jusante; (c)
Comparação de volumes para vários tipos de barragem: (a) Método montante; (b) Método de jusante; (c)
Comparação de volumes para vários tipos de barragem: (a) Método montante; (b) Método de jusante; (c)
Comparação de volumes para vários tipos de barragem: (a) Método montante; (b) Método de jusante; (c)
Comparação de volumes para vários tipos de barragem: (a) Método montante; (b) Método de jusante; (c)

Métodos Construtivos de Barragens de Contenção de Rejeitos Drenos:

Métodos Construtivos de Barragens de Contenção de Rejeitos Drenos:
REPRESAMENTO EM VALE

REPRESAMENTO EM VALE

REPRESAMENTO EM VALE