Vous êtes sur la page 1sur 24

GÊNERO POEMA

Leia o texto abaixo:

Ferreira Gullar(1930-)
Vamos Refletir um pouco...

Qual é o gênero textual do texto acima?

Como você define tal gênero?

Que características esse gênero tem?

Que recursos são utilizados no texto de Ferreira


Gullar para compô-lo?
O que é um poema?

De acordo com o Dicionário de Gêneros Textuais, de Sérgio


Roberto da Costa, poema é uma “composição poética em
versos, de tamanho muito variado” (p.150)

Pela definição acima apresentada, percebemos que o


poema é:

1) Um gênero textual → uma forma de comunicação usada


com certas finalidades;
2) Um texto que possui uma relação profunda com a
poesia;
3) Não possui extensão definida;
4) É composto em versos.
Há, entre as noções de POESIA e POEMA, uma diferença que convém
ressaltar.
"Se o poema é um objeto empírico e se a poesia é uma
substância imaterial, é que o primeiro tem uma existência
concreta e a segunda não. Ou seja: o poema, depois de
criado, existe per si, em si mesmo, ao alcance de qualquer
leitor, mas a poesia só existe em outro ser: primariamente,
naqueles onde ela se encrava e se manifesta de modo
originário, oferecendo-se à percepção objetiva de qualquer
indivíduo; secundariamente, no espírito do indivíduo que a
capta desses seres e tenta (ou não) objetivá-la num poema;
terciariamente, no próprio poema resultante desse trabalho
objetivador do indivíduo-poeta.“
(LYRA, Celso. Conceito de Poesia. São Paulo: Ática, 1986)
Observe os seguintes exemplos:

Gregório de Matos Guerra (1623-1693)


Gonçalves Dias(1823- 1864)
Castro Alves (1847- 1871)
Raimundo Correia (1859- 1911)
Oswald de Andrade (1890- 1954)
Jorge de Lima (1893- 1953)
Vinícius de Morais (1913- 1980)
Augusto de Campos (1931 -)
Ricardo Carvalho Duarte (Chacal)
(1951 -)
Quais os elementos da
linguagem poética?
VERSO:

O verso é cada uma das linhas que compõem o poema,


obedecendo as regras do ritmo e da métrica.

a) Verso livre: é verso que não obedece à métrica tradicional

b) Verso branco: é o verso que não tem rima.


MÉTRICA:
A métrica corresponde à regularidade de sílabas poéticas (que
não é a mesma coisa de sílaba ortográfica) em um verso e até
mesmo no poema inteiro. A sílaba métrica é uma unidade
musical definida pela cadência do verso.

Que / não / se / ja / i / mor / tal /, pos/ to / que / é / cha / ma.


1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Divisão em sílaba gramatical

Que / não / se / ja i / mor / tal /, pos / to / que é / cha / ma


1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
Divisão em sílaba métrica
RIMA:
Muitos poemas apresentam sons semelhantes ou mesmo
idênticos no final de seus versos. A esse jogo sonoro é
chamado rima.
ESTROFE:
É o conjunto de versos que formam uma unidade rítmica terminada
por uma pausa maior que a do final do verso. De acordo com o
número de versos de uma estrofe, este pode ser classificado em: a)
dísticos (2), b) tercetos (3), c) quartetos (4), d) quintetos (5), e)
sextetos (6), f) sétimas (7), g) oitavas (8), h) novenas (9), i) décimas
(10).
RITMO:
Sucessão de tempos fortes e fracos que se alternam com
intervalos regulares em um verso. No verso tradicional (verso
não livre), o ritmo é obtido pelas sílabas poéticas, isto é, pela
métrica. A alternância entre uma sílaba tônica (forte) e uma
sílaba átona (fraca) cria o ritmo da poesia.

Na poesia de verso livre, o ritmo é mais psicológico (é o leitor


que cria um ritmo ao poema na sua leitura)
FIGURAS DE ESTILO:
São recursos sintáticos, fonológicos e semânticos utilizados
para elaborar um poema. Devido à sua conexão com a poesia a
figura de linguagem permite que se crie diversos efeitos
(sonoros, sintáticos e semânticos) no texto. Alguns exemplos
de figuras são:

a) Metáfora;
b) Antíteses;
c) Assonância;
d) Paralelismo;
e) Sinestesia;
f) Paradoxo ou oxímoro;
g) Etc.