Vous êtes sur la page 1sur 19

Edgar Morin: Sete Saberes Necessários à Educação do

Futuro

Resumo
PowerPoint para uso docente: usa-se a grafia do
Acordo Ortográfico.

Carlos Mota, 2011. Departamento de Educação e Psicologia, UTAD, Portugal


Sete saberes necessários?
• 1- As cegueiras do conhecimento: erro e
ilusão;
• 2- Princípios do conhecimento pertinente;
• 3- Ensinar a condição humana;
• 4- Ensinar a identidade terrena;
• 5- Enfrentar as incertezas;
• 6- Ensinar a compreensão;
• 7- A ética do humano.

2
Os vários pontos desta obra de Morin:

• 1-“Armar cada mente no


combate vital rumo à lucidez”
• (p. 14), ou seja: é necessário
estudar as caraterísticas
cerebrais, mentais e culturais
do conhecimento, dos processos
e formas, das questões psíquicas
e/ou culturais que conduzem ao
erro e/ou à ilusão;
3
• 2- Desenvolver a aptidão da
mente humana para
contextualizar as informações e
compreender o conjunto.
• Ensinar métodos que permitam
estabelecer relações e
influências recíprocas entre as
partes e o todo num mundo
complexo (p.14);
4
• 3- Compreender que o «humano» é
sempre físico, biológico, psicológico,
social e cultural, e essa unidade
complexa da natureza humana é
totalmente “desintegrada” – não
entendida, porque artificialmente
dividida (ou desligada) - na Educação
atual, pelas várias disciplinas.
• Com base nelas, porém, devem levar-se
os alunos a compreender a unidade e a
complexidade do ser humano.
5
• 4- Ensinar a História da era planetária,
iniciada com as navegações portuguesas,
seguidas das castelhanas, francesas,
inglesas e holandesas, que puseram em
comunicação todos os continentes a
partir do séc. XVI.
• O mundo interligou-se. (Para o Bem e
para o Mal)* Explorar esta questão.

• A problemática atual é planetária,


porque todos os seres humanos têm
problemas e um destino comum (p.16);
6
• 5- Ensinar a estratégia que leve a
pensar o imprevisto, pensar a incerteza,
intervir no futuro através do presente,
com as informações obtidas no tempo e
a tempo.

• “É preciso aprender a navegar um


oceano de incertezas” (p. 16).
• O Futuro é aberto e incerto, mas temos
dados para [pelo menos] tentar minorar
as dificuldades.
7
• 6- Compreender que a compreensão é
meio e fim da comunicação humana mas a
Educação para a Compreensão não se
faz.

• Precisamos de compreensão mútua.


Precisamos de estudar a incompreensão,
o racismo, a xenofobia, o dogmatismo.
Isso seria a base da Educação para a
Paz. (p.17).

8
• 7- Compreender a natureza “trinitária”
do humano:
• indivíduo<->sociedade<->espécie.

• A ética indivíduo<->espécie consiste no


controlo da sociedade pelo indivíduo e
do indivíduo pela sociedade que é
• ->A Democracia;

• A ética indivíduo<->espécie implica, no


século XXI, a construção e efetivação
da cidadania terrestre [planetária].
9
• Edgar Morin liga a Educação à Ética e
esta a uma Política, não no sentido de
Rousseau, mas também num sentido
que muitos considerarão Utópico.
• No entanto, a visão que sugere, da
“religação” dos saberes e da
complexidade, implica a construção do
que chama uma “Antropo-Política”,
(embora escreva “antropolítica”).
• Uma Política centrada no Homem.

10
• Há duas grandes finalidades educativas
e ético-políticas no novo milénio:
• 1)Conseguir o equilíbrio [controlo] entre
a Sociedade e os indivíduos pela
Democracia e
• 2)Pensar a Humanidade como
comunidade planetária.
• A educação deve contribuir não só para
a tomada de consciência da Terra-Pátria,
mas também permitir que essa
consciência se traduza em vontade de
realizar a cidadania terrena. (p.18)
11
• Exige-se:
• a)Uma reforma radical do
pensamento e uma mudança de
paradigma nas Ciências;
• b)Na Política, a solução dos
problemas “sócio-ambientais,” sem o
que nada mudará nas relações entre
as sociedades humanas, os
indivíduos e os seus ecossistemas.
12
• É necessário:
• a)Mais Democracia;
• b)Regenerar a atual Democracia, combater os
totalitarismos, e

• c) Inventar uma Democracia Planetária, com a


consequente criação de um novo paradigma de
Pensamento.
• São necessárias Instituições Globais com
verdadeiro Poder decisório. Sem a realização
destas propostas, a nossa espécie corre sérios
riscos.
13
Bibliografia parcial de Edgar Morin

• 1946, L´An zéro de l´Allemagne, La Cité Universelle, Paris


• 1951, L´Homme et la mort, Le Seuil, Paris. Em português: O Homem e a
Morte, Europa América, Portugal, 1988. Imago, Brasil, 1997.
• 1956, Le Cinéma ou l´Homme Imaginaire, Minuit, Paris. Em português: O
Cinema ou o Homem Imaginário. Lisboa: Relógio d'Água Editores, 1997.
• 1957, Les Stars, Le Seuil, Paris. Em português: As Estrelas de Cinema.
Lisboa, Livros Horizonte, 1980. As Estrelas: Mito e Sedução no Cinema. Rio
de Janeiro: José Olympio, 1989.
• 1959, Autocritique, Le Seuil, Paris
• 1962, Chronique d´un ête (roteiro do filme, em colaboração com Jean
Rouch), Interspectacle, Paris
• 1962, L'esprit du temps, Grasset, Paris. Em português: Cultura de Massa no
século XX - O espírito do tempo vol.I Neurose, Forense Universitária,
Brasil, 1977 vol.II Necrose, Forense Universitária, Brasil, 1977
• 1965, Introduction à une politique de l´homme, Le Seuil, Paris. Em
português: Introdução a uma Política do Homem e Argumentos Políticos,
Brasil, 1969

14
• 1967, Commune en France: la Métamorphose de Plozévet, Fayard,
Paris
• 1968, Mai 68: La Bréche (em colaboração com Claude Lefort e
Cornelius Castoriadis), Fayard, Paris
• 1969, Le Vif du sujet, Le Seuil, Paris
• 1969, La Rumeur d´Orléans, Le Seuil, Paris
• 1973, Le Paradigme perdu: la nature humaine, Le Seuil, Paris. Em
português: Enigma do Homem - Para uma nova Antropologia,
Zahar, Brasil, 1979. Paradigma Perdido: a natureza humana,
Europa América, Portugal
• 1973 "Não se conhece a canção". Petrópolis: 1973. In Linguagem
da cultura de massas: televisão e canção. Petrópolis. Revista
Novas Perspectivas em Comunicação, N° 6.
• 1974, L'Unité de l´Homme (com Massimo Piattelli-Palmieri), Le
Seuil, Paris. Em português: A unidade do homem, Cultrix, Brasil,
1982

15
• La Méthode (6 volumes)

– 1977, La Nature de la nature (t. 1), Paris: Le Seuil, Nouvelle édition,


coll. Points, 1981. Em português: Método I - A Natureza da Natureza.
Europa América: Portugal 1987. Porto Alegre: Sulina, 2003.
– 1980, La Vie de la vie (t. 2), Le Seuil, Nouvelle édition, coll. Points,
1985. Em português: O Método 2 - A Vida da Vida. Europa América,
1999. Sulina, 2001.
– 1986, La Connaissance de la connaissance (t. 3), Le Seuil, Nouvelle
édition, coll. Points. Em português: O Método 3 - O Conhecimento do
Conhecimento, Europa América, 1996. Sulina, 2002.
– 1991, Les Idées. Leur habitat, leur vie, leurs moeurs, leur organisation
(t. 4), Le Seuil, Nouvelle édition, coll. Points, 1996. Em português: O
Método 4 - As idéias: habitat, vida, costumes, organização. Sulina,
2002. Europa América, 2002.
– 2001, L’Humanité de l’humanité (t. 5), 1. L’identité humaine, Paris, Le
Seuil. Em português: O Método 5 - a humanidade da humanidade: a
identidade humana. Sulina, 2003. Europa América, 2003
– 2004, L'Éthique complexe (t. 6), Le Seuil. Em português: O Método VI
- A Ética. Europa América, 2005. Sulina, 2005.
• 1981, Pour sortir du XX siècle, Nathan, Paris. Em português:
• Para sair do século XX - As grandes questões do nosso tempo, Nova
Fronteira, Brasil.

16
• 1982, Science avec Conscience, Fayard, Paris. Em português:
Ciência com Consciência, Europa América, Portugal, 1984
• 1983, De la Nature de l´URSS, Fayard, Paris. Em português: Da
natureza da URSS - Complexo totalitário e o novo Império, Europa
América, Portugal
• 1984, Sociologie, Fayard, Paris. Em português: Sociologia - A
sociologia do microssocial ao macroplanetário, Europa América,
Portugal
• 1985, O problema epistemológico da complexidade, Europa América,
Portugal (debate realizado em Lisboa, dezembro de 1983).
• 1987, Penser l´Europe, Gallimard, Paris. Em português: Pensar a
Europa, Europa América, Portugal, 1988
• 1989, Vidal et les siens, Le Seuil, Paris. Em português: Vidal e os
seus, Instituto Piaget, Portugal
• 1990, Introduction à la pensée complexe, ESF, Paris. Em português:
• Introdução ao pensamento complexo, Instituto Piaget, Portugal,
1995
• 1991, Un noveau commencement (em colaboração com Gianluca
Bocchi e Mauro Ceuti), Le Seuil, Paris.
• 1993, Terre-Patrie (em colaboração com Anne Brigitte Kern), Paris:
Le Seuil. Em português: Terra-Pátria, Edições Sulinas, Rio Grande
do Sul, 1996.
• 1994, Mes Démons, Stock, Paris. Em português: Meus Demônios,
Edição portuguesa, Europa América, 1996. Edição brasileira,
Bertrand-Brasil, 1997 17
• 1994, La complexité humaine, Flammarion, Paris.
• 1995, Une anneé Sysiphe. Paris: Seuil. Em português: Um
Ano Sísifo: Diário de um Fim de Século. Lisboa: Publicações
Europa-América, 1998.
• 1996, Pleurer, Aimer, Rire, Comprendre, Arléa, Paris
• 1997, Amour, Poésie, Sagesse, Seuil, Paris
• 1999, La Tête bien faite, Le Seuil. Em português: A cabeça
bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio
de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.
• 1999), Relier les connaissances, Le Seuil. Em português:
Religando os saberes.(coord.) Rio de Janeiro: Bertrand
Brasil, 2000.
• 1999, L'Intelligence de la complexité, com Jean-Louis Le
Moigne, Éd. l’Harmattan. Em português:A Inteligência da
Complexidade, com Jean-Louis Le Moigne.
• 2000, Les Sept savoirs nécessaires à l'éducation du futur,
Le Seuil. Em português: Os sete saberes necessários à
educação do futuro. Cortez, 2000.
• 2003, Éduquer pour l'ère planétaire, la pensée complexe
comme méthode d’apprentissage dans l'erreur et l’incertitude
humaine (com Raul Motta, Émilio-Roger Ciurana), Balland. Em
português:Educar para a era planetária. Cortez, 2003.

18
Bibliografia Fundamental deste
PowerPoint

• http://pt.wikipedia.org/wiki/Edgar_Morin

• Morin, Edgar, Os sete saberes necessários à


educação do futuro, São Paulo: Cortez; Brasília,
DF: UNESCO, 2000.

• Mota Carlos, Breve História da Educação no


Ocidente: Porto, 2003.

19