Vous êtes sur la page 1sur 52

1

Fertilidade do Solo

Fósforo
Josimar Chaves
Doutorando em Agronomia
2

I. Introdução
Deficiência generalizada nos solos tropicais;
Requerimento pelas plantas: Menor que N e K;
Nutriente aplicado em maiores quantidades;
Nutriente que mais limita a produção vegetal no Brasil.

O que explica tal fato ?

Baixa disponibilidade nos solos brasileiros


Reações no solo: Precipitação e Adsorção (Fixação do P)

Logo:
A adubação fosfatada assume a particularidade de ter-se que aplicar uma
quantidade maior do que a exigência da planta, primeiro atendendo a
exigência do solo, saturando os componentes responsáveis pela fixação do P.
3

O papel do fósforo
- Estimula o crescimento das raízes;
- Garante uma “arrancada” vigorosa;
- Apressa a maturação;
- Estimula o florescimento e ajuda a formação das sementes;
- Aumenta a resistência ao frio dos cereais de inverno;
4

Sintomas de Deficiência
Apesar de terem o seu desenvolvimento muito reduzido podem
apresentar sintomas visuais típicos de deficiência de P, quando
há um baixa disponibilidade de P no solo.

De modo geral os sintomas visuais de deficiência são:


 Plantas pouco desenvolvimento
 Má fecundação
 Maturação tardia dos frutos
 Falha na granação dos cereais
 Folhas de cor verde escura e muitas verde-arroxeada.
5

Deficiência de fósforo em Milho

Folha sem deficiência de fósforo (à esquerda)


e com deficiência de fósforo (à direita).
6

II. Formas e Dinâmicas do P no Sistema Solo-Planta


1. Principais Formas no Solo
Fósforo no solo Formas mineral e orgânica.
Compostos orgânicos fosfatados 3 tipos:
 fosfolipídios;
 ácido nucleico e nucleoproteínas; e
 fitinas ou fosfatos de inositol.
Quando na forma inorgânica Fósforo pode encontrar-se na
solução do solo, precipitado, adsorvido às partículas sólidas ou
como minerais primários.
7
8

A - Minerais Primários:
Apatitas Ca5(PO4)3(F, OH, Cl),
Flúorapatita Ca5 (PO4)3 F
Hidroxiapatita Ca5 (PO4)3 OH
Cloroapatita Ca5 (PO4)3 Cl
B - Minerais Secundários:
Vivianita Fe3(PO4)2 . 8H2O
Variscita AlPO4.2 H2O
Estrengita FePO4.2 H2O
Fosfato monocálcico Ca(H2PO4)2
Fosfato bicálcico CaHPO4
Fosfato tricálcico Ca3(PO4)2
9
10

C - P na solução do solo:
H3PO4; H2PO4-; HPO4²- e PO4³- (< 0,1 mg/L)
D - P adsorvido aos colóides minerais:
Principalmente óxidos de Fe e Al e argilominerais 1:1.
E - P precipitado:
Por íons presentes na solução de solos ácidos (Al e Fe), neutros e
salinos (Ca).
F - P na matéria orgânica (P-orgânico):
Representa mais de 20 - 70 % do P total no solo.
- componente da matéria orgânica e resíduos vegetais
- Considerando MOS com cerca de 0,5% P; considera-se que para
cada 1% de MOS haverá a mineralização de 1 a 4 kg P ha, equivalente a 3
– 10 kg P2O5 ha.
11
12

Considerando que a maioria dos solos apresentam pH variando entre 4 a 9, as


formas H2PO4-; HPO4²- predominam.
13

P mineralogicamente P precipitado com


estável Al, Fe e Ca

P solução

P adsorvido em P orgânico
Óxidos de Fe e Al

Representação simplificada das formas de fósforo no solo e suas interrelações.


As setas cheias dão uma idéia da intensidade das transformações, enquanto o tracejado representa uma
Transformação muito mais lenta. O pontilhado representa uma transformação que, em princípio, tende a não
ocorrer.
FURTINI NETO et al., (2001)
14

2. Dinâmica do P no Sistema Solo-Planta


15

A - Comportamento do P adicionado ao solo:


Maior parte do P adicionado fase sólida;
Baixa solubilidade dos compostos de fósforo;
Fortemente adsorvido pelos colóides do solo.
16

B - Principais mecanismos de suprimento de P às raízes das plantas:


Difusão (≅ 90 % do P do solo).
17

A relação fonte – dreno de P vai depender do intemperismo e este com a argila.


> Teor de argila - dreno

Fonte

Dreno
Grandeza

Intemperismo
Relação fonte-dreno de fósforo em solos em diferentes estádios de intemperismo
Novais et al. (2007)
Os latossolos tendem a serem drenos, devido alto intemperismo ( > reatividade)
18
19
20

III. Disponibilidade de P para as Plantas


1. Conceitos
Segundo ALVAREZ, V. 1994:
Realisticamente: A quantidade de fósforo que pode ser absorvida pela
cultura durante o ciclo vegetativo;
Conceitualmente: resultante da ação integrada dos fatores intensidade
(I), que estima a concentração (atividade) do nutriente na solução do solo
e fator quantidade (Q) que se refere estreitamente com o conteúdo do
referido nutriente na planta.
Operacionalmente: Quantidade de fósforo recuperado do solo por
método de extração e que se correlaciona com a reserva lábil, ou seja a
quantidade adsorvida ou precipitada do fósforo mas que pode passar à
solução, e capacidade tampão (CT) que é a medida da resistência que tem
o solo para deixar variar a quantidade de fósforo na solução;
21

III. Disponibilidade de P para as Plantas


2. Fatores I, Q e CT
Fator intensidade (I) de P [íons fosfato na solução do
solo].
Fator quantidade (Q) de P Fosfato adsorvido e, ou
precipitado que está em equilíbrio com a solução do solo.
Fator capacidade tampão (CT) de P Capacidade de
reposição de P na solução a partir do fator quantidade (Q).
22

III. Disponibilidade de P para as Plantas


O fator intensidade isoladamente, não se constitui num bom
índice para a avaliação da disponibilidade de P para as
plantas:
Baixa concentração de P na solução do solo.
Para avaliar adequadamente a disponibilidade deste
nutriente no solo Empregar pelo menos dois dos
três fatores aqui conceituados (ALVAREZ, V. 1994).
23

III. Disponibilidade de P para as Plantas


- Disponibilidade de P depende das formas em que o P ocorre
no solo.
- O P-lábil representa o P adsorvido ou precipitado mas que se
encontra em equilíbrio com o P-solução.
- Já o P não-lábil, é representado pelo P precipitado em
compostos insolúveis, normalmente com, Fe, Al ou Ca, ou
adsorvido por sítios de troca de elevada energia de ligação, não
estando portanto, em equilíbrio como P-solução.
24

III. Disponibilidade de P para as Plantas


25
26

III. Disponibilidade de P para as Plantas


3. Fatores que afetam adsorção de P
A - Mineralogia dominante:
 Óxidos de Fe e Al > Caulinita > Minerais 2:1. (Adsorção P);
 Quanto > teor óxidos amorfos > adsorção de P KAWAI (1980):

Correlações positivas óxidos Fe e Al x Adsorção P.


27

B - Teor de Argila:
 Solos bem intemperizados e oxídicos Quanto > teor de
argila > CMAP e > CTP (mineralogia semelhante).
TEOR DE ARGILA X ADSORÇÃO DE P:
Correlações positivas e altamente significativas
 Mineralogia semelhante: caulinita/óxidos
 Cargas dependentes de pH
 Argila: Constituintes mineralógicos - retém P.

Grau de intemperização - Gi
Este diferencia solos cauliníticos de solos oxídicos.
Gi = 1,7 x (%SiO3 / %Al2O3 + (0,6325 x %Fe2O3)
Gi > 0,75 - solos cauliníticos
Gi ≤ 0,75 - solos oxídicos
28

C - Matéria Orgânica e Natureza dos Ânions:


29

C - Matéria Orgânica e Natureza dos Ânions:

Possível efeito da Matéria Orgânica sobre a cristalinidade dos


dos óxidos > Quantidade amorfos > adsorção de
fosfato. SCHWERTMANN, (1966).
30

C - Matéria Orgânica e Natureza dos Ânions:

O BLOQUEIO DOS SÍTIOS DE ADSORÇÃO:


Explica Adsorção horizontes superficiais < horizontes
subsuperficiais em solos de mineralogia e textura
semelhantes. HUE,(1991); VIOLANTE e GIANFREDA, (1993).

Figura 4. Ilustração do efeito do ânion oxalato no bloqueio dos sítios de


adsorção do óxido de alumínio conforme proposto por IYAMUREMYE e DICK
(1996).
31

4. Teor de Al-trocável no Solo

5. pH no Solo
Influencia nas proporções entre as diferentes espécies de
fosfatos presentes na solução do solo:
32

6. Cátions Trocáveis
. ↑ [Cátions] ↑ efetividade das cargas positivas, com
neutralização das cargas negativas.
↓ Repulsão dos íons fosfatos pelas superfícies negativas do
solo ↑ adsorção P. VOLKWEISS,(1993).

7. Compactação do Solo
↑ Compactação Estreitamento do filme de água
↑ atração íons fosfato pelos colóides
(eletropositivos) ↑ Atração dos íons fosfatos
↑ adsorção P.
33
34
35
36
37
V - ADUBOS FOSFATADOS
Classificação dos adubos fosfatados:
1) Insolúveis em água
- Fosfatos Naturais
- Termofosfatos e escórias
- Farinha de ossos, etc.
2) Parcialmente solúveis em água (parcialmente
acidulados)
-Fosfato parcialmente solubilizado: FAPS
3) Solúveis em água (acidulados)
- Superfosfatos simples; triplo
- Fosfatos de amônio: Mono-amônio (MAP) e
- Di-amônio (DAP)
38

Principais Adubos Fosfatados


. Superfosfato Simples: 19 - 21 % P2O5 + 20 % S
. Superfosfato Triplo: 42 - 46 % P2O5
. Fosfato Monoamônio (MAP): 50 - 54 % P2O5
. Fosfato Diamônio (DAP): 42 - 46 % P2O5
39
40
41
42
43
44

Adubação Fosfatada
45

Classes de interpretação da disponibilidade para o fósforo de acordo com o teor de


argila do solo ou do valor de fósforo remanescente (P-rem) e para o potássio.
46

TIPOS DE ADUBAÇÃO
47
48
49

CORREÇÃO (C)
50

MANUTENÇÃO (M)
51

REPOSIÇÃO (R)
52

Obrigado pela atenção!