Vous êtes sur la page 1sur 46

TERMOELÉTRICAS

1
INTEGRANTES

Aline Silva
Ana Paula Martins
Arthur Soares
Beatriz Resende
Brendo Vagner
Deysiane Martins
Mariana Miranda

2
Engenheiro Químico em
Termoelétricas

3
Engenheiro Químico
Energia

▪ Os engenheiros químicos devem estar familiarizados com


os aspectos técnicos gerais da produção de energia, de
refrigeração e de acondicionamento;
▪ Coordenar apropriadamente a produção dessas
ferramentas essenciais e o respectivo emprego no processo
químico;
▪ Produção de energia X Produção de energia e vapor.

4
Termoelétricas

▪ São máquinas térmicas que tem por objetivo a conversão


de energia de um combustível em energia elétrica.

Figura 2 - Empresa Petrobrás


(PETROBRÁS, S.D.).

Figura 1 - Usina termoelétrica da Petrobras Juiz de Fora


(PETROBRÁS, S.D.).
5
Conversão Termoelétrica

Energia Química Energia Térmica Energia Mecânica Energia Elétrica


Combustão Turbina Gerador

Matéria Prima Produto

Figura 3 - Conversão Termoelétrica

6
As usinas
Termoelétricas

7
Usinas termoelétricas
Definição:
Conjunto de obras e equipamentos cuja finalidade é a geração de energia
elétrica;
Nas Usinas convencionais esse
processo consiste em três etapas
principais:

1. Queima do combustível;
2. Uso do vapor na geração
de energia;
3. Recuperação do vapor. Figura 4 - Esquema do funcionamento de uma
usina termoelétrica (SOBRAL, 2015).

8
Matérias-primas

Os materiais utilizados para a combustão são provenientes de fontes:

Não renováveis: Renováveis


▪ Gás natural; (Biomassa);
▪ Petróleo; ▪ Lenha;
▪ Carvão mineral; ▪ Bagaço de cana;
▪ Óleo; ▪ Licor negro;
▪ etc. ▪ Casca de arroz;
▪ etc.

9
Figura 5 - Matrizes Elétricas Nacional e Mundial (MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA, 2015).

10
Maiores Usinas e suas
concentrações

Figura 6 - As dez maiores Usinas em capacidade de geração


em KW (REVISTA MÉTRICA INDUSTRIAL, 2010).

Figura 8 - As três maiores companhias de


Figura 7 - Onde estão as Usinas Usinas Termoelétricas (REVISTA
(REVISTA MÉTRICA INDUSTRIAL, MÉTRICA INDUSTRIAL, 2010).
2010).
11
Processo

12
Óleo Diesel
Definição:

▪ Obtido na destilação atmosférica do petróleo nas


frações óleo diesel pesado e leve que são misturados
com nafta e querosene ;
▪ Formado principalmente por hidrocarbonetos e em
baixas concentrações de enxofre, nitrogênio e oxigênio;
▪ Inflamável;
▪ Tóxico;
▪ Volátil;
▪ Odor forte e característico.

Figura 9 - Óleo Diesel (REVISTA


CARGA PESADA, 2014).
13
Fluxograma do
Processo

Figura 10 - Fluxograma do Processo (LEÃO, 2013).


14
Tipos de Turbina:
Turbina a gás;

Figura 11 - Turbina a gás (LEÃO, 2013).


15
Tipos de Turbina:
Turbina a vapor;

Figura 12 - Turbina a Vapor (SÓBIOLOGIA, S.D.).


16
Eficiência das
Máquinas Térmicas

▪ Máquina Térmica: Dispositivos ou máquinas que produzem trabalho a partir de


calor em um processo cíclico;

▪ Enunciado 2ª lei da Termodinâmica: ‘Nenhum dispositivo pode operar de modo


que seu único efeito seja converter completamente calor absorvido em trabalho’

A eficiência máxima de máquinas térmicas se dá pela máquina de Carnot:

𝑇1
ɳ % = (1 − ).100
𝑇2

17
Eficiência das
Máquinas Térmicas

▪ Devido às perdas, algumas das mais eficientes turbinas a vapor apresentam


eficiência de 45%;

▪ 55% da energia térmica são perdidos durante o processo de conversão térmico-


mecânico

18
Ciclos termodinâmicos de uma
central termoelétrica

▪ Ciclo termodinâmico: É um conjunto de processos que um fluido de trabalho se


submete após os quais a matéria retorna ao seu estado inicial. O ciclo tem como
objetivo descrever as transformações termodinâmicas sofridas pelo fluido durante
cada etapa do processo.

▪ Os principais ciclos que uma central termelétrica pode operar são:

- Ciclo Rankine;
- Ciclo Brayton;
- Ciclo Combinado;
- Ciclo de Motores.
19
Ciclo Rankine

▪ Descreve a operação de turbinas a vapor comumente encontradas em estações


de produção de energia

Figura 13 - Esquemático do ciclo Rankine (LEÃO, 2013). 20


Ciclo Rankine: Etapas

Fase 1-2 Compressão: o fluido é bombeado


de uma pressão baixa para uma pressão
alta utilizando-se uma bomba.

Fase 2-3 Transferência de calor isobárica:


o fluido pressurizado entra numa caldeira,
onde é aquecido a pressão constante
até se tornar vapor superaquecido.

Figura 14 - Esquemático do ciclo Rankine - Adaptado (LEÃO, 2013).


21
Ciclo Rankine: Etapas

Fase 3-4 Expansão: o vapor superaquecido


expande através de uma turbina para gerar
trabalho. Idealmente, esta expansão é
isoentrópica. Com esta expansão, tanto a
pressão quanto a temperatura se reduzem.

Fase 4-1 Transferência de calor: o vapor então


entra num condensador, onde ele é resfriado
até a condição de líquido saturado.

Figura 15 - Esquemático do ciclo Rankine – Adaptado (LEÃO, 2013).

22
Configuração das Plantas Térmicas

▪ Geração termelétrica gás;

▪ Geração termelétrica a vapor.

Figura 16 - Esquema da geração termelétrica


a vapor (BRASIL ESCOLA, 2016).
23
Características desse sistema

▪ Diversidade de combustíveis usados;

▪ Fluído de trabalho utilizado é a água (composto mais abundante da Terra, fácil


obtenção e baixo custo);

▪ Turbinas a vapor: combustão externa


-Gases não entram em contato com o fluído de trabalho;
- flexibilidade em relação aos combustíveis.

24
Geração termelétrica a vapor

▪ Matéria-prima: o carvão e o óleo são os principais combustíveis

▪ Funcionamento geral:

- Combustível é queimado e o calor liberado na combustão é convertido em


eletricidade através da geração de vapor, o qual se expande na turbina;

- Os gases de combustão são limpos através de filtros eletrostáticos e


descarregados na atmosfera.

25
Geração termoelétrica a vapor

1. O óleo diesel pesado é pré-aquecido e injetado na fornalha por meio de


queimadores (maçaricos) onde é queimado como um gás;

2. O calor da combustão evapora a água produzindo vapor d’água a elevada


pressão e temperatura. Estes tubos formam o evaporador da caldeira;

-As paredes da fornalha são recobertas com tubos contendo água;


- Estes tubos formam o evaporador da caldeira.

3. O acionamento da turbina se produz pela expansão do vapor de alta pressão


procedente de uma caldeira convencional

26
Geração termelétrica a vapor

4. O vapor produzido na caldeira alimenta a turbina que move o gerador elétrico


síncrono de pólos lisos;
5. Para reaproveitamento do fluído de trabalho
é necessário a liquefação
do vapor no condensador antes
de bombeá-lo à caldeira.

Figura 17 - Fluxograma do Processo (LEÃO, S.D.). 27


Geração termelétrica a vapor

Figura 19 - Principais equipamentos de


uma usina térmica a vapor (LEÃO, 2013).

Figura 18 - Diagrama da conversão termoelétrica a vapor (LEÃO, 2013). 28


Vantagens e Desvantagens

29
Vantagens e
Desvantagens

Vantagens: Desvantagens:
▪ Construção próxima aos locais ▪ Produto de alto custo final;
de consumo; ▪ Queima de combustíveis;
▪ Época de escassez de recursos ▪ Aquecimento da água dos
hídricos; rios;
▪ Mais rápida a construção; ▪ Lixo atômico (Nuclear);
▪ Alternativa para lugares onde ▪ Maior custo com operação e
não há outros recursos; manutenção.
▪ Menor custo inicial.

30
Figura 20 - Comparativo entre recursos (ROSA, 2007).
31
Impactos Ambientais

▪ Retorno da água aquecida aos rios;


▪ Lançamento de gases na atmosfera (CO2, CO, SO2);
▪ Contribuição para o aquecimento global;
▪ Material particulado (na combustão incompleta);
▪ Qualidade do ar.

32
Curiosidades

33
Curiosidades

▪ Em 1883 foi inaugurada a primeira Usina Termoelétrica


do Brasil, em Campos dos Goytacazes, com a potência
de 52 kW;
▪ 47% da energia elétrica gerada em plantas
termelétricas que utilizam derivados de petróleo estão
em seis países: EUA, Japão, México, Arábia Saudita,
Itália e China;
▪ A Usina Termoelétrica de Igarapé foi ligada em 2014 a
pedido da FIFA. Espera-se que ela também seja ligada
em 2016 devido às Olimpíadas.
▪ CVU: Custo Variável Unitário
▫ Custo do combustível e de variáveis.
34
Figura 21 - Preço de Geração de energia elétrica por fonte (ANEEL - Agência Nacional de
Energia Elétrica e ONS - Operador do Sistema Elétrico). 35
Visita Técnica

36
Usina Termoéletrica
de Igarapé

▪ CEMIG;
▪ Juatuba;
▪ 131 MW;
▪ Óleo;
▪ 1 unidade geradora;

37
Figura 22 - Fonte de água da usina

38
Figura 24 - Caldeira (CEMIG, S. D.).

Figura 23 - Tanques de armazenamento

39
Figura 25 - Tubulação Figura 26 - Sala de controle

40
Conclusão

41
Conclusão

Por ser o Brasil um país de “enorme” potencial hídrico, a produção de energia através de
termoelétricas torna-se uma questão amplamente discutível.
Os impactos ambientais causados pela emissão de CO2 na atmosfera, tornam as vantagens
apresentadas em sua construção e manutenção nulas.
Sendo assim, a produção de energia no país não seria algo simples, temos possibilidades de
escolha. Continuar com a produção hídrica ou com implementações de novas termoelétricas?
Não cabem aqui respostas prontas e sem embasamentos técnicos, porém, caberíamos dizer que,
por mais que necessitamos como país de uma demanda elevada de energia, os prejuízos causados
ao planeta serão irreversíveis!
“A NATUREZA PEDE SOCORRO”.

42
Obrigado!

43
Referências Bibliográficas

44
● Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Petróleo. Disponível em:
<http://www2.aneel.gov.br/aplicacoes/atlas/petroleo/7_3.htm>. Acesso em 12 jun 2016.
● BRASIL ECONOMIA E GOVERNO. Por que hidrelétricas são a melhor opção para o Brasil?.
Disponível em: <http://www.brasil-economia-governo.org.br/2012/07/10/por-que-hidreletricas-com-
reservatorio-sao-a-melhor-opcao-para-o-brasil/>. Acesso em: 13 jun 2016.
● CEMIG. Usinas Térmicas. Disponível em: <http://www.cemig.com.br/pt-
br/a_cemig/Nossa_Historia/Paginas/termicas.aspx>. Acesso em: 13 jun 2016.
● LEÃO P.S, Ruth. Geração Termoelétrica - Ciclos. Disponível em :
<http://www.ebah.com.br/content/ABAAABbewAA/geracao-termoeletrica-ciclos>. Acesso em: 14 jun
2016.
● MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA. Resenha Energética Brasileira - Exercício de 2014. Disponível
em: <http://www.mme.gov.br/documents/1138787/1732840/Resenha+Energ%C3%A9tica
+-+Brasil+2015.pdf/4e6b9a34-6b2e-48fa-9ef8-dc7008470bf2>. Acesso em: 12 jun 2016.
● PENA, Rodolfo F. Alves. Energia termoelétrica; Brasil Escola. Disponível em
<http://brasilescola.uol.com.br/geografia/energia-termoeletrica.htm>. Acesso em 13 de junho de 2016.
● PETROBRÁS. Óleo Diesel. Disponível em :
<http://www.br.com.br/wps/portal/portalconteudo/produtos/paraindustriasetermeletricas/oleodiesel/!ut/p/c4/
04_SB8K8xLLM9MSSzPy8xBz9CP0os3hLf0N_P293QwP3YE9nAyNTD5egIEcnQwsLQ_2CbEdFAHrtAY
U!/ >. Acesso em: 14 jun 2016.
● PETROBRÁS. Principais Operações Termoéltrica Juiz de Fora. Disponível em:
<http://www.petrobras.com.br/pt/nossas-atividades/principais-operacoes/termeletricas/juiz-de-fora.htm>
Acesso em: 12 jun 2016

45
● REVISTA MÉTRICA INDUSTRIAL - As Termelétricas na geração de energia no Brasil. Disponível em:
<http://www.grandesconstrucoes.com.br/br/index.php?option=com_conteudo&task=view
Materia&id=343>. Acesso em: 12 jun 2016.
● ROSA, Luiz. Geração hidrelétrica, termelétrica e nuclear. Disponível em:
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142007000100005>. Acesso em: 11 jun
2016.
● SÓBIOLOGIA. Usina Termoelétrica ou Usina Termelétrica. Disponível em:
<http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Ar/termeletrica.php>. Acesso em: 14 jun 2016.
● SOBRAL, Carolina. Usinas Termoelétricas - A Energia da Combustão. Disponível em:
<http://www.engquimicasantossp.com.br/2015/06/usinas-termoeletricas-energia-combustao.html>. Acesso
em: 12 jun 2016.
● SUA PEQUISA. Energia Termoelétrica. Disponível em:
<http://www.suapesquisa.com/energia/energia_termoeletrica.htm>. Acesso em: 12 jun 2016.
● TODA MATÉRIA. Usina Termoelétrica. Disponível em: <http://www.todamateria.com.br/usina-
termoeletrica/>. Acesso em: 12 jun 2016.

46