Vous êtes sur la page 1sur 4

Sistemas éticos: Aristóteles (384 a.C. – 322 a.C.

• Aristóteles em seu sistema ético buscava a felicidade, que era


alcançada com o desenvolvimento da razão até o seu limite
alcançando assim o estado de graça.
• Todo homem vivem e agem em busca da felicidade, mesmo
os que não se dão conta ou os que não percebem a busca
por este fim.
• Para Aristóteles, a felicidade não está ligada aos prazeres ou
as riquezas, mas a atividade prática da razão. Em sua
opinião, a capacidade de pensar é o que há de melhor no
ser humano, uma vez que a razão é nosso melhor. Para atingir
esse objetivo é preciso agir moderadamente.
Sistemas éticos: São Tomás de Aquino (1225-1274)

• Na sua ética, S. Tomás de Aquino parte do princípio da


existência de Deus, porque nenhuma ética é possível sem
uma metafísica qualquer. Aliás para ele esse era o grande
problema ético dos ateístas.
• Para ele a verdadeira felicidade humana estaria na perfeição
divina
• A razão completa a fé para que possamos agir de uma forma
correta
• S. Tomás de Aquino parte da lógica sustentada da liberdade
do ser humano(o livre arbítrio). Para ele o ser humano é livre,
Deus não lhe tira a liberdade. O universo não elimina nem
diminui a liberdade do Homem.
Sistemas éticos: Immanuel Kant (1724-1804)

• A ética como ponto de partida: Realizar-se sendo racional


• Imperativo Categórico: Conduta válida quando agimos de
acordo com nossa vontade, sendo universalmente repetida.
• Esse sistema ético tem como base o ideal iluminista
• A ética de Kant é deontológica, procura um fim em si mesma,
ao contrário dos sistemas éticos de Aristóteles e São Tomás de
Aquino
• Para Kant há um objeto a ser conhecido, pensamento distinto
dos Racionalistas que acreditavam que só a razão conhece e
dos empiristas que afirmavam que só a experiência conhece.
Com base nos sistemas éticos elencados, os oficiais nazistas
poderiam ter se negado a fazer o que fizeram durante a
Segunda Guerra?
Durante a Segunda Guerra Mundial a pressão das autoridades nazistas sobre todo o povo alemão era enorme e
os crimes praticados contra os soldados que se recusavam a seguir as ordens dos chefes nazistas eram tão graves
quanto os praticados contra os povos não arianos. Outros soldados ainda mantinham profunda admiração pelo seu
líder Hitler. Declararam-se inocentes até o fim e afirmaram-se que eram soldados e como tal deviam obedecer às
ordens sem questioná-las.
Porém, de acordo com as ideias filosóficas sobre ética apresentados no capítulo 2, vimos que todo soldado ali
tinha o poder de negar-se a cometer tais atrocidades, levando em consideração seus valores éticos e morais. O
grande problema é que hoje não podemos julgar quem foi coagido ou optou pelo massacre pois o motivo dos
mesmos pode ter sido baseados na sua família, ou no próprio medo de morrer.
Para Aristóteles, agimos para que encontremos a felicidade completa, mesmo que isso acontece de forma
inconsciente. E também que precisamos agir com a razão de forma a escolher racionalmente qual é a melhor escolha
a se fazer a fim de alcançar o estado de graça. Mas para isso é necessário agir com moderação, para atingir uma
felicidade maior em coletividade. Da mesma forma, o sistema ético de São Tomás de Aquino também busca a
felicidade, só que essa só viria com Deus guiando nossas escolhas.. Nesse caso a razão completaria a fé. Comparando
esses pensamentos com a história do regime nazista vemos que esses conceitos não eram levados em consideração.
Já de acordo com Kant, devemos agir de forma com que nossas ações se tornem parâmetros para uma lei
universal, sem que o mundo colapse, sendo que nossas vontades possam ser sempre realizadas mas para que isso
aconteça de forma segura é necessário o uso sempre da razão. As ações dos oficiais que configuraram agressão,
crimes contra a paz, crimes de guerra e crimes contra a humanidade, abalaram as estruturas mundiais e geram
repercussão até os dias de hoje.
Podemos concluir então que a maioria dos soldados foram contra os sistemas éticos apresentados acima, visto
que mesmo podendo negar-se e efetivamente ajudar os povos que estavam sendo perseguidos escolheram não fazê-
lo.