Vous êtes sur la page 1sur 17

NG 6 - URBANISMO E

MOBILIDADE
Formadora: Liliana Oliveira

2018
DR1 – Construção e arquitetura
 Evolução das habitações:
 Abrigos, tendas iglos
 Habitações rurais – casa de pedra, casa de tijolo
urbanas - arranhacéus

 Identificar diferentes espaços funcionais nas casas, em função de


tradições socioculturais:
 Pátios interiores
 Alpendres
 Cozinhas
 Zona social vs Zona privada
DR1 – Construção e arquitetura

 Utilização de materiais:
 Tintas anti fungos,
 Primer,
 Tetos e paredes falsas,
Mais conforto e
 pladur, qualidade de vida
 Estruturas de vigas de aço,
 Canalização em aço inoxidável,
…
DR1 – Construção e arquitetura

 IMPORTÂNCIA:

Melhorar as condições de habitabilidade e


durabilidade das construções,
Diminuir os custos,
Menores amplitudes térmicas  poupança nos
custos em aquecimento  menor impacte no
ambiente.
DR1 –  Desenvolvimento de novos materiais como resposta a
recuperações inovadoras de edifícios antigos,
Construção  Construção de novos edifícios de arquitetura
e inovadora, com respeito pelos crescentes critérios de
segurança sísmica, de isolamento térmico e acústico,
arquitetura  Inclusão de serviços (climatização central, aspiração
central, cablagem estruturada (rede de fios elétricos),
etc.
DR1 – Construção e arquitetura

 Como construir:
 Ter em atenção a estática, soma de forças e vetores.
Exemplo: construção de uma escada, moradia com
varanda,…
DR2 - RURALIDADE E URBANIDADE

 PROFISSÕES relacionadas com a produção agrícola: gestor


agrícola, diretor de produção florestal, operador pecuário, …
 Compreender a evolução recente das atividades económicas e
produtivas em Portugal e relacioná-las com a alteração de
inserções profissionais e modos de vida das populações de certas
regiões
 exemplo: o Alentejo
 Evolução das atividades agrícolas  desenvolvimento regional
 exemplo: a agricultura biológica
DR2 - RURALIDADE E URBANIDADE

 Identificar produtos químicos adequados a diversas intervenções


(fertilizantes, herbicidas, fungicidas), equipamentos agrícolas e
respetivas aplicações.
 diferentes técnicas agrícolas  diferentes culturas e ambientes,
 práticas agrícolas vs mecanismos de prevenção e redução de
danos por contaminação química ou biológica
 exemplo, rotação de culturas e cultivos mistos, análise de solos,
utilização correta dos prazos de tratamento relativamente a
colheitas, distância segura em culturas transgénicas em relação
a outras culturas, etc.).
DR2 - RURALIDADE E URBANIDADE

Vantagens e inconvenientes
 produção de novas agriculturas, tais como agricultura biológica,
 produtos transgénicos e/ou geneticamente modificados.
DR2 - RURALIDADE E URBANIDADE

 Identificar etapas do ciclo do azoto:


 fixação de azoto pelas leguminosas (tremoço)  incorporação
pelas plantas  transferência para os animais.

 Compreender a ação das bactérias das raízes das leguminosas e


dos solos nas reações de transformação dos compostos azotados.
DR3 - Administração, segurança e
território
 Identificar diferentes instituições que regulam a rede rodoviária
nacional
 exemplos: Direcção-Geral de Viação, Instituto das Estradas de
Portugal, Brigada de Trânsito, concessionários de exploração
das autoestradas, etc.
 Compreender como as diferentes instituições têm poderes, campos
de atuação e modos de regulação distintos.
Exemplo: prevenção rodoviária, construção e sinalização de
estradas, formulação do código de estrada, medidas de
coação, etc.
 Explorar a relação entre o desenvolvimento da rede rodoviária e a
transformação da densidade e aglomeração populacional dos
territórios.
DR3 - Administração, segurança e
território
 Identificar várias técnicas de vigilância, sinalização e segurança
rodoviárias de base tecnológica.
 Explorar a necessidade das instituições com poderes de coação
procederem regularmente à calibração do equipamento de
medida com recurso a laboratórios de metrologia creditados.
 Exemplo:
Teste do «balão» vs análises sanguíneas.
Cruzamentos vs Rotundas
Gestão do tempo nos semáforos.
 Identificar fluxos migratórios importantes (de entrada e saída)
verificados em Portugal no século XX: Brasil, América do Norte,
França e Alemanha, Suiça e Luxemburgo.
 Relacionar esses fluxos migratórios com estruturas de oportunidades
(económicas, políticas e culturais) muito assimétricas entre regiões
e países.
 Interior do país,
 Países com condições de vida mais apelativas: económica e
social.
DR4 – Mobilidades locais e globais

 Identificar os meios de transporte utilizados nas migrações ao longo


dos tempos.
 Compreender as alterações dos custos e tempos de transporte na
estrutura das migrações (locais de origem, períodos de retorno a
casa, etc.)
 Explorar a relação entre a evolução dos meios de transporte, as
evoluções tecnológicas e as configurações das migrações
efetuadas (por exemplo, as alterações nos casos das migrações
sazonais entre países).
DR4 – Mobilidades locais e globais

 – Identificar espécies migratórias no reino animal.


 Relacionar essas migrações com dinâmicas do ecossistema
(climáticas, recursos alimentares, reprodução, etc.).
 Explorar formas de intervenção humana que alterando o equilíbrio
do ecossistema interferem nos processos migratórios.
SÍNTESES
 DR1 – Associar conceitos de construção e arquitetura à integração
social e à melhoria do bem-estar individual.
 As obras
 DR2 - Promover a qualidade de vida através da harmonização
territorial em modelos de desenvolvimento rural ou urbano.
 A agricultura
 DR3 - Mobilizar informação sobre o papel das diferentes instituições
no âmbito da administração, segurança e território.
 O sistema rodoviário
 DR4 - Reconhecer diferentes formas de mobilidade territorial – local
e global – e sua evolução.
 As migrações