Vous êtes sur la page 1sur 13

Instituto Federal de Santa Catarina

Curso Superior de Processos Químicos


Química Geral e Experimental
Professor Diego Bittencourt Machado, MSc

AULA 3 – Modelo atômico


MODELO ATÔMICO
Modelos Atômicos são os aspectos estruturais dos átomos que foram
apresentados por cientistas na tentativa de explicar o átomo e a sua
composição.
MODELO ATÔMICO
A matéria é motivo de estudos desde a antiguidade. Os
pensadores Leucipo (500 a.C.) e Demócrito (460 a.C.)
formularam a ideia de haver um limite para a pequenez
das partículas.

Divisibilidade: Toda matéria pode ser dividida


em partes cada vez menores, até certo limite.

Etimologicamente, a palavra átomo deriva do


Grego atomos que significa indivisível.
MODELO ATÔMICO - DALTON
Em 1808, o professor inglês John Dalton (1766-1844) propôs uma explicação da
natureza da matéria. A proposta foi baseada em fatos experimentais. Os
principais postulados da teoria de Dalton são:
1. Todas as substâncias são formadas de pequenas
partículas chamadas átomos;
2. Os átomos de diferentes elementos têm diferentes
propriedades, mas todos os átomos do mesmo elemento
são exatamente iguais;
3. Os átomos não se alteram quando formam
componentes químicos;
4. Os átomos são permanentes e indivisíveis, não
podendo ser criados nem destruídos;
5. As reações químicas correspondem a uma
reorganização de átomos.
MODELO ATÔMICO - DALTON

Bola de bilhar

A conservação da massa durante uma


reação química (Lei de Lavoisier) e a lei
da composição definida (Lei de Proust)
passou a ser explicada a partir desse
momento
MODELO ATÔMICO - THOMSON
Em 1887, o físico inglês Joseph John Thomson (1856-1940) passou a
trabalhar com a ampola de Crookes.
MODELO ATÔMICO - THOMSON
Esse foi o primeiro modelo a divisibilidade do átomo, ficando o
modelo conhecido como “pudim de passas". Segundo Thomson, o
átomo seria um aglomerado composto de uma parte de partículas
positivas pesadas (prótons) e de partículas negativas (elétrons), mais
leves. Em 1897, Thomson é chamado de “o pai do elétron”.
MODELO ATÔMICO - RUTHERFORD
Em 1911, o físico neozelandês Ernest Rutherford colocou uma folha de
ouro bastante fina dentro de uma câmara metálica. Seu objetivo era
analisar a trajetória de partículas alfa a partir do obstáculo criado
pela folha de ouro.
MODELO ATÔMICO - RUTHERFORD
O átomo seria composto por um núcleo muito pequeno e de carga
elétrica positiva, que seria equilibrado por elétrons (partículas
negativas), que ficavam girando ao redor do núcleo, numa região
periférica denominada eletrosfera.

O pesquisador acreditava que o átomo seria de 10000 a 100000 vezes maior que seu núcleo.
MODELO ATÔMICO - CHADWICK
James Chadwick foi um físico britânico,
colaborador de Ernest Rutherford. Seu
principal contributo para a ciência foi
a prova da existência do nêutron, em
1913.
MODELO ATÔMICO - BOHR
É, em 1913, de Niels Henrick David Bohr, um físico dinamarquês, a inclusão
no modelo atômico da teoria quântica (Plank, 1900), que explicava como
os diferentes níveis de energia na eletrosfera impediam os elétrons de cair
como um meteoro no núcleo, o que fatalmente aconteceria se o átomo se
comportasse apenas como um sistema solar, como Rutherford inicialmente
propôs.
Rutherford-Bohr
MODELO RUTHERFORD-BOHR
1. Na eletrosfera, os elétrons descrevem sempre órbitas circulares ao redor do núcleo,
chamadas de camadas ou níveis de energia.

2. Cada camada ocupada por um elétron possui um valor determinado de energia.

3. Os elétrons só podem ocupar os níveis que tenham uma determinada quantidade


de energia, não sendo possível ocupar estados intermediários.

4. Ao saltar de um nível para outro mais externo, os elétrons absorvem uma


quantidade definida de energia (quantum de energia).

5. Ao retornar ao nível mais interno, o elétron emite um quantum de energia (igual ao


absorvido em intensidade), na forma de luz de cor definida ou outra radiação
eletromagnética (fóton).
MODELO RUTHERFORD-BOHR
6. Cada órbita é denominada de estado estacionário e pode ser
designada por letras K, L, M, N, O, P, Q. As camadas podem
apresentar:

K = 2 elétrons
L = 8 elétrons
M = 18 elétrons
N = 32 elétrons
O = 32 elétrons
P = 18 elétrons
Q = 2 elétrons
7. Cada nível de energia é caracterizado por um número quântico (n),
que pode assumir valores inteiros: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7...