Vous êtes sur la page 1sur 21

ESPIRITUALIDADE DO

COTIDIANO

Deus no coração da vida,


a vida no coração de Deus.

Vanderlei Soela
Somos seres de
Exterioridade,
Interioridade e
Profundidade.
Exterioridade:
conjunto de relações
que o ser humano
estabelece com o
mundo à sua volta:

É o nosso modo de ser no mundo,


como homens e mulheres, em relação
permanente. Corpo é templo de Deus.
Interioridade:

É o mundo da psique.
São nossos desejos,
paixões, sentimentos,
emoções.
É o mundo dos nossos
segredos mais íntimos.
Profundidade:

É a dimensão que nos


possibilita captar o que
está além das
aparências, daquilo que
se vê, se escuta, se
pensa e se ama.
Apreende o outro lado das coisas... Sua
profundidade. As coisas ganham sentido e
novidade a cada momento e experiência.
Captar a profundidade
do mundo, de si
mesmo e de cada
coisa constitui o que se
chamou de espírito.

Espírito não é uma parte do ser humano.


É aquele momento da consciência
mediante o qual captamos o significado e
o valor das coisas.
A profundidade é o resultado de
uma saudável vivência das
dimensões da exterioridade e da
interioridade.

Alcançaremos a profundidade na
medida em que formos buscadores do
infinito no meio do finito do cotidiano.
Seremos tanto mais profundos quanto mais
mergulharmos no mistério de cada pessoa
e de cada coisa. Quando não nos
contentarmos em viver na superfície e na
mediocridade, na margem...
A profundidade é a marca
do místico.
Místico é aquele(a) capaz
de tocar o mistério.
“Lugares” da
Experiência de Deus

• Em nossa história pessoal...


• Em nossa missão de educadores, pais e
mães...
• Nas experiências de morte, perda, limites...
• Nas experiências do vazio...
“Lugares” da
Experiência de Deus

• Nas experiências do cuidado...


• Nas experiências do perdão, da partilha
e da solidariedade...
• No rosto dos empobrecidos...
• Nas experiências de transcendência...
• Na Palavra de Deus e nos sacramentos
bem vivenciados
Que caminhos trilhar para
fazer uma significativa
experiência espiritual?

• Cultivar uma boa autoestima.


• Cultivar as relações saudáveis e
promotoras de vida.
• Cultivar o silêncio e a interioridade, o
centramento e sair da superficialidade.
• Viver a profundidade.
• Exercitar a atenção confiante.
Que caminhos trilhar para
fazer uma significativa
experiência espiritual?

• Usar a criatividade para fazer coisas boas


e bonitas.
• Valorizar os pequenos gestos: perdão,
partilha, de ética e de justiça; Ser pessoa
do bem; ser gente boa!
• Deixar-se tocar pelo mundo dos
empobrecidos. Cultivar a sensibilidade.
Que caminhos trilhar para
fazer uma significativa
experiência espiritual?

• Rezar – uma oração simples, mas


encarnada, alegre, transformadora;
Rezar a vida.
• Cultivar a paixão por Jesus e seu
Evangelho e deixar-se modelar por Ele.
• Tomar a Palavra de Deus conectada à
vida
O grande desafio para o nosso
tempo...

Ser místico, ser sinal, ser memória do


Transcendente, transparência de Deus
no mundo.

Ver com os olhos do coração e captar a


essência das coisas, acontecimentos,
pessoas.
“Espiritualidade significa ‘um passo mais’...
é sentir a realidade de outra maneira...
Captar a alma do mundo e de cada ser
humano, entrar de outra forma, em sua
profundidade.
A espiritualidade desperta a alma,
ajuda a entrar na realidade superando a
superficialidade que nos contamina:
é dar “uma passo mais”, transpassar...
ver a partir de dentro, re-conhecer...,
é uma busca e uma energia.
É a capacidade de vibrar e emudecer ante o
mistério do grande, do pequeno...
É deixar que encontre vida o potencial que
todos e todas levamos dentro de nós... A
espiritualidade afina a sensibilidade, desenvolve
a consciência, amadurece todo o ser e ilumina o
coração e assim, transforma”.
(Maria José Arana)
“O espírito de uma pessoa é o
profundo e dinâmico de seu próprio
ser:

suas motivações maiores e últimas,


seu ideal, sua utopia, sua paixão, a
mística pela qual vive e luta e com a
qual contagia”.