Vous êtes sur la page 1sur 8

HISTORIA ANTIGA Filósofos e

suas teorias.
HISTORIA ANTIGA

 A História Antiga compreende um vasto período da história da


humanidade que se inicia com o aparecimento da escrita
cuneiforme e vai até a tomada do Império Romano pelos
bárbaros. Possui um recorte temporal que se inicia em 4.000
a.C. e se estende até o ano 476. Essas balizas representam o
surgimento da escrita cuneiforme e a invasão e tomada do
Império Romano pelos bárbaros. Logicamente, esse vasto
período da humanidade inclui muitas civilizações, não somente
na Europa. É muito comum associar História Antiga com Egito,
Mesopotâmia, Grécia e Roma. E foi justamente Na Grécia que
surgiu os filosofos gregos, que começaram a se fazer inúmeras
perguntas sobre a racionalidade humana, e tentaram encontrar
explicações para absorver o entendimento de sua própria
natureza. Mas para a psicologia podemos destacar três:
Socrátes, Platão e Aristóteles .
SÓCRATES (470 A 399 A.C.):

 Nasceu em Atenas e é
considerado o fundador da
filosofia ocidental. Sua existência
é contestada, pois nunca deixou
um texto escrito. A única fonte de
sua existência esta nos diálogos
de Platão e Xenofonte, seus
discípulos. Sócrates ensinava seus
discípulos através de perguntas,
conhecido como método socrático
“Conhece -te a ti mesmo”. O
método socrático consiste em
uma prática, que utilizando um
discur so caracterizado pela
maiêutica, isso é induzir uma
pessoa por seu próprio raciocínio,
chegar a uma conclusão.
SÓCRATES (470 A 399 A.C.):

 Sócrates acreditava na imortalidade da alma. Não concordava


com as idéias dos sofistas, pois estes aplicavam uma
retórica, induziam ao conhecimento, enquanto Sócrates fazia
as pessoas descobrirem sozinhas através da maiêutica. E
Sócrates defendia a idéia de que a virtude nascia junto com
cada pessoa, e não podia ser aprendida. Sócrates acreditava
que “agir mal é não saber”, que atos errados eram
conseqüência da própria ignorância. “Só sei que nada sei”
dizia isso porque sabia que sua sabedoria era limitada. A
morte de Sócrates foi caracterizada pelo estado grego por ele
ir contra o estado, contra a religião do estado e por corromper
a juventude. Ele poderia ter escapado de sua morte, mas
preferiu morrer por sua virtude.
PLATÃO (427 A 347 A.C.)

 Platão foi um impor tante filósofo discípulo


de Sócrates, fundador da Academia,
impor tante escola grega. Para Platão
existiam dois mundos diferentes, o mundo
das idéias, onde há bondade e beleza. É
também chamado de cosmos. As almas
ficam no mundos das idéias, por que elas
não tem matéria. E o mundo sensível,
onde há maldade, onde a matéria existe.
Onde o corpo é matéria, tornando -se mal.
Para Platão quando alguém nasce uma
alma vem do mundo das idéias, para o
corpo da pessoa. A alma, por estar no
mundo das idéias, tem o conhecimento de
tudo. Mas quando se encontra com o
corpo, que é mal, ela esquece tudo. Isso
explica a teoria do conhecimento de
Platão que diz “conhecer é recordar”, ou
seja, no andar dos anos, a alma vai vendo
e lembrando aquilo tudo que já sabia.
Então para Platão a pessoa é só alma.
ARISTÓTELES (384 A 322 A.C.)

 Discípulo de Platão foi considerado como “O filósofo”.


Aristóteles é contrario ao pensamento de Platão que existam dois
mundos, pois acredita que exista apenas um. Acredita que a
pessoa é um composto de corpo e alma. Para ele a matéria tem a
potência de mudar a sua forma e gerar um novo ato. Uma semente
é uma arvore em potencia, e uma arvore é uma semente em ato. A
semente é a matéria e tem a potencia de mudar a sua forma,
gerando uma arvore, em ato. Também afirma que exista um “Ato
puro”, que é perfeito, não falta nada, não tem potência de
transformar em nada, e que a todos caminham para essa
perfeição.
ARISTÓTELES (384 A 322 A.C.)

 Aristóteles acredita que conhecer é abstrair -se da matéria,


que conhecemos através, primeiramente, dos sentidos e
depois do intelecto. Então, para se conhecer uma arvore
primeiramente eu a olho, depois gravo a imagem dela na
cabeça, já que não posso colocá -la como matéria dentro da
cabeça. Para Aristóteles existem quatro causas para a
existência de algo: Material, aquilo que é feito à coisa;
Formal, a coisa em si; Eficiente, aquilo que da origem a coisa;
e Final, aquilo para o qual a coisa é feita. Para ele a vida em
sociedade é necessária para desenvolver a razão, assim a
vida com amizade e harmonia, nas cidades, é a perfeita
caracterização de uma boa cidade.
HISTORIA ANTIGA

 Antes mesmo do advento da psicologia cientifica, os gregos já


haviam formulado duas teorias: a platônica, que postulava a
imortalidade da alma e a concebia separada do corpo, e a
aristotélica, que firmava a mortalidade da alma e sua relação
de pertencimento ao corpo. E apesar de terem sido criadas a
muitos anos ainda influênciam fortemente variás áreas de
estudos, incluindo a psicologia.