Vous êtes sur la page 1sur 38

Comunicação Oral e Escrita

• A IMPORTÂNCIA DA LEITURA

• As tecnologias do mundo moderno fizeram com


que as pessoas deixassem a leitura de livros de
lado, o que resultou em jovens cada vez mais
desinteressados pelos livros, possuindo
vocabulários cada vez mais pobres.

• A leitura é algo crucial para a aprendizagem do ser


humano, pois é através dela que podemos
enriquecer nosso vocabulário, obter conhecimento,
dinamizar o raciocínio e a interpretação.
• Muitas pessoas dizem não ter paciência para ler um
livro, no entanto isso acontece por falta de hábito,
pois se a leitura fosse um hábito as pessoas
saberiam apreciar uma boa obra literária.

• Muitas coisas que aprendemos na escola são


esquecidas com o tempo, pois não as praticamos.

• Através da leitura rotineira, tais conhecimentos se


fixariam de forma a não serem esquecidos
posteriormente.

• Dúvidas que temos ao escrever poderiam ser


sanadas pelo hábito de ler.
• O hábito de ler deve ser estimulado na infância,
para que o indivíduo aprenda desde pequeno que
ler é algo importante e prazeroso, assim ele será um
adulto culto e dinâmico.

Elementos da Comunicação

• Para que uma comunicação aconteça, são


necessários seis elementos: o emissor, o receptor, a
mensagem, o canal, o contexto e o código. Sem
eles, não existe comunicação!
• Emissor – quem inicia o processo;

• Código – sinais para se construir uma mensagem;

• Mensagem – aquilo que se quer comunicar;

• Canal – o veículo que leva a mensagem;

• Receptor – quem recebe, decodifica e interpreta o


significado.
• Em todo ato comunicativo, há um emissor, é ele o
responsável por elaborar o texto.

• O emissor é quem comunica, solicita, expressa seu


sentimento, desejo, opinião, enfim, é quem produz
a mensagem (escrita, falada ou não verbal).

• Se há alguém que elabora, é necessário também


alguém para receber tal mensagem. Todo texto é
destinado a um público específico, chamado de
receptor.
• O que está sendo transmitido e recebido? Uma
mensagem, que consiste no próprio texto (verbal ou
não) que se transmite.

• Essa mensagem é transmitida por um canal, isto é,


o canal é responsável por veicular a mensagem.

• São exemplos de canal os suportes que difundem


inúmeros gêneros textuais, como: rádio, TV,
Internet, jornal, dentre outros.
• Comunicação humana

• Na comunicação humana, o código é a linguagem, que


na conversação é complementada por elementos da
comunicação não-verbal (gestos, expressões faciais,
movimentos dos olhos e do corpo, etc).

• No processo de conversação, existe o feedback,


representado pela resposta do receptor no momento
em que responde, o receptor inverte o processo e
passa a ser o emissor, e aquele que antes emitia passa
a ser o receptor, que irá decodificar e interpretar a nova
mensagem.

• É esta inversão do processo que permite a uma pessoa


saber se a outra entendeu a sua mensagem.
Linguagem
• A linguagem é, ao mesmo tempo, uma função e um
aprendizado: uma função no sentido de que todo
ser humano normal fala e a linguagem constitui um
instrumento necessário para ele; um aprendizado,
pois essa aquisição ocorre durante toda a infância,
no que o aprendizado da linguagem difere,
fundamentalmente, do aprendizado.
COMUNICAÇÃO VERBAL

• Existem inúmeras formas de se trocar informações,


ou seja, de se comunicar.

• Uma das mais eficazes para o ser humano é a


comunicação verbal, que ocorre quando um grupo
de indivíduos com interesses comuns ou correlatos
se reúne.
• A comunicação escrita

• A leitura, por mais atenta que possa ser, não tem o


poder de transmissão da informação que a
comunicação verbal tem. Na leitura, o autor é
desconhecido ou distante; a sua ideia nem sempre
é claramente entendida e, mais importante, não
existe a possibilidade do diálogo. A transmissão da
informação é passiva. A comunicação verbal, ao
contrário é mais poderosa e versátil.
COMUNICAÇÃO NÃO-VERBAL

• A comunicação verbal serve para transmitir


informações entre indivíduos, tendo estas
informações um caráter informativo. Já a
comunicação não-verbal é caracterizada pelo uso de
gestos, da mímica, do olhar, da voz e dos sinais para
linguísticos.
Interpretação Textual

• Interpretar é entender o que está escrito no texto,


em outras palavras, é explicar, é esclarecer, é
reproduzir de uma outra forma algo que já foi dito.

• A palavra texto é originada do latim textum e


significa entrelaçamento, ou seja, um texto é um
entrelaçamento de ideias, por isso, um texto escrito
não é apenas uma enumeração de frases e de
orações e sim um conjunto de informações
conectadas entre si que estabelecem a coesão e a
coerência textual.
• Segundo FÁVERO (1997), “O texto consiste em
qualquer passagem falada ou escrita que forma um
todo significativo independente de sua extensão”.

• Dessa forma, podemos considerar que o texto é


qualquer forma de comunicação oral ou escrita,
verbal ou não verbal sempre direcionado ao leitor,
assim, músicas, bulas de remédio, faixas, pinturas,
charges, gestos recitais, shows etc. são formas
diferentes de texto.
• A Itália impediu o desembarque dos 177 migrantes
socorridos pelo navio Diciotti, que pertence à
própria Guarda Costeira do país e atracou na noite
da última segunda-feira (20) no Porto de Catânia, na
região da Sicília.
Atividades de conhecimento

1) Quais são os elementos da comunicação? 2L


2) O que é comunicação humana? 4L
3) O que é interpretar?
A estrutura do parágrafo

• O parágrafo deve ser constituído de apenas uma


ideia, que aqui chamaremos de ideia-núcleo.

1. A partir da ideia-núcleo serão desenvolvidas ideias


secundárias que deverão estabelecer relação
dialógica com a ideia principal;
2. As ideias desenvolvidas em cada parágrafo devem
estar relacionadas com a ideia principal do texto, que
geralmente é apresentada na introdução;

3. Para iniciar seu parágrafo, apresente o tópico frasal.


Mas o que é um tópico frasal? É a frase inicial de cada
parágrafo, frase que resumirá a ideia a ser
desenvolvida. É importante que o tópico frasal seja
conciso e objetivo, composto, no máximo, por duas
ou três orações, característica que facilitará o
desenvolvimento da ideia central;
4. Um tópico frasal longo pode ocultar a palavra-
chave do parágrafo. A palavra-chave é aquela palavra
de peso que norteará o desenvolvimento das ideias.

5. E quanto ao tamanho ideal de um parágrafo? não


existe uma regra que determine que um parágrafo
deva ter uma quantidade exata de frases ou o número
de linhas.

6. Os parágrafos existem para dar um intervalo entre


um assunto e outro dentro do mesmo tema. Quando
você perceber que um parágrafo deixou de
desenvolver sua ideia-núcleo, é hora de finalizá-lo e
iniciar outro;
Atividades
1) Desenvolva um paragrafo introdutório com 5
linha, sobre a leitura.
Resumo

• É uma forma de registro que apresenta, de maneira


concisa e seletiva, as ideias mais importantes do texto.

• No resumo, mais do que no esquema, somos levados a


reproduzir, com nossas palavras, o que lemos.

• Ele é especialmente útil, quando se necessita, numa


rápida leitura, para recordar o essencial do que se
estudou e a conclusão a que se chegou, pois, num
resumo, também cabe, desde que claramente
identificada, a interpretação do texto
Técnicas para resumos

1. Leia todo o texto para se familiarizar com o conteúdo;

2. Releia o material, sublinhando frases ou palavras que


julgar importantes. Isto ajuda a identificar os pontos-
chaves;

3. Risque os exemplos ou detalhes, para identificar as


ideias principais do texto;

4. Faça mini resumos de cada parágrafo;

5. Leia os resumos dos parágrafos e veja se há uma linha


de raciocínio coerente;
6. Não comente as ideias do autor no seu texto: resumos,
apenas, sintetizam o conteúdo do material. Também não
use expressões como “segundo o autor”, que expressam
opinião;

7. O tamanho de um resumo varia de acordo com o


assunto abordado. No entanto, no geral, recomenda-se
que o texto nunca ultrapasse 20% do tamanho do
conteúdo original;

8. Quando se trata de um filme ou livro, registre no


resumo, apenas, os personagens, ambientes e ações mais
importantes da história. Diálogos, descrições detalhadas,
cenas e personagens secundários devem ficar de fora.
• Navio chega à Itália, mas migrantes são impedidos de descer

• A Itália impediu o desembarque dos 177 migrantes socorridos pelo


navio Diciotti, que pertence à própria Guarda Costeira do país e
atracou na noite da última segunda-feira (20) no Porto de Catânia, na
região da Sicília.
Os deslocados externos estão a bordo da embarcação desde o
último dia 16 de agosto, quando foram resgatados de um barco
clandestino que atravessara as águas territoriais de Malta, no
Mediterrâneo Central, sem ser interceptado pelas autoridades da
ilha.
Segundo o ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, o
desembarque dos migrantes só será permitido quando houver
acordo para redistribuí-los entre os Estados-membros da União
Europeia.
"Os contatos com os Estados-membros estão ainda em curso,
estamos trabalhando para encontrar uma solução em breve", disse
uma porta-voz da Comissão Europeia. A ONG Save The Children
afirma que pelo menos 28 menores desacompanhados estão a bordo
do Diciotti e cobrou do governo uma solução imediata.
• O Relatório é um tipo de texto que, como o próprio nome
indica, relata sobre algo. Escrito ou oral, ele apresenta um
conjunto de informações sobre determinado tema.

• Tratam-se de textos expositivos de caráter narrativo e


descritivo, no entanto, alguns relatórios podem ser críticos,
com presença de argumentação e considerações pessoais.

• Os relatórios fazem parte das redações técnicas sendo muito


importantes para registrar uma atividade, seja na escola, na
universidade ou no trabalho.

• Podemos citar por exemplo, participação num evento, visita a


um equipamento cultural, atividade em sala e em grupo,
relatar uma experiência, detalhes de uma pesquisa,
apreciações sobre um livro, um filme, etc.
Tipos de Relatório

• Relatório Escolar: são os textos escolares em que o


aluno pode relatar sobre um evento ou uma atividade
proposta pelo professor.

• Relatório Científico: são os relatórios acadêmicos


produzidos após uma pesquisa. Geralmente, eles são
produzidos por pessoas do ensino superior, por
exemplo, o relatório de estágio, finalização de curso,
participação num evento acadêmico.

• Relatório Administrativo: são aqueles registros em que


a empresa realiza diariamente ou mensalmente. São
produzidos pelos empregados do setor administrativo,
por exemplo, os “relatórios de contas”.
Podem ser classificados em:

• Relatório Crítico: quando surge opiniões apreciações


do autor no corpo do texto.

• Relatório de Síntese: são relatórios mais simples que


apresentam um resumo sobre determinada atividade,
por exemplo, um relatório sobre o filme assistido em
sala.

• Relatório de Formação: quando há o desenvolvimento


de um projeto ou pesquisa, são desenvolvidos
relatórios conforme o desenvolvimento da pesquisa.
Ou seja, eles relatam os estágios de desenvolvimento
do trabalho.
Estrutura Textual: Como Elaborar um Relatório?

• Dependendo do tipo de relatório, eles seguem um padrão


estrutural definido, a saber:

• Capa: também chamada de “folha de rosto”, com o título do


trabalho, nome do aluno ou do grupo, do professor, da instituição
e a data. Alguns modelos exigem a inclusão da marca da
instituição em que foi desenvolvido o trabalho.

• Índice: quando se trata de trabalhos mais longos e desenvolvidos


em várias etapas, antes de iniciar o texto surge o índice.

• Título: na página seguinte, e antes de começar a escrever o


relatório, esse deve apresentar um título referente ao trabalho
que fora desenvolvido (o mesmo que apareceu na capa). Abaixo
pode surgir uma epígrafe, ou seja, uma frase em letra menor e
localizada na parte direita do texto, a qual faz referência ao tema
do trabalho.
• Introdução: Informações sobre a descrição do trabalho e dos métodos
utilizados devem aparecer, por exemplo, em que local foi desenvolvido, a
disciplina pertence o relatório, qual professor que pediu, quais objetivos e
justificativas,

• Desenvolvimento: São relatadas todas as etapas de seu trabalho apontando


dados sobre a pesquisa que podem conter gráficos, tabelas, figuras, fotos,
dentre outros.

• Conclusão: Um resumo do que foi descrito anteriormente; as principais


ideias expostas em todo o trabalho devem ser concluídas, por exemplo, os
resultados obtidos e os resultados esperados.

• Considerações Finais: se forem relatórios críticos, no final do texto


acrescenta-se as considerações finais, que engloba as apreciações do autor
sobre a experiência retratada. apontadas soluções, sugestões e problemas
que surgiram no desenvolvimento do trabalho.

• Bibliografia: inclui-se todo o conteúdo teórico utilizado para o


desenvolvimento do trabalho.
• Desenvolva um relatório referente o assunto
abordado na aula passada.
Apresentação de trabalhos Escolares.

REGRAS GERAIS: Trabalhos manuscritos: Deverá ser feito


em folhas do Bloco de Atividade e sem rasuras.

Trabalhos digitados:
• Tipo de papel: A 4
• Escrita: digitada com tinta preta
• Espaçamento: todo texto deve ser digitado com
espaçamento 2.0 de entrelinhas;
• Letra: tipo Times New Roman ou Arial tamanho 12 ou
14
• Parágrafo: 2 cm da margem esquerda;
• Títulos: devem estar em negrito.
APRESENTAÇÃO:
1 – CAPA
• A Capa é a proteção externa do Trabalho Escolar,
nela deve constar:
• Na parte superior: O nome do colégio;
• No centro: Título do trabalho;
• Na parte inferior: Nome do professor.
3 – SUMÁRIO:
• O Sumário é o esquema do trabalho. É a relação dos
itens ou divisões que compõem o Trabalho, com os
respectivos números das folhas nas quais se
encontram distribuídos no texto.

• Portanto, passe a numerar as folhas a partir da


“Introdução”.
• Exemplo:
1– O MAR .........................página 2
2 – Fauna do mar...............página 2
3 – Flora do mar.................página 3
4 – INTRODUÇÃO:
Na Introdução, que é a primeira parte do
desenvolvimento do tema, explique sobre a
importância e os objetivos do Trabalho. O assunto ou
tema do Trabalho Escolar fica claramente identificado.

5 – DESENVOLVIMENTO: Também chamado corpo do


trabalho, deve seguir as orientações do professor
sobre o que pesquisar. Colocar figuras ou desenhos
deixa o trabalho mais rico.
6 – CONCLUSÃO: Constitui o ponto de chegada. É sem
dúvida a parte mais importante do Trabalho Escolar, pois
retrata deduções que você chegou, fundamentadas no
conteúdo do texto. A conclusão não é uma ideia nova ou
um resumo do desenvolvimento, mas a revelação com
suas próprias palavras do que você concluiu da leitura e
elaboração do trabalho.

7 – BIBLIOGRAFIA: Também se diz “Fontes de Consulta”.


Nesta parte devem ser relacionadas todas as publicações
(livros, revistas, jornais, etc.) que foram consultadas e das
quais se retirou alguma informação para elaboração do
Trabalho Escolar. São elementos essenciais: nome do
autor, nome do artigo, nome do jornal ou revista, local e
data.
• GRAMÁTICA APLICADA AO TEXTO
• Advérbio: É a palavra que modifica o verbo;
• o adjetivo, outro advérbio ou até mesmo uma frase toda. a)
Modificando um verbo: Não ouvi mais vozes nem risos. b)
Intensificando um adjetivo: Os olhos dela não eram bem
negros, mas escuros. c) Intensificando outro advérbio: O
Barão de Santa Pia está mal, muito mal. d) Modificando toda
a frase: Infelizmente, os povos ainda correm o risco de novos
conflitos. Locução Adverbial: Dá-se o nome de locução
adverbial ao conjunto de duas ou mais palavras com o mesmo
valor e emprego de advérbio. Exemplos: com carinho, por
prazer, sem dúvida, em vão, frente a frente, de modo algum,
etc. Grau dos advérbios: Alguns advérbios (de modo, de
tempo, de lugar e de intensidade) admitem, à maneira dos
adjetivos, a flexão de grau comparativo e superlativo. 1. Grau
comparativo a) de igualdade: Ele fala tão alto quanto o irmão.
b) de inferioridade: Ele fala menos alto do que o irmão. c) de
superioridade: Ele fala mais alto do que o irmão. 2. Grau
superlativo a) absoluto analítico: Ele fala muito alto. b)
absoluto sintético: Ele fala altíssimo