Vous êtes sur la page 1sur 34

Membrana Celular

Estrutura e composição
• 75 º angstrons Fosfoglicerídeos

• Composição : lipoprotéica: lipídios Glicolipídios


Esteróides (nos
animais há o
colesterol)

Integrais
Periféricas: ligadas às
proteínas extremidades das
integrais
Algumas atuam no transporte de
substâncias para dentro e para fora da
célula, outras se ligam a substâncias
extracelulares e desencadeiam alguma
atividade na célula
Estrutura
• Mosaico Fluído 91972) –
Singer e Nicholson
• Dupla camada de lipídios
associada com proteínas que
apresentam movimento lateral
• Algumas proteínas são
receptoras de outras
moléculas (hormônios e
enzimas)
• Outras garantem o transporte
glicocálix
• O glicocálix ( glicoproteínas + glicolipídios)
identifica e retém substâncias úteis (eles
permitem que uma célula identifique outra
do mesmo tecido e promova a adesão
entre elas). Participa da identificação de
uma célula estranha.
Região hidrofílica

Região
hidrofóbica

Região hidrofílica
• Função: conter o citoplasma, transporte e
secreção de substâncias
• Propriedades: viva, elástica,
semipermeável e condiz corrente elétrica
Transporte de membranas
• Transporte passivo
• Substância que entra e sai da célula a
favor de um gradiente de concentração
sem que a célula gaste energia
Difusão
Difusão facilitada
Osmose
Difusão
• Passagem do soluto de uma região mais
concentrada para outra menos
concentrada sem gasto de energia.
• Ela ocorre devido a capacidade de
moléculas de gases e de líquidos se
espalharem por todo o espaço disponível.
A intensidade do fluxo é a mesma em
todas as direções
• Difusão facilitada
• Permeases (proteínas específicas)
aceleram a passagem de soluto
(substâncias não lipossolúveis )
• Ex: glicose, aminoácidos e íons cuja carga
dificulta a passagem pela camada de
lipídios.
• Osmose
• Passagem do solvente de uma solução
hipotônica para uma solução hipertônica
através de membrana semi-permeável até
as concentrações se igualarem.
• É um fenômeno constante
• Parte da água é atraída pelo soluto e fica ligada
a ele perdendo a mobilidade. Na solução menos
concentrada há mais moléculas de água com
mais mobilidade.
• O nível para de subir pois a solução mais
concentrada puxa a água da solução de menos
concentração e suas moléculas ficam
submetidas a uma pressão resultante do
desnível e o sistema entra em equilíbrio
(pressão osmótica).
0,9% NaCl
0,9% NaCl

Meio Isotônico
1,5% NaCl
0,9% NaCl

Meio Hipertônico
Hemólise
0,3% NaCl
0,9% NaCl

Meio Hipotônico
• Osmose em célula vegetal
As células vegetais apresentam dois tipos de membranas:

• Membrana celulósica (parede celular), composta por celulose (polissacarídeo),


permeável e de grande resistência mecânica. Aparece externamente à
membrana plasmática oferecendo proteção à célula (como se fosse uma
armadura).

• Membrana plasmática (membrana celular): composição lipoprotéica, elástica


e semipermeável. É responsável pela seletividade das substâncias que
poderão entrar ou sair da célula.

O grande vacúolo da célula vegetal adulta ocupa a maior parte do volume


citoplasmático e sua concentração é o fator primordial para regular as trocas
osmóticas entre a célula (membrana plasmática-semipermeável) e o ambiente
que a cerca.

Nas células, que apresentem bom volume de água, terão a membrana


plasmática pressionada contra a parede de celulose rígida, a qual vai
oferecendo resistência crescente à entrada de água no citoplasma.
Há uma equação que descreve essas trocas
osmóticas:

Sc = Si - M

Sc = Sucção celular

Si = Sucção interna (Será tanto maior quanto maior for a


concentração osmótica do vacúolo e do citoplasma da
célula).

M = resistência da membrana celulósica


Outra forma de expressar as mesmas grandezas:

D.P.D. = P.O. - P.T.

D.P.D. = Déficit de pressão de difusão

P.O. = pressão osmótica

P.T. = Pressão de turgor


Assim podem ocorrer as situações

a) As células vegetais mergulhadas em ambiente


hipotônico (por exemplo, água destilada) estarão com
seu volume máximo, ou seja, as células estarão túrgidas
e a resistência da membrana celulósica (M) também
será máxima.
b) Nas células flácidas o volume de água intracelular não
chega a pressionar a membrana celulósica (M):
c) As células plasmolisadas estiveram mergulhadas em
solução hipertônica e perderam tanta água, que a
membrana plasmática "descolou" da celulósica (M) tendo
citoplasma e vacúolo muito reduzidos:

Se esta célula for colocada em água destilada voltará a


ganhar água, realizando deplasmólise.
d) Se a célula vegetal estiver exposta no ar e a
ventilação promover lenta perda de água, o vacúolo
reduz seu volume e a membrana celulósica acompanha
essa retração (fica com M negativo!):