Vous êtes sur la page 1sur 61

PROGRAMA DE NOÇÕES

BÁSICAS DE MEDICINA LEGAL

Rodrigo Camargos Couto


Cirurgião-Dentista
Perito Criminal Nível Especial, Odontolegista IML-BH/MG
Especialista em Prótese Dental
Especialista em Odontologia Legal
Mestre e doutorando em Ciências da Saúde – Infectologia – Medicina Tropical – Faculdade de Medicina da UFMG
CESPE – Curso Superior de Polícia Civil

rodrigocamargoscouto@gmail.com.br
NOÇÕES DE BALÍSTICA E
AÇÃO PÉRFURO-CONTUNDENTE
AÇÃO PERFURO CONTUNDENTE

Ação de maneira mista: perfurante e contundente.

Lesões perfuro contusas

Objetos: projétil de arma de fogo, espeto de


churrasco, ponta de guarda chuva, vergalhão, etc...
ALMA DO CANO: RAIADA
ARMAS DE PROJÉTEIS ÚNICOS
INTRODUÇÃO À BALÍSTICA

• Definição

• Balística interna – arma

• Balística externa – trajetória

• Balística terminal – efeitos produzidos no alvo


ALMA DO CANO: LISA
ARMAS DE PROJÉTEIS MÚLTIPLOS
PROJÉTEIS ÚNICOS X MÚLTIPLOS
PROJÉTEIS ÚNICOS X MÚLTIPLOS

Elementos de identificação de um projétil: E- estrias e S – sulcos


(fonte: C. Simonin, Medicina Legal Judicial).
ESTUDO DA
MUNIÇÃO:
CARTUCHO DE
PROJÉTIL ÚNICO
PROJÉTEIS DE PONTA OCA
“HOLLOW-POINT”
DEFORMAÇÕES DIFERENTES
CARTUCHO DE PROJÉTEIS MÚLTIPLOS
Bucha

Espoleta Pólvora Grãos de chumbo

Obs: Conceito de calibre errado no Livro do França


CARTUCHO E BALINS DE ESPINGARDA
ENERGIA CINÉTICA DE ALGUNS PROJÉTEIS
TRAJETO DOS PROJÉTEIS DE BAIXA ENERGIA

Cavitações do projétil (fonte:Hélio Gomes)


O TRAJETO EM DIFERENTES POSIÇÕES
TIROS: DISTÂNCIA X EFEITOS

Modalidade de disparo Distância

Tiro de contato (arma apoiada na vítima e


gases + projétil + partículas + fuligem + Zero
chamas penetram no subcutâneo)
Tiro à “queima roupa” (projétil + partículas +
fuligem + chama atingem a vítima) Geralmente até 10 cm

Tiro curta distância ( projétil + partículas +


fuligem atingem a vítima, mas não a chama) Geralmente 10 a 50 cm

Tiro à média distância ( projétil + partículas


atingem a vítima, mas não a fuligem nem a Geralmente de 50 cm até 60 ou 70 cm
chama) (excepcionalmente de 2 a 3 metros)
Tiro à longa distância (apenas o projétil
atinge a vítima) Geralmente de 60 a 70 cm em diante
O ORIFÍCIO DE ENTRADA
CONE DE EXPLOSÃO
ORIFÍCIOS DE ENTRADA NOS
TIROS À CURTA-DISTÂNCIA
TIRO ENCOSTADO:
SINAL DE WERKGAERTNER
(marca da alça de mira a cano da arma)
CÂMARA DE MINA DE HOFFMAN

Ilustração de um tiro encostado - todos os componentes do tiro penetram o subcutâneo (fonte: Arne Svensson e Otto Wendell)
CÂMARA DE MINA DE HOFFMAN

SINAL DE SCHUSSKANOL
(esfumaçamento das paredes do conduto produzido pelo
projétil entre as lâminas interna e externa de ossos planos)
CÂMARA DE MINA DE HOFFMAN

Figura X.34 – Efeito explosivo do tiro encostado. Formação da câmara de Mina (fonte: Rabello, E. – Balística Forense).
CÂMARA DE MINA DE HOFFMAN
TIRO À CURTA DISTÂNCIA

Tiro à queima roupa. A pele é rica em elementos periciais (fonte: Arne Svensson e Otto Wendell)
TIRO À CURTA DISTÂNCIA
TIRO À CURTA DISTÂNCIA
zona de tatuagem
ORLA DE ESFUMAÇAMENTO
SINAL DE
BENASSI
(halo fuliginoso)
SINAL DE BENASSI
ORIFÍCIOS DE ENTRADA - TIROS À DISTÂNCIA

Diâmetro menor do que do projétil


Forma arredondada ou elíptica
Orla de escoriação
Halo de enxugo
Auréola equimótica
Bordas reviradas para dentro
ORIFÍCIOS DE ENTRADA
OE EM TIRO À DISTÂNCIA
OE EM TIRO À DISTÂNCIA
MÚLTIPLOS ORIFÍCIOS DE ENTRADA
SINAL DE FUNIL
DE BONNET
SINAL DE FUNIL DE BONNET
ENTRADAS NO CRÂNIO
SINAL DE FUNIL DE BONNET
ORIFÍCIOS DE ENTRADA
E SAÍDA EM VÍSCERAS
HALO HEMORRÁGICO VISCERAL
ORIFÍCIOS DE ENTRADA
NOS TIROS OBLÍQUOS
O ORIFÍCIO DE ENTRADA EM TIROS OBLÍQUOS
ORIFÍCIO DE SAÍDA

Forma irregular
bordas reviradas para fora
maior sangramento
sem zona de esfumaçamento nem halo de enxugo nem
presença de elementos químicos resultantes da
decomposição da pólvora
ENTRADA E SAÍDA
ENTRADA E SAÍDA EM VÍSCERA
PARTICULARIDADES EM
BALÍSTICA DOS EFEITOS
NÚMERO DE OE MAIOR QUE O DE
PROJÉTEIS QUE ATINGEM O CORPO

 Sucessão de entradas

 Projétil transfixa um segmento e penetra em outro


(membro superior/tórax)
SAÍDA E QUASE REENTRADA
NÚMERO DE OS MAIOR QUE O DE
PROJÉTEIS QUE ATINGEM O CORPO

• Projéteis secundários
• Fragmentação do projétil
PROJÉTEIS SECUNDÁRIOS
NÚMERO DE PROJÉTEIS
MAIOR QUE O DE OE

• Entrada em orifícios naturais

• Penetração de mais de um projétil pelo mesmo orifício

• Projéteis “antigos”
DIFICULDADES NA
LOCALIZAÇÃO DOS PROJÉTEIS

• Variação da posição dos órgãos com a posição do corpo

• Entrada do projétil no sistema circulatório

• Entrada do projétil no canal medular


PROJÉTIL NA COLUNA VERTEBRAL
LESÕES POR TIROS
DE ESPINGARDA
DISPARO DE ARMA DE
PROJÉTEIS MÚLTIPLOS
ENTRADAS DE PROJÉTEIS MÚLTIPLOS
PROJÉTEIS MÚLTIPLOS
PROGRAMA DE NOÇÕES
BÁSICAS DE MEDICINA LEGAL

Rodrigo Camargos Couto


Cirurgião-Dentista
Perito Criminal Nível Especial, Odontolegista IML-BH/MG
Especialista em Prótese Dental
Especialista em Odontologia Legal
Mestre e doutorando em Ciências da Saúde – Infectologia – Medicina Tropical – Faculdade de Medicina da UFMG
CESPE – Curso Superior de Polícia Civil

rodrigocamargoscouto@gmail.com.br