Vous êtes sur la page 1sur 11

O Positivismo: Comte

Augusto Comte
(1798-1857)
Comte: o Positivismo
A Revolução Industrial no século XVIII,
expressão do poder da burguesia em expansão,
demonstrou a eficácia do novo saber inaugurado
pela ciência moderna no século anterior.

Ciência e técnica tornaram-


se aliadas, provocando
modificações jamais
suspeitadas, que só se
tornaram possíveis com a
Revolução Industrial.
Comte: o Positivismo
A exaltação diante dos novos saberes e formas de
poder levou à concepção do cientificismo, que se
caracteriza pela valorização da ciência.

A Ciência tornou-se o único


conhecimento possível, e o
método das ciências da
natureza passou a ser o único
válido e que deveria, portanto,
ser estendido a todos os
campos de conhecimento e de
atividades humanas.
Comte: o Positivismo
Augusto Comte foi o estudioso que inaugurou o
materialismo na modernidade através do
chamado Positivismo.

A tese central do
positivismo é a seguinte:
só tem validade aquilo que
pode ser experimentado
empiricamente.
Comte: o Positivismo

Em seu livro Curso de


Filosofia Positiva, propôs-
se a examinar como
ocorreu o desenvolvimento
da inteligência humana
desde os primórdios, a fim
de dar as diretrizes de
como seria melhor pensar a
partir do progresso da
ciência.
A lei dos três estados
Segundo Comte, o espírito humano (sociedade), em
seu processo evolutivo, passou por estados
históricos (estágios) diferentes:

Estado Positivo
(Ciência)
Estado Metafísico
(Filosofia)
Estado Teológico
(Mito e Religião)

Desta maneira, as duas primeiras etapas devem ser


superadas e eliminadas.
O Estado “positivo”
Para Comte, o termo “positivo” designa o real em
oposição ao quimérico, a certeza em oposição à
indecisão, o preciso em oposição ao vago.

Portanto, o estado
positivo corresponde à
maturidade do espírito
humano, objetivo de
toda educação daí em
diante.
O Estado “positivo”

“Todos os bons espíritos


repetem, desde Bacon, que
somente são reais os
conhecimentos que repousam
sobre fatos observados. Essa
máxima fundamental é
evidentemente incontestável,
se for aplicada, como
convém, ao estado viril de
nossa inteligência”.

(Augusto COMTE. Curso de Filosofia Positiva)


A classificação das ciências
O determinismo cientificista do positivismo
desconsiderou as expressões míticas, religiosas e
metafísicas. E à filosofia, que papel lhe foi
reservado?

Segundo Comte, cabe a


filosofia a sistematização
das ciências, ou seja, a
organização dos resultados
mais importantes da física, da
química, da história natural.
A classificação das ciências
Comte reconhece que a matemática, pela
simplicidade de seu objeto, constitui uma espécie
de instrumento de todas as outras ciências e desde
a Antiguidade já teria atingido o estado positivo.
A classificação das ciências
Comte elaborou então a classificação das ciências:

Astronomia Física Química Fisiologia Física Social


(Biologia) (Sociologia)

Essa classificação parte da ciência mais simples, geral e afastada do


humano (astronomia) até a mais complexa e concreta (sociologia).