Vous êtes sur la page 1sur 28

Prof.

Antônio Beethoven

PINTURA RENASCENTISTA
I – CONCEITO
 A definição de Pintura renascentista surge na Itália durante o século XV
inserida, de um modo geral, no Renascimento. Esta pintura funda um
espírito novo, forjado de ideais novos e em novas forças criadoras.
Desenvolve-se nas cidades italianas de Roma,Nápoles, Mântua, Ferrara,
Urbino e, sobretudo, em Florença e Veneza (principais centros que
possuíam, entre os séculos XV e XVI, condições económicas, políticas,
sociais e culturais propícias ao desenvolvimento das artes como a
pintura).
 Não se pode dizer, no entanto, que seja um estilo na verdadeira acepção
do termo, mas antes uma arte variada definida pelas individualidades
que lhe transmitiram características estilísticas, técnicas e estéticas
distintas.
 As raízes baseiam-se na Antiguidade Clássica (tomadas a partir da
cultura e mitologia grega e romana, e dos vestígios quer arquitectónicos
quer escultóricos existentes na península itálica) e na Idade Média
(captadas em sentido evolutivo e sobretudo da obra de Giotto que teve
na sua arte do século XIII, o pronúncio dos princípios orientadores da
pintura do Renascimento).
II – PRINCÍPIOS ORIENTADORES

 a conquista de um espaço cénico, agora


suportado por princípios matemáticos e pela
perspectiva linear científica;
 a representação realista da Natureza,
animais e especialmente do Homem.
III – ELEMENTOS TÉCNICOS
 Nos elementos técnicos podem incluir-se:
 perspectiva rigorosa e científica, que permite um tratamento
real do espaço e da luz;
 pintura a óleo, que apareceu em Itália em meados do século XV,
devido às trocas comerciais a partir de Veneza com a Flandres.
Substituiu-se, gradualmente, as técnicas da têmpera e do afresco
para a pintura a óleo que ao possuir maior tempo de secagem,
permitiu a elaboração de modelados e velaturas;
 a utilização de novos pigmentos aglutinantes (como o óleo) que
possibilitava novas associações e graduações da cor;
 novos suportes como a tela e o cavalete que facilitaram a difusão
das correntes estéticas uma vez que permitiram uma circulação
mais fácil das obras.
IV – ELEMENTOS FORMAIS

 Nos elementos formais, mister faz-se citar:


 inclusão nas obras de cenários
arquitectónicos;
 grande naturalidade e realismo
anatômicos.
V – ELEMENTOS ESTÉTICOS

 Nos elementos estéticos incluem-se:


 equilíbrio e a harmonia dados pelo rigor
científico. Era comum as figuras serem
representadas segundo esquemas
geométricos, como o esquema em pirâmide,
de forma a transmitirem uma maior
harmonia;
 realismo representação da realidade tal
como a observam, valorização da
personalidade retratada.
VI – PINTURA DA PRIMEIRA
RENASCENÇA
 O termo Renascimento é aplicado a um período
de amplas realizações culturais que se estendeu
por três séculos. Artistas, filósofos, cientistas e
governantes acreditavam que o caminho para a
grandeza e o esclarecimento passava pelo
estudo das épocas áureas dos antigos gregos e
romanos. Rejeitavam o passado medieval.
Inspirados pelo Humanismo, voltavam-se para as
tradições literárias e filosóficas da Antiguidade
greco-romana.
 A transição da pintura gótica para a Renascença não se deu da noite
para o dia. Por causa da Peste Negra, o mais importante pintor italiano
após Giotto foi nascer somente em 1401. Ocorreu um novo despertar
com Masaccio (1401-1429). Ele é o revolucionário fundador da pintura
renascentista. Ele também foi influenciado pelos escultores italianos da
época (Donatello, Lorenzo Ghiberti) e pelo arquiteto Brunelleschi. O
realismo escultórico está no cerne da pintura renascentista. Paolo
Uccello (1397-1475) trouxe, junto com Leon Battista Alberti, a
perspectiva, que foi fundamental para a pintura posterior. Em seguida a
Masaccio, o próximo grande pintor da Primeira Renascença foi Sandro
Botticelli (1445-1510). O traço nítido e as linhas sinuosas de suas figuras
tiveram a influência dos irmãos Pollaiuolo, que eram também ourives e
escultores. Sua arte foi elaborada na corte da Família Médici, em
Florença, e reflete o ambiente esclarecido da corte. Outro grande
mestre e gênio do período foi Piero della Francesca (1416-1492), que
mostrou em sua obras um interesse pelas paisagens reais (ao estilo do
norte da Europa). Andrea Mantegna (1431-1506), por sua vez, foi o
primeiro grande pintor da Itália setentrional. Fra Angelico (1387-1455),
o maior pintor religioso da Renascença.