Vous êtes sur la page 1sur 110

RACIOCÍNIO LÓGICO

PCPR - Escrivão
ABRINDO A MENTE

• Questão 0: Três gatos comem três ratos em três minutos. Cem


gatos comem cem ratos em quantos minutos?
• R:
• Questão 00: Você é prisioneiro de uma tribo indígena que conhece
todos os segredos do Universo e, portanto, sabem de tudo. Você está
para receber sua sentença de morte. O cacique o desafia: “Faça uma
afirmação qualquer. Se o que você falar for mentira você morrerá na
fogueira, se falar uma verdade você será afogado. Se não pudermos
definir sua afirmação como verdade ou mentira, nós te libertaremos.
O que você diria?
• R:
ABRINDO A MENTE

Questão 25/2: A figura mostra a localização dos apartamentos de um edifício de três pavimentos que tem apenas alguns deles ocupados:

Sabe-se que:
• Maria não tem vizinhos no seu andar, e seu apartamento localiza-se o mais a leste possível;
• Taís mora no mesmo andar de Renato, e dois apartamentos a separam do dele;
• Renato mora em um apartamento no segundo andar exatamente abaixo do de Maria;
• Paulo e Guilherme moram no andar mais baixo, não são vizinhos e não moram abaixo de um apartamento ocupado.
No segundo andar estão ocupados apenas dois apartamentos.
Se Guilherme mora a sudoeste de Tais, o apartamento de Paulo pode ser:
a) 1 ou 3
b) 1 ou 4
c) 3 ou 4
d) 3 ou 5
e) 4 ou 5
ABRINDO A MENTE

Questão 2x7: João, Pedro e Carlos são atletas. João tem 16 anos e joga vôlei, Pedro tem 17 anos e joga basquete e
Carlos tem 15 anos e joga futebol. Considere que uma pessoa alta tem mais de 1,80m de altura e que somente uma
das alternativas abaixo é verdadeira.
1 - Exatamente um dos rapazes é alto.
2 - Exatamente dois dos rapazes mencionados são altos.
3 - Exatamente três dos rapazes mencionados são altos.
4 - Pelo menos dois dos rapazes mencionados são altos.
A soma dos números dos itens cujas afirmações são falsas é:
a) 1
b) 2
c) 8
d) 9
PROPOSIÇÕES
• Sentenças declarativa, que pode ser classificada apenas
como falsa ou verdadeira, mas nunca ambas.

Ex.
O Brasil fica na América ( V )
Cuba é um país da Europa ( F )
PROPOSIÇÕES
• Princípio da identidade: garante que uma
proposição é igual a si mesma. (Uma proposição
verdadeira é verdadeira e uma proposição falsa é
falsa).
• Princípio da não-contradição: Uma proposição
não pode ser verdadeira e falsa.
• Princípio do terceiro-excluído: Uma proposição
ou é verdadeira ou é falsa, não existe uma terceira
alternativa.
NÃO SÃO PROPOSIÇÕES
Sentenças:
• a) interrogativas (Você viu o cometa Halley? )
• b) exclamativas (Que dia maravilhoso!)
• c) imperativas (Pegue minhas chaves)
• d) sentenças abertas (O País fica na América)
PROPOSIÇÕES SIMPLES

• P: O México fica na América do Norte.

• Q: Tóquio é uma cidade do Japão


PRATICANDO

• 1. FCC - TCE -2006


• Sabe-se que sentenças são orações com sujeito (o termo a respeito do qual se declara algo)
e predicado (o que se declara sobre o sujeito). Na relação seguinte há expressões e
sentenças:
• 1. A terça parte de um número.
• 2. Jasão é elegante.
• 3. Mente sã em corpo são.
• 4. Dois mais dois são 5.
• 5. Evite o fumo.
• 6. Trinta e dois centésimos.
• É correto afirmar que, na relação dada, são sentenças APENAS os itens de números

A) 1, 4 e 6 B) 2, 4 e 5 C) 2, 3 e 5 D) 3 e 5 E) 2 e 4
Gabarito: E
PRATICANDO

• 2. FCC - TCE -2009


• Sabe-se que sentenças são orações com sujeito (o termo a respeito do qual se declara algo) e predicado (o
que se declara sobre o sujeito). Na relação seguinte há expressões e sentenças:
1. Três mais nove é igual a doze.
• 2. Pelé é brasileiro.
• 3. O jogador de futebol.
• 4. A idade de Maria.
• 5. A metade de um número.
• 6. O triplo de 15 é maior do que 10.

É correto afirmar que, na relação dada, são sentenças apenas os itens de números

A) 1, 2 e 6 B) 2, 3 e 4 C) 3, 4 e 5 D) 1, 2, 5 e 6 E) 2, 3, 4 e 5
Gabarito: A
NEGAÇÃO DE PROPOSIÇÕES

• Acrescentar o NÃO:
P: O México fica na América do Norte.
~P / ¬ P: O México NÃO fica na América do Norte
• Retirar o NÃO:
P: O Brasil não é Pentacampeão
~P / ¬ P: O Brasil é Pentacampeão
NEGAÇÕES (CASOS)
NEGAÇÕES (CASOS)
NEGAÇÕES (CASOS)
NEGAÇÕES (CASOS)
NEGAÇÃO

• DICA:

A COPS costuma utilizar a simbologia ( ’ )


Questão 23 PCPR – Escrivão/2010
PROPOSIÇÕES COMPOSTAS

Reunião de duas ou mais proposições simples.

• P: João é alto e André é baixo

• Q: Pedro tem 17 anos e Pedro é menor


PROPOSIÇÕES COMPOSTAS

• Conjunção: utiliza o conectivo e. ( ^ )


Ex: p: Sou feliz e Canto. (a ^ b)
• Disjunção: utiliza o conectivo ou. ( v )
Ex: q: Sou feliz ou Canto (a v b)
• Condicional: utiliza o conectivo se, então. (⇒ / → )
Ex: r: Se sou feliz então Canto (a → b)
• Bicondicional: utiliza o conectivo se, e somente se. (⇔ / ↔)
Ex: s: Sou feliz se, e somente se Canto (a ↔ b)
NEGAÇÃO DE PROPOSIÇÕES
COMPOSTAS

• A negação composta depende do conectivo


empregado na sentença. Para cada conectivo
há uma regra a ser empregado.
NEGAÇÃO DE PROPOSIÇÕES
COMPOSTAS

• Conectivo E
Para fazer a negação da conjunção, devemos
seguir os seguintes passos:
1) negar tudo;
2) trocar o “e” por “ou”
Simbolicamente,
¬ (A e B) = ¬A ou ¬B
Exemplo
Proposição = Sou feliz e Canto.
Negação = NÃO sou feliz ou NÃO canto.
TABELAS VERDADE

• Conectivo E
• Tabela Verdade E

p q p^q
V V V
V F F
F V F
F F F
NEGAÇÃO DE PROPOSIÇÕES
COMPOSTAS

• Conectivo OU
Para fazer a negação da disjunção, devemos
seguir os seguintes passos:
1) negar tudo;
2) trocar o “ou” por “e”
Simbolicamente,
¬ (A ou B) = ¬ A e ¬ B
Exemplo
Proposição = sou professor ou sou rico.
negação = NÃO sou professor rico e NÃO sou
TABELAS VERDADE

• Conectivo OU
• Tabela Verdade OU

p q pvq
V V V
V F V
F V V
F F F
NEGAÇÃO DE PROPOSIÇÕES
COMPOSTAS

• Conectivo OU... OU
Para fazer a negação da disjunção exclusiva devemos
seguir os seguintes passos:
¬ (A v B) = A ↔ B
Traduzindo para a linguagem corrente significa:
1) Troca o conectivo OU... OU por SE E SEMENTE SE
Veja o exemplo resolvido abaixo:
Ou João é rico ou Pedro é Bonito.
Negação = João é rico se e somente se Pedro é bonito.
TABELAS VERDADE

• Conectivo OU... OU
• Tabela Verdade OU... OU

p q pvq
V V F
V F V
F V V
F F F
NECESSÁRIA / SUFICIENTE

• A proposição que estiver “no lado” do SE será sempre a


condição SUFICIENTE. E a proposição que estiver no
lado do ENTÃO, será sempre a condição NECESSÁRIA.
•p → q
• Suficiente → Necessária
• Ex: Se vai fazer a prova, então está inscrito”
• “Fazer a prova é condição suficiente para estar inscrito”.
Ou ainda, “Estar inscrito é condição necessária para
fazer a prova”.
NECESSÁRIA / SUFICIENTE

• “Ser maior é condição necessária e suficiente para votar” equivale a “Vota se,
e somente se, é maior” ou “É maior se, e somente se, vota”. Note que tanto
faz de que lado você coloque uma proposição ou a outra!
• “É aprovado se, e somente se, estuda” equivale a “Estudar é condição
necessária e suficiente para ser aprovado” ou “Ser aprovado é condição
necessária e suficiente para estudar”.
• “Saber nadar é condição necessária e suficiente para não morrer afogado”
equivale a “Sabe nadar se, e somente se, não morre afogado” ou “Não morre
afogado se, e somente se, sabe nadar”.
• “P se, e somente se, Q” equivale a “P é condição necessária e suficiente para
Q” ou “Q é condição necessária e suficiente para P”.
NEGAÇÃO DE PROPOSIÇÕES
COMPOSTAS

• Conectivo SE... ENTÃO


Para fazer a negação da condicional devemos seguir os
seguintes passos:
¬ (A → B) = A ^ ¬B
Traduzindo para a linguagem corrente significa:
1) Repete a primeira proposição troca o conectivo SE...
ENTÃO por E
2) Nega-se a segunda proposição
Veja o exemplo resolvido abaixo:
Se sou inteligente então passarei de ano.
Negação = Sou inteligente e não passei de ano.
TABELAS VERDADE

• Conectivo SE... ENTÃO


• Tabela Verdade SE... ENTÃO
p q q→p
V V V
V F F
F V V
F F V
NEGAÇÃO DE PROPOSIÇÕES
COMPOSTAS

• Conectivo SE...e SOMENTE SE


Para fazer a negação do bicondicional devemos seguir os seguintes
passos:
¬ (A ↔ B) = A ^ (¬ B) ou B ^ (¬A)
Traduzindo para a linguagem corrente significa:
1) Troca-se o conectivo SE... E SOMENTE SE por OU;
2) Repete a primeira proposição e nega-se a segunda proposição;
3) Ou, repete-se a segunda e nega-se a primeira proposição;
Veja o exemplo resolvido abaixo:
2 é par se e somente se 3 é ímpar
NEGAÇÃO: 2 é par se e 3 não é ímpar ou 3 é impar e 2 não é par.
TABELAS VERDADE

• Conectivo SE, e SOMENTE SE


• Tabela Verdade SE, E SOMENTE SE
p q p↔q
V V V
V F F
F V F
F F V
CONSTRUÇÃO DE TABELAS VERDADE

• Construa a tabela verdade de: p ^ ~q

p q ~q p ^ ~q

V V F F
V F V V
F V F F
F F V F
CONSTRUÇÃO DE TABELAS VERDADE

• Construa a tabela verdade de: ~(p ^ ~q)

p q ~q (p ^ ~q) ~(p ^ ~q)

V V F F V
V F V V F
F V F F V
F F V F V
CONSTRUÇÃO DE TABELAS VERDADE

• Construa a tabela verdade de: (p∧q)→(p∨q)

p q p∧q (p∨q) (p∧q)→(p∨q)


PRATICANDO
USANDO TABELAS VERDADE

• Considere as seguintes premissas:

p : Trabalhar é saudável
q : O cigarro mata.

A afirmação "Trabalhar não é saudável" ou "o cigarro mata" é FALSA se


• a) p é falsa e ~q é falsa.
• b) p é falsa e q é falsa.
• c) p e q são verdadeiras.
• d) p é verdadeira e q é falsa.
• e) ~p é verdadeira e q é falsa.
PRATICANDO
USANDO TABELAS VERDADE

• Considere as seguintes premissas:

p : Trabalhar é saudável
q : O cigarro mata.

A afirmação "Trabalhar não é saudável" ou "o cigarro mata" é FALSA se


• a) p é falsa e ~q é falsa.
• b) p é falsa e q é falsa.
• c) p e q são verdadeiras.
• d) p é verdadeira e q é falsa.
• e) ~p é verdadeira e q é falsa.
CORREÇÃO DA LISTA 1

• (FGV TCE 2015)


Se hoje é sábado, amanhã não trabalharei
p: Se hoje é sábado
q: Então amanhã não trabalharei
p→q
¬ (p → q)
Hoje é sábado e amanhã trabalharei
ALTERNATIVA A
CORREÇÃO DA LISTA 1

• DETRAN-MA – 2013
Se chove então o trânsito fica congestionado
p: Se chove
q: Então o trânsito fica congestionado
p→q
¬ (p → q)
Chove e o trânsito não fica congestionado
CORREÇÃO DA LISTA 1

• FGV - 2010 - CODESP-SP


Se tenho dinheiro, então sou feliz
p: Se tenho dinheiro
q: Então sou feliz
p→q
¬ (p → q)
Tenho dinheiro e não sou feliz
CORREÇÃO DA LISTA 1

• a) Ser brasileiro é condição necessária e suficiente para ser paulista.


• Ser brasileiro é condição necessária e não suficiente para ser paulista, basta ser carioca...
• b) Ser brasileiro é condição suficiente, mas não necessária para ser paranaense.
• Ser brasileiro é condição necessária. Não há como ser paranaense sem ser brasileiro
• c) Ser carioca é condição necessária e suficiente para ser brasileiro.
• Ser carioca é suficiente para ser brasileiro, mas não necessariamente
• d) Ser baiano é condição suficiente, mas não necessária para ser brasileiro.
• Ser baiano é condição suficiente, mas não necessária para ser brasileiro. CORRETO
• e) Ser maranhense é condição necessária, mas não suficiente para ser brasileiro.
• Ser maranhense é condição suficiente e não necessária.
CORREÇÃO DA LISTA 1

• um cachorro, se toma banho, não cheira mal – É FALSA


• O equivalente é:
p: Se toma banho
q: Não cheira mal
p→qF
¬ (p → q) V

• Um cachorro, toma banho e cheira mal


RACIOCÍNIO LÓGICO

PCPR – Escrivão
AULA 2
DE OLHO NA COPS
2015 - COPS-UEL - Agente Universitário - Administrador
• Dr. K. Vera está para receber sua sentença de morte. Seus algozes o
desafiam:
• Faça uma afirmação qualquer. Se você falar a verdade, será afogado. Se o que
disser for falso, morrerá enforcado. Entretanto, se não pudermos definir sua
afirmação como verdadeira ou falsa, será poupado e libertado.
• Nessas condições e considerando os princípios da argumentação lógica,
assinale a alternativa que apresenta, corretamente, uma afirmação que o Dr.
K. Vera pode dizer para se salvar da sentença de morte.
• a) Não vou morrer.
• b) Não vou morrer enforcado.
• c) Não tenho salvação.
• d) Vou morrer afogado.
• e) Vou morrer enforcado
DE OLHO NA COPS
GABARITO: E
UMA FORMA DE PENSAR UTILIZANDO O ENUNCIADO:
CONDICIONAL: SE... ENTÃO
LEMBRE-SE DO MACETE DO NOSSO COLÉGA:
“Vera Fisher é Falsa”
No conectivo → sabendo que V é “Se você falar a verdade, será afogado” e
sabendo que F é “Se o que disser for falso, morrerá enforcado” então deve-se
falar o Falso. Logo, “Vou morrer enforcado”.
DE OLHO NA COPS
2010 – COPS-UEL – Polícia Civil/PR
Considere as seguintes proposições: q → p e q → r ambas
verdadeiras. Nessas condições,
a) se p é verdadeira, então r é verdadeira
b) se r é verdadeira, então q é verdadeira
c) se p é verdadeira, então q é verdadeira
d) se q é verdadeira, então p v r é verdadeira
e) se p ^ r é verdadeira, então q é verdadeira
DE OLHO NA COPS
GABARITO D
Sabemos que o conectivo Se... Então só é falso quando V + F = F (Vera
Fisher é Falsa) então será verdadeira quando;
• q for V então p e r V
• q for F então p e r podem ser V ou F
p é V e r é V
p é V e r é F
p é F e r é V
p é F e r é F
Olhando para as alternativas:
a) se p é verdadeira, então r é verdadeira
Falso, pois se p é V então observamos que r pode ser tanto V quanto F
DE OLHO NA COPS
GABARITO D
Sabemos que o conectivo Se... Então só é falso quando V + F = F (Vera
Fisher é Falsa) então será verdadeira quando;
• q for V então p e r V
• q for F então p e r podem ser V ou F
p é V e r é V
p é V e r é F
p é F e r é V
p é F e r é F
Olhando para as alternativas:
b) se r é verdadeira, então q é verdadeira
Falso, novamente observamos que se r é V então p pode ser tanto V quanto F
DE OLHO NA COPS
GABARITO D
Sabemos que o conectivo Se... Então só é falso quando V + F = F (Vera Fisher é Falsa)
então será verdadeira quando;
• q for V então p e r V
• q for F então p e r podem ser V ou F
p é V e r é V
p é V e r é F
p é F e r é V
p é F e r é F
Olhando para as alternativas:
c) se p é verdadeira, então q é verdadeira
Falso, pois p ser verdade não é condição necessária para q for verdadeira, a proposição
q então p só não será verdade quando q for V e p for F
DE OLHO NA COPS
GABARITO D
Sabemos que o conectivo Se... Então só é falso quando V + F = F (Vera
Fisher é Falsa) então será verdadeira quando;
• q for V então p e r V
• q for F então p e r podem ser V ou F
p é V e r é V
p é V e r é F
p é F e r é V
p é F e r é F
Olhando para as alternativas:
d) se q é verdadeira, então p v r é verdadeira
Verdade, pois q sendo verdade vimos que tanto p ou r podem ser verdades
DE OLHO NA COPS
GABARITO D
Sabemos que o conectivo Se... Então só é falso quando V + F = F (Vera Fisher é Falsa)
então será verdadeira quando;
• q for V então p e r V
• q for F então p e r podem ser V ou F
p é V e r é V
p é V e r é F
p é F e r é V
p é F e r é F
Olhando para as alternativas:
e) se p ^ r é verdadeira, então q é verdadeira
Falso, pois se p e q forem V não é condição necessária para que q seja verdadeira,
pois q é V mesmo p e r sendo F.
DE OLHO NA COPS
2013 - COPS-UEL – PC/PR
Em uma investigação de fraude administrativa, um detetive colheu evidências que o convenceram de
que as seguintes afirmações são verdadeiras:
1. Se Epaminondas é culpado, então João é culpado.
2. Se Epaminondas é inocente, então João ou Ariovaldo são culpados.
3. Se Ariovaldo é inocente, então João é inocente.
4. Se Ariovaldo é culpado, então Epaminondas é culpado.
Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, o que indicam as evidências do detetive.
a) Epaminondas e Ariovaldo são culpados, mas João é inocente.
b) Epaminondas e João são inocentes, mas Ariovaldo é culpado.
c) Epaminondas é culpado, mas João e Ariovaldo são inocentes.
d) Epaminondas, João e Ariovaldo são culpados.
e) Epaminondas, João e Ariovaldo são inocentes.
1. Se Epaminondas é culpado, então João é culpado.
2. Se Epaminondas é inocente, então João ou Ariovaldo são culpados.
3. Se Ariovaldo é inocente, então João é inocente.
4. Se Ariovaldo é culpado, então Epaminondas é culpado.
Q: Epaminondas é culpado
P: João é culpado
R: Ariovaldo é culpado
1. Q → P / é F quando Q for V e P for F
2. ~Q → (P v R) / é F quando ~Q for V e (P for F e R for F) – Tabela verdade do conectivo OU
3. ~R → ~P / é F quando ~R for V e ~P for F
4. R → Q / é F quando R for V e Q for F
- Supondo que Q: Epaminondas é culpado seja V então para que 1 seja verdade P: João é culpado
- Se Q: Epaminondas é culpado é V então ~Q é Falso logo 2 é verdade (pois segundo a Tabela
Verdade quando a primeira proposição é falsa as demais podem ser V ou F ).
- Se Q: Epaminondas é culpado é V então a 4 é V, pois segundo a Tabela Verdade a proposição
composta somente será falsa se a primeira for V e a segunda for F. Logo, R: Ariovaldo é
culpado
EQUIVALÊNCIAS LÓGICAS (BÁSICA)

1. p ^ p = p
Ex: André é inocente e inocente = André é inocente
2. p v p = p
Ex: Ana foi ao cinema ou ao cinema = Ana foi ao cinema
3. p ^ q = q ^ p
Ex: O cavalo é forte e veloz = O cavalo é veloz e forte
4. p v q = q v p
Ex: O carro é branco ou azul = O carro é azul ou branco
EQUIVALÊNCIAS LÓGICAS (BÁSICA)

5. p ↔ q = q ↔ p
Ex: Amo se e somente se vivo = Vivo se e somente se amo.
6. p ↔ q = (p → q) e (q → p)
Ex: Amo se e somente se vivo = Se amo então vivo, e se vivo então amo
7. p ^(p v q) = p
Ex: Paulo é dentista, e Paulo é dentista ou Pedro é médico = Paulo é dentista
8. p v (p ^ q) = p
Ex: Paulo é dentista, ou Paulo é dentista e Pedro é médico = Paulo é dentista
EQUIVALÊNCIAS DA CONDICIONAL
IMPORTANTE

1. Se p → q = ~q → ~p.
Ex: Se chove então me molho = Se não me molho então
não chove
2. Se p → q = ~p v q.
Ex: Se estudo então passo no concurso = Não estudo ou
passo no concurso
TAUTOLOGIA

• Uma proposição composta será chamada de TAUTOLOGIA sempre


que for verdadeira (em outras palavras sempre que sua tabela verdade
for verdadeira mesmo que os valores lógicos das proposições forem
falsos)
• Ex: Santos cai para a segunda divisão ou o Santos não cai para a
segunda divisão
• p: Santos cai para a segunda divisão
• ~p: Santos não cai para a segunda divisão
TAUTOLOGIA

• Ex 2: Se João é alto então João é alto ou Guilherme é gordo


• p: João é alto
• q: Guilherme é gordo
• P →(P v Q)
p q pvq p → (p v q)
TAUTOLOGIA

• Ex 2: Se João é alto então João é alto ou Guilherme é gordo


• p: João é alto
• q: Guilherme é gordo
• P →(P v Q)
p q pvq p → (p v q)

V V V V
V F V V
F V V V
F F F V
CONTRADIÇÃO

• Uma proposição composta será chamada contradição se ela for sempre falsa,
independente se as proposições tiverem valor lógico verdadeiro ou falso.
• Ex. Colombo é presidente do Brasil e Colombo não é o presidente do Brasil
p: Colombo é presidente do Brasil
~p: Colombo não é presidente do Brasil
CONTRADIÇÃO

• Ex 2: Não ando de carro no domingo e ando de carro no domingo e não caminho


com o cachorro
• p: Ando de carro no domingo
• ~p: Não ando de carro no domingo
• q: caminho com o cachorro p q ~p ~q (p ^~q) ~p^(p ^~q)
• ~q: não caminho com o cachorro
• ~p ˄ (p ˄ ~q)
CONTRADIÇÃO

• Ex 2: Não ando de carro no domingo e ando de carro no domingo e não caminho


com o cachorro
• p: Ando de carro no domingo
• ~p: Não ando de carro no domingo
• q: caminho com o cachorro p q ~p ~q (p ^~q) ~p^(p ^~q)
• ~q: não caminho com o cachorro
• ~p ˄ (p ˄ ~q) V V F F F F
V F F V V F
F V V F F F
F F V V F F
CONTINGÊNCIA

• Uma proposição composta será chamada contingência se ela


apresenta valores falsos e verdadeiros
• Ex. Se caminho então não caminho
• p: caminho
p ~p p → ~p
• ~p: não caminho
V F F
• p → ~p F V V
CONTINGÊNCIA

Ex. Se saio de casa ou ando de moto então saio de casa


p: saio de casa
q: ando de moto
p q pvq p˅q→p
p˅q→p
CONTINGÊNCIA

Ex. Se saio de casa ou ando de moto então saio de casa


p: saio de casa
q: ando de moto
p q pvq p˅q→p
p˅q→p
V V V V

V F V V

F V V F

F F F V
PRATICANDO

• A afirmação "canto e danço" tem, como uma negação, a


afirmação contida na alternativa
• a) não canto e não danço.
• b) canto ou não danço.
• c) não danço ou não canto.
• d) danço ou não canto.
• e) danço ou canto.
PRATICANDO

• Considere a afirmação: “Ronaldo foi de ônibus e não usou o


celular”. A negação dessa afirmação é:
• a) “Ronaldo foi de ônibus e usou o celular”.
• b) “Ronaldo não foi de ônibus e não usou o celular”.
• c) “Ronaldo não foi de ônibus e usou o celular”.
• d) “Ronaldo foi de ônibus ou não usou o celular”.
• e) “Ronaldo não foi de ônibus ou usou o celular”.
PRATICANDO
PRATICANDO
PRATICANDO
PRATICANDO

p → q = ~q → ~p
PRATICANDO
PRATICANDO

p → q = ~q → ~p
PRATICANDO

• Uma afirmação equivalente à afirmação – Se Glória é dançarina ou


cantora, mas não ambos, então Fábio não é ator. – é:
• a) Se Fábio não é ator, então Glória é dançarina ou cantora, mas não
ambos.
• b) Se Fábio é ator, então Glória não é dançarina nem cantora ou Glória é
dançarina e cantora.
• c) Se Fábio é ator, então Glória não é dançarina, mas é cantora.
• d) Se Glória não é dançarina nem cantora ou é dançarina e cantora,
então Fábio é ator.
• e) Se Fábio não é ator, então Glória é dançarina, mas não é cantora ou
Glória não é dançarina, mas é cantora.
PRATICANDO

• 1. Quando o enunciado diz "Glória é dançarina ou cantora, mas não ambos", identificamos a disjunção
exclusiva(Ou uma coisa ou outra).
• (P v Q)
• P: Glória é dançarina
• Q: Glória é cantora

• 2. R: Fábio não é ator


• (P v Q) → R
• 3. Se negarmos o (P v Q) = (¬P ^ ¬Q) v (P ^ Q)
• 4. Se negarmos o R = ¬ R
• 5. (¬P ^ ¬Q) v (P ^ Q) → ¬ R
• 6. Negando o → temos
• 7. ¬R → (¬P ^ ¬Q) v (P ^ Q)
• 8. Traduzindo para a linguagem usual
Fábio não é ator (¬R ) então Glória não é dançarina nem cantora (¬P ^ ¬Q) OU Glória é dançarina e cantora (P ^ Q).
PRATICANDO

• Chama-se tautologia a toda proposição que é sempre verdadeira,


independentemente da verdade dos termos que a compõem. Um exemplo de
tautologia é:
• a) se João é alto, então João é alto ou Guilherme é gordo
• b) se João é alto, então João é alto e Guilherme é gordo
• c) se João é alto ou Guilherme é gordo, então Guilherme é gordo
• d) se João é alto ou Guilherme é gordo, então João é alto e Guilherme é gordo
• e) se João é alto ou não é alto, então Guilherme é gordo
RACIOCÍNIO LÓGICO

PCPR – Escrivão
AULA 3
ARGUMENTOS LÓGICOS

• São situações formadas por uma série de proposições


(premissas) que se relacionam e conduzem a uma
conclusão.
• Ex:
1. Todos os homens são mortais.
2. Sócrates é homem.
3. Logo, Sócrates é mortal.
ARGUMENTOS LÓGICOS

• Ex 2:
• Se a demanda aumentar, então a empresa se expande.
• Se as empresas se expandem, então elas empregam trabalhadores.
• Se a demanda aumentar, então as empresas empregam trabalhadores.

• Ex3:
• Todos os peixes são mamíferos.
• Moby Dick é um peixe.
• Moby Dick é um mamífero.
VALIDADE DE ARGUMENTOS

Um argumento pode ser Válido ou Inválido


Será VALIDO quando: a conclusão é uma consequência necessária
das premissas.
Será INVÁLIDO quando: a conclusão não é uma consequência
necessária das premissas. VÁLIDO INVÁLIDO

Ex.  Todos os peixes são  Todos os cavalos são


mamíferos mamíferos
 Moby Dick é um  Todos os cavalos são
peixe vertebrados
 Moby Dick é um  Todos os mamíferos
mamífero são vertebrados
ARGUMENTOS LÓGICOS

• OBSERVAÇÃO: A validade ou não nada tem relação


com as proposições serem verdadeiras ou falsas.
ARGUMENTOS LÓGICOS

• Novamente:

• Um argumento será VÁLIDO se as proposições que o


formam forem suficientes para ter uma conclusão lógica.
1. Todos os mamíferos voam.
2. Os homens são mamíferos.
3. Os homens voam.
ARGUMENTOS LÓGICOS

• Um argumento será INVÁLIDO se as proposições que o


formam não forem suficientes para ter uma conclusão lógica.

1. Todos os médicos têm curso superior.


2. Patrícia tem curso superior.
3. Patrícia é médica.

• Como poderíamos alterar as premissas do argumento


inválido acima de modo que ele se torne um argumento
válido?
ARGUMENTOS LÓGICOS

1. Todos os médicos têm curso superior.


2. Patrícia é médica.
3. Patrícia tem curso superior.
Assim o argumento passa a ser válido!
ARGUMENTOS LÓGICOS

Distinga nos seguintes raciocínios os válidos dos inválidos


ARGUMENTOS LÓGICOS

1
1. Todos os seres vivos são animais.
2. Todos os Homens são seres vivos.
3. Todos os Homens são animais.
ARGUMENTOS LÓGICOS

II
1. Todos os seres que têm asas são aves.
2. Todos os homens têm asas.
3. Todos os homens são aves.
ARGUMENTOS LÓGICOS

III
1. As estrelas têm luz própria.
2. O sol é uma estrela.
3. Logo, o sol tem luz própria.
ARGUMENTOS LÓGICOS

IV
1. Todos os membros do parlamento têm grandes
responsabilidades.
2. Os professores têm grandes responsabilidades.
3. Os professores são membros do parlamento.
ARGUMENTOS LÓGICOS

V
1. Todos os animais ladram.
2. Os pardais são animais.
3. Logo, os pardais ladram.
ARGUMENTOS LÓGICOS

VI
1. Alguns poetas não são católicos.
2. Todos os que aceitam a autoridade papal são
católicos.
3. Logo, Ninguém que aceite a autoridade papal é poeta.
ARGUMENTOS LÓGICOS

VII
1. Todos os cães têm asas.
2. As abelhas são cães.
3. Logo, as abelhas têm asas.
ARGUMENTOS LÓGICOS

VII
•Se acertar na Megasena, fico rico.
•Ora, fiquei rico.
•Logo, acertei na Megasena
ARGUMENTOS LÓGICOS

GABARITO
1.VÁLIDO
2.VÁLIDO
3.VÁLIDO
4.INVÁLIDO
5.VÁLIDO
6.INVÁLIDO
7.VÁLIDO
8.INVÁLIDO
ARGUMENTOS LÓGICOS

FORMAS DE VERIFICAR A VALIDADE DE UM ARGUMENTO


• Existem várias formas de verificar a validade de um
argumento.
• As três mais comuns são:
1. Fazendo uso de diagramas lógicos de conjuntos.
2. Considerando as proposições (premissas) verdadeiras.
3. Considerando a conclusão falsa.
ARGUMENTOS LÓGICOS

O que são Diagramas Lógicos?


• São representações gráficas que auxiliam a organização dos
argumentos associados a conectivos lógicos.
• Ex.
ARGUMENTOS LÓGICOS

• Verificando a validade de argumentos através de


Diagramas Lógicos

1. Quando usar diagramas lógicos para verificar um


argumento?
2. Quando as proposições (premissas) apresentarem
palavras como "todo", "algum" e "nenhum".
ARGUMENTOS LÓGICOS

• Ex.
• Se é verdade que "algum sertanejo é roqueiro" e que
"nenhum pagodeiro é roqueiro", então é necessariamente
verdadeiro que:
• A.Algum Sertanejo não é Pagodeiro
• B.Algum Sertanejo é Pagodeiro
• C. Nenhum Sertanejo é Pagodeiro
• D.Algum Pagodeiro é Sertanejo
• E. Nenhum Pagodeiro é Sertanejo
ARGUMENTOS LÓGICOS

• Ex.
• Se é verdade que "algum sertanejo é roqueiro" e que
"nenhum pagodeiro é roqueiro", então é necessariamente
verdadeiro que:

• “Nenhum p é r”, logo p não vai


estar entre s e r. Logo, algum s não é p
(os que estão no centro)
ARGUMENTOS LÓGICOS

• Ex.
• Se é verdade que "algum sertanejo é roqueiro" e que
"nenhum pagodeiro é roqueiro", então é necessariamente
verdadeiro que:
• A.Algum Sertanejo não é Pagodeiro
• B.Algum Sertanejo é Pagodeiro
• C. Nenhum Sertanejo é Pagodeiro
• D.Algum Pagodeiro é Sertanejo
• E. Nenhum Pagodeiro é Sertanejo
ARGUMENTOS LÓGICOS

• Quando considerar as premissas verdadeiras para


verificar um argumento?
1. Quando a proposições forem proposições simples
ou compostas com o conectivo "e".
2. O Conectivo “e” só é verdade quando ambas
premissas forem verdade. V + V = V. Assim basta
considerar ambas premissas verdadeiras, assim o
argumento só será válido se a conclusão for
verdade.
ARGUMENTOS LÓGICOS

Ex: (MPE – SE – FCC) - Certo dia, três bibliotecárias foram incumbidas de catalogar
os livros de um lote recebido. Ao final do trabalho, duas delas fizeram as seguintes
declarações:
1. Aline: Bia catalogou livros do lote, mas Cacilda não os catalogou.
2. Bia: Se Aline não catalogou livros do lote, então Cacilda os catalogou.
• Considerando que as duas declarações são verdadeiras, então os livros desse lote
foram catalogados:
• a) pelas três bibliotecárias.
• b) por uma única bibliotecária.
• c) apenas por Bia e Cacilda.
• d) apenas por Aline e Cacilda.
• e) apenas por Aline e Bia.
ARGUMENTOS LÓGICOS

Ex: (MPE – SE – FCC) - Certo dia, três bibliotecárias foram incumbidas de catalogar
os livros de um lote recebido. Ao final do trabalho, duas delas fizeram as seguintes
declarações:
1. Aline: Bia catalogou livros do lote, mas Cacilda não os catalogou.
2. Bia: Se Aline não catalogou livros do lote, então Cacilda os catalogou.
• Considerando que as duas declarações são verdadeiras, então os livros desse lote
foram catalogados:
• a) pelas três bibliotecárias.
• b) por uma única bibliotecária.
• c) apenas por Bia e Cacilda.
• d) apenas por Aline e Cacilda.
• e) apenas por Aline e Bia.
ARGUMENTOS LÓGICOS

Resolução
• Bia catalogou livros do lote e Cacilda não os catalogou
• Se Aline não catalogou livros do lote, então Cacilda os catalogou
1. A: Aline catalogou livros
2. B: Bia catalogou livros
3. C: Cacilda catalogou livros
• B ^(~C) = V
• Logo B é V e ~C é V e C é F
• ~A -> C = V
• Logo ~A -> F = V, portanto ~A é F e A é V
ARGUMENTOS LÓGICOS

Desencadeamento ou Dominó
Quando a aplicação dos métodos anteriores não for
suficientes.
• Quando a conclusão for uma proposição simples ou
uma disjunção "ou", ou uma condicional "Se... então".
ARGUMENTOS LÓGICOS

Desencadeamento ou Dominó
• Quando se tratar de uma Condicional “Se... Então”
deve-se trabalhar com a equivalência:
• p -> q = ~q -> ~p
• Assim como num jogo de dominós encaixa-se as
proposições e elimina-se as premissas que se repetem.
ARGUMENTOS LÓGICOS

• FCC-TCE/PR - Considere que as seguintes premissas são verdadeiras:


• I. Se um homem é prudente, então ele é competente.
• II. Se um homem não é prudente, então ele é ignorante.
• III. Se um homem é ignorante, então ele não tem esperanças.
• IV. Se um homem é competente, então ele não é violento.
• Para que se obtenha um argumento válido, é correto concluir que se um homem
• a) não é violento, então ele é prudente.
• b) não é competente, então ele é violento.
• c) é violento, então ele não tem esperanças.
• d) não é prudente, então ele é violento.
• e) não é violento, então ele não é competente.
ARGUMENTOS LÓGICOS

HC - Homem Competente
HP - Homem Prudente
HI - Homem Ignorante
HV - Homem Violente
HE - Homem com Esperanças.
Depois montamos as Premissas e as suas respectivas EQUIVALENCIAS
(TROCA E NEGA)
HP -> HC = ¬ HC -> ¬HP
¬HP -> HI = ¬ HI -> HP
HI -> ¬ HE = HE -> ¬HI
HC -> ¬ HV = HV -> ¬ HC
ARGUMENTOS LÓGICOS

HP -> HC = ¬ HC -> ¬HP


¬HP -> HI = ¬ HI -> HP
HI -> ¬ HE = HE -> ¬HI
HC -> ¬ HV = HV -> ¬ HC
Montando o Dominó temos:
HV -> ¬ HC -> ¬ HC -> ¬HP -> ¬HP -> HI -> HI -> ¬ HE
HV -> ¬HC -> ¬HP -> HI -> ¬HE
Basta analisar as alternativas agora!
ARGUMENTOS LÓGICOS

• FCC-TCE/PR - Considere que as seguintes premissas são verdadeiras:


• I. Se um homem é prudente, então ele é competente.
• II. Se um homem não é prudente, então ele é ignorante.
• III. Se um homem é ignorante, então ele não tem esperanças.
• IV. Se um homem é competente, então ele não é violento.
• Para que se obtenha um argumento válido, é correto concluir que se um homem
• a) não é violento, então ele é prudente.
• b) não é competente, então ele é violento.
• c) é violento, então ele não tem esperanças.
• d) não é prudente, então ele é violento.
• e) não é violento, então ele não é competente.
HV -> ¬HC -> ¬HP -> HI -> ¬HE
PRATICANDO