Vous êtes sur la page 1sur 32

Semiologia Psiquiátrica

Liga de Estudos em Neuropsiquiatria


Introdução
• O que é ser Médico? Profissão destinada a
examinar o paciente, diagnosticar e tratar as
enfermidades humanas com base nas ciências
biológica, física, química; e ainda sociologia,
antropologia, filosofia, etc.
• Curso de Medicina:
Disciplinas Básicas: Anatomia, Bioquímica,
Genética, Fisiologia, Farmacologia, etc...
Disciplinas Clínicas e Cirúrgicas:
Gastroentelogia, Neurologia, Psiquiatria, etc...
Estágio Supervisionado
Semiologia
• Conceito: ciência dos signos.
• Signo:é um tipo de sinal especial sempre provida de significação.
Gestos, palavras, comportamentos, sinais matemáticos e musicais,
etc. Os signos apresentam o significante e o significado.
• Sinal: é todo estímulo emitido pelos objetos do mundo. A fumaça
é um sinal de fogo, vermelho sinal de sangue, etc...
• Tipos de Signos:
– Ícone: fotografia do significado
– Indicador ou índice: relação de contigüidade entre o
significante e o significado. Nuvem indicadora de chuva.
– Símbolo: convenção adotada pare designar um significado.
Palavras.
Semiologia Médica
• Conceito: de sinais e sintomas das doenças.
• Síndrome: agrupamento de sinais e sintomas.
• Entidades nosológicas, doenças ou transtornos
específicos: fenômenos mórbidos nos quais se podem
identificar (ou pelo menos presumir com certa
consistência) uma etiologia (causa), curso
relativamente homogêneo (descrição clínica?),
estados terminais típicos, mecanismos psicológicos,
psicopatológicos ou fisiopatológicos característicos,
antecedentes genético-familiares algo específicos e
respostas a tratamentos mais ou menos previsíveis.
Psicopatologia

• Conceito: é a disciplina científica que se


incube do estudo sistemático das alterações
mórbidas que afetam o comportamento
(entendido como síntese da atividade mental
e da conduta).
Funções Psíquicas
• Consciência • Afetividade • Sensopercepção
• Atenção • Vontade • Pensamento
• Orientação • Psicomotricidade • Vivência do
• Memória • Personalidade tempo e do
• Inteligência espaço
• Linguagem • Juízo da
Realidade
• Vivência do Eu
Psiquiatria
• Ramo da Clínica Médica especializada nas
doenças mentais.
– Esquizofrenia
– Depressão
– Ansiedade
– Demências
– Dependência Química
– Transtornos de Personalidade
– Neuroses
– Etc
• Diferenciar da Neurologia
Conceito de Normalidade em
Psiquiatria
• Normalidade como ausência de Doença
• Normalidade Ideal: critérios socioculturais e arbitrários.
• Normalidade Estatística:
• Normalidade como bem-estar: OMS
• Normalidade Funcional : não sofrer ou causar sofrimento
• Normalidade como processo
• Normalidade subjetiva
• Normalidade como liberdade
• Normalidade como operacional: é anormal o que não se
considera normal.
Diagnóstico em Psiquiatria
Semiologia Psiquiátrica
• História Clínica (Anamnese e Exame Físico)
• Exame Psíquico
• Testes neuropsicológicos
• Exames Laboratoriais
• Diagnósticos Diferenciais
• Evolução do caso
• Manter duas linhas de raciocínio clínico:
Diagnóstica e Etiológica (biológica, psicológica e
social)
• Diagnóstico pluridimensional DSM-IV e CID-10
Consciência
• Consciência: grau de clareza do sensório.
– Sono e sonhos
– Alterações:
• Obnulação
• Sopor
• Coma
• Delirium:
• Estado onírico: sonho vívido.
Consciência
• Consciência: grau de clareza do sensório.
– Estado crepuscular: estreitamento do campo da consciência a
um número reduzido de objetos. Exemplo: predomina nos
estados de ansiedade, ira ou medo.
– Dissociação da consciência: desintegração dos campos da
consciência. Estar acordado mas não responder a perguntas.
Desligar-se da realidade. Estado de ansiedade extrema,
histeria.
– Transe:
– Estado Hipnótico: atenção concentrada no hipnotizador e
consciência estreitada.
• Semiologia da Consciência: Escala de Coma de Gasglow,
atitude do paciente. Teste do papel branco e teste do
globo ocular.
Atenção
• Tenacidade X Vigilância
• Hipoprosexia, Aprosexia, Hiperprosexia
• Distração, distraibilidade.
• Atenção no estado maníaco x depressivo.
• Semiotécnica da atenção: repetir números
Orientação
• Autopsíquica
• Alopsíquica (temporal e espacial)
• Desorientação: por redução do nível de
consciência, amnéstica, demencial, apática
ou abúlica, delirante, oligofrênica, histérica,
por desagregação.
• Semiotécnica da orientação
Vivência do tempo e do espaço:
• Ilusão sobre a duração do tempo
• Atomização do tempo
• Inibição da sensação de fluir do tempo
• Limites entre o eu e o espaço externo
Sensopercepção
• Alterações quantitativas:
– Hiperestesias
– Hipoestesias
– Analgesia
• Alterações qualitativas:
– Ilusão: é a percepção deformada de um objeto real e
presente. Ocorre basicamente em rebaixamento do nível
de consciência, fadiga grave ou inatenção marcante e
estados afetivos (acentuada intensidade)
– Alucinação: é a percepção clara e definida de um objeto
(voz, ruído, imagem) sem a presença do objeto
estimulante real.
Sensopercepção
• Tipos de alucinações: auditivas (vozes de comando, eco do
pensamento, publicação do pensamento; visuais
(fotopsias); táteis (sente espetadas, choques, insetos);
olfativas ; cenestésicas e cinestésicas; funcionais
(combinadas quando vê e fala com uma pessoa,
extracampinas quando vêsente alguém atrásde uma
parede, autoscópica quando se vê saindo do próprio
corpo ou sente a presença de um ser. As alucinações que
ocorrem entre o estado de vigíia-sono são chamadas
hipnagógicas e hipnopômpicas. Alucinose: uma
alucinação percebido pelo paciente como algo estranho à
sua pessoa.
• Semiotécnica da sensopercepção
Memória
• Fatores que influenciam o processo psicológico
da fixação na memória: nível de consciência,
manutenção da atenção, sensopercepção
preservada, afetividade (e vontade) pelo
conteúdo, conhecimentos prévios, capacidade
de compreensão do conteúdo, organização
temporal das repetições, número de canais
sensoperceptivos envolvidos.
• Fatores que influenciam o processo de
manutenção: repetição e associação com outros
elementos.
Memória
• Alterações quantitativas da memória:
– Hipermnésia
– Amnésia psicogênica
– Amnésia Orgânica
– Amnésia Anterógrada ou Retrógada
• Alterações qualitativas da memória (paramnésias)
– Ilusões mnêmicas
– Alucinações mnêmicas
– Fabulações: preencher lacunas
– Criptomnésias:
– Ecmésias: recaptulação intensa, abreviada e panorâmica, da
existência. A visão panorâmica da vida pode ocorre em momentos de
iminência de morte.
– Lembrança obsessiva
Memória
• Transtornos do reconhecimento:
– Agnosias: táteis, visuais, prosopagnosias,
auditiva, anosognosia, anasodiaforia,
silmultagnosia, grafestesia
• Déjà-vú, -entendu, -pensé, -vecú, jamais-vú
• Pseudologia-fantástica
Afetividade
• Dimensão psíquica que dá brilho, cor e calor a todas as vivências
afetivas como humor, as emoções e os sentimentos
• Esfera do psiquismo em que repercutem agradável ou
desagradavelmente as experiências pessoais relacionadas com a
satisfação ou insatisfação das necessidades.
• Humor: disposição afetiva de fundo
• Emoções: reações afetivas agudas
• Sentimentos: estados e configurações afetivas estáveis, ligadas a
conteúdos intelectuais.

• Afeto: tônus emocional que acompanha uma idéia ou
representação.
• Paixão: estado afetivo intenso que domina a
atividade psíquica.
Afetividade
• Alterações patológicas da afetividade:
– Distimia significa alteração do humor.
– Humor triste e ideação suicida
– Disforia: reação afetiva negativa, desagradável.
– Euforia: alegria patológica desproporcional às circusntâncias
– Puerilidade: humor de aspecto infantil.
– Estado de êxtase: sensação de compartilhamento íntimo do estado afetivo
interior com o mundo exterior.
– Irritabilidade patológica: tudo é motivo de irritação
• Ansiedade: estado de humor desconfortável, inquietação interna
desagradável.
• Angústia: aperto na garganta, no peito, sufocamento. Assemelha-se
muito a ansiedade, mas tem uma conotação mais corporal e mais
relacionada ao passado.
• Medo: refere-se a objeto mais ou menos preciso.
Afetividade
• Alterações das Emoções e dos sentimentos:
– Apatia
– Embotamento afetivo
– Hipomodulação do afeto
– Inadequação afetiva
– Pobreza de sentimentos e distanciamento afetivo
– Sentimento de falta de sentimento
– Anedonia
– Labilidade afetiva e incontinência afetiva
– Ambivalência afetiva
– Neotimia
– Medo
– Fobias
– Pânico
• Sentimentos com implicações psicopatológicas: ciúme e inveja
• Semiotécnica do afeto: humor ansioso, irritado, triste, apático ou inibido,
hipertímico. Emoções e sentimentos podem ser pesquisados observando o
modo de relacionamento com outras pessoas.
Vontade
• Hipobulia, abulia
• Atos impulsivos e atos compulsivos
• Impulsos e compulsões patológicas: automotilação (tricotilomania), frangofilia,
piromania, suicídio.
• Impulsos e compulsões relacionados à ingestão de drogas ou alimentos:
Dipsomania, Bulimia, Potomania.
• Atos e compulsões relacionadas ao desejo sexual: fetichismo (por vestimentas),
exibicionismo, voyeurismo, pedofilia, pederastia, gerontofilia, zoofilia, necrofilia,
coprofilia, ninfomania, satiríase, compulsões a utilizar roupas do sexo oposto
(sem ser homossexual), compulsões a utilizar clisteres (objetos como lampadas,
potes de vidros, garrafas) no anus ou vagina.
• Outros impulsos e compulsões: poriomania, cleptomania, compulsão a comprar.
• Outras alterações da vontade: Negativismo (ativo ou passivo), sitiofobia (recusa
de alimentos), obediência automática, ecopraxia, ecolalia, ecomimia, ecografia,
automatismos.
Psicomotricidade
• Alterações da psicomotricidade: agitação
psicomotora, lentificação psicomotora, inibição
psicomotora,estupor, catalepsia (exagero do tônus
postural), flexibilidade cérea, cataplexia (perda do
tônus muscular), estereotipias motoras,maneirismos,
tiques, conversão (surgimento abrupto de sintomas
físicos de origem psicogênica)
• Alterações da marcha: camptocormia (andar com o
tronco pra frente), hemiplegia histérica, astasia-
abasia (ou disbasia histérica, incapacidade de se
levantar ou andar apesar de não haver qualquer
paralisia ou ataxia de origem orgânica).
Hiperventilação psicogênica, Apragmatismo, Apraxia.
Pensamento
• Tipos alterados de pensamento: mágico, derreísta, concreto,
inibido, vago, prolixo, tangencialidade, circunstancialidade,
oligofrênico, confusional, desagregado (“salada de palavras”),
obsessivo.
• Alterações do processo de pensar: Aceleração do pensamento,
lentificação do pensamento, bloqueio ou interceptação do
pensamento, roubo do pensamento.
• Alterações da forma do pensamento: fuga de idéias (ocorre com
assonância – amor, flor, cor, ...), dissociação do pensamento,
afrouxamento das associações, descarrilhamento, desagregação.
• Conteúdo do pensamento: perseguição, depreciativos, religiosos,
sexuais, de poder ou riqueza ou grandeza, de ruína,
hipocondríacos
Juízo da Realidade
• Características: convicção extraordinária, impossibilidade de modificação
pela experiência, conteúdo impossível, produção associal.
• Tipo primário: juízos construídos de forma incompreensível e
impenetrável.
• Tipo secundário: fruto de alterações de outras áreas da atividade mental.
• Estrutura: simples ou complexa, não-sistematizados ou sistematizados.
• Conteúdo: perseguição, de referência, de relação, de influência, de
grandeza, de reinvindicação, de invenção ou descoberta, de reforma (ou
salvacionismo), místico ou religioso, de ciúmes e de infidelidade, erótico,
de ruína (niilista), de culpa e de auto-acusação, de negação de órgãos,
hipocondríaco, cenestopático, de infestação, fantástico ou mitomaníaco.
• Idéias obsessivas: idéias falsas, recorrentes, mas que o paciente mantém
crítica.
Outras funções psíquicas:
• Linguagem
• Inteligência
• Personalidade
• Esquema corporal
• Identidade