Vous êtes sur la page 1sur 12

Noções de versificação

Verso
Estrofe
Escansão
Rima
INTRODUÇÃO
A poesia é uma arte muito antiga e sabe-se que todas as literaturas
começaram com textos em versos. Quando ouvimos um poeta declamar
um poema, sentimos logo que se trata de um texto especial, que nos
emociona de maneira diferente de todos os outros, pelo que diz e,
sobretudo, como diz.
O poema é música, pois seus versos possuem musicalidade provocadas
pelo ritmo e pela rima, além de outros jogos de som como aliteração e
assonância.
O poema trabalha as palavras, recorrendo a seu poder plurissignificativo.
O poema apresenta uma diagramação diferente, pois organiza-se em
versos e estrofes.
Verso – cada linha do poema
• O verso é analisado de acordo com a métrica, ou seja, as sílabas
métricas que o constituem.
• Na contagem das sílabas métricas considera-se:
• Quando a última sílaba de uma palavra termina em vogal átona, faz elisão
com a vogal seguinte, formando apenas uma sílaba métrica. Caso as vogais
sejam iguais, temos uma crase.
• A contagem é feita até a sílaba tônica da última palavra.

Se te a nos de pas tor Já cob ser vi a


1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Rima – é a igualdade ou semelhança de sons nas
últimas vogais acentuadas (e fonemas que as seguem)
de vários versos. Contudo, verifica-se também o
processo da rima entre o final do verso e palavras que
se encontram no interior do verso seguinte. Chamamos
a esse processo de rima interna ou encadeada.

Ela é classificada quanto à posição na estrofe, à


acentuação tônica, à morfologia e à fonética.
Rima quanto à posição na estrofe

CRUZADA OU ALTERNADA: EMPARELHADA OU INTERPOLADA OU OPOSTA:


ABAB PARALELA: AABB ABBA
(A) - "Senhora, partem tão triste (A) - "Manuel, tens razão. Venho (A) - "Busque Amor novas artes,
(B) - meus olhos por vós, meu bem, tarde. Desculpa. novo engenho
(A) - que nunca tão tristes vistes (A) - Mas não foi Anto, não fui eu (B) - para matar-me, e novas
(B) - outros nenhuns por ninguém." quem teve a culpa, esquivanças;
(B) - Foi Coimbra. Foi esta paisagem (B) - que não pode tirar-me as
triste, triste, esperanças,
(B) - A cuja influência a minha alma (A) - que mal me tirará o que não
não resiste. (...) tenho."
Rima quanto à acentuação tônica

• Agudas – Terminados em palavra oxítona (em que a sílaba tónica é a


última).
Exemplo: "Onde canta o sabiá" por Gonçalves Dias;
• Graves – Terminados em palavra paroxítona (em que a sílaba tónica é
a penúltima).
Exemplo: "Quando junto de mim Teresa dorme" por Álvares de
Azevedo;
• Esdrúxulas – Terminados em palavra proparoxítona (em que a sílaba
tónica é a antepenúltima).
Exemplo: "Por entre anémonas, nadadeiras trémulas" por Cecília
Meireles;
Rima quanto à fonética

•Perfeita ou Soante – Quando há analogia fonética


(correspondência completa de sons): tento / vento; vele /
sele; peso / teso;

•Imperfeita ou Toante – Quando não há analogia fonética total


(correspondência parcial de sons): âmbar /amar; até /ate;
estrela / vela;
Rima quanto à Morfologia
• Ricas – têm classes gramaticais diferentes:
Exemplo:
"Não há machado que corte
a raiz ao pensamento
não há morte para o vento
não há morte"
por Carlos de Oliveira.

• Pobre – Pertencem à mesma classe gramatical:


Exemplo:
"Em nós dois nessa tarde em que tanto tardaste o sol amanhecia
Era tarde de mais para haver outra noite, para haver outro dia" por
Ary dos Santos.
Preciosa – palavras quase sem rima:
Exemplo:
"Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça e o meu corpo te guarde" por Ary dos
Santos.

Coroadas – As que ocorrem dentro de um mesmo verso.


Exemplo: "de puros sons quebrados por sons puros" por
Joaquim Manuel Magalhães.
II. Medida do verso - os versos medem-se pela contagem das sílabas
métricas. Chamamos esse recurso de escansão.

• versos de uma sílaba – monossílabos


• versos de 2 sílabas – dissílabos
• versos de 3 sílabas – trissílabos
• versos de 4 sílabas – tetrassílabos
• versos de 5 sílabas –redondilha menor
• versos de 6 sílabas – hexassílabos
• versos de 7 sílabas – redondilha maior
• versos de 8 sílabas – octossílabos
• versos de 9 sílabas – eneassílabos
• versos de 10 sílabas – heroicos
• versos de 11 sílabas – endecassílabos
• versos de 12 sílabas – alexandrinos

• O verso livre não está sujeito a limites de sílaba e ritmo. Surgiu com os poetas modernistas.
POEMAS DE FORMAS FIXAS

• O acróstico, que é composto de uma só estrofe cujas letras


iniciais formam o nome de uma pessoa ou de algo (um
objeto, uma cidade, uma paisagem, por exemplo.).
• A balada, que é composta de quatro estrofes: três oitavas ou
três décimas (oito ou dez versos) e uma quadra ou quintilha
(quatro ou cinco versos).
• O haicai, poema de origem japonesa, composto por uma
estrofe com três versos: o primeiro com cinco sílabas
(redondilha menor) e o segundo com sete sílabas
(redondilha maior).
• O soneto, forma composta por catorze versos divididos em
dois quartetos e dois tercetos ou, ainda, por uma estrofe
com doze versos e outra com dois versos.

• A trova, que é composta de uma estrofe de quatro versos


com sete sílabas poéticas (redondilha maior).

• O vilancete, que é composta por um mote de dois ou três


versos, seguido de uma ou mais estrofes com glosa, voltas ou
coplas (repetição do tema apresentado no mote). Composto
em redondilhas.